Breaking News
Home / Meio Ambiente / Degradação Ambiental

Degradação Ambiental

PUBLICIDADE

Definição – Degradação Ambiental

degradação ambiental é uma série de ações por meio das quais enfraquecemos ou prejudicamos o meio ambiente natural, reduzimos sua diversidade biológica e prejudicamos a saúde geral da infraestrutura natural.

Quando o homem começou a viver em grandes comunidades,ele alterou a natureza de forma para assegurar a sua sobrevivência e proporcionar seu conforto.

A agricultura, pecuária e a construção de cidades.

Modificam diretamente a natureza,assim transformando características geográficos como vegetação, permeabilidade do solo, relatividade da superfície terrestre, além de alterar a atmosfera.

A alteração do espaço para existente da habitação humana nas grandes cidades metropolitanas,causando variação climática de diversas formas.

As temperaturas de verão e inverno são maiores que as áreas do campo próximas,já que a velocidade dos ventos e radiação diminuem.

degradação ambiental é um processo pelo qual o meio ambiente natural é comprometido de alguma forma, reduzindo a diversidade biológica e a saúde geral do meio ambiente.

Este processo pode ser de origem totalmente natural, ou pode ser acelerado ou causado por atividades humanas.

Muitas organizações internacionais reconhecem a degradação ambiental como uma das maiores ameaças que o planeta enfrenta, uma vez que os humanos só receberam uma Terra para trabalhar e, se o meio ambiente ficar irreparavelmente comprometido, isso pode significar o fim da existência humana.

degradação ambiental é tanto um motor quanto uma consequência de desastres, reduzindo a capacidade do meio ambiente de atender às necessidades sociais e ecológicas.

O consumo excessivo de recursos naturais resulta em degradação ambiental, reduzindo a eficácia de serviços ecossistêmicos essenciais, como mitigação de enchentes e deslizamentos de terra.

Isso aumenta o risco de desastres e, por sua vez, os perigos naturais podem degradar ainda mais o meio ambiente.

A degradação ambiental assume diversas formas, que vão desde a poluição e destruição de ecossistemas a fontes de água doce degradadas e terras aráveis.

Degradação ambiental é definida como ações realizadas por pessoas que fazem com que o planeta Terra ou seus sistemas (ar, água, etc.) sejam danificados ou prejudicados de alguma forma.

O que é degradação ambiental?

degradação ambiental é um processo pelo qual o meio ambiente natural é comprometido de alguma forma, reduzindo a diversidade biológica e a saúde geral do meio ambiente.

Este processo pode ser de origem totalmente natural, ou pode ser acelerado ou causado por atividades humanas.

Muitas organizações internacionais reconhecem a degradação ambiental como uma das maiores ameaças que o planeta enfrenta, uma vez que os humanos só receberam uma Terra para trabalhar e, se o meio ambiente ficar irreparavelmente comprometido, isso pode significar o fim da existência humana.

Mudanças climáticas e degradação ambiental

degradação ambiental pode funcionar de várias maneiras.

Em um caso clássico, os recursos simplesmente se esgotam. Ar, água e solo são todos recursos vulneráveis ao esgotamento por uso excessivo, assim como os recursos naturais, como minerais e depósitos de petróleo.

As pressões do habitat que forçam os animais para uma pequena área também podem contribuir para o esgotamento de recursos, visto que os animais consomem um grande volume de material em uma pequena área.

poluição é outra causa da degradação ambiental. Quando o meio ambiente fica poluído, isso significa que as substâncias tóxicas o tornaram insalubre. A poluição pode vir de uma variedade de fontes, incluindo emissões veiculares, escoamento agrícola, liberação acidental de produtos químicos de fábricas e colheita mal administrada de recursos naturais. Em alguns casos, a poluição pode ser reversível com medidas de remediação ambiental caras e, em outros casos, pode levar décadas ou até séculos para o meio ambiente lidar com a poluição.

Danos simples também são um problema comum. Corte raso, desenvolvimento insustentável e erosão são todas formas de danos ambientais. Se o dano for extenso, o meio ambiente pode não ser capaz de atingir um estado de equilíbrio por conta própria e o problema pode se agravar. A erosão como resultado de más práticas agrícolas, por exemplo, pode tirar da terra seu valioso solo, deixando para trás solos ásperos e inúteis. Isso ocorreu de forma infame na América do Norte durante o Dust Bowl da década de 1930, em que a seca, as práticas agrícolas inadequadas e o clima severo levaram a uma ampla remoção do solo fértil das terras agrícolas.

Uma série de questões sociais e jurídicas estão envolvidas na degradação ambiental, que vão desde a necessidade de fornecer espaço para morar aos humanos até questões sobre quem é responsável pela limpeza ambiental. Por exemplo, se uma empresa adquire uma empresa que liberou produtos químicos tóxicos no meio ambiente em uma época em que essa prática era comum, ela pode argumentar que não tem obrigação legal de limpar os produtos químicos, embora possa ser obrigada a fazê-lo sob a ética princípios.

Quais são as causas mais comuns de poluição?

Poluição do meio ambiente

poluição é um problema mundial que afeta o ar, a água e o solo.

Várias atividades humanas, principalmente desde a revolução industrial, criaram produtos residuais que simplesmente foram lançados no meio ambiente sem que se pensasse em seus efeitos.

Embora a conscientização sobre o problema tenha aumentado e várias medidas de redução tenham sido implementadas – às vezes com sucesso -, ele continua a ser um grande problema.

As causas mais comuns de poluição são a queima de combustível, o uso excessivo de fertilizantes e pesticidas, o descuido e o descarte inadequado de resíduos.

Poluição do ar

De longe, a maior fonte de poluição do ar é a queima de combustíveis fósseis. Petróleo, gás e carvão são queimados em grande escala, liberando uma variedade de poluentes no ar, incluindo dióxido de carbono (CO2), dióxido de enxofre (SO2), óxidos de nitrogênio (NOx), monóxido de carbono (CO), compostos orgânicos voláteis (COVs) e partículas, como fumaça e fuligem.

Os combustíveis fósseis consistem principalmente de hidrocarbonetos – compostos de carbono e hidrogênio. Quando eles queimam, o carbono se combina com o oxigênio para produzir CO2.

Freqüentemente, porém, a combustão não é completa: parte do carbono forma monóxido de carbono (CO) e parte permanece como carbono, formando fumaça e partículas de fuligem.

Dentre as causas de poluição desse tipo, o automóvel é provavelmente a maior. Os escapamentos de veículos são uma importante fonte de dióxido de carbono, que contribui para o aquecimento global, e de monóxido de carbono tóxico. Nas altas temperaturas do motor de combustão interna, o nitrogênio e o oxigênio do ar podem se combinar para formar óxidos de nitrogênio.

O óxido nítrico (NO) se forma inicialmente, mas depois tende a se combinar com o oxigênio novamente para formar o dióxido de nitrogênio (NO2), que é um irritante pulmonar grave e contribui para a chuva ácida.

O escapamento do veículo também contém partículas de fuligem e VOCs resultantes da gasolina não queimada.

Grandes quantidades de combustíveis fósseis são queimadas em estações geradoras de eletricidade. Assim como o CO2, as estações movidas a carvão produzem quantidades significativas de dióxido de enxofre, um dos principais contribuintes para a chuva ácida. Todos os combustíveis fósseis contêm compostos de enxofre, que, na combustão, produzem SO2, mas a maioria deles é removida do petróleo e do gás nas estações de tratamento antes de serem usados. Isso, entretanto, não é possível para o carvão.

Poluição da água

poluição de rios, lagos e oceanos pode vir de várias fontes. Às vezes, a origem é facilmente rastreada – pode ser uma tubulação que descarrega águas residuais em um rio, por exemplo.

Regulamentações mais rígidas quase eliminaram esse tipo de poluição em alguns países, mas continua a ser um problema em outros. Descargas de resíduos industriais tóxicos em rios podem devastar a vida aquática, e o lançamento de esgoto nos cursos de água pode espalhar bactérias perigosas.

Em muitos casos, as causas da poluição são menos específicas. As águas residuais das casas estão sujeitas a tratamento antes de chegarem aos rios, mas a água que escorre das terras agrícolas, plantações, estradas e jardins não. Pode conter uma variedade de poluentes, dependendo de sua fonte.

Água de terras agrícolas pode conter fertilizantes ou pesticidas. Os fertilizantes podem causar o crescimento descontrolado de algas, que consomem o oxigênio dissolvido na água, matando peixes e outros organismos que precisam dele. Os pesticidas podem prejudicar diretamente algumas formas de vida aquática.

Outras formas de poluição podem resultar simplesmente do descuido das pessoas que cuidam de seus afazeres diários. Produtos químicos – como óleo, produtos de limpeza e anticongelante – que foram descartados de maneira inadequada, ou derramados e não foram limpos, podem facilmente ser levados para os rios pelo escoamento da água da chuva, assim como o lixo jogado sem pensar na rua.

A poluição do ar também pode afetar a qualidade da água. O dióxido de enxofre e os óxidos de nitrogênio reagem com a água da chuva, formando ácidos, que podem se acumular nos lagos, acidificando a água. Algumas plantas aquáticas e animais são muito sensíveis a mudanças no pH ou acidez-alcalinidade e podem ser adversamente afetados.

Poluição do solo

solo pode ser contaminado por produtos químicos provenientes de instalações industriais, atividades de mineração e aterros sanitários, bem como por água contendo poluentes de outras fontes, como agricultura e até mesmo atividades domésticas. Os poluentes nos solos às vezes podem persistir por muito tempo. Isso se aplica particularmente a antigos locais industriais onde metais tóxicos foram depositados.

Embora o uso de chumbo na gasolina tenha sido eliminado no final da década de 1970, os níveis de chumbo permanecem relativamente altos em solos próximos a áreas de tráfego intenso.

Os aterros sanitários podem conter uma grande variedade de resíduos industriais e domésticos, geralmente consistindo de materiais que não podem ser reciclados ou que foram jogados fora antes que a reciclagem se tornasse comum. Vazamentos de produtos químicos industriais, gasolina, produtos de limpeza e substâncias de baterias podem poluir o solo ao redor e podem entrar na água subterrânea, espalhando o problema ou mesmo ameaçando o abastecimento de água potável.

A poluição do solo também pode resultar da chuva ácida. O solo pode se tornar acidificado, afetando a vida das plantas e os organismos mais acima na cadeia alimentar.

Reduzindo a poluição

Muitas dessas causas de poluição são coisas que as pessoas comuns podem ajudar a combater. Deixar o automóvel em casa e ir a pé ou de bicicleta para o trabalho, se prático, pode fazer a diferença.

Como alternativa, usar o transporte público, mesmo que queime combustíveis fósseis, é melhor do que dirigir: 30 pessoas em um ônibus geram muito menos poluição do que 30 viagens separadas de automóvel.

Outras medidas incluem evitar o uso excessivo de fertilizantes e pesticidas no jardim, não jogar lixo e garantir que os produtos químicos domésticos e os recipientes vazios sejam descartados de maneira adequada.

Causas e Consequências

Degradação Ambiental

Vivemos num mundo cada vez mais interconectado. Graças aos veículos de comunicação e a convergência das mídias, podemos saber o que está acontecendo em várias partes do planeta ao mesmo tempo.

Numa época assim, marcada também pela crescente preocupação com o meio ambiente, é fácil nos depararmos com cenas de degradação ambiental que causam repulsa.

A percepção do problema é muito maior do que o entendimento da causa, ou seja, vemos e nos incomodamos com as consequências, mas muitas vezes não percebemos que aquela situação trágica é formada pelas nossas próprias atitudes.

A cena de um rio poluído, lotado de garrafas pet, pneus, sacos plásticos e sucata nos remete à lembrança do pescador que içou uma bota em vez dos peixes.

Mas não nos preocupamos muito com o fato de jogarmos um toco de cigarro na rua, ou mesmo um papel de bala. Ou, quando estamos com preguiça, em vez de jogar o filete de plástico que sela o maço de cigarros no lixo reciclável – já que ninguém está vendo – jogamos ali mesmo num cantinho.

Quando estamos com pressa é comum estacionarmos em qualquer lugar, sem pensar muito se nossa atitude está prejudicando o tráfego de outros veículos.

Mas quando estamos voltando para casa, ou mesmo indo para um compromisso urgente, ficamos revoltados com um engarrafamento provocado por cinco ou seis motoristas que por estarem com pressa resolveram estacionar em qualquer lugar sem pensar se estão prejudicando alguém. Ou seja, fizeram a mesma coisa que nós fizemos dias antes.

Preocupamos com o aquecimento global e sabemos que a emissão de gás carbônico, oriundo da queima de petróleo, é um dos fatores que mais contribui para o acúmulo de gases potencializadores do efeito estufa.

Mas diariamente entramos sozinhos em nossos carros ? que pesam mais de uma tonelada e em geral comportam cinco pessoas – e percorremos um trajeto pequeno em direção ao trabalho, emitindo tranquilamente nossa cota de CO2.

Sabemos muito sobre a importância de economizar a água e de como isso é fundamental para o equilíbrio ambiental do planeta. Mas num dia frio, não resistimos a um banho reconfortante e quentinho.

Usufruimos impunemente de uma enorme quantidade água e deixamos o chuveiro ligado por 15, 20 ou até mesmo 30 minutos.

Afinal nós merecemos recuperar as energias e nada melhor que um banho quentinho pra isso.

O crescente consumo de energia elétrica gera o inevitável aumento da oferta com a consequente necessidade de construir usinas hidrelétricas, queimar carvão ou petróleo em usinas termoelétricas ou construir usinas de energia atômica. Essa situação é bastante evidente, mas quantas vezes não ligamos a televisão e simplesmente dormimos confortavelmente em nossos sofás. Esquecemos dos problemas ambientais decorrentes do desperdício, embalamos nossos sonhos e ainda culpamos a programação chata dos canais de TV por nosso sono.

Vamos ao supermercado e escolhemos tudo o que há de mais prático, afinal nosso tempo é precioso e devemos aprender a usá-lo com inteligência. Muitas vezes rejeitamos produtos frescos, como frutas e legumes, e optamos por enlatados ou alimentos congelados, sem nos preocuparmos com a qualidade da comida que ingerimos. Consumimos gorduras em excesso e proteínas de menos.

E como resistir quando nossos filhos pedem aquelas guloseimas que trazem as figurinhas do Capitão Coragem ou uma miniatura da boneca Princesa do Castelo Encantado?

Os produtos de limpeza são definidos pelo seu poder de resolver o problema. Então compramos limpa vidros, limpa tapetes, limpa sanitários, tira manchas, tira odores, tira graxa, tira opinião de sogra, removedor de gordura, removedor de ferrugem, removedor de mau olhado, detergentes, desinfetantes, amaciantes, sabão em pó, sabão de barra e outros tantos produtos que nem imaginamos sua composição química e os estragos que podem causar ao meio ambiente. Isso quando não compramos desinfetantes e detergentes caseiros, fabricados sem controle e vendidos sem registro.

Na verdade este texto narra nosso cotidiano e é fácil identificarmos nosso comportamento em várias das ações aqui descritas. Não acho que é possível mudar nossos hábitos de uma hora para outra, somos assim porque é mais cômodo, confortável e simples. Mas fica evidente que há necessidade de repensarmos a intensidade de repetição dessas ações e suas consequências para o meio ambiente. Individualmente somos nós mesmos, coletivamente somos um planeta.

Fonte: vivaitabira.com.br/www.preventionweb.net/www.conhecimentosgerais.com.br/timesofindia.indiatimes.com/www.wisegeek.org/www.cabano.com.br/www.eionet.europa.eu/www.globalpolicy.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Definição de Poluição industrial A poluição cuja fonte provém diretamente da indústria é conhecida …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Ecologia Industrial

PUBLICIDADE Definição de Ecologia Industrial A ecologia industrial conceitua a indústria como um ecossistema feito pelo homem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.