Breaking News
Home / Meio Ambiente / Decibéis

Decibéis

PUBLICIDADE

Decibéis – O que são

O som está ao nosso redor e pode ser medido para nos informar e proteger, pois alguns sons não são seguros. Na verdade, o ruído alto pode ser muito prejudicial para a audição. O nível de ruído, onde uma pessoa está em relação ao ruído (distância ao ruído), e a quantidade de tempo que ela ouve podem resultar em risco de perda auditiva.

Medidor de decibéis

O som pode ser medido com um dispositivo chamado medidor de decibéis. Ele amostra e mede o som, fornecendo uma leitura. Medidores de decibéis (também chamados de medidores de nível de som) podem ser acessados até mesmo em um smartphone por meio de aplicativos.

Medir o som de um ambiente com um dispositivo comum como um smartphone que muitas pessoas sempre carregam pode ajudar a proteger seus ouvidos com mais frequência.

Escala de decibéis

O som é medido em unidades chamadas decibéis (dB). Quanto maior o nível de decibéis, mais alto o ruído. Na escala de decibéis, o aumento de nível de 10 significa que um som é na verdade 10 vezes mais intenso ou poderoso.

Decibéis – Escala

Um decibel é uma unidade na escala de decibéis, que é uma escala logarítmica.

O nome significa um décimo de um bel, sendo um bel uma unidade homônima com o nome de Alexander Graham Bell e usada para comparar a potência na comunicação elétrica, voltagem ou intensidade do som.

A abreviatura de bel é B e decibel, dB.

10 dB = 1 B

O principal uso da escala de decibéis hoje é testar a audibilidade, e os resultados são chamados de nível de pressão sonora (SPL), que é semelhante ao volume. A Occupational Safety and Health Association (OSHA) estabeleceu diretrizes para ajudar as pessoas a determinar a intensidade máxima a que devem ser expostas. O nível de SPL recomendado pela OSHA é de 85 decibéis, acima do qual é necessária proteção especial para os ouvidos.

Oitenta e cinco decibéis é o limite para a possibilidade de perda auditiva relacionada ao ruído, e esta diretriz destina-se a prevenir tal perda auditiva.

Este número sugere que muitas pessoas que atualmente não usam proteção auricular devem considerá-lo. O gráfico a seguir revela que grande parte do som a que estamos expostos está acima desse limite de 85 decibéis. Como as condições podem variar e as distâncias não são especificadas, esses valores são aproximados.

Medidores de nível de pressão sonora, medidores de nível sonoro ou medidores de som são ferramentas usadas para medir o SPL, a intensidade do som, em um determinado momento.

Esses medidores usam escalas de ponderação de frequência que levam em conta a diferença na sensibilidade humana a diferentes frequências. A escala A, uma escala de decibéis abreviada como dBA ou dB(A), e a escala C, uma escala de decibéis abreviada como dBC ou dB(C), são as mais usadas. Os medidores também podem ser configurados para resposta lenta ou rápida.

O teste que a OSHA especifica quando o som excede o nível recomendado é um teste de escala definido para resposta lenta.

Os dosímetros são como medidores de nível de som, mas monitoram, armazenam e integram leituras ao longo do tempo e podem fornecer uma leitura média por um período especificado. Os dosímetros são usados para monitoramento de ruído pessoal, enquanto os medidores de nível de som são usados para monitoramento de ruído de área. Como o dosímetro é usado por períodos mais longos e para rastrear a exposição ao som que uma pessoa experimenta, ele é feito para ser usado e possui um microfone de encaixe para captar o som.

Decibéis é uma unidade usada para comparar dois níveis de potência, geralmente aplicada a sinais sonoros ou elétricos. Embora o decibel seja um décimo de um bel, é o decibel, não o bel, que é invariavelmente usado.

Dois níveis de potência P e P0 diferem em n decibéis quando n = 10log10P/P0.

Se P é o nível de intensidade do som a ser medido, P0 é um nível de referência, geralmente a intensidade de uma nota da mesma frequência no limiar de audibilidade.

A escala logarítmica é conveniente, pois a audibilidade humana varia de 1 (apenas audível) a 1012 (apenas causando dor) e um decibel, representando um aumento de cerca de 26%, é a menor alteração que o ouvido pode detectar.

A intensidade ou volume dos sons é medida em unidades chamadas decibéis, abreviadas para dB. Sessenta dB é a intensidade do som de uma conversa, e 120 dB a de um avião a jato.

Se uma pessoas “perder” 25 dB de volume, poderá ter problemas de audição.

A perda de 95 dB pode ensurdecer totalmente uma pessoa.

A competência auditiva é classificada como normal, perda leve, moderada, severa e profunda (Quadro abaixo).

É difícil imaginar o que perdem aqueles que têm uma deficiência auditiva.

Classificação das Perdas Auditivas de Davis – para crianças

QUADRO II
Grau de Deficiência Perda em dB
Normal 0 a 15
Leve 16 a 40
Moderada 41 a 55
Moderada Severa 56 a 70
Severa 71 a 90
Profunda + de 90

A intensidade Sonora

Todo sistema sensorial tem um limite mínimo e um limite máximo para responder a um estímulo. A média da população com audição normal é capaz de ouvir sons tão fracos quanto -10 a 0 dB (o som de uma folha caindo de uma árvore é mais forte!…) e tolerar, sem desconforto, sons de 90 dB, desde que por um período curto de tempo. Sons de 130 dB chegam a provocar dor.

Os sons da fala situam-se principalmente entre as frequências de 250 e 8000 Hz e variam entre 15 e 45 dB de intensidade. Para se ter uma ideia, o som de um torneira gotejando é de aproximadamente 20 dB, de uma conversação tranquila é de 45-55 dB, o som de um secador de cabelo é de 85 a 90 dB, um caminhão pode chegar a 100 dB, a turbina de um avião é de mais ou menos 130 dB, podendo equivaler ao som de shows de rock!

Efeitos dos sons intensos no organismo

Os efeitos do som no nosso organismo dependem do tempo de exposição, da intensidade sonora e da susceptibilidade individual.

O efeito mais conhecido da exposição a sons intensos, sejam eles agradáveis (como concertos de música clássica ou de rock) ou não (como o ruído de trânsito intenso), é a perda de audição temporária (a princípio) ou definitiva.

Há, no entanto, outros sintomas comuns e não menos importantes que podem ocorrer com ou sem instalação da perda auditiva: zumbido, deterioração do reconhecimento da fala, intolerância a sons (hiperacusia), nervosismo, ansiedade, dores de cabeça, tonturas, constrição dos vasos sanguíneos periféricos, perturbações circulatórias, taquicardia, aumento da condutância da pele, dilatação da pupila, diminuição da motilidade gastro-intestinal (ocasionando gastrite, úlcera), alterações do apetite e do sono, liberação de noradrenalida, adrenalina (hormônios do medo, da raiva e da ansiedade) e cortisol.

É por causa dessa liberação de hormônios que muitas pessoas acham que ouvir música em intensidade moderada não dá emoção ou não tem graça.

Todos esses efeitos podem ser agravados se a exposição a níveis elevados de pressão sonora forem combinados a ingestão de álcool, esforço físico, cansaço, estresse ou a certos estados de saúde (como diabetes e pressão alta, por exemplo).

Limites de tolerância

Várias Leis e Normas nos orientam quanto aos níveis aceitáveis de ruído em diversos ambientes.

Os índices de poluição sonora aceitáveis são estabelecidos pela Lei n.º 1.065 de Maio de 1996 e são determinados de acordo com a zona e horário segundo as normas da ABNT (n.º 10.151).

Conforme as zonas os níveis de decibéis nos períodos diurnos e noturnos são os seguintes:

Área Período Decibels (dB)
Zona de Hospitais Diurno
Noturno
45
40
Zona Residencial Urbana Diurno
Noturno
55
50
Centro da cidade (negócios, comércio, administração). Diurno
Noturno
65
60
Área Predominante Industrial Diurno
Noturno
70
65

Segue abaixo a tabela de limites de tolerância para ruído contínuo ou intermitente, de acordo com o Anexo I da Norma Regulamentadora nº 15 (NR 15), Portaria 3.214 de 08/06/1978 (Ministério do Trabalho), que dispões sobre o programa de Prevenção de Riscos Ambientais.

Nível de ruído dB (A) Máxima exposição diária permissível
85 8 horas
86 7 horas
87 6 horas
88 5 horas
89 4 horas e 30 minutos
90 4 horas
91 3 horas e trinta minutos
92 3 horas
93 2 horas e 40 minutos
94 2 horas e 15 minutos
95 2 horas
96 1 hora e 45 minutos
98 1 hora e 15 minutos
100 1 hora
102 45 minutos
104 35 minutos
105 30 minutos
106 25 minutos
108 20 minutos
110 15 minutos
112 10 minutos
114 8 minutos
115 7 minutos

Fonte: www.fonoesaude.org/www.ines.org.br/www.infobloom.com/www.earq.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Efeito La Niña

PUBLICIDADE Efeito La Niña – O que é Tradicionalmente, La Niña tem recebido menos atenção do que …

Poluição Industrial

PUBLICIDADE Muitos processos de fabricação industrial usam ou produzem produtos químicos que podem prejudicar a …

Biotecnologia Ambiental

Biotecnologia Ambiental

PUBLICIDADE Definição A biotecnologia ambiental, em particular, é a aplicação de processos para a proteção e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.