Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Usos da Água  Voltar

Usos da Água

A água é utilizada, em todo o mundo, para diversas finalidades, como o abastecimento de cidades e usos domésticos, a geração de energia, a irrigação, a navegação e a aqüicultura (pesca).

Na medida em que os países se desenvolvem, crescem principalmente as indústrias e a agricultura, atividades que mais consomem água, se comparadas aos outros usos. O cenário de escassez provocado pela degradação e pela distribuição irregular da água, somado ao aumento da demanda em várias atividades que dependem dela, gera conflitos, seja dentro dos próprios países (como discussões para se decidir qual será o principal uso das águas de um rio) ou entre as nações (por exemplo, no caso de bacias hidrográficas se localizarem no território de mais de um país).

No Brasil

A maior demanda por água no Brasil, como acontece em grande parte dos países, é a agricultura, sobretudo a irrigação, com cerca de 65% do total. O uso doméstico responde por 18% da água, em seguida está a indústria e, por último, a pecuária (dessedentação animal).

Historicamente, o Brasil sempre privilegiou o uso desse recurso para a produção de energia, em detrimento de outros, como o abastecimento humano. No Código das Águas, de 1934, o governo chamava a atenção para a necessidade do aproveitamento industrial da água e para a implementação de medidas que facilitassem, em particular, seu potencial de geração de hidroeletricidade. Mas o uso múltiplo das águas das bacias hidrográficas - para a navegação, a irrigação, a pesca e o abastecimento, além da geração de energia - desencadearam conflitos nas regiões onde as pressões sobre a demanda são grandes.

Em 1997, frente a esses problemas, foi decretada a Lei das Águas, que institui a Política Nacional de Recursos Hídricos (PNRH) e cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (SNGRH). Nessa nova leitura da importância da água, em situações de escassez e conflitos de uso, o abastecimento humano e a dessedentação animal tornam-se prioridades, como havia sido estabelecido pela Constituição de 1988. Além disso, a lei prevê a gestão dos usos da água por bacias hidrográficas e a geração de recursos financeiros a serem empregados prioritariamente na própria bacia, por meio da cobrança pelo uso da água onde há conflitos ou escassez.

Dicas de uso da água

Em casa

O banheiro é o local que mais consome água numa casa. Fique atento aos vazamentos e mantenha a descarga regulada.

Uma torneira pingando uma gota a cada 5 segundos representa mais de 20 litros de água desperdiçados em apenas um dia.

A vazão média de uma torneira é de 12 litros por minuto. Ao mantermos a torneira fechada durante algumas tarefas cotidianas, como escovar os dentes, ensaboar a louça e fazer a barba, podemos fazer uma boa economia e evitar o desperdício de água.

Reutilizar a água numa casa é outra atitude inteligente. A água do último enxágüe da máquina de lavar pode, por exemplo, ser utilizada para a limpeza doméstica, para a rega das plantas, e até para dar descarga nos banheiros.

Junte roupa em quantidade suficiente para encher a máquina de lavar antes de ligá-la. Utilizar o aparelho na sua capacidade máxima é uma maneira de economizar água.

Quem vive em casa pode também coletar água de chuva para afazeres secundários, como lavar uma área ou regar as plantas. Mas cuidado, nas grandes cidades é sempre importante desprezar a água do início da chuva, pois ela traz consigo fuligem e outras impurezas que estão no ar.

Não despeje o óleo de frituras na pia. Esta gordura, além de contribuir para o entupimento dos canos, dificulta o tratamento do esgoto.

Procure usar sabão em pedra ao invés de detergente. Apesar de “biodegradáveis”, os detergentes são grandes poluidores da água. O fosfato presente no produto é o elemento básico para a reprodução das algas, o que eleva o consumo de oxigênio da água e provoca o aumento da mortandade de peixes. O detergente diluído na água permanece ativo durante vários dias, antes de ser degradado.

Use quantidades menores de produtos de higiene e limpeza para reduzir o nível de poluente presentes na água. Utilize somente o necessário.

Pratique coleta seletiva. A reciclagem é uma maneira eficiente de contribuir na economia de água. Os produtos reciclados consomem menos água do que os produzidos a partir de matéria-prima virgem.

Utilize lâmpadas econômicas ou apague as lâmpadas que estão em cômodos vazios. Economizar energia elétrica é uma maneira de economizar água.

Evite consumir sacolinhas plásticas. Elas correspondem a 7% dos resíduos produzidos pelas pessoas. Além disso, sua decomposição demora mais de 100 anos. Procure reutilizar as sacolinhas que tem em casa, usar caixas de papelão ou as sacolas de pano na próxima compra.

Procure usar pilhas recarregáveis, pois geram menos resíduos que as pilhas descartáveis. Ao usar a bateria do celular, siga as recomendações do fabricante e aumente a vida útil do equipamento. Desta maneira, evitamos a fabricação de mais pilhas e baterias e geramos menos resíduos.

Procure utilizar lâmpadas fluorescentes ao invés das incandescentes. As fluorescentes consomem até 80% menos energia e têm mesmo potencial de iluminação. Inclusive há no mercado lâmpadas fluorescentes amarelas, que imitam a coloração mais agradável das incandescentes.

No trabalho

Uma torneira pingando uma gota a cada 5 segundos representa mais de 20 litros de água desperdiçados em apenas um dia.

Procure usar sabão em pedra ao invés de detergente. Apesar de “biodegradáveis”, os detergentes são grandes poluidores da água. O fosfato presente no produto é o elemento básico para a reprodução das algas, o que eleva o consumo de oxigênio da água e provoca o aumento da mortandade de peixes. O detergente diluído na água permanece ativo durante vários dias, antes de ser degradado.

Use quantidades menores de produtos de higiene e limpeza para reduzir o nível de poluente presentes na água. Uso somente o necessário.

Pratique coleta seletiva. A reciclagem é uma maneira eficiente de contribuir na economia de água. Os produtos reciclados consomem menos água do que os produzidos a partir de matéria prima virgem. Além disso, a reciclagem economiza muita energia, que em grande parte é produzida em hidroelétricas, ou seja, por meio de água.

Utilize lâmpadas econômicas ou apague as lâmpadas que estão em cômodos vazios. Economizar energia elétrica é uma maneira de economizar.

Apague o monitor do computador se for ficar um tempo afastado da máquina. O monitor responde por 70% da energia de um computador. Você pode configurar seu computador para desligar o monitor caso casa fique algum tempo sem utilização.

Procure usar pilhas recarregáveis, pois geram menos resíduos que as pilhas descartáveis. Ao usar a bateria do celular, siga as recomendações do fabricante e aumente a vida útil do equipamento. Desta maneira, evitamos a fabricação de mais pilhas e baterias e geramos menos resíduos.

Procure utilizar lâmpadas fluorescentes ao invés das incandescentes. As fluorescentes consomem até 80% menos energia e têm mesmo potencial de iluminação.

Inclusive há no mercado lâmpadas fluorescentes amarelas, que imitam a coloração mais agradável das incandescentes.

Antes de imprimir algum documento do computador, pense se realmente há a necessidade de fazê-lo. A economia de papel é uma forma importante de proteger florestas e a água. Cada tonelada de papel significa o corte de aproximadamente 18 árvores e cada quilo de papel consome cinco mil litros de água.

Na cidade

Proteja os fundos de vale e topos de morro. Estes locais são Áreas de Proteção Permanente (APPs) e têm papel essencial na produção de água.

Se informe sobre a origem e o destino de tudo que você consome. Consumir produtos feitos com métodos ecológicos ajuda a diminuir os desperdícios na cadeia produtiva e os impactos no meio ambiente.

Habitue-se a consumir alimentos orgânicos. O método de produção é bem menos danoso ao meio ambiente por não utilizar insumos químicos e hormônios de crescimento.

Procure consumir menos carne e mais vegetais. A quantidade de água necessária para produzir um quilo de carne é dez vezes maior do que para produzir a mesma quantidade de grãos.

Evite consumir sacolinhas plásticas. Elas correspondem a 7% dos resíduos produzidos pelas pessoas. Além disso, sua decomposição demora mais de 100 anos. Procure reutilizar as sacolinhas que tem em casa, usar caixas de papelão ou as sacolas de pano na próxima compra.

Se você detectar um vazamento de água na rua ou calçada, ligue 195 e denuncie. Informe o nome da rua e o número onde está localizado o vazamento. A ligação é gratuita.

Se identificar alguma irregularidade na coleta de lixo, na limpeza pública ou na manutenção das árvores de sua rua ou bairro, ligue para a Prefeitura no 156 e informe o problema.

Em condomínios

Atenção aos desperdícios e descuidos no uso da água. Eles tornam o gasto muito maior do que o necessário, ainda mais em condomínios, onde o consumo é maior devido à pressão da água.

Uma idéia simples e eficaz é expor a conta de água nos locais de passagem dos moradores, como elevadores e garagens, permitindo que todos se informem sobre os valores de custo e volume consumido.

Também vale apresentar ao lado da conta cálculos simples como o volume médio consumido por cada apartamento, o valor correspondente em reais, e as diferentes faixas de consumo do condomínio.

O banheiro é o local que mais consome água numa casa. Fique atento aos vazamentos e mantenha a descarga regulada.

Uma torneira pingando uma gota a cada 5 segundos representa mais de 20 litros de água desperdiçado em apenas 1 dia.

A vazão média de uma torneira é de 16 litros por minuto. Por isso manter as torneiras fechadas quando escovamos os dentes, ensaboamos a louça ou fazemos a barba representa uma boa economia.

Procure usar sabão em pedra ao detergente, um grande poluidor de água. O fosfato presente neste produto é o elemento básico na reprodução das algas, o que eleva o consumo de oxigênio da água e a conseqüente mortandade de peixes.

Para reduzir o nível de poluentes presentes na água, adquira o hábito de usar quantidades menores de produtos de higiene e limpeza.

Reutilizar a água é outra atitude inteligente. A água do último enxágüe da máquina de lavar pode ser usada para a limpeza doméstica, para regar plantas e até para dar descarga nos banheiros.

Um banho de ducha de 15 minutos, com o registro meio aberto, consome 243 litros de água. Se fecharmos o registro, quando nos ensaboamos, e reduzirmos o tempo do banho para 5 minutos, o consumo de água total cai para 81 litros.

No caso de banho com chuveiro elétrico, também de 15 minutos e com o registro meio aberto, são gastos 144 litros de água. Com o fechamento do registro e a redução do tempo, o consumo cai para 48 litros.

Evite usar a privada como lixeira ou cinzeiro. Uma válvula de descarga comum regulada utiliza em média 15 litros por acionamento. Já há no mercado modelos de privadas com caixa acoplada que consomem apenas 6 litros por acionamento.

Durante a lavagem da louça, a melhor forma de economizar água é limpar os restos de comida dos pratos e panelas com esponja e sabão e só então abrir a torneira para molhá-los. Depois de ensaboar tudo, abrir novamente a torneira para novo enxágüe.

Em um apartamento, lavar louça com a torneira meio aberta durante 15 minutos utiliza 243 litros de água. Com a economia, o consumo pode cair para 20 litros.

Uma lavadora de louças com capacidade para 44 utensílios e 40 talheres gasta 40 litros de água. Por isso o ideal é utilizá-la somente quando estiver totalmente cheia.

O mesmo vale para a máquina de lavar roupa e para o tanque. Junte bastante roupa suja antes de usá-los. Não lave uma peça por vez. A lavadora de roupas com capacidade de 5 quilos gasta 135 litros por ciclo de lavagem.

Use um regador para molhar as plantas ao invés de utilizar a mangueira. Mangueira com esguicho-revólver também ajuda a economizar. Ao molhar as plantas durante 10 minutos com mangueira, o consumo de água pode chegar a 186 litros.. Com as outras opções, pode-se economizar até 96 litros por dia!

Outra dica é apenas regar as plantas pela manhã ou à noite, quando a perda de água pela evaporação é menor, principalmente no verão. No inverno, a rega pode ser feita dia sim, dia não, pela manhã.

Se no condomínio há uma piscina de tamanho médio exposta ao sol e à ação do vento, perde-se aproximadamente 3.785 litros de água por mês por causa da evaporação. Com uma cobertura (encerado, material plástico), a perda é reduzida em 90%.

Em um condomínio é possível coletar água de chuva para lavar uma área ou regar as plantas.

Mas atenção: nas cidades, é sempre bom desprezar a água do início da chuva, pois ela vem com fuligem e outras impurezas que estão no ar.

Evite consumir sacolinhas plásticas. Elas correspondem a 7% dos resíduos produzidos pelas pessoas. Além disso, sua decomposição demora mais de 100 anos.

Procure reutilizar as sacolinhas que tem em casa, usar caixas de papelão ou sacolas de pano.

Pratique coleta seletiva no seu condomínio. A reciclagem é uma maneira eficiente de contribuir na economia de água. Os produtos reciclados consomem menos água que aqueles que são produzidos a partir de matéria-prima virgem.

Procure utilizar lâmpadas fluorescentes ao invés das incandescentes. As fluorescentes consomem até 80% menos energia com o mesmo potencial de iluminação. Inclusive há no mercado lâmpadas fluorescentes amarelas, que imitam a coloração mais agradável das incandescentes.

Utilize lâmpadas econômicas ou apague as lâmpadas que estão em cômodos vazios. Economizar energia elétrica é uma maneira de economizar água.

Fonte: www.mananciais.org.br

Usos da Água

A água é uma matéria prima indispensável à vida e às atividades do homem. Por isso, sabendo usá-la racionalmente, ela não vai faltar.

USOS DA ÁGUA

Geração de Energia: No Brasil, a água é a principal fonte de geração de energia elétrica. Para isso, os rios são represados e a força da queda d´água movimenta as turbinas, gerando eletricidade.
Esporte, Lazer e Turismo:
São várias as atividades de lazer que a água proporciona, desde a prática de esportes náuticos como iatismo e remo, até exercícios relaxantes como a natação e banhos de rios e de cachoeira.
Consumo Doméstico:
A água é usada em inúmeras atividades cotidianas e na higiene pessoal. Ela serve para tomar banho, lavar louças e roupas, fazer comida e para matar a sede.
Indústria:
As fábricas utilizam água em processo de limpeza e resfriamento de máquinas. E, mais diretamente, como matéria-prima, no caso das indústrias de alimentos e papel e, claro, de água mineral.
Irrigação Agrícola:
Atualmente, a maior parte da água doce do planeta (aproximadamente 70%) é utilizada para irrigar plantações em lugares onde a quantidade de chuva não é suficiente. É justamente nessa área onde é fácil reduzir o consumo exagerado, com práticas de irrigação que não desperdiçam a água – irrigação por gotejamento, por exemplo.

CONSERVAÇÃO DA ÁGUA

A conservação da água depende, sobretudo, de ações educativas junto à comunidade, que deve ser esclarecida com relação aos prejuízos que a poluição pode provocar. Depende, também, de uma série de leis e regulamentos que as autoridades devem implantar e monitorar. A falta de planejamento em relação aos recursos hídricos precisa acabar. É necessário que haja administração racional que não vise apenas aumentar a oferta de água com grandes investimentos em obras, mas se preocupe, principalmente, em conservar, preservar e reaproveitar a água que temos. A sua conservação exige, entre outras coisas, a coleta e o tratamento de esgotos, que atendem aos aspectos sanitários e legais. O controle da ocupação urbana é primordial na proteção dos mananciais.

Os países desenvolvidos proíbem o despejo de esgoto industrial e doméstico sem tratamento nos rios e represas para garantir a reutilização segura dessas águas. A água de esgoto tratado não é potável, mas serve para usos menos nobres.

PROBLEMAS

Desmatamento

Quando o homem destrói a proteção vegetal do solo, as chuvas em excesso carregam a terra exposta, provocam enchentes e podem assorear rios e canais. Além disso, dificulta a penetração profunda da água tão necessária para o reabastecimento dos aqüíferos e lençóis freáticos.

Esgoto Doméstico

No Brasil, apenas 20% do esgoto passa por tratamento. O restante é despejado em rios e córregos, contribuindo para aumentar a sujeira, as enchentes e as doenças. Porém, algumas cidades, como Araçatuba (SP) e Cachoeira de Itapemirim (ES), investiram pesado no tratamento do esgoto e hoje servem como bons modelos aos demais.

Lixo

A falta de tratamento e reciclagem do lixo afeta a água. Além da própria sujeira física dos lixões, materiais tóxicos jogados ao ar livre se infiltram no solo e contaminam lençóis subterrâneos.

Resíduos Industriais

Os rejeitos das indústrias provocam poluição ainda mais séria do que o lixo doméstico. Metais tóxicos, plásticos e rejeitos químicos envenenam a água.

Agrotóxicos

Substâncias químicas usadas em excesso pela lavoura contaminam as plantas, o solo e as reservas subterrâneas de água. A destruição da mata ciliar facilita o escoamento da água da chuva desses campos contaminados para os leitos dos rios.

Fonte: www.brasildasaguas.com.br

Usos da Água

Desperdício e o Consumo de Água

Desperdício é aquela ação pela qual se usa mal, se desaproveita ou se perde uma coisa. Portanto, quando nos referimos ao desperdício da água estamos indicando um conjunto de ações e processos pelos quais os seres humanos usamos mal a água, a desaproveitamos ou a perdemos.

Quando as pessoas desperdiçam algo, negam não só seu valor, mas também expressam uma falta de visão do futuro, já que não estamos conservando o que vamos necessitar para viver. Portanto, desperdiçar água indica falta de clareza sobre a importância fundamental deste valioso recurso para nossa sobrevivência.

O desperdício é ainda mais grave se for considerado que a água não é um bem ilimitado e sua perda pode nos levar a situações críticas de escassez. Devemos lutar contra a escassez e eliminar as situações de desperdício.

Falta d'água é o símbolo do flagelo da região Nordeste.

Existem várias formas de consumo nas quais se utiliza a água:

O consumo humano ou doméstico
O consumo agrícola
O consumo industrial
O uso em atividades recreativas.

A água para consumo humano ou doméstico se utiliza na alimentação, o asseio pessoal e na limpeza da casa e dos utensílios ou roupas, na lavagem de automóveis e na irrigação de jardins. O consumo médio da água é mais ou menos de 120 litros diários por pessoa.

Mas esta quantidade depende das condições de nossa casa, da instituição ou instalações onde trabalhamos e das atividades que se realizam nelas.

Estima-se que a distribuição do consumo médio diário de água, por pessoa, é aproximadamente a seguinte:

36% na descarga do banheiro.

31% em higiene corporal.

14% na lavagem de roupa.

8% na rega de jardins, lavagem de automóveis, limpeza de casa, atividades de diluição e outras.

7% na lavagem de utensílios de cozinha, e 4% para beber e alimentação.

Como se pode ver, no vaso sanitário se usa a maior quantidade de água, por isto, se deve buscar equipamentos de baixo consumo para que a quantidade de água descarregada por vez seja a menor possível. As pessoas acostumadas a receber diariamente água potável às vezes não percebem seu verdadeiro valor e importância e esquecem que um pequeno vazamento ou o mau estado das instalações sanitárias pode ser origem de um enorme desperdício de água e de perda de dinheiro.

Criança brinca com água em hidrante: desperdício é um dos fatores da crise da água.

Somando perdas por instalações mal conservadas e maus hábitos, o desperdício relacionado com o consumo doméstico pode ser muito alto se não se adotam medidas corretivas eficientes, tanto nos hábitos como nos processos de manutenção das instalações.

A atividade agrícola é uma grande consumidora de água. Se considera que no mundo se utiliza quase 70% da água dos rios, lagos e aqüíferos, razão pela qual seu potencial desperdício é um dos mais graves.

Em ocasiões, os sistemas de rega desperdiçam grandes quantidades de água. Se calcula que só chegam à zona de cultivos entre 15% e 50% da água que é extraída para irrigação. Se perde água por evaporação, por absorção e por fugas.

A atividade industrial também é uma grande consumidora, especialmente nos países desenvolvidos. O cálculo é de que as indústrias chegam a utilizar entre a metade e 3/4 de toda a água extraída, em comparação com a média mundial que chega somente a 1/4 .

Na indústria há consumos muito elevados em determinados processos produtivos, por exemplo, no caso do aço, se chega a gastar 300 toneladas de água para produzir somente uma tonelada deste metal. Também são grandes consumidoras as indústrias de produtos químicos, polpa e papel, entre outras.

O consumo em muitas ocasiões tem relação com ações de refrigeração ou transporte, pelo qual a indústria tem iniciado revisões de seus processos produtivos para utilizar menos água e reusá-la.

As três categorias correntes de uso de água doce representam as seguintes porcentagens de consumo, com respeito às extrações anuais de água:

Uso em agricultura 69 %
Uso em indústria 23 %
Uso doméstico (pessoal, familiar e municipal) 8 %
É preciso cuidar com esmero como consumimos a água,
Quando e como ocorrem as maiores perdas
Como podemos reusar e economizar a água!

Dicas para economizar Água

Um banho de ducha de quinze minutos consome 240 litros de água. Fechar a torneira enquanto se ensaboa, diminuindo o tempo de banho para cinco minutos, reduz o gasto para 80 litros.
Escovar os dentes durante cinco minutos com a torneira aberta provoca um gasto de 80 litros. Molhar a escova, fechar a torneira e enxaguar a boca com um copo de água consome 1 litro.
Para lavar a louça na pia com a torneira aberta, durante quinze minutos, gastam-se 240 litros. Limpar os restos dos pratos com uma escova, usar a água retida na cuba para ensaboar a louça e abrir a torneira só na hora do enxágüe gera uma economia de 220 litros.
Esqueça a mangueira na hora de lavar a calçada. Água, só depois de varrer bem as folhas e a sujeira.
Use as lavadoras de louça e de roupa apenas quando estiverem cheias.

Atenção aos pequenos vazamentos. Aquelas gotas que insistem em pingar da torneira da cozinha significam um gasto extra de 46 litros por dia. As torneiras devem ser fechadas por completo depois do uso e consertadas se apresentarem qualquer defeito.

Com uma mangueira semi-aberta, gastam-se 560 litros para lavar o carro. Se o serviço for feito com um balde, o consumo é de 40 litros.

Conservação da Água

Cada vez mais água cara está sendo jogada fora por moradores, milhares de vezes por dia. Somente as descargas de vasos sanitários somam quase inacreditáveis 40% do custo de água dos residentes em geral. O resto é gasto em chuveiros, pias e uso de água em geral. Isso é um pesadelo para administradores e proprietários de edifícios, e provavelmente você pensaria que não há muito mais que se pode fazer. Bem, pense de novo!

Agora você pode controlar os custos de água e esgoto de sua propriedade, adicionar milhares de dólares anualmente a seus lucros finais e de fato aumentar o valor de sua propriedade com o Programa de Manejo de Água de Propriedades Residenciais do American Water & Energy Savers.

(Nota da tradutora: os exemplos citados aqui se referem a situações em que os vasos sanitários têm tanque de água acoplado, pode-se beber água da torneira, todas as torneiras têm água fria e quente, os jardins são irrigados com aspersores).

Economizando água dentro de casa

1. Nunca jogue água pelo ralo quando pode haver um outro uso para ela, tal como regar uma planta ou jardim ou para limpeza.
2.
Verifique se sua casa não tem vazamentos, porque muitas habitações têm vazamentos de água escondidos. Leia seu hidrômetro antes e depois de um período de duas horas quando não houver uso de água. Se ele não mostra exatamente o mesmo número, há vazamento.
3.
Repare torneiras que pingam substituindo as peças velhas. Se sua torneira está pingando numa velocidade de uma gota por segundo, você pode chegar a gastar 2.700 galões por ano o que se somará ao custo das utilidades de água e esgoto, ou comprometerá seu sistema séptico.
4.
Cheque se há vazamentos no tanque acoplado aos vasos sanitários, adicionando colorante na água. Se o toalete está vazando, a cor aparecerá em 30 minutos. Cheque o vaso sanitário por corrosões ou partes dobradas. Muitas partes são baratas, fáceis de conseguir e instalar. (Dê descarga assim que o teste acabar pois o colorante pode manchar o tanque).
5.
Evite dar descargas no vaso sanitário desnecessariamente. Tecidos, insetos e outros dejetos devem ser jogados na lixeira e não no vaso sanitário.
6.
Tome duchas mais rápidas. Substitua a ducha alta por uma versão de fluxo super baixo. Algumas unidades estão disponíveis que permitem cortar o fluxo sem ajustar as peças de temperatura da água.
7.
Use a quantidade mínima de água necessária para um banho, fechando o ralo primeiro e enchendo a banheira apenas a um terço da sua capacidade. Feche a banheira antes de abrir a água. O jato frio inicial de água pode ser aquecido pela água quente adicional que vai entrar.
8.
Não deixe a água correr enquanto se barbeia ou lava seu rosto. Escove os dentes primeiro enquanto espera por água quente, e depois se lave ou barbeie-se, enchendo a pia.
9.
Reajuste todas as torneiras que gastam muito na edificação, instalando aeradores com restritor de fluxo.
10.
Use máquinas de lavar pratos ou roupas apenas quando tiver quantidades de peças para enche-las ou ajuste-as para o nível adequado à quantidade de peças que você está lavando.
11.
Quando lavar pratos a mão, encha a pia com água e sabão. Rapidamente enxágüe sob um fluxo de água pequeno da torneira.
12.
Armazene água potável no refrigerador, no lugar de deixar a água da torneira correr até que fique fria, toda vez que você quiser um simples copo de água fria.
13.
Não use água corrente para descongelar carne ou outro alimento. Descongele a comida durante a noite na geladeira ou usando o forno micro-ondas ajustado para isso.
14.
Os trituradores de pia requerem muita água para operar adequadamente. Faça uma pilha de compostagem como um método alternativo de livrar-se do resto de comida, no lugar de usar os trituradores. Os trituradores também podem somar 50% ao volume de sólidos em uma fossa séptica o que levará ao mau funcionamento e problemas de manutenção.
15.
Considere a instalação de um aquecedor de água instantâneo na pia de sua cozinha para que você não deixe a água correr enquanto espera que aqueça. Isso reduzirá custos de aquecimento da edificação.
16.
Faça o isolamento térmico de seus encanamentos de água. Você terá água quente mais rapidamente além de evitar gastar água enquanto espera que se aqueça.
17.
Nunca instale uma bomba de aquecimento água-ar ou sistema de ar condicionado. Modelos ar-ar são tão eficientes e não gastam água.
18.
Instale sistemas de “amolecimento” da água apenas quando necessário (se a água de sua cidade é muito calcárea). Economize água e sal usando apenas as quantidades mínimas para manter a água com certa dureza. Desligue os “softeners” quando sair de férias.
19.
Cheque sua bomba d’água. Se você tem um poço em sua casa, ouça se soluça ao liga-la e desliga-la enquanto a água não está em uso. Se sim, você tem vazamento.
20.
Quando ajustar as temperaturas de água, no lugar de aumentar o fluxo da água, tente diminui-lo.
21.
Se a válvula do vaso sanitário agarra na posição de fluxo, com freqüência, deixando a água correr constante, substitua-a ou ajuste-a

Economizando água fora de casa

1. Não encharque seu gramado. Como regra geral, gramados apenas necessitam rega a cada 5 ou 7 dias no verão e a cada 10 ou 14 dias no inverno. Uma chuva farta elimina a necessidade de rega por umas duas semanas. Seja esperto para plantar: Paisagismo Xeriscape é uma boa maneira de projetar, instalar e manter tanto suas plantas quanto o sistema de irrigação que economizará a você tempo, dinheiro e água. Para conseguir sua cópia de “Plant it Smart”, um guia fácil de usar de paisagismo Xeriscape, contate seu Distrito de Manejo de Água.
2.
Regue gramados durante as primeiras horas da manhã, quando as temperaturas e a velocidade do vento são menores. Isso reduzirá perdas com evaporação.
3.
Não regue sua rua, sarjetas ou calçada. Posicione os aspersores de maneira que a água vá para o gramado e os arbustos... não para áreas pavimentadas.
4.
Instale aspersores que sejam mais eficientes para cada uso. Irrigação por gotejamento ou micro irrigação e mangueiras são exemplos de métodos eficientes de uso de água para irrigação.
5.
Regularmente cheque o sistema de aspersores e os medidores de tempo para estar seguro de que estão operando corretamente. Deve ser lei que “cada um que adquirir e instalar sistemas de aspersores automáticos de gramado PRECISAM instalar o sensor de chuva ou interruptor que interromperá o ciclo do sistema de aspersores quando chuva farta ocorrer”. Para retro-alimentar seu sistema existente, contrate um profissional de irrigação para mais informação.
6.
Erga a lâmina de cortar grama para no mínimo 3 polegadas. Um aparador mais alto estimula o crescimento de raízes mais profundas, dá sombra para o sistema de raízes e segura a umidade no solo melhor do que um gramado muito baixo.
7.
Evite fertilizar demais o gramado. A aplicação dos fertilizantes aumenta a necessidade d água. Aplique fertilizantes que tenham efeito lento, formas de nitrogênio insolúveis em água.
8.
Cubra o solo com serragem para manter a umidade. Serragem também ajuda a controlar pragas que competem com as plantas por água.
9.
Plante nativas e/ou gramíneas tolerantes a seca, cobertura de solo, arbustos e árvores. Assim que pegarem, não necessitarão ser regadas tão freqüentemente e normalmente sobreviverão a períodos de seca sem qualquer rega. Agrupe as plantas com base em suas necessidades similares de água.
10.
Não lave seu passeio ou entrada da casa com mangueira. Use uma vassoura para limpar as folhas e outras sujeiras dessa área. Usando uma mangueira para limpar um passeio pode gastar centenas de galões de água
11.
Ajuste sua mangueira para que possa controlar o fluxo e ajuste-a para um fluxo baixo, fino spray de modo que á água corra apenas se necessário. Quando terminar, feche-a na torneira no lugar de na extremidade, para evitar vazamentos.
12.
Use peças corretas na mangueira para evitar vazamentos, especialmente junto à torneira.
13.
Não deixe aspersores ou mangueiras desatendidos. Sua mangueira de jardim pode desperdiçar 600 galões de água ou mais em apenas algumas horas: por isso não os deixe funcionando todo o dia. Use um cronômetro/ timer para lembrar-lhe quando desligá-los.
14.
Cheque todas as mangueiras, conectores e torneiras regularmente.
15.
Considere a possibilidade de usar um lavador de carro comercial que recicle água. Se você lava seu próprio carro, estacione na grama ao fazê-lo.
16.
Evite a instalação de adornos paisagísticos com água (tais como fontes) a menos que a água seja reciclável. Instale-os onde houver perdas mínimas devido à evaporação e ventanias.
17.
Se você tem uma piscina, considere a possibilidade de um filtro novo que economize água. Um simples retro-alimentador com um filtro tradicional usa 180 a 250 galões ou mais de água

Dicas gerais para economizar água

1. Desenvolva a consciência de suas crianças sobre a necessidade de conservar água. Evite a compra de brinquedos recreativos que requeiram um fluxo constante de água.
2.
Conheça e siga todas as regras de conservação e racionamento de água que possam estar em vigor em sua área.
3.
Encoraje seus funcionários a promover a conservação de água em seu local de trabalho. Sugira que a conservação de água seja colocada no manual de orientação dos funcionários e programas de treinamento.
4.
Divulgue/escolha negócios que praticam e promovam a conservação de água
5.
Avise a proprietários de imóveis, a autoridades locais ou à concessionária de água de sua cidade sobre toda perda de água significativa (encanamentos rompidos, hidrantes abertos, aspersores mal instalados, poços que tenham fluxo constante abandonados etc)
6.
Encoraje seu sistema escolar e governo local a ajudar a elaborar e promover a ética de conservação de água entre as crianças e adultos.
7.
Apóie projetos que levem a um crescente uso de água reciclada para irrigação e outros usos.
8.
Apóie esforços e programas que criam uma preocupação com relação à conservação da água entre turistas e visitantes de seu estado. Tenha certeza de que seus visitantes entendam as necessidades para e os benefícios de conservar água.
9.
Encoraje seus amigos e vizinhos a fazer parte de uma comunidade consciente de sua água. Promova boletins comunitários sobre a conservação de água, painéis de avisos e dê exemplos.
10.
Conserve a água porque é a coisa certa a fazer. Não desperdice água porque outra pessoa está pagando a conta, por exemplo, quando se hospeda em um hotel.
11.
Tente fazer uma coisa cada dia que resultará em mais economia de água. Não se preocupe se as economias são mínimas. Cada gota conta. E cada pessoa faz a diferença. Então diga a seus amigos, vizinhos e colegas de trabalho: “Feche-a” e “Preserve-a”.

Estâncias e balneários oferecem tratamentos com água rica em enxofre e sulfato de sódio, entre outras substâncias

Simone Iwasso

A hidratação é a mais essencial das funções da água no corpo humano, mas suas possibilidades vão muito além disso, segundo os seguidores da hidrologia médica ou crenoterapia, o estudo das propriedades medicinais das águas. Considerada uma prática alternativa, reconhecida por parte dos profissionais da saúde, como a acupuntura, por exemplo, esse tipo de tratamento é bastante comum nas estâncias e nos balneários do País.

Com altas concentrações de enxofre, cloro bicarbonatado e sulfato de sódio, entre outras substâncias, elas são servidas em doses para quem busca por tratamentos para doenças como reumatismo, gastrite ou problemas no fígado. Também são aquecidas em banheiras individuais, acompanhadas de aromas, sais, espumas, diversos tipos de massagens e alguns aparelhos, como uma opção para quem quer descansar e cuidar da pele.

De aparência quase preta, bastante escura por causa do enxofre, a água sulfurosa é a mais utilizada em Águas de São Pedro para os banhos. Acredita-se que a sua concentração favoreça uma leve esfoliação da pele, deixando-a mais macia. Para um banho, apenas 15 minutos a uma temperatura de cerca de 34 ºC são suficientes. "Só aumentamos a temperatura quando o paciente vem com indicação médica", diz Herica Rodrigues, chefe do balneário do centro de revitalização do Grande Hotel Senac São Pedro.

As outras duas águas da região não são usadas no banho, mas ingeridas ou inaladas. Uma delas, chamada de Almeida Sales, tem doses altas de bicardonato de sódio e é indicada para problemas de estômago e digestão. A outra, Gioconda, tem sulfato de sódio e é usada para problemas de intestino, fígado e vesícula.

Com uma composição diferente, com alta concentração de oxigênio, presença de muitos minerais e um pouco de radioatividade, as águas das fontes de Águas de Lindóia são diuréticas, pois têm pouco sódio e um alto grau de filtragem pelo rim. Também são estimulantes, por causa da radioatividade. "São recomendadas para quem tem pedras nos rins, por exemplo", diz Elisabeth Lima Barbosa, dermatologista e crenoterapeuta, responsável pelo departamento médico do balneário da cidade. Segundo ela, a água usada nos banhos, junto com um aparelho chamado Stan Gerbag, funciona como um analgésico para dores e alergias. "O aparelho promove ondas na água, como uma corrente elétrica suave, que melhora as dores."

Grávidas, pessoas recém-operadas e com febre não podem fazer os banhos e devem passar por uma avaliação médica antes.

Fonte: www.agua.bio.br

Usos da Água

OS DIFERENTES USOS DA ÁGUA

Em termos gerais, os usos da água abarcam as atividades humanas em seu conjunto. Neste sentido, a água pode servir para consumo ou como insumo em algum processo produtivo.

A disponibilidade do recurso é cada vez menor, por um lado, porque deve ser compartilhado por atividades distintas e por outro, porque não é utilizado racionalmente. Assim, por exemplo, a indústria e a mineração utilizam tecnologias que demandam grandes quantidades de água, e em conseqüência geram grandes quantidades de água residual que são devolvidas às fontes de água sem tratamento prévio.

No caso da agricultura, a demanda da água também é muito grande, especialmente nos lugares onde as chuvas não são constantes. Além disso, utilizam sistemas de irrigação que desperdiçam enormes volumes de água. Os fertilizantes químicos e agrotóxicos também contribuem para a contaminação dos cursos de água.

Finalmente, a água para consumo humano, que é captada de fontes superficiais e subterrâneas, é cada vez mais procurada pelas populações, mas cada dia está mais escassa e cara.

Sugestões

Usar racionalmente a água no ambiente doméstico, não desperdiçá-la nem deixar que se contamine. Recordar que muitas famílias não contam com um bom serviço de água.

Contribuir na promoção do uso eficiente da água na agricultura e geração de energia elétrica e implantar uma efetiva proteção e recuperação do recurso água para que o setor de saneamento possa contar com águas de melhor qualidade e em maior volume.

Tomar consciência de que a água é um recurso finito que deve ser aproveitado adequadamente e uma vez utilizado, deve ser reposto em condições similares.

A água é utilizada para:

Consumo doméstico.
Atividades comerciais.
Criação de animais.
Atividades pecuárias e agrícolas.
Produção industrial.
Geração de energia hidroelétrica.
Mineração e exploração de petróleo.
Transporte em geral.
Fins recreativos

Fonte: www.corsan.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal