Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Reciclar Metais  Voltar

Reciclar Metais

 

Reciclar Metais

A reciclagem de metais abrange todos os tipos disponíveis no lixo tais como: aço, ferro, cobre, alumínio, latão e outros.

Vamos nos ater a reciclagem de latinhas de alumínio pelo seu caráter mais fácil de implantação e pela maior facilidade de negociação com o mercado desse material.

O Brasil é o primeiro país do mundo em reciclagem de latinhas, chegando a 75% do material produzido. O grande responsável por isso é o alto valor agregado desse material que permite ao catador uma renda mensal bem melhor.

Existem também os "projetos escola" feito por algumas empresas que "trocam" as latinhas por equipamentos, material escolar, material esportivo e até computadores. A latinha, o mais precioso material reciclável, é valiosa porque tem quem pague por ela. Além disso, assim como qualquer metal, pode ser reciclada infinitas vezes sem perder nehuma característica.

A energia elétrica economizada com a reciclagem de uma única lata é suficiente para manter uma televisão ligada durante três horas.

RECILÁVEL NÃO - RECICLÁVEL
Aluminio Clips
Tampas Grampos
Ferragens Esponjas de aço
Latas de aço Latas de tinta em geral
Latas de alumínio Pilhas
Canos  

Fonte:www.sobrelixo.hpg.ig.com.brReciclar MetaisReciclagem dos MetaisSeparam-se magneticamente as sucatas em ferrosas e não-ferrosas e ainda em:

Sucatas pesadas: geralmente encontradas nos "ferros-velhos" (vigas, equipamentos, chapas, grelhas etc.).Sucatas de processo: cavacos, limalhas e rebarbas, além de peças defeituosas que voltam ao processo industrial. Sucatas de obsolescência: materiais destinados ao lixo após o uso.

Geralmente os metais ferrosos são direcionados para as usinas de fundição, onde a sucata é incorporada a carga e fundida entre 1520 a 1.550oCO metal é vazado em produtos semiacabados ou peças metálicas.A sucata reciclada demora intervalos muito curtos de tempo para ser transformada novamente em lâminas de aço usadas por vários setores industriais - das montadoras de automóveis às fábricas de latinhas em conserva. Cada tonelada de aço reciclado representa uma economia de 1.526 kg a 2280Kg de minério de ferro, 763 kg a 1140 kg de coque e 381,5 kg a 570 kg de calcário, considerando conversores 75T(pequeno). Pode-se concluir que os benefícios da reciclagem de metais são:

Economia de minérios Economia de energia Economia de águaAumento da vida útil dos lixõesDiminuição das áreas degradadas pela extração do minérioDiminuição da poluiçãoGeração de empregos e recursos econômicos para os intermediários.

Reciclagem do aço metal dificulta a compostagem do lixo para a produção de adubo orgânico. Por serem magnéticas, podem ser separadas mecanicamente por meio de eletroímãs antes ou depois da incineração.Se incineradas em temperatura acima de 1500oC, as latas de aço sofrem intensa oxidação e voltam ao estágio natural de minério de ferro, perdendo o valor. As latas de aço que não são recicladas enferrujam. Elas se decompõem, voltando ao estado natural - óxido de ferro. Em 2010, foram produzidas 33,3 milhões de toneladas de aço bruto no país, dentro deste montante, 604 mil toneladas foram de aço na folhas de Flanders para embalagens.Cerca de 10,2 milhões de toneladas de sucatas foram utilizadas para a produção de novo aço, valor correspondente a 30,6% do aço produzido no Brasil. O aço é o material mais reciclado do mundo, sendo que em 2010 foram recicladas cerca de 424 milhões de toneladas no planeta. 49% do total das latas de aço consumidas no Brasil em 2010 foram recicladas, incluindo 82% reciclados de latas de aço para bebidas. A sucata de aço também entra na composição dos ferros fundidos.Os fornos Cúbilot são verdadeiros papa-tudo, com exceção apenas de sucatas pintadas, pois podem conter na tinta o elemento chumbo, que em teores baixos, da ordem de ppm. Os fornos a indução trabalham com sucata limpa, devido custo energético.

Reciclagem de Alumínio

A reciclagem de alumínio é feita tanto a partir de sobras do próprio processo de produção, como de sucata gerada por produtos com vida útil esgotada.

A lata de alumínio para bebidas, cuja sucata transforma-se novamente em lata após a coleta e refusão, sem que haja limites para seu retorno ao ciclo de produção.

No ano de 2010, a reciclagem de latas de alumínio para bebidas movimentou R$ 1,8 bilhão na economia nacional.

Somente a etapa de coleta (a compra das latas usadas) injetou R$ 555 milhões, o equivalente à geração de emprego e renda para 251 mil pessoas.

O material é recolhido e armazenado por uma rede de aproximadamente 130 mil sucateiros e cooperativas de catadores, responsáveis por 50% do suprimento de sucata de alumínio à indústria.

Outra parte é recolhida por supermercados, escolas, empresas e entidades filantrópicas..

A cada quilo de alumínio reciclado, de quatro a cinco quilos de bauxita são poupados.

Para se reciclar uma tonelada de alumínio, gasta-se somente 5% da energia que seria necessária para se produzir a mesma quantidade de alumínio primário.

Teoricamente, um 1KAh da corrente elétrica deve produzir 0,3356 kg de alumínio, mas apenas 85,795% deste montante é obtido.

A eficiência atual é regida pelos seguintes parâmetros:

Temperatura do banho

Proporção criolita

Distancia entre cátodo e ânodo, e

Densidade de corrente.

O material não é compostável. Por isso, deve ser retirado por processos manuais ou mecânicos do lixo encaminhado paracompostagem.

O alumínio funde a 660° C. De acordo com a temperatura, sua queima pode gerar compostos orgânicos voláteis provenientes de tintas ou vernizes e material particulado, ou transformar o material em liga ou óxido de alumínio.

As embalagens de alumínio se degradam parcialmente nos aterros devido a existência de uma camada de óxido em sua superfície.

Reciclagem do Cobre

O cobre é um dos materiais mais reciclados desde a Antiguidade, devido à facilidade e efetividade na recuperação.

A reutilização do cobre é por volta de 85% mais econômico do que a extração natural.

Não existe diferença de qualidade do material reciclado para o metal primário.

Há uma estimativa de que 80% de todo o cobre extraído durante os últimos 10 mil anos ainda está em uso na atualidade”. (Termomecanica, Procobre).

No processo de reciclagem do cobre praticamente não há produção de lixo residual.

Segundo a Revista Ambiente, “aproximadamente 30% do cobre produzido é passível de reciclagem no Brasil”.

Grande parte dos resíduos de construção e aparelhos elétricos são fontes do cobre reciclado.

Esses produtos no final de as vida funcional são fontes de cobre: Cabos elétricos, motores, computadores, instalações de encanamentos, gás, calefação ou cabos elétricos, válvula, eletrodomésticos.

Fonte: www.joinville.udesc.br

Reciclar Metais

Reciclar Metais

Os metais são materiais de elevada durabilidade, resistência mecânica e facilidade de conformação, sendo muito utilizados em equipamentos, estruturas e embalagens em geral.

Quanto à sua composição, os metais são classificados em dois grande grupos: os ferrosos (compostos basicamente de ferro e aço) e os não-ferrosos.

Essa divisão justifica-se pela grande predominância do uso dos metais à base de ferro, principalmente o aço.

Entre os metais não-ferrosos, destacam-se o alumínio, o cobre e suas ligas (como latão e o bronze), o chumbo, o níquel e o zinco. Os dois últimos, junto como o cromo e o estanho, são mais empregados na forma de ligas com outros metais, ou como revestimento depositado sobre metais, como, por exemplo, o aço.

A grande vantagem da reciclagem de metais é evitar as despesas da fase de redução do minério a metal. Essa fase envolve um alto consumo de energia, e requer transporte de grandes volumes de minério e instalações caras, destinadas à produção em grande escala.

Embora seja maior o interesse na reciclagem de metais não-ferrosos, devido ao maior valor de usa sucata, é muito grande a procura pela sucata de ferro e de aço, inclusive pelas usinas siderúrgicas e fundições.

A sucata é matéria-prima das empresas produtoras de aço que não contam como o processo de redução, e que são responsáveis por cerca de 20% da produção nacional de aço. A sucata representa cerca de 40% do total de aço consumido no País, valor próximo aos valores de outros países, como os Estados Unidos, onde atinge 50% do total da produção. Ressalta-se que o Brasil exporta cerca de 40% da sua produção de aço.

É importante, ainda, observar que a sucata pode, sem maiores problemas, ser reciclada mesmo quando enferrujada. Sua reciclagem é também facilitada pela sua simples identificação e separação, principalmente no caso da sucata ferrosa, em que se empregam eletroímãs, devido às suas propriedades magnéticas. Através deste processo é possível retirar até 90% do metal ferroso existente no lixo (IBS, 1994).

Fonte: www.compam.com.br

Reciclar Metais

Reciclar Metais

Encontramos os metais em todos os lugares à nossa volta. Em nossa cozinha - panelas, talheres, refrigerante de latinha - nos automóveis e no nosso dinheiro, por exemplo. Ele é sólido, não deixa passar luz (é opaco) e conduz bem a eletricidade e o calor, possuindo um brilho especial chamado de metálico.

Quando aquecido é maleável, podendo ser moldado em várias formas, desde fios até chapas e barras. Os metais podem ser encontrados misturados no solo e nas rochas, sendo chamados de minérios.

TIPOS DE METAL

Existem muitos tipos de metais, chegando hoje ao total de sessenta e oito. Dentre eles existem alguns bem diferentes, como o mercúrio (que é líquido) e o sódio (que é leve). Os mais conhecidos e utilizados há muitos anos são o ferro, cobre, estanho, chumbo, ouro e a prata.

Os metais podem ser separados em dois grandes grupos: os ferrosos, compostos por ferro, e os não-ferrosos.

Veja as aplicações dos diferentes tipos de metais:

Tipos Aplicações
Ferrosos
Ferro Utensílios domésticos, ferramentas, peças de automóveis estruturas de edifícios, latas de alimentos e bebidas;
Não-Ferrosos
Alumínio Latas de bebidas, esquadrias;
Cobre Cabos telefônicos e enrolamentos elétricos, encanamentos;
Chumbo Baterias de carros, lacres;
Níquel Baterias de celular;
Zinco Telhados, Baterias;

RECICLAGEM

A reciclagem dos metais é muito antiga sendo que no Brasil ela chegou com os imigrantes europeus. Uma das mais importantes vantagens da reciclagem dos metais é a economia de energia, quando se compara sua produção desde a extração do minério e o beneficiamento. Sua reciclagem ocorre em diferentes unidades industriais dependendo do tipo

Os materiais ferrosos podem ser facilmente separados dos demais através de uma máquina com imã que atrai os objetos de aço.

ALUMÍNIO

O alumínio é produzido pela eletrólise da alumina, obtida do minério bauxita. Aproximadamente 4 toneladas de bauxita são necessárias para a produção de 1 tonelada de alumínio, que é suficiente para a produção de 60.000 latas de bebida de 33 cl.

A produção de alumínio requer grande quantidade de energia: para a produção de 1 tonelada do metal, são necessários cerca de 16.000 quilowatts e o equivalente a 1,7 toneladas de petróleo. O uso de material reciclado pode economizar até 95% de energia, sem se considerar entretanto aquela consumida na coleta e separação do material usado.

O uso do alumínio em embalagens apresenta vantagens óbvias do ponto de vista de peso, que irão se refletir na energia gasta em transporte. A comparação, entretanto, com outros tipos de embalagens, é motivo de grandes debates, já que a avaliação de todas as variáveis envolvidas é extremamente complicada. A Associação Européia de Alumínio formou um Grupo de Alumínio e ecologia que pretende estudar o assunto e esclarecer algumas questões, avaliando o ciclo completo do material em todos os produtos em que é usado, desde latas de bebidas até carrocerias de veículos. Seus resultados, entretanto, levarão ainda algum tempo para serem conhecidos devido à dificuldade de se levantar dados e de se desenvolver uma metodologia apropriada para esta avaliação. Também do ponto de vista ambiental, é difícil avaliar-se os impactos decorrentes do uso do alumínio.

Para se ter uma idéia das possíveis variações das análises sobre este tema, basta que examinemos os seguintes casos: a produção de uma lata de 33 cl na Inglaterra, usando alumínio fundido na Noruega, a partir da energia hidroelétrica, e posteriormente laminado na Alemanha, liberará 110 gramas de CO2 (equivalente a 6,5 toneladas de CO2 por tonelada de alumínio). Se a mesma lata, entretanto, for produzida na Alemanha, usando-se carvão como fonte primária de energia, haverá uma liberação de 280 gramas de CO2, valor este que será ainda maior se o alumínio for produzido na Tchecoslováquia, usando-se carvão de pior qualidade.

Fonte: www.achetudoeregiao.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal