Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Policarbonato  Voltar

Policarbonato

 

Antes restrito a pequenas áreas em construção menos elaboradas, o policarbonato está progressivamente conquistando espaços mais nobres na arquitetura.

Com a vantagem de ser curvado a frio na própria obra, permite uma enorme versatilidade nos projetos e maior liberdade na criação arquitetônica.

Constitui uma opção para aplicações diversificadas em coberturas e fechamentos de piscinas, clarabóias, jardins de inverno, pátios internos ou passarelas de interligação entre edifícios.

Suas características técnicas, como segurança, leveza, flexibilidade, isolamento termo-acústico, capacidade de oferecer alta resistência aos impactos e ainda ótima translucidez permitindo a iluminação natural; respondem pelo bom resultado que o produto vem alcançando no mercado brasileiro.

O Policarbonato pode se encontrado sob diversas espessuras e formas, sendo as chapas planas Alveolares e Compactas e as Telhas de Policarbonato as mais utilizadas e disponíveis no mercado.

Chapas de Policarbonato Alveolar

Leveza - luminosidade - resistência

Policarbonato

O policarbonato em chapas alveolares, possibilita uma ampla utilização na construção civil graças as suas características de alta resistência, transparência (assegurando uma sensível redução de custos de energia), leveza e longa durabilidade.

As chapas alveolares de policarbonato têm uma excepcional resistência a ação do tempo, graças ao tratamento que as chapas são submetidas contra a ação dos raios ultravioletas.

Estas chapas são produzidas com a técnica da co-extrusão, que permite utilizar o policarbonato com elevado teor de U.V. (ultra-violet absorver) e de estratificá-lo próximo a superfície de um dos dois lados das chapas. Este lado, instalado voltado para o exterior da construção, absorve os raios ultravioleta.

Na sua instalação exige estruturas mais leves e de menor custo quando comparado com o vidro.

Resistência aos impactos

Prova de queda em chapa alveolar

Superfície livre: 40/20
Altura da queda:
1,00m
Dimensão da amostra: 100 x 100

Característica importante: Policarbonato alveolar é, seguramente, o mais resistente a impactos entre os materiais termo plásticos utilizados na construção civil. As obras realizadas com alveolar tem um elevado grau de segurança, sobretudo em utilizações particularmente difíceis. Por ser de alta resistência, com nenhum risco de quebra, alveolar obtém sensível economia no transporte e na utilização final.

Teste

Peso (KG)

Energia de queda (J)

Flexa (mm)

Resultado

1

2,0

19,6

9,5

Nenhum dano

2

2,4

23,5

11,0

Deformação na

3

2,7

26,5

12,0

zona de impacto

4

3,2

31,5

-

Placa perfurada sem fragmentação

Transparência luminosa

O policarbonato Alveolar é produzido em 5 tonalidades: cristal, branco-leitoso, bronze, fumê e azul.

Isto permite a escolha da transmissão luminosa que se deseja, entre 83% e 42%. Além disso, existe o efeito interessante da difusão luminosa causado pela geometria dos alvéolos.

Espessura
das chapas
(mm / N.ºparedes)

Transmissão
luminosa %

 

Cristal

Branco
leitoso

Bronze

4.5 / 2

83

-

-

6 / 2

82

70

54

8 / 2

81

-

-

10 / 2

80

50

46

10 / 3

79

48

40

16 / 2

78

-

-

16 / 3

76

35

31

20 / 2

82

-

-

Raio de curvatura

As chapas alveolar podem ser utilizar utilizadas para soluções em arco, curvado a frio, na ocasião da sua instalação. Neste caso é importante evitar o sobretensionamento da chapa. Consequentemente, observe sempre raios de curvatura superiores a 150 vezes a espessura da chapa empregada.

Auto extingüíveis

A chapas de policarbonato alveolar são autoextinguíveis à ação do fogo e não liberam gases tóxicos.

Garantia

As chapas de policarbonato alveolar tem garantia de 10 anos contra o envelhecimento e perda das características visuais.

Isolamento térmico

O policarbonato Alveolar permite obter uma sensível economia energética devido aos elevados valores de isolamento térmico, obtido através do colchão de ar do policarbonato.

Espessura das chapas
(mm / N.ºparedes)

Isolamento térmico

4.5 / 2

4

6 / 2

3,6

8 / 2

3,3

10 / 2

3,2

10 / 3

3

16 / 2

2,8

16 / 3

2,6

20 / 2

2,7

Coeficiente de dilatação térmica

Deve ser calculada uma expansão ou contração de 0,065mm/mº C. Este valor é mais elevado do que outros materiais como o alumínio e o aço, empregados normalmente em serralheria. Por isso, é importante e necessário calcular o valor da dilatação para haver um correto encaixe das chapas.

Sugestões práticas

As chapas podem ser furadas, cortadas com ferramentas comuns (serra circular, serrote dente fino). Depois de terminados os serviços de furação e corte, utilize jatos de ar fortes para eliminar possíveis resíduos do produto dentro das câmaras.

É aconselhável a limpeza das chapas a cada dois anos, utilizando-se água e sabão neutro. Não utilize ferramentas abrasivas ou solventes.

Utilizações

As chapas alveolares apresentam um conjunto de características muito interessantes para soluções que requerem ao mesmo tempo:

Aproveitamento da luz natural com difusão;
Isolamento térmico;
Elevada segurança pela alta resistência a impactos;
Favorável relação peso/m2;
Estabilidade das características ao tempo

Em projetos comerciais

Ligações de pontos através de túneis transparentes, coberturas e uso externo em shoppings, hospitais, hóteis, escolas, prédios comerciais, estádios esportivos, escritórios, clínicas, banco 24 horas, boates e discotecas, entre muitas outras utilizações. Também é utilizado como divisória em escritórios e hospitais.

Policarbonato
VISTA INTERNA DA COBERTURA DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE MARÍLIA

Policarbonato
Shopping - Rio de Janeiro -RJ

Policarbonato
COBERTURA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS - MARÍLIA/SP

Policarbonato
TERMINAL DE ÔNIBUS - SP

Em projetos industriais

Cobertura de galpões, complementos de paredes de fábricas e clarabóias para aproveitamento máximo da luz natural e economia de energia.

Policarbonato
COBERTURA DA ÁREA INTERNA QUE LIGA OS SETORES ADMINISTRATIVOS DA MARILAN S/A BISCOITOS - MARÍLIA/SP

Agricultura

Estufas onde se exige bom isolamento térmico. Alveolar oferece alta resistência a baixas temperaturas.

Características dos perfis

Perfis em policarbonato - comprimento: 5.800 e 6.000

Características das chapas

Seção típica

4,5 6-9
6 6-9
8 9
10 9
10 9
10 20
16 20
16 20

Policarbonato
Tolerâncias: Espessura de 4mm até 6mm: ± 0,5 mm de 8mm até 16mm: ± 1,0mm

Chapas de Policarbonato Compacto
A beleza e a transparência do vidro, a segurança do aço
Leve - Flexível - Durável - Transparente resistente ao impacto
Cores transparentes: Cristal / bronze / fumê / azul / verde
Cor opaca: Branco leitoso

O Policarbonato caracteriza-se por possuir alta transparência, que pode chegar acima de 90º. Essa transparência é conseguida graças à sua estrutura amorfa.

Dentre todos os termoplásticos, o Policarbonato é o que possui maior resistência ao impacto, sem qualquer aditivação, a não ser os elastômeros.

Devido à sua grande resistência ao impacto, o Policarbonato é utilizado em muitas aplicações.

A produção das chapas utiliza a alta tecnologia da coextrusão, a qual, aumenta a resistência aos raios ultravioletas solares.

A temperatura de amolecimento (VICAT) do Policarbonato é de 150ºC, permitindo aplicações onde a temperatura de trabalho chegue a 130ºC, e a raios ultravioletas.

As chapas compact apresentam densidade de 1,2g/cm3. Esta característica proporciona benefício de redução de custo com estruturas de fixação, transporte e mão-de-obra.

Obs: O policarbonato resiste a agentes químicos, sendo importante observar que alguns agentes podem causar danos quando em contato com as chapas por longo período de tempo.

Nota: A limpeza deve ser feita utilizando água morna, sabão neutro e esponja macia.

Principais Benefícios da Chapa de Policarbonato

Excelente resistência mecânica
Excelente resistência ao impacto, superior a do vidro em 250 vezes e a do acrílico em 30 a 40 vezes
Não deforma quando exposta a temperaturas de até 120ºC
Excelente transmitância de luz (acima de 90%)
Excelente resistências intempéries climáticas (raios UV solares)
Fácil usinabilidade e curvatura a frio
Material atóxico e de alta durabilidade

Aplicações

Construção civil
Projetos residenciais:
coberturas, clarabóias lisas e curvas, portas, janelas e basculantes
Projetos comerciais:
shopping centers, hotéis, restaurantes, entradas sociais, escolas, hospitais
Projetos industriais:
coberturas de galpões, proteção p/ maquinas, viseiras e capacetes, isolantes acústicos.
Transportes:
ônibus, trens, metrô, carros fortes, aeronaves e embarcações, blindagem de veículos

Características óticas

Com excelente qualidade de transparência, as características óticas da chapa possibilitam a sua utilização em aplicações as mais diversificadas.

Policarbonato Compact tem um elevado grau de absorção das radiações ultravioleta pela presença importante do estabilizante U.V. que da ao produto estabilidade durante longos anos, conservando praticamente inalteradas as suas características iniciais.

Características elétricas

Além da construção civil, a chapa é largamente utilizada na área de componentes em equipamentos elétricos, devido às suas excelentes características elétricas (chassis, luminárias etc.).

A sua elevada estabilidade permite a utilização em situações onde ocorrem constante oscilações de temperatura e umidade ambiente.

Curvatura a frio

Muitas aplicações, na construção civil e na indústria, requerem a curvatura das chapas. Isto é possível desde que o raio de curvatura seja maior do que 100 (cem) vezes a espessura da chapa.

Comportamento ao fogo

Os resultados obtidos com o comportamento da chapa ao fogo atendem às normas vigentes em vários países europeus. Obedecendo às severas condições de segurança e prevenção ao fogo, tem grande aceitação e uso na construção civil.

Resistência química do policarbonato

Classe química X Efeitos

Ácidos: Não provocam danos em temperatura ambiente e baixas concentrações
Álcools: Etanol, Isopropílico e Etílico não provocam danos. O álcool metanol provoca danos ao policarbonato
Álcalis: Não provocam efeitos em temperatura ambiente e baixas concentrações: Concentrações e temperaturas elevadas atacam o policarbonato
Hidrocarbonetos Alifáticos: Não provocam danos ao policarbonato
Aminas: Evite. Atacam quimicamente o policarbonato
Hidrocarbonetos Aromáticos: Evite. São solventes que causam severos danos químicos ao policarbonato
Detergentes: Soluções de sabão neutro não provocam danos, porém detergentes altamente alcalinos devem ser evitados
Ésteres: Evite. São solventes que causam severos danos químicos ao policarbonato
Graxas e óleos: Evite. Muitos aditivos usados nestes materiais causam severos danos químicos ao policarbonato
Hidrocarbonetos Halogenados: Evite. Causam severos danos ao policarbonato
Óleo de silicone: Em temperatura máxima de 85º C não provocam danos. Porém a composição química destes produtos tem como base hidrocarbonetos aromáticos devendo ser evitados

OBS: Considerar que o tempo de exposição a estes agentes deve ser o mínimo possível.

Manuseio e instalação

O manuseio da chapa é muito simples e permite que qualquer pessoa, desde que utilizando os equipamentos necessários, possa usinar e preparar a chapa para instalação.

Usinagem

As chapas podem ser cortadas e furadas. Recomendamos serras de fita ou circulares e brocas fabricadas de aço carbono. Para as operações de corte e furação, as chapas devem estar fixadas em bancadas de trabalho, para que se evitem riscos. É importante que ao final da operação de corte as extremidades das chapas sejam levemente arredondadas, evitando o acúmulo de tensões residuais.

Montagem

Para o processo de instalação das chapas podemos utilizar estruturas de alumínio, aço ou madeira disponíveis no mercado. A área de engastamento e os acessórios para fixação devem possuir guarnições de EPDM ou neoprene expandido, ou silicone neutro, além de vedar, auxiliam a fixação das chapas à estrutura.

A espessura das chapas deve estar de acordo com a área de instalação, e a carga que irão sofrer.

Dicas para instalação de chapas compactas:

Estrutura que irá acomodar a chapa deve estar limpa
As dimensões da chapa devem estar de acordo com as dimensões da estrutura
Para estruturas curvas as chapas permite um raio de curvatura máximo de 100 vezes a sua espessura
Remover o filme de PE da superfície que entrará em contato com as guarnições
O restante da superfície da chapa deve permanecer protegida pelo filme de PE até o final da obra.

Fonte: www.arq.ufsc.br

Policarbonato

Policarbonato: Características e principais informações na sua utilização como material de construção

INTRODUÇÃO

O Policarbonato é um termoplástico de engenharia composto de uma resina resultante da reação entre derivados do Ácido Carbônico e o Bisfenol A. Possui características de transparência, beleza e alta resistência mecânica e vantagens como seu baixo peso, excelente isolamento termo-acústico e maior resistência ao fogo, que o tem tornado muito conhecido e utilizado em aplicações diversas.

Estas características têm proporcionado grande aplicação na construção civil, como envidraçamento e coberturas translúcidas planas ou curvas, em substituição ao vidro, pois as chapas de policarbonato podem ser curvadas a frio na própria obra, desde que obedecidas as especificações dos fabricantes.

PRINCIPAIS APLICAÇÕES

O Policarbonato pode ser comercializado sob diversas formas, sendo as chapas planas ALVEOLARES e COMPACTAS e as TELHAS DE POLICARBONATO as mais comuns.

As chapas compactas pesam a metade que as de vidro e as alveolares têm apenas 10% do seu peso.

Estética

É importante contar com um material que une segurança e beleza, mesmo com o passar do tempo. As chapas de policarbonato, para uso externo, possuem um tratamento contra o ataque dos raios ultra violeta, mantêm a transparência e a resistência ao impacto ao longo dos anos de exposição direta ao sol. São garantidas por 5 anos as chapas compactas e por 10 anos as alveolares e as telhas, que atuam ainda como um filtro dos raios ultra violeta.

Versatilidade

Podem ser utilizadas em formas planas, como janelas e tetos, por exemplo. Adaptam-se também a formas curvas, com raios menores que os permitido pelo acrílico. Em projetos sofisticados, como o de uma pirâmide em uma única peça, o policarbonato pode submeter-se a processo de termoformagem a quente e manter suas propriedades originais. Isto dá ao arquiteto moderno a possibilidade de realizar projetos inovadores, complexos e ousados.

Policarbonato alveolar

Resultado de intensas pesquisas para atender as exigências e a procura da construção civil, por produtos de alto conteúdo tecnológico, as chapas alveolares de policarbonato tem uma excepcional resistência a ação do tempo, graças ao tratamento que as chapas são submetidas contra a ação dos raios ultravioletas.

Estas chapas são produzidas com a técnica da co-extrusão, que permite utilizar o policarbonato com elevado teor de U.V. (ultra-violet absorver) e de estratificá-lo próximo a superfície de um dos dois lados das chapas. Este lado, instalado voltado para o exterior da construção, absorve os raios ultravioleta.

Policarbonato em chapas alveolares, possibilitam uma ampla utilização na construção civil graças as suas características de alta resistência, transparência e longa durabilidade.

Arquitetos e engenheiros podem desenvolver e valorizar seus projetos onde a luminosidade e a leveza ganham espaços, criando novas e ousadas concepções arquitetônicas. Mantendo todas as suas características ao longo do tempo (garantia de 10 anos) e a sua alta resistência a impactos, além disso, sua aplicação em projetos comerciais, residenciais, industriais e esportivos, assegura uma sensível redução de custos de energia (transparência) e maior isolamento térmico (ar condicionado).

Sua instalação exige estruturas mais leves e de menor custo quando comparado com o vidro.

Policarbonato Compacto

A chapa de Policarbonato Compacto constitui um material de envidraçamento praticamente inquebrável. A sua grande resistência ao impacto, que proporciona uma eficaz proteção anti-roubo, acresce uma excelente transmissão luminosa. Sua excelente resistência ao impacto faz com que seja a opção ideal para proteção contra vandalismo, de montras e janelas. Sua aplicação evita os elevados custos de substituição dos vidros partidos bem como os objetos danificados pelos estilhaços destes. A chapa de Policarbonato Compacto oferece proteção sem igual para pessoas e bens, bem como uma liberdade de desenho arquitetural virtualmente ilimitada, pode ser curvada a frio o que possibilita a sua aplicação em envidraçados curvos e a criação de desenhos mais atrativos para clarabóias, passarelas, abóbodas, bem como todo tipo de recinto em que se deseje uma cobertura transparente, além disso, tem ainda a vantagem de ser muito mais leve que o vidro e proporcionar um bom isolamento térmico, o que tem como conseqüência imediata, uma economia adicional no custo do aquecimento e do ar condicionado.

Lentes de policarbonato

As lentes de policarbonato são recomendadas na utilização de qualquer grau, para médias e altas dioptrias.

Devido a sua extrema resistência a impactos é indicado a adultos e crianças. Sua capacidade de filtro U.V. é de 98%, oferecendo a proteção necessária para qualquer usuário.

Por sua leveza e alto índice de refração, permite lentes mais delgadas e leves que qualquer outro material.

Possui ainda uma proteção anti-risco em sua face interna e externa, geralmente dependendo da empresa que fabrica, prolongando sua vida útil muito mais tempo acima das lentes comuns.

Aceita o tratamento anti-reflexo e coloração.

Exemplos mais comuns de uso:

As placas de policarbonato podem ser utilizadas nas mais variadas situações.

Podem ser encontradas nas cores: Cristal, branco leitoso, bronze, cinza e azul e ainda telhas onduladas e trapezoidais.

EXEMPLOS:

Devido à sua grande resistência ao impacto, o Policarbonato é utilizado em muitas aplicações:

Construção civil

Projetos residenciais: coberturas, clarabóias lisas e curvas, portas, janelas e basculantes
Projetos comerciais: shopping centers, hotéis, restaurantes, entradas sociais, escolas, hospitais

Indústria

Projetos industriais: coberturas de galpões, proteção para máquinas, viseiras e capacetes, isolantes acústicos.

Transportes

Ônibus, trens, metrô, carros fortes, interior de aeronaves e embarcações, blindagem de veículos, lanternas, faróis, pára-choques, painéis e outras peças de automóveis.

Outros

Escudos de proteção, letreiros em estradas, componentes elétricos e eletrônicos, CD’s, conectores, recipientes para fornos de microondas, artigos esportivos, artigos médicos, em misturas poliméricas com ABS, PET e PBT.

CARACTERÍSTICAS E PROPRIEDADES

O Policarbonato é semelhante ao vidro, caracteriza-se por possuir alta transparência, que pode chegar acima de 90%. Essa transparência é conseguida graças à sua estrutura amorfa. Dentre todos os termoplásticos, o Policarbonato é o que possui maior resistência ao impacto, sem qualquer aditivação, a não ser os elastômeros.

A produção das chapas utiliza a alta tecnologia da coextrusão, a qual, aumenta a resistência aos raios ultravioletas solares.

O peso molecular varia de 10000 a 30000, e sua densidade é 1,2.

A Tg, temperatura de transição vítrea ou de amolecimento VICAT, a qual se refere a mobilidade molecular das regiões amorfas, é de 150°C, permitindo aplicações onde a temperatura de trabalho chegue a 130ºC, e a raios ultravioletas. A temperatura de amolecimento VICAT é a temperatura quando uma agulha de aço de 1mm² de área de seção transversal penetra 1mm em um corpo de prova.

A Tm, temperatura de fusão cristalina, a qual se refere a mobilidade molecular das regiões cristalinas, é de 268ºC.

A cristalinidade, a qual se refere a quantidade de regiões cristalinas, é muito baixa, o que confere a excelente transparência do material.

Transparência Luminosa

Com excelente qualidade de transparência, as características óticas das chapas de Policarbonato, possibilitam a sua utilização as mais diversificadas.

O Policarbonato tem um elevado grau de absorção das radiações ultravioleta pela presença importante do estabilizador U.V. que dá ao produto estabilidade durante longos anos, conservando praticamente inalteradas as suas características iniciais.

Além disso nas chapas alveolares, existe o efeito interessante da difusão luminosa causado pela geometria dos alvéolos.

Raio de Curvatura

As chapas podem ser utilizadas para soluções em arco, curvado a frio, na ocasião da sua instalação. Neste caso é importante evitar o sobretensionamento da chapa. Para isto, os raios de curvatura devem ser de 100 a 150 vezes a espessura da chapa empregada.

Comportamento Térmico

A mais importante característica das chapas é sua estabilidade em temperatura e em utilizações difíceis, onde não é possível o uso de outros materiais. Outra característica é sua elevada dilatação, que é uma variável importante para um correto dimensionamento das chapas caso sejam contidas em estruturas ou perfis metálicos, fixas e colocadas, ou acopladas a outros materiais.

A sua elevada estabilidade permite a utilização em situações onde ocorrem constante oscilações de temperatura e umidade ambiente.

Além disso as chapas alveolares permitem obter uma sensível economia energética devido aos elevados valores de isolamento térmico, obtido através do colchão de ar que se forma entre as paredes da chapa de Policarbonato.

A condutividade térmica do PC é menor que a do vidro, i.é, o PC é pior condutor de calor que o vidro; logo, é melhor isolante térmico que o vidro. No caso de chapas coloridas os resultados são ainda melhores, pois a penetração de calor é menor, já que se tem menor incidência de raios solares.

O coeficiente de expansão térmica do policarbonato é maior quando comparado com outros materiais usados para construção. A expansão térmica é a propriedade que mede o volume adicional necessário para acomodar os átomos e moléculas, por estarem vibrando mais rápido e com maior amplitude, devido ao aquecimento, e pode ser expresso em mm/cm/°C.

Queima

Prevenção de incêndios: por ser um material auto extinguível, o policarbonato evita a propagação de fogos e os gases tóxicos que gera não são tão tóxicos quanto os do acrílico.

Resistência ao impacto

O Policarbonato possui grande resistência ao impacto. Chapas compactas utilizadas isoladamente ou em sistema composto incorporando vidros, constituem uns dos mais avançados meios de segurança em envidraçamento.

O Policarbonato é classificado como material para envidraçamento estrutural, pois é cerca de 250 vezes mais resistente que o vidro e cerca de 30 vezes mais que acrílico.

As chapas de Policarbonato adequadamente especificadas podem resistir a impactos de projéteis disparados por armas de grande potência, e muito utilizado por oferecer alta segurança contra atos de vandalismo.

Resistência à Radiação UV

A grande transparência da chapa de Policarbonato Compacto permite uma ótima utilização da luz solar, possui uma superfície especialmente concebida contra a radiação U.V., a qual protege o material contra o envelhecimento pela ação dos agentes atmosféricos, protege os envidraçados contra o amarelecimento e perda de transmissão luminosa, garantindo a conservação das propriedades óticas - sem diminuição da resistência do policarbonato; mesmo sob exposição intensa à radiação solar.

Usinagem, processos de transformação

Serrar: Recomenda-se o uso de disco de serra com dentes sem trava (retos), preferencialmente de vídea e com refrigeração; a rotação da serra deve situar-se entre 1800 a 2400rpm para um disco com distância entre dentes de 2 a 5mm. É importante que ao final da operação de corte as extremidades das chapas sejam levemente arredondadas, evitando o acúmulo de tensões residuais.
Furar: Devem ser usadas brocas recomendadas para plásticos, aquelas com ângulo de avanço entre 160° a 180°, e angulo de saída de aproximadamente 16°; a rotação da broca deve situar-se entre 350 e 1750rpm para brocas entre 18 e 3mm de diâmetro. Não usar qualquer tipo de líquido refrigerante durante a operação.
Rosquear: O PC pode ser rosqueado com machos convencionais para aço, o diâmetro do furo deve ser de 1mm maior que normalmente usado para aço; não deve ser usado qualquer tipo de líquido refrigerante durante a operação.
Fresar: O PC pode ser fresado com uma fresadora universal e corn, ferramentas normais usadas para plásticos, aqualas com ângulo de saída entre 20° e 25°, ângulo de ataque de 5°, rotação entre 100 a 500rpm e velocidade de corte de 0,1 a 0,5mm/revolução.
Estampar: Chapas de até 2mm de espessura, podem ser estampadas com matrizes para metais, bem afiadas. Para espessuras maiores recomenda-se o aquecimento das chapas até 130°C. O corte por guilhotina pode ser feito em chapas de até 2,5mm de espessura, com lâminas de aço, ângulo de inclinação de 45° e folga entre 0,01 a 0,02mm.
Desbastamento: Devem ser usados discos abrasivos de carbeto de silício ou correias de lixa fina.
Polimento: Usar rodas de polir de média densidade (rodas de pano) e velocidade periférica em torno de 30m/s. No início, recomenda-se o uso de pasta de polir do tipo não alcalina (óxido de cromo verde, p.e.), finalizando com o polimento sem pasta.

Métodos de União

Colagem: PC apresenta boa colagem com ele próprio ou outros materiais, não se deve esquecer que a limpeza das superfícies a serem coladas é muito importante.
Soldagem: É mais indicado para peças protótipos ou de pequeno volume. É indispensável a secagem da chapa e do cordão de solda antes da soldagem; junta-se as duas partes o mais próximo possível e inicia-se a soldagem; a pistola de ar quente para aplicação deve estar entre 475 a 500°C.
Outros métodos: Outros tipos de uniões podem ser feitas, usando-se rebites de alumínio, parafusos auto-tarrachantes e parafusos com porcas. Não se deve esquecer que neste tipo de união, a contração e expansão das chapas unidas, devem ser consideradas. Não se deve usar nesses tipos qualquer tipo de material lubrificante para auxiliar a introdução do rebite ou parafuso; os lubrificantes podem atacar o PC originando crasing nessa região, que se propagará com facilidade, quebrando a chapa.

Manutenção e Limpeza

Para uma manutenção e uma limpeza adequada é recomendável seguir algumas instruções básicas.

Molhar a chapa com água morna;
Lavar a chapa com solução de detergente neutro;
Usar um pano ou esponja para eliminar os restos de sujeira;
Repetir a lavagem e secar um pano macio para evitar que a água acumulada possa manchar a chapa.
Nunca usar benzol, gasolina, xilol ou tetracolreto de carbono
Remoção de respingos de tintas ou graxas, usar álcool isopropílico, antes que sequem.
Não limpar sob sol quente ou elevadas temperaturas.

Precauções

Não usar elementos de limpeza abrasivos ou altamente alcalinos, como por exemplo: saponáceos ou limpadores a base de amoníaco;
Não usar Butilo Celusolo nem Isopropanol na superfície protetora do Policarbonato;
Não lavar as chapas de Policarbonato sob sol forte ou temperatura elevada;
Não aplicar esforços físicos nas estruturas e chapas sem orientação prévia.

OBS: O mais recomendável é sempre procurar empresas especializadas para que não haja danos no material.

Resitência Química

O Policarbonato resiste agentes químicos, sendo importante observar que alguns reagentes podem causar danos quando em contato com as chapas por longo tempo.

A resistência química e a característica do Policarbonato em determinados agentes, considerando que o tempo de exposição a estes dever ser mínimo possível: Ácidos, Álcoois, Alcalis, Hidrocarbonetos Alifáticos, Aminas, Hidrocarbonetos Aromáticos, Detergentes, Ésteres Graxas e Óleos, Hidrocarbonetos Halogenados e Óleo de Silicone.

Efeitos ocasionados quando o policarbonato é exposto em contato com produtos químicos:

CLASSE QUÍMICA

EFEITOS

Ácidos

Não provocam danos em temperatura ambiente e baixas concentrações.

Álcoois

Etanol, Isopropílico e Etílico não provocam danos. O metanol provoca.

Álcalis

Não provocam efeitos em temperatura ambiente e baixas concentrações. Concentrações e temperaturas elevadas atacam o Policarbonato.

Hidrocarbonetos Alifáticos

Não provocam danos ao Policarbonato.

Aminas

Evitar. Atacam quimicamente o Policarbonato

Hidrocarbonetos Aromáticos

Evitar, são solventes que causam severos danos químicos ao Policarbonato.

Detergentes

Soluções de sabão neutro não provocam danos, porém detergentes altamente alcalinos devem ser evitados.

Ésteres

Evitar.

Graxas e Óleos

Evitar. Muitos aditivos usados nestes materiais causam danos químicos ao Policarbonato.

Óleo de Silicone

Em temperatura máxima de 85°C não provocam danos. Porém a composição química destes produtos tem como base hidrocarbonetos aromáticos devendo ser evitado.

Hidrocarbonetos Halogenados

Evitar. Causam severos danos ao Policarbonato.

PREPARAÇÃO DE POLICARBONATOS

Breve Histórico da preparação do Policarbonato

Policarbonatos foram sintetizados pela primeira vez por Einhom, em 1898, reagindo dihidroxi benzeno, hidroquinona e recorcinol, separadamente, com fosgênio.

Usando o difenil carbonato, Bischoff e Von Hedenstrom prepararam produtos similares em 1902. Em 1930, Carothers e Natta prepararam um grande número de policarbonatos alifáticos, que apresentavam baixo ponto de amolecimento e eram facilmente hidrolisados, não atingindo valor comercial.

Em 1941, os laboratórios da Farbenfabriken Bayer na Alemanha, iniciaram os estudos sobre alguns polímeros de futuro promissor. Independentemente, e na mesma época, estudos similares foram iniciados nos laboratórios da GE nos Estados Unidos da América, chegando a um polímero a partir do bisfenol A. Em 1958, o policarbonato começa a ser produzido comercialmente, a partir do bisfenol A, na Alemanha e nos EUA.

Jefferson Luís Diel

Fonte: crispassinato.files.wordpress.com

Policarbonato

"Também conhecido como: Durolon, Makrolon, PC, Lexan e Polyhard "

Formatos Disponíveis:

Chapas (compactas e alveolares), Telhas (acabamentos e acessórios), Tarugos e Tubos.

O Policarbonato é um material transparente com propriedades mecânicas excelentes, estando entre os materiais de maior tenacidade. Sua resistência a impactos é dificilmente igualada por outro material, sendo talvez uma de suas mais marcantes propriedades.

Principais Características :

Excelente resistência a impactos
Excelente estabilidade dimencional
Baixa absorção de umidade
Resistente a raios ultravioletas
Temperatura de trabalho - 40ºC a 120ºC
Facilidade de usinagem
Moldável, injetável e usinável
Boa resistência à chamas
Boas características elétricas

Aplicações :

Janela de área industrial, proteções de máquinas, painéis de medição, capacetes;
Mostradores de aeronaves, pára-brisas de barcos, carros blindados, elevadores panorâmicos;
Viseiras, coberturas de grandes áreas, lentes, vitrines, aquários, janelas de trem, escudos.

Fonte: www.hipermetal.com.br

Policarbonato

Policarbonato: Um material Leve, Resistente e Versátil

Policarbonato
Policarbonato

O policarbonato é um termoplástico, ou seja, um plástico que amolece ao ser aquecido e endurece quando resfriado, permitindo que se façam curvas ou outros formatos, sem nenhuma emenda.

É um material de alta transparência e resistência a impactos. Mais leve que o vidro, pode ser curvado a frio e tem proteção contra raios ultravioleta.

Policarbonato
Policarbonato

O Policarbonato é encontrado em chapas e telhas. São três os tipos de chapas encontradas no mercado: as compactas, as alveolares e as refletivas (chapas compactas com tratamento anti-abrasivo e melhor eficiência térmica).

A escolha do produto deve levar em conta fatores como a luminosidade, o raio da curvatura desejada e o conforto térmico, além do efeito estético e o preço.

É indicado para coberturas e fechamentos que exigem iluminação natural, pois seu nível de transparência chega a 90%. Por sua alta resistência a impactos (em média 200 vezes superior à do vidro e trinta vezes maior que a do acrílico), é recomendado para cobrir áreas externas como gazebos, jardins de inverno, garagens, estufas e piscinas.

As chapas e telhas são disponíveis nas cores cristal, bronze e branco leitoso, alguns tipos também são oferecidos em verde, azul e cinza.

É bom lembrar que as cores escuras, como o bronze, absorvem mais calor e têm menor índice de luminosidade.Durante a instalação, deve-se deixar um espaço para dilatação, pois o policarbonato tem alto coeficiente de expansão térmica.

Policarbonato

Outra característica é a sensibilidade do material à abrasão. Menos rígido do que o vidro, ele risca facilmente. Assim, para áreas que exigem limpeza constante, recomenda-se a colocação de uma película anti-abrasiva. Alguns produtos já vêm com esta película.

Para limpar, basta água e sabão neutro; produtos abrasivos ou alcalinos fortes são proibidos.

A instalação em geral é feita por empresas credenciadas pelos distribuidores.

Elas podem responsabilizar-se pela compra do material, montagem das estruturas e colocação.

As chapas devem ser fixadas sobre estruturas de aço ou alumínio.

Precauções

Policarbonato

Apesar do Policarbonato ser muito mais leve que o vidro as estruturas devem ser dimensionadas para o efeito do vento, que é muito maior que o peso próprio das estruturas com policarbonato ou com vidro.

Não usar elementos de limpeza abrasivos ou altamente alcalinos, como por exemplo: saponáceos ou limpadores a base de amoníaco.
Não usar Butilo Celusolo nem Isopropanol na superfície protetora do Policarbonato.
Não lavar as chapas de Policarbonato sob sol forte ou temperatura elevada.
Não aplicar esforços físicos nas estruturas e chapas sem orientação prévia.

OBSERVAÇÃO: O mais recomendável é sempre procurar empresas especializadas para que não haja danos no material.

Usinagem

As chapas de policarbonato podem ser cortadas e furadas. Recomendamos serras de fita ou circulares e brocas fabricadas de aço carbono.

Para as operações de corte e furação, as chapas devem estar bem fixadas em bancadas de trabalho, para que se evitem riscos.

É importante que ao final da operação de corte as extremidades das chapas sejam levemente arredondadas, evitando o acúmulo de tensões residuais.

Arnazenagem

O armazenamento deve ser em local limpo e seco.

Quando o material for levado para a obra, é muito importante mantê-lo a sombra, a fim de evitar que os raios de sol provoquem uma reação e a película protetora se cole na chapa.

Mantenha o material limpo e seco.

Policarbonato

Fonte: www.metalica.com.br

Policarbonato

Plástico da família dos poliésteres aromáticos.

Monômeros: fosgênio e bisfenol A. Há suspeitas de que o bis-fenol A mimetizaria efeitos de hormônios humanos, o que po-deria causar distúrbios endócrinos. Contudo, elas não foram confirmadas até o momento.

Policarbonato

Principais propriedades:

Excelente resistência ao impacto;
Excelente transparência: 96%;
Boa estabilidade dimensional e térmica;
Resistente aos raios ultravioleta;
Boa usinabilidade;
Alta temperatura de deflexão;
Boas características de isolamento elétrico.

Produção brasileira em 1995: 10.000 t.

Este importante plástico de engenharia foi acidentalmente descoberto em 1898 na Alemanha, mas só em 1950 é que seu desenvolvimento foi retomado, passando a ser comercializado a partir de 1958.

Aplicações

Compact-Discs (CD’s);
Janelas de segurança (por exemplo, em trens de subúrbio);
Óculos de segurança;
Carcaças para ferramentas elétricas, computadores, copiadoras, impressoras...
Bandejas, jarros de água, tigelas, frascos...
Escudos de polícia anti-choque;
Aquários;
Garrafas retornáveis.

Que tal vermos a cotação desses materiais? Em dezembro de 1998, o preço por quilo em reais era:

PEBD: 1,19
PEAD: 1,15
PP: 1,17
PS: 1,18
PET: 1,20
HIPS: 1,18
PS Exp.: 1,78
PVC rígido: 1,38
PVC flexível: 1,38
PC: 6,85

Contudo, a crise cambial ocorrida no início de 1999 provocou acréscimo de preços de até 50% no preço das resinas, de acordo com manifesto da Abiplast em fevereiro daquele ano.

A figura abaixo mostra, de forma aproximada, como se distribuem as aplicações dos plásticos. Note-se que aqui não estão incluídos alguns polímeros importantes, como as borrachas.

Fonte: www.gorni.eng.br

Policarbonato

O Policarbonato é um plástico de engenharia único, pois combina um alto nível de propriedades mecânicas, óticas e térmicas, proporcionando ao usuário praticidade, economia e segurança. O PC (Abreviação de Policarbonato) é o termoplástico que mais se assemelha com o vidro, só que com a vantagem de ser altamente resistente a impactos, possuir alta resistência térmica e a chamas, baixo peso especifico, grande flexibilidade e versatilidade de usos, além de também oferecer um alto nível de segurança por ser um material auto-extinguível, evitando assim a propagação das chamas.

Características

As características das chapas de PC garantem a elas grande versatilidade de uso, principalmente em áreas externas além disso podem ser curvadas, processadas por termoformagem a quente, sem perder suas propriedades, O baixo peso relativo das chapas, quando comparadas ao vidro, facilitam o manuseio e garantem maior economia em projetos onde se exige estrutura para suportá-las. O PC pode ser instalado em qualquer tipo de perfil de madeira alumínio e/ou metálico.

As Chapas de PC, devido as suas características físico-químicas, para serem processadas, podem ser: serradas; fresadas; estampadas com matrizes para metais; furadas; rosqueadas; polidas; dobradas; coladas (com outros materiais e com ele próprio); rebitadas e moldadas a vácuo (vacuum forming) ou por compressão.

Semelhantes ao vidro, porém, com alta resistência a impactos, as Chapas de Policarbonato Compactas são indicadas para uma grande variedade de projetos, tais como:

Aplicabilidades:

Painéis
Letreiros
Luminosos
Luminárias
Escudos e cabines de proteção
Lanternas
Faróis
Pára-choques
Utensílios para fornos de microondas
Componentes elétricos e eletrônicos
Teclados de membranas
Proteção de maquinas e outros projetos.

Resistência Química

Ácidos - Não provocam danos em temperatura ambiente e baixas concentrações.
Álcoois
- Etanol, isopropílico e etílico não provocam danos. O álcool metanol provoca danos ao policarbonato.
Álcalis
- Não provocam efeitos em temperatura ambiente e baixas concentrações. Concentrações e temperaturas elevadas atacam o policarbonato.
Hidrocarbonetos Alifáticos
- Não provocam danos ao policarbonato.
Aminas
- Evite. Atacam quimicamente o policarbonato
Hidrocarbonetos Aromáticos
- Evite. São solventes que causam severos danos químicos ao policarbonato..
Detergentes
- Soluções de sabão neutro não provocam danos, porém detergentes altamente alcalinos devem ser evitados.
Ésteres
- Evite. São solventes que causam severos danos químicos ao policarbonato.
Graxas e Óleos
- Evite. Muitos aditivos usados nestes materiais causam severos danos químicos ao policarbonato.
Hidrocarbonetos Halogenados
- Em temperatura máxima de 85ºC não provocam danos Porém a composição química destes produtos tem como base hidrocarbonetos aromáticos devem ser evitados.

Fonte: www.isolaplast.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal