Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Poluição Ambiental  Voltar

Poluição Ambiental

 

Poluição Ambiental
Poluição Ambiental

Um dos maiores problemas que o mundo enfrenta hoje é o da poluição ambiental, aumentando a cada ano que passa e causando graves e irreparáveis danos para a terra.

A poluição ambiental é composto por cinco tipos básicos de poluição, ou seja, ar, água, solo, ruído e luz.

A poluição do ar é de longe a forma mais nociva da poluição em nosso ambiente. A poluição do ar é por causa da fumaça prejudicial emitido por carros, ônibus, caminhões, trens e fábricas, designadamente o dióxido de enxofre, monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio. Mesmo fumaça de folhas queimadas e os cigarros são prejudiciais ao meio ambiente causando uma série de danos ao homem e ao ambiente. Evidência de poluição do ar aumento é visto em câncer de pulmão, asma, alergias, e vários problemas respiratórios, juntamente com danos graves e irreparáveis à flora e fauna. Mesmo o fenômeno mais natural de aves migratórias tem sido dificultada, com grave poluição do ar impedindo-os de chegar a seus destinos metropolitano sazonais de séculos.

Clorofluorocarbonetos (CFC), lançado a partir refrigeradores, condicionadores de ar, desodorantes e repelentes de insetos causam sérios danos ao meio ambiente da Terra. Este gás tem danificado lentamente a atmosfera e empobrecendo a camada de ozono levando ao aquecimento global.

A poluição das águas provocada por resíduos industriais e lançados em lagos, rios e outras massas aquáticas, fez da vida marinha deixar de acolhedora.

Os seres humanos poluem a água com a eliminação em grande escala de lixo, flores, cinzas e outros resíduos domésticos.

Em muitas áreas rurais ainda se pode encontrar pessoas tomando banho e cozinhar na mesma água, tornando-se incrivelmente sujo.

A chuva ácida ainda contribui para a poluição da água na água. Além destes, a poluição térmica e a depleção de oxigênio dissolvido agravar a situação já piora dos corpos de água.

A poluição da água também pode ocorrer indiretamente como um desdobramento da poluição do solo - através de escoamento superficial e lixiviação para as águas subterrâneas.

A poluição sonora, poluição do solo e poluição luminosa também danificam o meio ambiente em um ritmo alarmante. A poluição sonora incluem o ruído das aeronaves, barulho de carros, ônibus e caminhões, buzinas de veículos, alto-falantes, e o ruído da indústria, bem como os efeitos de sonar de alta intensidade que são extremamente prejudiciais para o ambiente.

Poluição de ruído máximo ocorre devido a uma das melhores descobertas da ciência moderna - o veículo a motor, que é responsável por cerca de noventa por cento de todos os ruídos indesejados em todo o mundo.

A poluição do solo, o que também pode ser chamado de contaminação do solo, é um resultado da chuva ácida, a água poluída, fertilizantes, etc, o que conduz a más colheitas. A contaminação do solo ocorre quando produtos químicos são liberados pelo derramamento ou vazamento de tanque de armazenamento subterrâneo que libera contaminantes pesados no solo. Estes podem incluir hidrocarbonetos, metais pesados, herbicidas, pesticidas e hidrocarbonetos clorados.

Poluição Ambiental - Problemas

Poluição Ambiental
Poluição Ambiental

Os problemas ambientais podem ser encontrados em todas as áreas do mundo, e eles afetam terra, água e ar. Esses problemas incluem o desmatamento, erosão, danos aos ecossistemas e redução de biodiversidade.

Para quem mora na cidade, falar de poluição ambiental não é nenhuma novidade: a fumaça dos veículos e das fábricas; os rios malcheirosos e cheios de detritos; o lixo jogado nas ruas e nas praças; o barulho que vem de todos os lugares.

No entanto, para os habitantes do campo, a poluição não é tão evidente, por exemplo: os "agrotóxicos" que poluem os rios e os alimentos, lançados sobre as plantações.

O mais triste é que os seres humanos são os únicos animais que poluem nosso planeta e agora até o espaço sideral está sendo poluído, porque os "lixos espaciais" estão sendo abandonados em órbita e até as escovas de dentes de alguns astronautas estão sendo jogadas fora das espaçonaves no nosso Universo.

Poluição da água

Todos os tipos de lixo jogados na rua, podem por sua vez ser carregados por alguma tempestade, e levados para algum rio que atravessa a cidade.

Quem não viu um monte de coisas flutuando na água?

Mas essa é a poluição que enxergamos.

A que vemos que é causada pelo esgoto das casas, que lança nos rios o resto de comida e um tipo de bactéria que deles se alimenta: são as chamadas bactérias aeróbicas, elas consomem oxigênio e destroem a vida aquática e além disso podem causar problemas de saúde se forem ingeridas.

Outros problemas são as indústrias localizadas ao lado de rios e lagos.

Só recentemente foram criadas leis para que elas tratem o esgoto industrial, tentando diminuir a quantidade de rios e lagos poluídos em todo o mundo, responsáveis por muitas "mortes".

Os vazamentos de petróleo são uma das piores causas de poluição do mar, pois essa substância espalha-se pela superfície das águas, levando anos para ser absorvida, o que gera sérios desequilíbrios no meio ambiente.

Combatendo a poluição das águas

Chamamos de água poluída a que:

Apresenta cheiro forte provocada pelas substâncias químicas
Apresenta cores variadas,como Amarelo, Verde ou Marrom
Possui gosto diferente por causa das substâncias tóxicas

As substâncias que se misturam na água são chamadas de agentes poluentes que fazem muito mal aos seres vivos.

Veja alguns agentes poluentes da água:

Esgotos das cidades, eliminados em rios e mares
Detritos domésticos, lançados em rios, riachos, lagos, etc...
Elementos sólidos, líquidos e gasosos
Óleo e lixo que os navios lançam nos mares

É muito comum as pessoas confundirem água poluída com água contaminada, razão pela qual vamos explicar cada uma delas.

Água Contaminada

É aquela que transmite doenças, pois além de conter microorganismos, restos de animais, larvas e ovos de vermes.

Água Poluída

É aquela que tem cheiro forte, cor bem escura, que alterou suas características naturais, isto é, deixou de ser pura e saudável para os seres vivos.

A poluição da água traz conseqüências muito graves aos seres vivos.

As principais são:

Substâncias tóxicas lançadas nas águas pelas indústrias e navios atingem os animais e os vegetais aquáticos, chegando a matá-los
Os animais e vegetais aquáticos atingidos contaminam o homem
Os esgotos das cidades podem lançar nos rios, lagos e mares seres vivos causadores de doenças

Para evitar e combater a poluição da água, não precisamos acabar com as fábricas e indústrias,temos que tomar medidas como:

Colocar filtros nas fábricas e em indústrias;
Tratar os esgotos para evitar que contaminem rios e mares;
Evitar jogar lixo ou material reciclável em rios e mares;
Conduzir toda a água utilizada pela população para uma estação de tratamento.

Poluição do ar

Os maiores responsáveis pela poluição do ar são os gases lançados na atmosfera por queimadas, indústrias, automóveis, etc... Nas capitais mundiais, há dias que a condição do ar fica tão ruim que todos os veículos são proibidos de trafegar durante um certo período.

Em muitas cidades há o rodízio de automóveis, que faz com que alguns carros fiquem em casa durante um dia. É uma tentativa para que a poluição diminua, principalmente no Inverno.

Nessa estação do ano, o calor da terra não consegue aquecer o ar para fazer com que ele suba para as camadas altas levando a poluição junto com ele. Além do clima, outro fator que influência na poluição é o regime de chuvas.

O inverno seco no Sul e no Sudeste brasileiro; com isso, os poluentes ficam parados no ar por mais tempo.

Respeitar os sistemas contra a poluição é muito importante.

Você quer ou não quer viver em um mundo sem poluição?

Inversão térmica

Durante o dia, o ar próximo do chão é aquecido pelo calor da superfície do solo, como nos dias quentes. Por ser menos denso e mais leve, esse ar quente sobe.

A noite, o solo esfria rapidamente e a temperatura do ar que está mais próximo da superfície também diminui. Forma-se, então, uma camada de ar frio abaixo da camada de ar aquecida durante o dia.

No dia seguinte, a camada de ar frio, mais densa e pesada, não consegue subir, porque o ar quente funciona como um "tampão": é a inversão térmica.

Em grandes cidades, com atividade industrial e numerosa frota de veículos, a camada de ar frio começa a concentrar os poluentes. A fumaça fica "presa" e contamina o ar.

Nos dias quentes é raro ocorrer à inversão térmica. Nesses dias os raios de sol aquecem a superfície terrestre. O chão transfere o calor para o ar acima dele.

Esse ar aquecido, menos denso e mais leve, sobe e carrega os poluentes. Por isso o nível de poluição do ar costuma ser maior no inverno do que no verão.

Nos dias frios, o cenário muda, porque o clima fica propício para inversões térmicas. Forma-se uma camada de ar frio em baixas altitudes. Essa massa de ar não consegue subir e a qualidade do ar piora por causa da fumaça emitida por veículos e indústrias.

O ar frio é mais pesado do que o ar quente. Por isso ele tende ficar embaixo. Esse fenômeno ocorre em dias de inversão térmica, quando a camada de ar frio é bloqueada por uma de ar quente.

Em grandes cidades, como São Paulo, fica visível a "fronteira" entre as duas camadas de ar. Os veículos são os maiores responsáveis pela emissão de poluentes no ar em grandes cidades. Automóveis, caminhões e ônibus despejam todos os dias toneladas de gases tóxicos pelos escapamentos. Eles respondem por 90 por cento da poluição presente na atmosfera. O restante fica por conta das indústrias e outras fontes, como queimadas.

Em dias mais quentes, toda essa fumaça é dissipada na atmosfera e seus efeitos nocivos se tornam menores. No inverno, porém, a situação piora muito. A inversão térmica, um fenômeno natural nos dias frios, forma uma espécie de "cobertor" que impede que os gases tóxicos se dispersem. "Quando a camada mais quente do ar fica muito próxima da superfície, os problemas gerados pela inversão são preocupantes", dizem alguns metereologistas.

Nesses dias, a concentração de poluentes é visível. Perto do solo, o ar é escuro e cheio de fumaça. Logo acima, o céu é azul. A linha que divide o ar sujo do ar limpo é a zona de transição do ar frio e o ar quente.

Sinais de alerta

Seu corpo dá algumas pistas de que os níveis de poluentes estão acima do normal:

A cabeça é a primeira a sentir os efeitos dos gases tóxicos. A concentração tende a diminuir, enquanto a irritação aumenta, devido à ação do gás carbônico emitido pelos escapamentos dos veículos.
A dor de cabeça é outro sintoma.
O nariz começa a escorrer, provocando coriza, por causa da inalação de óxidos nitrosos, hidrocarbonetos e ozônios presentes no ar poluídos.
Os olhos ardem e ficam avermelhados, irritados pelas mesmas substâncias que atingem o nariz.
A garganta começa a "raspar". O quadro pode evoluirpara tosse e dor de garganta, por causa da combinação entre o dióxido de enxofre e o ozônio aspirado do ar contaminados.
Ao atingir os pulmões, os gases tóxicos podem causar mais problemas. E lá também se deposita a fuligem, um pó muito fino que sai dos escapamentos e carrega os poluentes. Juntos, eles diminuem a defesa do organismo e aumentam a possibilidade de problemas respiratórios, como bronquite e pneumonia.

Problemas cardiovasculares aumentam cerca de 10 por cento em decorrência da poluição.

Poluição Sonora

Esse tipo de poluição não tem muito destaque, porém pode causar muitos danos ao organismo, porque nós não nos preocupamos com ela.

Os causadores da poluição sonora são:

Os veículos que fazem ruídos e a sua buzina
As indústrias
As construções que utilizam máquinas baru lhentas
Casas noturnas que deixam o volume do som muito alto

Os ruídos são medidos por uma medida chamada decibel

Exemplo:

Uma floresta tem 18 decibéis
Um jato levantando vôo tem 125 decibéis, isso com o medidor a 100 metros do avião.
O som muito alto em walkman ou discman também prejudica a audição. Esses equipamentos sempre trazem um aviso quanto o volume, mas nem todos fazem o certo.

Atenção

As pessoas podem ficar surdas a partir do momento em que ouvirem algum som acima de 115 decibéis durante 7 minutos seguidos.

Para acabar com a poluição sonora devemos conversar e ouvir música em volume baixo.

Com relação aos ruídos das cidade, poderiam ser adotadas as seguintes medidas:

Redução no uso das buzinas de veículos
Multas contra lojas que fazem propagandas barulhentas
Recolhimento de veículos sem silenciadores
Redução de publicidade por auto falantes

Poluição Visual

Paredes pichadas, ruas cheias de placas de propaganda, "camadas" de cartazes, umas por cima das outras, faixas nos postes. Tudo isso é responsável pela poluição visual.

Essa forma de poluição não causa problemas de saúde, mas enfeia o ambiente, deixando-o sujo e bem menos repousante.

Ninguém tem dúvidas de que é muito melhor abrir a janela e ver um belo parque ajardinado do que enxergar viadutos e prédios cinzentos, com as laterais forradas de publicidade.

Um tipo particular de poluição visual é a luminosa. À primeira vista não parece, mas ela existe e, em excesso, causa diversos prejuízos.

A iluminação dos grandes centros urbanos é feita de qualquer maneira e com desperdício de energia, esse tipo de iluminação diminui a transparência da atmosfera, prejudicando a visão do céu noturno e atrapalhando o sono das pessoas que moram em frente dos luminosos.

Poluição Ambiental - Efeitos

Poluição Ambiental
Poluição Ambiental

Poluição do Ar

É caracterizada pela presença de gases tóxicos e partículas líquidas ou sólidas no ar.

Os escapamentos dos veículos, as chaminés das fábricas, as queimadas estão constantemente lançando no ar grandes quantidades de substâncias prejudiciais à saúde.

As causas da Poluição Atmosférica

Nos grandes centros urbanos e industriais tornam-se freqüentes os dias em que a poluição atinge níveis críticos.

Os escapamentos dos veículos automotores emitem gases como o monóxido (CO) e o dióxido de carbono (CO2 ), o óxido de nitrogênio (NO), o dióxido de enxofre (SO2 ) e os hidrocarbonetos. As fábricas de papel e cimento, indústrias químicas, refinarias e as siderúrgicas emitem óxidos sulfúricos, óxidos de nitrogênio, enxofre, partículas metálicas (chumbo, níquel e zinco) e substâncias usadas na fabricação de inseticidas.

Produtos como os aerossóis, espumas plásticas, alguns tipos de extintores de incêndio, materiais de isolamento de construção, buzinas de barcos, espumas para embalagem de alimentos, entre vários outros liberam clorofluorcarbonos (CFCs).

Todos esses poluentes são resultantes das atividades humanas e são lançados na atmosfera.

Os efeitos

A emissão excessiva de poluentes tem provocado sérios danos à saúde como problemas respiratórios (Bronquite crônica e asma), alergias, lesões degenerativas no sistema nervoso ou em órgãos vitais e até câncer. Esses distúrbios agravam-se pela ausência de ventos e no inverno com o fenômeno da inversão térmica (ocorre quando uma camada de ar frio forma uma parede na atmosfera que impede a passagem do ar quente e a dispersão dos poluentes). Morreram em decorrência desse fenômeno cerca de 4.000 pessoas em Londres no ano de 1952.

Os danos não se restringem à espécie humana. Toda a natureza é afetada. A toxidez do ar ocasiona a destruição de florestas, fortes chuvas que provocam a erosão do solo e o entupimento dos rios.

No Brasil, dois exemplos de cidades totalmente poluídas são Cubatão e São Paulo.

Os principais impactos ao meio ambiente são a redução da camada de ozônio, o efeito estufa e a precipitação de chuva ácida.

A redução da Camada de Ozônio

A camada de ozônio protege a terra dos raios ultravioleta do sol, que são extremamente prejudiciais à vida. Ela está situada na faixa de 15 e 50 Km de altitude.

Os CFCs (clorofluorcarbonos) são compostos altamente nocivos a este escudo natural da terra. O CFC é uma mistura de átomos de cloro e carbono. Presentes no ar poluído, o CFC é transportado até elevadas altitudes quando é bombardeado pelos raios solares ocasionando a separação do cloro e do carbono. O cloro, por sua vez, tem a capacidade de destruir as moléculas de ozônio. Basta um átomo de cloro para destruir milhares de moléculas de ozônio (O3 ) formando um buraco, pelo qual, os raios UV passam chegando a atingir a superfície terrestre.

Em 1985 os cientistas descobriram um buraco na camada de ozônio sobre a Antártida o qual continua se expandindo. A redução do ozônio contribui para o efeito estufa.

Efeito Estufa

É a elevação da temperatura da terra provocado pela introdução na atmosfera de excessivas quantidades de gases estranhos. O principal agente causador do efeito estufa é o gás carbônico (CO2 ) resultante da combustão do carvão, lenha e petróleo.

Esse efeito é semelhante à dos vidros fechados de um carro exposto ao sol. O vidro permite a passagem dos raios solares, acumulando calor no interior do veículo, que fica cada vez mais quente.

As conseqüências desse fenômeno são catastróficas como o aquecimento e a alteração do clima favorecendo a ocorrência de furacões, tempestades e até terremotos; ou o degelo das calotas polares, aumentando o nível do mar e inundando regiões litorâneas; ou afetando o equilíbrio ambiental com o surgimento de epidemias.

Chuva Ácida

A queima incompleta dos combustíveis fósseis pelas indústrias e pelos veículos produzem o gás carbônico junto com outras formas oxidadas do nitrogênio e do enxofre que são liberados para a atmosfera.

Juntando o dióxido de enxofre e o vapor d'água forma-se o ácido sulfúrico que cai sobre a superfície terrestre em forma de chuva.

As conseqüências disto são a acidez dos lagos ocasionando o desaparecimento das espécies que vivem neles, o desgaste do solo, da vegetação e dos monumentos.

Algumas medidas para solucionar os problemas da Poluição do Ar:

A existência de uma rigorosa legislação antipoluição, que obrigue as fábricas a instalarem filtros nas suas chaminés, a tratar os seus resíduos e a usar processos menos poluentes. Penalizações para as indústrias que não estiverem de acordo com as Leis
Controle rigoroso dos combustíveis e sobre seu grau de pureza
Criação de dispositivos de controle de poluição
Vistoria nos veículos automotores para retirar de circulação os desregulados. Nos modelos mais antigos a exigência de instalação de filtros especiais nos escapamentos
Aplicação de rodízio de carros diariamente
Incentivar as pessoas a deixarem seus carros em casa pelo menos dois dias, organizando assim, um sistema de caronas e a utilizarem mais os transportes coletivos
Melhoria e segurança no sistema de transporte coletivo
Recolhimento de condicionadores de ar, geladeiras e outros produtos que usam CFC
Incentivo às pesquisas para a elaboração de substitutos do CFC
Investimentos nas fontes alternativas de energia e na elaboração de novos tipos de combustíveis como o álcool vegetal (carros), extraído da cana-de-açúcar e do eucalipto, e do óleo vegetal (substitui o óleo diesel e o combustível para a aviação), extraído da mamona, do babaçu, da soja, do algodão, do dendê e do amendoim
Melhor planejamento das cidades, buscando a harmonia entre a natureza e a urbanização
Maior controle e fiscalização sobre desmatamentos e incêndios nas matas e florestas
Proteção e conservação dos parques ecológicos
Incentivo à população para plantar árvores
Campanhas de conscientização da população para os riscos da poluição
Cooperação com as entidades de proteção ambiental.

Poluição das Águas

É o lançamento ou infiltração de substâncias nocivas na água. As atividades agrícolas, industriais, mineradoras, os esgotos e a intolerância do homem são as principais fontes de poluição das águas.

As causas da Poluição das Águas:

Desde a antigüidade o homem já lançava os seus detritos na água, porém, esse procedimento não causava muitos problemas, pois os rios, oceanos e lagos têm o poder de autolimpeza. Depois da Revolução Industrial o volume de detritos despejados nas águas aumentou bruscamente, comprometendo a capacidade de purificação dos rios, oceanos e lagos.

Entre as substâncias despejadas estão os compostos orgânicos, minerais, derivados do petróleo, chumbo e mercúrio , pelas indústrias; fertilizantes, pesticidas e herbicidas, pela agricultura.

A poluição das águas também é causada pelos esgotos das cidades e regiões agrícolas.

Os efeitos

São lançados diariamente 10 bilhões de litros de esgoto que poluem rios, lagos, oceanos e áreas de mananciais .

Os compostos orgânicos lançados nas águas provocam um aumento no número de microrganismos decompositores. Esses microrganismos consomem todo o oxigênio dissolvido na água; com isso, os peixes que ali vivem podem morrer, não por envenenamento, mas por asfixia.

As fezes quando erradamente conduzidas às águas das estações de tratamento podem contaminar os rios e lagos. As fezes acumulam-se na superfície da água, impedindo a entrada de luz. Os vegetais que vivem no fundo dos rios e lagos, como as algas, ficam impossibilitados de realizar a fotossíntese e, conseqüentemente, de produzir oxigênio. Os animais que alimentam-se dessas algas acabam morrendo. Sobrevivem apenas as bactérias anaeróbias que são capazes de viver na ausência de oxigênio. Essas bactérias podem causar males à saúde humana.

Entre as doenças causadas direta ou indiretamente pela água contaminada estão a disenteria, a amebíase, a esquistossomose, a malária, a leishmaniose, a cólera, entre várias outras.

Os oceanos recebem boa parte dos poluentes dissolvidos nos rios e riachos, além do lixo dos centros industriais e urbanos. Em muitas regiões litorâneas, onde isso ocorre, as praias tornam-se impróprias para o banho de mar.

O excesso de material orgânico no mar acabam formando as chamadas "marés vermelhas", que matam os peixes e tornam os frutos do mar impróprios para o consumo.

O vazamento de óleo dos navios petroleiros é outro grave agente de poluição. Anualmente, 1 milhão de toneladas de óleo espalham-se pela superfície dos oceanos causando verdadeiros desastres ecológicos. As manchas negras prejudicam a fauna e a flora marítimas.

Um dos mais graves acidentes com petroleiros ocorreu no Alasca em março de 1988 com o petroleiro americano Exxon Valdez. O petroleiro chocou-se contra os recifes derramando 40 milhões de litros de óleo no oceano. Vários animais morreram aos milhares e os que sobreviveram ficaram intoxicados propagando os efeitos do acidente. Segundo os cientistas serão necessários pelo menos duas décadas para que o Alasca se recupere e dificilmente serão restabelecidas as condições ambientais anteriores.

Na agricultura, os fertilizantes , os pesticidas e herbicidas são arrastados para os rios com as chuvas. O contato desses poluentes com o solo ou com a água podem contaminar os lençóis freáticos.

Algumas medidas para solucionar os problemas da Poluição das Águas:

A existência de Leis mais rigorosas que obriguem as indústrias a tratarem seus resíduos antes de lançá-los nos rios e oceanos. Penalizações para as indústrias que não estiverem de acordo com as Leis. No caso de reincidência o seu fechamento é inevitável
Investimentos nas áreas de fiscalização dessas indústrias
Ampliação da rede de esgotos
Saneamento básico para todos
Investimentos na construção de navios mais seguros para o transporte de combustíveis
Melhoramentos no sistema de coleta de lixo
Implantação de novas estações de tratamento de esgotos
Campanhas publicitárias, buscando a explicação de técnicas de saneamento para a população carente
Campanhas de conscientização da população para os riscos da poluição
Criação de produtos químicos mais seguros para a agricultura
Cooperação com as entidades de proteção ambiental.

Poluição do Solo

É a contaminação do solo por resíduos industriais ou agrícolas transportados pelo ar, pela chuva e pelo homem.

O uso indevido do solo e de técnicas atrasadas na agricultura, os desmatamentos, as queimadas, o lixo, os esgotos, a chuva ácida, o efeito estufa, a mineração são agentes causadores do desgaste de nossa litosfera.

As causas da Poluição do Solo:

Na agricultura os inseticidas usados no combate às pragas prejudicam o solo, a vegetação e os animais. O DDT é o mais comum desses inseticidas.

As técnicas atrasadas utilizadas na agricultura como a queima da vegetação para depois começar o plantio. O terreno fica exposto ao sol e ao vento ocasionando a perda de nutrientes e a erosão do solo.

O lixo também tem o seu papel importante na degradação do solo. Devido a sua grande quantidade e composição ele contamina o terreno chegando até a contaminar os lençóis de água subterrâneos. O mesmo acontece com os reservatórios de combustíveis dos postos, pois eles ficam enterrados no solo, correndo o risco de vazamento devido a corrosão do material usado no revestimento dos reservatórios.

A mineração com as suas escavações em busca de metais, pedras preciosas e minerais continua devastando e tornando improdutível o nosso precioso solo.

A imprudência, o consumismo, o desperdício e a ganância humana tratam de prosseguir essa deterioração.

Os efeitos:

Os inseticidas quando usados de forma indevida, acumulam-se no solo, os animais se alimentam da vegetação contaminada prosseguindo o ciclo de contaminação. Com as chuvas, os produtos químicos usados na composição dos pesticidas infiltram no solo contaminando os lençóis freáticos e acabam escorrendo para os rios continuando a contaminação.

O gado quando come o pasto envenenado, transmite as substâncias tóxicas para a sua carne e para o leite que vão servir de alimento para o homem.

Dentre as doenças causadas pelo solo contaminado estão a ancilostomose (amarelão), a teníase e verminoses como a ascaridíase (áscaris ou lombrigas) e a oxiurose causada pelo oxiúro.

O lixo acumulado além de destruir a vegetação, contribui para a poluição do ar com o mau cheiro e com a fumaça produzida pela incineração, chegando a contaminar os lençóis de água subterrâneos com a infiltração de lixo tóxico.

O uso indiscriminado do solo traz sérios efeitos como a erosão (é o desgaste do solo) e o aumento da desertificação.

Desertificação

É um processo ocorrido em áreas próximas aos desertos (como no centro da África) ou em regiões semi-áridas (como no sertão nordestino do Brasil). Ocorrem nessas áreas um ressecamento, devido a perda de água pelos processos de evaporação ou escoamento ser superior àquela fornecida pelas chuvas.

A desertificação atual é resultante principalmente da ação humana, que devasta a vegetação nativa por meio de grandes queimadas e introduz plantas rasteiras que não protegem o solo da ação solar e da erosão.

Com o desmatamento o solo fica totalmente exposto ao sol. Como conseqüência disso, ocorre uma contínua evaporação, até mesmo da água presente nas regiões mais profundas. Essa água, subindo para a superfície, traz consigo sais de ferro e outros minerais que se precipitam na superfície formando crostas com o aspecto de ladrilhos.

Essas crostas são impermeáveis contribuindo para a desertificação.

Os cientistas constataram que as excessivas derrubadas das matas influem nos níveis pluviométricos o que ocasiona o desaparecimento de espécies vegetais e animais.

Algumas medidas para solucionar os problemas da Poluição do Solo:

A elaboração de Leis mais práticas e rigorosas que defendam as florestas, as matas e todo o tipo de patrimônio ambiental. Com penalizações severas para as pessoas que continuarem devastando e poluindo o nosso ambiente
Elaboração de substitutos para os inseticidas
Campanhas educativas que alertem o perigo do uso dos agrotóxicos sem a indicação técnica de um agrônomo especializado
Reforma Agrária
Divulgação e uso de técnicas avançadas na agricultura como o controle biológico de pragas (técnica que utiliza outros animais que se alimentam daquele que é o agente da praga, sem prejudicar os vegetais e o solo)
Investimento e melhoria nos projetos de irrigação
Financiamentos para agricultura e para o homem do campo, dando-lhe condições para viver e se sustentar no campo
Investimentos nos projetos de transposição das águas
Participação da população nas campanhas de reflorestamento
Saneamento básico para todos
Instalação de estações de tratamento e reciclagem de lixo
Incentivo para as empresas privadas investirem na coleta do lixo reciclável
Campanhas de conscientização da população à consumirem só o necessário, à reciclarem o seu lixo ou pelo menos cooperar com o trabalho de coleta.

Fontes Alternativas de Energia

São tipos de fontes geradoras de energia, que não afetam o meio ambiente e futuramente substituirão os combustíveis fósseis.

Biomassa e os Biodigestores

" Biomassa é um termo genérico para qualquer produto natural que se decomponha por fotossíntese." (BERLE, Gustav. O Empreendedor do verde. São Paulo, Mc Graw-Hill, 1992, 18 p.)

Biomassa é o conjunto de organismos que podem ser aproveitados como fonte de energia: a cana-de-açúcar e o eucalipto (dos quais se extrai álcool), o plâncton, restos de madeira, alguns óleos vegetais (amendoim, soja, dendê), excreções de animais e lixo orgânico.

São energias que não produzem poluição, que não esgotam e ainda ajudam na eliminação do lixo.

Os biodigestores são aparelhos que reaproveitam os resíduos para a produção de gás. Esse gás é liberado através da decomposição, feita pela ação de certas bactérias sobre o lixo e resíduos, depois da retirada de alguns materiais como o plástico e o vidro.

O gás produzido é usado como combustível para automóveis ou até para turbinas que geram eletricidade.

As usinas de biogás causam menos impacto ambiental e não oferecem riscos em caso de acidentes.

Vários países já utilizam biodigestores, até mesmo o Brasil, principalmente nas zonas rurais. A única barreira desse tipo de fonte de energia é o alto custo do seu aproveitamento.

Energia Eólica

É um tipo de fonte de energia que utiliza a força dos ventos para a movimentação de hélices e obtenção de energia.

As ilhas eólicas são constituídas de vários cata-ventos geralmente dispostos ao longo do litoral ou nas montanhas.

Esses cata-ventos são compostos de três partes: hélice, gerador e base.

A energia eólica já era utilizada há milhares de anos em moinhos para o bombeamento da água, movimentação de embarcações e agora pesquisada para a obtenção de eletricidade.

Na Califórnia, uma fazenda eólica com 500 torres, gera energia equivalente à produzida por duas usinas nucleares.

O Brasil também utiliza desse tipo de energia, principalmente por ser um país com um vasto litoral propício à instalação de ilhas eólicas. No Ceará, mais especificamente em Fortaleza foi a cidade brasileira pioneira a ter um complexo eólico.

Um processo não poluente de obtenção de energia, mas que tem como empecilho o custo elevado .

Energia Geotérmica

É um tipo de fonte de energia que tem como matéria prima o calor proveniente do interior da terra (Geo, terra; térmico, relativo ao calor).

Quanto mais se entra no subsolo, em direção ao centro da terra, o calor aumenta gradativamente. Em profundidades superiores a 5000 km a temperatura fica em torno dos 4000 °C.

Em países como a Islândia e a Nova Zelândia as usinas geotérmicas utilizam os géiseis como fonte de energia. Os géiseis são fontes de água quente, com temperaturas às vezes superiores a 100 °C. A água ou vapor d'água é expelido verticalmente com períodos que vão de horas ou até semanas. Já existem reservas subterrâneas de água quente no sul da Califórnia.

Essa energia segura para o ambiente e de obtenção mais barata que os combustíveis fósseis ou usinas nucleares. A emissão de CO2 (gás carbônico) e SO2 (dióxido de enxofre) é praticamente nula.

Energia Solar

O sol, além de participar dos processos mais importantes da terra (evaporação, fotossíntese ...) irradia uma energia importantíssima para a vida; sem essa energia não existiria vida na terra.

Os raios solares possuem uma quantidade fantástica de energia. O problema é descobrir como aproveitar e armazenar esse tipo de energia.

Atualmente, a energia solar é utilizada nos sistemas de aquecimento de algumas casas e de água. Na indústria eletrônica, em vários aparelhos como calculadoras, televisores, relógios, entre outros.

As células fotoelétricas, finas como papel, recebem essa energia que é depois armazenada em baterias solares. Desse modo, a energia solar é transformada em energia elétrica.

O mercado está desenvolvendo vários aparelhos, veículos e utensílios que funcionam através de energia solar. Existem lâmpadas de metal halógeno que funcionam por esse sistema e com alta eficiência.

A indústria automobilística também está correndo atrás desse tipo de energia que, futuramente, será a base de toda a produção de energia. Existem carros, ainda em fase experimental, movidos por energia solar que chegam até a atingir uma velocidade de 220 km/h.

Os países que estão mais avançados em relação à utilização da energia solar são o Japão, Alemanha e Estados Unidos.

A maior central solar do mundo está localizada na Califórnia: 1818 espelhos orientáveis fornecem uma potência elétrica de 10 megawatts.

O surpreendente é que um país tropical como o Brasil pouco utiliza esse tipo de energia.

As instalações de energia solar têm um impacto ambiental nulo ou muito pequeno. Um aquecedor de água solar pode eliminar cerca de 681 quilos de dióxido de carbono que iriam para atmosfera em apenas um ano.

Reciclagem

É o processo de transformação de materiais usados em novos produtos. A reciclagem é usada para a eliminação de uma parte do lixo sólido.

Dentre os materiais que podem ser reciclados estão: o vidro, o aço, o plástico, o óleo de motor, o óleo diesel, a gasolina, o querosene, as baterias e o ácido de bateria, as latas de alumínio, o papel, o jornal entre vários outros.

Depois de reciclados, esses materiais são reaproveitados, podendo ser encontrados em produtos como livros, fitas de áudio e vídeo, lâmpadas fluorescentes, concreto, bicicletas, baterias, pneus de automóveis e uma série de outros.

A reciclagem, além de ajudar na preservação dos recursos primários da natureza ainda permite a redução do lixo e a diminuição da poluição do ar, da água e do solo. Traz também economia de energia e de água na produção.

Atualmente, apenas cerca de 10% de todo o lixo reciclável é realmente reprocessado. O Japão, que não tem tanto espaço para desperdiçar, reutiliza 50% do seu lixo sólido. Nesse país são comuns diversos tipos de reciclagem, como o reaproveitamento da água do chuveiro na privada.

A Europa Ocidental recupera 30% do seu lixo e os Estados Unidos reciclam 11%. Nesse país, a produção de detrito por pessoa é o dobro da de qualquer outro país. Nova York é a cidade que mais produz lixo no mundo, uma média diária de 13.000 t.

O Brasil não fica fora quanto ao processo de reciclagem, pois junto com os Estados Unidos, lidera a reciclagem de latas reaproveitando 60% das latas produzidas.

As empresas têm papel importante na reciclagem, seja reciclando seus produtos, criando novos produtos biodegradáveis ou que sejam recarregáveis, como algumas pilhas existentes no mercado que possuem um recarregador, evitando o acúmulo delas nos aterros e a contaminação do solo no caso de vazamento.

A reciclagem não pode ser só feita em grandes indústrias, pode ser feita também em casa ou no escritório. Em casa pode-se optar por lâmpadas fluorescentes, pois esse tipo de lâmpada produz menos calor e consome menos energia. No escritório em vez de utilizar copinhos de plástico descartáveis, que provocam poluição e não são biodegradáveis, melhor seria usar xícaras ou canecas que são ótimos presentes de aniversário ou de natal.

Todos podem ajudar, só depende da consciência de cada um. Com as empresas cooperando e a população ajudando com a reciclagem, com certeza, o retorno será melhor.

Conclusão

O modelo econômico capitalista é uma das barreiras que impedem a consciência ambiental. O capitalismo é um sistema econômico voltado para a produção, lucro e acumulação de riquezas. Lucros a curto prazo e acumulação de riquezas nas mãos de poucos.

A base do capitalismo é o consumismo. Quanto maior o consumo, mais lixo e quanto maior o número de lixo, maior a poluição. Antigamente a energia eólica era a base para a irrigação na agricultura, produção de energia elétrica entre várias outras funções.

Depois da Revolução Industrial a utilização e o comércio dos produtos movidos por combustíveis fósseis fez com que esta prática não poluente de energia fosse esquecida. Se esta prática tivesse continuado estaríamos hoje bem mais adiantados, o que não ocorreu justamente por causa da necessidade de consumir do nosso modelo econômico chamado Capitalismo.

O mercado oferece diversos produtos que estão de acordo com as normas técnicas da EPA, Environmental Protection Agency (Departamento de Proteção Ambiental). Porém, o custo desses produtos é mais elevado. Um exemplo bem prático disso é uma pessoa que deseja comprar um carro que não polui o ar, movido a energia elétrica, ou seja, um carro que necessita de várias baterias para funcionar. Tudo isso aumenta o custo do carro. Por outro lado, existe um carro movido a combustível fóssil cujo preço é duas vezes menor do que um carro ecológico. Obviamente a pessoa irá escolher o mais barato pois é o que o seu dinheiro dá para comprar. O alto custo dos produtos não poluentes desestimula a população.

Portanto, a maior arma contra a poluição do mundo será a educação da população.

Recentemente, foi atribuído aos currículos escolares a disciplina Educação Ambiental, que ensina aos estudantes noções de Ecologia e de como viver bem consigo e com a natureza. Mas, nem todas as pessoas têm acesso a esta disciplina, por isso acabam cooperando para o aumento da devastação do meio ambiente.

Existem vários produtos nas prateleiras como videocassetes, aerossóis, removedores de poeira, sprays para cabelo, antigos aparelhos de ar condicionado e vários outros que na sua composição possuem CFCs, que são compostos altamente nocivos à camada que protege a terra dos raios solares. Certamente a pessoa que não tem conhecimento sobre o assunto levaria o produto sem saber que estava ajudando a acabar com a vida na terra.

A preocupação deve ser de todos, principalmente, dos fabricantes na elaboração e composição dos produtos sem o uso do CFC (clorofluorcarbono).

Mas, os maiores poluídores do mundo não são as fábricas e os esgotos e sim as atividades feitas pelo homem. Somente ele tem a capacidade de reverter esse quadro de devastação mundial. O nosso futuro depende do controle da devastação e da emissão de gases, no conservacionismo, no uso de fontes alternativas de energia não poluentes, na reciclagem, no reflorestamento e, principalmente, na conscientização de toda a população mundial de que a nossa biosfera atual, que até agora foi o nosso único hábitat, é também a única que temos possibilidade de ter e que devemos fazer de tudo para garantir que ela continue habitável.

Poluição Ambiental - Tipos

Poluição do ar: os seguintes agentes poluidores normalmente estão presentes nos resíduos industriais, fumaça de indústrias e fábricas, combustão de carvão, testes atômicos, queima de lixo e gases dos escapamentos dos veículos.
Poluição das águas:
são os principais responsáveis os esgotos domésticos e industriais, as graxas e sabões que não se degradam, os produtos agroquímicos e fertilizantes que são lançados na água, destruindo a fauna e flora dos rios.
Poluição do solo:
os produtos químicos em geral, herbicidas, pesticidas, o lixo (mesmo que doméstico) empobrecem o solo. O desmatamento e a queimada também levam à degradação e à erosão do solo.
Poluição sonora:
as principais fontes de ruído são o trânsito de veículos, as obras de construção civil, as indústrias, os bares, o comércio e os serviços, as máquinas e equipamentos em geral, as academias de ginástica e dança.
Poluição visual:
as propagandas veiculadas através de faixas, cartazes, placas, painéis, letreiros, as pichações dos grafiteiros, as edificações e monumentos mal cuidados são os principais responsáveis pela poluição visual.
Poluição radioativa:
a exposição às radiações, produzidas pelo homem, podem ocorrer de diversas maneiras »» medicina e odontologia (raios X e radioisótopos), testes nucleares, explosões atômicas, usinas e detritos nucleares, TV a cores e microondas dentre outros. Estas radiações podem afetar o ar, o solo, as águas doces e salgadas e os seres vivos.

Poluição ambiental e os veículos automotores

Poluição é a contaminação do meio ambiente – ar, água e solo – por resíduos nocivos resultantes da atividade humana e caracteriza-se pela presença de resíduos sólidos, líquidos ou gasosos em quantidade superior à capacidade do meio ambiente de absorvê-los.

As diferentes formas de poluição afetam a composição e o equilíbrio da atmosfera, interferem na cadeia alimentar, alteram os mecanismos naturais de proteção do planeta, prejudicam as espécies animais e vegetais existentes e podem ameaçar sua reprodução.

Poluição da água – A maior parte da poluição da água vem de fábricas e residências. Produtos químicos, fezes humanas e de animais, restos de lixo, animais mortos e outros tipos de resíduos são jogados em grande quantidade nas águas dos rios, dos lagos, das represas e dos mares. O enorme volume de detergentes e outros produtos de limpeza doméstica lançados nos rios forma espessas camadas de espuma mortal a várias formas de vida aquática. Uma grande parte dessas substâncias não é biodegradável, isto é, não é decomposta por micróbios. Por isso, sua concentração se torna cada vez maior. O uso dos veículos também contribui para a poluição da água, através de efluentes dos processos de lavagem de veículos, troca de óleo e lubrificantes.

Poluição do solo – Resulta principalmente do uso de pesticidas destinados a eliminar as pragas que destroem as lavouras. Em geral, os pesticidas acabam envenenando todos os componentes da cadeia alimentar. Misturando-se à terra, os agrotóxicos passam para os produtos agrícolas. Com as chuvas, são arrastados para os lagos e rios, onde contaminam vegetais e peixes. Também os efluentes da lavagem de veículos, troca de lubrificantes e derrame de combustíveis concorrem para a poluição do solo.

Poluição sonora - Nos grandes centros, a poluição sonora já atingiu níveis preocupantes. A contribuição individual, nesse caso, pode ajudar muito. Para não somar mais ruído ao barulho provocado por ônibus, caminhões e motos, é fundamental manter o motor regulado, o escapamento em boas condições e usar a buzina em caso estritamente necessário. Trafegar com o sistema de escapamento modificado ou danificado, além de aumentar consideravelmente o nível de ruído do veículo, constitui infração ao Código de Trânsito Brasileiro (Capítulo IX – Artigo 104).

O controle da poluição sonora para veículos automotores é determinado pela Resolução nº 01/93 do CONAMA. E a Resolução nº 20/96, de 24/10/96, define e proíbe que os veículos sejam equipados com itens de ação indesejável.

Poluição do ar

É causada principalmente pela queima de combustíveis para obter energia.

São identificadas como maiores fontes desse tipo de poluição: as fábricas; as usinas termelétricas; os veículos automotores, principalmente aqueles que empregam combustíveis derivados do petróleo, como gasolina e óleo diesel. Toda vez que a ignição é acionada, o combustível – gasolina, álcool ou diesel – produz a energia que move o veículo. Neste momento, ocorre um processo que libera gases e partículas na atmosfera. A poluição do ar também é causada pela evaporação do óleo do cárter, do combustível do tanque, do combustível que vai para o sistema de alimentação do motor, em menor escala, e pelo atrito dos pneus com o asfalto.

ORIGEM DOS POLUENTES PORCENTAGEM
Veículos

46,2%

Queima de combustíveis (exceto veículos)

27,3%

Resíduos industriais

15,0%

Outros

9,0%

Resíduos sólidos não industriais

2,5%

 

TIPO DE POLUENTE

PORCENTAGEM

Óxidos de carbono

49,1%

Material particulado

6,0%

Óxidos de enxofre

16,4%

Compostos orgânicos voláteis

13,6%

Óxidos de nitrogênio

14,8%

Fonte: www.uccee.org/www.trabalhoescolar.hpg2.ig.com.br/ramirofrancisco.vilabol.uol.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal