Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Gás Natural  Voltar

Gás Natural

 

Gás Natural

Gás Natural, que é uma mistura de hidrocarbonetos (Principalmente Metano), é um combustível sem cor e sem cheiro e que se caracteriza por ser mais limpo do que outros combustiveis fosséis. É uma das formas de energia mais populares nos dias de hoje. É usado para aquecer, para esfriar, para produzir eletricidade, e muitos outros usos, principalmente na indústria.

O Gás Natural é encontrado na maioria das vezes quando se está perfurando o solo aem busca de petróleo. O gás é trazido para a superfície e refinado. Geralmente o gás é transportado através de gasodutos. Fábricas e Geradoras de energia pegam o gás diretamente do gasoduto, reduzindo drásticamente seus custos operacionais. Os consumidores residênciais geralmente recebem o gás de uma distribuidora, que adiciona odor ao produto por medida de segurança.

Exploração

Nas primeiras procuras por gás e petroleo, as pessoas simplesmente olhavam para o terreno e tinha uma intuição sobre a possibilidade dele conter petróleo. Com o avanço do geologia e das tecnologias, as pessoas passaram a "ver" o subsolo, melhorando as chances e aumentando o cálculo das reservas.

Hoje as pessoas acridtam que o petróleo e seus derivados vieram da decomposição de animais. Processos naturais como a erosão levaram esses restos para debaixa de grandes camadas de terra.

O trabalho de encontrar petróleo (Ou Gás Natural), consiste em realizar eum estudo geológico do solo, e traçar uma mapa do mesmo, essa mapa é obtido por um processo chamado sismiologia: Basicamente é provocado um pequeno abalo sísmico, com dinamite por exemplo, e diversos sensores no solo registram a reação.

Gás Natural

Extração

A Parte mais complicada da extração é aperfuração das rochas até chegar no petróleo, é feito com grande maquinas que se assemelha a furadeiras mas que envolve muito mais energia e tecnologia.

Gás Natural

As plataformas permanentes são os marcos de uma economia centrada no petróleo. É a forma de extração mais cara existente, por isso o investimento só é justificado, por uma produção alta e duradoura e pela possibilidade de multiplas minas. Estãos entre as maiores estruturas já construídas pelos seres humanos.

Podem ser construídas sobre 150m de água. Feitas para durar, podem suportar ondas de até 18m de altura e ventos de até 165 Km/h. Chegama atingir até 130m em sua base e pesar até 550.000 toneladas.

O preço geralmente passa de US$ 1Bi são sustentadas por concreto, aço e pernas tensoras, que admitem certo grau de movimento.

Fonte: www.geocities.com

Gás Natural

Utilizado como matéria-prima nas indústrias siderúrgica, química, petroquímica e de fertilizantes, o Gás Natural fornece calor, gera eletricidade e força motriz, com a vantagem de ser menos poluente que outros combustíveis, como os derivados de petróleo e o carvão. Na área de transportes, tem a capacidade de substituir o óleo diesel, a gasolina e o álcool.

O Gás Natural é uma mistura de gases extremamente leves, com aproximadamente 90% de metano. É encontrado na natureza associado ao petróleo, existindo também poços apenas de Gás Natural. É considerado um combustível alternativo, mas não renovável. Queimar Gás Natural em veículos automotores poderá reduzir a poluição do ar nas grandes cidades, pois este combustível é bem menos poluente do que a gasolina, já que tem menos impurezas na sua composição.

Exploração

É o início da cadeia de suprimento da indústria petrolífera, que engloba a pesquisa geológica, que é realizada para identificar a existência de acúmulo de petróleo e/ou Gás Natural e a conseqüente perfuração de poço para a comprovação de sua efetiva existência.

Produção

Consiste na extração do combustível fóssil, e o processo de separá-lo de outras substâncias consorciadas, como a água e as partículas sólidas, através de Separadores.

Caso o gás possua uma quantidade elevada de enxofre, é levado para a Unidade de Desulferização para adequação. Após que, uma parte é consumida no próprio local para acionar as turbinas da termelétrica e outros equipamentos geradores de vapor e o restante é transportado para a Unidade de Processamento.

Processamento

Nas unidades de Processamento de Gás Natural - UPGN, o gás é desidratado e sofre o processo de fracionamento, que propicia a obtenção dos seguintes elementos: metano e etano; propano e butano (gás liquefeito utilizado em cozinha - GLP).

Transporte

No estado gasoso o Gás Natural é transmitido através de gasoduto, caso contrário é armazenado e transportado em cilindros de alta pressão, como Gás Natural Comprimido - GNC ou Gás Natural Liquefeito - GNL.

Gasoduto Bolívia-Brasil- Em julho de 1999 tem início a importação do Gás Natural proveniente da Bolívia, através do gasoduto Bolívia-Brasil. Nesse ano, são importados 400 milhões de metros cúbicos. Em 2000, o total salta para 2,210 bilhões de metros cúbicos, quantia superada já nos sete primeiros meses de 2001, quandose acumulavam 2,298 bilhões de metros cúbicos importados no ano.

Inaugurado em 1999, o gasoduto é considerado um dos maiores projetos de infra-estrutura do mundo, orçado em 2 bilhões de dólares. Entram em atividade 1.968 quilômetros, do total de 3.150 quilômetros previstos, ligando os municípios de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e Guararema, no interior de São Paulo.

Embora as tubulações permitam o transporte de até 30 milhões de metros cúbicos de gás por dia, o acordo inicial prevê o fornecimento de 9 milhões de metros cúbicos diários.

Distribuição

É a etapa que antecede o consumo, portanto tem que atender as especificações para uso, inclusive deverá possuir uma substância Odorante, para facilitar a sua percepção em caso de vazamento.

Utilização

O Gás Natural é um energético versátil e é adotado para uso residencial, comercial, industrial e automotivo.

Meio Ambiente

O Gás Natural, em relação a outros combustíveis fósseis, apresenta um menor grau de elementos poluentes.

No transporte por gasoduto, haja vista a distância percorrida, e na prospecção, pela metodologia envolvida, perfuração e uso de explosivos, acaba interferindo no meio ambiente.

PRÓ: É versátil, de alta eficiência na produção de eletricidade e não vai faltas. Polui menos que o carvão e o petróleo.

CONTRA: Os preços instáveis em algumas regiões; exige grandes investimentos em infa-estrutura de transporte(gasodutos ou terminais marítimos).

Fonte: www.cei.santacruz.g12.br

Gás Natural

Gás Natural no Brasil e no mundo

Gás Natural no mundo

Registros antigos mostram que a descoberta do Gás Natural ocorreu no Irã entre 6000 e 2000 AC e que, na Pérsia, utilizavam o combustível para manter aceso o "fogo eterno", símbolo de adoração de uma das seitas locais. O Gás Natural já era conhecido na China desde 900AC, mas foi em 211 AC que o país começou a extrair a matéria-prima com o objetivo de secar pedras de sal. Utilizavam varas de bambu para retirar o Gás Natural de poços com profundidade aproximada de 1000 metros.

Na Europa, o Gás Natural só foi descoberto em 1659, não despertando interesse por causa da grande aceitação do gás resultante do carvão carbonizado (town gas), que foi o primeiro combustível responsável pela iluminação de casas e ruas desde 1790. Já nos Estados Unidos, o primeiro gasoduto com fins comerciais entrou em operação na cidade de Fredonia, no Estado de Nova York, em 1821, fornecendo energia aos consumidores para iluminação e preparação de alimentos.

O Gás Natural passou a ser utilizado em maior escala na Europa no final do século XIX, devido à invenção do queimador Bunsen, em 1885 (por Robert Bunsen) - que misturava ar com Gás Natural -, e a criação de um gasoduto à prova de vazamentos, em 1890. Mesmo assim, as técnicas de construção eram modestas e os gasodutos tinham no máximo 160 km de extensão, impedindo o transporte de grandes volumes a longas distâncias, e, conseqüentemente, reduzindo a participação do GN no desenvolvimento industrial, marcado pela presença de óleo e carvão.

No final de 1930, os avanços na tecnologia de construção de gasodutos viabilizaram o transporte do GN para longos percursos. O mercado industrial do Gás Natural era relativamente pequeno até a II Guerra Mundial, quando então o Gás Natural tornou-se extremamente disponível. Entre 1927 e 1931, já existiam mais de 10 linhas de transmissão de grande porte nos Estados Unidos, mas sem alcance interestadual. A descoberta de vastas reservas também contribuiu para reduzir o preço do Gás Natural, que o tornou uma opção mais atraente que o "town gas".

O boom de construções pós-guerra durou até o ano de 1960 e foi responsável pela instalação de milhares de quilômetros de dutos, proporcionando pelos avanços em metalurgia, técnicas de soldagem e construção de tubos.

Desde então, o Gás Natural passou a ser utilizado em grande escala por vários países, devido às inúmeras vantagens econômicas e ambientais.

As perspectivas atuais de utilização do Gás Natural são extremamente positivas, já que a demanda por combustíveis não poluentes para a indústria, comércio e transportes, bem como, para geração termoelétrica aumenta expressivamente.

Gás Natural no Brasil

A utilização do Gás Natural no Brasil começou modestamente por volta de 1940, com as descobertas de óleo e gás na Bahia, atendendo a indústrias localizadas no Recôncavo Baiano. Depois de alguns anos, as bacias do Recôncavo, Sergipe e Alagoas eram destinadas quase em sua totalidade para a fabricação de insumos industriais e combustíveis para a refinaria Landulfo Alves e o Pólo Petroquímico de Camaçari.

O grande marco do Gás Natural ocorreu com a exploração da Bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro, na década de 80. O desenvolvimento da bacia proporcionou um aumento no uso da matéria-prima, elevando em 2,7% a participação do Gás Natural na matriz energética nacional.

O término do gasoduto Bolívia-Brasil representa um grande avanço no fornecimento de Gás Natural no país, com capacidade máxima de transportar até 30 milhões m³ diariamente. A implantação de 56 usinas do Programa Prioritário de Termoeletricidade 2000-2003, do Ministério de Minas e Energia, também contribuirá para o crescimento da oferta de energia, assegurando o fornecimento aproximado de 20 mil MW a várias regiões do território nacional.

Bacia de Santos

Recentemente foi encontrada uma enorme bacia de Gás Natural no litoral paulista.

O Bloco na Bacia de Santos, está localizado no megacampo de Mexilhão e em suas proximidades, e terá a produção equivalente ao volume contratado da Bolívia, de 30 milhões de metros cúbicos de gás por dia.

ENERGIA DE ORIGEM FÓSSIL

O Gás Natural é uma energia de origem fóssil que se encontra no subsolo e procede da decomposição de matéria orgânica retirada entre as camadas rochosas.

Sua origem fóssil provém da decomposição vegetal e animal há milhares de anos. Este processo de erosão levou remanescentes biológicos por meio de rios e riachos em direção às costas, onde foram depositados com lama e sedimentos. Através do tempo foram cobertos por mais e mais sedimentos e, gradualmente, comprimidos pelo peso das camadas dos mesmos.

Com a evolução, o material que continha, originalmente, remanescentes biológicos, tornou-se rocha sedimentar. Hoje, essas rochas sedimentares, arenitos, xistos e dolomita são os locais onde geralmente são encontrados os depósitos de petróleo e Gás Natural. Muitas vezes, eles ficam retidos entre as camadas de rocha que foram formadas sobre as rochas sedimentares que as produziram.

Como o Gás Natural é o combustível fóssil de queima mais limpa. Ajudam na manutenção da qualidade do ar e da água, especialmente quando usado em substituição a outras fontes de energia mais poluentes. O Gás Natural é um produto incolor e inodoro, não tóxico e mais leve que o ar.

Uma vez extraído do subsolo, deve ser transportado às zonas de consumo, que podem estar próximo ou a quilômetros de distância. O transporte de suas jazidas até as áreas de consumo se realiza por meio de tubos de aço de grande diâmetro, chamados de gasodutos.

Benefícios e vantagens do gás natural

Benefícios ecológicos do gás natural

Redução nas emissões de CO2 e portanto, redução do efeito estufa;
Redução nas emissões de SO2 e portanto, redução chuva ácida;
Redução nas emissões de NOx e partículas, portanto melhora a Qualidade de Vida;
Maior eficiência, portanto, economia de energia, além de menor emissão de contaminantes, melhorando a qualidade do ar.

Segurança

Dispensa armazenamento e estocagem de recipientes de alta pressão;
Por ser mais leve que o ar, dissipa-se rapidamente, diminuindo riscos;
Em sua instalação são aplicadas todas as normas de segurança brasileiras;
Equipe de emergências 24 horas à disposição.

Economia

Energia de fornecimento contínuo mais barata;
Baixo custo de manutenção dos equipamentos, aumentando sua vida útil.

Fornecimento Contínuo

Garantia de fornecimento contínuo.

Comodidade

Dispensa estocagem, evitando o manuseio de recipientes pesados;
Paga somente após o consumo;
O espaço pode ser melhor utilizado para conforto da moradia ou estabelecimentos comerciais.

Modernidade

Uma única energia com grande variedade de utilizações;
Permite um alto rendimento nos equipamentos;
O pagamento bancário pode ser feito através de débito automático.

Comparativo gás natural com outros energéticos:

   Atributos 

 Gás natural  

GLP (botijão)

 Energia elétrica

Abastecimento contínuo: Sim Não Sim
Potência disponível: Ilimitada Limitada à capacidade dos botijões Limitada
Uso simultâneo: Todos os aparelhos a gás Limitada à capacidade dos botijões Limitada
Pagamento: Depois de consumir Antes de consumir Depois de consumir
Controle de consumo: Controle preciso/medidor Sem controle Controle preciso/medidor
Aproveitamento: Total Restrito.Sobra até 10%de resíduos no botijão sem utilização Total
Impacto ambiental: Muito baixo Médio Alto
Garantia de peças e serviços: Sim  Não Não para instalações internas
Assistência técnica:  Sim Não Sim para alguns serviços

Composição Química

O GÁS NATURAL É UMA MISTURA DE VÁRIOS ELEMENTOS

Veja a tabela abaixo:

N2 CO2 C1 C2 C3 iC4 nC4 iC5 nC5
1,14 0,67 89,15 6,48 1,69 0,20 0,35 0,11 0,09
C4 H2O H2S Pto. Orvalho PCS PCI Densidade
0,11 24,05 0,73 -52,19 9,566 8,641 0,6289

 

Abreviação Composição Nome Média(%maior)
C1 Ch2 Metano 89,5
C2 C2h6 Etano 5,9
C3 C3H8 Propano 1,6
Nc4 NC4h60 n - Butano 0,3
IC4 IC4h60 i - Butano 0,2
IC5 IC5h62 i - Pentano 0,2
NC5 NC5h62 n - Pentano 0,1
C6+   Pesados 0,1
  Co2 Dióxido de carbono 1,3
  N2 Nitrogênio 1,7

Como é Encontrado na Natureza?

Pode ser de duas formas:

Gás Associado

Gás Natural
Reservatório Produtor de Óleo

Gás não Associado

Gás Natural
Reservatório Produtor de Gás

Onde Pode ser Utilizado?

Em qualquer processo de geração de calor e frio , aquecimento de água ou ambiente, ele tem múltiplas aplicações no lar, no comércio e na indústria.

Sua utilização em veículos automotivos e na climatização de ambientes éapenas uma amostra das inúmeras aplicações do Gás Natural:

Usos Residenciais

Para o cozimento de alimentos
No aquecimento da água (duchas e torneiras), inclusive a das piscinas
Para gerar eletricidade em horário de ponta
Em secadoras de roupas, lavadoras de louças, entre outros equipamentos
Nos aparelhos de ar refrigerado, para climatização de ambientes (lareiras e calefação).

Gás Natural Veicular (GNV)

É usado para o abastecimento de frotas
Abastecimento de táxis
Abastecimento de ônibus
Abastecimento de veículos particulares.

Usos Comerciais

Em restaurante, hotéis, motéis, padarias, lavanderias, hospitais, clubes, escolas, shopping centers, supermercados e academias de ginástica, entre outros
Para utilização em cozimento de alimentos, aquecimento e climatização de ambientes e aquecimento de água
Utilizado também em equipamentos como fornos, fogões industriais, churrasqueiras, fritadeiras, etc.

Usos Industriais

Na geração de energia elétrica ou térmica
Na alimentação de fornos e caldeiras
Na geração de vapor
Na secagem e cerâmica.

Fonte: portal.gasnatural.com

Gás Natural

O Gás Natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que, à temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso.

Na natureza, ele é encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo, frequentemente acompanhado por petróleo (gás associado), ou constituindo um reservatório (gás não associado).

O metano (Cb) é o principal componente do Gás Natural.

Composição típica do Gás Natural distribuído pela CEGÁS

Componentes Fórmula Porcentagem Volumétrica Propriedades
Metano CH4 89,24% Massa Específica (Kg/m3) 0,740
Etano C2H6 7,86% Densidade 0,613
Propano C3H8 0,24% PCS (Kcal/m3) 9.190
Iso-Butano iC4H10 - PCI (Kcal/m3) 8.293
N-Butano nC4H10 -  
Pentano C5H12 -
Dióxido de Carbono CO2 1,25%
Nitrogênio N2 1,34%
Oxigênio O2 0,07%

Aplicações

O Gás Natural, após tratado e processado é largamente utilizado em indústrias, no comércio, em residências e em veículos.

Na indústria, o Gás Natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, como matéria-prima em vários setores tais como: químicos, petroquímico, metalúrgico, plástico, cerâmico, vidros, farmacêutico, têxtil, borracha e pneus, papel e celulose, fertilizantes, como redutor siderúrgico, na geração de força motriz e eletricidade, mais recentemente em projetos de co-geração de alta eficiência energética.

No comércio e serviços, é utilizado em restaurantes, bares, hotéis, hospitais, shoppings e supermercados, substituindo com vantagens o GLP, óleo diesel e a lenha.

Em residências, o Gás Natural substitui também o GLP. Sendo distribuído de forma canalizada, elimina o uso de botijões, aumentando a segurança das instalações.

O GÁS NATURAL VEICULAR (GNV)

O Gás Natural vem sendo utilizado em veículos a várias décadas em diversos países como a Argentina, Itália, USA, entre outros, em substituição ao uso da gasolina e álcool com grandes vantagens.

No Brasil, já se pode quase atravessar o país indo de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, a Fortaleza, no Ceará, utilizando o Gás Natural como combustível.

O uso do Gás Natural em veículos proporciona aos usuários diversas vantagens.

Benefícios

Vários são os benefícios gerados pelo Gás Natural:

Estímulo à instalação de novas indústrias
Combustível menos poluente - Aumento da oferta de empregos
Aumento da demanda por Bens e Serviços
Maior produtividade e menores custos para os usuários
Aumento da disponibilidade de energéticos

Vantagens do Uso

Várias são as vantagens do uso do Gás Natural nos diversos segmentos em que é utilizado, a saber:

AMBIENTAIS E DE SEGURANÇA

Não apresenta restrições dos Órgãos Ambientais, melhorando a qualidade do ar;
Dispensa equipamentos de controle de emissões;
Reduz sensivelmente a emissão de Particulados, não emite cinzas e praticamente elimina a emissão de compostos de enxofre;
Não utiliza água adicional, como nos lavadores de gases;
Não depende de desmatamento/reflorestamento;
Dispensa a manipulação de produtos químicos perigosos;
Não se acumula no ambiente, é mais leve do que o ar.

QUALIDADE DO SEU PRODUTO FINAL

O calor do energético queimado pode ser aplicado diretamente ao produto;
Evitam-se impurezas e o depósito de compostos contaminantes;
Não altera a coloração do produto;
Alcançam-se curvas de temperatura ideais;
Garantia de padrões elevados de qualidade, proporcionando maior competitividade nos mercados mais nobres.

OPERACIONAIS

Combustão completa e elevado rendimento térmico;
Reduz o tempo e o número de paradas para manutenção, aumentando a vida útil dos equipamentos;
Dispensa estocagens perigosas;
Reduz o movimento de caminhões e de terceiros na fábrica;
Maior segurança operacional;
É fornecido continuamente, podendo atender à variações abruptas de vazão.

ECONÔMICAS

Não tem frete rodoviário;
Não exige gasto de energia com o pré-aquecimento para queima;
Elimina o custo financeiro de estocagem;
Reduz o seguro por não estocar combustível inflamável;
Diminui os custos de operação e manutenção;
Retarda os investimentos em troca de equipamentos;
É pago somente após a utilização;
Possibilita a utilização de rede existente;

USO VEICULAR

Combustível limpo e seguro;
Mais barato que os outros combustíveis;
Economia de mais 60% nos gastos com o veículo;
Maior versatilidade:
com o kit de conversão o veículo torna-se Bi-Combustivel;
A queima do Gás Natural não provoca depósitos de carbono nas partes interna do motor, aumentando sua vida útil e prolongando o tempo de troca de óleo.

Produto Seguro

O Gás Natural é reconhecidamente muito mais seguro que os demais combustíveis. Sendo mais leve que o ar, em caso de eventual vazamento, o gás se dissipa rapidamente na atmosfera, diminuindo o risco de explosões e incêndios. Além disso, para que o Gás Natural se inflame, é preciso que seja submetido a uma temperatura superior a 620ºC ( o álcool se inflama a 200ºC , a gasolina a 300ºC e o GLP a 410/500ºC).

Para facilitar a identificação de um possível vazamento, compostos à base de enxofre são adicionados ao gás (que é inodoro), em concentrações suficientes para lhe dar um cheiro marcante, mas sem lhe atribuir características corrosivas, num processo conhecido como odorização.

Como Consumir

Para usufruir de todas as vantagens que o Gás Natural oferece, a CEGÁS está apta a lhe prestar todas as informações necessárias.

Podemos assessorar nossos clientes em todas as etapas de implantação do Gás Natural, desde a fase de avaliação econômica até o projeto, implantação do Gás Natural e acompanhamento operacional.

Gás Natural

O Gás Natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves que na temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso, com características adequadas para ser utilizado como combustível em instalações industriais, comerciais, residenciais e como matéria prima em indústrias químicas, siderúrgicas e de fertilizantes. Na natureza ele é encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo e, também , associado ao petróleo.

Qual é a reserva e o consumo de Gás Natural no Brasil?

Com as recentes descobertas, a reserva total de Gás Natural do Brasil indica um volume de aproximadamente 630 bilhões de m³ de Gás Natural e o consumo médio de Gás Natural em é de cerca de 42 milhões de m³ por dia.

O Gás Natural como combustível causa danos ao meio ambiente?

Em todo o mundo, o Gás Natural é considerado um combustível ecològica-mente correto, exatamente por sua característica de baixa emissão de poluentes, uma vez que sua queima é quase total, tanto nos motores dos veículos como nos fornos e caldeiras industriais. Atualmente, as políticas de governo vêm incentivando sua adoção nas frotas de transporte coletivo, como forma de melhorar a qualidade do ar, principalmente nos grandes centros urbanos.

Qual a extensão total do gasoduto Bolívia-Brasil e quais as informações principais sobre a obra?

O Gasoduto Bolívia-Brasil tem 3.150 km de extensão, sendo 2.593 no Brasil e 557 na Bolívia. Este empreendimento onera US$ 2 bilhões estando previsto um faturamento de US$ 762 milhões em 2004, quando estará operando a plena carga, ligando Santa Cruz de La Siera, na Bolívia a Porto Alegre, no R.G. do Sul, depois de passar por Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná e Santa Catarina, atravessando 4 mil propriedades em 122 municípios. A obra utiliza tubulações de 32 polegadas de diâmetro, pesando 540 mil toneladas. O gerenciamento da construção e operação do gasoduto estão a cargo da TBG - Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil.

Onde se encontram as principais reservas brasileiras de Gás Natural?

Elas estão localizadas na Bacia de Campos (RJ), Bacia de Santos (SP) e Campos de Urucu e Juruá (AM).

Quais os dispositivos de segurança dos dutos existentes?

Os oleodutos, gasodutos e polidutos são construídos dentro das normas internacionais mais rigorosas. Em alguns casos as normas são superadas, como nas travessias de zonas urbanas, onde as medidas de segurança são redobradas. Os dutos são construídos com chapas que recebem vários tratamentos contra corrosão e passam por inspeções freqüentes, através de modernos equipamentos e monitoramento à distância. Entre os dispositivos de segurança estão válvulas de bloqueio, instaladas em vários intervalos das tubulações para impedir a passagem de produtos, em caso de anormalidades, preservando as condições naturais das áreas marginais.

Como é definida a tarifa do Gás Natural?

O valor da tarifa do Gás Natural segue o estabelecido no contrato de concessão firmado entre o Governo do Estado do Ceará e a CEGÁS. Segundo este contrato, a Tarifa Média Máxima Permitida corresponde ao custo de compra do gás acrescida da margem bruta de distribuição. Essa margem é definida anualmente, de acordo com o orçamento aprovado pelo Conselho de Administração da companhia, com base numa avaliação de custos operacionais, investimentos e projeção de vendas.

Qual a diferença entre tarifa média máxima permitida e as tarifas praticadas pela Cegás?

A tarifa média praticada pela CEGÁS não pode ser superior à Tarifa Média Máxima Permitida. Para definir sua estrutura tarifária, a companhia levou em consideração o volume de gás a ser consumido e o risco existente. Por isso, para o segmento industrial, achou-se mais adequado estabelecer tarifas diferenciadas (TG1, TG2 e TG3), de acordo com o nível de comprometimento de pagamento mínimo do consumidor. Além disso, a CEGÁS oferece descontos em cascata, ou seja, quem consome mais paga uma tarifa média mais baixa.

Como e quando são reajustadas as tarifas de Gás Natural?

A companhia poderá reajustar seus preços sempre que ocorrer a majoração do custo de aquisição do Gás Natural, desde que a tarifa média não ultrapasse a Tarifa Média Máxima Permitida. A Tarifa Média Máxima Permitida é reajustada anualmente. Mas, caso ocorra algo que coloque em risco o equilíbrio econômico-financeiro da concessão, a CEGÁS poderá solicitar ao Poder Concedente uma revisão tarifária, conforme previsto em contrato.

Quais são as principais aplicações do Gás Natural?

O Gás Natural é utilizado, após tratado e processado, em residências, no comércio, em indústrias e veículos. Nos países de clima frio, seu uso residencial e comercial é predominantemente para calefação de ambientes. Já no Brasil, seu uso residencial e comercial é na preparação de alimentos e aquecimento de água.

Na indústria, o Gás Natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, geração de eletricidade e de força motriz, como matéria-prima nos setores químico, petroquímico e de fertilizantes, e como redutor siderúrgico na fabricação de aço. Na área de transportes, é utilizado em ônibus e automóveis, substituindo o óleo diesel, a gasolina e o álcool.

Porque o GN é mais seguro?

Por que em caso de vazamento, o GN por ser mais leve que o ar, facilita a dispersão para atmosfera não deixando que se acumule, não criando bolsões na parte inferior do recinto. Além disso, o Gás Natural precisa de uma temperatura superior a 600°C para entrar em combustão, bem acima do álcool, gasolina ou GLP.

O Gás Natural passa por processos de industrialização como outros derivados do petróleo?

O GN não passa por processos de industrialização, é consumido do modo como extraído da natureza.

Qual a contribuição ambiental do GN?

Produz menos dióxido de carbono em sua queima, contribuindo para diminuição do efeito estufa, portanto, ecologicamente mais correto.

Existe deterioração dos equipamentos com o uso do GN?

Bem menos do que com uso de qualquer outro combustível pois sua queima é mais limpa, não libera fuligens, aumentando a vida útil dos equipamentos e diminuindo dràsticamente as manutenções.

Existem normas na fabricação de tubulações?

As construções das tubulações respeitam normas brasileiras (ABNT, NBR) e internacionais, dando mais segurança a população. Entidades como a CSPE – Comissão de Serviços Públicos de Energia, SMA – Secretaria do Meio Ambiente e Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) acompanham o processo de construção e distribuição do GN.

Como se situa o Gás Natural nas estatísicas do Corpo de Bombeiros com relação ao GLP e Energia Elétrica?

O número de incidentes com o GN em comparação ao GLP e Energia Elétrica no Brasil e no mundo é praticamente nulo. Comprovadamente o Gás Natural é mais seguro.

Como o Gás Natural é extraído?

A partir de longas perfurações por meio de plataformas marítimas ou terrestres. O processamento inicia-se após a parte superior do poço, onde se separa o gás do petróleo, da água e de sedimentos. O gás é, então , tratado , comprimido e enviado para uma Unidade de Processamento de Gás Natural, a fim de se obter , além de outros derivados , um gás com excelente qualidade comercial.

Gás Natural Veicular - GNV

O que é GNV?

GNV é a sigla de Gás Natural Veicular, ou seja, é o Gás Natural utilizado em veículos automotores. É o mesmo gás canalizado utilizado em residências , comércio e indústria. Nos veículos ele é armazenado em cilindros sob alta pressão (200 bar ou 200 kgf/cm²) e pode ser utilizado como combustível alternativo em qualquer veículo movido a gasolina ou álcool , com carburador ou sistema de injeção eletrônica.

O GNV (Gás Natural Veicular) é diferente do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) em vários aspectos, a começar pela sua composição. O GNV é composto basicamente por metano, enquanto o GLP por butano. O GNV é normalmente armazenado sob alta pressão na forma gasosa; já o GLP (também conhecido como gás de botijão ou de cozinha) é armazenado na forma líquida e sob pressões muito inferiores. Isso tem impacto grande na maior segurança proporcionada na utilização do GNV. Além disso, o uso do GLP é proibido para fins automotivos.

Existe perigo de explosão com o uso do Gás Natural Veicular?

Não existe perigo de explosão, pois, além de ser mais leve que o ar, o sistema (Armazenagem e Compressão) é dotado de válvulas de segurança que se fecham caso haja algum rompimento na tubulação, além de possuir um sistema de exaustão caso ocorra algum vazamento. O Gás Natural Veicular é mais seguro do que qualquer combustível líquido. Outro fator de segurança na utilização do GNV é que, no momento do abastecimento do veículo no Posto, o mesmo é feito sem que haja contato com o ar, evitando assim qualquer possibilidade de combustão. Os cilindros de armazenamento de GNV são dimensionados para suportar a alta pressão na qual o gás é comprimido (200 bar - pressão ideal para abastecer os veículos), e ainda situações eventuais como colisões, incêndios e etc. Os raríssimos acidentes registrados ocorreram, no momento do abastecimento do veículo e, principalmente por uso de equipamentos inadequados (KIT de conversão instalado em oficinas não homolagadas pelo INMETRO, botijão de GLP - que não suporta a pressão do GNV - ao invés de cilindro). O conceito de segurança desse combustível já é reconhecido em todos os países do mundo onde ele é largamente utilizado. Nos EUA, um país que prima pela segurança, o GNV é utilizado até mesmo em ônibus escolares; em Nova York, por exemplo, é obrigatório.

Como abastecer um veículo movido a Gás Natural?

O abastecimento é tão simples quanto o álcool ou a gasolina, e é feito através de uma multi-válvula com dispositivo de abastecimento, geralmente instalada próximo ao regulador de pressão.

Quantos países já possuem Gás Natural Veicular?

O Gás Natural Veicular é largamente utilizado em aproximadamente 50 países. Os principais são - Itália, Rússia, Argentina, Brasil, Estados Unidos, Canadá, Áustria e demais países da Comunidade Econômica Européia.

Qual a autonomia de um veículo movido a Gás Natural?

A autonomia é determinada pelo tamanho do cilindro (compartimento onde é armazenado o gás dentro do automóvel). Com um cilindro de 16m³ (dezesseis metros cúbicos) o veículo pode rodar aproximadamente 200km. Vale lembrar que ao converter um veículo para GNV, este não fica impedido de usar o combustível líquido, ou seja, o sistema é bi-combustível.

A manutenção de um veículo movido a Gás Natural é igual à de um veículo movido a álcool ou a gasolina?

Sim, a manutenção é bàsicamente a mesma ou até mais simples, já que o GNV aumenta a vida útil do motor através de uma queima mais uniforme nos cilindros dos motores.

Quais são as vantagens para o frotista em converter os veículos para Gás Natural?

A principal vantagem para o Frotista em converter seus veículos está na economia obtida por quilômetro rodado, que é em torno de 50 a 60 % (sessenta por cento) em relação ao álcool e à gasolina.

Como é feita a distribuição do Gás Natural Veicular para os postos de abastecimento?

Após sua extração, o Gás Natural é enviado por gasodutos para as Unidades de Processamento de Gás Natural (UPGN), obtendo-se um gás seco e extremamente leve em relação ao ar atmosférico, de extraordinária qualidade como energético. Das UPGNs, são transportados por gasodutos e/ou rede de gás das Cias. Distribuidoras de Gás até os Postos. Embora exista tecnologia para o transporte por outros meios, como Caminhões feixes e etc., devido aos custos elevados de compressão e transporte, a diretriz básica ainda é promover sua utilização nas áreas mais densas e próximas aos gasodutos.

O gás pode ser usado em veículos pesados?

Sim, pode ser usado em veículos pesados, com várias vantagens, como:

Aumento da vida útil do motor menor carbonização do motor
Maior intervalo nas trocas de óleos lubrificantes
Maior intervalo nas trocas dos filtros - maior intervalo nas trocas de tubos de escapamento.

Como o Gás Natural é usado no veículo?

O Gás Natural Veicular é comprimido e armazenado em cilindros especiais de aço, que são adaptados ao porta-malas do carro. Através de um sistema de tubulações e válvulas especiais este gás é injetado e misturado ao ar aspirado pelo motor, proporcionando uma queima limpa e eficiente de mistura.

Gás Natural pode ser usado em qualquer tipo de motor?

O Gás Natural Veicular pode ser usado com a máxima segurança e desempenho em todos os tipos de motores a álcool ou a gasolina, com a simples instalação de um kit de conversão para gás.

Onde fazer a conversão do veículo?

Após feita a opção pela tecnologia de conversão mais adequada a suas condições operacionais, o usuário deverá procurar "uma oficina devidamente credenciada pelo INMETRO para a efetiva instalação do kit". Uma vez concluída a montagem, o veículo receberá um "Certificado de Regularidade Veicular - CRV", atestando que os critérios adotados pela RTQ 33 do INMETRO, e a Norma 11353 da ABNT para veículos a Gás Natural estão atendidas na conversão. De posse deste certificado e do documento original do carro, o usuário deve comparecer ao Departamento de Trânsito local, de maneira a oficializar a conversão do seu veículo.

Quando da revenda do veículo, o proprietário pode retirar o kit de conversão?

Sim. Caso o proprietário queira trocar o veículo que foi convertido para o Gás Natural, o kit poderá ser facilmente transferido para o novo carro , bastando apenas pequenas modificações. Neste caso, será necessário apenas um novo certificado de homologação, uma vez que o anterior era específico para o primeiro veículo. De posse deste, será preciso uma nova oficialização, conforme descrito anteriormente.

O ICMS sobre o Gás Natural Veicular – como é pago?

O Gás Natural Veicular – GNV é mercadoria sujeita à Substituição Tributária, isto é, o Imposto (ICMS) é retido na fonte, significa que o imposto já foi pago antecipadamente. O Posto Revendedor não tem que recolher mais ICMS.

Os automóveis movidos a Gás Natural causam menos danos ao meio ambiente?

Sim, a queima do Gás Natural é muito mais completa do que a da gasolina, álcool ou diesel. Por isso, os veículos que a utilizam emitem menos poluentes, tais como óxidos nitrosos (NOX), dióxido de Carbono ( CO2) e principalmente monóxido de carbono (CO). Assim, o Gás Natural é uma grande opção de combustível nos grandes centros urbanos, ajudando no controle dos níveis de poluição e melhorando a qualidade de vida das pessoas.

Qual o tempo gasto para na conversão de um veículo para Gás Natural?

De 3 a 6 horas.

Onde se pode encontrar a lista de postos de GNV?

A lista de postos pode ser consultada neste site. Em breve outras regiões contarão com postos de abastecimentos de Gás Natural Veicular. Clique aqui.

Após a instalação do kit de conversão, existe alteração no funcionamento do meu carro?

A instalação de equipamentos para uso do Gás Natural em veículos altera apenas o sistema de alimentação de combustível. Em carros carburados as alterações no funcionamento são mínimas enquanto que em carros equipados com sistema de injeção eletrônica as alterações passam a ser pouco mais perceptíveis. Ocorre que nestes veículos a alimentação deixa de ocorrer através da injeção de combustível pelos bicos injetores no coletor e passa a ocorrer por sistema de aspiração, através de peça denominada "corpo de borboleta". Para instalação de tais equipamentos não há necessidade de proceder grandes modificações na originalidade do veículo.

Quais equipamentos eletrônicos são necessários para funcionar o sistema de injeção eletrônica?

Quanto ao sistema de injeção eletrônica, para preservação e continuidade da utilização deste, devem ser instalados todos os equipamentos eletrônicos necessários para tanto. Tais equipamentos consistem basicamente em emulador de bicos injetores (que procede o corte de alimentação dos bicos), emulador de sonda lambda (que recebe as informações da sonda e adapta as mesmas para funcionamento com GNV) e variador de avanço (peça que equaliza o funcionamento do sistema de ignição com as características do novo combustível). Assim, pode-se afirmar que a "inteligência eletrônica" do veículo não é perdida quando da utilização do GNV como combustível alternativo.

Existe alguma dificuldade na partida do motor a frio nos carros movidos a GNV?

A partida de um carro movido à GNV ocorre na gasolina. Com o aumento da rotação do motor ou com o passar de alguns segundos, dependendo do sistema, o funcionamento passa automaticamente para o GNV. Portanto, a ignição inicial do veículo ocorre na gasolina. Algumas chaves têm dispositivo que permite a ignição inicial utilizando GNV. Entretanto, essa possibilidade deve ser utilizada apenas em caso de emergência, isto é, quando não houver gasolina no tanque. O GNV é combustível de bom funcionamento em qualquer temperatura do motor.

Ao fazer a alteração para o GNV como fica a garantia de fábrica do veículo?

Quanto à garantia das montadoras, a regra vale para todos: qualquer alteração feita na parte elétrica ou mecânica do veículo implica em perda da garantia. Isto é, instalado um sistema de alarme, sistema de turbo, sistema de som ou sistema para uso do GNV, a garantia de fábrica é perdida.

Hoje , porém , todas as montadoras de veículos já estão começando a ofertar veículos movidos a GNV com garantia de fábrica, dado a grande importância que esse combustível representa.

Existe controle na qualidade da instalação e dos equipamentos utilizados para a adaptação?

Há normas que atualmente regulamentam os equipamentos e as oficinas instaladoras. As oficinas devem obrigatoriamente homologar seus equipamentos e instalações perante o INMETRO. Uma boa instalação isenta o consumidor de riscos de acidentes e uma boa oficina instrui o consumidor sobre quais os cuidados no abastecimento e cuidados necessários com os equipamentos.

Que vantagens oferece o Gás Natural Veicular?

O GNV custa aproximadamente 60% menos que a gasolina e 20% menos que o álcool, em termos de custo direto. Só que o usuário economiza muito mais pois a autonomia de um Nm³ de GNV é superior à de um litro de combustível líquido. Além de reduzir as emissões de poluentes, o Gás Natural é seco, não provocando resíduos de carbono nas partes internas do motor o que, de um lado, aumenta a vida útil do motor e o intervalo de troca de óleo e, do outro, minimizando significativamente os custos de manutenção . O Brasil possui reservas de Gás Natural, além de ter gasodutos que permitem transportar Gás Natural de países como Bolívia e Argentina . Todas as vantagens do uso do GNV estão à disposição do usuário, sem que o mesmo perca a possibilidade de utilizar o combustível original pois um comando instalado no painel do veículo permite a troca entre combustíveis.

O veículo pode usar dois combustíveis?

Sim. O kit GNV é um sistema bi-combustível que permite o veículo utilizar, alternadamente, o combustível original (gasolina ou álcool) ou o Gás Natural Veicular. Na realidade, pode-se alternar entre os combustíveis até mesmo com o veículo em movimento.

Há diminuição do rendimento do motor?

Quase não há, pois o maior poder calorífico do Gás Natural na ordem de 15% (1Nm³ = 1,15 litros de gasolina) assegura um bom rendimento (performance) do motor.

Quanto custa a conversão típica de um veículo?

A conversão típica oscila entre R$ 2.500,00 e R$ 3.500,00 podendo variar de acordo com a configuração e a capacidade de armazenamento desejada pelo usuário.

O GNV é um combustível mais limpo que a gasolina?

Sim. O Gás Natural é a alternativa mais viável para a solução dos problemas ambientais associados a veículos automotores. A queima do Gás Natural é muito mais completa que a da gasolina, álcool ou diesel. Por isso, os veículos que utilizam o GNV emitem menos poluentes como óxidos nitrosos, dióxido de Carbono (CO²) e principalmente monóxido de carbono (CO) , tornado-se uma grande opção de combustível nos grandes centros urbanos, ajudando no controle dos níveis de poluição e melhorando a qualidade de vida.

Qual a documentação necessária para o veículo convertido ao GNV?

Ao converter o veículo, o usuário recebe um CSV (Certificado de Segurança Veicular). Com este certificado, o usuário tem o prazo de 30 dias (estipulado pelo DETRAN) para regularizar a documentação do veículo, que passa a ser considerado bi-combustível.

Vale lembrar que o veículo convertido cuja documentação não se encontra regularizada, está sujeito a multas e apreensão pelo DETRAN.

Existe algum plano de expansão da cobertura de postos de abastecimento de GNV?

Embora já possamos considerar que a região metropolitana de Fortaleza , incluindo-se ainda os municípios de Horizonte e Pacatuba , já conta com uma razoável rede de distribuição de GNV , dentro de , no máximo, seis mêses contaremos com postos em Aracati e Caucaia. Nos próximos doze meses poderemos contar também com postos Limoeiro do Norte e Sobral. Como se observa, a CEGÁS continua acreditando e investindo na abertura de mais postos em diversas regiões, dentro de sua área de concessão.

Gás Natural Comercial e Residencial

Gás Natural e Gás de Cozinha (Botijão) são a mesma coisa?

Não, suas composições são bem diferentes. O gás de botijão (GLP, ou Gás Liquefeito de Petróleo), composto basicamente por propano e butano, é altamente tóxico e inflamável. Já o Gás Natural é composto principalmente por metano que, além de ser mais leve que o ar ( o que faz com que se dissipe em rapidamente em caso de vazamento ), não é tóxico.

Como saber quanto o cliente consumiu e como pode ser feito o pagamento?

As aferições de consumo do Gás Natural são feitas por meio de um medidor de gás, semelhante a um medidor de eletricidade, que fica em cada residência ou estabelecimento. Uma vez ao mês, representantes da Cegás fazem a leitura do consumo, gerando um boleto de cobrança bancária e nota fiscal com os dados de consumo de gás, os quais são encaminhados ao consumidor através do correio ou diretamente pela Cegás.

Como o Gás Natural chega às residências?

O Gás Natural chega de forma canalizada, através da rede de distribuição da Cegás.

O Gás Natural pode acabar na hora do banho ou na hora de cozinhar?

Como seu fornecimento é contínuo e através de canalizações, o consumidor não sofre interrupções de fornecimento e nem passa por situações de insegurança por vazamento de gás já que é inexistente a troca de botijão.

O que as tubulações de Gás Natural evitam, além da troca contínua de botijões?

As tubulações evitam o transporte de pesados botijões com alta pressão, que percorrem ruas e estradas em caminhões, carros, motos e bicicletas. O Gás Natural colabora, dessa forma, para aumentar a segurança, proporcionando a redução das taxas de seguro patrimonial (residencial).

Este ano houve greves e boicotes por causa do preço do GLP e, em alguns lugares, não foi possível se encontrar um botijão. E com o Gás Natural?

Por ser uma prestadora de serviço público de primeira necessidade não é permitido fazer cartéis ou mesmo greve, com a pena da perda da concessão.

Onde uso o GLP posso utilizar o Gás Natural?

Todos os equipamentos que utilizam o GLP podem utilizar o Gás Natural. O Gás Natural pode ser utilizado ainda como combustível em automóveis e em co-geração (geração de energia elétrica), alternativas não disponibilizadas pelo GLP.

Qual é a diferença de custo entre o GLP para o Gás Natural?

Em geral o GN é em torno de 30% mais barato que o GLP.

Fonte: www.cegas.com.br

Gás Natural

Gás Natural

O GLP - gás liquefeito de petróleo - pode ser separado das frações mais leves de petróleo ou das mais pesadas de Gás Natural. À pressão atmosférica e temperaturas normalmente encontradas no ambiente, é um produto gasoso, inflamável, inodoro e asfixiante, quando aspirado em altas concentrações.

À temperatura ambiente, mas submetido à pressão na faixa de 3 a 15 kgf/cm2, o GLP se apresenta na forma líquida. Desde fato resultam o seu nome - gás liquefeito de petróleo - e a sua grande aplicabilidade como combustível, devido à facilidade de armazenamento e transporte do gás, a partir do seu engarrafamento em vasilhames.

Para que os vazamentos de gás seja, facilmente identificados, compostos a base de enxofre são adicionados, apenas para lhe dar um odor característico, sem lhe atribuir características corrosivas.

Produção e especificação

O GLP consumido no País provem em sua maior parte do refino do petróleo. O petróleo é basicamente uma mistura de hibrocarbonetos, compostos formados por átomos de carbono e hidrogênio. O processo de refinação do petróleo consiste em se separar estas misturas em faixas delimitadas onde certas características podem ser associadas aos produtos obtidos.

O GLP é um derivado composto da mistura de hibrocarbonetos com 3 e 4 átomos de carbono com ligação simples, denominados de propano e butanos. Ligações duplas, propeno e buteno, também ocorrem com freqüência, principalmente na corrente de GLP proveniente das refinarias.

Constituintes mais leves, como etano, e mais pesados como pentanos, são admitidos desde que:

A pressão de vapor a 37,8oC não ultrapasse o valor de 15,0 kgf/cm2, o que limita a quantidade de leves;
O ponto de ebulição de 95% do volume de gás, a 760 mmHg, não ultrapasse o valor de +2oC (característica conhecida como intemperismo), o que limita a quantidade de pesados.

A quantidade de enxofre é limitada em 0,36 g/m3, o que normalmente só é obtido em refinarias após a corrente de gases passar por tratamento específico.

A primeira etapa do processo de refino é a destilação atmosférica. Nela o petróleo é aquecido e fracionado em uma torre, de onde são extraídos, por ordem crescente de densidade, gases combustíveis, GLP, gasolina, nafta, solventes e querosenes, óleo diesel e um óleo pesado, chamado de resíduo atmosférico, extraído pelo fundo da torre.

Em seguida este resíduo é reaquecido e enviado para uma outra torre onde o fracionamento se dá a uma pressão abaixo da atmosférica, sendo então extraído mais uma parcela de óleo diesel e um produto chamado genericamente de gasóleo. O resíduo de fundo desta destilação, chamada a vácuo, pode ser especificado como óleo combustível ou asfalto, ou até mesmo servir como carga de outras unidades mais complexas de refinação, sempre com o objetivo de se produzir produtos mais nobres do que a matéria-prima que os gerou.

O gasóleo, por exemplo, serve como matéria-prima para o processo de craqueamento catalítico, onde altas temperaturas conjugadas à presença de catalisadores químicos partem as moléculas, transformando-o em gases combustíveis, GLP, gasolina e outros produtos. Esta unidade de craqueamento catalítico fluído, conhecida como FCC, é a grande geradora de GLP produzido nas refinarias brasileiras. Após tratamento para remoção de enxofre e compressão dos gases, a parte que se liqüefaz à temperatura ambiente é armazenada em esferas e denominada gás liquefeito de petróleo, GLP.

Outro processo de onde é extraído parte do GLP consumido no País é o que ocorre nas Unidades de Processamento de Gás Natural, UPGN, na quais as frações mais pesadas do gás são separadas da corrente, produzindo GLP e um derivado na faixa da gasolina.

De cada barril de petróleo a refinar, o rendimento em derivados varia de acordo com o tipo de petróleo, as condições operacionais e, por último, com os processos utilizados. Por exemplo, petróleos mais leves geram maior quantidade de derivados leves, como gases combustíveis, GLP e gasolina. Petróleos pesados geram mais óleo combustível ou asfalto. O objetivo sempre é o de atender o mercado nacional de derivados ao menor custo e em quaisquer circunstâncias.

De qualquer forma existe uma limitação na quantidade de GLP produzida a partir da refinação do petróleo. Atualmente, com a gama de tipos de petróleo processados e as unidades em operação nas refinarias brasileiras, aproximadamente 9% do petróleo refinado é transformado em GLP. Em 1997, as unidades em operação nas refinarias, somadas com as UPGN, produziram uma média mensal de cerca de 325.000 toneladas (t) de GLP, o que fica muito aquém da demanda média brasileira de aproximadamente 525.000 t/mês. A diferença, em torno de 40% do consumo, é completada a partir de GLP importado. Daí a importância da existência de projetos de racionalização do uso deste combustível.

A opção de se aumentar a oferta de GLP simplesmente a partir do aumento da capacidade de refino não revela a mais atraente do ponto de vista de custos, uma vez que o aumento de 60% da capacidade de refino, necessário para atender o mercado, acarretaria uma sobra considerável de outros combustíveis, principalmente gasolina e óleo combustível, e a conseqüente dificuldade de se comercializá-los a preços atrativos. Desta forma, a menos que aconteça um rearranjo do perfil de consumo de derivados no País, a importação de GLP se fará presente ainda por muito tempo.

Cuidados no armazenamento, transporte e manuseio do GLP

A qualidade do GLP comercializado nos postos de distribuição ou nas vendas a granel é resultado da ação dos vários segmentos ao longo da cadeia em que o combustível é transportado, armazenado e utilizado.

Da refinaria ou terminal até o consumidor final, o GLP percorre um longo caminho, envolvendo processos relativamente simples de transferências e armazenamentos. Contudo para se manter as características originais do produto ao longo deste caminho, algumas precauções devem ser tomadas.

Um caminho típico do GLP até o consumidor final é o seguinte:

O GLP produzido ou importado fica armazenado em vasos de pressão que podem ser esferas, cilindros ou até mesmo navios-tanque. Antes de ser transferido para as distribuidoras, o produto é amostrado e certificado, comprovando-se a sua adequação à especificação de venda. A partir deste ponto, geralmente não há mais nenhum controle sistemático das características do produto, razão pela qual cuidados adicionais devem ser observados para que problemas não aconteçam.

A transferência do GLP até o parque de armazenamento da distribuidora, onde o mesmo também fica estocado em cilindros ou esferas, se dá por meio de bombeio via dutos ou por carregamentos de caminhões ou vagões-tanque.

Por exemplo, para os gases propano e butano, comercial ou especial, todos os cilindros onde os mesmos forem armazenados devem ser limpos e apenas utilizados para esta finalidade. Os caminhões ou vagões-tanque também devem ser específicos para este serviço. De outra forma, é muito difícil assegurar que a composição do produto não seja alterada.

O GLP comum, por já ser uma mistura de gases, não provoca esta preocupação. Porém conforme dito no item Produção e Especificação, pequenas frações de hidrocarbonetos mais pesados do que o butano são admitidas nesta mistura, desde que o intemperismo não exceda +2 oC. Armazenamentos sucessivos de GLP, sem que se realize uma limpeza periódica dos vasos, podem acarretar um acúmulo destas frações pesadas dentro dos mesmos e, eventualmente, gerar um GLP fora de especificação.

Problema semelhante ocorre nos recipientes de diversas capacidades disponíveis no mercado. Eles percorrem continuamente um ciclo de enchimento e esvaziamento entre o consumidor e o parque da distribuidora. Deve-se prever uma limpeza periódica dos mesmos após certo número de reenchimentos, sob pena de que o GLP armazenado fique contaminado com pesados.

Um outro item muito importante a ser observado é o de adequalibilidade dos recipientes à norma brasileira NBR 8460 - Recipiente Transportável de Aço para Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) - Requisitos e Métodos de Ensaio, assegurando que os mesmos estão capacitados a resistirem às solicitações mecânicas a que são submetidos.

O usuário final também tem a sua parcela de contribuição importante a dar nesse processo. Além de exigir seus direitos de consumidor, ele deve se informar sobre todas as características do combustível, do recipiente que o contém e do equipamento no qual o mesmo é queimado, assegurando-se de que todos os procedimentos corretos de uso estão sendo observados, incluindo, principalmente, a adequabilidade do combustível utilizado à finalidade em que o mesmo está sendo aplicado. Por exemplo, se o equipamento prevê a utilização de propano como combustível, a substituição do mesmo por GLP poderá trazer problemas à queima e, conseqüentemente, ao bom desempenho do mesmo.

Gás Natural

O Gás Natural Veicular (metano) é um combustível "limpo" por não apresentar impurezas e resíduos da sua combustão. Outro ponto favorável para a sua utilização é o fato de não ser corrosivo nem produzir depósitos de carbonos nas câmaras de combustão. Além disso, o GNV não contém aditivos.

A mistura ar-combustível é perfeita com qualquer temperatura e a sua combustão é mantida por mais tempo do que os demais combustíveis, o que se transforma em benefícios para a vida útil do motor.

O armazenamento do GNV é realizado em cilindros de aço especial, no qual o gás é comprimido sob uma pressão de 220 bar. A maioria dos carros convertidos para Gás Natural podem ser chaveados e voltar a utilizar o combustível original.

A questão de segurança é outro diferencial. O GNV é mais leve do que o ar, o que possibilita uma dispersão mais rápida, enquanto que sua temperatura de ignição é de 620ºC, bem acima das atingidas por álcool (300ºC) e gasolina (200ºC).

Fonte: www.gasbrasil.com.br

Gás Natural

O Gás Natural é um combustível fóssil encontrado em rochas porosas no subsolo. Seu uso pode ser doméstico, industrial e automotivo, em substituição ao óleo diesel, ao álcool e à gasolina e pode estar associado ou não ao petróleo. O acúmulo de energia solar sobre matérias orgânicas do tempo pré-histórico, soterradas em grandes profundidades, forma o Gás Natural, graças à acomodação da crosta terrestre.

Anaydê Holanda

Ele é composto por gases inorgânicos e hidrocarbonetos saturados, predominando o metano e, em menores quantidades o propano e o butano.

São inúmeros os ganhos econômicos obtidos pela escolha do Gás Natural como combustível, mas a principal vantagem é a preservação do meio ambiente. O Gás Natural é um combustível não-poluente. Sua combustão é limpa, isenta de fuligem e outros materiais que possam prejudicar o meio ambiente. Geralmente apresenta baixos teores de contaminantes como o nitrogênio, dióxido de carbono, água e compostos de enxofre. O Gás Natural permanece no estado gasoso, sob pressão atmosférica e temperatura ambiente.

Incolor e inodoro, o Gás Natural dissipa-se facilmente na atmosfera em caso de vazamento, por ser mais leve que o ar. Para inflamar é preciso que seja submetido a uma temperatura superior a 620°C. Vale lembrar que o álcool se inflama a 200°C e a gasolina a 300°C. Além disso, o Gás Natural queima com uma chama quase imperceptível. Por questões de segurança, o Gás Natural comercializado é odorizado com enxofre.

COMERCIAL

Com aplicação semelhante ao setor residencial, o Gás Natural pode ser usado para climatização de ambientes, produção de água quente e cocção. Por isso, a variedade de usuários abrange desde hotéis a restaurantes, passando por hospitais, creches, lavanderias e escolas.

Alguns edifícios comerciais de grande porte, como shopping centers, hospitais e universidades também podem adotar o ar condicionado central a Gás Natural.

O energético também encontra aplicação em sistemas de refrigeração para obtenção de baixas temperaturas, adaptados para câmaras frigoríficas ou geladeiras.

Com isso, as instalações comerciais ganham flexibilidade e competitividade energética.

INDUSTRIAL

Na indústria, o Gás Natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, geração de eletricidade e de força motriz; como matéria-prima nos setores químicos e petroquímicos, principalmente para a produção de metanol, e de fertilizantes, para a produção de amônia e uréia. É usado ainda como redutor siderúrgico na fabricação de aço.

O Gás Natural proporciona uma combustão limpa, isenta de agentes poluidores, ideais para processos que exigem a queima em contato direto com o produto final, como na indústria de cerâmica, fabricação de vidro e cimento.

AUTOMOTIVO

O Gás Natural recebe o nome de "gás veicular" (GNV) ao substituir a gasolina e o diesel em automóveis, ônibus e caminhões, oferece ainda a vantagem no custo por quilômetro rodado. Como é seco, o Gás Natural não provoca resíduos de carbono nas partes internas do motor, aumentando a vida útil deste e o intervalo de troca de óleo. Além disto, reduz significativamente os custos de manutenção.

Mas o Gás Natural não gera apenas vantagens econômicas. Ele é também uma boa opção nos centros urbanos, já que contribui para diminuir a poluição ao emitir menor quantidade de poluentes que a queima da gasolina, álcool ou diesel. A fim de usufruir o gás veicular, o motorista deve instalar um kit em seu carro, tornando-o bi-combustível, ou seja, apto a rodar tanto com combustíveis convencionais, quanto com GNV.

GLP - Gás Liqüefeito de Petróleo

Mais conhecido como "gás de cozinha" é normalmente comercializado em botijões no estado líquido, tornando-se gasoso à pressão atmosférica e temperatura ambiente na hora de sua utilização em fogão. Por ser um produto inodoro por natureza, um composto à base de enxofre é adicionado, dando-lhe um cheiro bastante característico para facilitar a detecção de possíveis vazamentos. Uma parcela de GLP é utilizada pela indústria de vidros, cerâmica e alimentícia.

Fonte: www3.atarde.com.br

Gás Natural

O Gás Natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves, que à temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso. É um gás inodoro e incolor, não é tóxico e é mais leve que o ar.

O Gás Natural é uma fonte de energia limpa, que pode ser usada nas indústrias, substituindo outros combustíveis mais poluentes, como óleos combustíveis, lenha e carvão. Desta forma ele contribui para reduzir o desmatamento e diminuir o tráfego de caminhões que transportam óleos combustíveis para as indústrias.

As reservas de Gás Natural são muito grandes e o combustível possui inúmeras aplicações em nosso dia-a-dia, melhorando a qualidade de vida das pessoas. Sua distribuição é feita através de uma rede de tubos e de maneira segura, pois não necessita de estocagem de combustível e por ser mais leve do que o ar, dispersa-se rapidamente na atmosfera em caso de vazamento. Usando o Gás Natural, você protege o meio ambiente e colabora para acabar com a poluição.

Origem

É uma energia de origem fóssil, resultado da decomposição da matéria orgânica fóssil no interior da Terra, encontrado acumulado em rochas porosas no subsolo, freqüentemente acompanhado por petróleo, constituindo um reservatório.

Gás Natural e o Meio Ambiente

Por estar no estado gasoso, o Gás Natural não precisa ser atomizado para queimar. Isso resulta numa combustão limpa, com reduzida emissão de poluentes e melhor rendimento térmico, o que possibilita redução de despesas com a manutenção e melhor qualidade de vida para a população.

A composição do Gás Natural pode variar bastante, predominando o gás metano, principal componente, etano, propano, butano e outros gases em menores proporções. Apresenta baixos teores de dióxido de carbono, compostos de enxofre, água e contaminantes, como nitrogênio. A sua combustão é completa, liberando como produtos o dióxido de carbono e vapor de água, sendo os dois componentes não tóxicos, o que faz do Gás Natural uma energia ecológica e não poluente.

O Gás Natural caracteriza-se por sua eficiência, limpeza e versatilidade. É utilizado em indústrias, no comércio, em residências, em veículos. É altamente valorizado em conseqüência da progressiva conscientização mundial da relação entre energia e o meio ambiente.

As especificações do gás para consumo são ditadas pela Portaria n. 41 de 15 de abril de 1998, emitida pelo Agência Nacional do Petróleo, a qual agrupou o Gás Natural em 3 famílias, segundo a faixa de poder calorífico.

O gás comercializado no Brasil enquadra-se predominantemente no grupo M (médio), cujas especificações são:

Poder calorífico superior (PCS) a 20 °C e 1 atm: 8.800 a 10.200 kcal/m3
Densidade relativa ao ar a 20 °C:
0,55 a 0,69

Enxofre total: 80 mg/m3 máximo
H2S:
20 mg/m3 máximo
CO2:
2 % em volume máximo
Inertes:
4 % em volume máximo
O2:
0,5 % em volume máximo
Ponto de orvalho da água a 1 atm:
-45 °C máximo

Isento de poeira, água condensada, odores objetáveis, gomas, elementos formadores de goma hidrocarbonetos condensáveis, compostos aromáticos, metanol ou outros elementos sólidos ou líquidos.

Aplicações

O Gás Natural, após tratado e processado, é utilizado largamente em residências, no comércio, em indústrias e em veículos. Nos países de clima frio, seu uso residencial e comercial é predominantemente para aquecimento ambiental. Já no Brasil, esse uso é quase exclusivo em cocção de alimentos e aquecimento de água.

Na indústria, o Gás Natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, geração de eletricidade e de força motriz, como matéria-prima nos setores químico, petroquímico e de fertilizantes, e como redutor siderúrgico na fabricação de aço.

Na área de transportes, é utilizado em ônibus e automóveis, substituindo o óleo diesel, a gasolina e o álcool.

Vantagens do Gás Natural

Baixo impacto ambiental: O gás é um combustível ecológico. Sua queima produz uma combustão limpa, melhorando a qualidade do ar, pois substitui formas de energias poluidoras como carvão, lenha e óleo combustível. Contribui ainda para a redução do desmatamento.
Faclidade de transporte e manuseio:
Contribui para a redução do tráfego de caminhões que transportam outros tipos de combustíveis. Não requer estocagem, eliminando os riscos do armazenamento de combustíveis.
Vetor de atração de investimentos:
A disponibilidade do gás atrai novas empresas, contribuindo para a geração de empregos na região.
Segurança:
Por ser mais leve do que o ar, o gás se dissipa rapidamente pela atmosfera em caso de vazamento. Esta é a grande diferença em relação ao gás de cozinha (GLP) que, por ser mais pesado que o ar, tende a se acumular junto ao ponto de vazamento, facilitando a formação de mistura explosiva.

Impactos e Problemas

Por ser um combustível fóssil, formado a milhões de anos, trata-se de uma energia não renovável, portanto finita.

O Gás Natural apresenta riscos de asfixia, incêndio e explosão. Por outro lado, existem meios de controlar os riscos causados pelo uso do Gás Natural. Por ser mais leve que o ar, o Gás Natural tende a se acumular nas partes mais elevadas quando em ambientes fechados. Para evitar risco de explosão, devem-se evitar, nesses ambientes, equipamentos elétricos inadequados, superfícies superaquecidas ou qualquer outro tipo de fonte de ignição externa.

Em caso de fogo em locais com insuficiência de oxigênio, poderá ser gerado monóxido de carbono, altamente tóxico. A aproximação em áreas onde ocorrerem vazamentos só poderá ser feita com uso de aparelhos especiais de proteção respiratória cujo suprimento de ar seja compatível com o tempo esperado de intervenção, controlando-se permanentemente o nível de explosividade.

Os vazamentos com ou sem fogo deverão ser eliminados por bloqueio da tubulação alimentadora através de válvula de bloqueio manual. A extinção do fogo com extintores ou aplicação de água antes de se fechar o suprimento de gás poderá provocar graves acidentes, pois o gás pode vir a se acumular em algum ponto e explodir.

O que é um Gasoduto?

O gasoduto é uma rede de tubulações que lea o Gás Natural das fontes produtoras até os centros consumidores. O gasoduto Bolívia-Brasil transporta o gás proveniente da Bolívia para atender os Estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Transporta grandes volumes de gás, possui tubulações de diâmetro elevado, opera em alta pressão e somente se aproxima das cidades para entregar o gás às companhias distribuidoras, constituindo um sistema integrado de transporte de gás.

O gás é comercializado através de contatos de fornecimento com as Companhias Distribuidoras de casa Estado, detentoras da concessão de distribuiçãoo. A TBG (Transportadora Brasileira Gasoduto Bolívia-Brasil S/A), proprietária do gasoduto, é responsável pelo transporte do gás até os pontos de entrega (Companhias Distribuidoras).

Como funciona uma Rede de Distribuição

As redes de distribuição transportam volumes menores de Gás Natural a menores pressões, com tubulações de diâmetros menores que do gasoduto. EÉ esta rede que recebe o gás nos gasodutos e o leva até as indústrias e aos centros urbanos e por fim, até a sua casa. A rede de Gás Natural é tão importante e segura quanto as redes de energia elétrica, telefone, água ou fibra ótica e contribuem para facilitar a vida das pessoas e impulsionar o comércio e as indústrias.

O Gás Natural é uma Energia Segura?

Totalmente. Além de segura é ecologicamente correta As redes de distribuição são enterradas e protegidas com plcas de concreto, faixas de segurança e sinalização.

Há algumas medidas de segurança utilizadas nas obras:

Materiais: Na fabricação dos dutos foram utilizados materiais especiais, de grande resistência e durabilidade. As soldas são inspecionadas através de um rigoroso controle de qualidade.

Válvulas de bloqueio: São instaladas ao longo da rede com o objetivo de interromper o fluxo de gás, em caso de um eventual vazamento. Em trechos urbanos são instalados a cada 1 km.

Proteção das tubulações: As tubulações são enterradas, no mínimo, a 1 metro de profundidade. Nas travesias, a tubulação é revestida por um tubo protetor contra as cargas externas. Em áreas urbanas, as placas de concreto são instaladas sobre a tubulação, para protegê-la de impactos decorrentes de escavações.

Controle de corrosão: Contra o ataque corrosivo do solo, as tubulações são protegidas por um sistema conhecido por proteção catódica.

Sinalização: A finalidade é alertar sobre a presença da rede de gás. A sinalização subterrânea consta de fita plástica na cor amarela com 30 cm de largura, instalada abaixo da superfície do solo para alertar as pessoas que fazem escavações. A sinalização aérea é constituída de placas e avisos instalados ao longo da rede.

Odorização: Tem o objetivo de dotar o gás de um odor característico, para permitir a pronta detecção em caso de eventuais vazamentos.

Usina Elétrica à Gás de Araucária-PR

O Consórcio formado pela COPEL (20% de participação); BG (INGLATERRA); EL PASO (USA); e PETROBRAS DISTRIBUIDORA. está desenvolvendo estudos técnicos, econômicos e ambientais para a implantação da Usina Termelétrica à Gás Natural, no município de Araucária - Paraná.

A Usina de 480 MW em ciclo combinado, de duas turbinas a Gás Natural de 160 MW e uma turbina a vapor de 160 MW irá consumir na condição de operação nominal 2.200.000 metros cúbicos de gás por dia.

O início de operação esta previsto para o primeiro semestre de 2002 e será interligada ao sistema elétrico sul-sudeste brasileiro na Região Metropolitana de Curitiba.

Utilização do Gás Natural

No uso em automóveis, ônibus e caminhões, o Gás Natural recebe o nome de "Gás Natural veicular - GNV", oferecendo vantagem no custo por quilômetro rodado -um carro abastecido com R$ 50 de Gás Natural percorre uma distância maior do que outro abastecido com o mesmo valor de gasolina .

Como é seco, o Gás Natural não provoca resíduos de carbono nas partes internas do motor, aumentando sua vida útil e o intervalo de troca de óleo, além de reduzir significativamente os custos de manutenção. Mais leve que o ar, em caso de vazamento o gás se dissipa na atmosfera, reduzindo o risco de explosão e incêndio. Do ponto de vista ambiental, o GNV é considerado um combustível ecológico, pelo fato de emitir menos poluentes que os demais concorrentes.

Fonte: paje.fe.usp.br

Gás Natural

O Gás Natural é uma mistura de hidrocarbonetos leves que na temperatura ambiente e pressão atmosférica, permanece no estado gasoso. O Gás Natural apresenta características adequadas para ser utilizado como combustível em instalações industriais, comerciais, residenciais e como matéria-prima em indústrias químicas, siderúrgicas e de fertilizantes.

A origem do Gás Natural

O Gás Natural é extraído de jazidas naturais subterrâneas formadas por rochas sedimentares porosas e permeáveis e cobertas por estratos impermeáveis que impedem a sua saída para o exterior.O Gás, assim como petróleo, formou-se nessas jazidas subterrâneas como resultado da decomposição de sedimentos naturais ao longo de muitos milhares de anos.O Gás Natural pode estar acompanhado por petróleo (gás associado) ou é encontrado constituindo um reservatório de gás (gás não-associado).O Gás Natural utilizado pela Potigás é, na sua maior parte, gás associado proveniente dos campos de produção de petróleo e gás do Rio Grande do Norte.

Características do Gás Natural

O metano (Ch2) é o principal componente do Gás Natural. Mais leve que o ar, à temperatura ambiente permanece gasoso. O Gás Natural é inodoro, incolor, inflamável e asfixiante quando respirado em altas concentrações. Para facilitar a identificação de vazamentos, são adicionados compostos à base de enxofre (Mercaptans) ao gás em concentrações suficientes para lhe dar um odor marcante.

Componentes % Volumétrica
Metano 82,50 a 85,50
Etano 9,70 a 12,05
Propano + 0,59 a 1,62
Nitrogênio 1,40 a 1,60
Gás Carbônico 2,40 a 2,70
Outros Componentes PPM
Gás Sulfídrico 0,70 a 12,00
Mercaptans 0,10 a 0,30
Densidade em Relação ao Ar 0,63 a 0,68

As especificações do gás para consumo são ditadas pela Portaria no. 41, emitida pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em 15/04/1998.

Aplicação do Gás Natural

O Gás Natural é amplamente utilizado na indústrias, comércio, residências, veículos e na geração de energia elétrica.

Na indústria, o Gás Natural é utilizado como combustível para fornecimento de calor, como matéria-prima nos setores químicos, petroquímico e de fertilizantes, como redutor siderúrgico e geração de eletricidade.

No comércio e serviços, ele substitui com vantagens o GLP o óleo diesel e a lenha (em padarias e restaurantes).

Como combustível veicular o Gás Natural é utilizado em automóveis, ônibus, caminhões, substituindo a gasolina, álcool e o óleo diesel.

O programa brasileiro de expansão da capacidade de geração de energia elétrica está fortemente apoiado na instalação de UTE (Usinas Térmicas de Eletricidade) movidas à Gás Natural. Mais recentemente o Gás Natural tem sido muito utilizado em projetos de co-geração que proporcionam alta eficiência energética na produção de eletricidade, calor e frio.

Vantagens do Gás Natural

As vantagens do uso do Gás Natural são muitas, tanto para o consumidor como para a sociedade. A começar pelo baixo custo.

Vantagens para o Consumidor

Os benefícios do Gás Natural para os consumidores são vários.

Na atividade industrial e comercial destacam-se as seguintes:

É econômico, custo reduzido comparado a outros combustível
Sua queima gera uma grande quantidade de energia
Proporciona maior eficiência de queima
Sua combustão é facilmente regulável
Admite grande variação do fluxo
Economiza vapor ou eletricidade para aquecimento - não é necessária a atomização
Requer fácil adaptação das instalações existentes
Exige menor investimento em armazenamento/uso de espaço pois não necessita estocagem
Fornecido continuamente 24h/dia - 365 dias/ano
Simplifica os controles
Proporciona menor custo de manutenção, manuseio do combustível e de outros custos operacionais;
Prolonga a vida útil dos equipamentos;
Reduz a corrosão e não causa incrustações nos equipamentos;
Eleva o nível de segurança pessoal e patrimonial reduzindo inclusive custos com seguros;
Proporciona ganhos econômicos e financeiros pois não requer estoque e seu pagamento ocorre após o consumo;
Reduz problemas de poluição e controle do meio ambiente evitando gastos com sistemas antipoluentes e com tratamento de afluentes
Melhora a produtividade e a qualidade em vários processos produtivos aumentando a competitividade externa dos produtos.
Proporciona maior segurança. Sendo mais leve que o ar, em caso de vazamento, o gás se dissipa rapidamente na atmosfera, diminuindo o risco de explosões e incêndios. Além disso, para que o Gás Natural se inflame, é preciso que seja submetido a uma temperatura superior a 620 graus centígrados (o álcool se inflama a 200ºC e a gasolina a 300ºC).

Vantagens no Comércio, Serviços e Gás Residencial

Mais econômico
Proporciona maior comodidade e conforto:
substitui as garrafas e depósitos de gás combustível
Abastecimento contínuo, 24h/dia - 365 dias/ano
Grande variedade de aplicações. Além do uso como combustível e pode também ser usado na refrigeração de ambientes, aparelhos de ar condicionado e refrigeradores a gás, oxi-corte e motores
Proporciona maior segurança:
não exige estocagem e em caso de um eventual vazamento, sendo o Gás Natural é mais leve que o ar, dissipa-se- mais facilmente que o GPL
Não é tóxico
Aumenta a qualidade de vida

Vantagens na Geração de Energia Elétrica

Maior flexibilidade
Geração de energia elétrica junto aos centros de consumo
Disponibilidade ampla
Custo bastante competitivo com outras alternativas de combustível
Permite o surgimento de mercado de gás interruptível

Vantagens para a População e a Sociedade

Geração de energia através de uma forma de energia mais econômica e limpa em relação a outros combustíveis
Desenvolvimento regional
Maior proteção do ambiente:
o Gás Natural é o combustível fóssil mais limpo
Reduz sensivelmente a emissão de poluentes
Contribui para a preservação da natureza e do meio ambiente
Substitui a lenha reduzindo o desmatamento e a desertificação
Melhoria do rendimento energético
Diversificação da matriz energética
Redução da dependência do petróleo pelo uso de fontes de energia regional
Aumento da competitividade das empresas
Atração de investimentos externos
Redução do uso do transporte rodo-ferro-hidroviário
Permite obter as vantagens oferecidas pelo Protocolo de Kyoto.

Vantagens como Combustível Veicular (GNV)

É mais barato que os outros combustíveis e com um metro cúbico de Gás Natural é possível rodar mais quilômetros do que com um litro de gasolina ou álcool
A economia total chega a mais de 70 % nos gastos com o veículo
Sendo seco não dilui o óleo lubrificante no motor
A queima do Gás Natural não provoca depósitos de carbono nas partes internas-meio-ambiente do motor, aumentando sua vida útil do motor e o intervalo de troca de óleo
Menor freqüência na troca de escapamento dos veículos pois a queima do Gás Natural não provoca formação de compostos de enxofre
Maior segurança. O abastecimento do veículo é feito sem que o produto entre em contato com o ar, evitando-se assim qualquer possibilidade de combustão
Maior versatilidade:
o kit de conversão torna os veículos bi-combustível
Número crescente de Postos de GNV.

Fonte: www.potigas.com.br

Gás Natural

O Gás Natural é a designação genérica de um combustível de origem fóssil, formado pela mistura de hidrocarbonetos leves que permanecem no estado gasoso nas condições ambientes de temperatura e pressão, entre os quais se destaca o metano ( Ch2), sendo encontrado na natureza normalmente em reservatórios profundos no subsolo, associado ou não ao petróleo.

Do mesmo modo que o petróleo, o Gás Natural é resultado da decomposição de matéria orgânica originada de grandes quantidades de organismos que existiam no mares no período pré-histórico. Os movimentos de acomodação da crosta da terra causaram o soterramento dessa matéria orgânica a grandes profundidades e essa decomposição se realizou em ausência de ar, a grandes temperaturas e sob altas pressões.

Tal e como é extraído das jazidas, o Gás Natural é um produto incolor e inodoro, não é tóxico e é mais leve que o ar. Além disso, é uma energia livre de enxofre e a sua combustão é completa, liberando como produtos da mesma o dióxido de carbono (CO2) e vapor de água. Sendo tais produtos não tóxicos, o Gás Natural é uma energia ecológica e não poluente.

A unidade básica de medida para o Gás Natural é o metro cúbico por dia (m3/dia), utilizando-se para grandes quantidades, o milhão de metros cúbicos por dia - Mm3/dia. A energia produzida pela combustão do gás é usualmente medida em quilocaloria ( Kcal). Ou em -MMBTU - milhões de British Thermal Unit.

Segurança

O Gás Natural possui densidade específica menor que a do ar, o que facilita a sua dispersão na atmosfera em caso de vazamento e reduz os riscos de acidentes, ao contrário do GLP – Gás Liqüefeito de Petróleo, ou gás de cozinha, produto derivado do petróleo e utilizado atualmente em nossas residências que, sendo mais pesado que o ar, acumula-se ao nível do solo podendo causar sérios acidentes por intoxicação. O Gás Natural para ser comercializado necessita “estar conforme” em relação às especificações do Regulamento Técnico da Agência Nacional de Petróleo (ANP), a qual determina que o gás somente poderá conter teores extremamente baixos de umidade, bem como de dióxido de carbono e compostos de enxofre. Isto torna o Gás Natural um produto que não provoca corrosão no interior das tubulações, tornando possível uma vida longa para as instalações e deixando-as isentas de vazamentos. É possível fazer uma analogia com o fornecimento de energia elétrica onde o “estoque” de gás está nos campos de produção na Bolívia e o de energia elétrica está na água dos reservatórios das hidrelétricas.

Não toxidade

A ingestão ou inalação acidental de Gás Natural não provoca danos à saúde das pessoas, pois ele não é tóxico e, na medida que as pessoas respirarem ar fresco ele é eliminado não deixando qualquer resíduo no organismo.

Fornecimento Contínuo

O projeto de engenharia da rede de distribuição, associado às reservas de Gás Natural bolivianas, com capacidade estimada para 600 anos, garantem ao consumidor o fornecimento contínuo de gás a qualquer hora, não sendo necessária a manutenção de estoques no local de consumo.

Baixa densidade relativa ao ar atmosférico

Tendo densidade relativa ao ar da ordem de 0,63 – muito inferior à densidade do ar – o Gás Natural sempre tenderá a ocupar as camadas superiores da atmosfera, ou seja, qualquer volume de Gás Natural colocado em ambiente aberto apresentará alta velocidade de dissipação. Também no caso de ambientes fechados, o Gás Natural ocupará as partes superiores desses ambientes, ocorrendo facilidade de dissipação se houver aberturas de ventilação na parte superior.

O Gás Natural Residencial (GNR) é um combustível usado há cerca de 20 anos no Brasil.

Assim como o petróleo, é um combustível fóssil composto por uma mistura de hidrocarbonetos e em sua maior parte, por metano (cerca de 89%). A unidade básica de medida para o Gás Natural é o metro cúbico (m³), nas condições de 20ºC e pressão de 1 atmosfera absoluta, sendo que a energia produzida pela combustão é usualmente medida em kcal (quilocalorias).

Compração entre Gás Natural e GLP ( Gás de Cozinha )

Composição Média Gás Natural GLP
Metano 89% --
Etano 7% --
Propano 2% 50%
Butano --- 50%
Outros 2% --

O GNR é utilizado para a cocção de alimentos, aquecimento de água, inclusive de piscinas. Também pode ser usado em secadoras de roupas, lavadoras de louças, lareiras, churrasqueiras e aquecedores de ambiente.

No uso residencial, o gás oferece conforto e praticidade. Com o aquecedor, permite que a casa tenha água quente na cozinha e no banheiro. O Gás Natural canalizado tem uma chama limpa e não deixa resíduos nos equipamentos. Isto diminui as despesas com manutenção.

Fonte: www.compagas.com.br

Gás Natural

1. O que é o Gás Natural?

É um combustível fóssil catalogado como uma das fontes de energia mais limpas, seguras e úteis. Tipicamente está composto por metano (95% ou mais), propano e outros componentes mais pesados. Não tem cor nem cheiro e, em geral, encontra-se de forma natural misturado com outros hidrocarbonos fósseis. No momento de sua extração, o Gás Natural contém impurezas como água, ácido sulfídrico, dióxido de carbono e nitrogênio, que devem ser removidos antes de seu transporte e comercialização.

2. Qual sua origem?

Provém da decomposição de matéria orgânica como pequenas plantas e animais marinhos que morreram há mais de 200 milhões de anos. Encontra-se, geralmente, em depósitos subterrâneos profundos formados por rocha porosa ou nos domos dos depósitos naturais de petróleo.

3. Quais tipos de Gás Natural existem?

Dependendo de sua origem, classifica-se como gás associado e não associado. O primeiro é o que se extrai junto com o petróleo e contém grande quantidade de hidrocarbonos, como etano, propano, butano e naftas. O gás não associado é o que se encontra em depósitos que contém unicamente Gás Natural.

4. Como é extraído?

Utilizando-se poços de perfuração para levá-lo à superfície por meio de dutos. Na maioria dos poços a pressão do Gás Natural é suficiente para jogá-lo para fora e conduzi-lo por tubulações até pontos de coleta. Após ser processado, o Gás Natural é comprimido e distribuído.

5. Em quanto são estimadas as reservas de Gás Natural?

Estima-se que no final de 2002 as reservas de Gás Natural em nível mundial eram de 155,78 trilhões de metros cúbicos localizados principalmente na Europa e na Eurásia (39%) e no Oriente Médio (36%). Por outro lado, as reservas de petróleo estão altamente concentradas no Oriente Médio (65,4%, no final de 2001).

6. O quanto é eficiente o ciclo da extração até o usuário final?

Segundo o Departamento de Energia dos Estados Unidos, a eficiência do Gás Natural, da fonte até seu consumo final, é de aproximadamente 91%. Isto é, nove em cada dez unidades de energia extraída do solo são utilizadas. Pelo desgaste de energia nos processos de extração, produção e distribuição, a combinação de outras fontes de energia, como petróleo, carvão, nuclear e hidrelétrica, têm uma eficiência de aproximadamente 29%.

7. Quem o consome?

Atualmente o Gás Natural supre um quarto da energia requerida em nível mundial por moradias, negócios, veículos, indústrias e usinas de energia. Espera-se que nos próximos 20 anos seu consumo aumente em 50%.

8. Quais os efeitos de seu uso no meio ambiente?

O Gás Natural é um combustível mais limpo do que o carvão e o petróleo, já que em sua combustão produz de 40% a 45% menos dióxido de carbono do que o carvão, e entre 20% e 30% menos do que os derivados do petróleo. Outra característica desta fonte de energia é que não emite partículas sólidas nem cinzas em sua combustão, e as emissões de óxidos de nitrogênio são inferiores às do carvão e dos produtos petrolíferos. Além disso, as emissões de dióxido de enxofre são praticamente nulas.

9. O Gás Natural contribui para o efeito estufa?

Uma das preocupações quanto ao seu uso é que seu principal componente, o metano, é um potente gás que contribui para o efeito estufa. Estima-se que “prenda” o calor 21 vezes mais do que o dióxido de carbono. Entretanto, um estudo feito pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) concluiu que o saldo entre uma redução nas emissões de dióxido de carbono e o aumento nas emissões de metano pela substituição de outras fontes de energia pelo Gás Natural é favorável ao meio ambiente. O Painel Intergovernamental de Alteração Climática das Nações Unidas (IPCC) inclui entre suas recomendações aumentar o uso do Gás Natural como fonte de energia.

Fonte: www.tierramerica.net

Gás Natural

O Gás Natural que abastece o seu carro é o mesmo gás canalizado utilizado em residências, comércio e indústria, porém armazenado e transportado sob alta pressão em cilindros especiais. O Gás Natural veicular é uma mistura de elementos cujo principal componente é o metano (cerca de 90%). Esse gás é extraído de reservas naturais e utilizado largamente como combustível em todo o mundo.

Não confunda

O GNV (Gás Natural Veicular) é diferente do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) em vários aspectos, a começar pela sua composição. Enquanto o GNV é composto basicamente por metano, o GLP é composto por propano e butano. O GNV é normalmente armazenado sob alta pressão na forma gasosa; o GLP (também conhecido como gás de botijão) é armazenado na forma líquida e sob pressões muito inferiores. O uso do GLP é proibido para fins automotivos.

Você sabia?

Atualmente, aproximadamente 1,6 milhão de carros com gás circulam no país, e esse número vem aumentando rapidamente.
Você pode encontrar Gás Natural veicular facilmente. No Estado de São Paulo são mais de 350 postos. Na grande São Paulo, há postos com gás em várias regiões e em vias estratégicas, para você abastecer sem dificuldade. A rede de postos que fornece Gás Natural veicular vem crescendo rapidamente.
O kit GNV não altera o combustível original do veículo. Sempre que quiser, você poderá usar gasolina e/ou álcool. É simples: basta acionar um botão no painel – e nem precisa parar o carro.
O GNV é um combustível seguro. O cilindro de gás é muito mais resistente que o tanque de gasolina e/ou álcool e conta com sistema de segurança adequado.

Setor

O Gás Natural consiste numa mistura de gases encontrada freqüentemente de forma isolada ou acompanhada de petróleo. Sua composição básica é o metano, em quantidades que superam 90% ou 95%, além de outros gases, como nitrogênio, etano, gás carbônico, butano e propano.

Do ponto de vista ambiental, o Gás Natural emite menos poluentes que os demais combustíveis fósseis, caso do petróleo e do carvão mineral. Suas qualidades permitem a utilização quase irrestrita do produto em vários segmentos, atendendo às determinações ambientais e contribuindo de forma eficaz e eficiente na geração de energia confiável e versátil.

A utilização de Gás Natural no mundo é bastante difundida e presente na maioria dos países desenvolvidos. O Gás Natural é o combustível que mais tem aumentado sua participação na matriz energética brasileira, passando de 3,7% em 1998, para 9,3% em 2008. A taxa média de crescimento da participação do energético é de 20% ao ano, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás).

As perspectivas para o consumo do Gás Natural no Brasil são positivas para os próximos anos, tanto por ele ser um combustível ambientalmente limpo, como por causa da expansão da rede promovida pelas empresas distribuidoras, notadamente a Comgás. Por fim, a descoberta de novas reservas de Gás Natural no país tende a elevar sua participação na matriz energética nacional.

Educação ambiental

Quando você olha para o fogão e vê a comida cozinhando pode se perguntar: de onde vem o gás? O gás vem da natureza, mas como ele é encontrado?

Para responder a essa pergunta vamos conversar um pouco sobre o Gás Natural, que é diferente daquele gás encontrado no botijão.

O Gás Natural é combustível encontrado naturalmente nas profundezas do mar e abaixo do solo. É uma mistura de gases diferentes, mas o principal se chama metano. Esse gás pode ser encanado e chegar até sua casa. Ele não é comercializado em botijões.

Pode ser utilizado para várias tarefas, tanto em casa quanto no comércio, na indústria e nos veículos. Em casa, o Gás Natural serve para cozinhar, aquecer água, para aquecimento e refrigeração dos ambientes e também como fonte de energia para vários aparelhos. O Gás Natural é mais barato que a energia elétrica e mais seguro que o gás de botijão, pois em caso de vazamento ele dispersa facilmente no ar.

A origem do Gás Natural

O Gás Natural é constituído, em sua maior parte, de metano, um hidrocarboneto extraído das profundezas do subsolo. É resultado da transformação de fósseis de animais e plantas, sendo uma fonte de energia totalmente natural.

O Gás Natural chega até os pontos de consumo de maneira descomplicada, 24 horas por dia. É transportado das plataformas de extração – Campos (RJ), Santos (SP) e Bolívia – e distribuído pela Comgás através de tubulações especialmente projetadas, dentro da mais avançada tecnologia.

O Gás Natural é uma mistura de vários gases, e o principal é o metano. É resultado da transformação de fósseis de animais e plantas que existiam na pré-história. O território brasileiro, especialmente a região litorânea, é rico em Gás Natural, o que garante seu abastecimento por muitos anos.

O Gás Natural é extraído de reservas que ficam nas montanhas ou no fundo dos oceanos. O gás distribuído pela Comgás vem da Bolívia, da plataforma de Campos, no Rio de Janeiro, e da plataforma de Santos, em São Paulo, e chega até cidades, casas, comércios, indústrias e postos através da rede de tubulações subterrâneas.

O Gás Natural não tem cor, cheiro e nem gosto, mas queima com muita facilidade. Seu odor é fruto da adição de produto químico, a fim de garantir sua percepção em eventual caso de vazamento.

Benefícios e Vantagens do Gás Natural

O gás natural apresenta muitas vantagens em relação a outras fontes de energia: é limpo, mais seguro do que o gás de botijão e mais barato do que a energia elétrica.
O gás natural e canalizado, isto é, não precisa ser guardado em botijões ou cilindros.
O gás natural é mais leve que o ar. Se houver vazamento, o gás dissipa-se rapidamente.
O gás natural não acaba:
como tem fornecimento contínuo, nunca falta gás nas casas, indústrias, comércios e postos de abastecimento.
O gás natural não deixa o fundo da panela preta.
Não polui o meio ambiente:
o gás natural reduz a emissão de poluentes, porque sua queima é mais completa.
Nas industrias, o gás natural diminui os custos de operação e manutenção.
Nos automóveis, o GNV é econômico e reduz gastos com manutenção.

Composição do Gás Natural

O gás natural é formado por vários gases.

A composição do gás natural é:

Metano 89%
Etano 6%
Propano 1,8%
C4+ 1,0%
CO2 1,5%
N2 0,7%

Perguntas Frequentes

O que é GNV?

GNV é a sigla de Gás Natural Veicular, ou seja, é o gás natural utilizado em veículos automotores. É o mesmo gás canalizado utilizado em residências, comércio e indústria, porém armazenado e transportado sob alta pressão em cilindros especiais. No estado de São Paulo, táxis, frotas de empresas e veículos particulares utilizam o GNV. No Brasil, já são aproximadamente 1,6 milhão de carros abastecidos por GNV.

O GNV é armazenado em cilindros sob alta pressão (200 bar ou 200 kgf/cm²) e pode ser utilizado como combustível alternativo em qualquer veículo movido a gasolina, álcool ou flex, com carburador ou sistema de injeção eletrônica.

O GNV (Gás Natural Veicular) é diferente do GLP (Gás Liqüefeito de Petróleo) em vários aspectos, a começar pela sua composição. O GNV é composto basicamente por metano, enquanto o GLP é composto por propano e butano. O GNV é normalmente armazenado sob alta pressão na forma gasosa; o GLP (também conhecido como gás de botijão) é armazenado na forma líquida e sob pressões muito inferiores. O uso do GLP é proibido para fins automotivos, de acordo com a Resolução ANP N.º15, de 18/05/05.

Que classe de veículos utiliza o Gás Natural Veicular?

Automóveis particulares, frotas cativas de empresas, veículos de transporte alternativo, ônibus, táxis e veículos comerciais em geral.

Que vantagens oferece o Gás Natural Veicular?

Com o GNV, você pode economizar nos gastos com combustível e com IPVA (no estado de São Paulo, consulte a Secretaria da Fazenda para confirmar a alíquota aplicável ao seu veículo). A economia pode ser ainda maior, pois a autonomia do GNV é superior à dos combustíveis líquidos.

O GNV é um combustível limpo: sua queima gera baixíssima emissão de poluentes, o que colabora para a melhoria das condições ambientais e contribui para a redução do efeito estufa, desde que o kit GNV seja devidamente instalado por uma oficina de qualidade.

O GNV não pode ser adulterado, portanto, a qualidade do combustível é garantida.

Todas estas vantagens estão à disposição dos usuários sem que se perca a possibilidade de utilizar outros combustíveis. Um simples comando instalado no painel do veículo permite a utilização do combustível original de acordo com a conveniência do motorista

O veículo pode utilizar dois ou três combustíveis?

Sim. O kit GNV é um sistema flexível que possibilita a utilização alternada do combustível original (gasolina e/ou álcool) e o gás natural veicular. Pode-se alternar entre os combustíveis até mesmo com o veículo em movimento.

Como funciona o Kit GNV?

O GNV flui pelo veículo desde o cilindro de armazenamento (que na maioria dos veículos encontra-se no porta-malas), por uma tubulação de aço inox, até o suporte do motor. Neste, há um regulador que reduz a alta pressão de armazenamento para a pressão atmosférica. Um misturador combina o gás com ar e essa mistura flui através do carburador/injeção eletrônica até o motor.

O seletor instalado no painel do veículo permite a troca entre combustíveis. Os kits geralmente dispõem de instrumentação eletrônica de variação de avanço e mecanismos auxiliares a fim de adequar o funcionamento e o rendimento do veículo tanto na utilização do GNV quanto no uso do combustível original.

O carro mantém a potência?

Segundo testes, a potência não sofre redução significativa. A perda de potência é semelhante à resultante do uso de ar condicionado.

Como instalar o Kit GNV?

Para utilização do gás natural veicular é necessário que você instale o kit GNV em uma oficina homologada pelo INMETRO. Somente empresas credenciadas fornecem o "Certificado de Homologação de Montagem" do kit. Este documento atesta que todas as normas técnicas estabelecidas pela ABNT foram cumpridas, permitindo que o veículo seja legalizado junto ao departamento de trânsito local.

É seguro usar o Gás Natural Veicular?

Absolutamente seguro, quando for realizada uma instalação de boa qualidade. Os cilindros de armazenamento são muito mais resistentes que os tradicionais tanques de combustível líquido. Em situações de choques ou colisões, são praticamente nulas as chances de danos nesses cilindros.

O gás natural é mais leve que o ar e, no caso de um possível vazamento, o gás rapidamente se dispersa, eliminando o risco de explosão. Além disso, o gás natural possui odorante, o que permite a rápida identificação do vazamento.

Outro fator que influi na segurança do gás natural é seu ponto de ignição, superior ao da gasolina e do álcool, o que torna sua combustão acidental bem mais difícil.

O Gás Natural Veicular é um combustível mais limpo que a gasolina?

Sim. O gás natural é uma das alternativas mais viáveis para a solução dos problemas ambientais associados a veículos automotores. A queima do gás natural é muito mais completa que a da gasolina ou diesel. Por isso, os veículos que utilizam o GNV emitem menos poluentes como óxidos nitrosos, dióxido de carbono (CO2) e principalmente monóxido de carbono (CO). O GNV ajuda a baixar os níveis de poluição e conseqüentemente colabora para a melhoria da qualidade de vida das populações dos grandes centros urbanos. No entanto, uma instalação de qualidade e manutenção periódica são fundamentais para garantir a limpeza das emissões.

Qual a documentação necessária para o veículo convertido ao Gás Natural Veicular?

Após a instalação e inspeção do kit GNV, o usuário recebe o Certificado de Segurança Veicular - CVS. Com este certificado, o proprietário tem o prazo de 30 dias (estipulado pelo DETRAN) para regularizar a documentação do veículo, que passa a ser considerado bi-combustível ou tri-combustível (no caso de carros flex).

Após a instalação do kit GNV, veículos com a documentação regularizada passam a ter alíquota de IPVA reduzida (25% de desconto ou alíquota final de 3%, para o caso de veículos a gasolina no Estado de São Paulo). Os veículos que não tiverem a documentação regularizada estarão sujeitos a multas e apreensão pelo DETRAN. A  Secretaria da Fazenda deve ser consultada para confirmar a alíquota aplicável ao seu veículo.

Desde 1º de outubro de 2003, todos os veículos movidos a GNV precisam apresentar o selo do INMETRO. A obrigatoriedade tem como objetivo regularizar e controlar a frota de GNV no Brasil.

Gás natural e gás de botijão (GLP) são a mesma coisa?

Não, suas composições são bem diferentes. O gás de botijão (GLP, ou Gás Liquefeito de Petróleo), composto basicamente por propano e butano, é altamente inflamável e mais pesado do que o ar. Em caso de vazamento, o GLP pode repelir o oxigênio e causar asfixia. O gás natural é composto principalmente por metano e etano. Por ser mais leve que o ar, o gás se dissipa com mais facilidade em caso de vazamento, sendo assim mais seguro.

Qual é a reserva e a produção de gás natural no Brasil?

A reserva total de gás natural do Brasil, segundo o relatório "Quantifying Energy - BP Statictical Review of World Energy 2006", é de 0,33 trilhões de metros cúbicos de gás natural. Este volume representa 0,2% do total das reservas mundiais de gás natural. A soma das reservas provadas nas Américas do Sul e Central representa 3,9% do total das reservas mundiais. Segundo informações da ANP (Agência Nacional de Petróleo), a produção de gás natural no Brasil em 2005 foi de 17,699,201 mil m3. Segundo a Abegás, entidade que reúne as empresas de distribuição de gás natural canalizado, a média de gás natural comercializado no Brasil no mesmo ano foi de 40,2 milhões de m3 por dia.

O gás natural utilizado como combustível causa danos ao meio ambiente?

Em todo o mundo, o gás natural é considerado um combustível ecologicamente amigável exatamente por sua característica de baixa emissão de poluentes, uma vez que sua queima é quase total, tanto nos motores dos veículos como nos fornos e caldeiras industriais. Atualmente, as políticas governamentais vêm incentivando sua adoção nas frotas de transporte coletivo como forma de melhorar a qualidade do ar, principalmente nos grandes centros urbanos.

Qual a área total do gasoduto Bolívia-Brasil e quais as informações principais sobre a obra?

O gasoduto Bolívia-Brasil tem 3.150 km de extensão, sendo 557 km na Bolívia e 2.593 km no Brasil, construídos nas mais variadas e difíceis condições de passagem – atravessando fazendas, cidades, montanhas, rios, rodovias. O gasoduto corta cinco estados e 135 municípios brasileiros. Este empreendimento tem investimentos da ordem de US$ 2 bilhões, sendo U$ 1,7 bilhão no Brasil. A obra utiliza tubulações de aço-carbono de 16 a 32 polegadas de diâmetro, pesando 540 mil toneladas.

Quais são as principais reservas brasileiras de gás natural?

Elas estão localizadas na Bacia de Campos (RJ), Bacia de Santos (SP) e Campos de Urucu e Juruá (AM).

Fonte: www.comgas.com.br

Gás Natural

O Que é GNV? ( Gás Natural Veicular )

O Gás Natural Veicular (metano) é um combustível "limpo" por não apresentar impurezas e resíduos da sua combustão. Outro ponto favorável para a sua utilização é o fato de não ser corrosivo nem produzir depósitos de carbonos nas câmaras de combustão. Além disso, o GNV não contém aditivos.

A mistura ar-combustível é perfeita com qualquer temperatura e a sua combustão é mantida por mais tempo do que os demais combustíveis, o que se transforma em benefícios para a vida útil do motor.

O armazenamento do GNV é realizado em cilindros de aço especial, no qual o gás é comprimido sob uma pressão de 200 bar. A maioria dos carros convertidos para Gás Natural podem ser chaveados e voltar a utilizar o combustível original.

A questão de segurança é outro diferencial. O GNV é mais leve do que o ar, o que possibilita uma dispersão mais rápida, enquanto que sua temperatura de ignição é de 620ºC, bem acima das atingidas por álcool (300ºC) e gasolina (200ºC).

Vantagens

Preço

A principal vantagem do GNV é o seu preço. É muito mais barato do que qualquer outro combustível.

Economia

Usar GNV significa uma economia de até 70% para os motoristas.

Mais reservas

Hoje existem no mundo 160 bilhões de toneladas de petróleo, o que garante uma reserva de mais ou menos 40 anos, enquanto o GNV está em condições de garantir uma reserva de 65 anos.

Proteção do Meio Ambiente

A queima do GNV é muito mais completa do que a dos outros combustíveis, por isso libera menos quantidade de resíduos poluentes, favorecendo a proteção do meio ambiente.

Maior vida útil do motor

Por ser um combustível mais limpo e seguro, o GNV prolonga a vida útil do motor.

Segurança

O risco de uma combustão é muito menor com o GNV. Enquanto o álcool se inflama a uma temperatura de 200°C, a gasolina a 300°C, o gás se queima a 620°C. Além disso o abastecimento é feito sem que o produto entre em contato com o ar, o que elimina a possibilidade de combustão.

Segurança no Armazenamento

Os cilindros de alta pressão, responsáveis pelo armazenamento do GNV nos veículos, são resistentes a choques, colisões e até mesmo ao impacto de projéteis de armas de fogo.

Sucesso Mundial

Além de adotado em diversos países como: Argentina, Austrália, Itália, Canadá e demais paises da Comunidade Européia, o GNV tem sido objeto de estudos em diversas montadoras, principalmente européias, devido as características de sua queima serem pouco agressivas ao meio ambiente.

Veículo Bi-Combustível

A conversão do carro para o GNV não elimina a possibilidade de utilizá-lo com o seu combustível original. Com a conversão o veículo torna-se bi-combustível.

Abastecimento

As companhias de Gases e as grandes empresas distribuidoras de combustível (Ipiranga,Petrobrás,etc...) estão investindo pesado na expansão de novos postos de abastecimento. A CEG inaugurou no dia 1 de Dezembro/99, seu primeiro posto com a bandeira própria, com 2119m² de área total e capacidade de abastecimento de 1800m³ de GNV por hora, o que equivale a uma média de 150 carros por hora e 3600 carros por dia.

Fonte: www.fullgasgnv.com.br

Gás Natural

GNV (Gás Natural Veicular) é a terminologia utilizada para o Gás Natural usado como combustível para veículos automotores. Extraído do solo em sua forma original, é resultado da transformação de matéria orgânica, sob a ação de pressão, temperatura e outros fatores.

Comparando com outros combustíveis, o GNV apresenta uma série de vantagens. Além da economia proporcionada de até 65% em relação ao combustível original, o GNV não apresenta impurezas ou resíduos de sua combustão - poluindo menos. Além disso, em caso de acidente, gás dissipa-se na atmosfera.

Localização do Gás Natural

O território brasileiro é rico em Gás Natural e possui reservas comprovadas superiores a 383 bilhões m3. Existem 17 Estados e 141 cidades brasileiras utilizando o GNV como combustível. Há 1091 postos de abastecimento e são vendidos 165.624.000 m3/mês, segundo dados de outubro de 2005.

Pode-se ver na imagem ao lado que o Gás Natural é encontrado no subsolo, por acumulações de gás que ocorrem em rochas porosas, isoladas do exterior por rochas impermeáveis, associadas ou não a depósitos petrolíferos.

Uso e Vantagens

Economia de até 65% no combustível
Evita adulteração de combustível
Evita roubo do combustível
Proporciona menor impacto ambiental.

Fonte: www.vw.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal