Breaking News
Home / Química / Proteoglicanos

Proteoglicanos

PUBLICIDADE

Definição

Os proteoglicanos, qualquer uma de uma classe de glicoproteínas de alto peso molecular que são encontradas especialmente na matriz extracelular do tecido conjuntivo.

É uma macromolécul++a composta por um polissacarídeo unido a um polipeptídeo e formando a substância fundamental na cartilagem e outros tecidos conjuntivos

O que são

Os proteoglicanos são um tipo de molécula encontrada no tecido conjuntivo do corpo. O tecido conjuntivo é um tecido fibroso que fornece suporte para outras estruturas do corpo.

Os proteoglicanos constituem uma parte importante da matriz extracelular, o material entre as células que fornece suporte estrutural.

Ao contrário de outros tecidos corporais, a matriz extracelular é a parte mais importante do tecido conjuntivo.

Os proteoglicanos são glicoproteínas fortemente glicosiladas. Isso significa que são proteínas com cadeias de polissacarídeos, um tipo de carboidrato, anexado.

O tipo específico de polissacarídeos ligados aos proteoglicanos são chamados glicosaminoglicanos.

Os proteoglicanos são carregados negativamente devido à presença de sulfatos e ácidos urônicos.

As cadeias de glicosaminoglicanos de um proteoglicano podem ser feitas de sulfato de condroitina, sulfato de dermatan, sulfato de heparina, sulfato de heparan ou sulfato de queratan.

Além do tipo de glicosaminoglicanos que eles carregam, os proteoglicanos podem ser categorizados por tamanho.

As moléculas grandes incluem o aggrecan, um componente importante da cartilagem, e o versican, encontrado nos vasos sanguíneos e na pele. Pequenas moléculas presentes em vários tecidos conjuntivos incluem decorina, biglican, fibromodulina e lumican. Por serem carregados negativamente, os proteoglicanos também ajudam a atrair íons positivos ou cátions, como cálcio, potássio e sódio. eles também ligam a água e ajudam no transporte de água e outras moléculas através da matriz extracelular.

Todos os componentes de um proteoglicano são sintetizados dentro das células. A porção de proteína é sintetizada por ribossomos, que produzem proteínas a partir de aminoácidos.

A proteína é então movida para o retículo endoplasmático rugoso. É glicosilado no aparelho de Golgi, outra organela, em várias etapas.

Primeiro, um tetrassacarídeo de ligação no qual os polissacarídeos podem crescer é anexado à proteína.

Em seguida, os açúcares são adicionados um a um. Quando o proteoglicano está completo, ele deixa a célula através de vesículas secretoras e entra na matriz extracelular.

Um grupo de distúrbios metabólicos genéticos conhecidos como mucopolissacaridoses é caracterizado pela incapacidade de quebrar os proteoglicanos devido a enzimas lisossômicas ausentes ou com mau funcionamento.

Esses distúrbios levam a um acúmulo de proteoglicano nas células.

Dependendo do tipo de proteoglicano permitido, as mucopolissacaridoses podem causar sintomas que variam de baixa estatura e hiperatividade ao crescimento esquelético anormal e retardo mental.

O que é uma matriz extracelular?

Uma matriz extracelular é uma rede de tecido não vivo que fornece suporte às células. Ele também executa várias outras funções muito específicas, dependendo dos tipos de células às quais está associado, e assume várias formas.

Os materiais constituintes nessa estrutura podem variar amplamente; as plantas, por exemplo, as constroem a partir de celulose, enquanto os animais produzem matrizes extracelulares com proteínas, minerais e certos carboidratos.

O termo “extracelular” significa literalmente “fora da célula”, o que explica onde a matriz está localizada. Em alguns casos, é realmente secretado pelas células circundantes.

No osso, por exemplo, uma matriz extracelular mineralizada é projetada para fornecer suporte e resistir à compressão. Em alguns casos, a matriz simplesmente preenche o espaço entre os diferentes tipos de tecido, garantindo que sejam mantidos separados e que suas funções não sejam perturbadas.

A pele possui uma extensa matriz extracelular que a mantém elástica e forte. A matriz da pele também desempenha um papel importante no processo de cicatrização, assim como essas estruturas em outras partes do corpo.

Também pode ajudar a regular a comunicação entre as células e a produção de certas substâncias no organismo. Além disso, fornece uma estrutura para a adesão celular, incentivando o crescimento e a cura estável.

Ossos, músculos e tendões têm extensas matrizes extracelulares que lhes permitem desempenhar uma variedade de funções no corpo.

Tendões e ligamentos têm proteínas especiais que permitem que sejam esticadas e contraídas para que o corpo possa se mover, enquanto o osso é feito principalmente de depósitos de colágeno e minerais, criando uma estrutura muito sólida e segura.

Dependendo do tipo de matriz extracelular envolvida, células específicas podem ser necessárias para construí-la.

Os fibroblastos, por exemplo, secretam a matriz que cria o tecido conjuntivo fibroso, enquanto os osteoblastos produzem novos ossos. Quando essas células são rompidas de alguma maneira, elas podem causar sérios problemas, pois o corpo reabsorve constantemente as substâncias que produz, mesmo produzindo mais; se nada mais estiver sendo produzido ou a matriz estiver sendo superproduzida, poderá causar problemas de saúde.

Quando os cânceres atacam o corpo, uma das coisas que atacam primeiro é a matriz extracelular na região onde crescem.

Os cânceres secretam certas enzimas que digerem a estrutura, fornecendo uma ligação direta com o tecido abaixo dela e permitindo que o câncer se metastize à medida que se decompõe e distribui células para novas regiões.

Sem essas enzimas, o câncer não seria capaz de penetrar nos tecidos vulneráveis do corpo.

Resumo

Os proteoglicanos são macromoléculas de alto peso molecular e estão presentes no corpo, principalmente nos tecidos conjuntivos.

Eles são um complexo de proteínas e polissacarídeos, característicos dos tecidos estruturais dos vertebrados, como ossos e cartilagens, mas também presentes na superfície celular.

Os glicosaminoglicanos, as unidades polissacarídicas dos proteoglicanos, são polímeros de dissacarídeos ácidos contendo derivados dos amino-açúcares glucosamina ou galactosamina.

Os ribossomos sintetizam o componente proteico de um proteoglicano.

A proteína é então movida para o lúmen do lúmen do retículo endoplasmático rugoso e depois para o aparelho de Golgi, onde sofre glicosilação. Quando está na sua forma final, é exportado em vesículas secretoras e na matriz extracelular do tecido.

Os proteoglicanos são um componente da matriz extracelular dos animais. Eles preenchem os espaços entre as células, formando complexos com outros compostos, como colágeno, hialuronano e outros proteoglicanos.

Eles também são importantes na determinação das propriedades viscoelásticas de juntas e outras estruturas sujeitas a deformação mecânica.

Fonte: www.cryst.bbk.ac.uk/www.eurekaselect.com/www.wisegeek.org/www.sciencedirect.com/themedicalbiochemistrypage.org/www.bumc.bu.edu/www.collinsdictionary.com/www.cancer.gov

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Xileno

PUBLICIDADE Definição O termo xileno refere-se a um grupo de três derivados de benzeno, cada …

Processo Químico

PUBLICIDADE Definição de Processo Químico Os processos químicos, físicos e biológicos podem ser vistos como reações …

Cátodo

Cátodo

PUBLICIDADE Um cátodo é um eletrodo de metal carregado negativamente a partir do qual a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.