Breaking News
Home / Química / Eletroafinidade

Eletroafinidade

PUBLICIDADE

O que é

A afinidade de elétrons é a medida da energia liberada quando um átomo neutro absorve um elétron. A absorção de um elétron adicional requer energia porque uma partícula carregada negativamente não está atraindo naturalmente para um átomo neutro.

Os elementos dos grupos 6 e 7 da tabela periódica são os que mais provavelmente atraem um ou dois elétrons adicionais.

Para atrair um elétron adicional em órbita ao redor de seu núcleo, um átomo deve liberar energia. A medida desta energia é escrita como um número negativo porque o átomo emite energia e, portanto, tem uma rede de perda de energia.

Átomos que emitem menos energia ao atrair um elétron adicional são considerados como tendo uma afinidade eletrônica menor e são mais propensos a perder elétrons extras.

A medida da afinidade de eletrões é menor em átomos com maior peso molecular. Parte da razão para isso é que átomos mais pesados contêm naturalmente mais elétrons para equilibrar com o número de prótons no núcleo. Com muitos elétrons orbitando o núcleo de um átomo, um elétron livre tem uma maior chance de ser repelido do átomo.

Elétrons extra são puxados para o orbital de elétrons mais externo em um átomo. A maior distância do orbital externo em átomos com maior peso molecular não tem efeito sobre a capacidade de um átomo para atrair esses elétrons, embora átomos de maior peso molecular tenham uma menor medida de afinidade eletrônica. Todos os átomos no grupo 7 libertam uma atração de +7 independentemente do número de elétrons já em órbita. Da mesma forma, todos os átomos no grupo 6 libertam uma atração de +6. Isso ocorre porque um elétron é atraído pelo número de prótons no núcleo menos o número de elétrons em todos os orbitais inferiores.

Eletroafinidade

Tabela periódica completa

Oxigênio e enxofre são capazes de atrair dois elétrons adicionais em suas órbitas. Isso é incomum porque um átomo carregado negativamente requer uma grande quantidade de energia para atrair uma partícula negativa adicional. Estes elementos têm uma elevada afinidade eletrônica e são os únicos dois elementos conhecidos comumente existem com uma carga de -2.

Um átomo é composto de partículas carregadas positivamente e negativamente, bem como partículas que não têm carga. O núcleo de um átomo contém prótons, que têm uma carga positiva, e os nêutrons, que não têm carga. O número de prótons em um átomo é igual ao número atômico desse átomo, o que significa que cada átomo do mesmo tipo contém o mesmo número de prótons. Os átomos individuais podem ter mais ou menos nêutrons ou elétrons do que um outro, embora a maioria de átomos mantenha um contrapeso de partículas positivas e negativas.

Definição

Em química e física atômica, a afinidade eletrônica de um átomo ou molécula é definida como a quantidade de energia liberada ou gasta quando um elétron é adicionado a um átomo neutro ou molécula no estado gasoso para formar um íon negativo.

A afinidade eletrônica de um átomo ou molécula é definida como a quantidade de energia libertada quando um eletrão é adicionado a um átomo ou molécula neutro para formar um ião negativo.

A afinidade eletrônica é a energia necessária / liberada para adicionar um elétron a um átomo.

Eletroafinidade ou afinidade eletrônica

É a energia associada à entrada de um elétron num átomo isolado.

Nos períodos e nas famílias, quanto menor for o átomo, maior será a sua capacidade de receber elétrons, e maior a afinidade eletrônica.

Assim, na tabela periódica, a afinidade eletrônica tem variação inversa à do raio atômico.

Átomo ou Molécula

A afinidade eletrônica de um átomo ou molécula é a propensão para que a partícula ganhe um elétron. Este é um processo exotérmico para todos os elementos de gás não-nobres.

Existem tendências gerais na afinidade de elétrons através e abaixo da tabela periódica de elementos. A afinidade de eletrões geralmente aumenta ao longo de um período na tabela periódica e, por vezes, diminui para baixo um grupo.

Essas tendências não são necessariamente universais.

O raciocínio químico para mudanças na afinidade de elétrons através da tabela periódica é o aumento da carga nuclear efetiva durante um período e até um grupo.

Tendências periódicas na afinidade de elétrons

1. A afinidade eletrônica (geralmente) aumenta à medida que você se move da esquerda para a direita através da tabela periódica, dos metais alcalinos para os halogênios.

2. Ao contrário da energia de ionização e dos raios atômicos, mudanças relativamente pequenas na afinidade eletrônica são observadas à medida que você se move para baixo de um grupo.

Tenha em mente que a afinidade eletrônica é uma medida de quão estável os produtos são em relação aos reagentes. Se os produtos são muito mais estáveis, uma grande quantidade de energia será libertado durante o processo e a afinidade eletrônica vai haver um grande número negativo. No outro extremo, se os reagentes são muito mais estáveis do que os produtos, em seguida, torna-se muito difícil adicionar um eletrão e a afinidade eletrônica vai ser positivo.

Há exceções suficiente para as propriedades periódicas em afinidade eletrônica que vale a pena considerar a afinidade eletrônica de grupos específicos na tabela periódica.

Halogêneos (grupo 7A, F para At): a maioria dos valores negativos de afinidade eletrônica, a adição e conduz à configuração de gás nobre, muito favorável.

Grupo 5A (N para Bi): Cheio desencoraja a adição de um elétron, afinidade eletrônica valores menos negativos do que os vizinhos (grupos 4A e 6A).

Terra alcalinas (grupo 2A, Be to Ba): O subconjunto enchido desencoraja a adição de um elétron, afinidade eletrônica valores quase zero.

Gases Nobres (Grupo 8A, He para Rn): O invólucro completamente cheio desencoraja fortemente a adição de um elétron, os valores daafinidade eletrônica são positivos.

Fonte: www.wisegeek.com/chemistry.osu.edu/www.colegiosaofrancisco.com.br

Veja também

Álcool Isopropílico

PUBLICIDADE Definição O isopropanol é um líquido claro, incolor e volátil. Também é comumente conhecido …

Serotonina

Serotonina

PUBLICIDADE Definição de Serotonina A Serotonina é um neurotransmissor que está envolvido na transmissão de …

Untitled-3

Recristalização

PUBLICIDADE Definição A recristalização, também conhecida como cristalização fracionada, é um procedimento para purificar um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.