Breaking News
Home / Química / Farmacocinética

Farmacocinética

PUBLICIDADE

Farmacocinética, é um ramo da farmacologia dedicada a determinar o destino de substâncias administradas a um organismo vivo. As substâncias de interesse incluem qualquer xenobiótico químico, tais como: medicamentos, pesticidas, aditivos alimentares, cosméticos, etc.

Ele tenta analisar o metabolismo químico e descobrir o destino de um produto químico a partir do momento em que é administrado até o ponto em que é completamente eliminado do corpo. A farmacocinética é o estudo de como um organismo afeta uma droga, enquanto a farmacodinâmica é o estudo de como a droga afeta o organismo. Ambos juntos influenciam a dosagem, benefício e efeitos adversos , como observado nos modelos PK / PD.

A farmacocinética descreve como o corpo afeta um xenobiótico/químico específico após a administração através dos mecanismos de absorção e distribuição, bem como as alterações metabólicas da substância no organismo (por exemplo, enzimas metabólicas como o citocromo P450 ou enzimas com glucuronosiltransferase ) e os efeitos e rotas de excreção dos metabolitos da droga. As propriedades farmacocinéticas dos produtos químicos são afetadas pela via de administração e pela dose do medicamento administrado. Estes podem afetar a taxa de absorção.

O que é

A farmacodinâmica descreve uma infinidade de modos pelos quais as substâncias afetam o corpo. Depois de terem sido engolidos, injetados ou absorvidos através da pele, quase todos os medicamentos entram na corrente sangüínea, circulam pelo corpo e interagem com diversos locais-alvo.

Mas dependendo de suas propriedades ou da via de administração, um medicamento pode atuar apenas em uma área específica do corpo (por exemplo, a ação dos antiácidos fica em grande parte confinada ao estômago).

A interação com o local-alvo comumente produz o efeito terapêutico desejado, enquanto a interação com outras células, tecidos ou órgãos pode resultar em efeitos colaterais (reações medicamentosas adversas).

Receptores

Muitas drogas aderem (se ligam) às células por meio de receptores existentes na superfície celular. A maioria das células possui muitos receptores de superfície, o que permite que a atividade celular seja influenciada por substâncias químicas como os medicamentos ou hormônios localizados fora da célula.

O receptor tem uma configuração específica, permitindo que somente uma droga que se encaixe perfeitamente possa ligarse a ele – como uma chave que se encaixa em uma fechadura. Freqüentemente a seletividade da droga pode ser explicada por quão seletivamente ela se fixa aos receptores. Algumas drogas se fixam a apenas um tipo de receptor; outras são como chaves-mestras e podem ligar-se a diversos tipos de receptores por todo o corpo. Provavelmente a natureza não criou os receptores para que, algum dia, os medicamentos pudessem ser capazes de ligar-se a eles.

Enzimas

Além dos receptores celulares, outros alvos importantes para a ação dos medicamentos são as enzimas, que ajudam no transporte de substâncias químicas vitais, regulam a velocidade das reações químicas ou se prestam a outras funções de transporte, reguladoras ou estruturais. Enquanto as drogas que se direcionam para os receptores são classificadas como agonistas ou antagonistas, as drogas direcionadas para as enzimas são classificadas como inibidoras (hipofuncionante – diminui-se a dosagem) ou indutoras (hiperfuncionantes – aumenta-se a dosagem)

Fonte: en.wikipedia.org/xa.yimg.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Dopamina

PUBLICIDADE A dopamina é importante para muitos dos nossos comportamentos diários. Ela desempenha um papel …

Antagonista

PUBLICIDADE Um antagonista do receptor é um tipo de ligante receptor ou droga que bloqueia …

Agonista

Definição PUBLICIDADE Um agonista é uma molécula que pode se ligar e ativar um receptor …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.