Breaking News
Home / Química / Oxalato

Oxalato

PUBLICIDADE

O que é

Um oxalato é qualquer composto químico que contém um íon oxalato, que é a forma aniônica ou negativamente carregada de ácido oxálico.

Todos os compostos desta família são, portanto, sais ou esteres de ácido oxálico.

O ácido oxálico é o ácido dicarboxílico mais simples e tem a fórmula HO2 CCO2 H.

Há muitas variações diferentes e muitas combinações potenciais. Eles ocorrem abundantemente na natureza, mas também podem ser sintetizados em laboratórios para uso em grande escala.

Os compostos têm vários usos industriais, desde agentes de limpeza até conservantes de alimentos.

Dependendo de sua composição química central, no entanto, diferentes variedades podem ter propriedades surpreendentemente diferentes.

Alguns são solúveis em água, enquanto outros não são, por exemplo, e outros podem ser agentes redutores muito fortes, chegando até mesmo a vazar nutrientes como ferro para fora do sangue.

Outros causam acúmulos, particularmente de minerais como o cálcio.

Pessoas com certas preocupações com a saúde são frequentemente aconselhadas a monitorar sua ingestão diária de oxalato para ajudar a reduzir os sintomas ou os surtos.

Fontes e Disponibilidade

O ácido oxálico e os outros compostos de oxalato ocorrem amplamente na natureza, geralmente como sais de cálcio, sódio ou potássio.

Eles são comuns em frutas e vegetais, nos quais freqüentemente contribuem com um sabor adstringente ou amargo.

Alimentos ricos em oxalatos incluem: espinafre, ruibarbo, morangos e salsa, embora quase todos os alimentos vegetais contenham alguma quantidade.

Normalmente, elas não são especialmente prejudiciais, embora as folhas e raízes da planta ruibarbo sejam especialmente ricas em oxalatos, e comê-las pode ser tóxico.

Os compostos também podem ser sintetizados artificialmente em laboratórios.

Esta rota é muitas vezes preferível para a produção em grande escala de produtos de limpeza doméstica ou agentes químicos, uma vez que é frequentemente a forma mais fiável de garantir a consistência da resistência e da composição.

Ácido oxálico

O ácido oxálico em si é extraordinariamente forte para um ácido orgânico e é um bom agente redutor. Comercialmente, ele encontra amplo uso como agente de branqueamento, removedor de ferrugem e restaurador de madeira.

Como ácido, é tóxico, extremamente irritante e deve ser usado com cuidado para evitar ingestão ou contato com a pele.

Questões de solubilidade

A solubilidade diz respeito à facilidade com que os compostos se dissolvem ou se dissociam na água.

Os oxalatos de sódio e potássio tendem a ser bastante solúveis em água, enquanto os sais de cálcio e magnésio são notavelmente menores.

A solubilidade do oxalato de cálcio é geralmente documentada em apenas 0,005 gramas/litro (g / l) em pH fisiológico. Isso pode afetar tudo, desde a absorção até a estabilidade da substância maior da qual faz parte.

Na verdade, é a insolubilidade do oxalato de cálcio que dá a esses compostos o seu significado médico. Formado quando o oxalato solúvel encontra íons de cálcio naturais no corpo, o oxalato de cálcio se precipita como um sólido e pode causar danos consideráveis, especialmente nos rins. O oxalato de cálcio é o componente mais comum das pedras nos rins, e o teor de oxalato na urina é o fator mais significativo na formação de cálculos renais. Pacientes propensos a pedras nos rins podem ser colocados em dietas com baixo teor de oxalato.

Como agente quelante

O oxalato também é um bom agente quelante, o que basicamente significa que é uma substância que pode se ligar a vários íons metálicos por atração eletrostática. Como tal, é capaz de impedir que os íons sejam usados pelo corpo, seja para o bem ou para o mal.

O oxalato de ferro quelado parece ser um fator importante na gota, por exemplo. Devido à sua baixa solubilidade, precipita do sangue nas articulações, onde os cristais podem causar dores excruciantes.

Ingestão Média e Preocupações com a Saúde

O consumo diário de oxalato da pessoa comum é geralmente entre 80 e 120 miligramas por dia (mg / dia), embora possa variar de 40 a 350 mg dia, dependendo do que é ingerido e de como ele foi preparado.

Os níveis de consumo podem ser ainda maiores em indivíduos que comem uma dieta ocidental típica, rica em conservantes e aditivos químicos.

Oxalatos também podem ser produzidos através do metabolismo da vitamina C, e grandes doses dessa vitamina – em excesso de 2 gramas por dia – são desencorajadas por esse motivo.

A maior parte do oxalato solúvel é eliminada na urina, enquanto os sais insolúveis são eliminados nas fezes. Um excesso de oxalato na urina é conhecido como hiperoxalúria, e um excesso no corpo é chamado de hiperoxalose.

Ambas as condições podem ser prejudiciais, particularmente se persistirem por longos períodos de tempo.

Qual é a ligação entre oxalato e pedras nos rins?

Oxalatos são compostos que ocorrem naturalmente em uma variedade de alimentos que atuam como ácidos orgânicos em organismos vegetais e animais.

A conexão entre oxalato e pedras nos rins decorre de pesquisas que mostram a conexão entre altos níveis de oxalatos de cálcio na urina de indivíduos que desenvolvem pedras nos rins.

De acordo com a pesquisa nutricional, o oxalato dietético contribui apenas com cerca de 10% da formação total de cálculos renais, fazendo com que as recomendações para limitar os alimentos contendo oxalato sejam um assunto controverso.

O efeito do oxalato e pedras nos rins não deve ser uma preocupação primária para a maioria dos indivíduos saudáveis, pois restringir ou mesmo eliminar os alimentos que contêm oxalatos pode resultar em uma dieta menos nutritiva.

O composto chamado oxalato ocorre naturalmente como um ácido orgânico em muitos alimentos, como espinafre cru, cacau e chá.

A maioria das pesquisas que relacionam oxalato e cálculos renais vem da análise dos níveis de oxalato na urina daqueles que desenvolvem pedras nos rins.

Muitas conexões foram feitas entre o composto oxalato e pedras nos rins, mas a maioria dos pesquisadores não tem certeza se oxalatos dietéticos são as principais causas por trás da formação de pedra nos rins.

Como apenas uma pequena porcentagem do oxalato da dieta contribui para os níveis gerais de oxalato na urina, a maioria dos pesquisadores e grupos de defesa da nutrição recomendam que os indivíduos não restrinjam a ingestão de alimentos que contenham oxalatos.

Muitos alimentos saudáveis estão ligados a pedras de oxalato e pedras nos rins, mas eliminar esses alimentos da dieta pode resultar em perda nutricional. Cacau e chá, por exemplo, contêm oxalatos, mas são muito ricos em antioxidantes, compostos que combatem os radicais livres. Espinafre é outro alimento contendo oxalato, contribuindo com uma ampla gama de vitaminas, minerais e outros nutrientes na dieta em apenas uma porção.

Pensou-se anteriormente que cozinhar alimentos com oxalatos poderia destruir seus efeitos negativos na saúde, mas pesquisas mais conclusivas provaram exatamente o contrário.

De fato, os alimentos excessivamente ricos em oxalatos destroem muitos dos valiosos nutrientes contidos nos alimentos, levando a uma dieta pobre em nutrientes.

A maioria dos indivíduos saudáveis pode consumir com segurança alimentos crus contendo oxalatos e não ter um problema, no entanto, isso depende da história e da fisiologia da saúde de um indivíduo.

A pesquisa indica que é possível impedir que os oxalatos contribuam para a formação de cálculos renais, consumindo quantidades saudáveis de proteína e água na dieta.

O que é oxalato de cálcio? Qual é a diferença entre oxalato de cálcio e oxalato? O que é ácido oxálico?

O ácido oxálico (fórmula química HOOC-COOH) é um ácido orgânico forte que é amplamente distribuído na natureza em plantas e animais. No entanto, as plantas contêm mais do que animais. O nome vem da planta Oxalis (azedinha) da qual foi isolada pela primeira vez.

O ácido oxálico tem a capacidade de formar uma ligação forte com vários minerais, como sódio, potássio, magnésio e cálcio. Quando isso ocorre, os compostos formados são geralmente referidos como sais de oxalato. Assim, “oxalato” geralmente se refere a um sal de ácido oxálico, um dos quais é o oxalato de cálcio.

Embora os sais de oxalato de sódio e potássio sejam solúveis em água, o oxalato de cálcio é praticamente insolúvel, razão pela qual o oxalato de cálcio, quando presente em níveis suficientemente altos, tem propensão a precipitar (ou solidificar) nos rins ou no trato urinário para formar cálcio, cristais de oxalato.

Cristais de oxalato de cálcio, por sua vez, contribuem para a formação de cálculos renais. Aproximadamente 75% de todos os cálculos renais são compostos predominantemente de oxalato de cálcio.

Por razões ainda não totalmente compreendidas, as mulheres têm uma incidência muito menor de pedras nos rins do que os homens.

Fonte: www.thevpfoundation.org/www.whfoods.com/www.wisegeek.org/www.healthline.com/www.kidney.org/veganhealth.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Nicotinamida

PUBLICIDADE O que é Nicotinamida? Também conhecida como niacinamida ou amida do ácido nicotínico, a …

Copolímero

PUBLICIDADE Definição – O que significa copolímero? Um copolímero é um polímero formado quando dois …

Benzodiazepínicos

O QUE SÃO BENZODIAZEPÍNICOS E COMO FUNCIONAM? PUBLICIDADE Os benzodiazepínicos são uma classe de medicamentos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.