Breaking News
Home / Química / Aspirina

Aspirina

PUBLICIDADE

Definição de Aspirina

aspirina é um analgésico diário para dores como dor de cabeça, dor de dente e cólica menstrual. Também pode ser usado para tratar resfriados e sintomas “semelhantes aos da gripe” e para baixar a temperatura elevada. É também conhecido como ácido acetilsalicílico.

A aspirina (ácido acetilsalicílico) é um medicamento usado para reduzir a dor ou inflamação. É classificado como um antiinflamatório não esteroidal (AINE).

Também é usado na prevenção de coágulos sanguíneos, ataques cardíacos, derrames e câncer de intestino.

No entanto, embora alguns estudos tenham descoberto que a aspirina pode reduzir a probabilidade de ataques cardíacos e câncer de intestino, estômago e esôfago.

Os especialistas ainda aconselham que os médicos tenham cuidado ao usar a aspirina como medida preventiva, pois ela pode aumentar o risco de sangramento e danificar o estômago.

Um medicamento que reduz a dor, a febre, a inflamação e a coagulação do sangue. A aspirina pertence à família das drogas chamadas agentes antiinflamatórios não esteróides.

O que é aspirina?

Originalmente, Aspirina – observe o A maiúsculo – era o nome de marca registrada de uma preparação específica de ácido acetilsalicílico comercializada pela Bayer.

Aspirina passou a ser o termo genérico para o composto e não é mais capitalizado.

A aspirina é um analgésico ou redutor da dor, um antiinflamatório e redutor da febre. Como tal, é frequentemente utilizado para dores leves a moderadas, como quando ocorre artrite crônica, resfriados e gripes, ou lesões esportivas.

Desenvolvida na última parte do século XIX, a aspirina agora é conhecida por reduzir a coagulação do sangue e, em baixas doses contínuas, pode fornecer alguma proteção contra ataques cardíacos.

O ácido salicílico, um precursor da aspirina moderna, é encontrado em várias ervas, principalmente na casca do salgueiro branco. O uso de casca de salgueiro para a dor data de pelo menos Hipócrates, e era administrado mastigando a casca para extrair o ingrediente eficaz. Este ingrediente foi extraído e combinado com um agente tampão para formar ácido acetilsalicílico, notável por ser o primeiro medicamento construído ou produzido artificialmente.

Assim como as drogas que se seguiram, a aspirina foi aclamada como uma droga milagrosa que cura tudo e, de fato, seus efeitos são benéficos. Os efeitos colaterais não são desconhecidos, no entanto, particularmente com o uso contínuo ou em doses mais altas.

Nos últimos anos, suspeitou-se que tomar o medicamento estimulasse a Síndrome de Reyes, uma doença perigosa que pode afetar o cérebro e o fígado, em crianças e adolescentes. A conexão não foi confirmada, mas é recomendado que pessoas com menos de 20 anos usem redutores alternativos de dor e febre.

Como a aspirina diminui a taxa de coagulação do sangue, as pessoas com distúrbios de coagulação, como hemofilia, não podem tomá-la. Também não é recomendado para o alívio da dor na extração de um dente, uma vez que a aspirina pode fazer com que o local da extração continue sangrando.

Problemas estomacais podem ser complicados pelo uso de aspirina, e algumas pessoas são alérgicas a ela. Se tomada em grandes doses ao longo do tempo, como ocorre com a dor crônica da artrite, a aspirina pode causar problemas de audição, como zumbido nos ouvidos e perda da função auditiva. Se ocorrerem problemas de audição, mude para um antiinflamatório sem aspirina e a função auditiva geralmente retorna ao normal.

Anatomia de um ataque cardíaco

Quais são os diferentes tipos de produtos de aspirina?

aspirina é um dos medicamentos antiinflamatórios e analgésicos de venda livre mais comuns, além de ser um ingrediente comum em muitos outros tipos de medicamentos de venda livre.

A aspirina infantil tem uma pequena dose de aspirina, e muitos médicos a recomendam para ajudar a reduzir o risco de ataques cardíacos e derrames. Alguns produtos de aspirina também são usados para ajudar a aliviar os sintomas de resfriado e gripe. A aspirina e produtos que contêm aspirina podem causar problemas estomacais em algumas pessoas, especialmente se ingeridos de maneira incorreta.

Classificada como um antiinflamatório não esteroidal (NSAID), a aspirina é um dos antiinflamatórios de venda livre mais populares.

É composto de ácido acetilsalicílico, que pode ser encontrado na casca do salgueiro.

Alguns produtos de aspirina podem ser usados para reduzir o inchaço das áreas lesadas.

Alguns dos produtos de aspirina mais populares são usados como analgésicos ou analgésicos. A aspirina geralmente funciona melhor em certos tipos de dor, particularmente dores agudas.

Quando combinada com cafeína, os efeitos da aspirina são aumentados, embora ainda não seja tão forte quanto alguns outros analgésicos de venda livre, como o ibuprofeno.

A aspirina em baixas doses geralmente contém uma dose muito pequena de aspirina, e costuma ser chamada de aspirina infantil.

Este medicamento ajuda a tornar o sangue mais fino, para que ele possa se mover mais facilmente através das artérias e outros vasos sanguíneos.

Muitos médicos costumam aconselhar algumas pessoas a tomar uma aspirina infantil por dia para ajudar a prevenir ataques cardíacos e derrames.

Além de aliviar dores e sofrimentos, a aspirina também é muito eficaz para diminuir as febres. Por causa disso, às vezes é adicionado a medicamentos para resfriado e gripe.

Este tipo de medicamento pode ser na forma de comprimido, cápsula de gel ou comprimido efervescente.

A aspirina efervescente é um dos produtos mais comuns para esse tipo de doença. Estes comprimidos grandes devem ser colocados em copos de água. Quando entram em contato com a água, começam a borbulhar e se dissolver. Depois que os comprimidos de aspirina são dissolvidos, quem sofre de resfriado pode beber a mistura para ajudar a aliviar os sintomas.

Embora muitas vezes possam ajudar a curar muitas doenças, a aspirina e seus produtos devem ser tomados com cautela. Eles podem causar vários efeitos colaterais e problemas.

Problemas de estômago são normalmente os efeitos colaterais mais comuns da aspirina. Isso pode variar de uma leve dor de estômago a uma úlcera hemorrágica mais grave. Para evitar esses efeitos colaterais, os produtos com aspirina podem ser tomados com alimentos ou leite.

A aspirina é um dos analgésicos de venda livre mais populares

Como foi inventada a aspirina?

Ao longo da história, as pessoas usaram a casca ou as folhas do salgueiro para fins medicinais. Hipócrates, entre muitos outros, sugeriu que as pessoas que sofrem de dores preparem um chá com folhas de salgueiro.

Outros disseram aos pacientes que mastigar a casca do salgueiro aliviaria a dor. Uma substância presente no salgueiro foi isolada nos anos 1800, levando à descoberta da aspirina.

Na primeira metade do século XIX, os cientistas descobriram que o ácido salicílico era a substância encontrada nas folhas e na casca do salgueiro que reduzia a febre e aliviava a dor. No entanto, isso não era prático de usar, pois as pessoas que tomaram ácido salicílico sofriam de irritação severa na boca e no estômago, e às vezes até morte.

Charles Gerhardt, um químico francês, misturou ácido salicílico com sódio e cloreto de acetila em 1853, criando anidrido acetosalicílico. O procedimento para fazer esse composto era demorado e difícil, fazendo Gerhardt abandonar seu projeto sem comercializá-lo.

Em 1894, um químico alemão chamado Felix Hoffman estava procurando uma maneira de tratar a dor da artrite de seu pai. Junto com um pesquisador chamado Arthur Eichengrün, ele encontrou os experimentos de Gerhardt e os replicou, criando ácido acetilsalicílico, ou aspirina. Esse foi o primeiro medicamento que não era uma cópia exata de algo encontrado na natureza, mas sim sintetizado em laboratório. Essa droga sintética foi o início da indústria farmacêutica.

Hoffman deu um pouco da aspirina, ainda sem nome, a seu pai com artrite, que experimentou uma redução da dor.

A Bayer decidiu patentear e comercializar a aspirina, junto com outra droga que Hoffman havia sintetizado, a heroína.

A heroína era uma versão sintética da morfina e era originalmente mais bem-sucedida do que a aspirina, por ser considerada mais saudável. Quando se descobriu que a heroína era extremamente viciante, a aspirina começou a vender mais que ela.

A aspirina foi cuidadosamente nomeada pela empresa Bayer. O prefixo ‘a’ significava o processo de acetilação que Gerhardt fez pela primeira vez com seus experimentos com ácido salicílico. A raiz ‘spir’ foi escolhida porque o ácido salicílico vem da planta spirea. O sufixo ‘in’ era a terminação comum para medicamentos na época. Assim, o nome Aspirina foi criado.

Embora Charles Gerhard achasse que seu composto era inútil, a aspirina tem muitos usos. As pessoas costumam usá-lo hoje para aliviar a dor e a febre. Os cientistas estão pesquisando aspirina para outros usos, incluindo possivelmente a prevenção de derrames e ataques cardíacos, controle do diabetes e desaceleração do crescimento de tumores cancerígenos e cataratas.

A aspirina foi originalmente produzida na forma de pó e ainda é vendida dessa forma em grande parte da Europa.

Os comprimidos de aspirina foram introduzidos pela Bayer em 1915.

Quais são alguns usos da aspirina?

aspirina foi descoberta como um analgésico eficaz, ou analgésico, em 1899 por Heinrich Dreser, um químico alemão. Spirea, um arbusto da família das rosas, contém os produtos químicos que compõem a aspirina.

Hoje, ele é feito principalmente de ácidos sintéticos e tem muitos usos além do alívio da dor.

Este medicamento é um antiinflamatório e também um analgésico. Isso significa que, ao mesmo tempo em que atua para bloquear a dor, também está curando. Por exemplo, quando uma pessoa tem uma dor de cabeça, geralmente é o resultado de um inchaço nos vasos sanguíneos do cérebro. A aspirina reduz o inchaço, de modo que a dor tem menos probabilidade de voltar quando as propriedades analgésicas desaparecem. Também é eficaz na redução de febres.

A aspirina também é um anticoagulante, o que significa que ajuda a manter o sangue fino o suficiente para não coagular. Normalmente, quando uma pessoa se machuca ou se corta, o sangue rapidamente começa a coagular ou engrossar, de modo que a pessoa não “sangra”. Os coágulos sanguíneos são muito perigosos quando se formam dentro dos vasos sanguíneos, geralmente causando ataque cardíaco, derrame ou outros problemas do sistema circulatório.

Pessoas com histórico de ataque cardíaco e aquelas em risco geralmente são aconselhadas pelo médico a tomar pequenas doses diárias de aspirina como medida preventiva.

Também é uma boa ideia que as pessoas que acreditam estar tendo um ataque cardíaco tomem um enquanto esperam a chegada de ajuda médica.

As propriedades de afinamento do sangue da aspirina podem salvar uma vida no caso de uma emergência cardíaca, ajudando um pouco do sangue a passar pelo corpo até que um coágulo ou bloqueio possa ser tratado.

Pesquisas emergentes e conhecimentos médicos sobre a aspirina começaram a revelar que ela pode prevenir ou tratar com eficácia ainda mais problemas de saúde.

Suspeita-se que este medicamento previna algumas formas de câncer. Também pode ajudar a tratar e prevenir cataratas e pré-eclâmpsia. No entanto, a aspirina também tem alguns efeitos colaterais, incluindo úlceras estomacais. É perigoso para algumas pessoas, como crianças, pessoas com hemofilia e mulheres em certas fases da gravidez.

O uso de aspirina pode se estender até mesmo aos cães. É um medicamento de venda livre eficaz que pode ser dado a um cão com dor. A aspirina tem as mesmas propriedades analgésicas para cães e humanos.

É muito importante nunca dar este medicamento a um gato, no entanto, porque é muito venenoso para o sistema felino.

A aspirina também é uma boa forma de preservar flores. Um comprimido dissolvido em um vaso de água morna mantém as flores cortadas frescas por mais tempo do que a água pura.

Pela mesma razão que a aspirina impede a coagulação do sangue, as células vegetais são impedidas de se fecharem e morrerem, o que lhes permite circular o líquido com mais facilidade.

Aspirina – Medicamento

aspirina, também chamada de ácido acetilsalicílico, é um derivado do ácido salicílico que é um analgésico leve não narcótico (analgésico) útil no alívio de dores de cabeça e dores musculares e articulares.

A aspirina é eficaz na redução da febre, inflamação e inchaço e, portanto, tem sido usada no tratamento da artrite reumatóide, febre reumática e infecções leves. Nesses casos, a aspirina geralmente atua sobre os sintomas da doença e não modifica ou encurta a duração da doença.

No entanto, devido à sua capacidade de inibir a produção de agregados de plaquetas sanguíneas (que podem interromper o suprimento de sangue às regiões do coração ou do cérebro), a aspirina também tem sido usada como anticoagulante no tratamento de condições como angina instável ou após um pequeno derrame ou ataque cardíaco.

A aspirina é algumas vezes usada na prevenção de certas doenças, embora seu papel como agente preventivo seja controverso devido ao risco de efeitos adversos.

Por exemplo, a ingestão diária de aspirina em baixas doses (75–300 mg) foi associada a um risco reduzido de ataque cardíaco ou derrame em indivíduos de alto risco.

Além disso, estudos descobriram que o uso a longo prazo de aspirina em baixa dose reduz potencialmente o risco de câncer de cólon em algumas pessoas e está associado a um risco reduzido de morte por vários tipos de câncer, incluindo certas formas de câncer de cólon, bem como de pulmão câncer e câncer de esôfago.

Estudos posteriores, no entanto, indicaram que o uso de aspirina em baixas doses em longo prazo tinha maior probabilidade de causar complicações, como aumento de sangramento, do que reduzir significativamente o risco de doença, particularmente no caso de doença cardiovascular. Muitos pacientes também tomavam aspirina regularmente sem a recomendação de um médico, aumentando a chance de danos em indivíduos de alto risco.

A aspirina atua inibindo a produção de prostaglandinas, substâncias químicas do corpo que são necessárias para a coagulação do sangue e são conhecidas por sensibilizar as terminações nervosas à dor.

O uso de aspirina é conhecido por causar reações alérgicas e problemas gastrointestinais em algumas pessoas.

Também tem sido associada ao desenvolvimento em crianças (principalmente de 2 a 16 anos) da síndrome de Reye, um distúrbio agudo do fígado e do sistema nervoso central que pode seguir infecções virais, como gripe e varicela, e ao desenvolvimento da idade degeneração macular relacionada (um distúrbio de cegueira) em algumas pessoas que usam a droga regularmente por muitos anos.

Como quase todos os medicamentos, a aspirina deve ser evitada durante a gravidez.

Fonte: medlineplus.gov/www.bayer.com/www.fda.gov/patient.info/www.health.harvard.edu/www.bhf.org.uk/www.wisegeek.org/Encyclopaedia Britannica/www.nhs.uk/adf.org.au/www.versusarthritis.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Ácido acetilsalicílico

Ácido acetilsalicílico

PUBLICIDADE Definição de ácido acetilsalicílico O ácido acetilsalicílico é um derivado cristalino branco C9H8O4 do ácido salicílico usado …

Salicilato de metila

Salicilato de metila

Definição de Salicilato de metila PUBLICIDADE Éster de benzoato que é o éster metílico do ácido …

Salicilatos

Salicilatos

Definição de salicilatos PUBLICIDADE Os salicilatos são produtos químicos encontrados nas plantas e são os principais ingredientes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.