Breaking News
Home / Química / Cloretos

Cloretos

PUBLICIDADE

Definição

Cloretos, elementos e compostos, qualquer sal de ácido clorídrico, contendo o ião cloreto Cl.

Cloretos, qualquer composto contendo um átomo de cloro, tal como cloreto de metilo (clorometano), CH3Cl.

Mineral

O cloreto é um mineral “essencial” para os seres humanos.

É abundante em preparações minerais iônicas.

É um nutriente mineral importante que ocorre principalmente em fluidos corporais.

O cloreto é um íon carregado negativamente proeminente do sangue, onde representa 70% do índice total do íon negativo do corpo.

Em média, um corpo humano adulto contém aproximadamente 115 gramas de cloreto, representando cerca de 0,15% do peso corporal total. A quantidade sugerida de ingestão de cloretos varia de 750 a 900 miligramas por dia, com base no fato de que a perda obrigatória total de cloreto

Na pessoa média é perto de 530 miligramas por dia.

Como o principal íon negativamente carregado no corpo, o cloreto serve como um dos principais eletrólitos do corpo.

Cloreto, além de potássio e sódio, auxiliam na condução de impulsos elétricos quando dissolvido na água corporal. O potássio e o sódio tornam-se íons positivos à medida que perdem um elétron quando dissolvido e o cloreto se torna um íon negativo à medida que ganha um elétron quando dissolvido. Um ião positivo é sempre acompanhado por um íon negativo, daí a estreita relação entre sódio, potássio e cloreto.

Os eletrólitos estão distribuídos por todos os fluidos corporais, incluindo o sangue, a linfa e o fluido dentro e fora das células. A carga negativa de cloreto equilibra-se contra as cargas positivas de íons sódio e potássio para manter a osmolaridade sérica.

Função

Além de suas funções como um eletrólito, o cloreto combina com o hidrogênio no estômago para fazer ácido clorídrico, uma poderosa enzima digestiva que é responsável pela quebra de proteínas, absorção de outros minerais metálicos e ativação do fator intrínseco, que por sua vez Absorve a vitamina B12.

O cloreto é especialmente transportado para o lúmen gástrico, em troca de outro eletrólito carregado negativamente (bicarbonato), a fim de manter a neutralidade elétrica através da membrana do estômago.

Após a utilização em ácido clorídrico, algum cloreto é reabsorvido pelo intestino, de volta para a corrente sanguínea onde é necessário para a manutenção do volume de líquido extracelular.

O cloreto é ativamente e passivamente absorvido pelo corpo, dependendo das atuais demandas metabólicas.

Uma troca constante de cloreto e bicarbonato entre os glóbulos vermelhos e o plasma ajuda a controlar o equilíbrio do pH e o transporte do dióxido de carbono, um produto residual da respiração, do corpo.

Com sódio e potássio, o cloreto funciona no sistema nervoso para auxiliar no transporte de impulsos elétricos em todo o corpo, como movimento de cloreto negativamente carregado para a célula propaga o potencial elétrico nervoso.

Deficiência de Cloreto

A deficiência de cloreto é rara. No entanto, quando ocorre, ele resulta em uma condição de risco de vida conhecida como alcalose, em que o sangue torna-se excessivamente alcalino. Um equilíbrio tedioso entre alcalinidade e acidez está em constante fluxo, e deve ser vigilantemente mantida em todo o corpo.

Alcalose pode ocorrer como resultado da perda excessiva de sódio, como sudorese durante o exercício de resistência, e em casos de vômitos prolongados e diarréia. Os sintomas incluem fraqueza muscular, perda de apetite, irritabilidade, desidratação e profunda letargia.

A hipocloremia pode resultar de sobrecarga de água, condições de desgaste e queimaduras corporais extensas com seqüestro de fluidos extracelulares. Em uma situação em que os bebês foram inadvertidamente alimentados com cloreto deficiente fórmula, muitos experimentaram fracasso para prosperar, anorexia e fraqueza em seu primeiro ano de vida.

Ingestão excessiva

A ingestão excessiva de cloreto só ocorre com a ingestão de grandes quantidades de sal e cloreto de potássio.

Os efeitos tóxicos de tais dietas, tais como retenção de líquidos e pressão sanguínea elevada, são atribuídos aos níveis elevados de sódio e de potássio.

A toxicidade de cloreto não foi observada em seres humanos, excepto no caso especial de metabolismo de cloreto de sódio comprometido, por exemplo.

Na insuficiência cardíaca congestiva, pessoas saudáveis podem tolerar a ingestão de grandes quantidades de cloreto, desde que haja uma ingestão concomitante de água doce.

Outras situações em que o aumento dos níveis sanguíneos de cloreto são vistos incluem doenças de eliminação inadequada de resíduos que ocorrem em doenças renais.

O excesso de cloreto é normalmente excretado na urina, suor e intestinos. Na verdade, o excesso de excreção urinária de cloreto ocorre em dietas com alto teor de sal.

A ingestão excessiva de cloreto pode ocorrer em uma pessoa com saúde comprometida, além de uma dieta não saudável. No entanto, aqueles que seguem uma dieta saudável e levar um estilo de vida ativo pode precisar considerar complementar sua dieta com este mineral importante.

Cloreto vs. Cloro

O cloreto de suplemento mineral é muito diferente do cloro de gás. Enquanto o cloro elementar é um gás perigoso que não existe no estado elementar livre na natureza por causa de sua reatividade, embora seja amplamente distribuído em combinação com outros elementos.

O cloreto é relacionado ao cloro entretanto, como um dos compostos os mais comuns do cloro é sal comum, NaCl.

O cloreto é um subproduto da reação entre cloro e um eletrólito, como potássio, magnésio ou sódio, que são essenciais para o metabolismo humano.

Os sais cloreto são essenciais para sustentar o metabolismo humano e não têm nenhum dos efeitos do gás cloro isolado.

Fontes de Cloreto

Cloreto ocorre naturalmente em alimentos em níveis normalmente inferiores a 0,36 miligramas por grama de alimento.

A ingestão média de cloreto durante uma dieta isenta de sal é de aproximadamente 100 miligramas por dia.

Infelizmente, o cloreto é encontrado geralmente combinado com fontes alimentares indesejáveis. O mais comum destas fontes negativas é sal de mesa.

O sal de mesa é produzido a partir de uma combinação de iões sódio e cloreto.

Outras fontes não saudáveis incluem extratos de levedura, lunchmeats processados e queijos.

Fontes mais saudáveis de cloreto incluem alga marinha, minerais iônicos, azeitonas, centeio, tomate, alface e aipo, embora não em quantidades suficientemente grandes para suprir as necessidades de um adulto ativo.

Em sua forma original, no entanto, o cloreto é Lixiviado de várias rochas no solo e na água por anos de processos de intemperismo.

Resumo

O cloreto é um mineral extremamente importante e vital para a vida humana e animal.

Sem cloreto, o corpo humano seria incapaz de manter fluidos nos vasos sanguíneos, conduzir transmissões nervosas, mover músculos ou manter a função renal adequada.

Como um importante mineral de eletrólito do organismo, o cloreto desempenha muitos papéis e é rapidamente excretado do corpo.

Adultos ativos que comem uma dieta saudável desprovida de sal e doenças em que o vômito e / ou diarréia são profusa justificar a suplementação de cloreto adicional. A substituição do cloreto é essencial numa base diária para manter a função metabólica regular.

Cloreto é utilizado com segurança pelo organismo, sem efeitos negativos para a saúde.

Dos efeitos negativos para a saúde que têm sido associados com dietas ricas em cloreto, estes são principalmente atribuíveis ao acompanhamento de sódio e potássio, dois outros minerais eletrólitos a que o cloreto é muitas vezes ligado

O que é

Cloreto é um composto químico contendo cloro.

A maioria dos cloretos são sais que são formados quer pela união direta de cloro com um metal quer por reação de ácido clorídrico (uma solução aquosa de cloreto de hidrogênio) com um metal, um óxido metálico ou uma base inorgânica.

Os sais de cloreto incluem cloreto de sódio (sal comum), cloreto de potássio, cloreto de cálcio e cloreto de amônio.

A maioria dos sais de cloreto é prontamente solúvel em água, mas o cloreto de mercúrio e o cloreto de prata são insolúveis, e o cloreto de chumbo é apenas ligeiramente solúvel.

Alguns cloretos, por exemplo, cloreto de antimônio e cloreto de bismuto, decompõem-se em água, formando oxicloretos.

Muitos cloretos metálicos podem ser derretidos sem decomposição; duas exceções são os cloretos de ouro e a platina.

A maioria dos cloretos metálicos conduzem eletricidade quando fundidos ou dissolvidos em água e podem ser decompostos por eletrólise a gás de cloro e ao metal.

O cloro forma compostos com os outros halogêneos e com o oxigênio; quando o cloro é o elemento mais eletronegativo no composto, o composto é chamado cloreto.

Assim, os compostos com bromo e iodo são cloreto de bromo, BrCl e cloreto de iodo, ICI, mas compostos com oxigênio ou flúor (que são mais eletronegativos do que cloro) são óxidos (por exemplo, dióxido de cloro, ClO2) ou fluoretos (por exemplo fluoreto de cloro , ClF), respectivamente.

Muitos compostos orgânicos contêm cloro, como é indicado por nomes comuns, tais como tetracloreto de carbono, cloreto de metileno e cloreto de metila.

Contudo, no sistema de nomenclatura para a química orgânica adoptado pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC), a presença num composto de cloro ligado a um átomo de carbono é indicada pelo prefixo ou infixo de cloro; Assim, tetracloreto de carbono é tetraclorometano, cloreto de metileno é diclorometano e cloreto de metilo é clorometano.

Sais de Cloreto

O íon cloreto é o anião (íon carregado negativamente) Cl-.

É formado quando o elemento cloro (um halogênio) ganha um elétron ou quando um composto como cloreto de hidrogênio é dissolvido em água ou outros solventes polares.

Os sais de cloreto, tais como cloreto de sódio, são muitas vezes muito solúveis em água.

É um eletrólito essencial localizado em todos os fluidos corporais responsáveis pela manutenção do equilíbrio ácido / base, transmitindo impulsos nervosos e regulando o fluido dentro e fora das células.

Menos frequentemente, a palavra cloreto pode também fazer parte do nome “comum” de compostos químicos nos quais um ou mais átomos de cloro estão ligados covalentemente. Por exemplo, o cloreto de metilo, com o nome padrão de clorometano é um composto orgânico com uma ligação C-Cl covalente em que o cloro não é um anião.

CLORETO EM ÁGUAS

O cloreto é o ânion Cl que se apresenta nas águas subterrâneas através de solos e rochas.

Nas águas superficiais são fontes importantes as descargas de esgotos sanitários, sendo que cada pessoa expele através da urina cerca de 6 g de cloreto por dia, o que faz com que os esgotos apresentem concentrações de cloreto que ultrapassam a 15 mg/L.

Diversos são os efluentes industriais que apresentam concentrações de cloretos elevadas, como os da indústria do petróleo, algumas indústrias farmacêuticas, curtumes, etc.

Nas regiões costeiras, através da chamada intrusão da língua salina, são encontradas águas com níveis altos de cloreto. Nas águas tratadas, a adição de cloro puro ou em solução leva a uma elevação do nível de cloreto, resultante das reações de dissociação do cloro na água.

Importância nos estudos de controle de qualidade das águas

Para as águas de abastecimento público, a concentração de cloreto constitui-se em padrão de potabilidade, segundo a Portaria 518/2004 do Ministério da Saúde. O cloreto provoca sabor “salgado” na água, sendo o cloreto de sódio o mais restritivo por provocar sabor em concentrações da ordem de 250 mg/L, valor este que é tomado como padrão de potabilidade. No caso do cloreto de cálcio, o sabor só é perceptível em concentrações de cloreto superior a 1000 mg/L. Embora hajam populações árabes adaptadas ao uso de águas contendo 2.000 mg/L de cloreto, são conhecidos também seus efeitos laxativos.

Da mesma forma que o sulfato, sabe-se que o cloreto também interfere no tratamento anaeróbio de efluentes industriais, constituindo-se igualmente em interessante campo de investigação científica.

O cloreto provoca corrosão em estruturas hidráulicas como, por exemplo, em emissários submarinos para a disposição oceânica de esgotos sanitários, que por isso têm sido construídos com polietileno de alta densidade (PEAD). Interferem na determinação da DQO e, embora esta interferência seja atenuada pela adição de sulfato de mercúrio, as análises de DQO da água do mar não apresentam resultados confiáveis. Interfere também na determinação de nitratos.

Antigamente o cloreto era utilizado como traçador, para a determinação de vazão em rios em locais de difícil acesso, impossível de se instalar equipamentos de medição direta. Eram lançadas salmouras de conhecida concentração de cloreto e eram retiradas amostras das águas do rio, em pontos estratégicos para que, a partir dos resultados das determinações de cloreto e de estudos de balanço de massa, fosse determinada a vazão. Hoje esta aplicação foi substituída pelo emprego de traçadores radioativos, detectáveis com boa precisão em concentrações bem menores. Também eram utilizados como indicadores da contaminação por esgotos sanitários, podendo-se associar a elevação do nível de cloreto em um rio com o lançamento de esgotos sanitários. Hoje, porém, o teste de coliformes fecais é mais preciso para esta função.

O cloreto apresenta também influência nas características dos ecossistemas aquáticos naturais, por provocar alterações na pressão osmótica em células de microrganismos.

Fonte: www.traceminerals.com/www.infoplease.com/www.pha.poli.usp.br

Veja também

Álcool Isopropílico

PUBLICIDADE Definição O isopropanol é um líquido claro, incolor e volátil. Também é comumente conhecido …

Serotonina

Serotonina

PUBLICIDADE Definição de Serotonina A Serotonina é um neurotransmissor que está envolvido na transmissão de …

Untitled-3

Recristalização

PUBLICIDADE Definição A recristalização, também conhecida como cristalização fracionada, é um procedimento para purificar um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.