Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biografias / Alexandre Herculano

Alexandre Herculano

Alexandre Herculano – Portugal

PUBLICIDADE

Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo nasceu em 1810 e faleceu em 1877.

Homem de lúcida visão crítica e participante ativo das lutas políticas de seu tempo, destaca-se principalmente como historiador, tendo escrito História de Portugal ( Desde o começo da monarquia até o fim do reinado de Afonso III ) e Da Origem e estabelecimento da Inquisição em Portugal.

Por outro lado , aproveitando seus conhecimentos acerca da Idade Média peninsular , escreveu prosa de ficção de fundo histórico: O Bobo , cuja ação transcorre na época da instauração da monarquia portuguesa em 1128; Monasticon, título geral que reúne dois romances de assunto monástico – Eurico, o presbítero, que tem como fundo a invasão dos árabes no século VIII d.C. e O Monde de Cister, que se passa no fim do século XVI.

Deixou ainda Lendas e narrativas, episódios medievais a que juntou um de sua própria época ( O Pároco da aldeia).

Casou-se cinqëntão, afastando-se da cidade e da vida literária, recolhido em sua quinta no interior de Portugal.

Alexandre Herculano – Vida

Alexandre Herculano
Alexandre Herculano

Nascido em Lisboa a 28 de Março de 1810, era filho de Teodoro Cândido da Araújo, recebedor da antiga Junta dos Juros, hoje Junta do Crédito Publico, e de D. Maria do Carmo de S. Boaventura, filha de José Rodrigues de Carvalho, pedreiro empregado nas obras da Casa Real.

Poeta, romancista, historiador, um dos introdutores e guias do Romantismo português. Pertencia a família modesta, que não pôde proporcionar-lhe estudos universitários. Feitas as Humanidades nas aulas da Congregação do Oratório, passou deste ambiente de trabalho austero para a severidade dos estudos de Diplomática, na Torre do Tombo, aos quais juntava a aprendizagem do inglês e do alemão. Em 1831 foi obrigado a emigrar, como adverso ao absolutismo miguelista. Mas «as profundas misérias do cativeiro», a que se refere, não lhe impediram a frequência da biblioteca de Rennes, o que os companheiros de exílio, aliás, lhe facilitavam, pois o moço estudioso «se tornava mais útil na biblioteca do que na cozinha» – alegavam. Das andanças do cativeiro datam alguns dos mais belos poemas de quem a si próprio se designava como «o trovador do exílio».

Volta a Portugal em 1832, incorporado entre os 7.500 do Mindelo. Durante o certo do Porto, trabalha na organização da Biblioteca Municipal, como seu segundo bibliotecário, sem prejuízo das obrigações de soldado, que sabe cumprir com reconhecida galhardia. Em 1936 derrubam os setembristas o governo cartista, e Herculano, que sentia no acontecimento uma vitória da demagogia, demite-se do cargo de bibliotecário, vem para Lisboa e escreve com apreensões de amargo pessimismo, a que julga adequada a ênfase dos profetas de Israel – que é já a de alguns poemas da sua futura coletânea Harpa do Crente, 1838 -, o livro A Voz do Profeta (1836).

Toma em Lisboa a direção da revista Panorama, que mantém por sete anos, e aqui, e depois na Biblioteca da Ajuda, de que D. Fernando lhe confiou a direcão, começa uma atividade simultâneamente de jornalista, novelista e historiador, o que é o mesmo que dizer: cultiva as aptidões e enriquece a cultura que às páginas do historiador melhor poderiam animar de vida e à efabulação do ficcionista dar mais consistência de realidade.

É no Panorama que vão saindo as obras de ficção com que o A. se desfatiga da aridez dos estudos históricos. Ali saem as Lendas e Narrativas que reunirá em volume em 1851; O Bobo (1843) e alguns capítulos d’O Monge de Cister (1841) . Estes dois últimos romances virão a lume em livro respectivamente em 1878 e 1848.

O conteúdo histórico d’O Monge de Cister, mais que o do Eurico, o Presbítero , publicado em 1844, é o excedente das investigações que o plano do historiador lhe não permite utilizar.

A História de Portugal , que saiu lentamente em 4 volumes, de 1846, 1847, 1850 e 1853 (porque no intervalo H. se ocupou de política no ataque a Rodrigo da Fonseca), apenas abrange o período que vai da fundação da nacionalidade até ao momento histórico em que os municípios obtêm de Afonso III a representação às cortes. A Herculano interessava particularmente a história das instituições municipais, porque entendia serem elas que, adaptadas «à ilustração do nosso tempo», poderiam evitar que a realeza exorbitasse em cesarismo e a massa popular se desmandasse em demagogia.

Em 1877 apagava-se a chama do homem de maior prestígio intelectual e moral da sua geração.

Personalidade completa, acabada, se as há. Capaz da paciência beneditina da investigação, tanto como da penetrante agudeza da crítica, histórica ou literária; dotado da visão arquitetônica na ordenação das ideias, tanto como da imaginação efabuladora de romancista e dramaturgo (fez representar um drama: O Fronteiro de África), não lhe faltando a emotividade que se exprime por alguns dos mais belos poemas do seu tempo – o que não lhe impede a lucidez com que sabe encarar os problemas de ordem prática, da sua lavoura ou da econmia do país.

OBRAS

Herculano foi historiador , romancista , contista , ensaísta , poeta e crítico . Em tudo que escreveu deixou evidenciado um estilo solene , empertigado , conseqüência do seu didatismo informativo de historiador . Na poesia sobraram-lhe conhecimentos e técnicas , mas lhe faltou emoção .

Introduziu em Portugal a prática do romance histórico , que tinha no inglês Walter Scott o grande modelo . Sua linguagem equilibrada era resultado da elegância do estilo , que tentava compensar alguns arroubos apaixonados típicos da escola romântica com a serenidade racionalista . Podemos notar inclusive certa tendência a explorar arcaísmos da expressão , para adaptar a forma ao ambiente e à época geralmente retratada em suas obras , a Idade Média .

EURICO , O PRESBÍTERO ( 1844 )

O romance se passa no século VIII , e aborda a luta entre godos e árabes na Península Ibérica . Explorando ao máximo os efeitos desse pano de fundo histórico, o Narrador relata a história de Eurico , um cavaleiro que , por se ver impedido de casar-se com a mulher amada , Hermengarda , resolve entrar para um convento . De lá , só sai para auxiliar na expulsão dos árabes , disfarçado de Cavaleiro Negro . Destaca-se na luta , unindo-se ao banho de Pelágio , irmão de Hermengarda . Depois de recuperar a moça , que caíra prisioneira , revela-se a ela , mas se diz então impossibilitado de realizar seu amor , poe estar envolvido com a Igreja . Diante disso , Hermengarda enlouquece , e Eurico enfrenta sozinho um bando de inimigos , em uma luta suicida.

O medievalismo e a caracterização de Eurico como um cavaleiro andante e herói nacional enquadram-se na valorização que os românticos dão às origens da pátria .

Alexandre Herculano – Escritor

Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo nasceu em Lisboa no ano de 1810. Sua vida foi marcada por lutas políticas e pela reconstrução literária da história de Portugal. Um dos mais importantes romancistas do século XIX, suas obras são de cunho romântico e vão desde a poesia ao drama e ao romance.

É um dos grandes escritores de sua geração, desenvolvendo o tema romântico por excelência: a incompatibilidade do indivíduo com o meio social.

Devido ao seu envolvimento na Revolta do 4 de Infantaria, é obrigado a emigrar para Inglaterra, em 1831.

No ano seguinte, tendo retornado a Portugal, Herculano começa a trabalhar na Biblioteca Pública do Porto, como segundo bibliotecário.

Em 1839, é nomeado diretor das bibliotecas reais das Necessidades e da Ajuda. No ano de 1853, o romancista funda o Partido Progressista Histórico.

Quatro anos depois, manifesta sua discordância em relação à Concordata de Roma, que restringia os direitos do padroado português na Índia.

Em 1859, adquire a quinta de Vale de Lobos, perto de Santarém, onde, embora retirado, continua a receber correspondência e muitas personalidades ligadas à cultura e ao poder. No ano seguinte, participa na redação do primeiro Código Civil português.

Em1866, casa-se com uma senhora por quem era apaixonado desde a juventude.

Morre em 1877, rodeado de enorme prestígio, traduzido numa manifestação nacional de luto organizada pelo escritor João de Deus.

Alexandre Herculano – Biografia

O escritor e historiador Alexandre Herculano envolveu-se nas lutas liberais e, por isso, foi mandado para o exílio na França em 1831. No ano seguinte partiu para a Inglaterra e regressou a Portugal integrando o exército de D. Pedro no cerco à cidade do Porto.

Em 1833 assumiu as funções de segundo bibliotecário na Biblioteca Pública do Porto. Em 1836 foi para Lisboa e passou a dirigir a revista “O Panorama”, principal veículo de divulgação do Romantismo em Portugal. Ainda nesse ano, publicou “A Voz do Profeta”.

Em 1839 assumiu a função de diretor da Real Biblioteca da Ajuda. Entre 1850 e 1860, exerceu grande atividade jornalística e política e, a partir de 1867, foi para a Quinta de Vale de Lobos (Santarém), onde dedicou-se quase que exclusivamente às suas propriedades.

A sua obra literária é muito extensa. Como historiador destacam-se “A História de Portugal” (1853) e a “História e Origem da Inquisição em Portugal” (1859). Ele escreveu ainda contos e novelas que foram reunidos na obra “Lendas e Narrativas (1851).

Entre nós, brasileiros, Alexandre Herculano ficou mais conhecido por suas narrativas históricas, dentre as quais destacam-se “O Monge de Cister” (1841), “O Bobo” (1843) e “Eurico, O Presbítero” (1844), esta considerada a sua obra prima.

Bibliografia

Poesia

A Voz do Profeta (prosa poética) – 1836
Harpa do Crente – 1837

Romance e narrativas

O Bobo – 1843
Lendas e Narrativas I e II –1839 e 1844
Eurico, o Presbítero –1844
O Pároco da Aldeia – 1844
O Monge de Cister – 1848
História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal – 1850
História de Portugal I, II, III e IV – 1846 e 1853

Teatro

O Fronteiro de África – 1838
Os Infantes em Ceuta – 1842

Alexandre Herculano

Alexandre Herculano
Alexandre Herculano

Alexandre Herculano de Carvalho Araújo nasceu em Lisboa, a 28 de Março de 1810, no seio de uma família da classe média.

O pai, Teodoro Cândido de Araújo, era recebedor da Junta dos Juros. A mãe chamava-se Maria do Carmo de S. Boaventura.

Entre 1820 e 1825 frequentou o colégio dos Oratorianos, mas não chegou a entrar na Universidade, porque em 1827 o pai cegou e teve que abandonar o lugar que ocupava. Pela mesma altura, o avô materno, mestre de obras a trabalhar no palácio da Ajuda, deixou de receber as importâncias de que era credor e não lhe pôde dispensar o apoio necessário.

Fechada essa porta, matriculou-se na Aula de Comércio, em 1830, e frequentou um Curso de Diplomática (estudos de paleografia). Particularmente, estudou também francês, inglês e alemão. Embora o seu conhecimento destas duas últimas línguas não fosse profundo, serviu-lhe pelo menos para avivar a sua receptividade à literatura coeva desses países, o que não era muito frequente em Portugal. Foi nesta altura que começou a familiarizar-se com a literatura romântica da Europa, por influência da Marquesa de Alorna, cujos serões literários frequentou.

Herculano perfilhou sempre uma ideologia conservadora, mas não parece haver razões para seguir a opinião expressa por Teófilo Braga, que afirma ter sido na juventude um miguelista convicto. A verdade é que, em Agosto de 1831, aparece-nos comprometido com uma malograda revolta militar de cariz liberal que o obrigou a procurar refúgio num navio francês, surto no Tejo.

Daí saiu para o exílio em Inglaterra e França: primeiro Plymouth, depois Jersey, a seguir Saint Malo e finalmente Rennes. No fundo um percurso semelhante ao de Garrett e outros ativistas liberais.

Foi exatamente em Rennes que Herculano teve oportunidade de frequentar a biblioteca pública da cidade. Pôde então familiarizar-se melhor com as obras de Thierry, Vítor Hugo e Lamennais.

Tal como Almeida Garrett e outros jovens exilados alistou-se no exército liberal que, no início de 1832, se dirigiu aos Açores e depois ao Porto. Participou no cerco da cidade e destacou-se em várias missões de reconhecimento na região minhota.

Nesta cidade, foi nomeado em 22 de Fevereiro de 1833 para coadjuvar o diretor da Biblioteca Pública, organizada a partir do acervo da livraria do bispo. Exerceu o cargo até Setembro de 1836, quando pediu a exoneração, por discordar do juramento de fidelidade à Constituição de 1822, que lhe era exigido.

Na carta de demissão declara-se fiel à Carta Constitucional. Coerente com as suas convicções políticas, opõe-se ao Setembrismo, que daqui em diante irá combater. Voltou a Lisboa para, através do jornalismo, combater os adversários políticos. É então que publica A Voz do Profeta (1836).

Torna-se redator principal de O Panorama , editado pela Sociedade Propagadora dos Conhecimentos Úteis, que era então o principal instrumento de divulgação da estética romântica, em Portugal.

Foi aí que publicou vários dos seus estudos de natureza histórica e muitas das suas obras literárias, mais tarde editadas em livro:A Abóbada , Mestre Gil , O Pároco de Aldeia , O Bobo e O Monge de Cister .

Ainda nesse ano de 1837 assumiu a responsabilidade da redação do Diário do Governo , que nesse tempo era apenas um jornal de suporte ao partido no poder. No entanto, pouco tempo depois abandonou o lugar. No ano seguinte publicou A Harpa do Crente .

Em 1839 foi nomeado, por iniciativa do rei D. Fernando, para dirigir a Real Biblioteca da Ajuda e das Necessidades, tendo conservado esse cargo quase até ao fim da vida.

Em 1840 chegou a passar pelo Parlamento, eleito pelo círculo do Porto, como deputado do Partido Cartista (conservador), mas o seu temperamento adequava-se mal à atividade política. As manobras partidárias enojavam-no e sentia dificuldade em falar em público.

A pouco e pouco foi-se afastando da atividade política e dedicando o seu tempo à literatura. Os anos seguintes são de grande produtividade literária. São desta época os seus romances de ambiente histórico. É também na década de 40 que inicia a publicação da sua História de Portugal , seguramente a primeira escrita com preocupação de rigor científico. Aliás, o primeiro volume suscitou de imediato violenta reação por parte de alguns setores do clero, por excluir, naturalmente, qualquer intervenção sobrenatural na batalha de Ourique. A polémica sobre esta questão ficou famosa. Note-se que Herculano era católico e politicamente conservador, mas opunha-se à interferência da igreja na vida política nacional. Esse confronto com setores clericais está também na origem dos seus estudos sobre a Inquisição em Portugal.

Em 1851, voltou por algum tempo à política ativa, com o triunfo da Regeneração, chegando a colaborar com o governo, embora por pouco tempo. Mais prolongada foi a sua intervenção cívica através da imprensa. Em 1851 fundou o jornal O País e dois anos depois O Português .

Sócio correspondente da Academia Real das Ciências desde 1844, em 1852 foi admitido como sócio efetivo e eleito vice-presidente em 1855. Em 1853, por encargo da Academia, percorreu o país, inventariando os documentos existentes nos arquivos episcopais e nos mosteiros, preparando aquilo que viria a constituir os Portugaliae Monumenta Historica . Pôde então verificar o estado de abandono a que estava votado a maior parte do acervo documental espalhado pelo país.

Em Março de 1856 Herculano renunciou ao seu lugar na Academia e decidiu abandonar os estudos de natureza histórica. Na origem dessa decisão parece estar o fato de ter sido nomeado guarda-mor da Torre do Tombo Joaquim José da Costa Macedo, com quem ele teria tido desinteligências sérias. Essa pausa foi interrompida no ano seguinte, por entretanto se ter aposentado o referido indivíduo. Pôde assim continuar o trabalho de organização e publicação dos Portugaliae Monumenta Historica .

Herculano participou nos trabalhos de redação do Código Civil, tendo nessa altura defendido o casamento civil a par do religioso. A proposta era inovadora e suscitou forte reação. Dessa polémica surgiram os Estudos sobre o Casamento Civil .

Juntamente com Almeida Garrett , é considerado o introdutor do romantismo em Portugal. Os seus primeiros contatos com a literatura ocorreram em ambiente pré-romântico, nos salões da Marquesa de Alorna, onde entrou por mão de António Feliciano de Castilho . Embora Garrett , onze anos mais velho, se tenha adiantado com a publicação no exílio de Camões e D. Branca , consideradas as primeiras obras inequivocamente românticas, podemos considerar Herculano como o teorizador da nova corrente literária, ao nível interno, pelos artigos que publicou no Repositório Literário do Porto. Por outro lado foi ele que introduziu no nosso país o romance histórico, tão característico do romantismo. A inspiração direta veio-lhe naturalmente de Walter Scott e Victor Hugo.

Os seus méritos de cidadão, escritor e estudioso eram reconhecidos quase unanimemente e foram muitas as honrarias que lhe foram oferecidas. Aceitou algumas de natureza científica, mas as distinções honoríficas recusou-as sempre. Recusou mesmo a sua nobilitação, ao contrário de Garrett e Camilo , que, como sabemos, morreram viscondes.

Em 1866 casou e, pouco depois, retirou-se para a sua quinta de Vale de Lobos, próximo de Santarém. Aí permaneceu até ao fim da vida, ocupado com os seus escritos literários e as lides agrícolas.

Foi aí que morreu, a 13 de Setembro de 1877.

Fonte: www.profabeatriz.hpg.ig.com.br/bibvirt.futuro.usp.br/cultura.portaldomovimento.com/www.mundocultural.com.br/pwp.netcabo.pt

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Samuel Morse

Samuel Morse

PUBLICIDADE Samuel Morse – Vida/Biografia Samuel Morse foi um artista e inventor norte-americano mais lembrado por …

Jean-Antoine Nollet

Jean-Antoine Nollet

PUBLICIDADE Quem foi Jean-Antoine Nollet? Nascimento: 19 de dezembro de 1700, Pimprez Morte: 25 de …

Vasco da Gama

Vasco da Gama

PUBLICIDADE Quem foi Vasco da Gama? Nascimento: 1469, Sines, Alentejo, Portugal Morte: 24 de dezembro de 1524, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+