Breaking News
Home / Biografias / Jean-Henri Fabre

Jean-Henri Fabre

PUBLICIDADE

Nascido: 22 de dezembro de 1823 Saint-Léons, Aveyron
Morreu: 11 de outubro de 1915 (aos 91 anos) Sérignan-du-Comtat, Vaucluse
Nacionalidade: Francês
Campos: Entomologia

Jean-Henri Fabre
Jean-Henri Fabre

Jean-Henri Casimir Fabre (22 de dezembro de 1823 – 11 de outubro, 1915) foi um francês entomologista e autor.

Biografia

Jean-Henri Fabre nasceu em 22 de dezembro de 1823 em Saint-Léons em Aveyron, França.

Jean-Henri Fabre foi em grande parte um autodidata, devido à pobreza de sua família. No entanto, ele adquiriu um certificado de ensino primário na tenra idade de 19 e começou a lecionar em Carpentras, enquanto prosseguir estudos.

Em 1849 ele foi nomeado para um cargo de professor em Ajaccio (Córsega), em seguida, em 1853 mudou-se para o liceu em Avignon.

Ele morreu em 11 de outubro de 1915.

Legado

FabreJean-Henri Fabre passou a realizar muitas conquistas acadêmicas.

Ele era um professor popular, físico, químico e botânico.

No entanto, ele é provavelmente mais conhecida por suas descobertas no campo da entomologia, o estudo dos insetos, e é considerado por muitos como o pai da entomologia moderna.

Grande parte de sua popularidade duradoura é devido à sua capacidade de ensino maravilhosa e sua maneira de escrever sobre a vida dos insetos em forma biográfica, que ele preferiu um modo clinicamente isolada, jornalístico da gravação. Ao fazer isso ele combinou que ele chamou de “minha paixão pela verdade científica”, com observações afiadas e um estilo coloquial envolvente de escrever.

Fabre observou:

Outros ainda me censurou com o meu estilo, que não tem a solenidade, não, melhor, a secura das escolas. Eles temem a fim de que uma página que é lido sem fadiga não deve ser sempre a expressão da verdade. Se eu tomar sua palavra para ela, estamos profundo apenas na condição de ser obscuro.

Ao longo dos anos, ele escreveu uma série de textos sobre insetos e aracnídeos, que são conhecidos coletivamente como os Entomologiques lembranças.

A influência de Fabre é sentida nos trabalhos posteriores do colega naturalista Charles Darwin, que chamou Fabre “um observador inimitável”. Fabre, no entanto, manteve-se cético sobre Darwin teoria da evolução, como sempre impedido de todas as teorias e sistemas.

Sua força especial foi a observação exata e detalhada, a pesquisa de campo, como diríamos hoje, sempre evitando conclusões gerais prematuros a partir de suas observações.

Em um dos experimentos mais famosos de Fabre, ele arranjou processionária do pinheiro lagartas para formar um loop contínuo em torno da borda da panela. Como cada lagarta, instintivamente, seguiu a trilha de seda das lagartas na frente dele, o grupo mudou-se em torno de um círculo por sete dias.

Última casa e escritório de Jean-Henri Fabre, o Harmas de Fabre em Provence, permanece até hoje como um museu dedicado à sua vida e obra. O local de seu nascimento, em St Léons, perto de Millau é agora o local de Micropolis, uma atração turística dedicada a popularização entomologia e um museu em sua vida.

Obras

Scène de la vie des insectes
Chimie Agricole (livro) (1862)
La Terre (Jean Henri Fabre) | La Terre (1865)
Le Ciel (livro) (1867) – O texto digitalizado em Gallica
Le Livre d’Histoires, recits scientifiques de l’oncle Paul à ses neveux. Courantes palestras derramar toutes les écoles (livro) (1869) – de alta definição arquivo pdf
Catalogue des «Insectes Coléoptères observa aux arredores d’Avignon» (1870)
Les Ravageurs (1870)
Les auxiliaires, recits de l’oncle Paul sur les animaux UTILES à l’agriculture (1873) de alta definição arquivo pdf
Aurore (livro) (1874) O texto digitalizado em Gallica
Botanique (livro) (1874)
L’Industrie (livro) (1875)
Les Serviteurs (livro) (1875)
Sphériacées du Vaucluse (1878)
Lembranças Entomologiques – 1 ª série (1891) – (1879) – O texto digitalizado em Gallica
Etude sur les moeurs des Halictes (1879)
Le Livre des Champs (1879)
Palestras sur la Botanique (1881)
Nouveaux lembranças Entomologiques – 2 ª série (1882) – O texto digitalizado em Gallica
Palestras sur la Zoologia (1882)
Zoologia (Jean Henri Fabre) | Zoologia (livro) (1884)
Lembranças Entomologiques – 3 ª série (1886) – O texto digitalizado em Gallica
Histoire naturelles (livro) (1889)
Lembranças Entomologiques – quarta série (1891) – O texto digitalizado em Gallica
La plante: Leçons à mon fils sur la Botanique (Livre scolaire) (1892) – O texto digitalizado em Gallica
Lembranças Entomologiques – 5 ª série (1897) – O texto digitalizado em Gallica
Lembranças Entomologiques – 6 série (1900) – O texto digitalizado em Gallica
Lembranças Entomologiques – 7 série (1901) – O texto digitalizado em Gallica
Lembranças Entomologiques – 8 série (1903)
Lembranças Entomologiques – 9 séries (1905)
Lembranças Entomologiques – 10 séries (1909)
Livro de Insetos da Fabre recontada a partir de tradução Alexander Teixeira de Mattos “de Fabre de lembranças Entomologiques Scanned livro
Oubreto Provençalo dou Felibre di Tavan (1909) Texto de Jean-Henri Fabre, e-museu
La Vie des insectes (1910)
Mœurs des insectes (1911)
Les Merveilles de l’instinto chez les insectes (1913)
Le monde des merveilleux insectes (1921)
Poésie françaises et provençales (1925) (edição final)
La Vie des araignées (1928)
Bramble-Abelhas e Outros Scanned livro, Projeto Gutenberg texto completo
A vida do Grasshopper. Dodd, Mead, and Company, 1917. ASIN B00085HYR4
Aventuras de insetos. Dodd, Mead, 1917. Seleções de tradução Alexander Teixeira de Mattos “de Fabre de lembranças Entomologiques, recontada para os jovens.
A Vida da Caterpillar. Dodd, Mead, 1919. ASIN B00089FB2A
Campo, Floresta e Fazenda: Coisas interessantes para os amantes da natureza jovens, incluindo alguns assuntos de momento para jardineiros e produtores de frutas. O século Company, 1919. ASIN B00085PDU4 texto completo
Esta terra é nossa: Fala sobre montanhas e rios, vulcões, terremotos, e gêiseres e outras coisas. Albert & Charles Boni, 1923. ASIN B000EHLE22
The Life of The Scorpion. University Press of the Pacific, 2002 (reimpressão da edição de 1923). ISBN 0-89875-842-4
O Glow-Worm e outros besouros. Dodd, Mead, 1919. ASIN B000882F2K
As abelhas pedreiro (traduzido) Garden City, 1925. ASIN B00086XXU0; Reproduzido em 2004 por Kessinger Publishing, ISBN 1-4179-1676-1 ; ISBN 978-1-4179-1676-4 livro digitalizado, Projeto Gutenberg texto completo
Curiosidades da Ciência. O século Company, 1927. ASIN B00086KVBE
O Mundo Inseto de J. Henri Fabre. Introdução e Interpretativo comentários por Edwin Way Teale; Prefácio à edição 1991 por Gerald Durrell. Publicado por Dodd, Mead, em 1949; Reproduzido por Beacon Press em 1991, ISBN 0-8070-8513-8
A vida do Aranha Prefácio (Traduzido) por Maurice Maeterlinck; introdução de John K. Terres. Publicado por Horizon Press, 1971, ISBN 0-8180-1705-8 (Publicado pela primeira vez por Dodd, Mead, e da empresa em 1913, ASIN B00085D6P8) Scanned livro, Projeto Gutenberg texto completo
The Life of the Fly. (Traduzido) Fredo Books, 2001. ISBN 1-58963-026-2 ; ISBN 978-1-58963-026-0 livro digitalizado
As Vespas caça. University Press of the Pacific, 2002. ISBN 1-4102-0007-8 ; ISBN 978-1-4102-0007-5
Mais Wasps Caça Scanned livro Projeto Gutenberg texto completo
As Maravilhas do Instinct: Capítulos de Psicologia da Insetos. University Press of the Pacific, 2002. ISBN 0-89875-768-1 ; ISBN 978-0-89875-768-2 livro digitalizado, Projeto Gutenberg texto completo
Vida Social no Mundo Inseto Scanned livro, Projeto Gutenberg texto completo
Vida do inseto Scanned livro.

Coleção

Coleção de insetos de Fabre está no Musée Requien Avignon.

Vida

Jean-Henri Fabre
Jean-Henri Fabre aos 30 anos

Em meados do século XIX, quando as ciências naturais despertavam enorme interesse, destacou-se o trabalho de Fabre sobre os insetos.

Jean-Henri Fabre nasceu na cidade francesa de Saint-Léons em 22 de dezembro de 1823.

Autodidata, conseguiu a cadeira de professor do liceu de Carpentras em 1842 e, um ano mais tarde, começou a ensinar física no liceu de Ajaccio, capital da Córsega. Oito anos depois transferiu-se para Avignon, para continuar a atividade docente.

Paralelamente à vida acadêmica, Fabre realizou importantes descobertas sobre insetos, especialmente coleópteros, como os besouros; ortópteros, como gafanhotos e grilos; e himenópteros, como vespas e abelhas.

Ao estudar a ação paralizante das vespas sobre suas vítimas, relacionou o conceito de instinto da espécie aos comportamentos.

Em 1866 conseguiu isolar um corante vermelho-alaranjado, mais tarde denominado alizarina, extraído da planta chamada ruiva, ou garança.

Utilizado para tingir tecidos, passou depois a ser produzido sinteticamente.

Fabre escreveu diversas obras de divulgação científica, entre as quais Souvenirs entomologiques (1879-1907; Lembranças entomológicas).

Além de ser o “filósofo entomológica”, o “psicólogo do mundo dos insetos”, Jean-Henri Fabre também foi de um maravilhoso poeta: ele nos deixou a sua coleção de poemas “Oubreto Provençalo.” Majoral de Felibrige (membro da École littéraire du Felibre), ele é conhecido com carinho como “Le Felibre du Tavan” ( “Poeta dos besouros” em provençal).

Contemporâneo de Darwin, nunca aceitou os princípios do evolucionismo, mas foi sempre respeitado pelo naturalista britânico, que manifestou admiração por sua obra.

Fabre morreu em 11 de outubro de 1915.

Em 1915, com a idade de 92, Jean-Henri Fabre, em Sérignan-du-Comtat, morreu: aquele que tinha dedicado toda a sua vida ao estudo dos insetos

Entomologista

Jean-Henri Fabre
Jean-Henri Fabre, no final de sua vida

Jean-Henri Casimir Fabre nasceu em Saint-Léons em 22 de dezembro de 1823.

Ele passou os primeiros anos de sua juventude em Le Malaval, muito perto de sua cidade natal, com seus avós.

Famoso entomologista francês nascido em Saint-Léons, Aveyron, que desenvolveu importantes descobertas sobre a anatomia e comportamento dos insetos, em uma época em que as ciências naturais despertavam grande interesse, especialmente coleópteros, como os besouros, ortópteros, como gafanhotos e grilos, e himenópteros, como vespas e abelhas.

Filho de camponeses analfabetos que migraram para Rodez e depois Toulouse e Montepeliere. Autodidata por excelência, também estudou na École Normale de Vaucluse e nas universidades de Toulouse e Montpellier.

Foi professor de grande sucesso em escolas de segundo grau e universidades em Carpentras, Ajaccio e Avignon.

Nomeado para a cadeira de professor do liceu de Carpentras, França (1842), depois ensinou física no liceu de Ajaccio, capital da Córsega (1843-1851) e em seguida transferiu-se para Avignon para continuar a atividade docente no lycée of Avignon (1853).

Com toda a vida consagrada ao estudo dos insetos, tornou-se famoso pelos estudos sobre anatomia e comportamento destes animais.

Seu interesse nos hábitos e instintos dos insetos acentuou-se enquanto estudava para seu doutorado.

Baseou a maior parte de sua pesquisa na observação direta de insetos em ambientes naturais noturnos, especialmente vespas e abelhas (Hymenopteras), besouros (Coleopteras) e gafanhotos e grilos (Orthopteras).

Em seu estudo Hymenoptera, ele concluiu, por exemplo, que vespas freqüentemente picavam suas presas na região do centro nervoso, paralisando-a, e assim as vítimas poderiam ficar estocadas para consumo futuro. Isolou um corante vermelho-alaranjado (1866), mais tarde denominado alizarina, extraído da planta chamada ruiva, ou garança, utilizado para tingir tecidos, posteriormente produzido sinteticamente.

Morreu em Sérignan-du-Comtat e entre suas publicações mais conhecidas estão Annales des Sciences Naturalles (1855-1858) e Souvenirs Entomologiques (1879-1907), em 10 volumes, além de A vida da aranha (1912), A vida da mosca (1913), A vida da lagarta (1918), e A vida do gorgulho (1922).

Fonte: en.wikipedia.org/br.geocities.com

 

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Samuel Morse

Samuel Morse

PUBLICIDADE Samuel Morse – Vida/Biografia Samuel Morse foi um artista e inventor norte-americano mais lembrado por …

Jean-Antoine Nollet

Jean-Antoine Nollet

PUBLICIDADE Quem foi Jean-Antoine Nollet? Nascimento: 19 de dezembro de 1700, Pimprez Morte: 25 de …

Vasco da Gama

Vasco da Gama

PUBLICIDADE Quem foi Vasco da Gama? Nascimento: 1469, Sines, Alentejo, Portugal Morte: 24 de dezembro de 1524, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.