Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biografias / Enzo Ferrari

Enzo Ferrari

Enzo Ferrari – Vida

PUBLICIDADE

Data de Nascimento: 20 de fevereiro de 1898, Modena, Itália.

Data de Morte: 14 de agosto de 1988, Modena, Itália.

Nome: Enzo Anselmo Ferrari.

Apelido: O Velho.

Altura: 1,87 m.

Enzo Ferrari era um piloto de corridas que fundou a fabricante de carros esportivos italiana que leva seu nome. Carros da Ferrari são geralmente vistos como um símbolo de luxo e riqueza.

Ele nasceu Enzo Anselmo Ferrari em 18 de Fevereiro de 1898, em Modena, Itália. Seu pai, Alfredo Ferrari, tinha um negócio de metal.

Na idade de 10 anos Enzo Ferrari viu várias corridas de carro em 1908 Circuito di Bologna, e ele decidiu se tornar um motorista de carro de corrida.

Tanto seu pai e seu irmão morreu em 1916 como resultado do surto de gripe italiano e os negócios da família entrou em colapso.

O próprio Enzo Ferrari ficou gravemente doente durante a epidemia de gripe de 1918 o qual ele quase não sobreviveu, e foi dispensado do serviço italiano.

Ele se candidatou a um emprego na Fiat, foi rejeitado e, eventualmente, conseguiu um emprego como piloto de testes em um pequeno fabricante de carro chamado CMN.

Em uma corrida 1,919 na Targa Florio ele terminou em nono lugar.

Com a ajuda de seu amigo Ugo Sivocci ele conseguiu um emprego com Alfa-Romeo em 1920, e teve sucesso como piloto de corridas.

Em 1923, o jovem Ferrari ganhou o Circuito de Sivocci em Ravenna. Lá, ele adquiriu um lendário emblema do piloto Francesco Baracca WWI, um cavalo empinado em um protetor amarelo.

Este ícone teria de esperar até 1932 para ser exibido em um carro de corrida.

A maior vitória de Enzo Ferrari aconteceria em 1924 na Copa da Acerbo em Pescara, com um Alfa Romeo RL.

Essa e muitas corridas mais bem-sucedidos feitos por Ferrari o tornaram um nome reconhecido.

Em 1922, Benito Mussolini tomou o poder em Itália e estabeleceu um regime fascista totalitário que patrocinou um nacionalismo agressivo como um imitador do Império Romano.

O nome de um piloto vencedor, como Ferrari, foi utilizado como uma de muitas ferramentas de propaganda.

Ele foi agraciado com o Cavaleiro da Ordem da Coroa da Itália e foi promovido ao posto de Comandante.

Aos olhos de Mussolini Ferrari havia vencido todas as suas corridas para a Itália. Na realidade, era o único trabalho que Ferraripoderia fazer.

Em 1926, sobrecarregado e estressado, Ferrari teve um colapso emocional e parou corrida. Ele recusou algumas ofertas, incluindo uma para uma grande corrida na presença de Mussolini.

Ele passou a consertar carros de Alfa, embora ele fazia corrida algumas vezes em 1927. Daí em diante, mas com menos sucesso do que ele tinha anteriormente.

Em 1929 ele começou a Scuderia Ferrari, uma equipe de pilotos e assistentes técnicos que trabalham para Alfa.

Ferrari logo fez acordos semelhantes com a Bosch, Pirelli e Shell.

Sua equipe causou sensação depois de oito vitórias em 22 competições.

Com até 50 motoristas integral ea tempo parcial, era a maior equipe nunca Reunidos por um homem.

O talento de Ferrari como um organizador da equipe e diretor substituído foi muito grande.

Ele estava completamente aposentado das corridas em 1932, quando seu primeiro filho Dino nasceu.

Em 1937 ele deixou Alfa-Romeo sob o acordo de que ele não poderia competir ou projetar qualquer coisa sob o Seu Nome por quatro anos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, a empresa de Ferrari foi forçada a realizar a produção de guerra para o governo fascista de Mussolini, fornecendo, assim, autopeças para o militar italiano.

Co os bombardeios aliado obrigou-o a mudar a fábrica de Modena para Maranello. Ele se concentrou todos os esforços no projeto do carro que iria levar seu nome.

Em 1946 a Ferrari Tipo 125, carro de 1.5 litros, foi construído em colaboração com seu velho amigo G. Colombo, e foi introduzido no Grande Prêmio de Mônaco 1947.

Participou do primeiro Campeonato do Mundo de Ferrari F-1 em 1950.

Ele ganhou o 1951 Grande Prêmio da Inglaterra de F-1 e dominou o Campeonato Mundial no início dos anos 50.

O sucesso do F-1 em 1956, 1958, 1961 e 1964 foram acompanhadas de vitórias no Mille Miglia e Le Mans.

Seu total de 14 vitórias em Le Mans incluídos seis em uma linha em 1960-1965.

O boom econômico do pós-guerra terminou para a Ferrari em 1956. Quando seu filho Dino morreu de distrofia muscular, causando o fim do casamento de Enzo.

Enzo Ferrari
Enzo Ferrari com seu filho Dino

Ferrari estava deprimido e, não tendo muitos amigos, mudou-se para um pequeno apartamento em sua fábrica.

Lá ele viveu e trabalhou sem um período de férias para muitos anos. Ele usava óculos de sol como um ritual para homenagear seu filho.

Suas habilidades de gestão e atenção aos detalhes ajudou o negócio através de um declínio na década de 60.

Em 1963 ele rejeitou uma oferta de US $ 18 milhões da Ford para comprar sua empresa.

Em 1965, ele permitiu Fiat ter pequenas participações na empresa; a sua quota aumentou para 50% e em 1969 e para 90% em 1988.

Manteve-se diretor-gerente a Ferrari até 1971 e foi influente até sua morte na idade de 90 a 14 de Agosto de 1988, em Modena, Itália.

Enzo Ferrari – Logo

Enzo Ferrari
Enzo Ferrari

O logo do cavalo; a pintura vermelha distinta, o som gutural do motor.

A Ferrari é epítome de velocidade, estilo e superioridade. Com base em Maranello, Itália, esta empresa icônica vem produzindo carros há mais de 50 anos.

Enzo Ferrari, o pai fundador da marca de carro esportivo mais famosa do mundo nasceu em 1898.

Sua carreira começou como piloto de corridas pela Alfa Romeo em 1919, antes de mudar as oficinas da Alfa durante as duas próximas décadas para se concentrar em desenho e engenharia.

Em 1947, o primeiro carro da Ferrari – o 125s – assegurou vitória com apenas um mês de estréia. Estes animais V12 conquistaram uma reputação com uma série de vitórias antes de desenvolver a produção de carros esportivos um ano depois.

Durante os anos 50, a marca continuou a impressionar no circuito e estava começando a causar suspiros nos showrooms.

Nos anos 60, as habilidades de Battista ‘Pinin’ Farina, e modelos de motor médio como o Dino significaram que o status de ícone da Ferrari havia sido estabelecido.

Com um visual de tirar o fôlego e uma atuação absolutamente única, a Ferrari ainda é o único carro para aqueles que levam velocidade a sério.

Enzo Ferrari – Marca

Enzo Ferrari
Enzo Ferrari

A vida e a paixão pela velocidade

Enzo Ferrari nasceu em 18 de fevereiro de 1898, na cidade de Módena, Itália. Sua paixão pelo automobilismo surgiu quando ainda criança visitou o autódromo de Bolonha, aos 10 anos de idade.

Trabalhou como mecânico de carros até a primeira guerra mundial, quando então entrou para a Contruzioni Mecaniche Nationali, fazendo testes de carros e, em seguida, transferiu-se para a Alfa Romeu, já como piloto.

Em 1929 (01/12/29) Enzo Ferrari fundou a Escuderia Ferrari, em Módena, que era uma equipe esportiva que se propunha a participar do maior número possível de corridas com o maior número de carros. A Alfa Romeu fornecia os automóveis que então eram modificados pela oficina de Ferrari. Dentre os carros usados pela escuderia nessa época estão os Alfa 1750, 2300, posteriormente modificadas pela escuderia para 2600cc, e as famosas P3.

A escuderia obteve bons resultados enquanto ainda modificava os carros da Alfa, com várias vitórias em diferentes tipos de provas, como subida de montanha, Grandes Prêmios e corridas de longa distância (Le Mans, por exemplo).

Em 1938, Enzo Ferrari deu fim a sua escuderia, pois tinha sido convidado a dirigir o recém criado departamento esportivo da Alfa Romeu. Porém, Enzo entrou em atrito com o engenheiro chefe da Alfa Romeu, Wilfredo Ricart, o que levou Enzo a fundar em 1939 sua própria fábrica, com sede em Módena.

No ano seguinte Enzo fabricou seu primeiro carro, a 815 , mas não lhe deu seu próprio nome, por estar ainda vinculado à Alfa Romeu. O carro recebeu a marca Auto Avio Contruzioni, nome da fábrica fundada por ele. A 815 possuía motor de oito cilindros de 1500cc, construído em parte com material da Fiat.

Acontecimentos ligados à segunda guerra mundial forçaram Ferrari a transferir a fábrica para Maranello, a 18 km de Módena, sofrendo completa reestruturação.

O projeto do primeiro carro contruído exclusivamente pela Ferrari data de 1945, do qual se originou a Ferrari 125 GT, que gerou outros modelos baseados em diferentes esquemas técnicos, como as Ferrari 125 S, que pilotada por Franco Cortese venceu o GP de Roma de 1947. Este carro tinha um motor de 12 cilindros em V de 60o , que se tornou uma marca registrada da Ferrari e que desenvolvia 100cv a 7000 rpm, com diâmetro 55 mm, e curso do pistão de 52,5 mm.. Foi projetado por Gioacchino Colombo, que havia deixado a Alfa Romeu, e Luigi Biazzi. Ainda nesta temporada este motor foi modificado para uma versão de maior cilindrada, 58 x 59 mm, com 125cv a 7000 rpm, e passou a equipar o carro que era pilotado por Franco Cortese.

Um dos grandes projetos de Enzo Ferrari era fabricar carros para todas as categorias de competição, e começou a se realizar em 1948, com a criação de um monoposto de GP, a 125 F1 (1500cc), com novo motor de 12 cilindros em V de 600, 230cv a 7000rpm, graças a um compressor Roots de um estágio. Este carro levou a grandes resultados em diversas provas, pois participou em várias categorias. Mais tarde, em 49, o motor da 125 F1 foi modificado, com compressor de 2 estágios, o que tornou o carro muito mais veloz.

Já com Aurelio Lamprede no lugar de Gioacchino Colombo, a Ferrari passou por um período de intensa evolução técnica durante os anos de 48 a 50. Foram construídos diversos carros com diferentes tipos de motorização, dentre os quais os das séries 166 (a S, a F2, a Inter e a MM) com motores de 1995cc que iam de 115cv a 160cv, e os projetados para o novo regulamento da fórmula 1 da época, com motores aspirados de grande cilindrada (a 275 F1, a 340 F1 e a famosa 375 F1), todos 12-V, que atingiam até 350 cv.

Em 52 surgiu a Ferrari 500 F2, a primeira Ferrari de 4 cilindros, que seria usada na fórmula 2, visando novas soluções para a diminuição de cilindrada que ocorreria na F1 a partir de 54, que seria limitada a 2500cc. A 500 F2 tinha baixo nível de consumo e bom equilíbrio geral, que desgastava pouco os pneus e tornava possível que ela cobrisse toda a distância de um GP sem parar no box. O carro era tão bom que foi usado nos compeonatos de F1 de 52 e 53 .

Nesta época alguns dos principais adversários da Ferrari nas competições eram a Alfa Romeu e a Maserati. A Ferrari ainda não havia ganho um compeonato, apesar de ter obtido várias vitórias. Apenas em 1952 , com Gilberto Ascari pilotando a 500 F2, a Ferrari obteve seu primeiro título na fórmula 1, que foi seguido de outro em 53. Também em 53 a Ferrari sagrou-se campeã do 1o Campeonato Mundial de Marcas.

Em 53 deu-se continuidade a construção de carros de grã-turismo, quando iniciou-se um programa comercial onde Pininfarina ficou encarregada de “encarroçar” os carros comerciais da Ferrari, que usariam os motores que haviam sido desenvolvidos para as competições. Desde então, Pininfarina se tornou quase exclusivo nos designs da Ferrari. Surgiram assim as Ferraris 195 Inter (2341 cc), 212 Export (2562cc), 212 S (2715cc), 212 Inter e a 375 Spider America, que depois foram seguidos por muitos outros modelos.

Até 54 haviam sido construídos mais de 21 tipos de motores, a maioria derivados do 12 V da 125 GT (1a Ferrari). A empresa mantinha praticamente a mesma estrutura de 47, com seu quadro de funcionários aumentado somente de 241 para 269.

De 54 a 60 só se permitiram na F1 carros com motores aspirados até 2500cc ou superalimentados até 750cc, e continuaram-se as pesquisas utilizando a F2 como laboratório. Neste período, na ordem citada, surgiram a 625 F1, com motor de 4 cilindros derivado do da 500 F1; a Squalo 555 F1, derivada da Squalo 553 F2, que tinha os tanques de gasolina nas laterais para a melhor distribuição de peso; a Supersqualo 625 F1, que nada mais era do que a 555 F1 com motor modificado (o da 625), um novo chassi e um tanque extra na traseira. Em 55, com a retirada da Lancia das competições de F1, a Ferrari teve acesso ao material de competição da Lancia, que resultaram na construção dos Lancia-Ferrari de oito cilindros, com o qual Fangio conquistou seu quarto título mundial. Em 56 este motor já estava superado, sendo substituído pelo Dino-V6, inicialmente preparado para a F2 com 1500cc, teve sua cilindrada aumentada progressivamente para equipar os F1 (1860, 2200 e 2417cc). Depois este motor teve os ângulos das 2 bancadas de cilindros aumentados para 60o e depois para 65o e a cilindrada de 2417 para 2497cc, configuração que a Ferrari usou até o fim da F1 de 2500cc.

O nome deste motor foi uma homenagem a Alfredino Ferrari, filho de Enzo, que ajudou o engenheiro Lampredi no projeto do motor e morreu em 56, aos 26 anos, sofrendo de distrofia muscular progressiva. Isto fez com que seu pai , Enzo, se torna-se uma pessoa amarga. Desde então Enzo nunca mais pisou numa pista de corrida e passou a usar os inseparáveis óculos escuros.

Durante o período compreendido entre 54 e 60, a Ferrari produziu outros carros esporte e de grã-turismo, com motores de quatro, seis, oito e doze cilindros, dentre eles a primeira Testa Rossa, chamada assim devido a seus cabeçotes vermelhos.

Quanto a inovações em outras áreas que não a motorização, a Ferrari começou a equipar os seus automóveis com freios a disco em 1959. Além disso, em 1960 as Ferrari passaram a receber motor traseiro, visando melhor desempenho no novo regulamento da F1 de 1,5 litro que entraria em vigor em 61. O primeiro carro a adotar esse esquema foi a Ferrari 156 F1, equipado com motor V-6, que venceu o GP de Solitude. Mais tarde, os carros receberam injeção direta Bosch.

Phil Hill tornou-se compeão mundial com a 156 F1 em 61. Depois veio a segunda Ferrari de motor traseiro, a 256 F1, projetada por Carlo Chiti (projetista da 156 F1).

No mesmo ano as Ferrari esporte receberam uma modificação: o aerofólio. O motor F1 de 6 cilindros, com algumas modificações, foi usado em outros carros, como o 196 S, com o qual Lodovico Scarfiotti venceu o Campeonato Europeu de Montanha no ano seguinte.

Em 1963 foi construído um novo motor, de 8-V, que substituiu o V-6, que em 64 foi colocado no recém lançado monobloco de motor portante, inovação técnica que se tornaria habitual nos monopostos. Novos materiais usados na construção dos chassis, metais leves e plásticos, permitiram reduzir o peso total dos carros.

O aperfeiçoamento aerodinâmico acompanhava o desenvolvimento mecânico das Ferraris, na medida que novos tipos de carenagens eram testadas. Foi o campeonato de Marcas (que incluía 24 horas de Daytona e as 24 horas de Le Mans), por suas corridas de longa duração, que mais tornou necessário o desenvolvimento das carenagens para que o piloto sofresse menos os efeitos da força do ar ao longo da prova e para que os carros ficassem mais fáceis de serem conduzidos, proporcionando menor desgaste do piloto. Alguns exemplos de modelos carenados são a 512 S de 70 (12-V, 4993cc, 550cv) e a 312 P , que venceu o campeonato Mundial de Marcas de 1972.

A série de protótipos construída de 1963 a 1967 proporcionou à Ferrari notável progresso na construção dos motores de doze cilindros, testados exaustivamente em vários tipos de competição. Por exemplo, a potência inicial de 300cv a 7800rpm (relação de compressão de 9.8:1) da 250 P de 1963 aumentou para 450cv a 8200rpm (relação de compressão de 10.5:1) no motor de 3967cc da P4 de 1967. Em 1968 um monoposto da Ferrari e um da Brabham utilizaram um aerofólio, pela primeira vez na fórmula 1, no GP da Bélgica.

Todas as inovações que se mostravam eficientes iam sendo utilizadas na construção dos carros comerciais produzidos pela Ferrari que desde de 60 tinha assumido a denominação de SEFAC (Società Esercizio Fabbriche Automobili e Corse).

Em 1969 a FIAT fez um acordo com a Ferrari que visava a produção de alguns modelos de carros que seriam equipados com motores Ferrari Dino, que ainda eram usados, com algumas modificações, na fórmula 2. Assim foram construídas a Dino 206 e mais tarde a Dino 246. Em 21 de junho de 1969 as relações comerciais entre as duas empresas oficializaram-se, com a entrada da FIAT (de forma paritária) na sociedade SEFAC-Ferrari.

Na fórmula 1, a 312 B, com motor de 3000cc, de doze cilindros contrapostos, denominado Boxer, substituiu, em 70, a 312, utilizada até o ano anterior. Neste ano a 312 B venceu várias corridas, dentre elas o GP da África do Sul e o GP da Itália.

Em 1971 a 312 B conseguiu duas vitórias no campeonato mundial de F1: no GP do Holanda e no GP da África do Sul. Em 1972, ainda com a 312 B, Jack Ickx venceu o GP da Alemanha. A Ferrari utilizou o mesmo motor Boxer da 312 B num carro esporte, a 312 P, que venceu o Campeonato Mundial de Marcas de 1972. Até o fim da temporada seguinte (73), a Ferrari continuou a utilizar a 312 B na F1, aperfeiçoando-a constantemente.

Em fins de 1973 a fábrica de Maranello apresentou a Dino 308 GT, cm motor V-8 de 255cv a 7700rpm, colocado entre os eixos, em posição transversal. Com carroceria desenhada por Bertone, esse modelo rompeu com o design tradicional das Ferrari grã-turismo. Porém, apesar do novo lançamento, a empresa continuou a fabricar a Dino 246.

Também nesse ano a Ferrari lançou outro modelo GT de concepção revolucionária: a 365 BB (berlineta boxer), com carroceria Pininfarina e motor traseiro Boxer de doze cilindros contrapostos de 4390cc.

Durante estes 28 anos de atividade a Ferrari tinha construído 132 tipos diferentes de motores, uma média de mais de quatro por ano, e ainda possuía um quadro de funcionários relativamente modesto, 915 ao todo.

Em 1974 a Ferrari conseguiu com um motor de doze cilindros, 480cv a 12400rpm, que equipou as 312 B3 superar, na prática, os motores Ford-Cosworth V-8, o que não acontecia desde 1961.

Em 1975 a Ferrari estreou a nova 312 T, o primeiro carro de fórmula 1 a utilizar câmbio transversal. Durante a década de 70 a Ferrari ganhou alguns títulos no campeonato mundial de fórmula 1, mas na década de 80 iniciou-se um longo período de jejum de títulos mundiais que, apesar dos pesados investimentos em novas tecnologias, com o aumento da eletrônica embarcada de seus carros, até 1994 ainda não havia ganho nenhum título. Dentre as inovações introduzidas pela Ferrari neste periodo está o câmbio semi-automático, acionado por meio de ‘borboletas’ localizadas atrás do volante.

A Melhor Ferrari em Homenagem ao seu criador

Durante este período ocorreu a morte de seu fundador, Enzo Ferrari, que morreu em Módena, a 14 de agosto de 1988.

Autodidata em mecânica, recebeu em 1960, da Universidade de Bolonha, o título de Doutor “honoris causa” em Engenharia, e mais tarde, em Física.

Ganhou do governo italiano o título de Comendador.

Fonte: www.imdb.com/www.discoverybrasil.com/www.fem.unicamp.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Samuel Morse

Samuel Morse

PUBLICIDADE Samuel Morse – Vida/Biografia Samuel Morse foi um artista e inventor norte-americano mais lembrado por …

Jean-Antoine Nollet

Jean-Antoine Nollet

PUBLICIDADE Quem foi Jean-Antoine Nollet? Nascimento: 19 de dezembro de 1700, Pimprez Morte: 25 de …

Vasco da Gama

Vasco da Gama

PUBLICIDADE Quem foi Vasco da Gama? Nascimento: 1469, Sines, Alentejo, Portugal Morte: 24 de dezembro de 1524, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+