Breaking News
Home / Biografias / Glenn Seaborg

Glenn Seaborg

Glenn Seaborg – Vida

PUBLICIDADE

Nascimento: 19 de abril de 1912, Ishpeming, Michigan, EUA.

Falecimento:25 de fevereiro de 1999, Lafayette, Califórnia, EUA

Profissão: Físico

Físico norte-americano Glenn Seaborg liderou a equipe de pesquisa que descobriu o plutônio em 1940, e em 1941 isolado do urânio-233.

Ele supervisionou fabricação de plutônio e pesquisa de enriquecimento para o Projeto Manhattan, que culminou no desenvolvimento de armas atômicas.

Seaborg e seus colegas também descobriram amerício, berquélio, califórnio, cúrio, einstênio, férmio, mendelévio, e nobélio, e identificou mais de 100 isótopos de elementos ao longo da tabela periódica.

Ele dividiu o Prêmio Nobel 1951 de Química com Edwin M. McMillan , e ele é o homónimo de seaborgio, descoberto em 1974 por Albert Ghiorso.

Em 1963 atuou como negociador chave científica e diplomática no trabalho que levou à limitada de Testes Nucleares do Tratado de Proibição (1963), que limitou os testes de armas nucleares na atmosfera e sob o mar, eo Tratado de Não-Proliferação Nuclear ( 1968), que limita a disseminação da tecnologia de armas nucleares.

Sua esposa, Helen Griggs, foi o secretário de Prêmio Nobel Ernest Lawrence .

Glenn Seaborg – Biografia

Glenn Theodore Seaborg nasceu em Ishpeming, Michigan, em 19 de abril de 1912.

Na idade de 10 ele se mudou com sua família para a Califórnia, em 1929 ele se formou na Escola David Starr Jordan alta em Los Angeles como orador da turma.

Glenn Seaborg
Glenn Seaborg

Ele entrou na Universidade da Califórnia, Los Angeles, em 1929, e recebeu o grau de Ph.D. em Química pela Universidade da Califórnia, Berkeley, em 1937.

De 1937 a 1939 ele era o assistente de laboratório pessoal do falecido GN Lewis, com quem publicou uma série de trabalhos científicos.

Em 1939, o Dr. Seaborg foi nomeado um instrutor em química na Universidade da Califórnia, Berkeley, onde foi promovido a professor assistente em 1941, e para Professor de Química em 1945.

Em 1946, ele também assumiu a responsabilidade pela direção da pesquisa química nuclear no Laboratório de Radiação Lawrence, operado pela Comissão de Energia Atômica da Universidade da Califórnia; 1954-1961, ele foi Diretor Associado de LRL.

No mesmo ano, ele foi nomeado pelo presidente Truman a ser um membro de primeira AEC do Comité Consultivo Geral, cargo que ocupou até 1950.

Em 1958, foi nomeado Chanceler da Universidade da Califórnia em Berkeley.

Nessa capacidade ele serviu até sua nomeação pelo Presidente Kennedy para a Comissão de Energia Atômica, em 1961, quando foi designado presidente da Comissão.

Seu mandato expira em 1968.

De 1959 a 1961, ele era também um membro do presidente do Comitê Consultivo para a Ciência.

Dr. Seaborg foi dada uma licença da Universidade da Califórnia de 1942-1946, período em que chefiou o trabalho de plutônio do Projeto Manhattan, da Universidade de Chicago Laboratório Metalúrgico.

Ele foi co-descobridor de plutónio e todos os elementos transurânicos adicionais através elemento 102.

Além da descoberta dos elementos transurânicos, Dr. Seaborg e os seus colegas são responsáveis ??para a identificação de mais de 100 isótopos dos elementos ao longo da Tabela Periódica.

Ele também é autor do conceito dos actinídeos de estrutura forte elemento eletrônico.

A este respeito, o Dr. Seaborg demonstrado que os elementos pesados ??formar uma “transição” série de elementos de actinídeos de uma maneira análoga à série de terra rara de elementos lantanídeos.

O conceito demonstrou como os elementos pesados ??encaixar na Tabela Periódica e as suas relações assim demonstrado para os outros elementos.

O corpo de informação montado no laboratório do Dr. Seaborg a tornou possível prever as características de isótopos radioativos de muitos elementos ainda de ser encontrado.

Sob a liderança do Dr. Seaborg, também, novos corpos inteiros de metodologia e instrumentação foram desenvolvidas e tornaram-se uma pedra angular da química nuclear moderna.

Dr. Seaborg é o autor de aproximadamente 200 trabalhos científicos, incluindo um número de revisões abrangentes e compilações em publicações científicas.

Ele também é autor e co-autor de vários livros sobre a química e os elementos.

Honras incluem: em 1947, nomeado como um dos 10 pendentes da América jovens por Junior EUA Câmara de Comércio; 1947 recebeu o Prêmio da American Chemical Society em Química Pura; 1948 John Medalha de Ouro Ericsson pela Sociedade Americana de Engenheiros suecos; 1948 Medalha Nichols da Seção de Nova Iorque da American Chemical Society, 1953 John Prêmio Scott e Medalha da Cidade de Philadelphia, 1957 Medalha de Perkin da Seção Americana da Sociedade da Indústria Química; 1959 Comissão de Energia Atômica do Enrico Prêmio Fermi por seu excelente trabalho na campo da química nuclear e por sua liderança em assuntos científicos e educacionais, em 1962, chamado sueco-americano do Ano pela Ordem da América Vasa, Estocolmo; 1963 Medalha Franklin, do Instituto Franklin, na Filadélfia.

Dr. Seaborg é um membro honorário da Sociedade Química de Londres e da Royal Society de Edimburgo.

Ele é membro do Instituto Americano dos Químicos, o New York Academy of Sciences, da California Academy of Sciences, da American Physical Society e da Associação Americana para o Avanço da Ciência.

Ele é membro da Academia Nacional de Ciências, da Academia Americana de Artes e Ciências, da Sociedade Real de Artes da Inglaterra, e da Real Academia Sueca de Ciências da Engenharia.

Títulos honorários concedidos a Dr. Seaborg incluem Doutorado em Ciência da Universidade de Denver, 1951; Adolphus Gustavus College, 1954; Universidade Northwestern, de 1954; Universidade de Notre Dame, 1961; Ohio State University, 1961; Florida State University, 1961; Universidade de Maryland, de 1961, Temple University, 1962; Tulane University, 1962; Drexel Institute of Technology, 1962; Georgetown University, 1962; Universidade do Estado de Nova York, 1962; Mundelein College, 1963; e Trinity College, 1963; o grau de Doutor em Direito pela Universidade de Michigan, 1958, e da Universidade de Massachusetts, 1963; o grau de Doutor em Letras Humanas da Northern Michigan College, 1962; o grau de Doutor em Administração Pública da George Washington University, 1962; ea grau de Doutor em Administração Pública pela Universidade de Puget Sound, de 1963.

Em 1942, o Dr. Seaborg casado Helen L. Griggs, então secretário do falecido Dr. Ernest O. Lawrence (Prêmio Nobel de Física 1939).

Eles têve seis filhos: Pedro (n. 1946), Lynne (n. 1947), David (n. 1949), Stephen (n. 1951), John Eric (n. 1954), e Dianne (n. 1959).

Seu hobby principal é o golfe, mas ele também segue outros desportos com juros.

De 1953-1958 atuou como Representante Faculdade Universidade da Califórnia (Berkeley) Atlético.

Pai: Herman Theodore Seaborg
Mãe: Selma Ericksburg (nascido na Suécia)
Irmã: Jeanette (mais jovem)
Esposa: Helen Griggs Lucille (m. 6-Jun-1942, quatro filhos, duas filhas)
Filho: Peter Glenn (nascido em 31 de maio de 1946, d 1997).
Filha: Lynne Seaborg Cobb (nascido em 6-Sep-1947)
Filho: David Michael (biólogo evolucionista, b 22-Abr-1949).
Filho: Stepehn Keith (nascido em 14-Aug-1951)
Filho: John Eric (nascido em 17-Nov-1954)
Filha: Dianne Karole (nascido em 20-Nov-1959)

Glenn Seaborg – Químico

Glenn Seaborg
Glenn Seaborg

Glenn Theodore Seaborg (1912-1999) esteve envolvido na identificação de nove elementos transurânicos (94 por 102) e serviu como presidente da Comissão de Energia Atômica dos EUA (AEC) 1961-1971. Em 1951, ele dividiu o Prêmio Nobel de Química com o físico Edwin M. McMillan.

Nascido em Michigan, Seaborg recebeu seu diploma de bacharel na Universidade da Califórnia em Los Angeles e seu doutorado em química pela Universidade da Califórnia em Berkeley. Ele, então, serviu como assistente de pesquisa de Gilbert Newton Lewis e eventualmente se tornou chanceler da universidade.

Ele trabalhava longe de Berkeley durante dois períodos significativos: uma vez para participar do Projeto Manhattan, da Universidade de Chicago de 1942 a 1946, e depois novamente à presidência da AEC-a partir do qual ele retornou para Berkeley.

Em 1940, Edwin McMillan, assistido por Philip Abelson (mais tarde, editor da revista Science), confirmado e elucidou o fenômeno da fissão nuclear anunciado por Otto Hahn e Fritz Strassmann , em 1939. Especificamente, ele identificou elemento 93, neptúnio, entre os produtos de fissão de urânio, que foi bombardeado com nêutrons produzidos a partir de deutério usando o pequeno (27 polegadas) ciclotron em Berkeley.

McMillan também previu a existência de elemento 94, o plutônio, o que ele esperava encontrar entre os produtos de urânio sob o bombardeio dêuteron direta.

McMillan, no entanto, de repente foi chamado para fazer trabalho de guerra e, eventualmente, aderiram ao programa, em Los Alamos para construir bombas nucleares. Seaborg e seus associados assumiu projeto McMillan.

Glenn Seaborg
Glenn T. Seaborg e presidente John F. Kennedy em Germantown,
Maryland, sede da Comissão de Energia Atômica, 16 de fevereiro de 1961

Seaborg e equipe logo descobriu o plutônio com um número de massa 238.

Pesquisas adicionais levou à produção de isótopo 239 no início de 1941, em quantidades muito pequenas.

Plutónio-239 mostrou ser cindíveis por bombardeamento com neutrões lentos e, por conseguinte, tornou-se o novo material de que uma bomba nuclear pode ser construído.

Até aquele momento, os cientistas tinham conhecido apenas de urânio-235 para esta finalidade.

Seaborg, em seguida, juntou-se ao Projeto Manhattan para trabalhar sobre o plano para produzir suficiente plutónio-239 para uma bomba-relógio a que foi lançada sobre Nagasaki.

Mesmo antes de a guerra terminou, ele voltou sua atenção para a produção de elementos transurânicos mais, o desenvolvimento da série de transição actinídeos na tabela periódica.

No AEC, Seaborg se envolveu profundamente em ambos controle de armas nucleares e assuntos regulamentares, tentar controlar o poder do núcleo atômico que o seu trabalho científico havia revelado.

Entre os químicos que era incomum em escrever histórias dos acontecimentos épicos em que ele estava envolvido para que o público poderia ser o mais sábio por suas experiências.

Com Benjamin S. Loeb, ele escreveu uma série histórica, a primeira das quais era Kennedy, Kruschev, eo Banimento de Testes(1981).

GLENN SEABORG (1912-1999)

Glenn Seaborg
Glenn Seaborg

Glenn T. Seaborg foi um dos cientistas que mais contribuiu para reescrever a tabela periodica dos elementos e o unico a ser homenageado em vida com o nome de um elemento quimico. Seaborg faleceu em 25 de fevereiro p.p., aos 86 anos de idade, de complicacoes de um derrame que sofreu durante a reuniao semestral da ACS – Sociedade Americana de Quimica realizada em agosto p.p., em Boston.

Apesar de ter nascido no estado de Michigan, aos 10 anos de idade Seaborg mudou-se para Los Angeles.

Ai, ao cursar Qumica no 2 ano do ensino medio, foi imediatamente atraido para uma carreira em ciencias exatas: Por que alguem nao me falou disso antes? ele escreveu.

Dai em diante, eu ja sabia o que queria. Eu senti que queria tornar-me um cientista e direcionei todos os meus esforcos neste sentido. Seaborg fez a graduacao na Universidade da California em Los Angeles (UCLA), onde, embora ele adorasse Fisica acima de tudo, ele estudou Quimica porque os quimicos conseguiam arranjar emprego. Ele comparava a sua pos-graduacao na Universidade da California em Berkeley (UCB) a uma peregrinacao a Meca, tendo obtido seu ttulo de Ph. D. em 1937.

Apos dar aulas em Berkeley por alguns anos, Seaborg se afastou para chefiar a secao que trabalhava com os elementos transuranicos dentro do Projeto Manhattan (responsavel pelo desenvolvimento da bomba atomica durante a 2a. Guerra Mundial). Mais tarde ele retornou a Berkeley para dirigir trabalhos de pesquisa em Quimica Nuclear no Laboratorio de Radiacao da Universidade da California, agora denominado de Laboratorio Nacional Lawrence em Berkeley (LBNL). Descobridor de muitos elementos transuranicos, ele atrasou o anuncio da descoberta do plutonio (1940-41), ao dar-se conta que ele poderia ser adequado para a construcao de uma bomba atomica.

Seu trabalho no projeto Manhattan fazia parte de uma corrida de doido para vencer os alemaes na producao de tal arma. Acabou engendrando uma tecnica automatica para isolar plutonio. O trabalho era exaustivo e num dado momento, Seaborg escreveu, uma prateleira despencou e quebrou um frasco, sendo que um quarto do estoque de plutonio do mundo ensopou um exemplar do jornal Sunday Tribune. Em 1945, Seaborg fez parte do Comite Franck, que recomendou que a bomba atomica recentemente desenvolvida fosse demonstrada sobre uma ilha ou no deserto para observadores das Nacoes Unidas. O comite esperava que o poder devastador da arma fizesse com que o Japao capitulasse, o que poderia ter poupado muitas vidas.

As pesquisas de Seaborg sobre os elementos transuranicos culminaram com o recebimento do Premio Nobel de Qumica de 1951, juntamente com o fisico da UCB Edwin M. McMillan (1907-1991). Este e Philip H. Abelson, em 1940, foram os primeiros a provar a existencia de um elemento transuranico, por eles denominado de netunio. Quando McMillan teve que se afastar para contribuir com o esforco de guerra, Seaborg recebeu permissao dele para continuar com a pesquisa. Com o pos-graduando Arthur C. Wahl e outros colaboradores, conseguiu isolar e identificar o plutonio e outros quatro elementos. Apos ganhar o Premio Nobel, ele ainda esteve envolvido na descoberta de mais cinco elementos.

Nos anos seguintes, Seaborg se envolveu na direcao/assessoramento de diversos orgaos americanos. Apos ter sido reitor da UCB de 1958 a 1961, foi presidente por dez anos da Comissao de Energia Atomica dos Estados Unidos. Um de seus maiores orgulhos era ter contribuido para que o numero de usinas nucleares civis passasse de dois para mais de 70.

Ele tambem defendia o banimento de testes de armas nucleares. Seaborg sempre que possivel se envolveu nas atividades de sociedades cientificas.

Foi presidente da AAAS – Associacao Americana para o Progresso da Ciencia em 1972 e da ACS em 1976. Recebeu diversas medalhas e honrarias, entre elas, em 1979, a Medalha Priestley, a maior homenagem prestada pela ACS a cientistas. Recentemente, quando a revista Chemical &Engineering News comemorou seus 75 anos, ele foi votado pelos leitores da revista como um dos Top 75 Distinguished Contributors to the Chemical Enterprise. O recebimento da medalha por esta honra durante a reuniao da ACS em Boston em agosto p. p. foi uma das suas ultimas aparicoes em publico.

Ele se deliciava pelo fato de, em 1997, o elemento 106 ter sido denominado seaborgio em sua honra. Ele dizia Daqui a mil anos ele ainda sera seaborgio, quando muito provavelmente ter-se-a que procurar em livros obscuros para encontrar qualquer referencia ao que eu fiz.

Segundo Darleane C. Hoffman, professora de Quimica da UCB que continua trabalhando em Quimica Nuclear e ganhadora da Medalha Priestley a ser entregue em 2000, Seaborg considerava isso uma honra maior ainda que o Premio Nobel.

Um mes antes da morte de Seaborg, a revista Science publicou nota sobre a provavel descoberta do elemento 114, por cientistas americanos e russos, nos laboratorios de Dubna, na Russia.

Seaborg descreveu suas pesquisas e descobertas em interessantes artigos publicados no Journal of Chemical Education.

Fonte: www.nobelprize.org/www.chemheritage.org/www.nndb.com/www.geocities.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Samuel Morse

Samuel Morse

PUBLICIDADE Samuel Morse – Vida/Biografia Samuel Morse foi um artista e inventor norte-americano mais lembrado por …

Jean-Antoine Nollet

Jean-Antoine Nollet

PUBLICIDADE Quem foi Jean-Antoine Nollet? Nascimento: 19 de dezembro de 1700, Pimprez Morte: 25 de …

Vasco da Gama

Vasco da Gama

PUBLICIDADE Quem foi Vasco da Gama? Nascimento: 1469, Sines, Alentejo, Portugal Morte: 24 de dezembro de 1524, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.