Breaking News
Home / Biografias / Montesquieu

Montesquieu

PUBLICIDADE

Nascimento: 18 de janeiro de 1689, Brède, França.

Falecimento: 10 de fevereiro de 1755, Paris, França.

Montesquieu – Vida

Montesquieu
Montesquieu

Barão de Montesquieu era um advogado francês, escritor e filósofo político.

Filósofo francês Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, foi um pensador político muito influente durante o Era dos do Iluminismo.

Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu, nasceu na região de Aquitaine da França em 18 de janeiro, 1689, durante a Idade do Iluminismo.

Através de sua educação e viajens ele se tornou um comentador social afiado e pensador político que ganhou o respeito de seus companheiros filósofos com sua obra-prima O Espírito das Leis, que passou a ter uma grande influência sobre os ingleses e do governo americano.

Montesquieu – Biografia

Montesquieu
Montesquieu

O satírico francês (escritor usando o sarcasmo para comunicar a sua mensagem) e filósofo político e social Montesquieu foi o primeiro dos grandes estudiosos franceses associados ao Iluminismo (um movimento filosófico no século XVIII, que rejeitou ideias sociais e religiosos tradicionais, colocando razão como a mais ideal importante).

“A liberdade só pode consistir capaz de fazer aquilo que deve e quer evitar ser forçado a fazer o que não devemos querer” (Do Espírito das Leis)

A glória de Montesquieu foi demasiado rápido congelado em bustos de mármore e medalhas do metal polido, substâncias, duras, incorruptíveis. Posteridade visto de perfil, sorrindo todas as dobras de seu vestido e seu rosto, um sorriso esculpido no mineral ….

Se ele nunca causou o escândalo, o caso é extinto eo autor se desculpou: nenhuma disputa com a posteridade. Tem pouco inimigo, assim o exigir nenhuma defesa. Vive modestamente imortalidade. Aqui, quase deu a paz às grandes bibliotecas.

Cronologia de Montesquieu

1689 – Charles-Louis de Secondat, barão de Montesquieu, nasceu 18 de janeiro. Ele é o filho de uma grande família de Bordeaux parlamento. Ele foi criado até a idade de onze anos no castelo de La Brede.
1696 –
Morte de sua mãe.
1708 –
Ele estuda Direito em Bordeaux. Ele obteve seu diploma de Direito e se tornou um advogado. Ele foi até Paris e freqüentou círculos literários e acadêmicos.
1713 –
O seu pai morreu, herdou o castelo de La Brede e seus ricos vinhedos. Durante toda sua vida, Montesquieu permanecer fiel às suas raízes de fazendeiro e seus deveres como magistrado
1714 –
Tornou-se membro do parlamento de Bordeaux
1715 –
Montesquieu a esposa de Jeanne de Lartigue protestante
1716 –
Seu tio deixou sua fortuna e sua posição como presidente do Parlamento de Bordeaux. Montesquieu publicou um tratado de filosofia política: sobre a Política de Romanos na religião
1716 –
Seu tio deixou sua fortuna e sua posição como presidente do Parlamento de Bordeaux. Montesquieu publicou um tratado de filosofia política: sobre a Política de Romanos na religião
1717 –
Junto com suas responsabilidades como um magistrado e fazendeiro, Montesquieu tem uma paixão pela ciência. Tornou-se membro da Academia de Ciências de Bordeaux, e escreveu muitos tratados sobre a física, a medicina
1721 – Cartas Persas:
O romance epistolar por Montesquieu, uma de suas obras-primas, é publicado anonimamente em Amsterdã, provavelmente para evitar comprometer a sua reputação como um magistrado. Esse anonimato é apenas de curta duração e, provavelmente, difere em vários anos (1728) a eleição do seu autor para a Academia Francesa. O sucesso deste romance audacioso abre as portas para salões parisienses de Montesquieu, incluindo um dos influentes e da Marquesa de Lambert Entresol Clube
1725 –
Salões parisienses e círculos que ele frequentava libertinos, inspira O Templo de Cnido, um galante romance. Tratado geral dos direitos. Ele escreveu O Diálogo de Sila e Eucrate, trabalho que não foi publicado até 1745
1726 –
Montesquieu dá o seu posto como presidente Argamassa
1728 –
Graças à poderosa influência da Marquesa de Lambert, e apesar de a reserva de Luís XV e Fleury cardeal, que o acusam de frivolidade Cartas Persas, de Montesquieu foi admitido na Academia Francesa.
A partir de 1728-1731, ele visitou países da Europa: Hungria, Itália, Holanda, Inglaterra, onde permaneceu um ano e meio. Estas viagens permitem Montesquieu para executar uma inspeção completa de geografia, cultura, diplomacia, as condições econômicas, costumes e sistemas políticos de diferentes países europeus.
1734 –
Montesquieu publica Considerações sobre as Causas da Grandeza dos Romanos e seu declínio. Na verdade, essa discussão deveria ser um capítulo de uma importante obra de filosofia política que há muito meditado. Este teste, que por quatorze anos, no entanto, que vai preparar, organizar, melhorar, reformar, será “o trabalho de sua vida”: O Espírito das Leis
1745 –
O diálogo de Sila e Eucrate
1748 –
Montesquieu publicou em Genebra e anonimamente, trinta e um livros do Espírito das Leis,
Este livro teve um enorme impacto e foi criticado por ambos os jesuítas e os jansenistas. O primeiro, finesse, eo último com veemência o repreendeu sua crítica da Igreja, suas inclinações para o deísmo ea religião natural (a crença em uma divindade fora de qualquer igreja estabelecida). Ele também acusou De l’Esprit des Lois, sua análise crítica da monarquia.
1750 –
Montesquieu responde a acusações por publicação Defendendo o Espírito das Leis, uma brilhante clareza do seu pensamento e uma redefinição dos elementos-chave de seu pensamento político.
1751 –
O Espírito das Leis é colocado no Index. A Faculdade de Teologia da Sorbonne condena o teste e realmente extrair o ano seguinte, 17 propostas
1754 –
Lisímaco
1755 –
Ele morreu em Paris, quase cego, 10 de fevereiro
1757 –
Publicação (póstumo) do artigo “Ensaio sobre Taste” de amizade para d’Alembert e Diderot, Montesquieu havia escrito nos últimos anos de sua vida, por sua Enciclopédia

Montesquieu – Autor

Montesquieu

O Barão de Montesquieu era um autor francês, comentador político, filósofo, jurista e comentador social.

Ele é amplamente considerado como um dos maiores filósofos dos séculos 17 e 18, cujas ideologias políticas têm influenciado pessoas em todo o mundo.

Charles Louis de Secondat, nasceu em Bordeaux, França, em 1689 a uma família rica.

Apesar da riqueza da história da família, de Decondat foi colocado sob os cuidados de uma história familiar pobre durante a infância. Ele foi para a faculdade e mais tarde estudou ciência e história, tornando-se um advogado do governo local. Secondat pai morreu em 1713 e ele foi colocado sob a história do tratamento de tio, o Barão de Montesquieu.

O Barão morreu em 1716 e deixou de Secondat histórica propriedade escritório, histórica como presidente do Parlamento de Bordeaux, e seu título de barão de Montesquieu.

Mais tarde, Ele era um membro do Bordeaux e Academias de Ciências Francesa e estudou as leis e costumes e governos dos países da Europa. Ele ganhou fama em 1721 com históricos Cartas Persas, que criticou as liberdades eo estilo de vida dos franceses ricos, bem como da igreja.

No entanto, o livro de Montesquieu No Espírito das Leis, publicado em 1748, era o mais famoso trabalho histórico. Delineou a história é como as idéias do governo trabalhar melhor o faria.

Montesquieu acreditava que todas as coisas foram feitas de regras ou leis que nunca mudaram. Ele se propôs a estudar com a tese de Leis Cientificamente Espero que o conhecimento do governo de Leis reduziria os problemas da sociedade humana e melhorar a vida.

Segundo Para Montesquieu, havia três tipos de governo: monarquia (governado por um rei ou rainha), uma república (Regido pelo líder eleito no ano), e um despotismo (governado por um ditador).

Montesquieu acreditava que um governo que foi eleito pelo povo foi a melhor forma de governo. Ele, no entanto, acreditam que o sucesso de uma democracia – um governo no qual as pessoas têm o poder – dependia da manutenção do equilíbrio de poder.

Montesquieu defendeu que o melhor governo seria aquele no qual o poder foi equilibrada entre os três grupos de funcionários. Ele achava que a Inglaterra – que dividiu o poder entre o rei (que aplicadas as leis), o Parlamento (que fez as leis), e os juízes dos tribunais Inglês (que interpretou leis) – foi um bom modelo deste.

Montesquieu chamou a idéia de dividir o poder do governo em três ramos da “separação de poderes.” Ele pensou que o mais importante para criar ramos separados de governo com poderes iguais, mas diferentes. Dessa forma, o governo seria evitar colocar muita energia com um indivíduo ou grupo de indivíduos.

Ele escreveu: “Quando a [lei tornando] e [a aplicação da lei] poderes estão unidos na mesma pessoa … não pode haver liberdade.” Segundo Montesquieu, cada ramo de governo poderia limitar o poder dos outros dois ramos. Portanto, nenhum ramo do governo poderia ameaçar a liberdade do povo. Suas idéias sobre separação de poderes se tornou a base para a Constituição dos Estados Unidos.

Apesar da crença de Montesquieu nos princípios de uma democracia, não se sentia que todas as pessoas eram iguais. Montesquieu aprovado da escravidão.

Ele também achava que as mulheres eram mais fracos do que os homens e que eles tiveram que obedecer às ordens de seu marido.

No entanto, ele também sentiu que as mulheres que têm a capacidade de governar.

“É contra a razão e contra a natureza para as mulheres serem donas da casa … mas não para eles para governar um império No primeiro caso, o Estado fraco não lhes permite ser proeminente.

No segundo, a sua muito fraqueza lhes dá mais delicadeza e moderação, que, em vez de as virtudes duras e ferozes, pode fazer para um bom ambiente. “Desta forma, Montesquieu defendeu que as mulheres eram muito fracos para estar no controle em casa, mas que há calma e gentileza seria qualidades úteis na tomada de decisões no governo.

Nascimento do pensador francês Montesquieu (1689)

Em 1689, nascia Charles-Louis de Secondat, o Barão de Montesquieu.

O pensador elaborou a teoria da separação dos poderes, em que a autoridade política é exercida pelo executivo, legislativo e judiciário.

Suas teorias influenciaram o pensamento político moderno. Filósofo político, autor de O Espírito das Leis. Formado em Direito, iniciou sua carreira em Bordeaux.

Mudou-se para Paris, onde levou uma vida de dissipações freqüentando as festas dos salões da aristocracia e nobreza parisienses.

Em 1721 escreveu Cartas persas, nas quais satiriza a vida mundana da sociedade parisiense.

Em pouco tempo (1728) seus escritos e a influência social levaram-no à Academia Francesa.

Viajou para a Inglaterra onde permaneceu de 1729 a 1731, uma viagem que reputou muito instrutiva, e após a qual, retornando à França, dedicou-se seriamente ao estudo das ciências políticas.

Em 1734 publicou Considérations sur les causes de la grandeur des Romains e de leur décadence (“Considerações sobre as causas da grandeza dos romanos e de sua decadência”), um trabalho considerado uma mostra de inteligência, mas também de certa falta de conhecimentos.

Após 14 anos de trabalho, de 1734 a 1748, publicou L’Esprit des lois.

Muitas críticas se levantaram contra seu trabalho, o que o levou a escrever dois anos depois o Defense de l’Esprit des lois, considerado seu trabalho mais brilhante.

Montesquieu – Pensador

Montesquieu

Charles-Louis de Secondat, Barão de La Brède e de Montesquieu, nasceu em 18 de janeiro de 1689 no castelo de La Brède, perto de Bordéus, França, membro de uma família da aristocracia provincial. Fez sólidos estudos humanísticos e jurídicos, mas também freqüentou em Paris os círculos da boêmia literária.

Foi fundamentalmente um aristocrata da província, da estirpe de seu conterrâneo Michel de Montaigne e, como ele, humanista e cético. Juntou, porém, a essa herança espiritual o otimismo característico do século XVIII e acreditou firmemente na possibilidade de solução para os problemas da vida pública.

Livre pensador em matéria religiosa e apreciador dos prazeres da vida, Montesquieu imprimiu esse espírito a seu primeiro livro, Lettres persanes (1721; Cartas persas), cartas imaginárias de um persa que teria visitado a França e estranhado os costumes e instituições vigentes. O livro, espirituoso e irreverente, tem um fundo sério, pois relativiza os valores de uma civilização pela comparação com os de outra, muito diferentes. Verdadeiro manual do Iluminismo, foi uma das obras mais lidas no século XVIII.

Humanismo

O humanismo de Montesquieu é o fundamento das Considérations sur les causes de la grandeur des romains et de leur décadence (1734; Considerações sobre a causa da grandeza dos romanos e de sua decadência). Influenciado por Maquiavel, o escritor procura determinar as causas da grandeza e da queda das nações e dos impérios e explica o curso da história por meio de fatos naturais, econômicos e políticos, como clima, situação geográfica, amplitude de seus domínios e o que ele chamou o “gênio” das nações. Montesquieu parece, em parte, antecipar o positivismo científico do século XIX, ao usar critérios das ciências naturais.

Política

Em De l’esprit des lois (1748; O espírito das leis), Montesquieu elabora conceitos sobre formas de governo e exercício da autoridade política que se tornaram pontos doutrinários básicos da ciência política.

Considera que cada uma das três formas possíveis de governo é animada por um princípio: a democracia baseia-se na virtude, a monarquia na honra e o despotismo no medo.

Elabora a teoria da separação dos poderes, em que a autoridade política é exercida pelos poderes executivo, legislativo e judiciário, cada um independente e fiscal dos outros dois. Seria essa a melhor garantia da liberdade dos cidadãos e, ao mesmo tempo, da eficiência das instituições políticas. Seu modelo é a monarquia constitucional britânica.

As teorias de Montesquieu, que morreu em Paris, em 10 de fevereiro de 1755, exerceram profunda influência no pensamento político moderno. Inspiraram a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, elaborada em 1789, durante a revolução francesa, e a constituição dos Estados Unidos, de 1787, que substituiu a monarquia constitucional pelo presidencialismo. Com o fim do absolutismo, diversos países europeus adotaram a monarquia constitucional e muitas delas sobreviveram até depois da primeira guerra mundial. Em suas constituições atuais, a maioria das nações do Ocidente adota o princípio da separação dos poderes e em muitas delas vigora o presidencialismo ao estilo americano.

Montesquieu, Charles-Louis de Secondat, barão de La Brède e de Montesquieu (1689 – 1755)

Montesquieu, Charles-Louis de Secondat, baron de La Brède et de. Nascido próximo a Bordeaux, na França, em 1689 e falecido em Paris em 1755.

Jurista e filósofo do iluminismo francês nascido em Château La Brède próximo a Bordeaux, França, influente nas áreas da filosofia da história e do direito constitucional, um dos maiores prosadores da língua francesa.

Membro de uma família da aristocracia provincial, estudou humanismo e ciências jurídicas, e freqüentou interessadamente os círculos da boêmia literária parisiense.

Entrou para o tribunal provincial de Bordéus (1714), que chegou a presidir (1716-1726).

Montesquieu – Barão

Montesquieu

Filósofo político, autor de “O Espírito das Leis”.

Formado em Direito, iniciou sua carreira em Bordeaux.

Mudou-se para Paris, onde levou uma vida de dissipações freqüentando as festas dos salões da aristocracia e nobreza parisienses.

Em 1721 escreveu “Cartas persas”, no qual satiriza a vida mundana da sociedade parisiense.

Em pouco tempo, (1728) seus escritos e a influência social levaram-no à Academia Francesa.

Viajou para a Inglaterra onde permaneceu de 1729 a 1731, uma viagem que reputou muito instrutiva, e após a qual, retornando à França, dedicou-se seriamente ao estudo das ciências políticas.

Em 1734 Montesquieu publicou Considérations sur les causes de la grandeus des Romains e de leur décadence (“Considerações sobre as causas da grandeza dos romanos e de sua decadência”), um trabalho considerado uma mostra de inteligência, mas também de certa falta de conhecimentos. Após 14 anos de trabalho, de 1734 a 1748, publicou L’Esprit des lois.

Este livro, considerado um clássico da filosofia política, compreende uma análise das inter-relações entre as estruturas sociais e políticas, a religião, a economia e outros elementos da vida social.

Trouxe-lhe fama mundial, e é considerado também o mais significante precursor da análise sociológica. No entanto, muitas críticas se levantaram contra seu trabalho, o que o levou a escrever dois anos depois o Defense de l’Esprit des lois, considerado seu trabalho mais brilhante.

Morreu em Paris e suas teorias exerceram profunda influência no pensamento político moderno.

Fonte: www.biography.com/www.rjgeib.com/www.guesaerrante.com.br/e.terranova.sites.uol.com.br

Veja também

Kim Jong-un

Kim Jong-un

PUBLICIDADE Biografia de Kim Jong-un Líder Militar e Ditador Famoso como: líder supremo da Coreia …

Angela Merkel

Angela Merkel

PUBLICIDADE Nome: Angela Merkel Ocupação: Chanceler da Alemanha Data de nascimento: 17 de julho de 1954 Educação: Universidade de …

Gilberto Freyre

PUBLICIDADE Biografia Nascimento: 15 de março de 1900, Recife, Pernambuco Falecimento: 18 de julho de 1987, Recife, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.