Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biografias / Moussia Pinto Alves

Moussia Pinto Alves

PUBLICIDADE

Nascimento: 08 de julho de 1901, São Petersburgo, Gorod Sankt-Peterburg, São Petersburgo, Rússia.

Falecimento: 03 de janeiro de 1986 em São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Causa da morte: Natural

Moussia Pinto Alves – Vida

Moussia Pinto Alves
Moussia Pinto Alves

Moussia von Riesenkampf nasceu na Rússia imperial no início do século XX, onde iniciou seus estudos em arte.

Pertencente à aristocracia da região da Criméia, foi diretamente afetada pela revolução bolchevista de 1917.

Seu pai, um almirante do czar, foi assassinado em fins de 1918; sua mãe morreria logo depois. Fugiu para Constantinopla, de lá foi para Paris e, posteriormente, Hamburgo. Nesta última cidade conheceu o intelectual e empresário paulista Carlos Pinto Alves, com quem partiu para Portugal.

Foi batizada em igreja católica e recebeu o nome “Maria”, mas manteve Moussia como nome artístico. Logo depois, casaram-se e vieram para o Brasil. Aqui, o casal passou a freqüentar um círculo da elite paulistana que incluía desde pensadores como Mário de Andrade até aqueles que buscavam forjar uma distinção para além do ponto financeiro, cultivando o então exótico gosto pelo moderno.

Apresentou-se pela primeira vez ao público nacional no bombástico Salão Revolucionário de Belas Artes do Rio de Janeiro, em 1931, expondo as obras Imagem e Retrato da Srta. Alves de Lima. Mário de Andrade, analisando os retratistas nacionais, destacou os trabalhos de Portinari, Tarsila, Guignard e Moussia.

No ano seguinte a artista organiza, ao lado de Regina Graz, uma exposição de pintura e de “arte decorativa” na Galeria Guatapará, à R. Barão de Itapetininga.

Seguiram-se algumas exposições individuais, como a da Gallery Passedoigt (Nova York) em 1949. Foi justamente nesta mostra que o MAM-SP adquiriu as obras Nu com Frutas (1940). Posteriormente o acervo deste museu foi doado à USP e desde então esta obra da artista integra a coleção do MAC. Dentre exposições coletivas, figurou no 1º e 2º Salões de Maio.

Foi uma das primeiras defensoras da arte abstrata no Brasil, proferindo uma palestra na Faculdade de Direito de Recife, na ocasião da exposição de Cícero Dias -em 1948, neste mesmo local.

Moussia merece que se destaque positivamente sua obra escultórica, pois através desta expressão, nos anos 50, ela soube se valer das questões em voga da época. Produziu trabalhos extremamente antenados com seu tempo, tempo de abstracionismos, em justa oposição a boa parte de seus companheiros modernistas, que levantavam a bandeira da figuração. É com essas esculturas que a artista será devidamente notada nas primeiras Bienais de São Paulo. Logo após a 2ª Bienal foi convidada a configurar o livro “Plastik der Gegenwart” (A Arte do Presente), publicação alemã que pretendia reunir os escultores mais significativos do século. Em 1961, obteve insenção de júri na VI Bienal.

Moussia, desde a conversão, nunca se desvinculou do catolicismo, que com freqüência foi tema de suas obras, mesmo quando estas eram mais abstratas.

Explicava não seguir estilos; dizia amar os tons quentes e brilhantes e, em escultura, que Moore era seu artista favorito.

Fez incursões pelo desing de jóias, que considerava “obras plásticas derivadas da escultura”, expondo seus trabalhos neste ramo em 1959, no Rio de Janeiro.

Aventurou-se também no cinema, atuando em Brasil Ano 2000, de Valter Lima Jr. e Um Asilo Muito Louco, de Nelson Pereira dos Santos.

Moussia Pinto Alves

Nu com frutas, 1940

Nu com Frutas (1940), dentre tantas outras, fez parte da primeira mostra da artista nos EUA, em 1949. Na ocasião, a crítica local elogiou seus trabalhos, realçando a riqueza e o brilho em seu estilo e as colorações exóticas. Já não era novidade a atração que uma vertente da arte brasileira – a vertente da exaltação dos “valores nacionais”, exercia sobre a política cultural estadunidense, sendo que o exemplo máximo de colhedor de glórias neste contexto foi Cândido Portinari.

Esta obra é representante de um esforço por exaltar certos traços típicos do Brasil.

O nu tem exuberância física, exaltada pela luz que lhe atravessa, e a região dos quadris, aparece coberta por viçosas frutas, num jogo metafórico interessante: fala de fertilidade e abundância por meio do corpo e dos frutos abundantes da terra. Os olhos que encaram o espectador completam um quadro convidativo e sensual. Neste exercício estético, Moussia se fez valer de temas tradicionais – nu e frutas, e nos deixou uma tela perpassada por paradigmas próprios de seu momento histórico e do local de onde surgiu este discurso.

Carnaval, 1945

Moussia Pinto Alves

Como boa parte dos artistas estrangeiros que se estabeleceram no Brasil durante os anos subsequentes ao modernismo dos anos 20, Moussia também se encantou pelos supostos caracteres constituintes de uma certa brasilidade, dos aspectos representativos da nação. Tais caracteres já estavam presentes no horizonte de artistas e intelectuais brasileiros que procuravam explicar o que era o Brasil. Daí a acentuação de uma série de aspectos como clima – tropical, cores – essencialmente quentes, corpos – fortes e mulatos, luzes – incisivas nas formas.

O primeiro plano desta obra trata de uma cena de festa, festa de carnaval, aparentemente numa praia. Ao fundo, a lua cheia ilumina prédios e um morro. Esses componentes falam de uma cena tipicamente carioca. A cultura material -trajes e instrumentos das figuras podem indicar facilmente que estas pessoas têm origem naquele morro. Indiscutivelmente, há a intenção de narrar uma cena popular, tipicamente brasileira.

São presenças constantes na obra de Moussia os retratos do cotidiano de pessoas que vivem com poucos recursos, habitantes dos subúrbios ou das favelas, imagens populares e folclóricas. Tais assuntos a aproxima, em determinados momentos, a Di Cavalcanti, de quem foi aluna em aulas de ateliê.

Moussia Pinto Alves – Biografia

Moussia Pinto Alves
Moussia Pinto Alves e sua filha Vera

Moussia Von Rilsenkamp Pinto Alves (Sebastopol, Rússia 1910 – São Paulo SP 1986).

Pintora, escultora, designer de jóias e gravadora. Inicia seus estudos artísticos com Ivan Schveleff e com Catarina Sernoff, na Rússia.

No Brasil, participa da Sociedade Pró-Arte Moderna de São Paulo (SPAM), entre 1932 e 1934.

Faz sua primeira exposição individual em 1946, no Instituto dos Arquitetos do Brasil de São Paulo.

Moussia Pinto Alves – Artista

Moussia von Riesenkampf, embora nascida em São Petersburgo, viveu desde criança até 1918 em Sebastopol, importante porto no sul da Rússia, pois seu pai era almirante da esquadra imperial, ali sediada.

Logo após a Revolução – tendo falecido seus pais – saiu do país, passando pela Turquia e se estabelecendo por um tempo em Paris, até ir para Hamburgo, onde, em 1923, conheceu o jovem intelectual paulista Carlos Pinto Alves. Casaram-se em Lisboa, vindo então morar em São Paulo, numa casa na rua Barão de Itapetininga, que logo se tornou um ponto assíduo de reuniões não apenas de modernistas brasileiros como também de estrangeiros de passagem, como o ator Jean Louis Barrault. Amigos da casa eram Mário de Andrade, Anita Malfatti, Noemia, Di Cavalcanti, Djanira, Gomide, Brennand, Ungaretti, Murillo Mendes,Vieira da Silva e Arpad Szenes, apenas para citar alguns.

A casa em que residiam era muito próxima à casa do sogro, Valdomiro Pinto Alves, que morava na rua Guaianases, na esquina da alameda Nothmann, casa do início do século XX, muito bem preservada, hoje sede da empresa Trail infraestrutura, patrocinadora desta exposição. Logo Moussia começou a participar dos principais eventos modernistas, como do famoso Salão da Escola Nacional de Belas Artes de 1931, organizado por Lucio Costa (1902-1998), no Rio de Janeiro.

Tanto na escultura como na pintura, Moussia incursionou pelo campo da abstração, da qual foi uma das pioneiras no Brasil – já em 1948 proferiu uma palestra sobre o assunto em Recife. Os movimentos rotativos observáveis em muitas de suas pinturas parecem dialogar com os raionistas do modernismo russo. As esculturas evoluíram para uma abstração lírica, em que as formas se expandem e se retraem através de volumes entremeados de vazios ocupados por matizes de luz, sombra e movimento. Nelas há uma ligação forte com a escultura de Henry Moore (1898-1986), de quem foi amiga, assim como de Alexander Calder (1898-1976), afirma a curadora Stella Teixeira de Barros.

Moussia retornou em diferentes momentos à figuração: costumes populares, vasos de flores, naturezas-mortas, temas religiosos, impressões do cotidiano foram motivos abordados em busca da harmonia da luz, da cor e da forma, com a mesma energia plástica das estruturas abstratas. Sem temor da experimentação, procurou se expressar por meio de diferentes materiais. Não à toa, na produção artística de Moussia a ousadia se aliou à liberdade de expressão, como uma energia de quem parecia sempre disposta a ultrapassar seus próprios limites. Interessou-se pelo design de joias, que considerava “obras plásticas derivadas da escultura”, expondo esses trabalhos a partir de 1959, no Rio de Janeiro, e posteriormente, por diversas vezes em São Paulo. Aventurou-se também no cinema, atuando em pequenas pontas, em Brasil ano 2000, de Valter Lima Júnior e Azyllo muito louco, de Nelson Pereira dos Santos. Vale lembrar que Moussia, quando do falecimento de seu marido na década de 1960, passou a frequentar Parati, ainda na época muito preservada do assédio turístico que veio a ter mais tarde; comprou ali uma casa onde residiu por longas temporadas. Também morou por um tempo no Rio de Janeiro, e só na década de 1980 retornou definitivamente a São Paulo.

“A atuação de Moussia como artista e como participante dos movimentos culturais ocupa na história da arte brasileira uma posição singular: sua percepção lúcida, desde a primeira hora, dos novos caminhos que a arte abstrata abria permitiu que desenvolvesse uma obra de vanguarda, com a diversidade e variedade que caracterizam o impulso para a experimentação. Atuação que cabe agora resgatar, num arco que abrange a intensa atividade cultural com uma inegável qualidade plástica”, afirma a curadora.

Cronologia

Pintora, escultora, designer de jóias, gravadora

1932/1934 – São Paulo SP – Participa da Sociedade Pró-Arte Moderna de São Paulo – SPAM
1958 – São Paulo SP – Participa do júri do 7º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1968 – São Paulo SP – Participa do júri do 17º Salão Paulista de Arte Moderna

Exposições Individuais

1946 – São Paulo SP – Individual, no IAB/SP
1948 – Nova York (Estados Unidos) – Individual, na Gallery Passedolgt

Exposições Coletivas

1931 – Rio de Janeiro RJ – Salão Revolucionário, na Enba
1937
– São Paulo SP – 1º Salão de Maio, no Esplanada Hotel de São Paulo
1938
– São Paulo SP – 2º Salão de Maio
1944
– São Paulo SP – 9º Salão do Sindicato dos Artistas Plásticos, na Galeria Prestes Maia
1951
– São Paulo SP – 1ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão do Trianon
1952
– Rio de Janeiro RJ – 1ª Salão Nacional de Arte Moderna
1953
– São Paulo SP – 2ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão dos Estados
1954 –
São Paulo SP – 3º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1955
– São Paulo SP – 3ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão das Nações
1955
– São Paulo SP – 4º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia – medalha de bronze
1957
– Rio de Janeiro RJ – 4º Salão Nacional de Arte Moderna
1957
– São Paulo SP – 4ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1957 –
São Paulo SP – 6º Salão Paulista de Arte Moderna, na Galeria Prestes Maia
1957 –
São Paulo SP – 12 Artistas de São Paulo, na Galeria de Arte das Folhas
1958
– São Paulo SP – 47 Artistas do Prêmio Leirner de Arte Contemporânea, na Galeria de Arte das Folhas
1961
– São Paulo SP – 6ª Bienal Internacional de São Paulo, no Pavilhão Ciccilo Matarazzo Sobrinho
1963
– São Paulo SP – 7ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1965 –
São Paulo SP – 8ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal
1970
– São Paulo SP – Pré-Bienal de São Paulo, na Fundação Bienal
1972 –
São Paulo SP – 4º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1975
– São Paulo SP – SPAM e CAM, no Museu Lasar Segall
1976
São Paulo SP – Os Salões: da Família Artística Paulista, de Maio e do Sindicato dos Artistas Plásticos de São Paulo, no Museu Lasar Segall
1978
Rio de Janeiro RJ – Escultura Brasileira no Espaço Urbano: 50 anos, na Praça Nossa Senhora da Paz
1978 –
São Paulo SP – 10º Panorama de Arte Atual Brasileira, no MAM/SP
1982
– São Paulo SP – Um Século de Escultura no Brasil, no Masp
1984 –
Fortaleza CE – 7º Salão Nacional de Artes Plásticas
1984
– Rio de Janeiro RJ – Salão de 31, na Funarte
1984
São Paulo SP – Tradição e Ruptura: síntese de arte e cultura brasileiras, na Fundação Bienal
1985 –
São Paulo SP – 18ª Bienal Internacional de São Paulo, na Fundação Bienal

Exposições Póstumas

2004 – São Paulo SP – Mulheres Pintoras, na Pinacoteca do Estado.

Fonte: nextweb.com.br/www.mac.usp.br/www.itaucultural.org.br

 

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Samuel Morse

Samuel Morse

PUBLICIDADE Samuel Morse – Vida/Biografia Samuel Morse foi um artista e inventor norte-americano mais lembrado por …

Jean-Antoine Nollet

Jean-Antoine Nollet

PUBLICIDADE Quem foi Jean-Antoine Nollet? Nascimento: 19 de dezembro de 1700, Pimprez Morte: 25 de …

Vasco da Gama

Vasco da Gama

PUBLICIDADE Quem foi Vasco da Gama? Nascimento: 1469, Sines, Alentejo, Portugal Morte: 24 de dezembro de 1524, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+