Breaking News
Home / Biografias / Otto Hahn

Otto Hahn

PUBLICIDADE

Nascimento: 8 de março de 1879, Frankfurt am Main, Alemanha.

Falecimento: 28 de julho de 1968, Gotinga, Alemanha.

Otto Hahn – Vida

Otto Hahn
Otto Hahn

Otto Hahn foi um químico alemão e pesquisador, considerado como um dos químicos nucleares mais influentes da história.

Ele foi pioneiro nos campos de radioquímica e radioatividade.

Também conhecido como “o pai da química nuclear”, Hahn estabeleceu uma cruzada contra o uso de armas nucleares depois da Segunda Guerra Mundial.

Como um cidadão influente da República Federal da Alemanha, que tinha também forte oposição perseguição aos judeus pelos nazistas.

Otto Hahn descobriu a fissão nuclear com o colega cientista Fritz Strassmann em 1938.

Eles foram agraciados com o Prêmio Nobel de Química.

Otto Hahn nasceu em 8 de Março de 1879, em Frankfurt am Main, Alemanha.

Depois de estudar química na Universidade de Marburg, Hahn mudou-se para Londres para estudar a radioatividade com Sir William Ramsay.

Ela se tornou seu interesse ao longo da vida.

Em 1938, Hahn e Fritz Strassmann descobriram a fissão nuclear.

Eles foram agraciados com o Prêmio Nobel de Química em 1944.

Otto Hahn morreu no dia 28 de julho de 1968.

Otto Hahn – Biografia

Otto Hahn
Otto Hahn

Otto Hahn nasceu em 08 de março de 1879, em Frankfurt no Meno. Ele freqüentou a escola secundária

Em 1897 Hahn estudou química em Marburg e Munique, tendo o seu exame de doutorado em 1901 em Marburg e submeteu ao Professor Theodor Zincke uma tese sobre química orgânica.

Ele obteve um posto como assistente no Instituto de Química da Marburg, ficou lá dois anos, após o qual trabalhou sob Sir William Ramsay na University College, em Londres, a partir do outono de 1904 até verão seguinte. Seu trabalho foi recompensado com a descoberta de uma nova substância radioativa, radiothorium, enquanto trabalhava na preparação de sais de rádio puro.

A partir do outono de 1905 até verão do ano seguinte Hahn estava no Instituto de Física da Universidade McGill, em Montreal (Canadá), trabalhando sob orientação do professor Ernest Rutherford. Aqui ele descobriu radioactinium e conduziu investigações com Rutherford em raios alfa de radiothorium e radioactinium.

Em seu retorno à Europa Hahn mudou-se para Berlim, para o Instituto de Química ( Emil Fischer ) da Universidade e lá ele se qualificou como um professor universitário na primavera de 1907, e neste ano também viu a descoberta de mesothorium.

No final de 1907, Dr. Lise Meitner veio para Berlim a partir de Viena e, em seguida, começou uma colaboração mais de trinta anos.

Seu trabalho conjunto abraçava: investigações sobre os raios beta, a sua capacidade de absorção, espectro magnético, etc.; usar do recuo radioativo, descoberto pouco antes por Hahn, para obter novos produtos de transformação radioativos.

Entre 1914 e 1918 o trabalho de Hahn foi interrompido por seu serviço na Primeira Guerra Mundial, mas retomou a sua pesquisa com o professor Meitner, em 1918, e descobriu protactinium, a longa vida substância-mãe da série actinium. própria esfera particular de Hahn era química e descobriu ainda Z urânio, o primeiro caso de uma isomeria nuclear de tipos radioativas de átomos.

Usando métodos radioativos ele investigou a absorção e precipitação das menores quantidades de substâncias, a formação normal e anormal de cristais, etc.

Hahn utilizava o método de emanação para testar substâncias superficialmente ricos ou pobres, e ele elaborou o método de estrôncio para determinar a idade geológica dos períodos.

Após a descoberta da radioatividade artificial por M e Mme. Joliot-Curie eo uso de nêutrons pelo Fermi para os processos nucleares atômicas, Hahn novamente colaborou com o Professor Meitner e depois com Dr. Strassmann sobre os processos de irradiação de urânio e tório com nêutrons.

Hahn e Meitner Prof. também tinham trabalhado juntos na descoberta de um isótopo de urânio artificialmente ativa, que representa a substância básica da elementos neptunium e plutônio, revelado pela primeira vez mais tarde nos Estados Unidos.

O trabalho de Hahn ganhou reconhecimento em muitos círculos.

Em 1912 tornou-se membro científico do Instituto Kaiser Wilhelm de Química e tem sido Diretor deste Instituto desde 1928.

1933 viu a sua nomeação como professor visitante na Universidade de Cornell, Ithaca, New York.

A partir de 01 de abril de 1946, ele oficiou como presidente da Kaiser Wilhelm Society e de 28 de fevereiro de 1948, tendo servido como Presidente da Sociedade Max Planck na Alemanha Ocidental, sendo posto como Presidente Honorário da mesma sociedade, em maio de 1960.

Sua descoberta mais espetacular ocorreu no final de 1938.

Enquanto trabalha em conjunto com o Dr. Strassmann, Hahn descobriu a fissão do urânio e tório em núcleos atômicos pesados médio e seu primeiro trabalho sobre estes assuntos apareceu no dia 6 de janeiro e 10 de fevereiro de 1939, em Naturwissenschaften.

Desde essa altura e até 1944 Hahn continuou investigação sobre a prova e separação de muitos elementos e tipos de átomos que surgem através da fissão.

Hahn foi concedida a adesão das Academias de Berlim, Göttingen, Munique, Halle, Estocolmo, Viena, Boston, Madrid, Helsínquia, Lisboa, Mainz, Roma (Vaticano), Allahabad, Copenhaga, e da Academia Indiana de Ciências.

Em 1913 casou-se com Hahn Edith, née Junghans e eles tiveram um filho, Hanno, nascido em 1922, morto por acidente em 1960.

Otto Hahn faleceu no dia 28 de julho de 1968.

Otto Hahn – Fissão Nuclear

1938: Otto Hahn descobre a fissão nuclear do urânio

Otto Hahn
Otto Hahn

Em 22 de dezembro de 1938, os físicos alemães Otto Hahn e Fritz Strassmann conseguiram cindir um núcleo de urânio. Após o lançamento das bombas de Hiroshima e Nagasaki, Hahn passou a lutar contra a corrida nuclear.

Japão, agosto de 1945. Mais de 300 mil pessoas morrem em conseqüência das bombas atômicas lançadas por aviões de guerra norte-americanos sobre Hiroshima e Nagasaki. Segundo Carl Friedrich von Weizsäcker, “Hahn assustou-se profundamente ao ver sua descoberta sendo usada para produzir uma arma tão assassina – embora ele soubesse que, em princípio, isso era possível”.

Depois do lançamento das bombas atômicas, Carl Friedrich von Weizsäcker temeu pela vida do amigo. Hahn dissera várias vezes que se suicidaria, caso a tecnologia da bomba atômica caísse nas mãos de Hitler.

Poucos anos antes, em 1938, físicos nucleares realizavam experiências com urânio no Instituto de Química Kaiser Wilhelm, em Berlim. Bombardeavam átomos de urânio com nêutrons, para produzir átomos ainda mais pesados, os chamados transurânios, inexistentes na natureza.

Certo dia, a 22 de dezembro de 1938, Otto Hahn e seu colega Fritz Strassmann depararam-se com algo surpreendente: ao analisar o urânio por eles bombardeado, encontraram partículas de bário.

Segundo Carl-Richard von Weizsäcker, aconteceu o seguinte: “O bário é bem menor do que o núcleo de urânio e, se do urânio surgiu o bário, então é porque o núcleo explodiu. Foi exatamente assim que Hahn me explicou ao telefone sua inesperada descoberta”.

A explosão do urânio representou a descoberta da fissão nuclear por Hahn. Mas quem decifrou definitivamente esse fenômeno químico foi Lise Meitner, uma pesquisadora que, durante 30 anos, trabalhara com muito sucesso com Hahn no instituto berlinense.

“Trabalhar com Otto Hahn era especialmente estimulante. O fato de ele ser o melhor radioquímico da época, e eu uma física para quem a mais simples equação química era mística, constituiu uma boa base e complementação para uma cooperação científica”, disse Meitner.

Em 1938, a judia Lise Meitner teve de fugir da perseguição nazista para o exílio na Suécia. De lá enviou por carta a explicação histórica para os “curiosos resultados das análises” de Hahn.

Segundo Weizsäcker, logo tornou-se evidente que a fissão do urânio, induzida por nêutrons, possibilitava uma reação em cadeia capaz de liberar enorme quantidade de energia, e que seria possível construir o que hoje se chama de reator nuclear e a bomba atômica.

Instrumento de destruição

Otto Hahn
Alemão Otto Hahn, Nobel de Química em 1944

Pouco depois da descoberta de Hahn, Meitner e Strassman, eclodiu a Segunda Guerra Mundial (1939–1945). Os estudos sobre energia nuclear desvirtuaram para a construção de armas nucleares. Nos Estados Unidos, o Projeto Manhattan, cujo setor científico foi liderado pelo físico Robert Oppenheimer, usou a reação nuclear em cadeia para detonar a primeira bomba atômica perto do laboratório de Los Alamos, em 1945.

Hahn continuou suas pesquisas nucleares na Alemanha, durante a Segunda Guerra Mundial, até ser capturado pelas Forças Aliadas e levado para a Inglaterra.

Em 1944, recebeu o Prêmio Nobel de Química pela descoberta da fissão nuclear.

Sua colega e amiga Lise Meitner não obteve nenhum reconhecimento pelo seu trabalho. Em seu discurso de agradecimento, Hahn fez uma advertência contra a propagação de armas atômicas. Com sua descoberta, ele havia pisado em um terreno minado da política internacional. A segunda e a terceira bombas cairiam sobre Hiroshima e Nagasaki, selando a vitória norte-americana na guerra.

Após o conflito, Oppenheimer tornou-se pacifista e lutou contra o uso das armas nucleares, sendo perseguido pelo governo norte-americano.

Hahn, em 1957, assinou juntamente com outros 16 renomados físicos nucleares (entre eles Max Born, Werner Heisenberg e Carl-Friedrich von Weizsäcker) a chamada “Declaração de Göttingen”. A maioria dos políticos, porém, ignorou esse seu manifesto antinuclear.

Franz-Josef Strauss, então ministro da Defesa da Alemanha, rotulou Hahn de “velho imbecil, que não consegue conter as lágrimas, nem dormir, quando pensa em Hiroshima”. Mas o cientista manteve-se fiel a seus princípios. Lutou até a morte contra a corrida nuclear, desencadeada pela descoberta da fissão nuclear.

Otto Hahn morreu em 1968, aos 89 anos, em Göttingen.

Fonte: www.biography.com/www.nobelprize.org/www.dw-world.de/

 

Veja também

Kim Jong-un

Kim Jong-un

PUBLICIDADE Biografia de Kim Jong-un Líder Militar e Ditador Famoso como: líder supremo da Coreia …

Angela Merkel

Angela Merkel

PUBLICIDADE Nome: Angela Merkel Ocupação: Chanceler da Alemanha Data de nascimento: 17 de julho de 1954 Educação: Universidade de …

Gilberto Freyre

PUBLICIDADE Biografia Nascimento: 15 de março de 1900, Recife, Pernambuco Falecimento: 18 de julho de 1987, Recife, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.