Breaking News
Home / Biografias / William Perkin

William Perkin

PUBLICIDADE

Nascimento: 12 de março de 1838, Londres, Reino Unido.

Falecimento: 14 de julho de 1907.

William Perkin – Vida
William Perkin
William Perkin

William Perkin é considerado o pai das indústrias de corantes sintéticos e perfume.

William Perkin nasceu em Londres, Inglaterra, e como uma criança frequentou a City of London School.

Lá, ele entrou em contato com Michael Faraday, que promoveu o seu fascínio nascente com a química.

Em 1853, Perkin entrou no Royal Química Collegeof onde, em 17, foi nomeado assistente do diretor da escola, um químico de renome alemão chamado August Wilhelm von Hofmann. Embora Hofmann foi um químico brilhante, era desajeitado com o trabalho de laboratório e dependia de assistentes talentosos para ajudá-lo em sua pesquisa sobre o alcatrão de carvão e itsderivatives.

Foi sob a tutela de Hofmann em 1856 que Perkin experimentou seu primeiro grande sucesso.

Naquele ano, William Perkin passou suas férias de Páscoa a tentativa de sintetizar o quinino da anilina, um derivado de alcatrão de hulha.

Embora ele não conseguiu produzir quinino artificial, os resultados de seu experimento determinou a carreira ofhis curso.

Como parte de seu processo, Perkin anilina misturada com dicromato de potássio e álcool, que cedeu um líquido roxo.

Pensando que poderia ser usefulas um corante, chamado Perkin o roxo anilina líquida e enviou uma amostra empresa seda toa tingimento. Quando a empresa enviou de volta para mais corante, tornou-se clearthat esta era uma oportunidade de negócio lucrativo para Perkin convenceu seu pai e irmão de investir em uma empresa para produzir o novo corante. Logo a comercialização companybegan anilina roxa, que ficou conhecida como mauve (do Frenchword para a planta previamente usado para fazer violeta).

Enquanto sua família tendia para o aspecto prático do negócio, William Perkin liderava departamento de pesquisa da empresa. As suas experiências conduziram ao desenvolvimento de corantes mais, incluindo violetas e rosanilines.

Ao longo dos próximos anos, ele introduziu diversas outras cores em sua linha de empresa: anilina vermelha (1859), anilina negra (1863), e magenta alkalate (1864).

Em 1868, Perkin utilizado o trabalho de dois químicos alemães, Carl Graebe (1841-1927) e Carl Liebermann (1842-1914), como uma base para a síntese de alizarina, o componente químico da fábrica de garança essencial no processo de tomada de corante.

Enquanto Graebe e Liebermann tinha desenvolvido um processo de síntese viável, era muito caro para ser prático, Perkin veio com uma versão de produção rentável de processo químicos dos seus companheiros, e em 1871, sua empresa foi produzir dois cento e vinte toneladas ofalizarin anualmente. Dentro de pouco tempo, a curiosidade Perkin e unidade paga como seus corantes sintéticos substituído corantes naturais em todo o mundo.

A experimentação adicional de Perkin levou à sua descoberta de um método para alterar a estrutura dos compostos orgânicos em um nível molecular. Usando este processo, conhecido como “síntese Perkin”, ele produzida uma cumarina, um perfume sintético que tem sido descrito como cheirar como feno fresco ou de baunilha. Embora hetechnically aposentou-se na idade 36, ele lançou uma segunda carreira no negócio do perfume sintético.

Ele juntou-se posteriormente com BF Duppa para pesquisar anddevelop outros aspectos do campo de fragrância sintética.

As suas realizações incluem o desenvolvimento de um processo para a produção de glicina, ácido racémico, e ácido tartárico, bem como a investigação significativa para as semelhanças entre ácido tartárico e ácidos maleico.

Em 1889, William Perkin recebeu a medalha Davy deA Royal Society, e que o governo britânico reconheceu a contribuição de Perkins à ciência, indústria, e por seu país de cavalaria dele em 1906.

William Perkin morreu um ano depois, em 14 de julho, em Sudbury, na Inglaterra.

William Perkin – Química

William Perkin
William Perkin

William Perkin, um estudante de química jovem, estava tentando descobrir como sintetizar o quinino, uma cura para a malária.

Através desta pesquisa, ele descobriu acidentalmente a fórmula para a produção de corante malva sintético.

Reconhecendo o seu valor econômico potencial, Perkin patenteou o corante e é vendido em grande escala para a indústria têxtil – um evento que marca o início da comercialização da invenção científica.

Derek Robinson, do Museu da Ciência conta a história de um marco no processo século XIX tecnológica:

… Se a sua descoberta não faz os produtos caros demais, é decididamente uma das mais valiosas que saiu por um tempo muito longo. Esta cor é um que tem sido muito procurado em todas as classes de mercadorias e não podia ser obtido rápido em Silks, e só com grande despesa em fios de algodão.

Escreveu Robert Pullar de João Pullar e do Filho, uma empresa líder de tintureiros escoceses, em 12 junho de 1856 na sequência da avaliação de amostras de tecidos tratados com corante malva desenvolvido por WH Perkin.

Cerca de 18 meses mais tarde, este produto químico romance estava sendo despachado da fábrica verde de Greenford Perkin e Filhos, tendo sido comprados pelos trabalhos maiores de seda da tintura em Londres, um evento já contado um marco no século XIX, o progresso tecnológico.

Não só era este o primeiro passo na industrialização de química orgânica, mas também o início da comercialização de invenção científica.

Antes deste tempo corantes eram praticamente todos de origem vegetal ou animal e sua variedade não aumentou desde a Idade Média, apesar dos esforços intensos no sentido de melhorar os métodos de tingimento, na esteira do enorme crescimento da indústria têxtil durante a Revolução Industrial.

O contexto inicial da descoberta de Perkin foi entretanto completamente alheios a esses esforços. William Henry Perkin (1838-1907), filho de um construtor, mostrou um grande interesse na química de uma idade adiantada e se matriculou na Royal College of Chemistry em 1853 onde frequentou as aulas do químico alemão AW Hofmann (1818-1892 ), conhecido por suas pesquisas e habilidades de ensino.

Em meados do século XIX quinino era muito na demanda para a luta contra a malária, mas era caro. Como um resultado Hofinann e um número de outros químicos foram investigar alternativas. De seu conhecimento muito limitada da relação entre a composição química e estrutura molecular que não era pouco razoável para Hofinann especular em 1849, que quinina pode ser sintetizado através da adição de água para naftilamina, uma substância obtida a partir de alcatrão de carvão.

William Perkin
Mauveine corante em rolha garrafa de vidro

Em 1856 assistente de Hofmann investigação jovem, Perkin, resolvido para tentar uma síntese baseada na adição de oxigénio, em vez de água, seleccionando como seu allyltoluidine material de partida, que também pode ser obtido a partir de alcatrão de carvão. Garrafa Perkin empreendeu a oxidação em casa, tendo em seu entusiasmo por parte de pesquisa equipado de um quarto em casa de seu pai para o efeito logo após iniciar seus estudos sob Hofmann.

Trabalhou durante as férias da Páscoa de 1856 a sua oxidação rendeu nada do quinino desejado incolor, mas apenas uma lama marrom-avermelhado sujo.

Assim, ele repetiu a oxidação com o mais simples de base disponível a partir do alcatrão de carvão, a anilina.

O produto desta vez era um precipitado preto, o qual após secagem e tratamento com álcool metilado, produziu uma solução intensa púrpura.

Perkin descobriu, para sua surpresa que ele seda tingido de uma cor bonita e melhor resistiu aos efeitos de desvanecimento de luz do que os corantes existentes utilizados naquela época.

William Perkin
Mauveine: xale tingidode 1862

Aos 18 anos de idade exerceu a sua descoberta com o vigor da juventude e do sábio conselho de aqueles na indústria de tingimento com quem ele foi colocado em contato. Xale Um provisório de patente foi depositado em Londres em 26 de Agosto do mesmo ano ea versão final selou o seguinte 20 de Fevereiro.

Sua renúncia de seu cargo no Colégio Real de Química, em outubro de 1856, que Hofmann considerado temerário, afirmou ainda o compromisso Perkin para ganhar dinheiro com seu corante sintético. Para produzir o corante em uma escala comercial exigido pai Perkin de reconhecer que o interesse de seu filho em química não tinha sido em vão, pois ele já temia, e que as despesas de capital necessário seria um investimento família som. Isto provou ser uma sábia decisão.

William Perkin
Fábrica Perkins em Greenford Verde, perto de Londres

Perkin descoberta deu um impulso a uma indústria de carvão alcatrão novo corantes em que o nível de proteção por patentes era muito menos do que é hoje.

Fábrica Felizmente, enquanto ligeiras modificações do processo original tornou-se prática corrente, em nenhum outdid a economia do método original. Além disso Perkin manteve suas atividades de pesquisa e introduziu novos materiais para colorir-se, nomeadamente Britannia Violeta em 1864, derivado de magenta.

Isso ajudou a manter o funcionamento da fábrica Greenford em um lucro de mais corantes brilhantes deslocados malva do mercado após um período de menos de dez anos.

Em 1869 Perkin concebido dois novos métodos que permitem o fabrico económico de alizarina, a matéria corante natural de garança, o corante vermelho privilegiada do período, a síntese da qual tinha sido relatado por Graebe e Liebermann, em 1868, mas por um processo muito caro para ser de interesse comercial. Até o final de 1869 empresa Perkin tinha feito sua primeira tonelada de alizarina, o aumento da produção para mais de 200 toneladas por ano até 1871.

Perkin, entretanto, tinham sempre a esperança de se dedicar totalmente à pesquisa pura e 1873. com a idade de 35, ele descobriu que sua fábrica e patentes poderia garantir sua “aposentadoria”. Ele vendeu seus interesses no ano seguinte. Este trabalho inicial foi a fundação da indústria de corantes artificiais que conhecemos hoje. No entanto, os industriais britânicos não conseguiram aproveitar o trabalho de Perkin.

Como resultado, a Alemanha, cujos cientistas estavam na vanguarda de novos ramos da química, logo assumiu a liderança na produção de corantes artificiais.

William Perkin – Químico

William Perkin
William Perkin

William Perkin, químico britânico, pioneiro na descoberta e produção de corantes e lançar as bases de uma nova indústria.

Desde a juventude, William Perkin sentiu uma forte atração para a experimentação de produtos químicos, até que em 1853 foi capaz de entrar na Royal College of Chemistry, Londres ainda com grande oposição dos pais.

William Perkin era um aluno do químico alemão August Wilhelm von Hofmann, que o contratou para trabalhar como um assistente em seu laboratório com apenas 17 anos de idade.

Hofmann mantida a capacidade de sintetizar o quinino pela oxidação de anilina, de modo que em 1856 Perkin sucedido na separação de um produto tonalidade púrpura que resultou da presente oxidação. Ele observou que este produto, também chamado de malva, possuía a qualidade de tecidos de seda tingidos, a qualidade que o levou a abrir uma pequena fábrica, com a ajuda de seu pai e um irmão, para produzir o primeiro corante sintético, malva.

Posteriormente, ele desenvolveu novos corantes sintetizados a partir do alcatrão de carvão.

William Perkin combinou sua investigação no campo da química para o fabrico de corantes sintéticos, glicina sintetizado em 1858 e dois anos depois de ácido tartárico.

Depois Graebe e Liebermann sintetizado alizarina (avermelhada corante sintético), William Perkin desenvolveu e patenteou um processo para a obtenção de mais barato do que lhe permitiu obter um monopólio de seu mercado. Também obtidos por síntese dos ácidos aromáticos um esquema conhecido como a reação de Perkin, que durou para a obtenção de perfumes.

Em 1874 ele deixou a fabricação de corantes artificiais e dedicado à investigação de processos químicos, de modo que a Alemanha estava pronto para liderar esta indústria florescente.

William Perkin – Biografia

William Perkin
William Perkin

William Perkin nasceu em Londres em 1838. Ele estudou no Royal College of Chemistry em August Wilhelm von Hofmann.

William Perkin foi um aluno brilhante e Hofmann apontou-o como seu assistente de laboratório. Agindo sobre uma sugestão feita por Hoffman que poderia ser possível sintetizar a partir do quinino por produtos de alcatrão de hulha, Perkin descobriu o corante sintético, anilina púrpura (mauveine).

Apesar de apenas 18 anos, Perkin percebeu o potencial comercial de sua descoberta.

Em 1857 ele obteve uma patente e montar um negócio com a fabricação de anilina pai em uma fábrica química em Harrow.

Chamando a cor lilás, logo se tornou altamente popular com a indústria da moda.

Com a idade de 23, William Perkin era um homem de considerável riqueza e do perito reconhecido em corantes artificiais.

Em 1873, William Perkin foi capaz de se aposentar de seu negócio.

No ano seguinte, ele sintetizou a cumarina, substância aromática conhecida por seu aroma agradável dos recém-cortada feno. Esta descoberta iniciada a indústria perfumes sintético.

William Perkin morreu em 1907.

Fonte: www.biografiasyvidas.com/www.madehow.com

Veja também

Kim Jong-un

Kim Jong-un

PUBLICIDADE Biografia de Kim Jong-un Líder Militar e Ditador Famoso como: líder supremo da Coreia …

Angela Merkel

Angela Merkel

PUBLICIDADE Nome: Angela Merkel Ocupação: Chanceler da Alemanha Data de nascimento: 17 de julho de 1954 Educação: Universidade de …

Gilberto Freyre

PUBLICIDADE Biografia Nascimento: 15 de março de 1900, Recife, Pernambuco Falecimento: 18 de julho de 1987, Recife, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.