Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia Internacional das Populações Indígenas  Voltar

Dia Internacional das Populações Indígenas

 

09 de Agosto

Em 9 de agosto de 1992, reuniu-se, pela primeira vez, o Grupo de Trabalho sobre Populações Indígenas da Subcomissão sobre Promoção e Proteção de Direitos Humanos.

A Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) proclamou a data comemorativa em dezembro de 1994, e desde então, ela é comemorada todos os anos.

O dia internacional das populações indígenas é um passo importante para o reconhecimento das tradições e costumes de povos indígenas de todo o mundo.

É também uma forma de dar voz aos indígenas, principalmente no que concerne os direitos humanos.

No dia de hoje, devemos prestar uma homenagem à riqueza das tradições milenares indígenas e à contribuição desses povos para a diversidade cultural no mundo.

Devemos expressar a determinação de salvaguardar seus interesses e os seus direitos, onde quer que vivam.

O mundo tem cerca de 300 milhões de indígenas vivendo em mais de 70 países de todos os continentes e representando mais de 5.000 línguas e culturas.

É preciso reforçar os laços entre tradição e modernidade.

As novas tecnologias de informação e de comunicação devem ajudar na promoção e ao dar visibilidade às culturas indígenas vivas.

O conhecimento tradicional, o patrimônio tangível e, especialmente, o patrimônio intangível - que são o legado do passado e permanecem o suporte essencial da identidade e da memória - também carregam soluções de desenvolvimento para o futuro.

Este Dia Internacional proporciona-nos uma oportunidade de celebrar a riqueza das culturas indígenas e as contribuições das populações indígenas para a família humana. Mas, o que é ainda mais importante, é uma ocasião para os homens e as mulheres do mundo inteiro avaliarem a situação das populações indígenas no mundo de hoje e os esforços que é preciso fazer para melhorar a sua vida.

Há demasiado tempo que as populações indígenas são despojadas das suas terras, que as suas culturas são denegridas ou diretamente atacadas, que as suas línguas e costumes são relegados para segundo plano ou explorados e que os seus métodos sustentáveis de desenvolver os recursos naturais não são tomados em consideração. Algumas dessas populações enfrentam também a ameaça de extinção.

Fonte: ONU ; Unesco

Dia Internacional das Populações Indígenas

09 de Agosto

Os povos indígenas somam mais de 350 milhões de pessoas repartidas em mais de 70 países do mundo e representam mais de 5.000 línguas e culturas.

Os povos indígenas, que hoje em dia ainda se encontram marginados e privados dos direitos humanos básicos, conformam o 95 por cento da diversidade cultural do mundo.

São eles quem "contribuem à diversidade e riqueza das civilizações e culturas, que constituem o património comum da Humanidade".

O Dia Internacional dos Povos Indígenas foi instituído pela Organização das Nações Unidas – ONU no ano de 1993, quando também foi definida a Década Internacional dos Povos Indígenas (1994 a 2004).

Em 20 de Dezembro de 2004, através da resolução 59/174, a Assembleia da ONU aprovou o segundo decénio dos povos indígenas (2005-2014).

A data, 9 de Agosto, é uma referência ao primeiro dia em que se reuniu o Grupo de Trabalho sobre Populações Indígenas da Subcomissão de Prevenção de Discriminação e Protecção às Minorias da ONU, em 1982.

MENSAGENS DO SECRETÁRIO-GERAL DA ONU, KOFI ANNAN, POR OCASIÃO DO DIA INTERNACIONAL DAS POPULAÇÕES INDÍGENAS - (9 de Agosto de 2004)

O Dia Internacional das Populações Indígenas do Mundo, instituído pela Assembleia Geral das Nações Unidas, no momento do lançamento da Década Internacional das Populações Indígenas.

Este Dia Internacional proporciona-nos uma oportunidade de celebrar a riqueza das culturas indígenas e as contribuições das populações indígenas para a família humana.

Mas, o que é ainda mais importante, é uma ocasião para os homens e as mulheres do mundo inteiro avaliarem a situação das populações indígenas no mundo de hoje e os esforços que é preciso fazer para melhorar a sua vida.

Há demasiado tempo que as populações indígenas são despojadas das suas terras, que as suas culturas são denegridas ou diretamente atacadas, que as suas línguas e costumes são relegados para segundo plano ou explorados e que os seus métodos sustentáveis de desenvolver os recursos naturais não são tomados em consideração.

Algumas dessas populações enfrentam também a ameaça de extinção.

Há muitos anos que as populações indígenas vêm aos foros da ONU pedir o apoio de todo o conjunto do sistema das Nações Unidas. No contexto da Década Internacional, foram lançados um diálogo e uma parceria com as Nações Unidas.

É preciso que este processo dê frutos e, para esse efeito, há que tomar medidas decisivas ao nível regional, nacional e local, nomeadamente para assegurar a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milénio.

No quadro destas medidas, os governos, as organizações intergovernamentais e a sociedade civil devem empenhar-se em dar autonomia às populações indígenas e garantir a sua participação na tomada de decisões que afetem a sua vida.

Fonte: www.caestamosnos.org

Dia Internacional das Populações Indígenas

09 de Agosto

Dia Internacional das Populações Indígenas

Devemos igualmente aproveitar a celebração deste Dia Internacional para saudar a recente adoção, pela primeira sessão do novo Conselho dos Direitos Humanos, do projeto de Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos das Populações Indígenas.

Esta Declaração, que é fruto de muitos anos de negociações complexas e, por vezes, controversas, é um instrumento de grande significado histórico que se destina a promover os direitos e a dignidade das populações indígenas do mundo.

A sua adoção pela Assembléia Geral das Nações Unidas, que deverá ter lugar antes do final do ano, constituirá uma importante conquista e espera-se que contribua para uma maior mobilização das populações indígenas e dos seus parceiros.

Neste Dia Internacional, na Segunda Década Internacional das Populações Indígenas do Mundo, insto todos os atores - Estados, populações indígenas, organismos das Nações Unidas, organismos internacionais de desenvolvimento, organizações não governamentais e o setor privado - a dedicarem uma atenção renovada e a conferirem um verdadeiro significado ao tema da Década, estabelecendo uma "parceria em prol da ação e da dignidade".

Este Dia Internacional proporciona-nos uma oportunidade de celebrar a riqueza das culturas indígenas e as contribuições das populações indígenas para a família humana.

Mas, o que é ainda mais importante, é uma ocasião para os homens e as mulheres do mundo inteiro avaliarem a situação das populações indígenas no mundo de hoje e os esforços que é preciso fazer para melhorar a sua vida.

Há demasiado tempo que as populações indígenas são despojadas das suas terras, que as suas culturas são denegridas ou diretamente atacadas, que as suas línguas e costumes são relegados para segundo plano ou explorados e que os seus métodos sustentáveis de desenvolver os recursos naturais não são tomados em consideração.

Algumas dessas populações enfrentam também a ameaça de extinção.

Há muitos anos que as populações indígenas vêm aos foros da ONU pedir o apoio de todo o conjunto do sistema das Nações Unidas.

No contexto da Década Internacional, foram lançados um diálogo e uma parceria com as Nações Unidas.

É preciso que este processo dê frutos e, para esse efeito, há que tomar medidas decisivas ao nível regional, nacional e local, nomeadamente para assegurar a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

No quadro destas medidas, os governos, as organizações intergovernamentais e a sociedade civil devem empenhar-se em dar autonomia às populações indígenas e garantir a sua participação na tomada de decisões que afetem a sua vida.

Fonte: www.nossosaopaulo.com.br

Dia Internacional das Populações Indígenas

09 de Agosto

A comunidade internacional celebra no dia 9 de agosto o Dia Internacional dos Povos Indígenas do Mundo. Este dia é uma oportunidade para sensibilizar a todos com as culturas dos povos indígenas e com sua grande diversidade.

É também uma ocasião para redobrar esforços com vistas a abordar questões tais como a exclusão, a discriminação e a pobreza, que fazem parte da realidade cotidiana de muitos desses povos.

Em 1994, a Assembleia Geral da ONU decidiu que no dia 9 de agosto de cada ano, durante o Decênio Internacional dos Povos Indígenas, fosse celebrado o Dia Internacional dos Povos Indígenas (Resolução 49/214, de 23 de dezembro).

Em sua Resolução 59/174, de 20 de dezembro de 2004, na qual a Assembleia proclamou o Segundo Decênio Internacional dos Povos Indígenas (2005-2014), também decidiu continuar celebrando em Nova York, em Genebra e em outros escritórios das Nações Unidas, o Dia Internacional dos Povos Indígenas todos os anos durante esse Segundo Decênio e pediu ao Secretário Geral que respaldasse a celebração do Dia Internacional dentro dos limites dos recursos existentes e que alentasse os governos a celebrá-lo no âmbito nacional.

Fonte: www.adital.com.br

Dia Internacional das Populações Indígenas

09 de Agosto

Dia Internacional das Populações Indígenas

Neste Dia Internacional das Populações Indígenas do Mundo, regozijamo-nos com a riqueza das culturas indígenas e com os contributos especiais que representam para a família humana. Lembramos também o tremendo desafio que tantas populações indígenas enfrentam, os quais vão desde níveis inaceitáveis de pobreza e doença à espoliação, discriminação e negação dos seus direitos humanos básicos.

A primeira Década Internacional das Populações Indígenas do Mundo, lançada em 1995, ajudou a fazer com que as vozes das populações indígenas fossem mais ouvidas em todo o mundo, bem como a centrar mais atenção nas questões dos indígenas. Este ano, entramos numa Segunda Década e, ao fazê-lo, lembremo-nos de que o diálogo, por si só, não é suficiente. Devemos privilegiar a ação para proteger os direitos das populações indígenas e melhorar a sua situação no que se refere às suas terras, às suas línguas, ao seu modo de vida e às suas culturas.

A recente Quarta Sessão do Fórum Permanente das Nações Unidas sobre as Questões Indígenas centrou-se, com renovada energia, na importância das populações indígenas atingirem os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, em especial os de erradicar a pobreza extrema e garantir o ensino primário para todos. O Fórum insistiu na necessidade de uma abordagem baseada nos direitos humanos, relativamente à redução da pobreza e à participação plena e efetiva das populações indígenas, em todas as fases dos programas. Recomendou também o ensino bilíngüe e intercultural para as crianças indígenas. O Fórum enviou uma mensagem importante à Cúpula Mundial do próximo mês, em Nova Iorque, a de que a parceria e a confiança estabelecidas entre as populações indígenas e as Nações Unidas precisam de se traduzir em ações concretas, a nível regional, nacional e local, que dêm poder às populações indígenas e reforcem as suas identidades, línguas, culturas e saberes tradicionais.

Para todas as populações indígenas, bem como para todos os outros, o progresso duradouro do desenvolvimento está intimamente ligado ao progresso no domínio da paz e segurança e dos direitos humanos. A Cúpula Mundial irá analisar estes três grandes objetivos, de uma forma abrangente. Enquanto aguardamos a Cúpula, tomemos a decisão de alargar o círculo de solidariedade às populações indígenas de todo o mundo e de trabalhar com elas para nos certificarmos de que gozarão do desenvolvimento, da paz e segurança, e dos direitos humanos que foram negados, a muitas delas, durante demasiado tempo.

Dia Internacional das Populações Indígenas

Hoje, celebramos a existência, a diversidade e as realizações dos povos indígenas do mundo. Saudamos a luta que travam para preservar as suas culturas, proteger as suas terras e combater a discriminação. Prestamos homenagem àqueles que, sem renunciar à sua identidade, encontram um equilíbrio entre as suas tradições ancestrais e a vida moderna, num mundo em rápida transformação. E recordamos que as populações indígenas continuam a estar ameaçadas. Os seus sistemas de valores, as suas culturas e as suas maneiras de viver correm o risco de desaparecer e a sua própria existência está em perigo.

Foi no dia 9 de Agosto de 1982 que o Grupo de Trabalho sobre Populações Indígenas se reuniu pela primeira vez. Desde então, numerosos acontecimentos deram às questões relacionadas com as populações indígenas uma maior visibilidade.

Depois do Ano Internacional das Populações Indígenas, celebrado em 1993, a Assembléia Geral proclamou a Década Internacional das Populações Indígenas, com início em 1995. A Comissão dos Direitos Humanos trabalha, actualmente, num projecto de declaração sobre a proteção dos direitos dos povos indígenas e nomeou um relator especial encarregado de analisar a situação neste domínio. Mais recentemente, a criação do Fórum Permanente sobre Questões Indígenas deu aos povos indígenas um lugar na ONU. Este mecanismo, que visa reforçar as parcerias entre os povos indígenas, os Estados Membros e os organismos das Nações Unidas, deve permitir-nos transformar o lema da década -- "Parceria na Ação" -- numa realidade em matéria de desenvolvimento econômico e social, bem como no domínio do ambiente, da saúde, da educação, da cultura e dos direitos humanos.

A riqueza da humanidade é a sua diversidade. Os povos indígenas fazem parte integrante da grande família humana. Têm muito de que se orgulhar e muito que ensinar aos outros membros dessa família. A proteção e promoção dos seus direitos e culturas revestem-se de uma importância fundamental para todos os Estados e todos os povos.

Fonte: Centro de Informação das Nações Unidas em Bruxelas - RUNIC

Dia Internacional das Populações Indígenas

09 de Agosto

O crescimento de uma população indígena é algo raríssimo no planeta.

Há alguns fatores que contribuíram para esse aumento populacional: a melhoria nas condições de saúde, a vacinação das crianças e a alta taxa de natalidade com baixo índice de mortalidade. Se esse crescimento continuar, a população indígena será capaz de dobrar a cada duas décadas.

O destino dos índios brasileiros foi marcado por muitas tragédias e poucas alegrias, desde o Descobrimento até os nossos dias, pois foram vítimas de massacres e doenças, e suas terras foram tomadas pelos brancos.

Os irmãos Orlando, Cláudio e Leonardo Vilas-Boas, que viviam no interior de São Paulo, resolveram morar na capital depois da morte do pai em 1941. Em 1943, souberam que a Fundação Brasil Central tinha organizado a Expedição Roncador-Xingu, que percorria o Brasil central, para "conhecer e desbravar os brancos do nosso mapa". Tornaram-se funcionários da Fundação e se embrenharam na selva, onde passaram quarenta anos.

Os serviços que prestaram durante a expedição podem ser resumidos em "1.500 km de picadas nas matas, 1.000 km de rios percorridos e cinco mil índios contatados". Mas o ponto alto foi a criação, em 1961, do Parque Nacional do Xingu, onde vivem hoje várias tribos, que foram salvas da extinção.

Os Vilas-Boas tornaram o ideal indigenista do marechal Rondon uma realidade: "Morrer, se preciso for. Matar, nunca".

Eles criaram uma nova forma de abordar os índios, até então considerados como animais.

Os índios quase sumiram do mapa, do Brasil, pois na época do Descobrimento existiam mais de cinco milhões de índios; em 1970, eram apenas cem mil. Por isso, a festa pelos cinco séculos do Descobrimento foi marcada pelo protesto de grupos indígenas em várias regiões do país.

Neste terceiro milênio, há muito a fazer pelos índios, sobretudo reconhecer suas etnias - mais de duzentas espalhadas pelo Brasil -, que cultivam cerca de 180 línguas e mantêm uma riquíssima diversidade cultural. É fundamental respeitá-las para a sobrevivência dos vários grupos e controlar a presença dos brancos em áreas indígenas.

Existe, contudo, um dado muito importante e positivo: o número de índios aumentou nos últimos trinta anos. Os povos indígenas, que quase desapareceram, ganharam fôlego na luta pela sobrevivência, com a ajuda dos religiosos e das ONGs. Segundo dados do IBGE, existem cerca de 350 mil índios e, enquanto o Instituto Sócio-Ambiental (ISA) registra 280 mil. Seja qual for o número, hoje é maior do que em 1970.

O crescimento de uma população indígena é algo raríssimo no planeta.

Há alguns fatores que contribuíram para esse aumento populacional: a melhoria nas condições de saúde, a vacinação das crianças e a alta taxa de natalidade com baixo índice de mortalidade. Se esse crescimento continuar, a população indígena será capaz de dobrar a cada duas décadas.

A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu essa comemoração para que os povos indígenas tenham sua importância resgatada mundialmente. Ao que tudo indica, o Brasil está dando um exemplo.

Fonte: www.paulinas.org.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal