Breaking News
Home / Calendário Comemorativo / Dia das Bruxas

Dia das Bruxas

PUBLICIDADE

 

31 de Outubro

O Halloween é uma festa comemorativa celebrada todo ano no dia 31 de outubro, véspera do dia de Todos os Santos. Ela é realizada em grande parte dos países ocidentais, porém é mais representativa nos Estados Unidos. Neste país, levada pelos imigrantes irlandeses, ela chegou em meados do século XIX.

Acredita-se que originou-se com o antigo festival Celta, o Samhain, quando as pessoas acendiam fogueiras e usavam trajes para afastar fantasmas.

No século VIII, o Papa Gregório III designou o dia primeiro de novembro como um momento para homenagear todos os santos e mártires; esse feriado, o Dia de Todos os Santos, incorporou algumas tradições do Samhain. A noite anterior era conhecida como “All Hallow’s Eve” (Véspera do Dia de Todos os Santos), e mais tarde Halloween, popularmente conhecido como Dia das Bruxas.

Com o tempo, o Halloween evoluiu para um evento secular e da comunidade, caracterizado por atividades infantis como, por exemplo, o “Gostosuras ou travessuras”. Em vários países ao redor do mundo, como os dias ficam mais curtos e as noites ficam mais frias, as pessoas continuam a inaugurar a temporada de inverno com encontros, fantasias e doces.

Dia das Bruxas

História

A história desta data comemorativa tem mais de 2500 anos. Surgiu entre o povo celta, que acreditavam que no último dia do verão (31 de outubro), os espíritos saiam dos cemitérios para tomar posse dos corpos dos vivos. Para assustar estes fantasmas, os celtas colocavam, nas casas, objetos assustadores como, por exemplo, caveiras, ossos decorados, abóboras enfeitadas entre outros.

Dia das Bruxas

Por ser uma festa pagã foi condenada na Europa durante a Idade Média, quando passou a ser chamada de Dia das Bruxas. Aqueles que comemoravam esta data eram perseguidos e condenados à fogueira pela Inquisição.

Com o objetivo de diminuir as influências pagãs na Europa Medieval, a Igreja cristianizou a festa, criando o Dia de Finados (2 de novembro).

Símbolos e Tradições

Esta festa, por estar relacionada em sua origem à morte, resgata elementos e figuras assustadoras.

São símbolos comuns desta festa: fantasmas, bruxas, zumbis, caveiras, monstros, gatos negros e até personagens como Drácula e Frankestein.

As crianças também participam desta festa. Com a ajuda dos pais, usam fantasias assustadoras e partem de porta em porta na vizinhança, onde soltam a frase “doçura ou travessura”. Felizes, terminam a noite do 31 de outubro, com sacos cheios de guloseimas, balas, chocolates e doces.

Halloween no Brasil

No Brasil a comemoração desta data é recente. Chegou ao nosso país através da grande influência da cultura americana, principalmente vinda pela televisão.

Os cursos de língua inglesa também colaboram para a propagação da festa em território nacional, pois valorização e comemoram esta data com seus alunos: uma forma de vivenciar com os estudantes a cultura norte-americana.

Muitos brasileiros defendem que a data nada tem a ver com nossa cultura e, portanto, deveria ser deixada de lado. Argumentam que o Brasil tem um rico folclore que deveria ser mais valorizado.

Para tanto, foi criado pelo governo, em 2005, o Dia do Saci (comemorado também em 31 de outubro).

Como surgiu

Para quem não sabem: por volta do ano 200 a.C, os druidas eram membros de um culto sacerdotal entre os Celtas da antiga, França, Inglaterra e Irlanda que adoravam deuses semelhantes aos dos gregos e romanos, mas com nomes diferentes.

Pouco se sabem sobre eles, pois, os sacerdotes passavam seus ensinamentos apenas oralmente, jurando e fazendo jurar segredos.

O Dia 31 de Outubro não é uma escolha por acaso.

No calendário celta, segundo os druidas, todas as bruxas, demônios e espíritos dos mortos se reuniam para uma grande festa.

Era à noite em que Samhain (significa: noite de todos os santos) voltava com os espíritos dos mortos.

Eles precisavam ser apaziguados ou agradados, caso contrário, os vivos seriam ludibriados.

Acendiam-se enormes fogueiras nos topos das colinas para afugentar os espíritos maus e aplacar os poderes sobrenaturais que controlavam os processos da natureza.

O medo que a comemoração causava foi sendo esquecido com o passar dos tempos e ela se transformou numa grande folia nas épocas atuais para a garotada que celebra esta data com festas a fantasias, fogueiras e com crianças fantasiadas de monstros, fantasmas, bruxas, etc., saindo de casa em casa pedindo doces, que é a brincadeira de ‘trick or treat’ que significa ‘travessuras ou doces’.

Esta é uma festa americana e de alguns países europeus.

Apesar desta festividade não ser muito conhecido pela maioria das pessoas aqui no Brasil, ela vem ganhando um grande espaço em nossa cultura, através de escolas primárias, escolas de inglês, TV, clubes. E por incrível que pareça ela vem se popularizando ano após ano aqui no Brasil.

Para nós apenas DIA DAS BRUXAS, Dia de Brincar e fazer,

Travessuras sem Maldades.

Saiba aqui alguns Simbolismos desta data:

HALLOWED

É uma palavra do inglês antigo que significa ‘santo’,
E “e’en” também de origem inglesa significa ‘no ite’,
então o significado é “Noite Santa”ou “All Hallows Eve”,
‘Noite de Todos os Santos’, no passar dos tempos então o nome HALLOWEEN.

CABEÇAS DE ABÓBORA

“Jack-o-lanterns”, a lanterna feita com uma abóbora recortada em forma de ‘careta’, veio da lenda de um homem notório chamado Jack, a quem foi negada a entrada no céu, por sua maldade, e no inferno, por pregar peças no diabo. Condenado a perambular pela terra como espírito até o dia do juízo final, Jack colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco, para iluminar-lhe o caminho através da noite.

Este talismã, que virou abóbora, simboliza uma alma condenada.

TRAVESSURAS ou DOCES

“Trick or Treat”, acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles.

Mas nos tempos atuais usam-se como uma brincadeira.

AS MÁSCARAS e FANTASIAS

As máscaras têm sido um meio de supersticiosamente afastar espíritos maus ou mudar a personalidade do usuário e também de comunicação com o mundo dos espíritos.

Acreditava-se enganar e assustar os espíritos malignos, quando vestidos com máscaras.

AS FOGUEIRAS

Na celebração do Dia 31 Outubro os druidas acreditavam poder ver boas coisas e mau agouros do futuro através do fogo.

AS CORES LARANJA e PRETA

As cores usadas no Halloween, o laranja e o preto, também tem sua origem no oculto.

Elas estiveram ligadas a missas comemorativas em favor dos mortos.

As velas de cera de abelha tinham cores alaranjadas e os mortos eram cobertos com tecidos pretos.

Muitos questionam a celebração do Dia 31 de Outubro, O Dia do Halloween, O Dia das bruxas.

Muitas perguntas são feitas, como:

Existe algo de ruim nisto?

Quer dizer que esta simples festividade com pessoas e crianças se fantasiando, pedindo doces é um. remanescente de antigas práticas de magia negra, culto aos mortos e outras coisas?

O Dia das Bruxas existe há mais de dois mil anos. A festa dos povos celtas comemorava o fim do verão, o início do Ano-Novo e as fartas colheitas. Sua comemoração original chamava-se Samhain, também conhecida como o Dia das Almas, na noite de 31 de outubro.

Segundo a lenda, os mortos no ano anterior regressam e se encarnam nos vivos, podendo cometer atrocidades, colocar mau olhado nas colheitas e ocasionar danos materiais. Outras pessoas garantem que os celtas acreditavam que as almas eram de membros superiores da Igreja Católica e eram inofensivas.

No mundo moderno, o Halloween surgiu no séc. XIX, quando irlandeses implantaram a festa nos Estados Unidos. A data virou uma tradicional festa infantil na qual crianças se fantasiam e pedem doces de casa em casa, dizendo tricks or treats – travessuras ou gostosuras. A animação é tanta que dia 31 de outubro é feriado nos Estados Unidos, e o comércio registra um alto volume de vendas.

Tradição deu origem às máscaras, abóboras, doces e bruxas

A tradição de pedir doces existe porque acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos era necessário deixar comida para eles. Esta prática foi transformada com o tempo, com os mendigos passando a pedir comida em troca de orações por quaisquer membros mortos da família. Uma espécie de chantagem, que daí deu origem ao “travessuras ou doces”.

A lanterna feita com uma abóbora recortada em forma de “careta” veio da lenda de um homem notório chamado Jack, a quem foi negada a entrada no céu, por sua maldade, e no inferno, por pregar peças no diabo. Condenado a perambular pela terra como espirito até o dia do juízo final, Jack colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco, para iluminar o seu caminho através da noite. Este talismã (que virou abóbora) simbolizava uma alma condenada.

As máscaras têm sido um meio de supersticiosamente afastar espíritos maus ou mudar a personalidade do usuário e também de comunicação com o mundo dos espíritos. Acreditava-se enganar e assustar os espíritos malignos, quando vestidos com máscaras.

Nas celebrações da “Vigília de Samhain” nos dias 31 de outubro, os druidas acreditavam poder ver boas coisas e mal agouros do futuro através do fogo. Nessas ocasiões, os druidas construíam grandes fogueiras com cestas de diversos formatos e queimavam vivos prisioneiros de guerra, criminosos e animais. Observando a posição dos corpos em chama, eles diziam ver o futuro.

As cores usadas no Halloween, o laranja e o preto, também têm sua origem no oculto. Elas estiveram ligadas a missas comemorativas em favor dos mortos, celebradas em novembro. As velas de cera de abelha tinham cor alaranjada, e os esquifes eram cobertos com tecidos pretos.

Acreditava-se que mulheres com poderes de feitiçaria podiam lançar aos seus vizinhos toda espécie de sorte maléficas, como morte de gado, perda de colheita, morte de filhos etc. Segundo a tradição, o poder mais pernicioso de tais bruxas era tornar os maridos cegos a respeito da má conduta de suas esposas e de fazer com que as chamadas feiticeiras gerassem filhos idiotas ou aleijados. A caracterização de bruxas era a de velhas megeras desdentadas com hábitos excêntricos e língua venenosa.

A palavra

A palavra “Halloween” tem a sua origem na igreja católica e vem da contração feita de maneira errada da expressão “All Hallows Eve” que significa Dia de Todos os Santos, uma reverência aos santos mortos (que se comemora a 1 de Novembro).

Essa referência misturou-se às tradições célticas vindas da Irlanda por volta do século V a .C., onde o verão terminava oficialmente no dia 31 de Outubro. Essa data era comemorada com um feriado denominado “Samhaim”. Neste dia, todas as bruxas, demónios e espíritos dos mortos se reuniriam para uma grande festa.

Ao longo do tempo, o medo que a festa causava foi sendo esquecido e ela transformou-se numa brincadeira para as crianças. A tradição foi levada para os Estados Unidos por imigrantes irlandeses e popularizou-se no final do século XIX, quando as crianças passaram a sair às ruas batendo de porta em porta e dizer “tricks or treats” (travessuras ou doçuras).

DIA DAS BRUXAS

A palavra Halloween tem origem na religião católica. É uma contração da expressão “Alí Haliows Eve”, no inglês atual, “All Halows Eve”, que significa “Véspera do Dia de Todos os Santos”.

O Halloween, conhecido no Brasil como Dia das Bruxas, é comemorado na noite de 31 de outubro. No aspecto religioso, esta ocasião é conhecida como a vigília da Festa de Todos os Santos, dia 01 de Novembro. Estudiosos de folclore acreditam que os costumes populares do Halloween exibem traços do Festival da Colheita, realizado pelos romanos em honra à Pamona (deusa das frutas), e também do Festival Druída de Samhain (Senhor da Morte e Príncipe das Trevas).

De acordo com a crença, Samhain reunia as almas dos que tinham morrido durante o ano para levá-los ao céu dos druídas, neste exato dia. Para os druídas, Samhain era o fim do verão e o Festival dos Mortos. O dia 31 de outubro marca também o término do ano céltico.

Período Pré-Cristão

Acreditava-se que os espíritos dos mortos voltavam para visitar seus parentes à procura de calor e provisões, pois o Inverno aproximava-se e, junto a ele, o reinado do Príncipe das Trevas. Os Druídas invocavam forças sobrenaturais para acalmar os espíritos maus.

Estes raptavam crianças, destruíam plantações e matavam os animais das fazendas. Acendiam-se fogueiras nos topos das colinas nas noites de Samhain. As fogueiras talvez fossem acesas para guiar os espíritos às casas dos seus parentes ou para matarem ou espantarem as bruxas. A inclusão de feiticeiras, fadas e duendes nesses rituais originou-se da crença pagã de que, na véspera do Dia de Todos os Santos, havia uma grande quantidade de espíritos de mortos que levavam avante uma oposição aos ritos da igreja de Roma, e que vinham ridicularizar a celebração de Todos os Santos, com festas e folias próprias deles mesmos. Supunha-se que fantasmas ” frustrados” pregavam peças nos humanos e causavam acontecimentos sobrenaturais.

Período Cristão

Com o passar dos tempos, a comemoração do Halloween tornou-se alegre e divertida, sem todos aqueles vestígios sombrios e tenebrosos da tradição céltica, tornando-se mais conhecida na América após a emigração escocesa, em 1840.

Alguns dos costumes

trazidos pelos colonos foram mantidos, mas outros foram mudados, a fim de que houvesse adaptação às novas maneiras de viver.

Como exemplo, temos as Jack-O-Lanterns que, feitas com nabos primitivamente, passaram a ser feitas com abóboras. Essas Jack-O-Lanterns são um dos símbolos mais conhecidos do Halloween e têm sua origem entre os irlandeses.

Jack-O-Lantern

Conta a lenda que um homem chamado Jack não conseguiu entrar no céu porque era muito avarento, e foi expulso do inferno porque costumava pregar peças no diabo. Foi, então, condenado a vagar eternamente pela terra carregando uma lanterna para iluminar seu caminho.

“Trick or Treat” (Travessuras ou Gostosuras)

A fórmula Trick or Treat também se originou da Irlanda, onde as crianças iam de casa em casa pedindo provisões para as comemorações do Halloween, em nome da deusa irlandesa Muck Olla. As crianças inglesas continuaram esta tradição, vestidas com roupas extravagantes, pedindo doces e balas.

Hoje em dia, principalmente nos EUA, o Halloween é lembrado com muitas festas e alegria. Nessas festas, as pessoas usam máscaras e se vestem como fantasmas, bruxas, Conde Drácula, Frankstein, ou da maneira que achar mais engraçado ou horripilante.

As crianças saem às ruas fantasiadas, batendo de porta em porta, pedindo doces e dizendo: ” Trick or Treat”. Quem não as atende pode ter uma desagradável surpresa, pois elas podem lhe pregar alguma peça.

31 de Outubro

Dizer que o Dia das Bruxas, comemorado no Brasil no dia 31 de outubro, é apenas uma assimilação do Halloween norte-americano não seria uma verdade absoluta, pois a origem desta tradição remonta a passado e povos distantes: os celtas e druidas.

Os celtas

Os celtas comemoravam essa data no festival de Samhaim, no século V a.C. para agradecer as boas colheitas e porque acreditavam que nesse dia, que marcava o início do ano céltico, os espíritos desencarnados de todos aqueles que morreram no decorrer do ano, voltavam na busca de corpos de pessoas vivas nas quais eles habitariam durante o ano que se iniciava.

Acreditava-se que essa era a única esperança de vida após a morte. Naturalmente, os que estavam vivos não queriam ser possuídos pelos espíritos dos mortos.

Então, na noite de 31 de outubro, os habitantes dos vilarejos apagavam os fogos em suas casas, para torná-las frias e indesejáveis. Eles então se vestiam com roupas fantasmagóricas e realizavam desfiles barulhentos pela vizinhança, sendo tão destrutivos quanto possível, de maneira a assustar e amedrontar os espíritos que estavam a procura de corpos.

Os druidas

Os druidas, antigos sacerdotes de Gália e da Bretanha, também colaboraram para o Halloween se tornar uma comemoração tradicional.

O ano novo Druida começava em 1º de novembro. Na noite anterior, eles acendiam uma grande fogueira no topo das colinas e pintavam o corpo para observar as chamas e contar suas experiências para celebrar o final do verão e da sua fertilidade. A fogueira também era acesa porque eles achavam que suas chamas poderiam ajudar o Sol durante o inverno.

O cristianismo e a festa pagã

Quando o cristianismo substituiu as religiões pagãs, as igrejas aproveitaram o dia 31 de outubro para homenagear todos os Santos. Já a noite anterior foi utilizada como dia oficial para se opor os fantasmas.

A partir do final do século XVIII e XIX, a véspera do dia de todos os Santos se transformou, em alguns países num dia festivo, celebrado com trajes de fantasia, lanterna e jogos.

Por que uma vela dentro da abóbora?

Esse hábito vem da Irlanda. Segundo o folclore desse povo, um homem chamado Jack tinha o hábito de fazer brincadeiras satânicas em cima de uma árvore.

Numa dessas vezes Jack conseguiu prender o diabo dentro da árvore.

Então, fez um pacto com o diabo que dizia o seguinte: “Se você me deixar em paz e nunca me incomodar, eu te solto”.

O diabo aceitou a proposta, e assim estava criado o pacto entre os dois. O tempo passou e Jack morreu, mas não conseguiu entrar no paraíso. O diabo, temendo as brincadeiras de Jack no inferno, não o quis também, mas deu a ele uma vela para iluminar seus caminhos. Jack então ficou com a vela que teria que durar a eternidade e, para que ela nunca apagasse, colocou dentro de um nabo com pequenos furos.

Com o tempo o nabo foi substituído pela abóbora.

Por que “travessuras ou doces”?

Acreditava-se na cultura celta que para se apaziguar espíritos malignos, era necessário deixar comida para eles. Esta prática foi transformada com o tempo e os mendigos passaram a pedir comida em troca de orações por membros mortos da família.

Também neste contexto, havia na Irlanda a tradição, que um homem conduzia uma procissão para angariar oferendas de agricultores, a fim de que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios. Uma espécie de chantagem, que daí deu origem ao “travessuras ou doces” (trick or treat).

O que quer dizer Halloween?

“Hallowed” é uma palavra do Inglês antigo que significa “santo”, e “e’en” também de origem inglesa significa “noite”, então o significado é “Noite Santa” ou “All Hallows Eve”, “Noite de Todos os Santos”.

Do medo à diversão

Anteriormente, o Halloween era considerado uma noite de medo, na qual homens sensatos respeitavam os duendes e os demônios. Hoje, esse dia nada mais é do que uma grande diversão, onde crianças e adultos se fantasiam de vampiros, múmias e fantasmas e saem às ruas festejando.

Dia das Bruxas

Halloween, comemorado no dia 31 de outubro de todos os anos, tem sua origem com os celtas, antigos povoadores da Europa Oriental, Ocidental e Ásia Menor. Entre eles habitavam os druidas (magos), adoradores do carvalho e do visco. A noite de Halloween era muito importante, porque era considerada véspera de Ano Novo. Na ilha de Man, um dos redutos em que a língua e folclore celtas resistiram ao sítio dos invasores saxões, o 1 de novembro (calendário antigo), era considerado como o dia do Ano Novo, até épocas recentes.

Assim, os mascarados de Man costumavam sair às ruas nesta festividade, cantando na linguagem de Man, uma espécie de canção de Hogmanay (ANO NOVO) que começava assim:

– “Hoje é dia de Ano Novo, Hogunnaa!”

Não só entre os celtas, mas também por toda a Europa, o Halloween, a noite que marca a transição do outono para o inverno, parece ter sido, antigamente, a época do ano em que as almas dos mortos revisitavam seus velhos lares para se aquecerem junto ao fogo e se reconfortarem com as homenagens que lhes eram prestadas, na cozinha e na sala, pelos afetuosos parentes. Talvez fosse natural ocorrer-lhes que a aproximação do inverno trazia as pobres almas famintas e trêmulas dos campos nus e das florestas sem folhas para o abrigo das casas e o calor de suas lareiras familiares.

Mas não eram apenas as almas dos mortos que deviam pairar, invisíveis, no dia “em que o outono ao inverno entrega o pálido ano”. As bruxas estão esmeravam-se em seus atos malignos, algumas cruzando os ares em suas vassouras, outras galopando pelas estradas montadas em gatos pretos que, naquela noite, se transformavam em cavalos negros como carvão. Também as fadas andavam soltas e duendes de todos os tipos vagavam livremente.

Nas regiões celtas, o Halloween parece ter sido a grande época do ano para se prever o futuro. Todos os tipos de advinhações eram postos em prática naquela noite. Lemos que Dathi, rei da Irlanda no século V, estando no monte dos Druidas (Cnoc-nan-druad), no condado de Sligo, durante a festa de Halloween, mandou que seu druida lhe previsse o futuro, entre aquele dia e o próximo ano. O druida passou a noite no alto de uma colina e, na manhã seguinte, fez a previsão ao rei que se tornou realidade. No País de Gales a festa do Halloween era a mais estranha de todas as “Teir Nos Ysbrydion”, ou “Três Noites dos Espíritos”, quando o vento, “soprando sobre os pés dos cadáveres”, levava suspiros às casas dos que deviam morrer naquele ano. Acreditava-se que, se, naquela noite, alguém saísse até uma encruzilhada e escutasse o vento, ficaria sabendo das coisas mais importantes que deveriam acontecer nos próximos doze meses.

Mas Halloween é conhecido também, pelos pagãos por Samhaim, e embora seja considerado um tempo de morte, é também de renascimento, simbolizado por um raminho no Ritual de Samhaim. É esta a época, em que os véus entre os mundos se tornam tênues e o espaço e o tempo tornam-se fluidos. Esta é a melhor época para estabelecer contado com a Deusa e o Deus.

O Oráculo da Morte é uma prática tradicional em Samhaim. Os participantes tiram a sorte para decidir quem agirá como Oráculo. A pessoa escolhida senta-se em um canto escuro e quieto, responde as perguntas sobre o futuro. A idéia é que a Morte já saiba a resposta.

Um outro costume na noite de Halloween é a Ceia dos Mudos. Uma festa para os espíritos da terra, tais como ancestrais, divindades, fadas e elementares. Os pratos devem estar cheios com alimentos e bebidas e colocados no lado de fora da porta à noite. Três velas vermelhas são colocadas ao redor dos pratos, acesas e deixadas ali para queimar durante a noite. Qualquer alimento ou bebida que sobrar pela manhã é colocado na Terra e oferecido à Deusa.

Para os Druidas Celtas, o espírito de uma pessoa reside na cabeça, daí então o conceito de cabeça sagrada. A lanterna tipo cabeça de abóbora simboliza este conceito. A vela acesa dentro da abóbora representa o espírito vivo ou “awen”.

Quando os povos celtas se cristianizaram, nem todos os costumes pagãos foram renunciados. Podemos dizer que o paganismo e o cristianismo se mesclaram. Não há coincidência entre a festa pagã e a festa cristã de Todos os Santos e a dos Finados, que é no dia seguinte.

A festa em honra de Todos os Santos, inicialmente se celebrava em 13 de maio, mas o Papa Gregório II (741 d.C.), foi quem a trocou esta data para 1 de Novembro, que era o dia da “Dedicação” da Capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro em Roma.

Mais tarde, no ano de 840, o Papa Greogorio VI ordenou que a Festa de “Todos os Santos”, deveria ser celebrada universalmente. Como um cerimônial mais amplo, tinha uma celebração vespertina com a “vigília” para preparar a festa (31 de outubro).

Esta vigília vespertina do dia anterior a Festa de “Todos os Santos”, dentro da cultura inglesa se chamava: “All Hallow’s Even” (Vigília de Todos os Santos).

Com o passar do tempo, passou-se a se chamar “All Hallowed Eve”, posteriormente trocou para “All Hallow Even” para terminar com a palavra que conhecemos hoje “Halloween”. Entretanto já desde do ano 998, San Odilo, abade do Monastério de Cluny, no sul da França, havia acrescentado a celebração de 2 de Novembro, como uma festa para rezar pelas almas dos fiéis que haviam falecido, que foi chamada da Festa dos “Fiéis Mortos”, a qual se difundiu na França e depois alcançou toda a Europa.

O dia 31 de outubro, para nós “Dia das Bruxas”, ou simplesmente “Halloween”, é um feriado nos Estados Unidos que registra um volume de vendas só superado pelas Festas Natalinas. Adultos e crianças chegam a gastar 2.500 dólares em fantasias, doces e acessórios, para comemorar a noite.

As cabeças de abóboras iluminadas, características desta festividade, procedem do folclore irlandês. Segundo uma história bastante difundida, um homem chamado de Jack, conhecido por beberão e baderneiro, logrou o diabo que o perseguia ao subir em uma árvore. Jack esculpiu uma cruz no tronco da árvore e assim, conseguiu livrar-se do demônio. Mas quando Jack morreu, lhe foi negada a entrada no céu, devido a seus maus atos quando esteve vivo. Mas também foi-lhe negado acesso ao inferno pelo que tinha feito a Satanás. O demônio deu-lhe então uma lanterna para que pudesse caminhar entre as sombras. A vela foi colocada dentro de um nabo e assim sua chama permaneceu duradoura.

Os historiadores contam que inicialmente, os irlandeses, utilizavam o nabo como lanternas, simbolizando as almas dos mortos. Ao que parece, quando imigraram para a América, comprovaram que as abóboras eram maiores e mais convenientes para serem utilizadas como lanternas.

Hoje em dia, Halloween é uma festa de “baixinhos” e “grandinhos”. Todos assistem aos festivais, se disfarçam e trafegam pelas ruas pedindo doces e caramelos. Há também festas em ambientes controlados como escolas, shopings center, parques de diversões ou festas privadas.

De qualquer maneira, o espírito original de Halloween é o mesmo. É uma festa de terror com tempero de muito bom humor. Todos nós podemos mostrar o nosso aspecto demoníaco brincalhão e desfrutá-lo toda a noite. A população de Salem, em Massachusetts, Estados Unidos, que é a pátria da bruxaria norte-american, celebra a “Festa dos Espantos” na noite de Halloween, uma fórmula magnífica que acharam para estender sua temporada turística de verão.

A Festa de Halloween vem ganhando espaço em terreno brasileiro, muito embora, muitos sejam contra.

Diferente das crianças que adoram brincadeiras, a noite de 31 de outubro para os wiccanos modernos se comemora Samhaim. No Festival de Samhaim, celebrado depois do pôr-do-sol, é tempo de dançarmos em torno da fogueira e enchermos o caldeirão de pedidos para o próximo ano, estilo feiticeiras celtas. É noite de muita animação, principalmente para nós que vivemos no hemisfério sul e estamos próximos do Solstício de Verão. As noites aqui são lindas, enluaradas, cheias de magia e luz, propícias para rituais ao ar livre.

Rosane Volpatto

Fonte: geocities.com/www.gladiadoruniverso.hpg.ig.com.br/intervox.nce.ufrj.br/www.eb1-alhoes.rcts.pt/www.historiadomundo.com.br/www.rosanevolpatto.trd.br

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Dia da Infância

PUBLICIDADE A infância é a faixa etária que vai do nascimento até a adolescência. De …

Dia do Pi

PUBLICIDADE 14 de março – Dia do Pi Pi ou p. O Dia do Pi …

Dia Mundial da Gentileza

PUBLICIDADE A bondade é um comportamento marcado por características éticas, uma disposição agradável e uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.