Breaking News
Home / Calendário Comemorativo / Dia Olímpico

Dia Olímpico

PUBLICIDADE

 

13 de Junho

História

Os Jogos Olímpicos são um evento esportivo que ocorre a cada quatro anos. Atletas de todo o mundo representam os seus países nos Jogos Olímpicos. Em cada prova são distribuídas medalhas de ouro, prata e bronze para os três primeiros colocados (nos esportes coletivos são contabilizadas apenas uma medalha por equipe no quadro de medalhas). Geralmente chama-se os Jogos Olímpicos de Olimpíadas, mas originalmente a Olimpíada era o tempo decorrido entre duas edições dos Jogos Olímpicos.

História dos Jogos Olímpicos da Antiguidade

Os primeiros Jogos Olímpicos eram realizados de quatro em quatro anos há mais de 2.700 anos na Grécia Antiga. A competição era uma celebração de tributo aos deuses. O imperador Teodósio I terminou com os Jogos entre os anos de 393 e 394. Todas as referências pagãs da antiguidade deveriam ser interrompidas.

Quem foi o Barão de Coubertin?

Pierre de Frédy foi pedagogo e historiador francês, tendo ficado para a história como o fundador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Pierre de Frédy ficou mais conhecido pelo seu título de Barão Pierre de Coubertin.

O Barão de Coubertin, tinha o sonho de reviver os Jogos Olímpicos. Em 1984 o Barão de Coubertin organizou um congresso internacional em 23 de Junho de 1894 na Sorbonne em Paris para criar o Comitê Olímpico Internacional (COI). Dois anos depois foram realizados os Jogos Olímpicos em Atenas na Grécia, a pátria dos Jogos Olímpicos da Antiguidade.

Até a sua morte em 1937 em Genebra na Suíça o Barão de Coubertin era o presidente honorário do COI. Coubertin foi enterrado na sede do COI em Lausanne, mas o seu coração foi sepultado separadamente, num monumento perto das ruínas da antiga Olímpia.

Em quais cidades foram realizadas os Jogos Olímpicos de Verão?

Na Era Moderna foram realizados jogos 15 vezes na Europa, 5 vezes na América do Norte ou Central, 2 vezes na Ásia e 2 na Oceania. Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016 será a primeira Olimpíada realizada na América do Sul. Veja abaixo a lista de todas as cidades que sediaram os Jogos Olímpicos

Todas as sedes dos Jogos Olímpicos de Verão

1896 – I Olimpíada – Atenas, Grécia
1900 – II Olimpíada – Paris, França
1904 – III Olimpíada – Saint Louis, Estados Unidos
1906 – Edição comemorativa – Atenas, Grécia
1908 – IV Olimpíada – Londres, Reino Unido
1912 – V Olimpíada – Estocolmo, Suécia
1916 – VI Olimpíada – Não realizada
1920 – VII Olimpíada – Antuérpia, Bélgica
1924 – VIII Olimpíada – Paris, França
1928 – IX Olimpíada – Amsterdã, Holanda
1932 – X Olimpíada – Los Angeles, Estados Unidos
1936 – XI Olimpíada – Berlim, Alemanha
1940 – XII Olimpíada – Não realizada
1944 – XIII Olimpíada – Não realizada
1948 – XIV Olimpíada – Londres, Reino Unido
1952 – XV Olimpíada – Helsínque, Finlândia
1956 – XVI Olimpíada – Melbourne, Austrália
1960 – XVII Olimpíada – Roma, Itália
1964 – XVIII Olimpíada – Tóquio, Japão
1968 – XIX Olimpíada – Cidade do México, México
1972 – XX Olimpíada – Munique, Alemanha Ocidental
1976 – XXI Olimpíada – Montreal, Canadá
1980 – XXII Olimpíada – Moscou, União Soviética
1984 – XXIII Olimpíada – Los Angeles, Estados Unidos
1988 – XXIV Olimpíada – Seul, Coreia do Sul
1992 – XXV Olimpíada – Barcelona, Espanha
1996 – XXVI Olimpíada – Atlanta, Estados Unidos
2000 – XXVII Olimpíada – Sydney, Austrália
2004 – XXVIII Olimpíada – Atenas, Grécia
2008 – XXIX Olimpíada – Pequim, China
2012 – XXX Olimpíada – Londres, Reino Unido
2016 – XXXI Olimpíada – Rio de Janeiro, Brasil

O que significa a bandeira dos Jogos Olímpicos?

Dia Olímpico

O Barão de Coubertin idealizou a bandeira olímpica em 1913 e a apresentou no congresso olímpico de 1914 em Alexandria (Grécia). A bandeira olímpica estreou nos Jogos Olímpicos da Antuérpia em 1920. A mesma bandeira foi usada até 1984 nos Jogos Olímpicos de Los Angeles. Nas olimpíadas de Seul foi confeccionada uma nova bandeira. A bandeira deve ficar guardada no corredor da cidade anfitriã até os próximos Jogos Olímpicos.

A bandeira branca com os cinco anéis entrelaçados representam os continentes (azul, Europa; amarelo, Ásia; preto, África; verde, Oceania; e vermelho, America) e as cinco cores que podem compor todas as bandeiras do mundo.

O lema olímpico “Citius, Altius, Fortius” (“Mais rápido, mais alto, mais forte” em latim) foi criado pelo monge francês Didon, amigo do Barão de Coubertin, em 1890.

O que são os Jogos Olímpicos de Inverno?

São os Jogos Olímpicos que reúnem as provas esportivas executadas no gelo ou na neve. A primeira edição foi realizada em 1924 em Chamonix, França. Os jogos de 1940 de Sapporo no Japão e 1944 de Cortina d’Ampezzo na Itália foram cancelados devido à Segunda Guerra Mundial. Até 1992 os Jogos Olímpicos de Inverno eram realizados no mesmo ano que os Jogos de Verão. Em 1994, a tradição de realizar os jogos de quatro em quatro anos foi quebrada para que, a partir de então, os Jogos de Inverno fossem realizados em anos diferentes dos Jogos de Verão.

Os Jogos de Inverno foram realizados em dez países: Estados Unidos, França, Noruega, Áustria, Japão, Itália, Suíça, Alemanha, Iugoslávia e Canadá. Confira abaixo a lista de todos os Jogos Olímpicos de Inverno:

1924 – Chamonix, França
1928 – St. Moritz, Suíça
1932 – Lake Placid, Estados Unidos
1936 – Garmisch-Partenkirchen Alemanha
1940 – Não realizados
1944 – Não realizados
1948 – St. Moritz, Suíça
1952 – Oslo, Noruega
1956 – Cortina d’Ampezzo, Itália
1960 – Squaw Valley, Estados Unidos
1964 – Innsbruck, Áustria
1968 – Grenoble, França
1972 – Sapporo, Japão
1976 – Innsbruck, Áustria
1980 – Lake Placid, Estados Unidos
1984 – Sarajevo, Iugoslávia
1988 – Calgary, Canadá
1992 – Albertville, França
1994 – Lillehammer, Noruega
1998 – Nagano, Japão
2002 – Salt Lake City, Estados Unidos
2006 – Turim, Itália
2010 – Vancouver, Canadá

Quais são as modalidades olímpicas?

Para ser considerado olímpico o esporte tem de ser praticado por homens em menos 50 países e em três continentes, e por mulheres em pelo menos 35 países e em três continentes. Nos Jogos Olímpicos de Atenas 2004 são consideradas 29 modalidades olímpicas: Atletismo, Badminton, Beisebol, Basquetebol, Boxe, Canoagem, Ciclismo, Equitação, Esgrima, Futebol, Ginástica, Halterofilismo, Handebol, Hóquei em campo, Judô, Lutas Amadoras, Natação, Pentatlo Moderno, Polo aquático, Remo, Softbol, Tiro, Tiro com Arco, Taekwondo, Tênis, Tênis de Mesa, Triatlo, Vela e Vôlei. Existem subdivisões dos esportes olímpicos e competições separadas para homens e mulheres e competições mistas.

23 de Junho

O Dia Olímpico é celebrado no dia 23 de junho no mundo todo e comemora o renascimento dos Jogos Olímpicos na Era Moderna e a fundação do Comitê Olímpico Internacional (COI), em 1894. No Brasil, comemora-se também o Dia Nacional do Esporte.

Dia Olímpico

Para celebrá-lo internacionalmente, o Comitê Olímpico Internacional realiza, através dos Comitês Olímpicos Nacionais, a Corrida do Dia Olímpico – Olympic Day Run – um evento aberto à comunidade, com o intuito de promover, através da prática esportiva, a difusão dos ideais olímpicos de fraternidade e solidariedade, na tentativa de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e mais saudável.

Além da Corrida, o COB realiza a Semana Olímpica, que tem como objetivo ressaltar os Valores do Movimento Olímpico na sociedade durante uma semana, através de eventos e festivais esportivos de curta duração em várias cidades brasileiras, tais como clínicas e oficinas de várias modalidades, palestras técnicas, seminários, mostras sobre temas do esporte, ações culturais e educativas, entre outras.

Você pode aproveitar a Semana Olímpica para disseminar os valores do esporte na sua família, entre seus amigos e no ambiente de trabalho.

Faça do esporte um instrumento para a promoção de paz, união, respeito às regras e aos adversários, diferenças culturais, étnicas e religiosas, a partir da integração com a cultura e o meio ambiente.

Contribua na construção de um mundo melhor, sem qualquer tipo de discriminação, no qual valores do esporte como amizade, compreensão mútua, igualdade, solidariedade e “fair play” (jogo limpo) possam ser aplicados no nosso dia-a-dia.

23 de Junho

Desde 1948, em 23 de junho celebra-se no mundo todo o Dia Olímpico, comemorando a fundação do Comitê Olímpico Internacional (COI) pelo Barão Pierre de Coubertin no ano de 1894, em Paris, França – acontecimento que marcou o renascimento dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

No Brasil, a partir da Lei Pelé, o dia 23 de junho celebra ainda o Dia Nacional do Esporte.

Anualmente, por ocasião da passagem do Dia Olímpico, quase todos os 200 Comitês Olímpicos Nacionais promovem a Corrida doDia Olímpico – Olympic Day Run.

E a Semana Olímpica nada mais é do que um prolongamento das festividades comemorativas em torno desse dia.

Desde 1987, a Corrida do Dia Olímpico, que busca difundir o Movimento Olímpico em todo o mundo, reúne milhares de homens, mulheres, jovens e crianças de diversas culturas e classes sociais, irmanados pelo ideal olímpico – que busca utilizar o esporte como fator de socialização, contribuindo assim para a formação de uma sociedade pacífica e comprometida com a preservação dos valores éticos e morais que dignificam o ser humano.

Objetivando a maior divulgação do Movimento Olímpico no país, o Comitê Olímpico Brasileiro ( COB ), desde 1998, promove a realização da Semana Olímpica, evento que compreende diversas manifestações de caráter cultural, educacional e esportivo.

Reunindo características importantes para atração da comunidade e da mídia, o evento está inserido no calendário de atividades comemorativas do COI e do COB, proporcionando assim repercussão em âmbito nacional e internacional.

Sobre os Jogos

Competição entre os melhores atletas do mundo, confraternização entre os povos e, acima de tudo, a grande festa do esporte. Os Jogos Olímpicos são um dos mais importantes eventos do planeta, mobilizando populações de centenas de países e emocionando a todos com vitórias, recordes e histórias de superação. De quatro em quatro anos, uma cidade do mundo tem o privilégio de sediar os Jogos. Nela, competidores e torcedores se misturam e, durante pouco mais de duas semanas, ajudam a preservar e fortalecer o espírito olímpico.

Os primeiros registros oficiais da existência dos Jogos Olímpicos datam de 776 a.C. Eles eram uma homenagem a Zeus – maior divindade segundo a mitologia grega – e tinham o poder de interromper guerras, batalhas e combates. A vitória nos Jogos Olímpicos consagrava o atleta e proporcionava glória também à sua cidade de origem. A celebração dos Jogos Olímpicos durou até o ano de 394 d.C., quando, por questões religiosas, foi banida pelo imperador romano Teodósio.

Seu renascimento só aconteceu cerca de 1500 anos depois, graças aos esforços de um pedagogo e esportista francês, o barão Pierre de Coubertin, que viu no esporte e nos ideais olímpicos gregos uma fonte de inspiração para o aperfeiçoamento do ser humano. Os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna ocorreram em Atenas, no ano de 1896. Estava criada também a concepção moderna do Olimpismo, filosofia que sintetiza a relação amigável entre as pessoas de diferentes países a partir do esporte.

Em 1924, foram criados também os Jogos Olímpicos de Inverno, realizados a cada quatro anos, no mesmo ano dos Jogos Olímpicos tradicionais. De 1994 para cá, passaram a acontecer de forma alternada. Outra importante inovação foi o surgimento dos Jogos Paraolímpicos, em que competem atletas com deficiências. A inspiração veio de 1948, quando Sir Ludwig Guttmann organizou, em Londres, uma competição envolvendo veteranos da II Guerra Mundial. Doze anos depois, a cidade de Roma recebia 400 atletas nos primeiros Jogos Paraolímpicos da história. Desde então, outras 12 edições do evento foram realizadas – a mais recente em Pequim 2008. Atualmente, há também os Jogos Paraolímpicos de Inverno.

Jogos Olímpicos de Pequim 2008

Dia Olímpico

A proporção dos Jogos Olímpicos de Pequim impressionou desde o seu primeiro segundo, na cerimônia de abertura. E a grandeza do país mais populoso do mundo foi agraciada com a quebra de muitos recordes: 132 olímpicos e 43 mundiais, além da marca de 87 países com medalhas conquistadas. Na competição, destaque para o nadador norte-americano Michael Phelps, que ganhou o maior número de medalhas de ouro em uma só edição dos Jogos: oito. Como já contava com outras seis, que havia conquistado em Atenas 2004, ele alcançou a incrível marca de 14 ouros e se tornou o maior atleta olímpico da história. Até então, os recordistas eram os norte-americanos Mark Spitz (natação) e Carl Lewis (atletismo), o finlandês Paavo Nurmi (atletismo) e a ginasta da ex-URSS Larisa Latynina, todos com nove ouros no total. Em Pequim, o jamaicano Usain Bolt também se viu diante dos holofotes do mundo inteiro. O velocista levou o ouro em duas das mais nobres provas do atletismo: os 100m e os 200m, com direito a quebra de recorde mundial em ambas. No salto com vara, a russa Yelena Isinbayeva confirmou o seu favoritismo e chegou ao ouro e ao recorde mundial, com 5,05 de altura. Pela primeira vez, a China ficou em primeiro lugar no quadro geral. O Brasil voltou dessa edição dos Jogos com 15 medalhas (três de ouro, quatro de prata e oito de bronze).

Jogos Olímpicos de Atenas 2004

Dia Olímpico

201 países
29 esportes
10625 atletas (6296 homens, 4329 mulheres)
301 eventos
45000 voluntários
21500 jornalistas

Os primeiros Jogos Olímpicos do novo milênio voltaram a Atenas, seu berço de origem, comemorando a participação recorde de 201 nações. O destaque individual foi o nadador norte-americano Michael Phelps, que ganhou seis medalhas de ouro e duas de bronze, igualando o recorde do ginasta Aleksandr Dityatin.

A alemã Birgit Fischer venceu duas provas na canoagem e passou a ser a primeira em todos os esportes a ganhar duas medalhas por edição em cinco Jogos Olímpicos (oito de ouro e quatro de prata). Leontien Zijlaard-van Moorsel, da Holanda, tornou-se a primeira ciclista a conquistar quatro ouros na carreira, em um total de seis medalhas (mais uma prata e um bronze).

No atletismo masculino, o marroquino Hicham El Guerrouj venceu os 1.500m e 5.000m e, no feminino, a britânica Kelly Holmes chegou à frente nos 800m e 1.500m. O Brasil conquistou cinco medalhas de ouro, duas de prata e três de bronze.

Jogos Olímpicos de Sidney 2000

Dia Olímpico

199 países + 4 atletas individuais (IOA)
28 esportes
10651 atletas (6582 homens, 4069 mulheres)
300 eventos
46967 voluntários
16033 jornalistas (5298 da imprensa escrita, 10735 de rádio e televisão)
De 15 de setembro a 1º de outubro de 2000

O desfile em conjunto das delegações das Coréias do Sul e do Norte tornou-se uma das cenas mais marcantes da Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Sidney. Destaque também para os quatro participantes do Timor Leste, que desfilaram sob a bandeira Olímpica e competiram como “atletas Olímpicos individuais”.

Dois grandes nomes da natação também marcaram os Jogos: o australiano Ian Thorpe, que conseguiu três ouros com apenas 17 anos, e a holandesa Inge de Bruijn, que obteve o mesmo número de conquistas.

A alemã Birgit Fischer ganhou duas medalhas de ouro na canoagem, somando um total de 10 na carreira (sete de ouro, três de prata). Steven Redgrave virou o primeiro remador a ficar com o ouro em cinco em Jogos Olímpicos consecutivos. A equipe brasileira obteve ótimo desempenho, com seis medalhas de prata e seis de bronze.

Jogos Olímpicos de Atlanta 1996

Dia Olímpico

197 países
26 esportes
10318 atletas (6806 homens, 3512 mulheres)
271 eventos
47466 voluntários
15108 jornalistas (5695 da imprensa inscrita, 9413 de rádio e televisão)
De 19 de julho a 4 de agosto de 1996

Nos Jogos Olímpicos de Atlanta, pela primeira vez na história, todos os países filiados ao Comitê Olímpico Internacional (COI) estavam representados. Além disso, 79 países diferentes conquistaram 53 medalhas de ouro, um recorde. O maior destaque foi a performance do norte-americano Carl Lewis, que se tornou o quarto atleta da história a ganhar nove medalhas de ouro em Jogos Olímpicos.

Seu compatriota Michael Johnson tornou-se o primeiro a vencer os 200m e os 400m rasos na mesma edição. Na primeira prova, ele quebrou o recorde mundial e, na segunda, ganhou com a maior vantagem (10 metros) para o segundo colocado nos últimos 100 anos. No levantamento de peso, o turco Naim Suleymanoglu foi o primeiro a conquistar a três medalhas de ouro seguidas.

O Brasil teve ótimo desempenho: 15 medalhas (três de ouro, três de prata e nove de bronze), um recorde histórico, com direito a conquistas inéditas das mulheres.

Jogos Olímpicos de Barcelona 1992

Dia Olímpico

169 países
28 esportes
9356 atletas (6652 homens, 2704 mulheres)
257 eventos
34548 voluntários
13082 jornalistas (5131 da imprensa escrita, 7951 de rádio e televisão)
De 25 de julho a 9 de agosto de 1992

A grande sensação dos Jogos Olímpicos de Barcelona foi a seleção de basquete norte-americana. Astros como Michael Jordan, Magic Johnson e Larry Bird formaram a equipe que ficou conhecida como Dream Team. O ginasta bielo-russo Vitaly Scherbo, que competiu como integrante da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), conquistou seis medalhas de ouro, incluindo o recorde de quatro em um dia.

Derartu Tulu, da Etiópia, venceu os 10.000m e tornou-se a primeira mulher africana negra campeã Olímpica. O Brasil conseguiu seu primeiro ouro em esportes coletivos com a seleção masculina de vôlei e conquistou mais duas medalhas: uma de ouro no judô, outra de prata na natação.

Jogos Olímpicos de Seul 1988

159 países
8391 atletas (6197 homens, 2194 mulheres)
237 eventos
27221 voluntários
11331 jornalistas (4978 da imprensa escrita, 6535 de rádio e televisão)

Dia Olímpico

Alguns destaques dos Jogos de Seul foram o campeão mundial Serguei Bubka, vencedor do salto com vara, o nadador norte-americano Matt Biondi, ganhador de sete medalhas (incluindo cinco de ouro) e o velocista canadense Ben Johnson, vencedor dos 100 m rasos com o tempo de 9s79, recorde mundial à época.

O atleta, no entanto, foi desclassificado depois de ser flagrado no exame antidoping por uso de anabolizante. A alemã Christa Luding-Rothenburger passou a ser a única atleta da história a conquistar medalhas nos Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno no mesmo ano.

Ela ganhou a prata no ciclismo em Seul depois de ter conquistado duas medalhas (uma de ouro e outra de prata) na patinação de velocidade em Calgary. Sua compatriota Steffi Graf concluiu sua temporada de Grand Slam com o ouro Olímpico. O norte-americano Greg Louganis venceu dois eventos de saltos ornamentais, como havia feito quatro anos antes. A bagagem da delegação do Brasil voltou com um ouro, duas pratas e três bronzes.

Jogos Olímpicos de Moscou 1980

Dia Olímpico

80 países
21 esportes
5179 atletas (4064 homens, 1115 mulheres)
203 eventos
5615 jornalistas (2685 da imprensa escrita, 2930 de rádio e televisão)
De 19 de julho a 13 de agosto de 1980

Os Jogos Olímpicos de Moscou foram afetados pela Guerra Fria, que estava no auge naquele momento. As disputas políticas resultaram no boicote dos Estados Unidos – e de outros países, por conseqüência – ao evento. Um dos destaques dessa edição foi sua carismática mascote, o urso Mischa, que ficou marcado pela “lágrima escorrendo pelo rosto” em sua despedida no Estádio Olímpico. Na esfera esportiva, o soviético Aleksandr Dityatin ganhou medalhas em todas as provas da ginástica artística masculina e se tornou o único atleta, até então, a conquistar oito medalhas em uma única edição dos Jogos (três de ouro, quatro de prata e uma de bronze). O Brasil conseguiu duas medalhas de ouro no iatismo e duas de bronze: uma no salto triplo, outra na natação.

Jogos Olímpicos de Montreal 1976

Dia Olímpico

92 países
21 esportes
6084 atletas (4824 homens, 1260 mulheres)
198 eventos
De 17 de julho a 1º de agosto de 1976

Os Jogos Olímpicos de Montreal tiveram a romena Nadia Comaneci como grande estrela. Com apenas 14 anos, a atleta encantou o mundo e garantiu a primeira nota “10” da história da ginástica artística. Ela ainda conquistou mais seis notas máximas e terminou os Jogos com três medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze.

A ginástica masculina também contou com um grande destaque: o japonês Shun Fujimoto. Seu país disputava acirradamente o título por equipes com a União Soviética, quando ele quebrou a perna durante a apresentação no solo. Fujimoto escondeu a gravidade da lesão, partiu para o exercício das argolas e recebeu a nota 9,7, fundamental para a conquista do ouro.

O italiano Klaus Dibiasi, nos saltos ornamentais, e o soviético Viktor Saneyev, no salto triplo, ganharam o terceiro ouro consecutivo. Em Montreal, as mulheres passaram a disputar as competições de basquete, handebol e remo. O Brasil voltou a conquistar duas medalhas de bronze: uma no salto triplo, outra no iatismo.

Jogos Olímpicos de Munique 1972

Dia Olímpico

121 países
23 esportes
7134 atletas (6075 homens, 1059 mulheres)
195 eventos
De 22 de agosto a 11 de setembro de 1972

Os Jogos Olímpicos de Munique ficaram marcados pelo atentado terrorista dentro da Vila Olímpica contra atletas israelenses. Na esfera esportiva, a edição foi o palco do show do nadador norte-americano Mark Spitz, que conquistou sete medalhas de ouro, com sete recordes mundiais – um feito único na história da competição que só seria batido por Michael Phelps 36 anos depois. No atletismo, na final dos 10.000m, uma história de superação: o finlandês Lasse Viren caiu no meio da prova, levantou-se – em último lugar -, ultrapassou todos os outros competidores e não só ganhou o ouro, como quebrou o recorde mundial. Foi a primeira de suas quatro medalhas de ouro na carreira. A ginasta Olga Korbut, destaque da União Soviética na prova por equipes, falhou na final individual e chorou copiosamente.

No dia seguinte, na decisão por aparelhos, ela ganhou dois ouros e uma prata, emocionando o público. Nessa edição, pela primeira vez, os Jogos Olímpicos de Verão tiveram uma mascote: um cachorro chamado Waldi. Pelo Brasil, duas medalhas de bronze conquistadas: uma no salto triplo, outra no judô.

Jogos Olímpicos do México 1968

Dia Olímpico

112 países
20 esportes
5516 atletas (4735 homens, 781 mulheres)
172 eventos
De 12 de outubro a 27 de outubro de 1968

A Cidade do México recebeu os primeiros Jogos Olímpicos realizados na América Latina. Também foi a primeira vez que uma mulher, a mexicana Norma Enriqueta Basilio, acendeu a pira olímpica na cerimônia de abertura. A polonesa Eulalia Rolinska, a peruana Gladys de Seminario e a mexicana Nuria Ortiz deram vez às mulheres nas provas de tiro. A ginasta Vera Caslavska, da antiga Tchecoslováquia – país que havia sido invadido dois meses antes pela União Soviética -, teve que se esconder durante três semanas para competir e ganhar quatro medalhas de ouro e duas de prata. No lançamento de disco, o norte-americano Al Oerter venceu a competição pela quarta vez. Seu compatriota Bob Beamon, do salto em distância, foi outro grande destaque dessa edição: ele alcançou a marca de 8,90m (55 centímetros a mais que o recorde mundial anterior). O Brasil conquistou uma prata no salto trilo e dois bronzes: um no boxe, outro no iatismo.

Jogos Olímpicos de Tóquio 1964

Dia Olímpico

93 países
19 esportes
5151 atletas (4473 homens, 678 mulheres)
163 eventos
De 10 de outubro a 24 de outubro de 1964

Tóquio recebeu os primeiros Jogos Olímpicos do continente asiático. Grandes investimentos foram feitos para a construção de ginásios e complexos esportivos, além de melhorias no transporte público da cidade. Foi lá que o judô e o vôlei (primeiro esporte coletivo disputado por mulheres) passaram a fazer parte dos Jogos. A capital do Japão foi palco de feitos memoráveis. Abebe Bikila, da Etiópia, ganhou a maratona e tornou-se o primeiro a vencer os 42.195km em duas edições consecutivas. Detalhe: a façanha ocorreu menos de seis semanas após ter removido o apêndice.

A australiana Dawn Fraser conquistou sua terceira medalha de ouro consecutiva nos 100m nado livre e se transformou na primeira nadadora a ganhar um total de oito medalhas (quatro de ouro e quatro de prata) em três edições dos Jogos. A ginasta russa Larisa Latynina adicionou seis novas medalhas à sua incrível coleção.

Em três Jogos Olímpicos ela conquistou nove medalhas de ouro, cinco de prata e quatro de bronze, um total de 18 medalhas. A seleção brasileira masculina de basquete conquistou sua terceira medalha olímpica de bronze.

Jogos Olímpicos de Roma 1960

Dia Olímpico

83 países
17 esportes
5338 atletas (4727 homens, 611 mulheres)
150 eventos
De 25 de agosto a 11 de setembro

Os Jogos de Roma foram os primeiros a serem transmitidos pela televisão, ao vivo, para 20 países. Cerca de 200 milhões de pessoas assistiram às competições sem sair de casa. Um dos principais destaques foi a norte-americana Wilma Rudolph, que ganhou o ouro no atletismo (100m, 200m e revezamento 4x100m). Um feito extraordinário. A capital italiana testemunhou as vitórias do norte-americano Cassius Clay, que mais tarde seria imortalizado como Muhammad Ali, seu nome muçulmano. O pugilista foi campeão Olímpico na categoria meio-pesado.

Outro atleta de destaque foi o etíope Abebe Bikila. Correndo descalço, ele venceu a maratona sob um calor de 40°, com direito a quebra de recorde mundial, e se tornou o primeiro africano campeão Olímpico. No iatismo, o dinamarquês Paul Elvstrom, da classe Finn, conquistou sua quarta medalha de ouro consecutiva na mesma prova.

O húngaro Aladar Gerevich, na esgrima, foi além: conseguiu o sexto ouro seguido no sabre por equipes. Na canoagem, o sueco Gert Fredriksson ganhou a sexta medalha de ouro. O Brasil conquistou duas medalhas de bronze: uma na natação, outra no basquete.

Jogos Olímpicos de Melbourne 1956

72 países
17 esportes
3314 atletas (2938 homens, 376 mulheres)
145 eventos
De 22 de novembro a 8 de dezembro de 1956

Dia Olímpico

Esta foi a primeira vez que os Jogos Olímpicos foram disputados no hemisfério sul. E tiveram uma peculiaridade: as provas de hipismo não aconteceram em Melbourne, mas em Estocolmo. As severas leis de quarentena da Austrália atrasariam a autorização da entrada de cavalos estrangeiros e a solução encontrada pelos organizadores foi transferir as provas da modalidade para a Suécia, cinco meses antes do início dos Jogos.

Em Melbourne, o húngaro Laszlo Papp tornou-se o primeiro boxeador a conquistar três medalhas de ouro (ele havia vencido em Londres e Helsinque). A americana Pat McCormick ganhou duas provas de saltos ornamentais, exatamente como fez quatro anos antes. Na ginástica, dois atletas dominaram a competição. Do lado masculino, o ucraniano Viktor Chukarin conquistou cinco medalhas, incluindo três de ouro (totalizando 11 na carreira, sete delas de ouro).

No feminino, Agnes Keleti, da Hungria, ganhou quatro de ouro e duas de prata, totalizando 10 na carreira. O time americano de basquete liderado por Bill Russel e K.C. Jones impôs a performance mais dominante da história Olímpica. Os americanos marcaram mais que o dobro de pontos que os seus adversários e venceram todos os jogos com pelo menos 30 pontos de vantagem. Pelo Brasil, Adhemar Ferreira da Silva conquistou o bicampeonato Olímpico no salto triplo.

Jogos Olímpicos de Helsinque 1952

Dia Olímpico

69 países
17 esportes
4955 atletas (4436 homens, 519 mulheres)
149 eventos
De 19 de julho a 3 de agosto de 1952

Realizada no início da Guerra Fria, essa edição ficou marcada pela estréia da União Soviética, que disputaria com os Estados Unidos o maior número de medalhas nos Jogos seguintes. O feito mais memorável em Helsinque coube ao corredor Emil Zatopek, da antiga Tchecoslováquia. Ele se tornou a única pessoa da história a ganhar os 5.000m, os 10.000m (que já havia vencido em Londres 1948) e a maratona em uma mesma edição dos Jogos. Pela primeira vez, as mulheres competiram contra os homens na prova de adestramento do hipismo.

A dinamarquesa Lis Hartel marcou para sempre sua participação ao conquistar a medalha de prata mesmo tendo parte de suas pernas (abaixo do joelho) paralisadas. Vítima de poliomielite aos 23 anos, ela precisava de ajuda para subir e descer do cavalo. Também na Finlândia, Lars Hall, um carpinteiro sueco, foi o primeiro não-militar a vencer o pentatlo moderno. A delegação brasileira conquistou uma medalha de ouro e duas de bronze.

Jogos Olímpicos de Londres 1948

Dia Olímpico

59 países
17 esportes
4104 atletas (3714 homens, 390 mulheres)
136 eventos
De 29 de julho a 14 de agosto de 1948

Ainda abatida pelos bombardeios da Segunda Guerra Mundial, Londres voltou a receber os Jogos Olímpicos em 1948, doze anos após a última edição realizada.

A capital inglesa, mesmo parcialmente destruída e sem muita verba para organização, hospedou todos os atletas e cumpriu com eficiência a tarefa de ser sede. Nos esportes, as provas femininas de canoagem foram disputadas pela primeira vez, com vitória da dinamarquesa Karen Hoff no caiaque individual 500m. Karoly Takacs era membro da equipe húngara campeã mundial de tiro dez anos antes, quando a explosão de uma granada arrancou sua mão direita. Surpreendentemente, Takacs aprendeu a atirar com a mão esquerda e, em Londres, ganhou a medalha de ouro no tiro rápido.

O americano Bob Mathias, de 17 anos, conquistou o ouro no declato apenas quatro meses depois de disputar sua primeira prova. Até hoje ele é o campeão mais jovem da história dos Jogos em eventos de atletismo masculino. O Brasil conquistou a inédita medalha de bronze no basquete masculino.

Jogos Olímpicos de Berlim 1936

Dia Olímpico

49 países
19 esportes
3963 atletas (3632 homens, 331 mulheres)
129 eventos
De 1º de agosto a 16 de agosto de 1936

Os Jogos Olímpicos de Berlim marcaram o início do revezamento da tocha olímpica desde Olímpia, na Grécia, até o local das competições. Para chegar à Alemanha, a tocha percorreu uma jornada de mais de três mil quilômetros por sete países. Os Jogos de 1936 também foram os primeiros com transmissão ao vivo: 25 telões foram distribuídos por Berlim para que as pessoas assistissem às provas de graça.

O maior destaque da competição foi o norte-americano Jesse Owens, que ganhou quatro medalhas de ouro nas provas mais tradicionais do atletismo: 100m, 200m, revezamento 4x100m e salto em distância. Sua compatriota Marjorie Gestring tornou-se a mais jovem medalhista de ouro individual ao vencer a prova de trampolim aos 13 anos.

O recorde permanece até hoje. Outra atleta precoce, Inge Sorensen, da Dinamarca, conquistou o bronze nos 200m nado peito com apenas 12 anos, e passou a ser a medalhista Olímpica mais nova da história em eventos individuais. A missão brasileira foi à Alemanha com 94 atletas.

Jogos Olímpicos de Los Angeles 1932

Dia Olímpico

37 países
14 esportes
1332 atletas (1206 homens, 126 mulheres)
117 eventos
De 30 de julho a 14 de agosto de 1932

A depressão econômica que abalou o mundo após a Crise de 1929 fez com que os Jogos Olímpicos de Los Angeles fossem os mais curtos até então. Embora o número de atletas presentes também tenha sido afetado, o nível da competição foi extremamente alto e 18 recordes mundiais foram quebrados ou igualados.

Os equipamentos eletrônicos para medição de tempo foram oficialmente introduzidos e, pela primeira vez, os vencedores puderam ver as bandeiras de seus países hasteadas, além de ouvir os hinos nacionais durante a cerimônia de premiação. Um recorde que permanece até hoje é o do nadador japonês Kusuo Kitamura: com apenas 14 anos, ele venceu os 1.500m nado livre e se tornou o homem mais jovem a ganhar uma medalha de ouro em provas individuais.

Dentro do espírito de fair play, a inglesa Judy Guinness acabou com as esperanças da medalha de ouro na final da esgrima (florete) ao avisar aos oficiais sobre dois toques (pontos) que havia recebido e eles não tinham notado. A iniciativa garantiu os pontos e a vitória para a adversária, a austríaca Ellen Preis. A delegação brasileira enviada a Los Angeles contou com 82 atletas.

Jogos Olímpicos de Amsterdã 1928

Dia Olímpico

46 países
14 esportes
2883 atletas (2606 homens, 277 mulheres)
109 eventos
De 17 de maio a 12 de agosto de 1928

A edição de 1928 marcou a estréia de um dos maiores símbolos dos Jogos: a chama Olímpica. Atletas de 28 países ganharam medalhas, um recorde que durou 40 anos. O número de mulheres na competição mais do que dobrou em relação à edição anterior, sendo que elas participaram pela primeira vez das provas de atletismo e ginástica artística. Pela primeira vez, também, atletas asiáticos conquistaram medalhas de ouro.

Um fato curioso dessa edição foi a atitude do australiano Henry Pearce que, durante a disputa das quartas-de-final do remo, fez uma pausa para que uma família de patos atravessasse a raia.

Pearce não é lembrado somente pela nobreza do seu gesto: ele venceu a prova e, mais tarde, conquistou a medalha de ouro. O time da Índia foi o campeão no hóquei sobre grama. Desta vez, o Brasil não participou dos Jogos.

Jogos Olímpicos de Paris 1924

Dia Olímpico

44 países
17 esportes
3089 atletas (2954 homens, 135 mulheres)
126 eventos
De 4 de maio a 27 de julho de 1924

Paris fez grandes investimentos em infra-estrutura para receber os Jogos Olímpicos de 1924. Os administradores montaram uma vila olímpica para abrigar os atletas, algo inédito até então. Atletas de 44 países marcaram presença e cerca de mil jornalistas cobriram o evento, que se consolidava como a maior competição do mundo. Um dos destaques dessa edição foi o norte-americano Johnny Weissmuller, que conquistou três ouros na natação (100m, 400m livres e no revezamento 4x100m) e um bronze no pólo aquático.

Mais tarde, Weissmuller estrelaria 12 filmes em Hollywood no papel de Tarzan. Quem também fez história foi o corredor finlandês Paavo Nurmi, que ganhou cinco medalhas de ouro (ele já havia conquistado três nos Jogos da Antuérpia).

A performance mais espetacular ocorreu no dia 10 de julho, quando Nurmi venceu os 1.500m e, apenas 55 minutos depois, voltou a vencer, desta vez nos 5.000m. O Brasil enviou 12 atletas para a França.

Jogos Olímpicos da Antuérpia 1920

29 países
22 esportes
2626 atletas (2561 homens, 65 mulheres)
154 eventos
De 20 de abril a 12 de setembro de 1920

Dia Olímpico

Após oito anos sem competição, em razão da Primeira Guerra Mundial, o mundo voltou a celebrar o esporte nos Jogos Olímpicos. Foi nessa edição que a bandeira Olímpica – com os cinco anéis representando a união dos cinco continentes – foi apresentada. Também foi a primeira vez em que um atleta prestou o Juramento Olímpico. Em relação aos esportes, uma performance inigualável foi a do italiano Nedo Nadi, que ganhou medalhas de ouro em cinco provas de esgrima: três nas individuais (espada, florete e sabre) e duas por equipes.

A norte-americana Ethelda Bleibtrey ficou em primeiro lugar nas três competições femininas de natação (100m, 300m e 4x100m nado livre) e quebrou cinco recordes mundiais – nas cinco vezes em que entrou na piscina. O Brasil estreou sua participação nesses Jogos. Ao todo, foram 21 atletas e três medalhas: uma de ouro, uma de prata e outra de bronze, todas no tiro.

Jogos Olímpicos de Estocolmo 1912

Dia Olímpico

28 países
14 esportes
2407 atletas (2359 homens, 48 mulheres)
102 eventos
De 5 de maio a 27 de julho de 1912

Os Jogos Olímpicos de 1912 foram os primeiros a contar com equipamentos eletrônicos para marcar os tempos das provas. Essa medição foi extra-oficial e serviu como teste para futuras edições dos Jogos. O evento em Estocolmo, considerado modelo de eficiência, registrou a presença de países dos cinco continentes. A capital sueca também testemunhou a estréia das mulheres nas competições de natação.

Nos Jogos, o maior destaque foi o norte-americano Jim Thorpe, vencedor do pentatlo e do decatlo com larga vantagem. Na cerimônia de premiação, o rei da Suécia referiu-se a ele como o maior atleta do mundo. Na esgrima, Otto Herschmann, então presidente do Comitê Olímpico da Áustria, conquistou a prata no sabre. Até hoje, ele é o único presidente de Comitê a ganhar uma medalha Olímpica.

Jogos Olímpicos de Londres 1908

Dia Olímpico

22 países
22 esportes
2008 atletas (1971 homens, 37 mulheres)
110 eventos
De 27 de abril a 31 de outubro de 1908

Nos Jogos Olímpicos de Londres, as delegações desfilaram na abertura do evento pela primeira vez. A edição de maior duração da história dos Jogos (seis meses) ficou marcada pelo desempenho notável do atleta norte-americano Ray Ewry, que conquistou duas medalhas de ouro no salto sem impulso. Como já havia conquistado outras seis ao longo de três edições Olímpicas, seu recorde é de oito medalhas de ouro.

Em Londres, o comitê organizador dos Jogos estabeleceu o percurso da maratona em 42.195 km, que só passou a ser oficial em 1920. Nessa prova, o italiano Dorando Pietri entrou em primeiro lugar no estádio, mas, esgotado, avançou pela direção oposta à linha de chegada. Ele caiu na pista e oficiais o ajudaram a completar o percurso, o que acabou sendo a causa de sua desclassificação. A prova foi vencida pelo norte-americano John Joseph Hayes.

Jogos Olímpicos de Saint Louis 1904

Dia Olímpico

12 países
17 esportes
651 atletas (645 homens, seis mulheres )
91 eventos
De 1º de julho a 23 de novembro de 1904

Os Jogos Olímpicos de 1904 tiveram uma estrutura semelhante aos anteriores: também foram integrados à Exposição Universal e se estenderam por quatro meses e meio. Nessa edição, as medalhas de ouro, prata e bronze começaram a ser distribuídas para os primeiros, segundos e terceiros colocados. Um dos maiores destaques foi o ginasta norte-americano George Eyser que, mesmo utilizando uma perna de madeira, ganhou seis medalhas. A competição contou ainda com a estréia dos atletas africanos, que participaram da maratona, do boxe e do decatlo.

Jogos Olímpicos de Paris 1900

Dia Olímpico

24 países
997 atletas (975 homens, 22 mulheres)
18 esportes
95 eventos
De 14 de maio a 28 de outubro de 1900

Foi nesta edição que as mulheres estrearam em competições Olímpicas. Ao todo, 22 estiveram na capital francesa. A tenista inglesa Charlotte Cooper entrou para a história como a primeira vencedora de uma prova feminina nos Jogos. A edição de 1900 foi integrada à Exposição Universal de Paris (uma enorme feira mundial de comércio) e se estendeu por mais de cinco meses. Em cinco esportes (tênis, futebol, pólo, remo e cabo de guerra), atletas de diferentes países competiam pelo mesmo time. No quadro geral de medalhas, a França ficou em primeiro lugar, com 101 no total. Os Estados Unidos terminaram em segundo, com 47. Um dos principais destaques dos Jogos foi Ray Ewry, vencedor de três provas de salto sem impulso (modalidade que não é mais disputada) no mesmo dia. O norte-americano, que teve poliomielite quando criança e chegou a usar cadeira de rodas, voltou a conquistar medalhas de ouro em outras edições Olímpicas.

Jogos Olímpicos de Atenas 1896

Dia Olímpico

14 países
241 atletas (todos homens)
9 esportes
43 eventos
De 6 de abril a 15 de abril de 1896

Reviver os Jogos Olímpicos da Antiguidade atraiu atletas de 14 países para 10 dias de competição. As maiores delegações eram de Grécia, Alemanha, França e Grã Bretanha. Em 6 de abril de 1896, o americano James Connolly venceu no salto triplo e se transformou no primeiro campeão Olímpico da Era Moderna. Nessa edição, não existiam medalhas para os segundos e terceiros colocados. Os primeiros ganhavam uma medalha prateada e um ramo de oliveira. Ao todo, nove modalidades foram disputadas: natação, atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, tiro, tênis, levantamento de peso e luta. O alemão Carl Shumann ficou à frente em cinco eventos de três esportes diferentes. Os habitantes de Atenas receberam os Jogos com grande entusiasmo e o apoio deles foi recompensando com a vitória do pastor grego Spyridon Louis na maratona.

23 de Junho

As Olimpíadas são festas internacionais que começaram na Grécia antiga. Os jogos gregos aconteciam a cada quatro anos. Deixaram de existir logo no começo da Era Cristã.

A volta dos jogos olímpicos aconteceu em 1896. Desde então, passaram a acontecer a cada quatro anos, exceto durante as duas guerras mundiais.

Dia Olímpico

Os jogos olímpicos antigos saudavam os deuses gregos, mas os jogos modernos saúdam o talento dos atletas de todas as nações.

AS OLIMPÍADAS ANTIGAS

As primeiras olimpíadas aconteceram no ano 776 antes de Cristo na cidade de Olímpia. Apenas uma competição acontecia: uma corrida a pé de 183 metros, que era a volta ao estádio. Somente homens corriam. Na décima quarta olimpíada já havia duas corridas. Na segunda corrida, os atletas davam duas voltas no estádio.

Dia Olímpico

Mais tarde, os espartanos passaram a competir e introduziram outros esportes. Corridas, saltos e arremessos de disco passaram a ser apresentados e, assim, os jogos passaram a durar cinco dias.

AS OLIMPÍADAS MODERNAS

Nos jogos de 1896 eram praticados: ciclismo, salto com barreiras, ginástica, tênis, tiro, natação, levantamento de peso, luta, corrida e esgrima.

Dia Olímpico

Em 1924 começaram os Jogos de Inverno, que passaram a acontecer separadamente das Olimpíadas.

Incluíam esqui, hóquei no gelo e outros. Mas as atenções estavam mesmo era para os esportes de verão. Já naquela época a quantidade de esportes era grande.

Eram disputados, entre outros: basquete, boxe, remo, ciclismo, hipismo, ginástica, handebol, futebol, voleibol, pólo aquático.

Hoje em dia, existe uma quantidade ainda maior de esportes.

A competição é destinada a valorizar os grandes atletas do mundo, em todos os esportes e de todos os países, numa grande festa que milhões de pessoas assistem nos estádios e através da televisão.

23 de Junho

O QUE ERAM AS OLIMPÍADAS?

Os jogos olímpicos remontam ao período da Grécia antiga, onde faziam parte dos festivais religiosos. Embora existissem muitos festivais deste tipo , apenas quatro ( os jogos Pan – Helénicos), ultrapassavam um carácter local e eram abertos a participantes de todas as regiões e colônias gregas. Os jogos assumiam o nome dos locais que, de quatro em quatro anos, os acolhia: Píticos; Nemeus; Ístmicos ou Olímpicos.

LOCAIS DOS JOGO

Os diversos jogos eram dedicados a deuses diferentes, realizando-se nos recintos dos santuários ou próximo dos mesmos:

Píticos , em honra de Apolo, realizavam-se em Delfos e os Ístmicos ,em honra de Posídon, realizavam-se em Corinto; os Nemeus , em Nemeia, honravam Zeus.

PRÉMIOS

Nos jogos Píticos, os atletas recebiam coroas de loureiro como prémio; nos Nemeus , os prémios ,eram ramos de aipo; nos jogos Ístmicos , os vencedores recebiam ramos de pinheiro. Os ramos de oliveira, eram o prémio dos vencedores olímpicos.

A homenagem aos vencedores tinha lugar no último dia dos Jogos Olímpicos.

No início todos os atletas eram amadores; com o passar do tempo começaram a receber prémios monetários, não só pela vitória como pela simples participação nos jogos. A única excepção a esta prática foram os jogos olímpicos.

JOGOS OLÍMPICOS NA ANTIGUIDADE

Os jogos olímpicos , na Antiguidade Clássica, incluíam uma enorme variedade de eventos desportivos. Muitos destes são os antecessores dos jogos olímpicos modernos . Os jogos olímpicos da Antiguidade, eram os seguintes:

Box

Luta Livre ( os combates são brutais e não se tomam precauções para evitar os ferimentos)

Lançamento de Disco ( de pedra polida ou metal)

Remo

Pentatlo (compreende cinco provas: dardo, disco, salto em comprimento, luta e corrida)

Salto

Corrida ( os concorrentes, sem sapatos e com o corpo untado, tomam lugar numa linha de partida de pedra

Pankration (luta similar ao boxe, são permitidos todos os golpes, incluindo o estrangulamento)

Corridas Equestres (nestas corridas não há obstáculos, o cavaleiro apeia-se e conduz o cavalo à meta)

Corrida de mensageiros e Trompeteiros.

O FIM DOS JOGOS

No ano 391 da nossa era, o imperador romano Teodósio I, proibiu por decreto todos os cultos pagãos que incluiam jogos olímpicos, o que significava o fim provisório do movimento olímpico.

Em 426, o imperador romano Teodósio II, mandou queimar o Templo de Zeus e mais alguns edifícios. Pode ter sido este o último ano em que os Jogos Olímpicos da Antiguidade se realizaram.

O fim dos jogos olímpicos foi várias vezes vaticinado, perante crises políticas, no entanto a ideia olímpica resistiu às duas guerras mundiais, bem como às épocas de transformações, a golpes de estado e a revoluções – evidentemente, quase sempre sob diferentes condições exteriores e considerações políticas.

Antiguidade

Os jogos mais famosos e apreciados no mundo grego eram os patrocinados pelo Templo de Zeus, que se realizavam de 4 em 4 anos em Olímpia. No seu estádio decorriam as competições atléticas, como corridas, boxe, luta e pentatlo.

Aqueles que se comprometiam a participar nos jogos eram obrigados a preparar-se durante dez meses e deveriam chegar a Olímpia com um mês de antecedência para completar os treinos. Com os atletas chegavam mercadores e peregrinos que se hospedavam ou acampavam na cidade. Assistiam às solenes cerimónias religiosas e participavam nas distracções religiosas que ali se organizavam. Todas as provas tinham um carácter estritamente individual: conduziam à glorificação do atleta que se tivesse revelado o melhor. É um fato assinalar o de que os gregos nunca introduziram nos jogos competições coletivas.

Atualidade

Os Jogos Olímpicos foram abolidos no séc. IV pelo édito de Teodósio e só passados quinze séculos, em 1892, o parisiense barão Pierre de Coubertin proclamou a necessidade de se fazer reviver “a ideia olímpica”, com amplitude universal.

Só quatro anos depois, em 1896, apoiado por muitos entusiastas, Coubertin conseguiu levar a cabo, em Atenas, a I Olimpíada moderna, onde se fizeram representar 13 nações com 285 participantes.

Perante mais de 60.000 visitantes, o rei grego Jorge I, iniciou a 6 de Abril de 1896,a I Olimpíada de Idade Moderna no estádio de Atenas, que tinha sido reconstruído mas muito pouco modernizado.

Nessa primeira Olimpíada da era moderna o atletismo destacou-se como principal modalidade, sendo realizadas 12 provas, entre corridas, saltos e arremessos. Nessa época começam a surgir os ídolos, como o grego Spyridon Louis. Considerado o primeiro ídolo de uma Olimpíada, Louis venceu a maratona acompanhado de seu cachorro Zeus, e a ele dedicou sua vitória após ser ovacionado e receber inclusive, uma inusitada proposta de casamento.

Os jogos modernos destacaram-se também pela participação feminina, sendo que a atleta canadense de salto em altura Ethel Catherwood, que em Amsterdã-1928 atingiu o recorde de 1m59, é considerada a primeira musa de uma Olimpíada. Em Munique-1972, foi a vez da ginasta russa Olga Korbut que com três medalhas de ouro foi consagrada como “musa de Munique”, recebendo privilégios e sendo aplaudida pelo público. Na olimpíada seguinte, em Montreal a ginasta romena Nádia Comaneci, com apenas 14 anos encantou o mundo, recebendo a primeira nota dez de ginástica na história das Olimpíadas, conquistando sozinha para o seu país um total de cinco medalhas, sendo três de ouro, uma de prata e uma de bronze.

Dia Olímpico

O ideal olímpico representado pela velha máxima “O importante não é vencer, é participar”, foi defendido pela primeira vez em 1908 pelo bispo da Pensilvânia, durante um sermão aos atletas que disputariam as Olimpíadas de Londres. A frase utilizada posteriormente pelo barão de Coubertain, a quem erroneamente é atribuída, não condiz com a realidade olímpica dos tempos modernos, onde o desporto é visto como “guerra” e cada vez mais são encontradas evidências de doping, como o caso do atleta canadense Ben Johnson ( Seul-1988) cuja medalha de ouro, pelo recorde nos 100 metros lhe foi retirada pelo Comité Olímpico Internacional.

Atualmente os jogos contam com mais de 6 mil competidores de cerca de 100 países que disputam mais de 20 modalidades. A tocha olímpica ainda brilha, talvez não com a mesma chama clara e intensa que inspirava seus primórdios há 2 mil e quinhentos anos atrás. Porém, ela ainda pode impulsionar o objetivo de que a cada quatro anos as nações do mundo deveriam esquecer suas diferenças para se unirem em amizade e competição, como as cidades-estado da antiga Grécia.

A marca da cultura grega mais importante nos Jogos não tem relação com estádios ou cerimónias. A herança mais viva dos gregos são o gosto pela disputa desportiva e a transformação dos campeões em ídolos. “Na Hélade (sinónimo erudito para Grécia) antiga, o espírito de competição e o ideal desportivo adquiriram uma posição vital na vida social pela primeira vez na história da humanidade”, explica Geórgios Khristópoulos no livro Os Jogos Olímpicos na Grécia Antiga (editora Odysseus), fonte das imagens da Antiguidade que ilustram estas páginas. No calendário grego, contavam-se os anos pelas Olimpíadas, o que dá uma ideia da importância atribuída a elas. Nos textos gregos que chegam até nós, abundam exemplos da glorificação dos heróis coroados com os louros da vitória nas Olimpíadas.

Os Jogos eram, como hoje, disputados no Verão. Um armistício era declarado em todo o mundo helénico, para que os campeões de cada cidade viajassem em segurança para Olímpia (hoje o Comité Olímpico Internacional tenta ressuscitar a ideia de uma trégua olímpica, sem sucesso, embora o líder palestino Yasser Arafat tenha anunciado recentemente seu apoio). A cidade atraía filósofos, poetas e artistas. Qualquer pessoa podia assistir aos Jogos, exceptuando as mulheres casadas – as que transgredissem essa regra eram atiradas do alto de uma rocha. Só se sabe de uma que foi perdoada: chamada Calipatira, invadiu a arena para abraçar o filho e deixou o disfarce cair. Mas acabou por ser absolvida, por ser mãe, irmã e filha de campeões olímpicos. A programação variou ao longo dos séculos, mas em geral os Jogos duravam cinco dias. Os atletas chegavam a Olímpia com um mês de antecedência e apenas os que se mostrassem bem preparados podiam competir. Muitos contratavam treinadores profissionais. Os campeões das provas – corridas a pé e com cavalos, lutas, arremessos, saltos – recebiam uma coroa de ramos de oliveira selvagem, originalmente plantados por Hércules (Héracles, em grego), segundo a lenda. Corriam nus, tradição surgida, conta-se, quando um atleta perdeu a roupa em plena corrida. A violação das regras, tais como suborno ou quebra do armistício, por exemplo, era punida com multas que podiam ir desde a eliminação até ao açoitamento.

Poucas dessas regras sobreviveram aos Jogos de hoje, mas há pelo menos mais uma semelhança importante: a exaltação da vitória de um atleta como a vitória de uma nação. “O atleta não participava como indivíduo. Ele incorporava a identidade de sua cidade”, explica Katia Rubio, psicóloga, professora da Universidade de São Paulo e autora do livro O Atleta e o Mito do Herói (Casa do Psicólogo). Assim como , hoje em dia, cada país apoia os seus atletas, também atenienses, espartanos, coríntios e outros povos que compunham a Grécia vibravam com as façanhas de seus patrícios. Os cidadãos de Tassos ergueram uma estátua em louvor de Teágenes, campeão de pugilismo e pancrácio (um tipo de luta livre). Leônidas de Rodes, uma espécie de Carl Lewis da Antiguidade, foi tetracampeão olímpico em três diferentes provas de corrida e ganhou honras de divindade. Mais de 2 000 anos depois dessas façanhas, Atenas prepara-se para transformar em deuses os seus novos heróis.

Fonte:  www.quadrodemedalhas.com/www.semanaolimpica.com.br/ www.cob.org.br ( Comitê Olímpico Brasileiro )/gold.br.inter.net/malhatlantica.pt

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Dia da Infância

PUBLICIDADE A infância é a faixa etária que vai do nascimento até a adolescência. De …

Dia do Pi

Dia do Pi

PUBLICIDADE 14 de março – Dia do Pi Pi ou p. O Dia do Pi …

Dia Mundial da Gentileza

PUBLICIDADE A bondade é um comportamento marcado por características éticas, uma disposição agradável e uma …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.