Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia de São Silvestre  Voltar

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

São Silvestre nasceu em Roma.

O longo pontificado de São Silvestre ( de 314 a 335) correu paralelo ao governo do imperador Constantino, numa época muito importante para a Igreja apenas saída da clandestinidade e das perseguições.

Foi nesse período que se formou uma organização eclesiástica que duraria por vários séculos. Nesta época teve lugar de destaque o imperador Constantino.

Este, fato, herdeiro da grande tradição imperial romana, considerava-se o legítimo representante da divindade (nunca renunciou ao título pagão de “Pontífice Máximo), e logo também do Deus dos cristãos e por isso encarregado de controlar a Igreja como qualquer outra organização religiosa.

A conversão de Constantino e do Edito de Milão modificarão os destinos da Igreja.

São Silvestre estabeleceu as bases doutrinais e disciplinares, que requeriam a Igreja em um novo contexto social e político em que o cristianismo se tornava a religião oficial do Império Romano.

Os cristãos já não eram mais perseguidos e repudiados, podendo professar a sua crença abertamente, e o imperador teve a iniciativa de construir as primeiras basílicas, onde o povo pudesse se reunir por ocasião das grandes solenidades.

Foi Constantino que autorizou a construção de uma grande basílica em honra de São Pedro, na colina do Vaticano, após ter destruído ou parcialmente recoberto de terra um cemitério pagão, descoberto pelas escavações, feitas a pedido de Pio XIII em 1939.

Foi ainda a harmonia e colaboração entre o Papa Silvestre e Constantino que permitiram a construção de duas outras importantes basílicas romanas, uma em honra de São Paulo na via Ostiense e, sobretudo a outra em honra de São João.

Foi sob São Silvestre que se realizou o primeiro concílio ecumênico da história da Igreja . O Concílio de Nicéia, no ano 325 -, onde se definiu a divindade de Cristo.

E o melhor e que este concílio foi convocado pelo imperador Constantino, tal era a influência nos assuntos eclesiásticos. Para demonstrar a sua simpatia para com o Papa Silvestre, Constantino deu o seu próprio Palácio Lateranense que foi desde então e por diversos séculos a morada dos Papas.

São Silvestre morreu no ano 335 tendo sido um dos primeiros santos não-mártires cultuados pela Igreja.

Fonte: www.universocatolico.com.br

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

Lenda da Noite de São Silvestre

Todo mundo já ouviu falar de São Silvestre, pode até não saber quem é o santo mas já ouviu ao menos falar da Corrida Internacional de São Silvestre que acontece todo dia 31 de dezembro pelas ruas de São Paulo, sendo a mais famosa do Brasil.

Agora, o santo existiu sim!

Ele foi o Papa Silvestre I, entre 31 de janeiro de 314 a 31 de dezembro de 335.

Foi em seu papado, durante o reinado do Imperador Constantino I que teve início a Paz na Igreja, ou seja, o fim da perseguição aos cristãos na época do Império Romano.

Dia de São Silvestre
São Silvestre

Mas além do santo histórico, com existência concreta e fatos na medida do possível comprováveis, também existe o santo das lendas, das histórias ficcionadas para explicar fatos inexplicáveis. Existe uma lenda, originária da Madeira, que tem como uma das figuras centrais São Silvestre.

É uma forma de explicar a origem dos fogos de artifício nas festas da virada do ano.

NOITE DE SÃO SILVESTRE

Dia de São Silvestre
Fogos de Artifício na virada do ano, Funchal, Madeira.

Há muito tempo atrás, muito tempo mesmo, existia uma ilha no Oceano Atlântico. Esta ilha era chamada de Atlântida, e o povo que nela vivia era a civilização mais avançada em seu tempo. Alguns dizem mesmo que era a mais avançada que já existiu!

Mas este povo avançado tornou-se muito arrogante, achando que podia conquistar o mundo inteiro. A ousadia era tanta que o rei desta civilização atraveu-se a desafiar os céus.

Os deuses avisaram-no que ele nada podia diante do poder deles. O rei não se abalou com o aviso, seguindo até a Grécia e atacando Atenas. Durante a batalha, o rei foi novamente avisado pelos deuses que nada podia diante do poder deles, e que a vitória seria de Atenas.

E assim foi, além de perder a guerra o rei foi castigado duramente, pois terríveis tempestades, terremotos e maremotos destruíram por completo Atlântida.

Séculos e mais séculos se passaram sem que alguém pudesse localizar o local onde um dia existira Atlantida.

Um dia, a Virgem Maria estava debruçada nos céus, sobre o oceano, sentada em uma nuvem. São Silvestre aproximou-se para falar com ela.

Era a última noite do ano e São Silvestre achava que deveria ser uma noite especial, com um significado diferente para os homens, marcando uma fronteira entre passado e futuro, um momento propício para o arrependimento do que fizeram de errado e de esperança por um futuro melhor.

Ao ouvir o que pensava São Silvestre, A Virgem Maria achou a idéia muito boa. Foi então que revelou a ele o que fazia ali sentada observando o oceano, com certa tristeza. Estava lembrando da bela Atlântida, que fora destruída pelos erros e pecados de seus habitantes.

Conforme falava de Atlântida, a Virgem Maria deixou cair lágrimas de profunda tristeza e misericórdia. É que apesar do castigo ao povo da Atlântida a humanidade não havia aprendido a lição, e continuava cometendo os mesmos erros. SãoA Silvestre estava comovido com as palavras e a tristeza da Virgem Maria.

Observando-a percebeu que suas lágrimas não eram simples lágrimas, eram na verdade pérolas que caíam dos olhos da Virgem.

Um destas pérolas-lágrimas, caiu exatamente no local onde antes, no vasto oceano, existiu a Atlântida.

Esta pérola acabou por dar origem à Ilha da Madeira, que é conhecida como Pérola do Atlântico.

Dizem os mais velhos que por muito tempo, nas noites de fim de ano, ao dar a meia noite, surgia nos céus um verdadeiro espetáculo de luzes e cores fantásticas, que perfumavam o ar com um aroma estonteante.

O tempo foi passando, e estas luzes e cores deixaram de aparecer. Mas os homens, para recordar este fenômeno passaram a usar os fogos de artifício para celebrar a Noite de São Silvestre.

Fonte: imaginacaoativa.wordpress.com

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

Embora seu nome se confunda com a própria história da corrida de rua mais famosa do País, poucas pessoas sabem quem foi o santo, cuja festa acontece no último dia do ano.

Natural de Roma, São Silvestre foi papa e governou a Igreja de 314 a 355 d.C, ano em que morreu, exatamente no dia 31 de dezembro. A Igreja Católica escolheu esta data para canonizá-lo.

Em seu pontificado, São Silvestre estabeleceu novas bases doutrinais e disciplinares colocando a Igreja em um novo contexto social e político. Ocorreu o entrosamento entre o clero e o Estado.

Com o Edito de Milão, o cristianismo passou a ser a religião oficial do Império Romano, na época governado por Constantino Magno.

Com essa aliança, os cristãos puderam professar abertamente sua crença e a Igreja saiu de um período de perseguição que já se arrastava por 300 anos.

Uma das grandes realizações do papa Silvestre foi o concílio ecumênico de Nicéia, em 325, que definiu a divindade de Cristo.

O curioso é que a assembléia foi convocado pelo próprio Constantino, o que mostra sua influência nos assuntos eclesiásticos. Foram elaborados ainda os de Arles e Ancira.

São Silvestre foi um dos primeiros santos não-mártires cultuados pela Igreja. Ele é lembrado por promover a renovação do espírito e como protetor dos seguidores mais fiéis de Cristo.

Os feitos do santo do último dia do ano em defesa da fé não param por aí. Com a ajuda do imperador, São Silvestre construiu as basílicas de São Pedro sobre o túmulo do apóstolo, a Lateranense _ que se tornou a residência dos papas _ e a de São Paulo.

Existem apenas três paróquias dedicadas a São Silvestre no Brasil. A maior delas está localizada no distrito de São Silvestre, que faz parte de Jacareí, no Vale do Paraíba (SP); as outras ficam em Viçosa (MG) e Maringá (PR).

Fonte: www.aminharadio.com

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

São Silvestre I (Pontificado: 314 - 355)

São Silvestre encerra o ano civil. Ele encerra também , na história da Igreja uma época importante e inicia uma nova era. Durante três séculos a Igreja de Deus esteve exposta às mais cruéis perseguições.

O império romano empregava todo o seu poder para aniquilar o reino de Deus; o sangue corria em torrentes. Esforçavam-se em regra para inventar novos tormentos. Além disso, astúcia, lisonja, seduções, tudo quanto pode cegar os sentidos, tudo o que a arte e a ciência terrenas podem proporcionar, estava a serviço desta luta - e tudo debalde. A Igreja permaneceu ilesa, a despeito de todos os planos, afrontando tudo. Os seus membros morriam aqui e ali, mas a Igreja continuava a viver, e sempre novos elementos entravam, para preencher as lacunas. Por fim o império romano se curvou diante de Cristo e colocou a Cruz sobre o seu diadema e o sinal de Cristo sobre a água de suas legiões. Cristo tinha vencido na possante peleja, e o Papa Silvestre I viu como tudo mudava. Viu o suplício da cruz ser abolido. Viu cristãos confessarem livre e francamente a sua fé e erigirem casas de Deus. Viu o próprio imperador Constantino edificar o palácio (Lateranense), que durante muitos séculos foi a residência do Vigário de Cristo.

Sobre a vida interior exterior do Papa S. Silvestre a história muito pouco de positivo revela, se bem que como certo afirme, que tenha ele sido a alma dos grandes acontecimentos verificados no seu longo Pontificado.

Segundo o testemunho de historiadores fidedignos Silvestre nasceu em Roma, filho de pais ótimos cristãos, que bem cedo o confiaram aos cuidados do sacerdote Cirino, cujo preparo intelectual e exemplo de vida santa fizeram com que o discípulo adquirisse uma formação extraordinariamente sólida cristã. Estava ainda em preparação última, isto é, a décima e de todas as mais bárbaras das perseguições dioclesianas, quando Silvestre, das mãos do Papa Marcelino, recebeu as ordens sacerdotais. Teve, pois, ocasião de presenciar os horrores desta investida do inferno contra o Reino de Cristo. Pode ele ser e foi testemunha ocular do heroísmo das pobres vítimas do furor desmedido do tirano coroado. Em 314, por voto unânime do povo e do clero foi proposto para ocupar a cadeira de São Pedro, como sucessor do papa Melquíades.

Com a vitória do cristianismo e a conversão do imperador Constantino viu-se o Papa diante da grande tarefa de, por meio das sábias leis, introduzir a religião cristã na vida dos povos, dando-lhe formação concreta e definitiva. A paz, infelizmente não foi de longa duração. Duas terríveis heresias se levantaram contra a Igreja, arrastando-a para uma luta gigantesca de quase um século de duração. Foi a dos Donatistas, que tomou grande incremento na África. A Igreja, ensinavam eles, deve compor-se só de justos; no momento em que seu grêmio tolera pecadores, deixa de ser a Igreja de Cristo. O batismo administrado por um sacerdote que em estado de pecado se acha, é inválido. Um bispo, se estiver com um pecado na alma, não pode crismar nem ordenar sacerdotes. Caso que administrar estes sacramentos, são eles inválidos.

Pior e mais perigosa foi a outra heresia, propalada pelo sacerdote Ario, da Igreja de Antioquia. Doutrinava este heresiarca que a Jesus Cristo, Filho de Deus feito homem, faltavam as atribuições divinas; isto é, não era consubstancial ao Pai, portanto não era Deus, mas mera criatura, de essência diversa da do Pai e de natureza mutável.

Tanto contra a primeira como contra a segunda o Papa Silvestre tomou enérgica atitude. A dos Donatistas foi condenada no Concílio de Arles. O arianismo teve sua condenação no célebre Concílio de Nicéia (325), ao qual compareceram 317 bispos.

O Papa Silvestre, já muito idoso pessoalmente não podendo comparecer à grande Assembléia, fez-se nela representar por dois sacerdotes de sua inteira confiança, que em seu lugar presidiram as sessões.

Estas terminaram com a soleníssima proclamação dogmática da fórmula: " O Filho é consubstancial ao Pai; é Deus de Deus; Deus verdadeiro de Deus Verdadeiro; gerado, não feito, da mesma substância com o Pai".

As resoluções do Concílio o Papa Silvestre as assinou. Na presença de 272 bispos foram as mesmas em Roma solenemente confirmadas. Esta cerimônia teve lugar diante da imagem de Nossa Senhora Alegria dos Cristãos, cujo altar, em sinal de gratidão à Maria Santíssima o Papa mandara erigir logo que as perseguições tinham chegado ao seu termo.

Sobre o túmulo de São Pedro, o Papa, auxiliado pelo imperador, construiu a magnífica basílica vaticana, com suas oitentas colunas de mármore, templo que durante 1100 anos via chegar milhares e milhares de peregrinos provenientes de todas as partes do mundo, ansiosos de prestar homenagens ao "Rochedo", sobre o qual Cristo tinha edificado a sua Igreja - até que deu lugar à atual grandiosa Basílica de São Pedro.

Durante seu Pontificado, o Papa Silvestre governou a Igreja de Deus dando sobejas provas de prudência e sabedoria, glorificando-a com as virtudes de uma vida santa e apostólica.

Reflexões

As coisas sempre se repetem na história. Plena paz sobre toda a terra o reino de Deus jamais desfrutou. O inferno tem-lhe ódio demais para o deixar sossegado.

Há de empregar sempre o seu poder para combater contra este reino. Despertará ora aqui, ora ali, perseguidores, que recomeçarão a obra dos antigos imperadores romanos e sempre com o mesmo êxito.

Não estamos vendo em nossos dias como se persegue a Igreja violentamente?

Muitos hão de tremer e exclamar: Aonde vai parar isto? Assim grita também aquele que, pela primeira vez, assiste a uma tempestade no mar. Quando vê as ondas se elevarem à altura de uma casa, quando o navio é atirado ora para este, ora para aquele lado, ora sobe para o céu, ora parece precipitar-se no abismo, ele julga que tudo está perdido, que chegou a sua última hora. O piloto experiente, por'm, senta-se calmamente em seu posto e dirige o navio, apesar do tumulto da tempestade e eis que o temporal amaina e depois do perigo passado a viagem é tanto mais bela.

Quem sabe o que traz o ano novo? E se trouxer luta e perseguição, Deus vive ainda mais nos tempos antigos. E vem de novo um Papa como Silvestre, que vê as lutas já passadas e se senta em paz sobre a Sé de Pedro. Jamais devemos tornar-nos pusilânimes. Não confiemos em nossa força; o nosso auxílio está no Nome do Senhor, que criou o céu e a terra.

Na verdade, não devemos por isso cruzar os braços e pensar: Deus há de arranjar isso. Certamente Deus há de arranjar tudo; mas Ele quer que nós também façamos o que de nós depende e quer abençoar nosso trabalho. Ele quer que defendamos com fidelidade e firmeza a nossa Igreja; quer que tomemos parte em todas as suas lutas e seus sofrimentos, que pelejemos juntamente com ela, para com ela vencer. Ele quer abençoar, mas quer também que o lavrador plante e cultive. Se o mesmo deixa de fazê-lo, a bênção de Deus é em vão, o campo só produz erva daninha. E se o homem ou o povo deixa de viver com a Igreja, esta certamente não perecerá, a Palavra do Senhor no-lo garante, mas aquela parte pode muito bem ser devastada. Não temos os mais tristes exemplos na Ásia e na África? Aqueles países em torno do Mediterrâneo, que pertenciam ao Império Romano, eram por assim dizer, o jardim da Igreja.

Basta lembrar-nos de Atanásio, Basílio, Crisóstomo, Cipriano e Agostinho! Onde a Igreja produziu mais belas flores? E agora? Agora tudo é deserto. Por que?

Porque os povos não tinham vivo interesse pela Igreja, não a defendiam, não viviam, não amavam, não sofriam, não lutavam com ela. Assim acontece sempre e por toda a parte. Por isso, permaneçamos fiéis à nossa Igreja! Defendamo-la decididamente!

A Vós, adorável Senhor, recomendamos a vossa Santa Igreja no ano novo!

Guardai-a sob vossa proteção! Amparai-a e dai-lhe paz! Abençoai seu trabalho junto dos seus filhos e também das ovelhinhas que ainda não estão no aprisco do Divino Pastor, mas precisam ainda ser trazidas para aí. Protegei e esclarecei nossos bispos, sacerdotes, religiosos e religiosas e todos aqueles que se consagraram ao vosso serviço.

Amém!

Fonte: www.paginaoriente.com

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

Papa São Silvestre I

Data de nascimento desconhecida; morreu em 31 de dezembro de 335.

De acordo com o "Liber pontificalis" (ed. Duchesne, I, 170), era filho de um romano chamado Rufinus; segundo a lendária “Vita beati Sylvestri” sua mãe se chamava Justa. Após a morte de Miltiades (Melchiades), Silvestre foi feito bispo de Roma e ocupou o posto por 21 anos.

Era a época de Constantino, o Grande, quando a posição pública da Igreja melhorou muito, uma mudança que certamente deve ter sido bastante divulgada em Roma; consequentemente, deve-se lamentar que haja tão pouca informação oficial a respeito do pontificado de Silvestre.

Dia de São Silvestre
Papa Sao Silvestre

Uma lenda antiga coloca-o em relações próximas com o primeiro imperador cristão, mas de um modo contrário aos fatos históricos.

Estas lendas foram apresentadas principalmente na "Vita beati Sylvestri" (Duchesne, loc. cit., Introd., cix sq.), que foi publicada no oriente e preservada em grego, siríaco e latim na "Constitutum Sylvestri"— um relato apócrifo de um suposto concílio romano que pertence às falsificações de Simanco e apareceram entre 501 e 508, e também nas “Donatio Constantini”.

Os relatos desses escritos sobre a perseguição sofrida por Silvestre, a cura e o batismo de Constantino, o presente do imperador ao papa, os direitos garantidos à posteridade e o concílio de 275 em Roma são totalmente lendários.

O papa, entretanto, tomou parte nas negociações a respeito do arianismo e do Concílio de Nicéia e a expressão‘omooúsion estava provavelmente acordada com ele antes do Concílio.

O pontífice também enviou legados para o primeiro concílio ecumênico.

Todavia, não é certo se Constantino planejou de antemão com Silvestre a respeito da efetiva convocação do concílio, nem se havia uma confirmação papal sobre os decretos além das assinaturas dos legados do papa (cf. Funk in "Kirchengesch.

Abhandlungen und Untersuchungen", I, 95, 501 sq.).

Durante o pontificado de Silvestre foram construídas as grandes igrejas iniciadas em Roma por Constantino, como a basílica e o batistério de Latrão nos arredores do antigo palácio imperial onde o Papa vivia, a Basílica do palácio Sessoriano (Santa Croce), a Igreja de São Pedro no Vaticano, e diversas igrejas em cemitérios sobre os túmulos de mártires.

Não há dúvida de que o papa promoveu a construção dessas igrejas.

A memória de Silvestre é particularmente ligada à Igreja de Equitius, que tem esse nome por causa de um presbítero romano que, segundo é contado, erigiu esta igreja em sua propriedade. Estava situada nos arredores das termas de Diocleciano e ainda existe.

Partes da construção atual podem ser datadas do século quarto. Certamente o Papa contribuiu para o desenvolvimento da liturgia da Igreja em Roma. Além disso, durante seu reinado, provavelmente, foi redigido o primeiro martirológio dos mártires romanos.

Silvestre também está ligado à fundação da escola romana de canto. Na Via Salaria construiu uma igreja sobre a catacumba de Priscila, ruínas que posteriormente foram descobertas.

Foi enterrado nesta igreja. No"Depositio episcoporum", ou lista dos dias de falecimento dos bispos romanos, compilada por volta de um ano após a sua morte, sua festa celebra-se no dia 31 de dezembro.

A mesma data é apresentada no “calendário” de Philocalus. Portanto, esse dia é, sem dúvida, o de seu sepultamento.

Fonte: www.ecclesiae.com.br

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

São Silvestre, Papa

Este Santo Padre exerceu seu pontificado na época em que Constantino decretou a liberdade para os cristãos, dando alto às perseguições.

O imperador Constantino deu de presente a São Silvestre o palácio do Letrán em Roma, e após esteve ali a residência dos Pontífices.

Também teve este Pontífice a sorte de poder construir a antiga Basílica de São Pedro no Vaticano, e a primeira Basílica do Letrán.

Durante seu Pontificado se reuniu no Concílio de Nicéia (ano 325), no qual os bispos de todo o mundo declararam que quem não crê que Jesus Cristo é Deus, não é católico.

Compuseram ali o Credo de Nicéia. Dizem que a São Silvestre correspondeu à honra de batizar a Constantino, o primeiro imperador cristão.

O Pontificado de São Silvestre durou 20 anos. Morreu em 31 de dezembro do ano 335.

Fonte: www.acidigital.com

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

No dia de São Silvestre ocorre importante corrida internacional em SP

O dia 31 de dezembro é especial e muito interessante. Além de ser o último dia do ano - cheio de expectativas pelo período que começa -, é quando se faz uma homenagem a São Silvestre ou São Silvestre 1º - santo católico que se tornou papa em 314 d.C.

Ele nasceu em Roma. Naquela época, os cristãos não tinham liberdade para professar sua religião publicamente. Com a ajuda de São Silvestre, o imperador Constantino decidiu conceder liberdade de culto para os cristãos, até que ele próprio tornou-se cristão.

São Silvestre ajudou também a criar as bases do pensamento e da doutrina daA Igreja Católica. Enquanto ele era papa, foi realizado o famoso Concílio de Nicéia - reunião em que os católicos reafirmaram a divindade de Jesus Cristo.

Foi também o papa Silvestre quem auxiliou na construção das primeiras basílicas, para que o povo cristão pudesse se reunir, como a Basílica de São Pedro, construída na colina do Vaticano.

São Silvestre 1º foi papa durante mais de vinte anos, até morrer no dia 31 de dezembro de 335 d.C. Também em um dia 31 de dezembro, o papa Sivestre 1º foi canonizado.

Corrida de São Silvestre

A famosa corrida internacional do dia 31 de dezembro, na cidade de São Paulo, recebeu o nome de São Silvestre em homenagem ao antigo papa.

Dia de São Silvestre
O percurso da corrida

A iniciativa deve-se ao jornalista Cásper Líbero, que idealizou o evento. A primeira prova de São Silvestre foi realizada em 1925, em São Paulo. Apenas 48 pessoas participaram. A corrida ficou tão famosa que, em 2004, mais de 15 mil pessoas se inscreveram.

Em 1928, Cásper Líbero fundou o jornal "A Gazeta Esportiva", que até hoje é o patrocinador oficial do evento. Nas primeiras provas, os corredores atravessavam o ano correndo e chegavam na linha de chegada já no ano seguinte, pois a corrida era noturna e terminava poucos minutos depois da meia-noite do dia 31. Depois, a prova começou a obedecer à regulamentação da Federação Internacional de Atletismo, passando a começar às 15h (mulheres) e às 17h (homensA). A distância também se tornou fixa, com 15 km.

Em 1953, a corrida passou a fazer parte do calendário internacional, tornando-se uma das provas mais importantes do mundo. Todo grande corredor de longa distância já participou da São Silvestre.

Fonte: educacao.uol.com.br

Dia de São Silvestre

31 de Dezembro

Papa Silvestre I

São Silvestre I foi Papa entre 31 de Janeiro de 314 até 31 de dezembro de 335, durante o reinado do imperador romano Constantino I, que determinou o fim da perseguição aos cristãos, iniciando-se a Paz na Igreja.

Silvestre I foi um dos primeiros santos canonizados sem ter sofrido o martírio.

Festa em 31 de Dezembro.

Vida

Silvestre I enviou emissários para presidirem ao sínodo de Arles (314) e ao Primeiro Concílio de Niceia (325), convocados por Constantino, a sua ausência é motivo de debate, provavelmente deve-se ao seu estado de saúde.

Durante o seu pontificado a autoridade da Igreja foi estabelecida e se construíram alguns dos primeiros monumentos cristãos, como a Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém, e as primitivas basílicas de Roma (São João de Latrão e São Pedro), bem como das igrejas dos Santos Apóstolos e de Santa Sofia em Constantinopla.

Atribui-se em geral a conversão de Constantino a uma visão que terá tido antes da batalha da ponte de Milvius (312).

Mas a tradição medieval, também teria dito que o imperador teria lepra incurável, e logo que Silvestre o batizou por imeArsão numa piscina ficou imediatamente curado.

Esta versão porém não tem fundamento, pois sabe-se que Constantino foi batizado ao fim de sua vida, com a intenção de perdoar seus pecados, por Eusébio, bispo de Nicodemia.

Referências

1. César. Constantino I. Série de Documentários da TV Escola sobre os imperadores romanos. 2008.

Precedido por Melquíades

Dia de São Silvestre
Papa 33.º

Sucedido por Marcos

Silvestre I

33.º Papa

Dia de São Silvestre

Nome de nascimento: desconhecido

Nascimento: Roma, 285

Eleição: 31 de Janeiro de 314

Fim do pontificado: 31 de Dezembro de 335

Predecessor: Melquíades

Sucessor: Marcos

Fonte: pt.dofollow.be

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal