Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia Mundial do Mágico  Voltar

Dia Mundial do Mágico

31 de Janeiro

A arte de iludir já foi chamada de escapismo e cria ilusões que surpreendem, escapam à lógica e enganam os nossos sentidos, em geral a visão.

Por isso, se diz que as mãos de um mágico devem ser mais rápidas do que os olhos de quem está assistindo ao número.

Esta data foi escolhida em homenagem a São João Bosco, padroeiro dos mágicos, falecido em 31 de janeiro de 1888.

Conta-se que, quando menino, ele ajudava a família trabalhando como acrobata, malabarista e mágico.

Mas quem popularizou a arte foi Harry Houdini (1874-1926), o mais famoso mágico de todos os tempos.

Sua habilidade impressionante para libertar-se de algemas e correntes, até debaixo d’água, entre outros truques, conquistou grandes platéias em todo o mundo.

Fonte: www.ftd.com.br

Dia Mundial do Mágico

Os mágicos são pessoas que deixam a gente com uma curiosidade danada. Isso porque eles conseguem realizar grandes truques, que, aos nossos olhos, parecem impossíveis, como serrar uma pessoa ao meio, fazê-la desaparecer ou até, transformá-la em um animal.

No dia 31 de janeiro é comemorado o Dia do Mágico, este artista que faz muito mais do que tirar coelhos da cartola ou fazer desaparecer um lenço.

Dia Mundial do Mágico

A data é em homenagem a São João Bosco, padroeiro dos mágicos, que, segundo a tradição, era também um mágico. Quando era jovem, o religioso ajudava nas despesas da família trabalhando como acrobata, malabarista e mágico.

Após as apresentações, ele repetia a homilia que havia escutado na igreja pela manhã e convidava os presentes a rezar o terço. Dom Bosco morreu em 31 de janeiro de 1888 na cidade de Turim, na Itália, e foi canonizado em 1934 pelo papa Pio XI.

A magia sempre esteve presente na história da humanidade. O homem pré-histórico desenhava animais nas cavernas, como se assim os pudessem materializar. A isso os pesquisadores chamam de realismo mágico.

Ao longo do tempo, o conceito de magia foi evoluindo. A arte de iludir, que já foi chamada de escapismo, é usada hoje, basicamente, como entretenimento. Ela cria ilusões que surpreendem, sobretudo porque o mágico faz algo que escapa à lógica comum, como se tivesse poderes sobrenaturais.

Quem popularizou essa arte foi Harry Houdini, o mais famoso mágico de todos os tempos. No início do século XX passou a viajar pelo mundo apresentando seus truques para platéias cada vez maiores.

No final do século, foi a vez dos mágicos da televisão. David Copperfield inaugurou a era do ilusionismo televiso exibindo truques em programas de auditório e trazendo novo fôlego à arte mágica. Posteriormente, surgiriam mágicos performáticos como David Blane, ou polêmicos como Mister M, que polemizou ao revelar o segredo de vários truques famosos.

Mas o encanto desta arte está também nos artistas que fazem a magia acontecer no dia-a-dia, fazendo objetos aparecerem na sua mão ou entortando colheres à distância.

Fonte: www.jornalpontofinal.com.br

Dia Mundial do Mágico

No dia 31 de Janeiro, Dia Internacional dos Mágicos, reverenciamos a memória de São João Bosco, o Patrono dos Mágicos.

No dia 31 de janeiro de 1888 faleceu, na Itália, São João Bosco, Patrono Universal dos Mágicos. Dom Bosco nasceu na cidade de Becchi, norte da Itália. Ele era filho de camponeses pobres da Vila Castelnuovo D´Asti, hoje denominada Castelnuovo Dom Bosco, em sua homenagem.

Dia Mundial do Mágico

Muito cedo perdeu seu pai, quando estava com 2 anos de idade e sua mãe, Dona Margarida, conseguiu, com muito sacrifício, lhe dar uma boa educação e uma ótima instrução religiosa.

Aos 20 anos, Dom Bosco entrou para o Seminário e com 26 anos já rezava sua primeira missa. Daí em diante viveu inteiramente dedicado às crianças e aos jovens, aos órfãos e abandonados que ele com muito amor e dedicação recuperava para a sociedade, tornando-os úteis depois de dar-lhes uma profissão.

Por isso, ele recebeu de um Cardeal Arcebispo a denominação de Orphanorum Pater , Pai dos órfãos.

Em 1845 ele fundou a Congregação Salesiana e a Congregação das Filhas de Maria Auxiliadora. Em 1877 ele iniciou o Boletim Salesiano, que atualmente é publicado em 29 idiomas, com mais de um milhão e quinhentos mil exemplares de tiragem mensal.

Além de mágico ele era acrobata e malabarista. Ele utilizava estas habilidades para atrair a atenção das pessoas na porta de sua casa, convidando a todos em seguida para rezarem o terço, seguido de sua alegre pregação.

Dom Bosco foi canonizado em 1934 e em 1988 recebeu do Papa João Paulo II o título de Pai e Mestre da Juventude. Quando Dom Bosco faleceu, existiam cento e cinquenta estabelecimentos de caridade, os quais abrigavam mais de trezentas mil pessoas.

As últimas palavras de Dom Bosco foram: Façamos o bem a todos e o mal a ninguém.

Fonte: universidadedamagica.com.br

Dia Mundial do Mágico

Nesta data o santo padroeiro da categoria faleceu, Dom João Bosco.

O santo virou padroeiro dos mágicos, pois ajudava nas despesas familiares trabalhando de acrobata, malabarista e mágico.

Depois das apresentações, ele fazia uma oração e convidava aos espectadores a rezar o terço. Dom João Bosco foi canonizado em 1934 pelo papa Pio XI.

A profissão de mágico desperta uma grande curiosidade pelos truques que, aos olhos humanos, parecem impossíveis, como serrar uma pessoa ao meio ou transformar alguém em um leão.

Apesar de ter sua imagem sempre ligada ao circo, existem mágicos e ilusionistas famosos que se criaram longe do picadeiro.

David Copperfield tem sua vida parecida com a de Dom João Bosco.

Desde pequeno, ele fazia pequenas mágicas e truques para ajudar com os gastos de sua família.

Mas aos 19 anos já estrelava na televisão com um programa, O mundo mágico de David Copperfield . Ele foi o primeiro mágico a se apresentar na Broadway.

Um dos mágicos mais controversos que existem é o famoso Mister M.

Ele estrelou em 1996 um programa na Fox que revelava os segredos dos mágicos.

Por causa da represália da categoria, e para fazer um pouquinho de mistério, Mister M usa uma máscara para não ser reconhecido.

No Brasil, ele fez muito sucesso pela TV Globo que transmitia todos os domingos no Fantástico seus shows de revelações.

Fonte: Planeta Educação

Dia Mundial do Mágico

A história conta que um jovem padre italiano fazia acrobacias, malabarismos e mágicas antes de suas missas para atrair os fiéis. Sua irreverência surtiu efeito e ele foi ficando mais e mais conhecido.

Dom Bosco faleceu em 31 de janeiro de 1888 e, em sua homenagem, a data foi adotada como o Dia Internacional do Mágico.

Segundo o mágico Fernando Árias, os tipos de mágica podem ser comparados à medicina, ou seja, existem várias especialidades em que um profissional da área pode aprofundar seus conhecimentos.

"Há o mágico infantil, o que dá palestras motivacionais em empresas, o que faz a cartomagia - exclusivamente com cartas de baralho - e o close-up, que fica bem perto e interage com o espectador, entre outros", diz.

Árias frisa que um mágico é bem diferente de um ilusionista. Enquanto o primeiro faz seus números sozinho, apenas com o que tem disponível no momento, o outro requer equipamentos e um grupo de pessoas para elaborar um show.

Um exemplo de ilusionista é o americano David Blaine, que já realizou as façanhas de ser enterrado vivo por sete dias e ficar 60 horas pendurado por um cabo de cabeça para baixo.

Dia Mundial do Mágico

Mágicos no cinema

No filme "O Ilusionista", Edward Norton interpreta Eisenheim, rapaz no início do século XX que se apaixona por Sophie (Jessica Biel), uma mulher da nobreza da cidade de Viena, na Áustria. O amor deles é proibido e ele é mandado para longe. Tempos depois ele volta à cidade como um famoso mágico, mas Sophie está noiva de um membro da realeza. Eisenheim então usa seu poder para libertá-la do casamento e com isso causa grandes problemas. O final é surpreendente e tira o fôlego de todos que assistem ao filme.

Em "O Grande Truque", a trama se passa em Londres no fim do século XIX. Robert Angier (Hugh Jackman), e sua esposa Julia são amigos e assistentes do mágico Alfred Borden (Christian Bale). Julia more acidentalmente durante um número e Robert culpa Alfred pelo ocorrido. Logo, eles se tornam mágicos famosos - e inimigos, a ponto de um sabotar a performance do outro no palco.

Mágicos famosos

Harry Houdini é o nome artístico de um dos maiores ilusionistas dos Estados Unidos. Nascido em 1874, começou a fazer números simples de mágica ainda na juventude. Primeiramente se interessou por algemas, e logo as incluiu em seu repertório. O ilusionista oferecia recompensas àqueles que conseguissem prendê-lo, fosse com algemas ou com outros objetos.

Houdini escapava de algemas, camisas de força, celas de cadeia, caixas de madeira, entre outros. Na maioria das fugas, após exames posteriores, nunca foi encontrado traço de como ele conseguia se soltar.

Após uma apresentação, o ilusionista recebeu a visita de um rapaz que lhe perguntou se aguentaria murros no estômago, como ele havia ouvido falar. Antes que Houdini pudesse se preparar, o rapaz o golpeou e rompeu seu apêndice, o levando a morrer quase uma semana depois.

Já Mister M ficou conhecido no Brasil em por conta de um quadro do programa "Fantástico" (TV Globo), em 1999. Escondido por uma máscara, ele revelava segredos de vários truques de mágica e criava polêmica entre os profissionais do ramo. Mais tarde, acabou revelando seu rosto, mas não fez o mesmo sucesso de antes.

Fonte: www.dgabc.com.br

Dia Mundial do Mágico

O Dia Mundial do mágico é comemorado a 31 de janeiro, em homenagem a São João Bosco, padroeiro dos mágicos, que faleceu nesta data, em 1888, e a Trensurb vai homenagear estes profissionais com uma programação especial, que começa às 9h30min, na Estação Mercado.

Através de uma parceria com a Associação dos Mágicos do RS (AMA), o Setor de Relações Comunitárias (Serel) da empresa organizou uma viagem mágica para os usuários do metrô, até Canoas, ida e volta.

Dois mágicos e um ilusionista (o ilusionista Lúcio Alves e os mágicos Mr. Jean e Mr. Hector) farão apresentações, interagindo com os usuários, mostrando alguns de seus truques durante o trajeto.

Quando era menino, João Bosco ajudava nas despesas de casa trabalhando com acrobacias, malabarismos e mágica.

Depois das apresentações, ele sempre fazia orações.

Mas o encanto desta arte está também nos artistas que realizam a magia no dia-a-dia, fazendo objetos sumirem e reaparecerem na sua mão, ou entortando colheres à distância.

Ao longo do tempo, o conceito de magia foi evoluindo.

Esta arte, que já foi chamada de escapismo, é usada hoje, basicamente, como entretenimento.

Ela cria ilusões que surpreendem, sobretudo, porque o mágico faz algo que escapa à lógica comum, como se tivesse poderes sobrenaturais.

Fonte: www.trensurb.com.br

Dia Mundial do Mágico

31 de Janeiro

Dia do mágico homenageia mestres da arte de criar ilusões

Tirar um coelho da cartola, fazer aparecer uma pomba, descobrir uma carta no baralho, tirar moedas de trás da orelha, serrar uma pessoa ao meio, fazer bolinhas aparecerem dentro da mão fechada. Tudo isso o mágico faz para entreter, divertir e iludir a platéia..

No dia 31 de janeiro é comemorado o Dia do Mágico. A data é a da morte de São João Bosco, que, segundo a história, também era mágico - e foi escolhido para ser o padroeiro desses profissionais.

Se você pretende ser um mágico

Nunca explique como um truque é feito. O mistério é tudo. Se a platéia souber o segredo, perderá o interesse e o truque ficará sem graça.

Antes de executar o truque, não diga o que você irá fazer. O elemento surpresa é fundamental para causar impacto. A platéia não saberá, antes da hora, em que prestar atenção.

Evite repetir um truque para um mesmo espectador. Ele terá mais chances de perceber o que você está fazendo.

Sempre pratique cada truque antes de apresentá-lo. De preferência, treine em frente a um espelho. Quando você se sentir seguro, estará pronto para enfrentar o público.

Truques que ficaram na história

O mais famoso profissional da arte de iludir de todos os tempos foi Harry Houdini. Tanto, que seu nome ainda é sinônimo de mágico. Começou a fazer truques com cartas de baralho e se apresentava em parques de diversão, nos Estados Unidos, no fim do século 19.

No início do século 20, ele viajou pelo mundo apresentando números nos quais se libertava, diante do público, de algemas, cordas, correntes e cadeados, fechado dentro de caixas ou tanques. Conseguia ficar vários minutos sem respirar dentro d'água e chegou a representar seus truques para o cinema.

David Copperfield, mais recentemente, popularizou a mágica ao se exibir em programas de auditório e de televisão. E quem não se lembra do polêmico Mister M, que revelava o segredo de seus truques, quebrando a regra de ouro dos mágicos?

Já o pai da mágica no Brasil é João Peixoto dos Santos, um mineiro da cidade de Formiga. Ele aprendeu a técnica com mágicos árabes que viajavam pelo país e aos dezenove anos foi estudar para se aperfeiçoar em Paris. Escreveu livros sobre essa arte, que foram traduzidos em diversas línguas.

Fonte: educacao.uol.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal