Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Dia da Aeromoça  Voltar

Dia da Aeromoça

 

31 de Maio

A profissão – Aeromoça | Comissaria ou Comissario de Vôo

A(o) Comissaria(o) de Vôo(a)/Aeromoça é, antes de tudo, um agente de segurança. Preparado para qualquer emergência, este profissional zela pela tranquilidade e conforto dos passageiros. Além, claro, de fazer o atendimento de bordo durante o vôo.

A aviação hoje em dia tem as portas abertas para todos, sem discriminação, e possibilita até formar os profissionais, uma vez que não se exige experiência. Já o sucesso profissional depende do esforço e dedicação de cada um, assim como em qualquer carreira.

São várias as vantagens de atuar nesta área. Entre elas estão: salário atrativo (ganhos iniciais de R$ 2.000, em média), muitos benefícios, possibilidade de conhecer o mundo todo e de ter contato com culturas e pessoas de todos os tipos. A aeromoça ou comissaria(o) não paga passagem quando quer viajar a lazer e este benefício é também para alguns familiares. Além de tudo isso, o glamour da profissão ainda continua.

Mercado e as perspectivas – Aeromoça | Comissaria ou Comissario de Vôo

A(o) comissaria(o) ou aeromoça pode atuar em companhias aéreas nacionais e internacionais. A carreira internacional, claro, é a mais promissora, pois permite que o profissional adquira cultura de várias partes do mundo e financeiramente também é melhor.O mercado está cada vez mais aquecido. As companhias nacionais estão expandindo suas rotas, outras entrando no mercado, e, como mais pessoas hoje em dia estão voando, a demanda por profissionais é constante. As empresas internacionais também fazem recrutamentos com muita frequência e estão sempre em busca de Comissários brasileiros, que são os mais bem preparados do mundo.

Um comissário hoje tem ganhos iniciais na faixa de R$ 2.000. Já um profissional experiente, atuando em uma companhia aérea internacional, pode chegar a ganhar US$ 2.500 (quase R$ 5.000).

A história da profissão de Aeromoça e comissário de bordo

Dia da Aeromoça

A profissão de comissário de bordo ou aeromoça para mulheres, surgiu em 1930 por reivindicação de uma mulher, Ellen Church (na foto à esquerda). Apaixonada por aviação e por não poder pilotar uma aeronave por ser mulher, a enfermeira sugeriu à Boeing Air Transport que colocasse enfermeiras a bordo dos aviões para cuidar da saúde e segurança dos passageiros durante o voo.

As primeiras moças contratadas deveriam ser solteiras, não terem filhos, obedecer a um padrão de peso e altura, porém possuiam salários muito baixos. A idéia fez muito sucesso, pois as mulheres a bordo passavam segurança aos passageiros, já que a mulher era considerada uma figura de fragilidade, e tendo mulheres trabalhando a bordo passava a idéia aos viajantes de que o avião não era tão perigoso quanto pensavam.

Devido a Segunda Guerra Mundial e com a convocação das enfermeiras para os campos de batalha, as companhias aéreas então começaram a colocar mulheres de nível superior a bordo. Tudo isso sem perder o charme e a elegância, já que esta profissional representaria a empresa. A profissão se popularizou e perdeu o símbolo sensual que possuía. Foi então que surgiu o “comissário“.

Hoje é uma das profissões que mais cresce no Brasil, devido a ascensão da aviação brasileira e o baixo custo de passagens aéreas.

Fonte: www.ceabbrasil.com.br

Dia da Aeromoça

31 de Maio

Em 1930, S. A. Stimson, presidente da companhia aérea Boeing Air Transport, idealizou a profissão de aeromoça. Ele criou uma equipe de anfitriãs aéreas que tinham conhecimentos de enfermagem. Em 15 de maio de 1930, oito aeromoças começaram a trabalhar na rota Oakland-Cheyenne.

comissário de vôo ou comissária, mais conhecida como aeromoça, é o tripulante de aeronaves comerciais, responsável pelo bem estar e segurança dos passageiros. Esta área de atuação profissional é o sonho de muitas moças em todo o mundo, pois traz a possibilidade de uma carreira consolidada, garantindo um futuro estável por um baixo custo e em curto prazo.

Fonte: Guia dos curiosos

Dia da Aeromoça

31 de Maio

ABRACE OS CÉUS DO MUNDO!

Aeromoça / Comissário de Vôo

Auxiliar do comandante da aeronave, encarregado do cumprimento das normas relativas à segurança (procedimentos normais e de emergência), do atendimento aos passageiros a bordo e da guarda de bagagens, documentos, valores e malas postais que lhe tenham sido confiados pelo comandante.

Veja como fazer acontecer PASSO A PASSO :

Para obtenção da Licença de Comissário de Vôo, você terá de frequentar e obter aprovação de uma Escola de Aviação homologada pelo IAC da Agência Nacional e Aviação Civil (ANAC), a fim de cumprir o programa de instrução teórico-prática estabelecido pelo Manual de Curso de Comissário de Vôo, com carga horária de no mínimo 138 horas-aula.

Ultrapassadas as etapas do processo ensino-aprendizagem, o aluno, aprovado pela Escola de Aviação, deverá estar em condições de ser submetido às provas elaboradas periodicamente pela ANAC.

Mediante a aprovação em exames prestados à ANAC e de posse do Certificado de Conhecimentos Teóricos - CCT, o candidato poderá ingressar em uma empresa aérea, segundo critérios de seleção da própria empregadora.

Selecionado e admitido, o candidato contratado deverá receber instrução no equipamento, respeitados o programa e a carga horária do Manual do Curso de Comissário de Vôo do Instituto de Aviação Civil - IAC.

Cumprida a instrução prática e teórica no equipamento, a empresa deverá solicitar, através do Serviço Regional de Aviação Civil - SERAC, o Certificado de Habilitação Técnica em Instrução, com validade de três meses, para então o candidato dar início à etapa de treinamento em vôo.

A empresa oferecerá este treinamento em vôo de no mínimo 15 horas, devendo ser considerada 1 hora para cheque por profissionais credenciados pela ANAC.

Comprovados o treinamento em vôo e o cheque feito, a empresa, através do SERAC, solicitará à ANAC a licença e o CHT permanente do candidato.

Quem imagina que a função de um Comissário de bordo é somente receber bem os passageiros e lhes dar todo o conforto necessário durante o vôo está enganado. O Comissário é um técnico em segurança, ou seja, responsável pelo cumprimento das normas e procedimentos de segurança no avião. Para isso ele recebe treinamento prático de sobrevivência na selva e no mar durante o curso, além de familiarização com os equipamentos de emergência disponíveis dentro de cada tipo de aeronave.

É claro que o papel de anfitrião a bordo é de suma importância e aí um outro aspecto é relevante nessa carreira: o preparo psicológico. Pelas características do vôo, é comum o passageiro não estar à vontade e isso pode acarretar alterações de comportamento. Cabe ao Comissário saber identificá-las e tomar as atitudes convenientes para mantê-lo relaxado.

Não é uma tarefa fácil já que são dezenas ou até centenas de pessoas diferentes, com receios e reações imprevisíveis. Graças a isso, é importante demonstrar equilíbrio, autoridade e simpatia ao mesmo tempo, sem deixar a elegância de lado, uma marca registrada desses profissionais ao longo dos anos. Portanto, nada mais importante que o próprio candidato não tenha receio algum de voar, já que é a sua fisionomia num momento mais crítico que servirá de referência para acalmar os passageiros assustados.

Características Pessoais

Bom Humor

Entusiasmo

Espírito de Servir

Humildade

Personalidade Participativa

Facilidade de Relacionamento

Apresentação Pessoal

Bilíngue (Inglês/Francês/Alemão/Italiano)

A descrição acima é do Sr. Rolim Adolfo Amaro - fundador da TAM, em sua 'Carta do Comandante' de 01.10.2000

A carreira de Aeromoça/Comissário de Vôo é promissora. O transporte aéreo tem um potencial de uso muito grande, visto que no Brasil ele ainda é pouco utilizado. Além disso, existem as companhias estrangeiras, mais exigentes, porém com salários e benefícios mais vantajosos.

A Grade Curricular compreende as seguintes disciplinas sob responsabilidade da Escola de Aviação

O Sistema de Aviação Civil Internacional e Brasileiro

Regulamentação da Aviação Civil

Regulamentação da Profissão de Aeronauta

Formação e Atividade do Comissário de Vôo

Relações Interpessoais

Higiene

Medicina Aeroespacial

Primeiros Socorros

Conhecimentos Tecnicos de Aeronaves

Teoria de Vôo

Navegação Aérea

Meteorologia

Segurança de Vôo

Segurança, Emergência, Sobrevivência na Selva, Mar e Extinção de Fogo

Prática de Sobrevivência na Selva

Marinharia

Combate ao Fogo

Instrução na Empresa Aérea

Instrução Técnica sobre o Equipamento

Instrução Prática no Equipamento, em Simulador ou 'Mock-up'

Treinamento em Vôo

Um comissário de bordo precisa ter a habilidade de fazer múltiplas tarefas simultaneamente

A fim de se tornar um comissário de bordo, a pessoa precisa conseguir manusear bem múltiplas tarefas ao mesmo tempo. Tal habilidade pode ser desafiadora para pessoas que não estão acostumadas a fazer várias coisas ao mesmo tempo. Simultaneamente, você deve fazer cumprir as regras da aeronave, manter a disciplina entre os passageiros, servi-los como um garçom ou garçonete, responder aos chamados, entre outras tarefas. Um comissário é a pessoa que mantém os passageiros de uma aeronave felizes e calmos, os assistindo quando eles precisam de ajudam, e assegurando o conforto e segurança deles.

Assim como uma equipe de restaurante, o comissário de bordo normalmente possui uma sessão da aeronave que lhe é designada. Você pode pedir por ajuda, e você deve também trabalhar bem como o resto da equipe, mas você deve estar apto a lidar com as suas responsabilidades sozinho e sem qualquer supervisão.

Comissários de bordo devem estar aptos a preparar e servir refeições, bebidas e drinques para os passageiros de uma aeronave. Eles devem ser suficientemente fortes fisicamente a fim de ajudar a guardar as bagagens de mão dos passageiros. Além disso, eles devem saber manusear o dinheiro quando estiverem vendendo os fones de ouvido, e os outros serviços de bordo. Outro aspecto necessário é que os comissários de bordo devem ser amigáveis para que assim possam satisfazer o consumidor. Por outro lado, eles devem estar aptos a lidar com o consumidor que venha a se tornar irado, ou descontrolado. Por isso, comissários devem possuir a habilidade de oferecer primeiros socorros em combinação com uma personalidade calma que os permita oferecer seus serviços mesmo sob pressão.

Nível de habilidades requerida de um comissário de bordo

Comissários de bordo possuem um nível alto de habilidade e qualificação. Nos Estados Unidos, todos os comissários de bordo devem ter a cidadania americana, ou devem ser imigrantes legais com uma permissão de trabalho válida. Muitas companhias que oferecem vôos internacionais preferem que os seus comissários de bordo sejam fluentes em pelo menos um outro idioma. Todas essas companhias procuram por candidatos que demonstrem bom julgamento, que sejam confiáveis, que tenham boas habilidades de comunicação, que naturalmente tenham uma preocupação pela situação de outra pessoa, que consigam assumir a responsabilidade a fim de resolver conflitos, e que tenham um senso ético forte. Além disso, as companhias querem pessoas que tenham uma aparência profissional, uma disposição amigável, e uma habilidade para lidar com situações mesmo estando sob pressão. Um comissário de bordo deve também estar bem fisicamente a fim de satisfazer as necessidades da função, tais como levantar e alcançar objetos.

Para se trabalhar em uma companhia aérea, o comissário ou aeromoça deve ter pelo menos dezoito anos de idade, embora algumas requeiram que você seja mais velho. Como parte dos requerimentos mínimos, você deve pelo menos possuir um diploma de segundo grau. Entretanto, muitas companhias requerem que o comissário e a aeromoça tenham um diploma de alguma faculdade especializada em comunicação interpessoal, além de habilidades básicas de matemática e computadores. Em grande parte das companhias, o candidato deve possuir alguma experiência em serviços ao consumidor antes de ingressar em uma carreira de comissário de bordo. Todas as companhias efetuam uma pesquisa dos antecedentes de cada candidato a fim de assegurar que ele não falsificou nenhuma informação. Esse teste também verifica se o candidato tem permissão para entrar nos países para onde a companhia voa (já que alguns países não permitem a entrada de pessoas que tenham uma determinada ficha criminal).

Os benefícios de um comissário de bordo

Um comissário de bordo tem normalmente a permissão de viajar de graça, ou com um grande desconto na companhia em que ele trabalha. A família (esposa e filhos) do profissional também pode receber o mesmo privilégio. Além disso, eles também podem ser permitidos a receber descontos em outras companhias. Entretanto, algumas companhias requerem que o comissário de bordo já esteja empregado por um certo período antes que ele possa desfrutar desse privilégio.

Outros benefícios para um comissário de bordo podem incluir planos de seguro de vida, de saúde e odontológico. Tais benefícios também podem incluir um plano de aposentadoria, folga por motivo de doença, feriados pagos, férias pagas, opção para compra de ações da empresa, e reembolso de mensalidades escolares. Quando estiver trabalhando longe de sua moradia, comissários de bordo recebem uma quantia limitada que é destinada para as refeições, e despesas com o hotel.

Viajem para destinos variados como um comissário de bordo

Para muitas pessoas, um dos maiores atrativos para essa carreira de comissário ou aeromoça é a possibilidade de se viajar para lugares exóticos. Embora você esteja imaginando uma viajem para o Havaí, pulando do avião e correndo em direção a praia, você deve se lembrar que a equipe do avião tem responsabilidades após o pouso do avião – a preparação da aeronave para a próxima viagem, incluído limpeza, armazenagem de materiais e a procura de qualquer item que tenha sido esquecido pelos passageiros.

Uma vez que os comissários estão realmente de folga pelo resto do dia, muitos profissionais descobrem que precisam ir direto para o hotel a fim de descansar para o próximo vôo. Afinal, antes da próxima decolagem, eles novamente precisam ser amigáveis, ter uma atitude positiva com qualquer pessoa e preparar tudo para o vôo.

Existem alguns períodos de espera que são mais longos. Entretanto, muitos comissários, particularmente os mais antigos, podem escolher os vôos mais interessantes, podem ficar no local que escolherem, e assim conseguem aproveitar a cultura local enquanto estão de folga.

Um comissário de bordo pode não ter um período longo de espera

Se você está procurando por um emprego que te deixa passar semanas em lugares exóticos imediatamente, então a profissão de comissário de bordo pode não ser o trabalho certo para você. Um comissário ou aeromoça precisa ser um sênior na profissão para que esteja apto a ter o direito de escolha inicial. As opções menos desejadas o colocarão em vôos domésticos, ou em vôos para lugares não tão desejados ao invés de em vôos para locações tropicais.

Para viagens internacionais, um comissário e aeromoça precisam obrigatoriamente saber fluentemente o idioma do destino. Mesmo que esse requerimento não seja obrigatório, os profissionais que possuem tal habilidade terão a preferência de escolha. Se você só sabe um idioma, se prepare para trabalhar em vôos domésticos.

Mesmo que a sua estada em seu destino preferido não seja longa, se você não tiver que sair de um avião e entrar em outro, você pode então ter algum tempo livre para usufruir o local. Embora muitos aproveitem essa oportunidade para descansar, pode ser que você esteja apto a visitar as atrações locais e experimentar um pouco da cultura nativa. Se você olhar para as suas poucas oportunidades de passeio com uma atitude positiva, você então irá aproveitar os tempos de espera totalmente, mesmo que eles sejam curtos.

Comissários de bordo são requeridos por lei

A segurança empregatícia do comissário de bordo é boa porque eles fornecem um serviço que é vital para a aeronave. A tripulação de um avião não somente serve as refeições e drinques, mas ela também passa por um treinamento longo para que assim consiga lidar com qualquer emergência. Você pode descobrir que precisará de treinamento sobre primeiros socorros, RCP, e procedimentos de emergência que são necessários em uma aeronave.

A lei requer que os comissários de bordo estejam presentes na aeronave em consequência das funções de segurança vitais que eles oferecem. Esses profissionais se asseguram que os passageiros no vôo estão seguindo as regras da FAA e as normas gerais de conduta em uma aeronave. Um comissário de bordo deve estar apto a manter a paz dentro da aeronave, além de fazer com que os passageiros permaneçam calmos e tranquilos em vôos onde ocorrem situações que às vezes podem ser realmente desconfortáveis.

Centros de treinamento para comissários de bordo

Os empregos de comissário de bordo e aeromoça são altamente competitivos. Um candidato precisa completar um programa de treinamento intensivo a fim de se tornar funcionário de uma companhia aérea. Esse treinamento pode durar de três até oito semanas. Tais são feitos em centros de treinamento controlados pela própria empresa aérea ou em alguma outra empresa aérea que tenha uma parceria com a empresa onde você se inscreveu. Você não é pago durante esse treinamento, mas você recebe refeições e acomodações. Você não será considerado um funcionário da empresa aérea até que termine esse treinamento.

Esses centros fornecem o treinamento que você precisará a fim de aprender os procedimentos de emergência de uma aeronave. Você aprenderá como evacuar, como operar os sistemas de emergência, como administrar primeiros socorros, e como sobreviver na água em caso de um pouso sobre tal superfície.

Os alunos desses centros também aprendem como lidar com consumidores irados, sequestradores e situações envolvendo terroristas. Eles aprendem as normas da companhia e como a companhia opera, além de serem treinados sobre a sua aparência pessoal e como manter um peso corporal adequado a fim de manter o peso proporcional requerido pela maioria das empresas aéreas. Treinamento sobre as leis alfandegárias e regulamentação dos passaportes também é oferecido para esses candidatos.

O treinamento e teste são rigorosos para que assim possam ser certificados pela FAA.

O ambiente de trabalho de um comissário de bordo

As condições de trabalho de um comissário de bordo podem não constituir o ambiente perfeito para todas as pessoas. Se você não lida com a pressão de forma adequada, então outra carreira pode ser mais apropriada. Pressão é aplicada sobre os comissários de bordo a partir do momento em que eles ingressam nos centros de treinamento, com procedimentos, testes, e demonstrações que têm o intuito de peneirar os candidatos que não se comportam adequadamente sob pressão.

Os comissários de bordo podem ser obrigados a mudar de residência para que assim eles morem próximos a base a qual foram designados. Eles precisam estar de plantão por um número mínimo de dias em cada mês por pelo menos um ano, antes que eles possam se inscrever em uma posição regular. Você pode ter que arcar com as despesas do primeiro uniforme e bagagem, antes de receber uniformes novos da empresa – cada companhia tem o seu próprio procedimento com relação a isso. Saiba que você também passará por uma pesquisa rigorosa dos seus antecedentes já que tal é um requerimento federal da FAA.

Na aeronave, o ambiente de trabalho pose ser estressante e desafiador, variando de um vôo para outro. Você deve estar confortável no ambiente fechado da aeronave, e com o relacionamento permanente junto aos passageiros. Esses dois requerimentos serão testados durante o treinamento.

Progressão de um comissário de bordo

Se você tem ambições para a sua carreira de comissário de bordo, então você possui muitas opções de progressão profissional em muitas empresas aéreas. Em consequência das qualidades excepcionais que são requeridas de um comissário de bordo, muitas companhias sabem que elas podem confiar em um ex-comissário enquanto ele ou ela evolui em sua carreira empregatícia, seja através de maiores responsabilidades durante o vôo, seja através de uma posição no escritório.

Comissários de bordo começam suas carreiras ficando na reserva por pelo menos um ano. Esses são chamados sem muita antecedência para vôos extras ou para repor algum comissário que esteja doente. Essencialmente, esses iniciantes ficam de plantão até que tenham passado o período inicial de testes. Uma vez que passaram essas fases, o comissário de bordo ou aeromoça tenta conseguir um emprego mensal ou tarefas regulares.

Um comissário de bordo pode se tornar um comissário sênior, ou um comissário supervisor durante a evolução de sua carreira. Desse ponto em diante, esses profissionais podem ingressar na carreira gerencial básica, e depois podem finalmente se tornar um gerente ou vice-presidente de operações internas. Obrigações adicionais podem incluir recrutamento, treinamento, ou uma posição como agente de passagens ou especialista em relações públicas.

Fonte: www.artigosinformativos.com.br

Dia da Aeromoça

31 de Maio

Aeromoças, uma profissão entre o glamour, a mídia e o medo

Enquanto no Brasil aeromoças ainda posam para revistas masculinas, sua profissão assume novos aspectos em tempos de turismo de massa, terrorismo e profissionalização.

Chegando às bancas nesta semana, a edição de setembro da revista Playboy brasileira traz como atração três aeromoças demitidas da Varig. Não é a primeira vez que revistas masculinas usam as profissionais do ar em suas páginas.

Dia da Aeromoça
Aeromoça demonstra procedimento de segurança: a realidade da profissão

Já nos anos de 1980, a edição norte-americana da mesma revista usava regularmente o mesmo tema. A exploração midiática de uma profissão conhecida como feminina atingia o seu ápice, após sua imagem de glamour – utilizada como instrumento de venda nos anos de 1960 e 1970 – ter se exaurido por tanta comercialização da mídia.

Como propagava o filósofo francês Jean Baudrillard por ocasião da Guerra do Golfo, o que acontece na mídia não acontece na realidade. Um trabalho acadêmico da renomada Universidade Humboldt de Berlim e profissionais da área dão maiores esclarecimentos sobre a profissão, cuja verdadeira imagem, em época de turismo de massa, ameaças terroristas e profissionalização, parece ser bem outra.

Os zepelins e as enfermeiras

Dia da Aeromoça
Os 'anjos da guarda' dos primeiros tempos

Tudo começou com o zepelim. Os primeiros profissionais do ar, até o início da década de 30, eram todos homens, afirma Carolyn Ammann, que defendeu a tese de mestrado na Universidade Humboldt com o tema Aeromoça – Aspectos da história da fascinação de uma profissão feminina.

Como objeto de estudo, Ammann observa a evolução da imagem da profissão, dos primórdios da aviação até os dias de hoje.

No fundo, afirma Ammann, esta imagem acompanhou a própria evolução da aeronáutica. A precariedade dos instrumentos de orientação dos primeiros tempos da aviação comercial e a pouca autonomia de vôo faziam do voar uma aventura. Não foi à toa que as primeiras profissionais eram enfermeiras, usando inclusive uniformes de enfermeiras durante o vôo.

Mulher, jovem, solteira e enfermeira: eram estas as condições de admissão da United Air Lines, no início de 1930. O sucesso do empreendimento foi repetido por todo o mundo. Desde então, afirma Ammann, a profissão ganhou a imagem ideal de uma determinada feminilidade, escondendo assim o duro trabalho que envolve.

Os anos dourados da aviação

O desenvolvimento da aeronáutica durante a Segunda Grande Guerra permitiu aeronaves maiores e mais seguras, as hélices foram substituídas por turbinas e já nos anos de 1950, a profissão de aeromoça perdia somente para a de modelo e estrela de cinema, na escala dos sonhos das jovens.

Dia da Aeromoça

Com aviões mais seguros, a imagem de "anjo da guarda" pôde ser substituída pela do glamour e, no cinema dos anos 60, o papel de aeromoça era tratado como um verdadeiro troféu para homens de boa situação financeira. A Branniff, companhia aérea texana, foi uma das que mais exploraram a nova imagem de suas funcionárias, vestindo-as com uniformes desenhados por designers famosos e batizando seus aviões com nomes femininos.

Seu lucro logo duplicou, explica Ammann. Neste caso, a aeromoça não somente aparecia na propaganda, a propaganda era ela própria, mas não como aeromoça e sim como imagem feminina.

Outras companhias também seguiram o mesmo exemplo: "Vou processar a Varig pela minha separação", anunciava uma dona-de-casa com avental e espanador numa propaganda da Varig de 1962, relata Ammann em sua pesquisa. Na mídia e na propaganda, a imagem da profissão era quase sempre feminina, enquanto o passageiro e o capitão eram homens. Ammann explica que a exacerbação da exploração comercial desta imagem da aeromoça resultou na sua vulgarização.

Gravatas e lenços de pescoço

Dia da Aeromoça
Na Alemanha, a profissão não é considerada como feminina

A partir da década de 1970, organizações sindicais começaram a lutar pela abolição de cláusulas como a proibição do matrimônio e o limite de idade. Ao mesmo tempo comissários de bordo passaram a ser contratados com maior frequência, explica Ammann.

Em entrevista a DW-WORLD, o chefe de cabine Dirk Schäfer e o comissário brasileiro Carlos Brito, ambos funcionários da companhia aérea alemã LTU, confirmam o que Ammann constatou: sua profissão é feminina só na imagem. "O número de funcionários homens sobe diariamente", afirmam os comissários.

Juntamente com o desgaste da imagem da profissão, as duras regras de aceitação levaram as companhias a contratarem cada vez mais homens, sendo a Alemanha um dos países onde a profissão de aeromoça não pertence às chamadas profissões femininas, já que a taxa de profissionais masculinos ultrapassa os 20%.

Uma evolução que historicamente acompanha a introdução de jatos com maior capacidade de passageiros e a liberalização do setor, fatos que abriram o caminho para o turismo de massa.

Depois do 11 de setembro

Ammann explica ainda que a necessidade de segurança provocada pelos atentados de 11 de setembro de 2001 relembra os primeiros tempos da aviação. Desta vez, não é mais a enfermeira que é requisitada, mas algo como a babá.

Fabio Biondo, comissário de bordo da Lufthansa, afirma que "já no treinamento, somos confrontados com o problema da segurança".

Apesar de estar ali para demonstrar segurança aos passageiros, o medo também começou a fazer parte de seu cotidiano, afirmou um dos comissários entrevistados. Desta forma, a realidade atual da profissão pouco tem a ver com aquela vendida na mídia, afirma Ammann. A edição da revista masculina com as aeromoças da Varig confirma que, mesmo quando o emprego se vai, a imagem fica.

Fonte: www.dw-world.de

Dia da Aeromoça

Que ser comissário ou aeromoça?

Comissários de vôo ou no caso das mulheres as aeromoças, são profissionais responsáveis por garantir um ambiente de tranquilidade, conforto e segurança para os passageiros, seja servindo um drinque de boas-vindas a bordo, administrando conflitos e comportamentos inconvenientes, ou zelando pela vida do passageiro, em caso de acidente. São agentes de segurança a bordo e por isso estão preparados para qualquer emergência.

Pelo seu lado fascinante, de conhecer muitas cidades e países, fora de uma rotina de escritório e de uma jornada tradicional de trabalho, a profissão de comissário de bordo atrai muitos jovens. A rotina do trabalho, porém, é de alta responsabilidade. O comissário não pode aparentar cansaço e o bom humor é imprescindível. É ele quem assegura a imagem da qualidade dos serviços das empresas.

Quais as características necessárias para ser comissário ou aeromoça?

Para ser comissário de vôo ou aeromoça, em primeiro lugar a pessoa precisa ser muito atenciosa e simpática, boa aparência também é imprescindível. Mas acima de tudo a pessoa tem que ter uma boa resistência física e disponibilidade para estar sempre viajando.

Características desejáveis

Altura mínima de 1,58m e máxima 1,80m para mulheres e mínima de 1,67m e 1,85m máxima para homens

Peso compatível com a altura

Autocontrole

Boa aparência

Boa saúde

Capacidade de adaptação a novas situações

Capacidade de comunicação

Capacidade de decisão

Capacidade de lidar com o público

Desembaraço

Discrição

Equilíbrio emocional

Firmeza

Gosto por servir

Habilidade para mediar conflitos

Iniciativa

Paciência

Senso de responsabilidade

Simpatia

Dia da Aeromoça

Qual a formação necessária para ser comissário ou aeromoça?

Para esta profissão é necessário um curso técnico de comissário, que tem em média 280 horas de aula, é necessário preencher os seguintes requisitos: idade mínima obrigatória de 18 anos e idade máxima recomendável de 30 anos; fluência em inglês e, se possível, em outro idioma. Após um mês de curso, o candidato faz um exame físico no Centro de Medicina Aeroespacial (CEMAL) e somente quem tiver perfeitas condições físicas e psicológicas continuará.

O curso compreende

Aulas de etiqueta, postura, maquiagem, dicção e expressão corporal;

Conhecimentos gerais de aeronaves;

Noções de medicina e primeiros-socorros;

Serviço de bordo; treinamento prático obrigatório que inclui simulação de acidentes, aulas de sobrevivência na selva, no mar, e combate a incêndio.

Depois de aprovado no curso e com o certificado de aprovação do CEMAL, o candidato faz o exame teórico no Departamento de Aviação Civil (DAC), para obter o Certificado de Conhecimento Técnico, com o qual estará apto a concorrer a uma vaga no mercado de trabalho. O DAC aplica provas para candidatos a comissário de bordo três vezes ao ano, em abril, agosto e novembro.

Principais atividades de um comissário ou aeromoça

Suas funções incluem

Checar equipamentos de segurança - funcionamento de máscaras de oxigênio e disponibilidade de coletes salva-vidas em número suficiente;

Checar e oferecer comida, bebida, travesseiros e cobertores;

Receber e encaminhar passageiros para seus lugares;

Demonstrar o uso do equipamento de segurança e a localização das saídas de emergência;

Verificar se todos os passageiros estão com as poltronas em posição correta e com o cinto de segurança, quando necessário;

Transmitir informações sobre o tempo de vôo e as condições meteorológicas;

Atender às solicitações dos passageiros durante a viagem.

Áreas de atuação e especialidades

Dia da Aeromoça

A área de atuação de comissários de vôo é bastante específica, se não exercerem tal cargo podem atuar no atendimento ao cliente em aeroportos para as companhias, apesar de algumas diferenças no cargo. Comissários de vôo podem trabalhar em diversos tipos de aviões particulares ou em linhas comerciais.

Mercado de trabalho

Embora algumas empresas de aviação não se encontrem atualmente em um momento muito favorável, a aviação civil tem apresentado grande crescimento nos últimos anos. Também os custos cada vez mais baixos das passagens, as promoções e as políticas governamentais, que aumentam a concorrência entre as companhias, têm ajudado elevar o número de passageiros, favorecendo as perspectivas da área. No geral, o mercado de trabalho é muito competitivo e a seleção bastante rigorosa. O comissário que falar uma ou mais línguas alem do inglês pode ter mais chances. As companhias favorecem comissários que falem línguas orientais, de preferência o japonês, que facilita sua promoção aos vôos internacionais.

Curiosidades

A profissão de comissário de bordo (aeromoça) surgiu em 1930 por reinvidicação de uma mulher, Ellen Church, pois era apaixonada por aviação e, por não poder pilotar uma aeronave por ser mulher , a enfermeira sugeriu à Boeing Air Transport que colocasse enfermeiras a bordo dos aviões para cuidar da saúde e segurança dos passageiros durante o vôo. As primeiras moças contratadas deveriam ser solteiras, não terem filhos, obedecer a um padrão de peso e altura, porém possuíam salários muito baixos. A idéia fez muito sucesso, pois as mulheres a bordo passavam segurança aos passageiros, já que a mulher era considerada uma figura de fragilidade, e tendo mulheres trabalhando a bordo passava a idéia aos viajantes de que o avião não era tão perigoso quanto pensavam.

Devido a Segunda Guerra Mundial, as enfermeiras foram convocadas para os campos de batalha, as companias aéreas então começaram a colocar mulheres de nível superior a bordo, contudo sem perder o charme e a elegância, já que essa profissional representaria a empresa. A profissão se popularizou, e perdeu o símbolo sensual que possuía, foi então que surgiu o "aeromoço", já que as funções do comissário aumentaram devido ao aumento do fluxo de passageiros, o que exigia mais do profissional.

Fonte: www.webluxo.com.br

Dia da Aeromoça

31 de Maio

Como funcionam as tripulações de linhas aéreas

História das tripulações

Desde os primeiros aviões, os pilotos têm sido as estrelas da aviação mundial e seu papel tem evoluído consideravelmente ao longo dos anos. Os principais progressos no mundo dos pilotos são devido aos novos equipamentos e à mudança dos padrões de treinamento. Quando os aviões foram inventados, eles tinham sistemas de controle relativamente simples e eram geralmente pilotados pelos próprios projetistas, como no caso de Santos Dumont. Voar era uma arte difícil, mas como todo mundo era amador a única maneira de aprender era pela tentativa e erro.

Com o desenvolvimento da tecnologia da aviação, mais e mais treinamento era necessário. Sistemas automatizados e instrumentos sofisticados faziam muito do trabalho do piloto, mas ele também tinha de entender o que os instrumentos faziam. Se você leu Como tornar-se piloto de uma companhia de aviação, sabe que os pilotos têm de passar por muito trabalho antes que possam pilotar para as grandes companhias aéreas.

O primeiro treinamento amplo e padronizado veio com a Primeira Guerra Mundial, quando os militares começaram a colocar os soldados no ar. O treinamento militar com aeronaves foi expandido durante a Segunda Guerra Mundial e nas décadas seguintes.

Nos anos 20, os EUA começaram a regulamentação do projeto das aeronaves e do treinamento para pilotos. O único jeito para atender aos padrões das companhias aéreas era ter uma grande experiência na força aérea militar. Dos anos 30 até os anos 60, a grande maioria dos pilotos era composta de homens brancos com algum treinamento militar. Hoje em dia, existem cada vez mais pilotos que são mulheres, afro-americanos ou pertencentes a outras minorias e aproximadamente metade dos pilotos americanos atuais nunca esteve nas forças armadas.

O mundo dos comissários também mudou significativamente desde o começo da aviação comercial. As primeiras linhas aéreas eram, na realidade, aviões do serviço postal com alguns assentos extras para passageiros. Nesses vôos, a tripulação era composta somente de pilotos que estavam tão ocupados na pilotagem do avião que não tinham tempo de atender aos passageiros.

Eventualmente, algumas empresas contratavam atendentes para os vôos. Esses membros da tripulação eram geralmente adolescentes ou homens de baixa estatura e estavam à bordo para carregar as bagagens, tranquilizar passageiros com medo e ajudar as pessoas a se acomodar na aeronave. Em 1930, uma jovem enfermeira chamada Ellen Church junto com Steve Stimpson da Boeing Air Transport surgiram com um novo tipo de atendimento.

Church propôs que enfermeiras profissionais seriam ideais para fazer parte de uma tripulação porque poderiam ajudar os passageiros que passassem mal. A Boeing, que era até então uma linha aérea e fabricante de aeronaves, contratou oito enfermeiras por um período de experiência de três meses. Essas novas atendentes que foram chamadas de "aeromoças" logo se tornaram parte integral de todas as linhas aéreas.

Elas não precisavam mais ter formação em enfermagem, mas o caráter maternal era considerado como um elemento chave na profissão.

Dia da Aeromoça
As primeiras oito aeromoças que eram enfermeiras e foram trabalhar na Boeing Air Transport em 1930

Até recentemente havia um grande controle sobre as aeromoças. Elas não podiam ser casadas porque os maridos reclamariam das longas horas em que ficariam fora de casa. A maioria das linhas aéreas tinha certas restrições de altura, peso e proporções. A vestimenta também era restritiva. Elas tinham que vestir uniformes que mostravam a silhueta, salto alto e luvas brancas quando voavam. Embora fosse um emprego perfeitamente respeitável para mulheres jovens, as primeiras aeromoças eram geralmente mal pagas, tinham benefícios mínimos e estavam em uma posição subserviente a dos pilotos.

Dia da Aeromoça
Antigamente as linhas aéreas impunham fortes restrições às aeromoças

Durante os anos 60, 70 e 80, os sindicatos das aeromoças e os representantes dos movimentos da igualdade de direitos conseguiram enormes mudanças nas linhas aéreas que tinham esses tipos de problemas. Desde os anos 70, a política das principais empresas aéreas tem sido contratar tanto homens como mulheres e não ter restrições quanto ao peso ou à altura. Os comissários de bordo hoje em dia têm os mesmos benefícios que os pilotos e as linhas aéreas os reconhecem como profissionais cruciais. No final das contas, para muitos passageiros o comissário de bordo é o cartão de visitas da linha aérea.

Para aprender mais sobre os comissários de bordo e sobre os pilotos das linha aéreas, confira alguns dos sites listados na próxima página. À medida que as companhias aéreas continuam a expandir para atender a crescente procura, mais e mais jovens estão ingressando nesta carreira. Para aqueles trabalhadores que aguentam longas horas de trabalho e um estilo de vida imprevisível, não há nada parecido com esta profissão.

Fonte: viagem.hsw.uol.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal