Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia do Zootecnista  Voltar

Dia do Zootecnista

 

13 de Maio

No dia 13 de maio de 1966, em Uruguaiana, Rio Grande do Sul, era criado o primeiro curso de Zootecnia no país. Desde criança ouvimos falar que o Brasil "é um país agrícola" ou "é o celeiro do mundo" ou ainda "é o país do futuro".

Dia do Zootecnista

Apesar de tantos problemas sociais e econômicos, parece que o novo século está trazendo bons ares ao país e, como não poderia deixar de ser, é através, principalmente, do campo.

Um terço da riqueza produzida no país tem origem no campo.

Nestas quase quatro décadas de existência do Curso de Zootecnia, os Zootecnistas já formados, sem dúvida alguma, têm apresentado relevantes contribuições ao avanço social e econômico do nosso país, através do fomento à nossa pecuária e ao desenvolvimento produtivo dos nossos rebanhos, bem como estudando alternativas de produção racional de diferentes espécies animais, nas mais variadas condições.

Atualmente, são cerca de 11.000 profissionais formados e já existem mais de 50 faculdades espalhadas no país.

Os números mostram uma categoria com amplas possibilidades de fortalecimento das suas bases, pela manutenção de uma firme atuação, tanto na iniciativa privada, quanto no setor público, juntamente com outras profissões das Ciências Agrárias.

Na atualidade, é dispensável frisarmos a evolução da Zootecnia como ciência, uma vez que, rotineiramente, a sociedade tem tido contato com os avanços da genética animal, dos sistemas intensivos de criação, do acentuado crescimento da Avicultura, Suinocultura, Bovinocultura de Corte e Leite, que são as mais expressivas mantenedoras de postos de trabalho e renda no meio rural.

Têm avançado também os conhecimentos na área de alimentação, nutrição e manejo geral dos animais de interesse econômico e social, com respeito ao meio ambiente como patrimônio às futuras gerações.

Fonte: Universidade Católica de Goiás

Dia do Zootecnista

13 de Maio

Muito além dos chifres de boi

O coordenador do curso de Zooctecnia da Universidade Federal de Viçosa, Edenio Detmann, acredita que a lenda urbana da profissão ainda faz parte do imaginário do aluno que chega à faculdade. “Ele acha que no primeiro semestre já vai pegar o boi pelo chifre.” Os dois primeiros anos do curso incluem disciplinas como matemática, álgebra, química, biologia e física.

Dia do Zootecnista

Detmann esclarece que as matérias, vistas parcialmente no ensino médio, são aprofundadas na faculdade, com o objetivo de preparar melhor o aluno para as disciplinas profissionalizantes.

Outra confusão freqüente é feita entre os cursos de zootecnia e medicina veterinária. “O zootecnista responde pelo desenvolvimento de produtos de origem animal.

É uma ciência de processo. Veterinária é medicina, sendo que o veterinário atua como médico na maioria das vezes dentro de um sistema de produção.

As carreiras apresentam pequena sobreposição, uma vez que o veterinário tem uma pequena formação em zootecnia e vice-versa.”, esclarece Detmann.

Ele destaca a contribuição do zootecnista também para a saúde humana, à medida que é responsável pelo controle do produto que chega para consumo.

Para Edenio Detmann, o curso de zootecnia tem sido impactado ainda pelo crescimento da área de ciências ambientais, devido às novas diretrizes do Ministério da Educação.

“Há um movimento de conservacionismo, ou seja, o manejo sustentável e a diminuição do impacto ambiental das produções”, explica.

‘É preciso determinação’

Dia do Zootecnista

Lívia Vieira de Barros morava com os pais em um sítio quando escolheu o curso de graduação. Estava em dúvida sobre três carreiras: medicina veterinária, agronomia e zootecnia. Acabou decidindo-se pela última. “Entre trabalhar com animais e plantas, preferia animais.

Assim, eliminei agronomia. E entre produção animal e saúde animal, escolhi a parte de produção, porque sabia que não conseguiria lidar com animais doentes”, diz ela, que está no último período do curso de zootecnia da Universidade Federal de Viçosa.

A falta de conhecimento da profissão faz com que alguns jovens acabem desistindo do curso. Na opinião de Lívia, a pessoa deve procurar se informar e saber quais são as disciplinas. “Não é um curso fácil. Os primeiros anos são muito básicos.

Comecei a fazer estágio logo no primeiro semestre; por isso, tive oportunidade de praticar cedo e foi um diferencial. Quem escolher zootecnia deve ter muita determinação e dedicação.

Gostei muito do curso. Meus planos são trabalhar na área de pesquisa, e já vou fazer prova para o mestrado.

Hoje, cada vez mais, a exigência por especializações aumenta”, conclui.

O que faz

O profissional de zootecnia trabalha em todas as etapas do sistema de produção animal: alimentação, atividades de melhoramento genético, reprodução, controle da qualidade do produto final – carne, leite, ovos e seus derivados. Também realiza pesquisas de nutrição e alimentação, acompanhando a fabricação e o controle da qualidade de rações, vitaminas e produtos de higiene e saúde para o animal. A atuação profissional do zootecnista é regulada pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária.

Áreas de atuação

Nutrição e alimentação animal, indústria de alimentação, iniciativa pública e privada, prestando assistência técnica e praticando extensão rural. Pode ainda atuar em seu próprio negócio ou seguir na área de pesquisa. O campo de trabalho do zootecnista expande-se também às áreas de proteção e conservação de animais silvestres, estímulo ao ecoturismo e agroturismo.

Especialização

O grau acadêmico do zootecnista corresponde ao de bacharel, o que o habilita a desenvolver estudos de pós-graduação, tanto de especialização (Latu sensu), como de mestrado ou doutorado (Strictu sensu). Destacam-se, neste sentido, segundo avaliações da Capes, os cursos de pós-graduação em Zootecnia da Universidade Federal de Viçosa, Universidade Estadual Paulista - campus de Jaboticabal, Escola Superior de Agricultura “Luís de Queiroz” da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual de Maringá.

Fonte: www.fiocruz.br

Dia do Zootecnista

13 de Maio

Objeto de Estuda

Zootecnia é aciência aplicada,que estuda eaperfeiçoa os meiosde promover aadaptação econômica do animal aoambiente criatório, e deste àquele.

Ao zootecnista compete

Estudar processos e regimes de criação dosanimais domésticos e em domesticação (silvestres)

Avaliar geneticamente o rebanho;

Selecionar os animais para formação do rebanhomatriz para reprodução;

Determinar o sistema e as técnicas a seremusados em cruzamentos;

Pesquisar as necessidades nutricionais dorebanho e estabelecer a dieta adequada aosanimais

Planejar e avaliar as instalações utilizadas para acriação de animais visando o conforto e funcionali-dade;

Supervisionar a vacinação, a medicação einseminação dos animais;

Determinar e acompanhar formas padronizadasde abate, preparação e armazenamento.

Supervisão técnica das exposições oficiais deanimais.

Acompanhar preços;

Comprar e vender animais.

Estrutura Disponível

Laboratório de Bromatologia

Laboratório de Análise de Carne e Leite

Setor de Bovinos de Corte

Setor de Ovinocultura

Setor de Caprinocultura

Setor de Cunicultura

O que faz o Profissional Zootecnistas

São profissionais responsáveis pelo estudo da nutrição e alimentação dos animais, aprimoramento genético, controle da reprodução, profilaxia de doenças, visando o aumento daprodução e melhoria da qualidade dos produtos deorigem animal.

O bacharel em zootecnia administra e planeja a economia rural de modo a organizar a criação de animais numa propriedade tais como

Bovinos

Caprinos

Ovinos

Equinos

Suínos

Aves

Peixes

Animais Silvestres entre outros.

Com o objetivo deaumentar a produtividade, melhorando a qualidade e garantindo a sanidade dos rebanhos.

Campo de Atuação

Dia do Zootecnista

Fazendas

Granjas

Fábricas de ração

Empresas de laticínios

Laboratório

Órgãos governamentais

Instituições de pesquisa e escolas

Frigoríficos

Grandes agroindústrias

Empresas avícolas

Cooperativas de criadores

Empresas de consultoria

Indústrias de abate

Zoológicos

Fonte: www.ufrb.edu.br

Dia do Zootecnista

A zootecnia é a ciencia que visa aproveitar as potencialidades dos animais domésticos e domesticáveis, com a finalidade de explorá-los racionalmente como fonte alimentar e outras finalidades junto aos seres humanos, ciência aplicada que trata da adaptação dos animais com potencialidades de domesticação ao ambiente criatório e, desta forma, aproveitá-los com a finalidade nutricional e econômica.

Como ciência deriva diretamente da biologia como uma zoologia aplicada, pois ao conhecimento biológico do animal soma-se os princípios da economia e da produção de alimentos, visando suprir o mercado com produtos adequados a alimentação humana. Pode-se definir zootecnia como produção animal Stricto Sensu e o seu principal objetivo é "produzir o máximo, no menor tempo possível, sempre visando lucro, tendo em conta o bem estar animal".

O Zootecnista é o profissional habilitado para atuar na produção animal; as principais áreas de atuação são: Nutrição e Alimentação, Forragens, Genética e Melhoramento, Reprodução, Manejo, Instalações, Higiene, Tecnologia de Produtos e Derivados de Origem Animal e Administração Rural.

Áreas de Atuação

O Zootecnista pode atuar em qualquer atividade de Produção Animal, desde a concepção do projeto, até ao desenvolvimento de dietas e supervisão de vacinas; fábricas de Ração ou dispensão do mesmo; frigoríficos; centrais de Inseminação; empresas privadas com foco na produção animal; representação e venda de produtos relacionados com a produção animal; laboratórios de análise de alimentos destinados a animais; laboratórios de Genética Zootécnica; Produção, Implantação e Manejo de Pastagens; Melhoramentos Genético dos Rebanhos e Pastagens; Planejamento e Execução de projetos de Instalações para Produção Animal; Prevenção de Enfermidades; Manejo e Criação de Animais Silvestres; Pesquisa nas áreas de Produção Animal; Ensino de Zootecnia e Administração de Propriedades Rurais e Industrias do gênero.

A Zootecnia congrega o conjunto de atividades e habilidades destinadas a desenvolver, promover, preservar e controlar a produção e a produtividade dos animais aliada à conservação dos recursos naturais. Colabora na manutenção dos processos ecológicos e ambientais, garantindo a integridade dos ecossistemas e a conservação das espécies que compõem a nossa biodiversidade e na sustentabilidade do meio ambiente.

É uma área do conhecimento que reúne um largo espectro de campos dos saberes, onde estão compreendidos o planejamento, a economia, a administração, assim como, o melhoramento genético, a ecologia, a sustentabilidade, a ambiência, a biotecnologia, a reprodução, a saúde, o bem-estar e o manejo.

Também engloba a nutrição, alimentação, formação e produção de pastos e forragens, sistemas de produção animal e industrialização propiciando de forma integral, em sua área de atuação, a qualidade de vida da sociedade.

História

A primeira referência ao termo aparece em 1843 no Cours d'Agriculture de Adrien Étienne Pierre, o Conde de Gasparin, que o fez derivar dos radicais gregos ????, zoon (animal) e t????, techne (tratado sobre uma arte). O Conde foi o primeiro a reconhecer na arte de criar animais um objeto próprio da ciência e independente da agricultura, criando para ela uma cátedra desde a fundação do Instituto Agronômico de Versalhes em 1848. Já em 1849 o naturalista (biólogo) Emile Baudement ocupou a nova cátedra e começou a formular o corpo de doutrinas com base científica e a ensinar a Zootecnia.

No Brasil a zootecnia foi ensinada como disciplina especial nos cursos de agronomia até 1966 quando foi criado, na PUC de Uruguaiana, RS, o primeiro curso de graduação em Zootecnia.
A profissão foi regulamentada em 4 de dezembro de 1968 pela lei federal nº. 5.550. Quem se forma no curso de zootecnia recebe o título acadêmico-profissional de zootecnista.
Segundo esta lei, podem exercer a Zootecnia, também, o graduado em Medicina Veterinária e o graduado em Agronomia, conforme transcrito a seguir:

"Art. 2º Só é permitido o exercício da profissão de Zootecnista:

a) ao portador de diploma expedido por escola de Zootecnia oficial ou reconhecida e registrado na Diretoria do Ensino Superior do Ministério da Educação e Cultura;

b) ao profissional diplomado no estrangeiro, que haja revalidado e registrado o seu diploma no Brasil, na forma da legislação em vigor;

c) graduados em Agronomia e Medicina Veterinária.

Desta forma, o Zootecnista é o único profissional, de fato, apto a gerenciar todas as etapas relacionadas a produção animal, devido a sua especificidade acadêmica conquistada durante a gradução nas universidades e faculdades onde o profissional zootecnista se forma.

Principais Desafios

Como toda ciência complexa, a Zootecnia exige de seu aluno e de seu profissional um paradigma entre conhecimento específico da área a ser trabalhada X conhecimento macro da realidade sócio-econômica em que a área está inserida. Este paradigma é principalmente notado quando a área da produção animal é base de sobrevivência e desenvolvimento de comunidades rurais interioranas, ou mesmo esta realidade expandida para dimensões municipais, estaduais e mesmo federais. Somente com o equilíbrio deste paradigma é que o profissional zootecnista pode obter sucesso em suas decisões e contribuir com um FeedBack positivo as necessidades exigidas por estas populações.

Na constante metamorfose da realidade mundial, a produção de alimentos também exige novas técnicas, de forma que esta produção não ocasione um impacto negativo na sustentabilidade do grande ecossistema mundial. Esta realidade é notada nos tempos atuais, onde os efeitos climáticos estão exigindo novas alternativas de produção, em substituição ao modelo antigo de produção predatória do meio-ambiente. Desta forma, o profissional Zootecnista é levado ao extremo de seus conhecimentos para buscar respostas as interrogações da produção sustentável. Entretanto, a própria realidade a que este profissional vive, muitas das vezes não contribui para a expressão de sua importância no meio econômico rural, haja vista o fato das profissões como a Agronômia e a Medicina Veterinária serem mais antigas e difundidas, aliado ao baixo conhecimentos dos produtores rurais sobre a importância deste profissional em sua prpriedade.

A própria lei federal nº 5.550, que regulamenta e estabelece o campo de trabalho do zootecnista divide a competência profissional deste com os outros dois entes da Ciência Agrária Brasileira, onde em sua alínea C, doa artigo 2º qualifica Agrônomos e Veterinários, como aptos a exercer exercer a zootecnia, mesmo que os campos relacionados a ela sejam ministrados com cargas horárias diminutas nas grades curriculares destes profissionais, criando desta forma uma "Incompetência Legal". Com o campo de trabalho dividido e a falta de conhecimento por parte dos proprietários rurais, que desconhecem que o trabalho deste profissional é constante e não "emergencial" (como a atuação de um veterinário por exemplo), o zootecnista recém formado muitas vezes se depara com uma realidade totalmente desfavorável a sua inserção no mercado de trabalho, passando muitas das vezes a abandonar a própria profissão que escolheu.

Este embate tem sido a motivação de diversos movimentos (profissionais, sindicais e estundantis) para a criação dos Conselhos (Federal e Regionais) de Zootecnia, além de várias tentativas para eliminar a alínea C do Artigo 2º da lei 5.550. O principal entrave a estes é a força política que os conselhos como o CFMV (CRMV's) e CFEA (CREA's), Veterinários e Agrônomos, possuem e usam estes para evitar a maior independência do Zootecnista e da Zootecnia, frente a Veterinária e Agronomia. E o principal foco está relacionado a proteção do Mercado de Trabalho.

Divisões

A zootecnia tem dois grandes corpos de conhecimento, um fundamentador, a zootecnia geral, que reúne teorias e princípios aplicados a todos os animais domésticos englobando disciplinas como nutrição,produção animal,melhoramento genético,anatomia, fisiologia, genética, climatologia, higiene e profilaxia e etologia.

O outro grande corpo de conhecimento, a zootecnia especial, estuda a criação de cada um dos animais domésticos: bovinocultura, avicultura, suinocultura, ovinocultura, equinocultura, caprinocultura, apicultura, aquicultura, sericicultura e cunicultura. além de estudar também os animais silvestres, visando tanto criação como conservação de espécies

Senado Federal
Subsecretaria de Informações

LEI Nº 5.550, DE 4 DE DEZEMBRO DE 1968

Dispõe sôbre o exercício da profissão Zootecnista.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º O exercício da profissão de zootecnista obedecerá ao disposto nesta Lei.

Art. 2º Só é permitido o exercício da profissão de zootecnista:

a) ao portador de diploma expedido por escola de zootecnista oficial ou reconhecida e registrado na Diretoria do Ensino Superior do Ministério da Educação e Cultura;

b) ao profissional diplomado no estrangeiro, que haja revalidado e registrado seu diploma no Brasil, na forma da legislação em vigor;

c) ao agrônomo e ao veterinário diplomados na forma da lei.

Art. 3º São privativas dos profissionais mencionados no art. 2º desta Lei as seguintes atividades:

a) planejar, dirigir e realizar pesquisas que visem a informar e a orientar a criação dos animais domésticos, em todos os seus ramos e aspectos;

b) promover e aplicar medidas de fomento à produção dos mesmos, instituindo ou adotando os processos e regimes, genéticos e alimentares, que se revelarem mais indicados ao aprimoramento das diversas espécies e raças, inclusive com o condicionamento de sua melhor adaptação ao meio ambiente, com vistas aos objetivos de sua criação e ao destino dos seus produtos;

c) exercer a supervisão técnica das exposições oficiais a que êles concorrem, bem como a das estações experimentais destinadas à sua criação;

d) participar dos exames a que os mesmos hajam de ser submetidos, para o efeito de sua inscrição nas Sociedades de Registro Genealógico.

Art. 4º A fiscalização do exercício da profissão de zootecnista será exercida pelo Conselho Federal e pelos Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, enquanto não instituídos os Conselhos de Medicina Veterinária ou os da própria entidade de classe.

Parágrafo único. O zootecnista, a fim de que possa exercer a profissão, é obrigado a inscrever-se no Conselho previsto neste artigo, a cuja jurisdição estiver sujeito e segundo as normas estatutárias respectivas.

Art. 5º O poder de disciplinar e aplicar penalidades ao zootecnista compete exclusivamente ao Conselho Regional em que estiver inscrito, ao tempo da falta punível.

Parágrafo único. A jurisdição disciplinar estabelecida neste artigo não derroga a jurisdição comum, quando a falta cometida constituir crime para a qual a lei penal estabeleça a sanção.

Art. 6º As penas disciplinares aplicáveis ao zootecnista são as estabelecidas para os demais profissionais obrigados a registro no mesmo Conselho Regional.

Art. 7º Na administração pública é obrigatória, sob pena de crime de responsabilidade, a apresentação do diploma por parte daqueles a quem esta Lei permitir o exercício da profissão de zootecnista, sempre que se tratar de provimento de cargos que ela dêles tornou privativos.

Parágrafo único. A apresentação do diploma não dispensa a prestação do concurso.

Art. 8º VETADO.

Art. 9º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 10. Revogam-se as disposições em contrário.

Brasília, 4 de dezembro de 1968; 147º da Independência e 80º da República.

A. COSTA E SILVA

Tarso Dutra

Jarbas G. Passarinho 

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal