Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia Mundial de Ação de Graças  Voltar

Dia Mundial de Ação de Graças

A virtude da gratidão está em toda a Bíblia. É próprio das almas nobres agradecer sempre e por todas as coisas.

O salmista exclama: "Bom é render graças ao Senhor..."

E outra vez: "Entrai por suas portas com ações de graças..." (Sl 92.1 e 100.4). Assim, o render graças a Deus , é tão antigo quanto a humanidade.

Vem dos tempos bíblicos e reflete-se ao longo da história.

O costume do "Dia de Ação de Graças" vem dos Estados Unidos. Em 1620, saindo da Inglaterra, singra os mares o "Mayflower", levando a bordo muitas famílias. São peregrinos puritanos que, fugindo da perseguição religiosa, vão buscar a terra da liberdade. Chegando ao continente americano, fundam treze colônias, semente e raiz dos Estados Unidos da América do Norte.

Dia Mundial de Ação de Graças
Ação de Graças

O primeiro ano foi doloroso e difícil para aquelas famílias. O frio e as feras eram fatores adversos. Não desanimaram. Todos tinham fé em Deus e nas suas promessas.

Cortaram árvores, fizeram cabanas de madeira, e semearam o solo, confiantes. Os índios, conhecedores do lugar, ensinaram a melhorar a produção.

E Deus os abençoou. No outono de 1621, tiveram uma colheita tão abençoada quanto abundante. Emocionados e sinceramente agradecidos, reuniram os melhores frutos, e convidaram os índios, para juntos celebrarem uma grande festa de louvor e gratidão a Deus.

Nascia o "Thanksgiving Day", celebrado até hoje nos Estados Unidos, na quarta quinta-feira de novembro, data estabelecida pelo Presidente Franklin D. Roosevelt, em 1939, e aprovada pelo Congresso em 1941.

O embaixador brasileiro Joaquim Nabuco, participando, em Washington, da celebração do Dia Nacional de Ação de Graças, falou em tom profético: "Eu quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus". Estas palavras moveram consciências no Brasil.

No governo do Presidente Eurico Gaspar Dutra, o Congresso Nacional aprovou a Lei 781, que consagrava a última quinta-feira do mês de novembro como o Dia Nacional de Ação de Graças.

Porém, em 1966, o Marechal Humberto Castelo Branco modificou esta Lei, dizendo que não a última, mas a quarta quinta-feira do mês de novembro seria o Dia Nacional de Ação de Graças, para coincidir com esta celebração em outros países.

Sim, aquelas palavras de Joaquim Nabuco, grande estadista brasileiro, encontraram eco em muitos corações. Hoje, são muitas as comunidades que, como num grande coro universal de gratidão a Deus, celebram nacionalmente o Dia de Ação de Graças, na quarta quinta-feira de novembro.

Em tudo e por tudo devemos dar graças a Deus!

Fonte: www.saf.org.br

Dia Mundial de Ação de Graças

A idéia de transformar o "Dia de Ação de Graças" em acontecimento unversal nasceu de um brasileiro, Joaquim Nabuco, quando Embaixador do Brasil em Washington.

Em 1909, na Catedral de São Patrício, ao final da primeira Missa Pan-Americana, que celebrava o "Dia de Ação de Graças", o Embaixador brasileiro formulou publicamente o seguinte voto: "Eu quisera que toda a humanidade se unisse, no mesmo dia, para um agradecimento universal a Deus".

O diplomata brasileiro soube expressar em sua idéia todo o conhecimento que tinha sobre a população de seu país, baseado em seu passado histórico, firmando sempre, desde as origens, nas tradições cristãs do respeito à liberdade e aos direitos humanos, na proibição constitucional das guerras, na busca de solução dos conflitos sem derramamento de sangue, enfim, um país voltado para a paz.

No Brasil, o "Dia Nacional de Ação de Graças" foi instituído por meio da Lei nº 781, de 17 de agosto de 1949, pelo presidente Eurico Gaspar Dutra.

O Decreto nº 57.298, de 19 de novembro de 1965, regulamenta as comemorações do "Dia Nacional de Ação de Graças". Finalmente, a Lei nº 5.110, de 22 de setembro de 1966, determina que o "Dia Nacional de Ação de Graças" seja comemorado na 4ª quinta-feira do mês de novembro, sendo o Ministério da Justiça o órgão legalmente incumbido de promover a sua celebração.

Histórico

A Comissão do Dia Nacional de Ação de Graças, do Ministério da Justiça, vem cumprindo suas atribuições de fazer a semana preparatória, com as mensagens oficiais e a cerimônia do "Te Deum", com todas as características especificadas no Decreto, cuidando da sua divulgação.

O relato das várias celebrações em todo o território nacional demonstram o interesse dos órgãos públicos e segmentos religiosos em comemorar o dia, bem como o envolvimento das autoridades eclesiásticas de vários pontos do país, em participar e apoiar o evento.

Um histórico de abrangência mundial registra como o mais longínquo "Te Deum" o que fez Cristóvão Colombo, em 1492, quando chegou à América, agradecendo a Deus pela descoberta.

Registra-se também que Cabral, quando chegou ao Brasil em 1500, rezou uma missa de agradecimento nas praias da Bahia.

Nos EUA, em 1612, os Peregrinos iniciaram a comemoração como "Dia de Ação de Graças" que evoluiu sempre mais, pois em 1789, o Presidente George Washington oficializava a comemoração. Em 1863, o Presidente Lincoln determinava sua realização para a última quinta-feira do mês, sendo que estabelecia, também ele, que era esse dia feriado nacional.

O dia continuou a ser sempre comemorado, e em 1939 o Presidente Franklin D. Roosevelt proclamou essa comemoração para a quarta quinta-feira do mês, sendo essa data oficializada no Congresso Americano em 1941.

Para os estadunidenses as comemorações religiosas são acompanhadas de jantar de confraternização, com o tradicional peru e a torta de abóbora, que se tornaram símbolo desse dia.

Fonte: www.mj.gov.br

Dia Mundial de Ação de Graças

Histórico

Encontramos relatos de comemorações e festas, expressando a alegria e a gratidão pelas colheitas, desde os povos antigos. Na época medieval eram organizados Festivais da Colheita. Porém o Dia de Ação de Graças, propriamente dito, nasceu nos Estados Unidos. Um grupo de ingleses, fugindo de perseguição religiosa, se estabeleceu nos Estados Unidos, no atual estado de Massachusetts. Passaram por muitas dificuldades pela escasses de recursos e desconhecimento da nova realidade. Aprenderam com os nativos a cultivar a terra, especialmente o cultivo do milho.

Em 1621 fizeram a primeira colheita. E foi abundante. Reuniram-se para agradecer a Deus por esta colheita. Esta celebração se tornou costume e foi se ampliando até ser proclamado o Dia Nacional de Ação de Graças pelo presidente americano George Washington. É celebrado na quarta quinta-feira do mês de novembro.

Também no Brasil, desde 1949, foi instituído o Dia de Ação de Graças. A lei foi regulamentada em 1965 pelo presidente Castelo Branco, e é celebrado também na quarta quinta-feira de novembro.

O Thanksgiving é um dos feriados mais importantes dos Estados Unidos.

É uma festa familiar e se preserva a tradição de preparar comidas similares às que aqueles primeiros colonos tinham disponível: peru (consumido por cerca de 90% de americanos), purê de batatas, milho cozido, torta de maça...

Entre nós o Dia de Ação de Graças é uma celebração mais comunitária, religiosa ou não, e não se refere somente à colheita dos frutos da terra, mas é uma expressão de gratidão por todas as conquistas obtidas durante o ano.

Fonte: www.mundojovem.pucrs.br

Dia Mundial de Ação de Graças

Dia Nacional de Ação de Graças

Objetivo

Celebrar, na comunidade escolar, o Dia Nacional de Ação de Graças, em comunhão com o mundo inteiro, reconhecendo a importância desta comemoração na vida dos cristãos.

A gratidão na bíblia

“Observarás a solenidade da ceifa e das primícias do teu trabalho, de tudo o que tiver semeado no campo; e também a solenidade do fim de ano, quando tiveres recolhido todos os teus frutos do campo. (...) Levarás à casa do Senhor, teu Deus, as primícias dos frutos da tua terra.” (Ex 23, 16; 19a)

A história da festa

A festa da colheita - Gratidão a Deus!

O Dia de Ação de Graças é, na verdade, uma festa da colheita e remonta aos festivais de colheita tradicionais em muitas partes do mundo desde os tempos antigos.

Nos Estados Unidos da América, onde esta comemoração começou com mais efusão, a primeira comemoração em ação de graças não teve relação com uma boa colheita. Em 4 de dezembro de 1619, colonos vindos da Inglaterra desembarcaram perto do atual estado da Virgínia. Eles se ajoelharam e agradeceram a Deus por terem feito uma viagem segura pelo Atlântico.

O primeiro ano na América fora difícil para os colonos. Muitos morreram. Mas, no ano seguinte, 1621, tiveram uma boa colheita e decidiram comemorar durante três dias. Os índios, que eram amigos dos colonos, foram convidados a participar. Todos trouxeram comida. Havia peixe, caça, peru, pato e pudim de milho feito pelos índios.

A festa de ação de graças no Brasil

Criado inicialmente nos Estados Unidos, o Dia de Ação de Graças se desenvolveu através de outros países. É o dia em que todos os cristãos, irmanados, devem render graças a Deus por todos os benefícios recebidos. É uma comemoração da vida doméstica, centrada na casa e na família.

No Brasil “De acordo com a Lei nº 781, de 17/08/1949, e com o Decreto nº 57.298, de 19/11/1945, o Dia Nacional de Ação de Graças é comemorado em todo o país, na última quinta feira de novembro de cada ano”.

Façamos revisão de tudo que o Criador nos dá: sol brilhante, céu azul, montanhas, mar, minerais, vegetais, animais, os sentimentos de bondade, de generosidade, a capacidade de fazer o bem, a capacidade de perdoar, a capacidade de amar.

Por tudo que temos neste mundo, vamos, nesse dia, render graças a Deus.

VAMOS CELEBRAR O DIA NACIONAL DE AÇÃO DE GRAÇAS, ELEVANDO PRECES DE GRATIDÃO E PARTILHANDO O PÃO!

O pão na celebração

O Pão é alimento universal.

Pela sua composição principal – água e trigo – tornou-se alimento símbolo da simplicidade, universalidade, partilha e libertação.

Pão ázimo (sem fermento) - O Pão foi o símbolo da Páscoa da Libertação do povo hebreu, na fuga do Egito, quando reféns do Faraó.

“Durante sete dias vocês comerão pães sem fermento. (...) Vocês observarão a festa dos Pães sem fermento, porque nesse mesmo dia eu fiz o exército de vocês sair do Egito.” (Ex 12, 15a; 19a)

Pão Eucarístico

Na Páscoa do Senhor, na última ceia, Jesus reparte o pão e o vinho entre seus discípulos e institui a Eucaristia.

“Enquanto comiam [na última ceia], Jesus tomou um pão e, tendo pronunciado a bênção, o partiu, distribuiu aos discípulos, e disse: Tomem e comam, isto é o meu corpo. Em seguida, tomou um cálice, agradeceu, e deu a eles dizendo:Bebam dele todos, pois isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, que é derramado em favor de vocês, para remissão dos pecados”. (Mt 26, 26-28)·

Vamos realizar uma ação conjunta para agradecer a Deus pelo pão nosso de cada dia, pelos dons, pelo planeta Terra, pela cura, pelos amigos, pelos familiares, pelo trabalho, pela vida!

Agradecer sempre

“Caminhando para Jerusalém, aconteceu que Jesus passava entre a Samaria e a Galiléia. Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos foram ao encontro dele. Pararam de longe e gritaram: ‘Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!’ ao vê-los, Jesus disse: ‘Vão apresentar-se aos sacerdotes’. Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. Ao perceber que estava curado, um deles voltou atrás dando glória a Deus em alta voz. Jogou-se no chão, aos pés de Jesus e lhe agradeceu. E este era um samaritano. Então Jesus lhe perguntou: ‘Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão?’

Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser um estrangeiro.

E disse a ele: ‘Levanta-te e vai.Tua fé te salvou’. (Lc 17, 11-19)

Fonte: www.sagrada.net

Dia Mundial de Ação de Graças

Dia Nacional de Ação de Graças

“Que o Senhor te escute no dia da provação, e te proteja o nome do Deus de Jacó. Do seu santuário Ele te socorra; e de Sião Ele te sustente. E ouvi-nos no dia em que Vos invocamos” (Salmo 19).

O dia de Ação de Graças é um dia de gratidão a Deus pelos bons acontecimentos ocorridos durante o ano, com orações, abraços de confraternização e com festas. Os primeiros dias de Ação de Graças na “Nova Inglaterra”, atuais Estados Unidos da América eram festivais de gratidão a Deus e agradecimento às boas colheitas anuais. Por essa razão, é festejado no outono do hemisfério norte, após a colheita ter sido recolhida. O dia, portanto, na quinta-feira, próxima ao dia 26 de novembro.

O primeiro dia foi celebrado em Plymouth, Massachusetts, pelos agricultores que fundaram a vila em 1619. Após péssimas colheitas e um inverno rigoroso, os colonos tiveram uma boa colheita de milho no verão de 1621. Por ordem do governador da vila, em homenagem e reconhecimento em relação aos anos anteriores, uma festividade foi marcada no início do outono de 1621. Os homens de Plymouth mataram patos e perus; outras comidas fizeram parte do cardápio, como peixes e milho. Nos próximos anos, festividades similares foram realizadas em Plymouth, mas nenhuma data tradicional havia sido determinada. Tais festividades espalharam-se da vila para outras vilas e cidades da Nova Inglaterra. Na Revolução americana de 1766, oito dias de gratidão foram introduzidos em homenagem às vitórias das 13 colônias sobre as tropas inglesas. Em 1789, o presidente americano George Washington confirmou o dia 26 de novembro como um dia nacional de Ação de Graças. Em 1863, o então presidente dos Estados Unidos, Abraham Lincoln, declarou que a última quinta-feira do mês de novembro seria um dia de Ação de Graças. Por fim, o Congresso norte-americano instituiu que o dia Nacional de Ação de Graças seria comemorado definitivamente na quinta-feira da quarta semana de novembro e como um feriado nacional.

A data de então é comemorada atualmente em todo o mundo como um dia internacional de agradecimento; e com a proximidade do Natal e, no hemisfério sul, das férias, se justifica como um dia de voltar-se para Deus, o grande doador da vida e de seus dons, e ao próximo pela sua presença e companheirismo no dia-a-dia da vida familiar, da vida social e do trabalho. Numa dimensão de fé religiosa, o dia de Ação de Graças quer ser um grande hino de louvor ao Criador pelos inúmeros benefícios concedidos e reconhecidos pela criatura criada à sua “imagem e semelhança” (Gn 1, 26); pois há mais alegria em dar do que em receber, diz o apóstolo Paulo; é dando que se recebe, diz o pai universal, Francisco de Assis; quanto mais agradecemos, menos temos necessidade de pedir diz Michel Quoist.

O dia de Ação de Graças é, geralmente, um dia familiar e de convívio com as pessoas mais próximas, também no trabalho, na escola, na universidade e, por ser em alguns países, feriado nacional, é um dia para as pessoas dedicarem seu tempo para pensamentos religiosos, serviços na igreja e muitas orações.

Esse dia quer ser a síntese de cada um e de todos nós para podermos dizer: Graças dou por esta vida, pelo bem que revelou. Graças dou pelo futuro e por tudo que passou.

Pelas bênçãos derramadas, pela dor, pela aflição. Pelas graças reveladas, graças dou pelo perdão. Graças pelo azul celeste e por nuvens que há também. Pelas rosas no caminho e os espinhos que elas tem. Pela escuridão da noite, pela estrela que brilhou. Pela prece respondida e a esperança que falhou. Pela cruz e o sofrimento e também ressurreição. Pelo amor que é sem medida, pela paz no coração. Pela lágrima vertida e o consolo que é sem par. Pelo dom da eterna vida, sempre graças hei de dar.

Pedro Alberto Kunrath

Fonte: www.saosebastiaoportoalegre.org.br

Dia Mundial de Ação de Graças

Dia Nacional de Ação de graças: Agradecer a Deus pelos inúmeros dons e benefícios que nos concede é um dos gestos mais dignos do ser humano.

Conhecendo a história

Este dia tem sua origem no ano de 1620, quando um grupo de cristãos fugindo da perseguição do Rei Jaime I deixaram a Inglaterra e se estabeleceram nos Estados Unidos. Eram chamados os “Pilgrim Fathers’ (pais peregrinos), que após muitas dificuldades, tiveram uma colheita abundante e se reuniram para um Culto de Ação de Graças ao Senhor da terra e da vida. No Brasil, a idéia nasceu em 1909, quando Joaquim Nabuco, embaixador do Brasil, participou de um desses cultos em Nova Iorque, na Igreja de São Patrício. Somente 40 anos depois, no governo de Eurico Gaspar Dutra é que foi instituído o dia Nacional de Ação de Graças pela lei nº 781. Então, a partir de 19 de novembro de 1965, pelo decreto nº 57.298, esse dia passou a ser comemorado na quarta quinta-feira do mês de novembro.

Concepção bíblica de Ação de Graças

A ação de graças é uma constante na cultura, no imaginário bíblico. Na tradição judaica e cristã o ato de agradecer a Deus, louvar e bendizer Aquele que é a fonte de toda vida, de todo o bem é chamado de berakah.

A bênção ou ação de bendizer envolve uma tríplice relação: com Deus, com os semelhantes e com o universo. Mantêm unidos e inseparáveis estes três pólos.

Portanto, neste dia, ninguém deveria participar de nenhuma celebração de mãos vazias. É dia de louvor – dimensão vertical da ação de graças – dia de partilha –dimensão horizontal – e dia de compromisso com o cosmos, o universo, o planeta – dimensão ecológica.

Deus - é reconhecido como a fonte da vida e de todo o bem.

É acolhido como “princípio” e “fim” para que a criação chegue à sua plenitude. A pessoa humana recebe, usufrui e multiplica, reconhecendo a Deus como origem e real proprietário de todas as coisas. É a intérprete do mundo e destinatária dos bens da terra. Responsável também pela sua preservação e administração. O universo é sacramento e dom. Sinal inesgotável da bondade de Deus e dom concreto para o ser humano e que, ao ser aceito, deve ser compartilhado.

Ação de Graças e comunidade

Somos seres de e para a relação. Não somos da e nem para a isolação. Somos seres, portanto, comunitários. A comunidade que vive plenamente a ação de graças é aquela na qual as pessoas percebem que não estão sozinhas, não são auto-suficientes, não se bastam, mas reconhecem seus limites e a necessidade de ações solidárias. Por isso, a autêntica ação de graças impulsiona a pessoa à partilha e ao serviço.

Numa sociedade individualista, consumista, dominada pela ideologia do mercado, do consumo, o dom recebido em ação de graças se contrapõe a ideologia de posse, do meu, da propriedade, do individual. É antes entendido e vivido como bem de salvação e libertação para todos. Somos guardiões do dom para distribuí-lo principalmente àqueles que necessitam. Não importa a natureza do dom, seja ele material ou intelectual, seja da palavra ou da criatividade, do acolhimento ou da liderança, da coragem ou da serenidade é sempre para a comunidade que ele se dirige. O documento de Aparecida diria que o dom é para a missionariedade.

A ação de bendizer possui um poder transformador mediante o qual reconhecemos a paternidade de Deus. Por exemplo, ao bendizermos a Deus pelo pão, reconhecemos que o pão não é nosso, não é do ser humano mas, de Deus.

Com a bênção (berakah) renunciamos ao poder sobre as coisas. Reconhecemos a prevalência de Deus. Do absoluto, do eterno. Realizamos a passagem da “posse” para o “reconhecimento” e para o “serviço”.

Para a liberdade, portanto. Aí está o segredo. Concluindo, podemos dizer que Ação de Graças, muito mais do que proferir palavras, orações e cantos é uma atitude, um modo de viver e de ser, onde prevalece o sair de si, a partilha, o servir.

Como diz o profeta Amós: “Eu desprezo vossas festas, tenho horror dessas reuniões.

Ainda que vocês me ofereçam sacrifícios, suas ofertas não me agradarão, nem olharei para as oferendas gordas. Longe de mim o barulho de seus cânticos, nem quero ouvir a música de vossas liras. Eu quero, isso sim, ver brotar o direito como água e correr a justiça como riacho que não seca”(Am 5, 21-24).

Wilson Lill

Fonte: www.itepa.com.br

Dia Mundial de Ação de Graças

"Em tudo, daí graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco". I Tessalonicenses 5.18.

"Quando falamos em gratidão recordamos das 102 pessoas que viajaram no navio Mayflowers, no ano de 1620, abandonando a Inglaterra devido a perseguições religiosas.

Esse grupo sofreu ante as intempéries do tempo, falta de experiência no cultivo da terra e tendo ainda que construir suas casas antes que o inverno chegasse.

Receberam ajuda dos índios americanos, que lhes ensinaram a lavrar, a plantar e a caçar. No ano seguinte, quando chegou a época de colher os frutos, ficaram maravilhados com a fartura.

Após a colheita se reuniram para comer e agradecer a Deus por aquela bênção e pela terra que haviam escolhido para sua pátria.

No ano de 1909, Joaquim Nabuco, embaixador do Brasil nos EUA assistiu ao dia de ação de graças e, impressionado, declarou: "quisera que toda a humanidade se unisse neste mesmo dia, para um Universal agradecimento a Deus".

Mas foi o presidente Eurico Gaspar Dutra que instituiu o Dia Nacional de Ação de Graças, em 17/08/49.

O presidente Castelo Branco regulamenta no ano de 1965, quando se oficializa a quarta quinta-feira do mês de novembro para a comemoração em todo território Nacional".

O relatório das Nações Unidas, divulgado em março de 2004, declara que, no mundo, existem mais de 800 milhões de pessoas que passam fome. Diariamente cinco mil pessoas morrem de inanição. A cada ano, seis milhões de crianças de até cinco anos são vítimas diretamente da fome ou de doenças por esta provocadas.

O mais vergonhoso é que isto não acontece por falta de alimentos. No ano passado a produção mundial de cereais chegou a 1,83 bilhões de toneladas - o que equivale a 300 quilos por habitante/ano, ou quase um quilo por dia para cada um dos 6,1 bilhões de habitantes do planeta.

O problema está na repartição. Temos riqueza e alimento em quantidade maior do que o necessário para que todos possam comer e viver dignamente.

Mas, como dizia Gandhi: a riqueza da terra é suficiente para todos, mas não para saciar a ganância dos poucos que dominam o mundo.

A maioria das pessoas celebra o dia de Ação de Graças com a família e amigos para um banquete. Em muitas comunidades as igrejas são decoradas com frutas, flores e plantas.

Pergunto: e o que estamos fazendo para celebrar esse dia com o nosso próximo que não tem casa, família, alimento?

Enfim, é bom que tenhamos um dia Nacional de Ação de Graças e que ele possa ser um momento de gratidão por toda a criação, pelas belezas da natureza, por todos os talentos presenteados à humanidade e principalmente pela ação do repartir que estaremos realizando durante todos os momentos de nossa vida.

Que cada um de nós, independente da fé ou crenças, possamos agradecer pela dádiva da vida.

Que possamos agradecer a Deus pela saúde, o amor, a pátria, o trabalho, a família. Que reconheçamos a bondade de Deus e com hinos, cantos, orações, contemplação e principalmente AÇÃO, possamos transformar a sociedade na qual estamos vivendo.

Fonte: www.metodista.br

Dia Mundial de Ação de Graças

O Dia de Ação de Graças é comemorado na quarta Quinta-feira de Novembro. Nesta data, pessoas de todas as religiões dão graças pelas dádivas alcançadas.

As famílias se reúnem e comemoram com a ceia tradicional, após as preces e os cultos de cada religião em comunhão espiritual à benevolência de Deus misericordioso.

Segundo a tradição, o primeiro Dia de Ação de Graças americano aconteceu em 1621. A festa foi feita junto aos integrantes da tribo Wampanoag, convidados dos colonos ingleses fundadores da colônia Plymouth, estado de Massachusetts.

Num gesto de delicadeza, os índios levaram comida aos ingleses. Só em 1789, por idéia do então presidente George Washington, a data se tornou feriado. Para aqueles que estão no caminho espiritual, o Dia de Ação de Graças anuncia formalmente a chegada do Natal e simboliza a gratidão que sentimos a medida em que nos aproximamos de Deus.

Da mesma forma que o dia de Ação de Graças precede o Natal, o coração, que é constantemente agradecido, é um precursor do glorioso nascimento interno da consciência Cristã que é a alegre realização da Presença Divina em toda a criação.

Oferendas internas, conscientes de agradecimento, abrem nossos olhos novamente para as incontáveis manifestações de Deus em nossa volta, emocionando-nos com uma capacidade nova de admirar e sentir júbilo na vida diária.

O Dia de Ação de Graças é o dia especialmente dedicado à gratidão. A rigor, todos os dias deveriam ser de ações de graças. Em todas as circunstâncias, em todos os momentos, deveríamos ser gratos a Deus.

"Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus, em Cristo Jesus, para convosco". I Tessalonicenses 5.18.

Agradecer a Deus, entendendo que tudo lhe pertence e que providencia o melhor para nós, é sinal de amor e de obediência à Sua vontade. No ano de 1909, Joaquim Nabuco, Embaixador do Brasil nos Estados Unidos, assistiu a um Culto de Ação de Graças. Ficou tão impressionado que declarou: "Quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus".

Em 1949, foi votada no Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra, a Lei no 781, que instituiu no Brasil o Dia Nacional de Ação de Graças.

Fonte: www.sjose.com.br

Dia Mundial de Ação de Graças

"Aleluia!
Dai graças ao Senhor,
porque ele é bom;
porque a sua benignidade
dura para sempre.
(Salmos 118, versículo 1º)

A primeira festa de ação de graças data do século XVII, proveniente, talvez, dos tradicionais festivais de colheita realizados em várias partes do mundo desde a antigüidade.

O Dia Nacional de Ação de Graças é comemorado na 4a quinta-feira do mês de novembro, data em que as pessoas de todas as religiões dão graças pelas dádivas alcançadas.

O primeiro Dia de Ação de Graças americano aconteceu em 1621. A festa foi feita pelos colonos ingleses fundadores da colônia Plymouth, no estado de Massachusetts.

Os convidados foram os índios da tribo Wampanoag. Em 1789, a data se tornou feriado por instituição do então presidente George Washington.

Em 1909, Joaquim Nabuco, embaixador do Brasil nos Estados Unidos, assistiu a um culto de Ação de Graças.

Ficou tão impressionado, que declarou: "Quisera que toda a humanidade se unisse, num mesmo dia, para um universal agradecimento a Deus". Sancionada pelo presidente Eurico Gaspar Dutra a lei no 781, de 17/08/1949, instituiu no Brasil, pela primeira vez, o Dia Nacional de Ação de Graças.

Essa lei foi alterada pela lei no 5.110, de 22/09/1966, assinada pelo presidente Castello Branco. Estabeleceu a comemoração na 4a quinta-feira de novembro.

Fonte: www.paulinas.org.br

Dia Mundial de Ação de Graças

Introdução

O Dia de Ação de Graças se destaca na época de feriados porque pode ser comemorado por praticamente todo mundo. Ele não está ligado a uma religião específica e as pessoas podem celebrá-lo da maneira como quiserem. As únicas tradições essenciais são fazer uma refeição com amigos ou com a família e agradecer pelo que se tem. No mundo dos feriados, o Dia de Ação de Graças é o mais simples e puro possível.

O feriado também honra a história norte-americana, é claro. Em inúmeras peças escolares, crianças norte-americanas contaram a história do primeiro Dia de Ação de Graças, quando os peregrinos e os nativos norte-americanos celebraram a colheita de outono em cooperação e aceitação.

Você já se perguntou de onde realmente vieram os detalhes dessa história e do Dia de Ação de Graças? Neste artigo, conheceremos as origens de muitas coisas que associamos a esse dia.

Em geral, pensamos que o Dia de Ação de Graças é um feriado exclusivamente dos Estados Unidos, mas na verdade existe uma grande tradição de celebrações na época da colheita e de Ação de Graças.

Todo outono, os antigos gregos faziam uma celebração de três dias para reverenciar Deméter, a deusa do trigo e dos cereais. Os romanos faziam uma celebração parecida, na qual reverenciavam Ceres, a deusa do trigo (a palavra "cereal" é derivada de Ceres). A celebração dos romanos tinha música, desfiles, jogos, esportes e um banquete de Ação de Graças. Era muito parecida com o Dia de Ação de Graças atual.

Uma curiosidade: um dos símbolos mais importantes do Dia de Ação de Graças, a cornucópia, na verdade vem da época dos antigos gregos e romanos. O termo (geralmente descrevendo um vaso em forma de chifre com frutas, flores e outras guloseimas) vem do latim cornu copiae, o que literalmente significa "corno da abundância". Na mitologia grega, a cornucópia é um chifre de cabra que foi enfeitiçado por Zeus para produzir uma quantidade infinita do que seu dono desejar.

Os antigos chineses faziam uma festa de colheita chamada Chung Ch'ui para celebrar a lua cheia. As famílias se reuniam para fazer um banquete, que incluía bolos redondos e amarelos chamados "bolos de lua". Na cultura judaica, as famílias também realizavam uma festa de colheita chamada Sukkoth. A Sukkoth vem sendo celebrada há 3 mil anos, com a construção de cabanas com galhos, que são chamadas de succots. Por oito dias, as famílias judaicas fazem suas refeições nessas cabanas, sob o céu noturno. Os antigos egípcios participavam de uma festa de colheita que reverenciava Min, o deus da vegetação e da fertilidade. Desfiles, música e esportes faziam parte dessas festividades.

Nas Ilhas Britânicas, a maior precursora do Dia de Ação de Graças foi uma festa de colheita chamada Lammas Day (Dia de Lammas). O nome é uma mistura das palavras loaf (pão) e mass (massa) no inglês antigo. No Lammas Day, todas as pessoas vão até a igreja com um pedaço de pão feito com o trigo da primeira colheita. A igreja abençoa o pão para agradecer pela colheita daquele ano.

O Dia de Ação de Graças também está relacionado à prática dos puritanos ingleses de escolher determinados dias para agradecer.

Essas cerimônias extremamente religiosas acontecem, em geral, após épocas de grande dificuldade: os puritanos louvavam a Deus e agradeciam a Ele por tê-los libertado do sofrimento. Na prática, o Dia de Ação de Graças norte-americano não tem muita coisa em comum com essas tradições religiosas, mas a intenção é muito parecida. E, como veremos, o feriado norte-americano realmente começou com os puritanos.

Dia Mundial de Ação de Graças
"The Landing of the Pilgrims", um quadro de Henry A. Bacon

O Dia de Ação de Graças atual tem suas principais origens na história dos Estados Unidos. Em 1609, um grupo de puritanos que estava fugindo da perseguição religiosa na Inglaterra foi viver na Holanda. Esses puritanos moraram na Holanda por alguns anos até que um grupo de investidores ingleses, os Mercadores Aventureiros, financiou uma viagem para o Novo Mundo.

No dia 6 de setembro de 1620, eles içaram as velas em um navio chamado Mayflower. Cento e dez puritanos, que agora são chamados de peregrinos, deixaram a Inglaterra e chegaram ao Novo Mundo depois de 65 dias. Eles se acomodaram em uma cidade chamada Plymouth, que ficava onde hoje é Massachusetts. O primeiro inverno dos peregrinos foi tão intenso que menos de cinqüenta pessoas do grupo conseguiram sobreviver.

Mito dos peregrinos

Quando pensamos em peregrinos, geralmente imaginamos que eles usavam apenas roupas pretas e brancas e que tinham fivelas em seus chapéus, roupas e sapatos. Na verdade, as fivelas só viraram moda depois do século XVII; normalmente, as pessoas só usavam roupas pretas e brancas aos domingos. As mulheres geralmente usavam roupas nas cores vermelha, verde, marrom, violeta, azul ou cinza, e os homens usavam branco, bege, preto, verde e marrom.

No dia 16 de março de 1621, um índio Abnaki chamado Samoset entrou no povoamento de Plymouth. Ele saudou os peregrinos em inglês e no dia seguinte voltou com um outro nativo norte-americano chamado Squanto, que falava inglês bem. Com a ajuda de Squanto, os peregrinos conseguiram sobreviver no Novo Mundo. Squanto ensinou a eles como extrair seiva das árvores, como evitar plantas que eram venenosas e como plantar milho e outros alimentos.

A colheita de outubro foi muito bem-sucedida, em grande parte graças à ajuda dos nativos norte-americanos. Os peregrinos tiveram comida suficiente para o inverno e tinham aprendido a sobreviver no Novo Mundo. O governador dos peregrinos, William Bradford, decidiu realizar um banquete de celebração e convidou os vizinhos nativos norte-americanos. Os nativos norte-americanos também trouxeram comida, e a celebração durou três dias. Os historiadores acreditam que essa celebração tenha acontecido em algum dia de outubro.

Dia Mundial de Ação de Graças
"The First Thanksgiving at Plymouth", uma pintura a óleo de Jennie A. Brownscombe

Muitos consideram o primeiro Dia de Ação de Graças como um exemplo de que pode haver grande respeito e cooperação entre duas culturas diferentes.

Outros, porém, o consideram um símbolo da perseguição dos nativos norte-americanos pelos colonizadores. Infelizmente, o espírito amigável do primeiro Dia de Ação de Graças foi uma pequena exceção em uma longa história de matança entre as tribos nativas e os colonizadores europeus. Hoje em dia, essa parte da história da nação influencia muitos norte-americanos.

Em 1970, alguns nativos norte-americanos começaram a realizar o Day of Mourning (Dia de Luto) no Dia de Ação de Graças, para lembrar a violência e a discriminação sofridas por seus ancestrais. O Dia de Luto é celebrado por um grupo de pessoas no topo da "Coles Hill", que dá vista para Plymouth Rock.

Dia de Ação de Graças no espaço

A primeira refeição feita na Lua por Neil Armstrong e Buzz Aldrin tinha peru e outros pratos do Dia de Ação de Graças, apesar de ter acontecido no meio do verão.

Não se sabe se os próprios peregrinos chamaram aquele primeiro banquete de celebração de Ação de Graças, mas eles certamente estavam celebrando a abundância de comida e a paz com seus vizinhos nativos norte-americanos. Dois anos depois, os peregrinos estabeleceram mais claramente a tradição do Dia de Ação de Graças. Depois de um longo período de seca, os peregrinos estavam realizando um dia de jejum e de preces quando começou a chover. Para agradecer o fim da seca, os peregrinos celebraram um Dia de Ação de Graças de verdade.

O costume de celebrar a boa sorte com um Dia de Ação de Graças rapidamente se espalhou pela Nova Inglaterra. No início dos Estados Unidos, os novos líderes da nação começaram a proclamar pelo país inteiro as celebrações do Dia de Ação de Graças. Na Revolução Americana, por exemplo, o Congresso Continental exigiu um Dia de Ação de Graças para celebrar a vitória dos Estados Unidos na Batalha de Saratoga. Em 1789, o presidente George Washington exigiu um Dia de Ação de Graças em reconhecimento à homologação da Constituição dos EUA.

Em 1817, o estado de Nova York oficialmente adotou um Dia de Ação de Graças anual e alguns outros estados seguiram o exemplo. A maioria celebrava o dia em novembro e alguns poucos, em dezembro. Em meados de 1800, uma editora de revistas chamada Sarah Josepha Hale fez uma campanha para que o Dia de Ação de Graças se tornasse um feriado nacional.

Em 1863, o presidente Abraham Lincoln fez exatamente isso: proclamou que o Dia de Ação de Graças seria no último dia de novembro.

Depois da Guerra Civil, o Congresso fez do Dia de Ação de Graças um feriado nacional. Inicialmente, muitos moradores do sul dos EUA consideraram que a parte norte estava tentando induzir o país inteiro a seguir suas tradições particulares. Mas, no fim, todos aceitaram o feriado.

Em 1939, o presidente Franklin Roosevelt mudou o Dia de Ação de Graças para uma semana depois da data anterior para satisfazer os comerciantes, que queriam uma época de compras de Natal mais longa. Muitas pessoas recusaram a mudança e continuaram a comemorar o Dia de Ação de Graças na última quinta-feira de Novembro, como antes. Alguns adversários até mesmo chamaram o novo Dia de Ação de Graças do Roosevelt de "Franksgiving". Em 1941, o presidente Roosevelt assinou um projeto de lei para que o Dia de Ação de Graças fosse oficialmente comemorado na quarta quinta-feira de novembro. Isso significa que o Dia de Ação de Graças cai na última quinta-feira do mês em alguns anos e na penúltima em outros anos.

Os símbolos mais significativos dessa comemoração são os alimentos que os americanos consomem no jantar de Ação de Graças. De maneira geral, esses alimentos celebram o país e o cultivo tradicional. A maioria dos pratos tradicionais do Dia de Ação de Graças é composta por alimentos muito simples da parte norte dos EUA.

Dia Mundial de Ação de Graças
Detalhe de uma reprodução fotográfica do quadro de meados dos século XX de J.L.G. Ferris, "First Thanksgiving"

O maior símbolo do Dia de Ação de Graças é o peru. Provavelmente, essa ligação vem desde o início da comemoração de Ação de Graças. Quando aconteceu a primeira comemoração, o governador William Bradford comentou sobre "a grande abundância de perus selvagens". O peru é tão importante para o feriado do Dia de Ação de Graças que mais de 90% dos americanos comem peru nesse dia.

Todo ano, o presidente dos EUA captura um peru na noite anterior ao Dia de Ação de Graças. Essa tradição começou há 50 anos, com Harry Truman, e continua até hoje. O peru capturado passa, então, a viver no Kidwell Farm, um zoológico em Virgínia.

Depois do peru, o prato mais importante na mesa é o milho. Provavelmente os peregrinos não teriam sobrevivido se os nativos norte-americanos não tivessem ensinado a eles sobre os alimentos nativos. Por isso, o milho é o símbolo da sobrevivência dos colonizadores, assim como da colheita e do outono.

As amoras provavelmente estavam na primeira mesa de Ação de Graças. Os índios norte-americanos ensinaram os peregrinos a fazer um molho de amora chamado "ibimi", que significa fruta amarga. Quando os colonizadores viram a fruta, eles mudaram seu nome para "crane-berry", porque as suas flores se pareciam com um pássaro de pescoço comprido chamado "crane". As amoras ainda são cultivadas na Nova Inglaterra.

Além da comida, as maiores tradições do Dia de Ação de Graças são o futebol americano e os desfiles. Em antigas festas de colheita, as pessoas geralmente celebravam com jogos e esportes, então, pode-se dizer que a tradição do futebol americano tem raízes muito profundas. O jogo de futebol americano tradicional do Dia de Ação de Graças geralmente era entre o Detroit Lions e o Green Bay Packers, mas como o esporte se popularizou, agora existem mais jogos nesse dia.

A tradição dos desfiles do Dia de Ação de Graças vem desde o início do século XX, quando os moradores das cidades começaram a considerar esse dia como o início das compras de Natal. Para atrair consumidores, algumas lojas patrocinavam desfiles bem elaborados.

Finalmente, como o Dia de Ação de Graças é comemorado na quarta quinta-feira de novembro e cai em uma data diferente a cada ano, o presidente dos EUA emite uma proclamação anual para estabelecer a data da celebração. Em 1863, o presidente Lincoln começou essa tradição e desde então cada presidente emite uma proclamação do Dia de Ação de Graças.

Fonte: www.uol.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal