Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia Mundial dos Oceanos  Voltar

Dia Mundial dos Oceanos

08 de Junho

A comemoração, pela primeira vez, do Dia Mundial dos Oceanos nos permite destacar as inúmerass contribuioções dos oceanos para a sociedade.

É também uma oportunidade para reconhecer os desafios consideráveis que enfrentamos no que se refere a conservar a capacidade deles de regular o clima mundial, fornecer serviços ecossistêmicos essenciais, proporcionar meios de vida sustentáveis e atividades recreativas seguras.

Dia Mundial dos Oceanos
Oceano

De fato, as ações humanas têm efeitos terríveis nos oceanos e mares do mundo.

Ecossistemas marinhos vulneráveis, tais como os corais, e recursos de pesca importantes estão sendo destruídos pela exploração desmedida, a pesca ilegal — não declarada e não regulamentada —, as práticas pesqueiras destrutivas, as espécies exóticas invasoras e a poluição marítima, especialmente de origem terrestre.

O aumento da temperatura e nível dos mares e a acidificação dos oceanos, provocados pelas alterações climáticas, constituem novas ameaças à vida marinha, às comunidades das zonas costeiras e das ilhas e às economias nacionais.

Os oceanos são também afetados pelas atividades criminosas.

A pirataria e assaltos armados a navios ameaçam as vidas dos marinheiros e a segurança dos transportes marítimos internacionais, que asseguram a distribuição de 90% das mercadorias mundiais.

O tráfico de drogas e o tráfico de pessoas por mar são outros exemplos da ameaça que as atividades criminosas representam para a vida humana bem como para a paz e segurança dos oceanos.

Vários instrumentos internacionais criados sob os auspícios das Nações Unidas tentam encontrar soluções para esses inúmeros problemas.

Entre eles, a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar, de 1982, ocupa um lugar central.

A Convenção estabelece o quadro jurídico no qual se devem inserir todas as atividades realizadas nos oceanos e nos mares e constitui a base da cooperação internacional em todos os níveis.

Para além do objetivo da participação universal na Convenção, a comunidade internacional deve intensificar os seus esforços para que seja aplicada e para fazer respeitar o Estado de Direito nos mares e oceanos.

O tema do Dia Mundial dos Oceanos, “Os oceanos: um bem nosso, uma responsabilidade nossa”, salienta o nosso dever individual e coletivo de proteger o ambiente marinho e de gerir cuidadosamente os seus recursos.

A existência de mares e oceanos seguros, saudáveis e produtivos é essencial para o bem-estar humano, a segurança econômica e o desenvolvimento sustentável.

Fonte: unic.un.org

Dia Mundial dos Oceanos

08 de Junho

Mares e oceanos – vivos ou mortos?

Os mares e os lagos cobrem dois terços da superfície do nosso lindo planeta e têm um papel de enorme importância para todo o meio ambiente

Infelizmente, os seres humanos parecem estar fazendo o possível — em todas as partes do nosso planeta — para produzir um impacto negativo sobre os mares e, conseqüentemente, em nós mesmos.

Esse impacto vai da pesca desenfreada, usando até redes de arrasto e o despejo de lixo tóxico, à matança e à exploração dos mamíferos marinhos. As marés estão subindo e ameaçando comunidades ao redor do mundo, devido às mudanças climáticas.

No dia 5 de junho, de 2005, 150 países do mundo todo participaram das festividades do dia Internacional do Meio Ambiente, decretado em 1972 pelo Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP). No entanto, segundo o chefe da UNEP, Klaus Töpfer, não havia muito motivo para festa, pois os mares que cobrem 70% da superfície da Terra estão seriamente ameaçados pela pesca descontrolada, pela poluição e por outros fatores prejudiciais ao meio ambiente.

Eis algumas das causas desta situação preocupante:

Os mares contêm 90% da biomassa do nosso Planeta, de algas à baleia azul.

Aproximadamente 3,5 bilhões de seres humanos dependem dos mares (este número pode duplicar dentro dos próximos 20 anos).

Mais de 70% dos peixes são pescados em excesso. As reservas de atum, bacalhau e peixe espada foram reduzidas em 90% no último século.

80% da poluição marítima tem a sua origem fora dos mares. A situação tende a piorar, se, no ano 2010 — como é previsto —, 80% da população mundial viver perto dos litorais (em um raio de 100 km).

Óbitos e doenças causados pelas águas costeiras contaminadas custam anualmente 123,8 bilhões de dólares.

O material plástico descartado mata anualmente um milhão de pássaros marinhos, 100.000 mamíferos marinhos e incontáveis peixes.

Os vazamentos involuntários, despejo ilegal pela navegação e acidentes marítimos poluem anualmente os mares com enormes quantidades de óleo.

O nível do mar subiu 10 a 25 cm nos últimos 100 anos e pode subir ainda mais, inundando regiões costeiras baixas.

Dos recifes de corais tropicais localizados de 109 países, 93 já estão fortemente danificados pelo desenvolvimento econômico das regiões costeiras e pelo crescente turismo. Os recifes de corais cobrem apenas 0,5% do fundo do mar, mas 90% das espécies dependem destes recifes de maneira direta ou indireta.

Já na Conferência Internacional 2002, em Joanesburgo, em princípio houve um acordo para a criação de regiões marítimas protegidas até o ano 2012 e para reabastecer até 2015 as reservas de peixes dizimadas. A fim de evitar que a pesca descontrolada continue, foi requerida a abolição das subvenções que já representam 20% da renda da indústria pesqueira.

Porém, como costuma ocorrer nestes casos, a implantação das sugestões sensatas está demorando e continua sendo impedida por exigências nacionais de caráter egoísta e por interesses comerciais.

O secretário geral das Nações Unidas, Kofi Annan, mais uma vez advertiu com insistência que a sociedade não pode continuar permitindo que os oceanos sejam utilizados como depósitos de lixo ou que sejam explorados como fonte para abastecimento inesgotável.

Fonte: www.taps.org.br

Dia Mundial dos Oceanos

8 de Junho

O Dia dos Oceanos foi declarado pelas Nações Unidas na conferência sobre ambiente e Desenvolvimento em 1992.

Os oceanos são essenciais à segurança alimentar e à saúde e sobrevivência de qualquer forma de vida, eles impulsionam o clima e são uma parte crítica da biosfera.

O Dia Mundial dos Oceanos tem sido celebrado desde a Conferência das Nações Unidas sobre Ambiente e Desenvolvimento que se realizou no Rio de Janeiro em 1992.

Em 2008, por intermédio da Resolução A/RES/63/111, de 5 de Dezembro, a Assembleia-Geral das Nações Unidas decidiu que, a partir de 2009, o dia 8 de Junho fosse designado “Dia Mundial dos Oceanos” pelas Nações Unidas.

Este reconhecimento oficial reveste uma oportunidade para aumentar a consciência mundial para os desafios que se deparam à comunidade internacional na sua relação com os oceanos.

A campanha "salvemos os nossos mares" foi celebrado pela primeira vez nos Estados Unidos da América para celebrar esta data.

Existem cinco oceanos no nosso planeta:

Oceano Atlântico
Oceano Pacífico
Oceano Antártico
Oceano Índico
Oceano Ártico

No fundo dos mares concentram-se interessantes formas de colaboração: em troca de hospitalidade, crustáceos e pequenos peixes limpam os seus anfitriões de parasitas.

Os oceanos fornecem ao planeta a maioria dos seus padrões climáticos, de humidade e oxigênio. Sem oceanos saudáveis, a vida acabaria. No entanto, temos tratado o mesmo como se não fizesse nenhuma falta.

Quase cem milhões de toneladas de peixes e outros animais do mar são recolhidos ou capturados todos os anos, o que é mais que os oceanos podem dar; por isso é preciso tratá-los com cuidado.

Fonte: www2.portoalegre.rs.gov.br

Dia Mundial dos Oceanos

08 de Junho

Pela proteção dos oceanos de todo o mundo

Em 2008 a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou que a partir de 2009 o dia 8 de Junho seria celebrado como Dia Mundial dos Oceanos.

Neste primeiro ano as celebrações ocorrem sob o lema “Os nossos oceanos, a nossa responsabilidade”.

Dia Mundial dos Oceanos

Os oceanos têm um papel vital nas nossas vidas. Com efeito, cobrindo mais de 70% da superfície da Terra, os oceanos contribuem para a regulação do clima dando origem à maior parte da precipitação, regulam os padrões de ventos e temperaturas e são responsáveis pela prestação de inúmeros serviços.

Entre estes destacam-se a produção de oxigénio, o fornecimento de alimento através da pesca, a proteção costeira e a disponibilização de recursos não alimentares e de oportunidades de recreação.

Apesar da sua extrema importância os oceanos encontram-se atualmente ameaçados sob a pressão não só da sobrepesca - pesca excessiva - de algumas espécies, mas também de fenómenos como a destruição de habitat, poluição e a introdução de espécies exóticas invasoras, a que se associou recentemente o aquecimento global.

É assim fundamental agir prontamente em prol da integridade deste mega-ecossistema que é Oceano Global formado pelos vários oceanos com vista a assegurar o futuro, o nosso e o de todas as criaturas que nele habitam ou que dele dependem.

Este dia Mundial dos Oceanos pretende informar e consciencializar a população relativamente à problemática, incentivando à ação. Nesse sentido, o Oceanário de Lisboa promove hoje uma ação de sensibilização sobre o consumo sustentável de peixe e marisco.

Assim, os visitantes serão recebidos por educadores vestidos de azul que os informarão como seleccionar o que comprar tendo em vista a conservação da biodiversidade dos oceanos.

Fonte: naturlink.sapo.pt

Dia Mundial dos Oceanos

08 de Junho

Nem tanto ao mar

Durante muito tempo os oceanos foram encarados como uma espécie de território livre para as intervenções humanas.

Historicamente, sempre foram vistos como fornecedores inesgotáveis de alimentos e outros recursos naturais.

Suas águas aparentavam ter capacidade infinita de dissipar a poluição nelas despejada e de se recompor de qualquer tipo de agressão. Doce ilusão.

Dia Mundial dos Oceanos

Hoje, 80% dos estoques pesqueiros estão ameaçados. Os corais também correm riscos.

Desde 1950, segundo relatório da Global Coral Reef, entidade que reúne governos e ONGs, 19% da área de recifes de corais desapareceram.

O bioma que se espalha por 70% do planeta com uma biodiversidade gigantesca precisa de atenção. O Dia Mundial dos Oceanos, comemorado hoje, pode ser uma boa oportunidade para reflexão.

A preservação dos oceanos está intimamente ligada à sobrevivência do homem na Terra e a sua importância para o combate às mudanças climáticas foi reconhecida pela Conferência Mundial dos Oceanos.

O encontro, realizado no final de maio, resultou numa declaração, assinada pelos 76 países participantes, considerando os mares reguladores naturais do clima do planeta.

Batizado de Declaração de Manado, o documento propõe a criação de uma rede de reservas marinhas e recomenda a inclusão do tema “proteção dos oceanos” nas discussões internacionais sobre clima, que acontecerão em dezembro, em Copenhague, na Dinamarca.

Os oceanos podem ajudar a combater as mudanças climáticas, porque funcionam como o maior absorvedor de CO2, o principal gás do efeito estufa, do planeta.

No entanto, eles também são vítimas das mudanças climáticas, que comprometem a sua função como reguladores da temperatura mundial.

O aumento de CO2 na atmosfera faz com que os mares fiquem cada vez mais ácidos, o que, combinado com o aumento da temperatura das águas, provoca a morte dos plânctons, algas e recifes de corais - justamente os organismos responsáveis pela retirada do gás carbônico da atmosfera.

A Declaração de Manado é uma vitória, mas ainda há muito por fazer para transformar as recomendações internacionais em realidade. Menos de 1% dos oceanos do mundo estão legalmente protegidos. No Brasil, essas áreas somam apenas 0,4%.

O Ministério do Meio Ambiente propõe que sejam criadas 10% de áreas marinhas protegidas em zonas costeiras, abaixo ainda do índice proposto pela ONU, que recomenda a criação de 20%.

Meta tímida – biólogos reconhecem 40% como o percentual ideal.

As soluções para combater a degradação dos oceanos e o aquecimento global começam com a adoção de uma Política de Oceanos integrada à Política Nacional de Mudanças Climáticas, que considere os mares como reguladores climáticos e contemple medidas de mitigação e adaptação.

Fonte: virgula.uol.com.br

Dia Mundial dos Oceanos

08 de Junho

Dia Mundial dos Oceanos
Oceano

Comemoramos em 08 de junho o Dia Mundial do Oceano. Esta data foi instituída na ECO-92 no Rio de Janeiro, e teve como objetivo faze r um homenagem aos Oceanos pela sua importância para humanidade.

As águas dos oceanos ocupam aproximadamente 71 % da superfície da terra e 97 % de toda água do planeta.

Ao longo da existência humana os oceanos serviram d e fonte de alimentos e energias para a humanidade.

Pelos oceanos ocorreram as primeiras viagens além-m ar, que causaram a aproximação dos povos e o desenvolvimento industrial. Através dos oceanos o mundo ficou mais próximo, podemos dizer que por eles ocorreram à pri meira Globalização da Economia.

Ao longo do nosso desenvolvimento industrial contri buímos para a poluição dos oceanos. Segundo pesquisas, as águas dos oceanos tê m se tornados mais ácidas, dificultando sua contribuição ambiental de absorved or de dióxido de carbono, impactando no aumento do efeito estufa.

As maiores reservas de petróleo encontram nos ocean os. O desenvolvimento industrial é dependente de fontes energéticas derivadas do petró leo.

Recentemente o mundo presenciou o maior vazamento d e petróleo no Golfo do México, causado pelo afundamento da plataforma de petróleo Deepwater Horizon da empresa Britânica Bristish Petroleum. Estes acidentes ambie ntais comprometem o meio ambiente e impactam na sustentabilidade do planeta.

O Brasil com a descoberta de petróleo na camada do pré-sal, ampliará sua capacidade de produção de petróleo em mar, o que exige maiores cuidados para evitar acidentes que comprometa o meio ambiente.

É necessário que nossas lideranças políticas, além da preocupação com a distribuição dos royalties, estejam atentas para que os ganhos d e produtividade e rentabilidade com o petróleo da camada do pré-sal ocorram em equilíbrio com o meio ambiente.

Afinal, precisamos respeitar os limites biofísicos do planeta.

Alberto Jorge Silveira

Fonte: www.crq17.org.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal