Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Dia do Surdo  Voltar

Dia do Surdo

Dia do Surdo

Dia do Surdo

A audição é o sentido responsável pela percepção dos sons. Nos seres humanos, os receptores auditivos estão localizados no ouvido interno. A fala é a capacidade de os seres humanos emitirem sons inteligíveis, formando palavras. O surdo-mudo é uma pessoa que tem ambas as deficiências: auditiva e da fala.

A audição é o sentido responsável pela percepção dos sons. Nos seres humanos, os receptores auditivos estão localizados no ouvido interno. A fala é a capacidade de os seres humanos emitirem sons inteligíveis, formando palavras. O surdo-mudo é uma pessoa que tem ambas as deficiências: auditiva e da fala.

Muitas pessoas acreditam que o surdo-mudo vive isolado em função de tais limitações, mas essa crença não é verdadeira, pois ele é tão capaz de aprender quanto qualquer pessoa que não possua deficiência alguma.

Os surdos-mudos podem realizar muitos tipos de atividades; basta que desenvolvam outros sentidos e que sejam estimulados. A integração dessas pessoas na sociedade é de suma importância, por isso é preciso respeitá-las e reconhecer seus direitos.

Nem todos os deficientes auditivos (D.A.) são mudos, visto que muitos têm voz e conseguem falar se forem estimulados por fonoaudiólogos. Quando uma criança nasce com problemas de audição, é preciso estimulá-la desde cedo para que aprenda a falar. Mesmo que essa percepção se faça tardiamente, ainda assim, as chances do aprendizado da fala são grandes.

Dia do Surdo

No Brasil, há muitas instituições de apoio aos surdos-mudos. O Dicionário Libras divulga em larga escala a língua dos sinais, que facilita a comunicação dos surdos-mudos em seu dia-a-dia.

É necessário que a população aprenda mais sobre os deficientes auditivos e de fala. Isso lhe daria a real visão da capacidade criativa e produtiva dessas pessoas, visto que deficiência física não é o mesmo que deficiência mental.

Na palavra Efatá!, que significa "Abre-te!" (Mc 7, 34), pronunciada por Jesus ao curar um surdo-mudo, há um grande ensinamento: é preciso que estejamos sempre abertos ao entendimento entre os seres humanos, tenham eles as limitações que tiverem, pois todos nós possuímos, de uma maneira ou de outra, algum tipo de limitação que pode e deve ser superada com esforço e boa vontade.

Fonte: http://www.paulinas.org.br

Dia do Surdo

Surdo-mudo é um termo que foi utilizado historicamente para identificar uma pessoa surda usando uma linguagem de sinais. O termo continua a ser usado para se referir a pessoas surdas, principalmente dentro de um contexto histórico, para indicar pessoas surdas que não falam uma língua oral, ou têm algum grau de capacidade de falar, mas optam por não falar por causa da atenção negativa ou indesejada atípico da voz. Tais pessoas se comunicam usando a linguagem de sinais. Alguns consideram que seja um termo depreciativo, se usado fora do seu contexto histórico. O termo preferido hoje é simplesmente "surdo". "Surdo e mudo," "semi-surdo" e "semi-mudo" são outras referências históricas para as pessoas surdas. Destes últimos exemplos, apenas "surdo e mudo" prevalece como referência.

No passado, surdo-mudo foi considerado como um termo socialmente aceitável, geralmente para descrever as pessoas surdas que usam a linguagem de sinais, mas nos tempos modernos, o termo é frequentemente visto como depreciativo, insensível, ou socialmente e politicamente incorreto.

Na Europa e na sociedade ocidental, a maioria dos surdos são ensinados a falar com vários resultados de capacidade ou o grau de fluência. A simples identidade de "surdo" foi abraçado pela comunidade de assinar surdos desde os fundamentos da educação de surdos pública no século 18 e continua a ser o termo preferido de referência ou identidade há muitos anos. Dentro da comunidade surda há alguns que preferem o termo "surdo" como uma descrição do seu estatuto e identidade.

A classificação como um surdo-mudo tem uma importância especial na lei judaica, porque, historicamente, era impossível ensinar ou comunicar-se com eles, surdos-mudos não eram agentes morais, e, portanto, eram incapazes de possuir bens imóveis, atuar como testemunhas, ou ser punido por qualquer crime. No entanto, hoje, quando as técnicas para educar as pessoas surdas são conhecidas, eles já não são classificados como tal. A lei nunca foi sobre a surdez, por si só, mas sim sobre a incapacidade de educar uma pessoa.

Surdo em Arte e Literatura

O romance de Stephen King, The Stand, apresenta um personagem principal chamado Nick Andros que é referido como "surdo-mudo". Embora as pessoas surdas têm quase sempre uma voz, o rei interpretou o termo, literalmente, e fez Nick incapaz de vocalizar. No entanto, ele conseguia ler os lábios e fazer-se claramente entendido por mímica e por escrito.

A frase é usada em The Catcher in the Rye para indicar alguém que não fala sua mente, e não ouve nada, de fato tornar-se isolado do mundo.

O cantor personagem do romance O coração é um caçador solitário, escrito em 1940, é conhecido como "surdos-mudos".
Nas histórias de Zorro, série de televisão clássica, Zorro ajuda Bernardo, um mudo, finge que ele também não pode ouvir, a fim de obter informações para auxiliar seu mestre em sua luta por justiça.

Referências

^ Mindess, Anna (2006). Leitura entre os sinais: Comunicação Intercultural para intérpretes de língua gestual. ISBN 978-1-931930-26-0
^ Moore, Matthew S. & Levitan, Linda (2003). Para ouvir apenas pessoas, respostas para algumas das perguntas mais frequentes sobre a comunidade surda, sua cultura, e "Reality Deaf", Rochester, New York: Deaf Vida Imprensa, ISBN 0-9634016-3-7
^ Barquist, Barbara; Barquist, David (1987). "The Early Years". Em Haley, Leroy. A Cimeira de Oconomowoc: 150 Anos de Summit Town. História do Grupo Summit. p. 47.
^ O que há de errado com o uso destes termos: "surdo-mudo", "surdo e mudo", ou "deficiência auditiva"?
^ Nancy Creighton. O que há de errado com o uso dos termos: "surdo-mudo", "mudo e surdo ', ou' Hearingimpaired?. Associação Nacional dos Surdos
^ Ladd, P. (2003). Compreender Cultura Surda. Em busca de Deafhood. Toronto: Multilingual Matters.

Fonte: http://en.wikipedia.org

Dia do Surdo

26 DE SETEMBRO DIA NACIONAL DO SURDO

A Comunidade Surda Brasileira comemora em 26 de setembro, o Dia Nacional do Surdo, data em que são relembradas as lutas históricas por melhores condições de vida, trabalho, educação, saúde, dignidade e cidadania.

A Federação Mundial dos Surdos já celebra o Dia do Surdo internacionalmente a cada 30 de setembro. No Brasil, o dia 26 de setembro é celebrado devido ao fato desta data lembrar a inauguração da primeira escola para Surdos no país em1857, como nome de Instituto Nacional de Surdos Mudos do Rio de Janeiro, atual INES Instituto Nacional de Educação de Surdos.

Toda esta história começou em26 de setembro de 1857, durante o Império de D. Pedro II, quando o professor francês Hernest Huet fundou, com o apoio do imperador o Imperial Instituto de Surdos Mudos. Huet era surdo. Na época, o Instituto era um asilo, onde só eram aceitos surdos do sexo masculino. Eles vinham de todos os pontos do país e muitos eram abandonados pelas famílias

Fonte: http://www.fcee.sc.gov.br

Dia do Surdo

26 de setembro, Dia Nacional dos Surdos

O Brasil comemora, em 26 de setembro, o Dia Nacional dos Surdos. A data foi criada pela Lei nº 11.796/2008, há apenas dois anos, e deveríamos aproveitá-la para refletir sobre a inclusão das pessoas com deficiência auditiva na sociedade brasileira e perguntar se elas estão tendo seus direitos respeitados.

Uma das melhores formas de incluir os surdos na sociedade é tornando possível a comunicação deles com as demais pessoas. Para isso existe a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Você provavelmente já viu na TV um intérprete de Libras fazendo sinais com as mãos para traduzir as informações faladas para aqueles que não podem ouvir. É principalmente por meio da Libras, e também da leitura labial, que os surdos podem entender o que é dito ao seu redor.

O Decreto 5.626/2005 torna obrigatórios o ensino da Língua Brasileira de Sinais nos cursos de formação de professores e a educação bilíngue nas escolas onde estejam matriculados alunos com deficiência auditiva. Ele também obriga os órgãos públicos a terem intérpretes de Libras para facilitar o atendimento aos cidadãos surdos.

Intérprete de Libras

Mas, infelizmente, muitas dessas medidas, que deveriam ajudar na inclusão dos surdos, ainda não foram implantadas. Se você já perdeu a oportunidade de ser amigo de um coleguinha surdo porque não sabia como se comunicar com ele, que tal fazer um curso para se tornar intérprete de Libras?

Além da possibilidade de fazer novos amigos, você provavelmente terá um amplo mercado de trabalho, pois a lei dá um prazo de até 10 anos para que todas essas medidas sejam adotadas pelas universidades, escolas e órgãos públicos. Além de um emprego, você terá também a oportunidade de ajudar os surdos a saírem do silêncio e integrarem-se na sociedade.

Para falar sobre a língua dos sinais, a Turminha do MPF entrevistou Cláudia Parada, servidora da Procuradoria Geral da República e aluna do 5º semestre do curso de bacharelado em Letras/Libras, da Universidade Federal de Santa Catarina, Pólo UnB.

Fonte: http://www.turminha.mpf.gov.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal