Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  União Das Repúblicas Socialistas Soviéticas (Urss)  Voltar

União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS)

Foi o maior país do mundo e a nação comunista mais poderosa entre 1922, quando foi criada, até dezembro de 1991, quando foi extinta. A União Soviética era formada por 15 repúblicas socialistas

Federação Russa, Bielo-Rússia, Ucrânia, Letônia, Estônia, Lituânia, Armênia, Azerbaidjão, Geórgia, Casaquistão, Quirguízia, Uzbequistão, Tadjiquistão, Moldávia e Turcomênia. Ocupando mais da metade da Europa e quase 2/5 da Ásia, cobria mais de 1/7 da superfície terrestre. A União Soviética era maior do que quatro continentes

América do Sul, Antártida, Europa e Oceania. Apenas a China e a Índia tinham mais habitantes do que a União Soviética. Moscou era a capital e maior cidade da União Soviética. O nome oficial do país, em russo, era Soyuz Sovetskikh Sotsialisticheskikh Respublik. No alfabeto russo, as iniciais destas palavras são C.C.C.P. O país era comumente chamado, em português, de União Soviética. Todo esse império desmoronou com a crise do socialismo no final dos anos 80 e a abertura política implementada pelo seu último presidente Mikhail Gorbachev.

Com o fim da repressão e o enfraquecimento do poder central, várias repúblicas que haviam sido anexadas à União pela força retomaram os movimentos separatistas que haviam sido sufocadas pela repressão no período do comunismo. Estes movimentos que começaram pelas chamadas repúblicas bálticas (Lituãnia, Letônia e Estônia) se espalhou para outras repúblicas e tornou insustentável a manutenção da União. O tiro de misericórida no socialismo e na União Soviética foi o fracassado golpe militar de agosto de 1991, quando militares e membros conservadores do Partido Comunista prenderam o então presidente Gorbachev. Quem defendeu a abertura política foi o então presidente do Soviete Supremo Bóris Yeltsin.

A população chamada por ele foi para as ruas e os soldados se recusaram a reprimir o povo. Com a popularidade em alta, Yeltsin assumiu a presidência da Federação Russa, a maior das repúblicas da União Soviética, e deixou de reconhecer o poder de Gorbachev. Em 25 de dezembro de 1991, Gorbachev assinou o decreto que pôs fim a União Soviética, 69 anos após a sua criação.

Para organizar a transição do regime federativo para o de total independência, as ex-repúblicas soviéticas criaram, em 1991, a Comunidade dos Estados Independentes (CEI), que congrega quase todos os países da antiga União Soviética com exceção das repúblicas bálticas - Letônia, Estônia e Lituânia e da Geórgia, que só aderiu em 1996.

Fonte: www.grandecomunismo.hpg.ig.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal