Breaking News
Home / História Geral / História do Tênis

História do Tênis

PUBLICIDADE

Segundo Lucena (2009), existem relatos que, em 1800 surgiram os primeiros sapatos com solado de borracha, chamados de Plimsoll, específicos para praia. O processo de vulcanização da borracha, desenvolvido no ano de 1839, foi utilizado, inicialmente por Charles Goodyear para melhorar a qualidade dos pneus fabricados por sua empresa. A partir da daí, algumas indústrias passaram a produzir calçados mais confortáveis.

Na costa leste dos Estados Unidos começaram a surgir as primeiras linhas de produção para prática de esportes. Em 1920 surgiu o primeiro calçado de corrida, ainda mais leve e confortável, criado por Adolph Dassler, que foi um sapateiro alemão que fundou a empresa de materias esportivos Adidas, o nome adidas é referente ao seu apelido que era (Adi). Ainda em Lucena (2009), pudemos ver que,

”Na década de 50, o tênis se popularizou entre os jovens e se transformou em um dos símbolos da juventude rebelde. A partir da década de 80, com a valorização dos esportes e dos trajes esportivos incorporados à moda, o tênis recebeu ainda mais prestígio, saindo das academias para ganhar as ruas.

Desde sua criação, o tênis sofreu diversas modificações e, de um simples calçado de borracha e tecido, se transformou em um agregado de tecnologia e estilo, demasiadamente associado aos esportes e ao segmento de streetwear.

Assim como qualquer outro acessório de moda, o tênis recebe influência das tendências das temporadas, ganhando as passarelas de grandes marcas como Nike, Adidas, Puma, Mizuno, Diadora, Ecko, Olympikus, All Star, Fila entre outras, disputam o mercado do calçado mais popular do universo. ”

Histórico sobre o surgimento do tênis

O Tênis surgiu no século XIX, entre as décadas 1860 e 1870, uma espécie de sapatilha em couro com fechamento por meio de cadarço, utilizada na prática do ciclismo.

Por volta de 1873, o couro já começa a ser substituído por tecidos e, em 1890, surge a primeira fábrica especializada em calçados esportivos. Já no início do século XX, por volta de 1920, surge o primeiro tênis específico para a prática da corrida.

Este tênis consistia em um calçado fechado, com o conceito de ser leve e confortável geralmente produzido em couro (natural ou sintético) ou tecido, fechamentos por cadarços, os modelos de maior desempenho com sistemas de amortecimento que absorvem o impacto e o transformam em impulso.

Alguns modelos possuem até mesmo sistemas computadorizados que se auto-adaptem ao peso e tipo de caminhada do usuário. Esta pesquisa teve como objetivo escrever sobre a origem e preferências do tênis.

Desde a pré-história, quando nasceu no homem das cavernas a necessidade de proteger os pés e também das condições climáticas, pudemos ter acesso a leituras que nos mostraram que nunca um produto evoluiu tanto ao longo do tempo, comparado com a mesma evolução de outros produtos industrializados de uso pessoal.

Um pouco de História

Os primeiros calçados, desenvolvidos pelos homens das cavernas, eram obtidos das peles de animais, cortadas, raspadas, secadas e, depois, amarradas em seus pés. As primeiras evidências de curtimento e beneficiamento de peles provêm do Egito.

Há pinturas, com cerca de seis a sete mil anos, que representavam os diversos estados de preparo do couro para confecção de calçados. Na Idade Média, tanto homens quanto mulheres usavam calçados de couro abertos que tinham uma forma semelhante ao das sapatilhas.

Desde então, até recentemente, os calçados são confeccionados principalmente em couro, com solas também de couro, palhas e fibras, como as de palmeira.

No entanto, esse quadro mudou com o desenvolvimento da vulcanização da borracha natural, da petroquímica e da criação de numerosos materiais sintéticos com propriedades variadas, inclusive aquelas úteis ao desenvolvimento de novos tipos de calçados para os mais diversos fins (World Tennis, 2007).

Aliado à necessidade de se ter calçados especiais para prática de esportes, o desenvolvimento de novos materiais de alto desempenho levou ao nascimento do tênis.

Em 1920, surgiu o primeiro calçado de corrida do mundo: mais leve e confortável, criado por Adolph Dassler, o qual proporcionou aos atletas maior conforto nas práticas esportivas, pois até então as pessoas corriam, jogavam futebol ou outros esportes com seus sapatos de uso diário: pesados e desconfortáveis.

Na década de 1950, o tênis se tornou popular entre os jovens e passou a calçar pés dos ícones da juventude rebelde como o pop star Elvis Presley. O tênis sofreu milhares de modificações e pode ser considerado um artefato que marca o século XX (World Tennis, 2007).

O que antes era um calçado de borracha e tecido, hoje pode apresentar vários tipos diferentes de polímeros no mesmo modelo. Materiais, design, funções, tudo é levado em consideração pelos seus projetistas. A criatividade é muito solicitada no desenvolvimento dos modelos da “moda”.

A divulgação do tênis está frequentemente associada ao esporte e aos atletas campeões. Por outro lado, é importante notar que a possibilidade de uso de materiais poliméricos de mais baixo custo permitiu a produção de tênis acessí- veis às camadas de mais baixa renda. Portanto, esse é o calçado de escolha de estudantes e trabalhadores. O tênis transcende a divisão de classes sociais e é usado por todos.

Produção e Anatomia

A produção de um tênis, assim com a dos mais variados tipos de calçados, é um processo complexo que demanda conhecimento de várias áreas do conhecimento (Mylius, 1993):

Medicina e Física: devido à biomecânica do pé, que é extremamente importante para a proteção e o conforto não apenas do pé, mas do corpo como um todo.

Desenho e Informática: desenvolvimento de modelos.

Engenharia e Informática: logística de produção.

Química e Engenharia: desenvolvimento de materiais para aplicação em calçados.

A aplicação dos conhecimentos citados acima visa resolver problemas como os descritos abaixo:

Tênis muito apertados comprimem os vasos sanguíneos e podem ocasionar problemas circulatórios. Por outro lado, tênis folgados produzem atritos múltiplos, ocasionando aparecimento de bolhas. Tênis com solas muito flexíveis podem favorecer torções do pé, e solas excessivamente duras não conseguem amortecer os choques sofridos pelo pé ao caminhar.

Tênis confeccionados com materiais impermeáveis, que não permitem a transpiração, podem causar frieiras e doenças de pele em geral, além de provocar o aparecimento de odor desagradável, o famoso “chulé”.

A qualidade de um produto pode ser entendida como a capacidade deste de satisfazer as necessidades e/ou expectativas do consumidor, logo, em linhas gerais, a qualidade relacionada a um tênis baseia-se em cinco características:

Aspecto
Conforto
Durabilidade
Segurança
Saúde

Basicamente um tênis é composto de uma parte superior, o cabedal, e de uma parte inferior, o solado. Essas duas partes se dividem em algumas outras partes com características e funções bem específicas (Gooutside, 2007).

Fonte: faef.revista.inf.br/qnesc.sbq.org.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Femicídio

Femicídio

PUBLICIDADE Femicídio é, em um sentido geral, o assassinato de mulheres especificamente porque elas são …

Hip Hop

História do Hip Hop

PUBLICIDADE O que é Hip Hop? Atualmente, o rap é um estilo musical bastante conhecido …

Economia Aberta

Economia Aberta

PUBLICIDADE Definição Economia de mercado, na maior parte livre de barreiras comerciais e onde as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.