Breaking News
Home / História Geral / Colosso de Rodes

Colosso de Rodes

O Colosso de Rodes, uma das maravilhas do mundo antigo

PUBLICIDADE

Colosso de Rodes
Colosso de Rodes

O Colosso de Rodes era uma enorme estátua representando o deus padroeiro da cidade, Helios (deus do sol), e ficou em Mandraki Harbour.

Embora ele ficou por pouco mais de 50 anos totalmente intactas, seu grande tamanho e presença imponente na entrada costeira de Rodes fez dele um candidato inegável como uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo. É também a maravilha sobre o qual o mínimo é totalmente conhecido.

Rodes era uma ilha grega que foi localizado em um cruzamento de duas rotas de comércio do mar antigo, ao sudoeste da Ásia Menor e perto do Egito.

Quando Alexandre o Grande morreu inesperadamente em 323 aC, a administração do seu império e seu futuro era incerto. Eventualmente, três de seus generais assumiram o controle e, como resultado de várias guerras, dividiu o império em três regiões.

Rodes ficou do lado de um modo geral, Ptolomeu, que eventualmente controlaram o Egito. Juntos, eles forjaram uma relação frutífera, bem como o controle do comércio no Mediterrâneo oriental. Um dos outros generais, Antígono, ficou irritado com isso, e tentou convencer Rodes a lado com ele.

Rodes, naturalmente, recusou-se a isso. Antígono, em seguida, convidou seu filho Demetrius para invadir Rodes em 305 aC. Apesar de um exército de 40.000 homens e 200 navios de guerra, Demétrio foi incapaz de romper as defesas impressionantes de Rodes e as tropas de socorro que Ptolomeu tinha enviado.

Como resultado desta vitória decisiva, foi determinado que uma estátua comemorativa ser erigido para honrar Hélio, o deus patrono de Rodes. Isto provaria bastante simples para Rodes, como Demetrius deixou para trás todo o equipamento que ele e seu exército tinha usado em suas tentativas de invasão, e, portanto, o Rhodianos foram capazes de financiar a construção da estátua com a venda das mercadorias.

Colosso de Rode – Monumento

Uma embarcação que chegasse à ilha grega de Rodes, no Mediterrâneo, por volta de 280 a.C., passaria obrigatoriamente entre as pernas da enorme estátua de Apolo (Hélio, para os romanos), deus do Sol e protetor do lugar.

É que o Colosso de Rodes, como foi chamada a sétima maravilha do mundo, tinha um pé fincado em cada margem do canal que dava acesso ao porto.

Com 30 metros de altura, toda de bronze e oca, a estátua começou a ser esculpida em 292 a.C., pelo escultor Chares, de Lindus, uma das cidades da ilha, que a concluiu doze anos depois.

Conta-se que o povo de Rodes mandou construir o monumento para comemorar a retirada das tropas do rei macedônio Demétrio Poliorcetes, que promovera longo cerco à ilha na tentativa de conquistá-la. Demétrio era filho do general Antígono, que após a morte de Alexandre, o Grande, herdou uma parte do império grego.

O material empregado na escultura foi obtido a partir da fundição dos armamentos que os macedônios ali abandonaram.

A estátua ficou em pé por apenas 55 anos, quando um terremoto a jogou ao fundo da baía de Rodes onde ficou esquecida até a chegada dos árabes, no século VII.

Estes, então, a quebraram e venderam como sucata.

Para se ter uma idéia do volume do material, foram necessários novecentos camelos para transportá-lo.

Essa, que foi considerada uma obra maravilhosa, teria no entanto levado Chares a suicidar-se, logo depois de tê-la terminado, desgostoso com o pouco reconhecimento público ao monumento.

Alguns anos atrás, o assunto Colosso de Rodes voltou brevemente à tona: uma vidente australiana ganhou notoriedade ao assegurar que em determinado local da baía estava uma das mãos da estátua. Mas a pedra retirada do fundo do mar, conforme instruções da vidente, não tinha nada a ver com a escultura.

O que é

Era uma grande estátua de bronze erguida por volta de 280 a.C. pelos cidadãos de Rodes, capital da ilha grega no Mar Mediterrâneo – foi ocupada pelo exército de Demétrio Poliorcetes, general que mais tarde se tornou rei da Macedónia.

Com muita dificuldade, os ródios, habitantes da ilha, expulsaram o inimigo!

O feito mereceu uma grande comemoração e dedicada a um deus especial: Hélio, o deus Sol.

A estátua media cerca de 30 m de altura e guardava a entrada do porto.

Foi destruída num terramoto em 224 a.C. Só algumas centenas de anos depois de ter sido derrubada, os fragmentos foram vendidos como sucata.

Há registos de que foram necessários 900 carros puxados por camelos para transportar todo o seu bronze.

Fonte: www.ancient.eu/geocities.yahoo.com.br

Colosso de Rodes

“Para vocês, Ó Sol, as pessoas dórias de Rodes levantaram esta estátua de bronze alcançando o Olimpo quando eles tinham pacificado as ondas de guerra e coroado sua cidade com os saques pegos do inimigo. Não somente sobre o mar, mas também na terra eles acenderam a fascinante tocha da liberdade.” (Dedicatória inscrita no Colosso) Da construção até a sua destruição existiu um curto tempo de somente 56 anos. Mesmo assim, o Colosso ganhou um lugar na famosa lista das Maravilhas. “Mas mesmo ó existido no chão, ele é maravilhoso”, disse Pliny o Velho.

O Colosso de Rodes não foi apenas uma estátua gigante.

Era antes um símbolo de união das pessoas que habitavam aquela bonita ilha do Mediterrâneo: Rodes.

História

Em toda a sua história, a antiga Grécia era composta de cidades-Estados as quais tinham poder limitado fora de suas fronteiras.

Na pequena ilha de Rodes havia três destas: Ialysos, Kamiros e Lindos.

Em 408 a.C., as cidades uniram-se para formar um único território, com uma capital unificada, Rodes.

A cidade prosperou comercialmente e tinha forte laços econômicos fixada com seu principal aliado, Ptolomeu Soter do Egito.

Em 305 a.C., os Antigodos da Macedônia que também eram rivais de Ptolomeu, cercaram Rodes para numa ação para quebrar a aliança Rodo-Egípcia.

Eles nunca conseguiram penetrar na cidade.

Quando um acordo de paz foi assinado em 304 a.C., os Antigodos suspenderam o cerco, deixando um rico equipamento militar para trás. Para celebrar sua união, os rodianos venderam o equipamento e usaram o dinheiro para erguer uma enorme estátua representando seu deus do sol, Hélio.

A construção do Colosso levou 12 anos e foi terminada em 282 a.C.

Por anos, a estátua ficou na entrada do porto, até que um forte terremoto atingiu Rodes em 226 a.C.

A cidade estava completamente destruída e o Colosso quebrou-se no seu ponto mais fraco: o joelho.

Imediatamente, os rodianos receberam uma oferta de Ptolomeu Eurgetes do Egito que cobriria todos os custos de reparação para o monumento tombado.

Entretanto, um oráculo foi consultado e proibiu a reconstrução. A oferta de Ptolomeu foi recusada.

Por quase um milênio, a estátua quebrada permaneceu em ruínas. Em 654 d.C., os árabes invadiram Rodes. Eles desmontaram o resto do Colosso quebrado e venderam para um comerciante judeu da Síria.

Acredita-se que os fragmentos foram transportados para a Síria nas costas de 900 camelos, e após foi derretido.

Descrição

Primeiramente vamos deixar claro um erro sobre a aparência do Colosso. Acreditou-se durante a Idade Média que o Colosso permanecia na frente do porto de Mandraki, um dos muitos na cidade de Rodes, com as pernas abertas em sua entrada.

Considerando-se a altura da estátua e a largura da entrada, esta idéia é mais impossível do que improvável.

Além disso, o Colosso caído teria bloqueado a entrada do porto.

Estudos recentes sugerem que ela foi erguida ou a leste do promontório do porto de Mandraki, ou ainda mais para o interior da cidade.

De qualquer jeito, ele nunca ficou com as pernas abertas na entrada do porto. Um relevo antigo sugere que Hélios protegia os olhos com a mão.

O projeto foi licenciado pelo escultor rodiano Cares de Lindos.

Para construiu a estátua, seus trabalhadores fundiram a parte externa de bronze da pele.

A base foi feita de mármore branco e o pé e o tornozelo da estátua foram ligados primeiro.

A estrutura foi gradualmente erguida à medida que o bronze era reforçado com uma estrutura de 7t de ferro e rochas para apoiar a estátua.

Para alcançar as partes mais altas, foi construída uma rampa desde o chão e que envolvia a estátua; ela, mais tarde, foi retirada.

Quando o Colosso estava pronto, ele tinha 46 m de altura e pesava cerca de 70t. E quando estava caído, “poucas pessoas puderam fazer seus braços armas encontraram em volta do polegar”, escreveu Pliny.

Apesar de nós não conhecermos a verdadeira forma e aparência do colosso, reconstruções modernas com a estátua parada perpendicularmente são mais precisos que velhos desenhos.

Apesar de não existir mais, a antiga Maravilha do Mundo inspira artistas modernos, tal como o escultor francês Auguste Bartholdi, mais conhecido pelo seu famoso trabalho: A Estátua da Liberdade.

Fonte: www.avanielmarinho.com.br

Colosso de Rodes

O Colosso de Rodes, uma grande estátua de bronze erguida por volta de 280 a.C. pelos cidadãos de Rodes, capital da ilha grega de mesmo nome.

Representava o deus Sol Hélios e media 105 pés de altura (46 metros), era toda de bronze e pesava setenta toneladas. De pernas abertas, ele ficava na entrada do golfo de Rides, uma ilha do mar Egeu, guardando a entrada do porto.

Levou doze anos para ser construído (292 a 280a.C.) e acabou sendo destruído por um terremoto em 224.

Aproximadamente em 656d.C., os fragmentos da estátua foram vendidos como sucata, a um comerciante que encheu novecentas cargas de camelo e então foi derretido.

Estátua

Esta estátua de bronze representando Helios, deus grego do sol, havia sido construída pelos Chares escultor de Lindos para comemorar o fim da sede da cidade, que teve lugar em 305 aC, ea vitória do Rhodiens contra o chefe macedônio Demetrios Poliorcète.

O Colosso de Rodes era uma estátua do deus grego sol Hélios, erguida na cidade de Rodes, na ilha grega de mesmo nome, por Chares de Lindos em 280 aC.

É uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

Foi construído para comemorar a vitória de Rodes sobre a régua de Chipre, Antígono I Monophthalmus, cujo filho, sem sucesso sitiada Rodes em 305 aC.

Antes de sua destruição no terremoto de 226 aC, o Colosso de Rodes ficou mais de 30 metros (98 pés) de altura, tornando-se uma das estátuas mais altas do mundo antigo.

Colosso de Rodes

Colosso de Rodes

Colosso de Rodes

Foram necessários 12 anos para construir a estátua

A palavra “colosso” não dá nome a uma das Sete Maravilhas da Antiguidade por acaso. Estátua de Hélios, o deus grego do Sol, oColosso de Rodes tinha 32 metros de altura, o mesmo que um prédio de dez andares. O monumento foi construído para comemorar a vitória dos gregos da ilha de Rodes contra o rei macedônico Demétrio I, que tentou invadi-la em 305 a.C.

A estátua levou provavelmente 12 anos para ficar pronta – sua construção começou em 294 a.C. O escultor Chares, da cidade de Lindos, idealizou o projeto usando como referência outras estátuas do mesmo deus. Todo feito em bronze, o monumento foi erguido nas proximidades do porto e permaneceu em pé pouco tempo, até 225 a.C., quando um terremoto o destruiu. Ali ficou em ruínas até que os árabes invadiram Rodes, no ano de 654, desmontaram as peças quebradas e as venderam.,

Monumento ficou em pé menos de 60 anos

1. Pé no mármore

O Colosso foi construído sobre uma base de mármore de 3 metros de altura. As primeiras partes a serem fixadas da estátua, claro, foram os pés, que eram ocos, e os tornozelos. De acordo com relatos do matemático Philon de Bizâncio, 8 toneladas de ferro foram usadas na construção – as vigas do material sustentavam a estrutura interna.

2. Caneleira de pedra

A estrutura da estátua era também mantida por colunas de pedra, que envolviam as vigas de ferro das pernas. Cada um dos pilares de pedra tinha cerca de 1,5 metro de diâmetro. O escultor queria evitar que o Colosso perdesse o equilíbrio e tombasse – por isso adicionou mais peso às porções mais baixas da estátua.

3. Montanha artificial

Para facilitar a construção, os operários fizeram rampas de terra e madeira ao redor da estátua. Cerca de 13 toneladas de bronze foram usadas no revestimento do monumento. Cada placa de bronze tinha que ser cuidadosamente fundida e martelada no formato certo. Elas eram então levadas até a posição correta na estátua por cordas e um sistema de roldanas.

4. Ajuda dos inimigos

O ferro e o bronze utilizados na construção da estátua foram provavelmente obtidos com a fundição e venda dos armamentos deixados pelos inimigos na invasão frustrada. Há também a possibilidade de existirem na ilha minas de cobre, estanho (base para o bronze) e ferro – a maior parte deste material foi usada em vigas nas pernas do monumento e em barras diagonais colocadas a partir da barriga da estátua.

5. Braço de ferro

Partes ocas da estátua, como os braços, foram preenchidas com uma mistura de entulho e pedras. Embora não exista registro preciso sobre a aparência do Colosso, ele provavelmente segurava um manto com a mão esquerda, usava uma coroa e tinha a mão direita sobre os olhos (que representava o direcionamento de seus raios de luz).

6. Operário padrão

Por causa da altura do monumento, é provável que grande parte do bronze tenha sido esculpida nas rampas de terra construídas pelos operários. Não há registro sobre o número de trabalhadores – calcula-se que centenas foram contratados também com o dinheiro da venda dos armamentos e objetos abandonados pelos invasores.

7. Cabeça para fora

No final da construção, rampas tão altas quanto a cabeça do monumento foram erguidas – o restante da estátua ficou totalmente coberto pela terra. Quando a obra foi concluída, toda a terra teve que ser removida e o bronze foi limpo e polido pelos operários.

Maria Carolina Cristianini

Fonte: rafaelagomes.hdfree.com.br/www.rhodesguide.com/historia.abril.com.br

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.