Breaking News
Home / História Geral / Racialismo

Racialismo

PUBLICIDADE

O que é

O racialismo é ideia de que “raças” humanas são substancialmente diferentes um do outro e essas diferenças raciais determinar fortemente as habilidades e comportamento dos indivíduos e dos povos. portanto,

O racialismo implica que é possível dividir a humanidade em grupos bem definidos que são ampla (na medida em que abrange muitos seres humanos) e específico (em que há pouca ou nenhuma chance de erros de identificação dos quais “raça” alguém está).

Essencialmente, o racialismo alega que as populações humanas são substancialmente diferentes um do outro a um grau que necessita de classificação biológica abaixo do nível da espécie. A maioria dos racialistas manter também uma hierarquia racial.

Chamamos de “racialismo” a crença na existência de “raças” biológicas e de “racismo” as formas de racialismo que afirmam a superioridade uma “raça” sobre outra e servem para justificar a dominação racial.

O racialismo é como que um posicionamento científico, ultrapassado e totalmente descriditado.

Podemos dizer que as teorias racialistas são as que se dedicam ao estabelecimento de um conjunto de crenças ligadas à genética que determinam uma hierarquização entre as supostas raças humanas.

Por exemplo: “Raça Ariana” superior às demais, é uma teoria genética racialista. Hitler foi racialista, não era racista.

Definição

Racialismo
Racialismo

O racialismo é a crença de que a espécie humana é naturalmente dividido em categorias biológicas distintas chamadas “raças”, embora não considerando os valores das variáveis entre eles.

A maioria dos dicionários definem como sinônimo de “racismo”, embora algumas definições considerar “racialismo” para descrever simplesmente uma preferência positiva para uma raça, sem o elemento de preconceito e discriminação contra outros grupos raciais

O racialismo é a crença de que algumas raças são fundamentalmente superior às demais, e que a diferenciação racial é importante na determinação do comportamento humano.

Racialista é aquele que acredita que as raças são diferentes e devem viver separadas. O racista acredita na superioridade de uma raça.

Racismo Científico

Racismo Científico é o uso de técnicas e hipóteses ostensivamente científicas ou pseudocientíficas para apoiar ou justificar a crença na racismo, a inferioridade racial, do racialismo, ou superioridade racial; em alternativa, é a prática de classificar indivíduos de diferentes fenótipos em raças discretas.

Esta prática é geralmente considerada pseudocientífica, mas historicamente recebeu muito crédito na comunidade científica.

Como uma categoria de teoria, racismo científico emprega antropologia (antropologia nomeadamente física), antropometria, craniometria e outras disciplinas ou pseudo-disciplinas, ao propor tipologias antropológicas que apoiam a classificação das populações humanas em raças humanas fisicamente discretas, que pode ser afirmada de ser superior ou inferior.

O racismo científico foi frequente durante o período de Novo Imperialismo (c 1880 -. 1914), onde ele foi usado para justificar o imperialismo europeu Branco, e culminou no período de 1920 até o final da II Guerra Mundial.

Desde o final do século 20, racismo científico tem sido criticado como obsoleto e historicamente tem sido usado para apoiar ou validar visões de mundo racistas, com base em crença na existência e importância das categorias raciais e uma hierarquia de raças superiores e inferiores.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, racismo científico na teoria e ação formalmente foi denunciado, especialmente no início de declaração anti-racista da UNESCO “A Questão da Corrida (1950).

O fato biológico de raça e o mito da” raça “deve ser distinguido.

Para “raça” todos os fins sociais práticas não é tanto um fenômeno biológico como um mito social.

O mito da “raça” tem criado uma enorme quantidade de dano humano e social. nos últimos anos, ele teve um custo pesados na vida humana, e causou um sofrimento indescritível. Tal” fato biológico já não é considerado a existir como desenvolvimentos em genética evolutiva humana e mostraram que as diferenças genéticas humanas são quase totalmente gradual.

Qual a diferença entre “Racismo” e “Racialismo”?

O Racismo defende a superiorizarão de uma determinada raça.

O racialismo ao contrario de racismo, acredita na importância de se preservar as raças, o racialismo também acredita que cada raça possuem suas próprias características, pontos fortes e pontos fracos. Não há nada de errado um povo querer preservar sua raça, sua ancestralidade é até sadio e nada mais natural que isso

O racismo tem existido ao longo da história humana.

Pode ser definido como o ódio de uma pessoa por outra – ou a crença de que uma outra pessoa é menos que humano – por causa da cor da pele, língua, costumes, local de nascimento ou qualquer fator que supostamente revela a natureza básica dessa pessoa .

Ela influenciou guerras, escravidão, a formação de nações e códigos legais.

Racialismo
Racialismo

Racialismo é a crença segundo a qual a humanidade está dividida em raças que detêm características físicas e psicológicas claramente distintas. O racismo leva mais longe esse raciocínio, ao afirmar que essas supostas raças não apenas são diferentes, como estão posicionadas em uma hierarquia de capacidades e potencialidades. Nesse sentido, todo racismo se baseia no racialismo, que justifica, suporta e dá significado a ele.

Há ainda uma terceira noção que temos que considerar: a discriminação racial. Expressão do racismo na prática cotidiana, a discriminação é o tratamento desigual de pessoas com base na raça atribuída a elas.

Muitos dos racialistas do século XIX acreditavam na existência de uma hierarquia na capacidade intelectual das raças, que se refletia nos seus feitos “civilizatórios” (como a arquitetura monumental, as artes decorativas, a escrita, a matemática, o monoteísmo e o estado territorial centralizado).

Embora não concordassem em tudo: alguns acreditavam que essas diferenças eram devidas a um “atraso” cultural e faziam coro com os evolucionistas quando diziam ser um “dever moral” europeu civilizar as “raças inferiores”; outros pensavam que os limites intelectuais estavam determinados pelo “sangue”, e que o destino dessas raças seria simplesmente o extermínio por raças mais “fortes” e “capazes”.

Um dos mais influentes pensadores europeus, cujo trabalho está impregnado por essas duas noções, é o filósofo alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel.

Em 1831, em suas “Lições de Filosofia da História Universal”, um clássico do evolucionismo, ele escreveu:

O negro, como já observamos, exibe o homem natural em seu estado mais completamente selvagem e desregrado. Devemos deixar de lado qualquer pensamento de reverência e moralidade – tudo o que podemos chamar de sentimento – se quisermos compreendê-lo corretamente; não há nada em consonância com a humanidade que possa ser encontrado neste tipo de caráter.

Neste pequeno trecho, vemos o racialismo em ação – o resultado é, por um lado, a homogeneização dos habitantes de todo um continente sob uma categoria racial (“o negro”) e, por outro, a associação deste “tipo” racial à natureza, como forma de afastá-lo da “civilização” – e da própria humanidade.

Fonte: rationalwiki.org/snh2013.anpuh.org/br.geocities.com

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.