Breaking News
Home / História Geral / Antropologia

Antropologia

PUBLICIDADE

Definição

Antropologia é o estudo de pessoas em todo o mundo, sua história evolutiva, como elas se comportam, se adaptam a diferentes ambientes, se comunicam e socializam umas com as outras.

O estudo da antropologia preocupa-se tanto com as características biológicas que nos tornam humanos (como fisiologia, composição genética, história nutricional e evolução) quanto com aspectos sociais (como linguagem, cultura, política, família e religião). Seja estudando uma comunidade religiosa em Londres ou fósseis evolucionários humanos nos Emirados Árabes Unidos, os antropólogos estão preocupados com muitos aspectos da vida das pessoas: as práticas cotidianas, bem como os rituais, cerimônias e processos mais dramáticos que nos definem como seres humanos.

Algumas perguntas comuns colocadas pela antropologia são: como as sociedades são diferentes e como são as mesmas? como a evolução moldou a forma como pensamos? o que é cultura? existem universais humanos?

Ao reservar um tempo para estudar a vida das pessoas em detalhes, os antropólogos exploram o que nos torna exclusivamente humanos.

Ao fazer isso, os antropólogos pretendem aumentar nossa compreensão de nós mesmos e um do outro.

A antropologia é dividida em três subcampos: sociocultural, biológica e arqueológica.

Em síntese: Antropologia é especialmente: o estudo dos seres humanos e seus ancestrais através do tempo e do espaço e em relação ao caráter físico, às relações ambientais e sociais e à cultura

O que é

Antropologia é o estudo e análise científica dos seres humanos e da humanidade. Os antropólogos buscam entender todas as culturas, costumes, artefatos, conhecimentos, hábitos, história do mundo, etc.

A antropologia surgiu como uma disciplina acadêmica distinta na Inglaterra e na América no final do século XIX e início do século XX.

A antropologia surgiu principalmente da história natural e desde então passou a depender da arqueologia, paleontologia, biologia, psicologia, ciências humanas, ciências sociais e outras áreas.

Desde a Segunda Guerra Mundial, a antropologia se inspirou cada vez mais nas ciências naturais, confiando mais em evidências empíricas e menos em análises subjetivas.

A antropologia é composta por quatro campos intimamente relacionados.

A primeira é a antropologia biológica ou física, que simplesmente tenta entender o ser humano como um organismo vivo. A genética populacional e a primatologia são úteis aqui.

O segundo e maior campo é a antropologia sociocultural, envolvendo estudos de campo comparando ou registrando qualquer número de milhares de padrões sociais ou culturais.

A distinção entre antropologia sociocultural e certas partes da psicologia e sociologia pode ser imprecisa.

O terceiro campo é a antropologia linguística, que se concentra na linguagem, incluindo sua história e muitos ramos complexos.

O quarto campo é a arqueologia, que busca escavar artefatos, ossos e outras pistas para esclarecer como as pessoas viviam em culturas passadas.

A antropologia analisa toda a história da humanidade, começando quando os seres humanos modernos evoluíram pela primeira vez na África, cerca de 200.000 anos atrás.

Cerca de 50.000 anos atrás, os seres humanos começaram a vagar fora dos limites da África atravessando a península do Sinai. Ossos humanos datados até agora foram encontrados em Israel.

A partir daí, a humanidade se espalhou para o oeste na Europa e para o leste na Ásia e na Austrália, onde foram encontrados fósseis datados de 46.000 anos atrás. Em toda a Eurásia, a humanidade deslocou outros homonídeos, como os Neandertais e o Homo erectus.

Há 46.000 anos, na Austrália, a maioria dos animais terrestres com mais de 100 kg foi extinta abruptamente, indicando a chegada da humanidade.

Há 30.000 anos, os neandertais estavam extintos; uma das últimas colônias estava localizada perto do estreito de Gibraltar.

Há 30.000 ou cerca de 14.000 anos atrás, os humanos atravessaram a ponte terrestre do estreito de Bering para as Américas, chegando ao Novo México há 13.000 anos atrás e depois se espalhando para o sul, chegando a Tierro del Fuego por 8.000 aC, certamente, mas possivelmente muito antes.

Em milhares de anos de relativo isolamento desde nossa dispersão, a humanidade desenvolveu milhares de culturas, idiomas, tradições e ferramentas distintas. O objetivo da antropologia é entender tudo.

O que é um antropólogo?

Um antropólogo é alguém que estuda as sociedades humanas.

Antropologia significa literalmente “o estudo do homem”, e os antropólogos estão interessados ??nos seres humanos modernos, desde o momento em que surgiram milhares de anos atrás até os dias atuais.

Existem vários subcampos na disciplina de antropologia, incluindo antropologia física, antropologia cultural e arqueologia.

Todos esses campos visam fornecer uma compreensão mais profunda dos seres humanos.

Os antropólogos estão interessados no que diferencia os seres humanos de outros organismos. Eles estudam os traços físicos dos seres humanos, juntamente com a sociedade humana, a cultura, a história e as maneiras pelas quais os humanos mudaram ao longo da história. Um antropólogo pode, por exemplo, estudar rituais religiosos na Índia ou observar a sociedade negra nos Estados Unidos.

Os antropólogos são fascinados pelas diferenças entre os seres humanos e pelas coisas que diferenciam diferentes grupos, contribuem para o desenvolvimento de culturas únicas e moldam as sociedades humanas.

Um antropólogo ativo tende a gastar muito tempo no campo, fazendo observações de sociedades humanas passadas ou presentes.

Os dados coletados por um antropólogo podem ser sintetizados em um papel ou livro que discute novas descobertas e suas implicações, ou se expande com desenvolvimentos anteriores no campo.

Os antropólogos também acompanham mudanças de longo prazo nas culturas, com muitos sendo particularmente interessados na ocidentalização das nações em desenvolvimento.

Além de ter habilidades no campo da antropologia, um pesquisador também pode ser bom em estatística, história e etnografia, a disciplina que envolve a criação de apresentações escritas por acadêmicos sobre várias culturas humanas.

As pessoas interessadas em uma carreira como antropólogo podem escolher entre vários programas de faculdades e universidades em antropologia.

A obtenção de um doutorado é comum para pessoas que estão seriamente interessadas neste campo, pois isso oferecerá mais oportunidades de emprego e pesquisa.

Sempre há espaço para mais pesquisadores nesse campo enorme e diversificado nas ciências sociais, especialmente quando as pessoas trazem idéias novas, inovadoras e exclusivas para a mesa.

Como algumas outras disciplinas acadêmicas, a antropologia tem sido usada ocasionalmente para fins desagradáveis.

No século 18, por exemplo, alguns antropólogos tentaram provar que havia diferenças categóricas no intelecto, sofisticação cultural e desenvolvimento social entre humanos de diferentes raças, entrincheirando e justificando o racismo. A antropologia física, em particular, foi usada para exagerar as alegações sobre diferenças raciais.

Felizmente, as atitudes racistas deixaram o campo da antropologia em grande parte e, embora os antropólogos modernos admitam livremente que realmente existem diferenças físicas, culturais e sociais entre várias raças, eles não sugerem que essas diferenças impliquem superioridade ou maior sofisticação.

Resumo

Antropologia é o estudo do que nos torna humanos.

Os antropólogos adotam uma abordagem ampla para entender os muitos aspectos diferentes da experiência humana, a que chamamos holismo. Eles consideram o passado, através da arqueologia, para ver como os grupos humanos viviam centenas ou milhares de anos atrás e o que era importante para eles. Eles consideram o que compõe nossos corpos biológicos e genéticos, bem como nossos ossos, dieta e saúde.

Os antropólogos também comparam os seres humanos com outros animais (na maioria das vezes, outros primatas como macacos e chimpanzés) para ver o que temos em comum com eles e o que nos torna únicos.

Embora quase todos os seres humanos precisem das mesmas coisas para sobreviver, como comida, água e companhia, as maneiras pelas quais as pessoas atendem a essas necessidades podem ser muito diferentes.

Por exemplo, todo mundo precisa comer, mas as pessoas comem alimentos diferentes e conseguem alimentos de maneiras diferentes. Assim, os antropólogos observam como diferentes grupos de pessoas conseguem comida, preparam e compartilham. A fome no mundo não é um problema de produção, mas barreiras sociais à distribuição, e que Amartya Sen ganhou um Prêmio Nobel por mostrar que esse era o caso de todas as fomes do século XX.

Os antropólogos também tentam entender como as pessoas interagem nas relações sociais (por exemplo, com famílias e amigos).

Eles olham para as diferentes maneiras como as pessoas se vestem e se comunicam em diferentes sociedades. Os antropólogos às vezes usam essas comparações para entender sua própria sociedade.

Muitos antropólogos trabalham em suas próprias sociedades, analisando economia, saúde, educação, direito e política (para citar apenas alguns tópicos). Ao tentar entender essas questões complexas, eles lembram o que sabem sobre biologia, cultura, tipos de comunicação e como os humanos viviam no passado.

Fonte: www.americananthro.org/www.livescience.com/www.cas-sca.ca/www.wisegeek.org/www.discoveranthropology.org.uk/anthropology.ucdavis.edu/www.txstate.edu

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

O Mundo Pós-Guerra

PUBLICIDADE O que foi o Mundo Pós-Guerra? O mundo se dividiu em dois blocos antagônicos …

Crise de 1929

Crise de 1929

PUBLICIDADE A Crise de 1929 – O Crack da Bolsa de Nova York Em 1919 …

Descolonização da África e da Ásia

PUBLICIDADE O que foi a Descolonização da África e da Ásia? Com o enfraquecimento das nações …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.