Breaking News
Home / História Geral / Comunismo

Comunismo

PUBLICIDADE

Comunismo – Definição

Teoria para partilhar os bens materiais.

Formação econômica e social caracterizado pela partilha de meios de produção e troca, através da distribuição de bens produzidos de acordo com as necessidades individuais, através da remoção de classes sociais ea extinção da administração do Estado torna-se coisas.

Doutrina política, dos partidos comunistas; forma de organização dos países onde estes partidos estão no poder.

Etimologia: do latim “communis”, a comunidade, se um resultado de “cum” com, e toda a carga “munus”, os encargos da dívida compartilhados, obrigações mútuas.

comunismo é uma forma de organização social baseada na abolição da propriedade privada dos meios de produção e de troca em favor da propriedade coletiva.

A transição entre o sistema capitalista ea sociedade comunista, sem classes e sem estado requer um período de transição da ditadura do proletariado.

Derivada do socialismo, o comunismo é amplamente baseado em declaração política, econômica e social, Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1893), no Manifesto Comunista (1848).

Esta alternativa ao capitalismo é descrito como “uma associação onde o livre desenvolvimento de cada um é a condição para o livre desenvolvimento de todos”.

O ideal da vida social na comunidade é muito antiga:

Organização das primeiras comunidades humanas às vezes é chamado de “comunismo primitivo”
Platão menciona como utopia social em “A República”
Os primeiros cristãos.

A idéia do comunismo apareceu na França em 1840 como um meio para os trabalhadores para superar a sua exploração. Apesar de seu fim trágico, a Comuna de Paris de 1871 foi uma tentativa de algumas semanas de aplicação dos princípios desenvolvidos por Marx e Engels.

Lenin, que é o verdadeiro fundador do comunismo moderno, apresentou o conteúdo revolucionário do marxismo e da ditadura do proletariado.

No entanto, o comunismo foi rapidamente se transformou em uma ditadura do Partido Comunista e foi acompanhado pela perda de liberdades individuais.

Portanto, o comunismo tornou-se uma ideologia muito controverso.

A questão é, em particular, se as “páginas negras do comunismo” são o resultado de seus princípios fundamentais (o comunismo intrinsecamente totalitário e negador do indivíduo) ou se resultar de sistemas políticos que tiveram os comunistas que o nome. Sem nunca ter sido efetivamente implementada, a sociedade comunista, tal como Marx havia imaginado, em seguida, continua a ser um conceito teórico.

Comunismo – O que é

Comunismo
Comunismo – Foice e martelo

comunismo é baseado no objetivo de eliminar as lutas de classes socioeconômicas, criando uma sociedade sem classes na qual todos compartilham os benefícios do trabalho e o estado controla todas as propriedades e riquezas.

comunismo é uma forma de governo mais frequentemente associada às idéias de Karl Marx, um filósofo alemão que esboçou suas idéias para uma sociedade utópica no Manifesto Comunista, escrito em 1848.

Marx acreditava que o capitalismo, com sua ênfase no lucro e na propriedade privada, levou à desigualdade entre os cidadãos. Assim, seu objetivo era encorajar um sistema que promovesse uma sociedade sem classes na qual todos compartilhassem os benefícios do trabalho e o governo estadual controlasse todas as propriedades e riquezas.

Ninguém se esforçaria para superar os outros e as pessoas não seriam mais motivadas pela ganância. Então, o comunismo fecharia a lacuna entre ricos e pobres, acabaria com a exploração dos trabalhadores e libertaria os pobres da opressão.

As idéias básicas do comunismo não se originaram com Marx, no entanto. Platão e Aristóteles os discutiram nos tempos antigos, mas Marx os desenvolveu em uma doutrina popular, que mais tarde foi posta em prática. A sociedade ideal de Marx garantiu igualdade econômica e justiça.

Marx acreditava que a propriedade privada promovia a ganância e culpava o capitalismo pelos problemas da sociedade. Os problemas, afirmou ele, decorreram da Revolução Industrial. O surgimento das fábricas, a dependência das máquinas e a capacidade de produção em massa criaram condições que promoveram a opressão e encorajaram o desenvolvimento de um proletariado ou classe trabalhadora.

Simplificando, em um sistema capitalista, as fábricas abasteciam a economia, e alguns poucos ricos eram donos das fábricas.

Isso criou a necessidade de um grande número de pessoas para trabalhar para os proprietários das fábricas. Nesse ambiente, os poucos ricos exploravam os trabalhadores, que tinham que trabalhar para viver. Assim, Marx delineou seu plano para libertar o proletariado, ou para livrá-los do fardo do trabalho. Sua ideia de utopia era uma terra onde as pessoas trabalhassem como pudessem e todos compartilhassem da riqueza.

Se o governo controlasse a economia e as pessoas entregassem suas propriedades ao estado, nenhum grupo de pessoas poderia se elevar acima do outro. Marx descreveu esse ideal em seu Manifesto, mas a prática do comunismo ficou muito aquém do ideal. Durante grande parte do século 20, cerca de um terço do mundo vivia em países comunistas – países governados por líderes ditatoriais que controlavam a vida de todos os demais. Os líderes comunistas fixavam os salários, fixavam os preços e distribuíam a riqueza.

As nações capitalistas ocidentais lutaram duramente contra o comunismo e, eventualmente, a maioria dos países comunistas entrou em colapso. A utopia de Marx nunca foi alcançada, pois exigia uma revolução em escala global, que nunca aconteceu.

No entanto, a partir de 2020, cinco países proclamados comunistas continuam a existir: Coréia do Norte, Vietnã, China, Cuba e Laos.

Comunismo – História

1820

28 de novembro – Nascimento de Friedrich Engels, filósofo comunista

Friedrich Engels vem de uma família de industriais. Ele estudou filosofia e se tornou amigo de Karl Marx que ele conheceu em Paris em 1844.

Eles se estabeleceram na Bélgica e fundou o Comitê de Correspondência Comunista. Graças às idéias de Engels, Marx escreveu o “Manifesto Comunista”, que é publicado anonimamente em 1848. Expulso da Bélgica, mas também em Colônia, para onde se mudaram depois, eles acabam por se estabelecer em Londres.

Para se sustentar, Engels trabalhou durante um tempo com seu pai. É dentro da associação internacional dos trabalhadores. Quando Marx decide, Engels dedicada à publicação dos escritos de seu amigo.

1893

26 dezembro – Nascimento de Mao Zedong

Mao Tsé-tung nasceu 26 de dezembro de 1893. Ele fundou a República Popular da China depois de lutar contra o Kuomintang nacionalista de Chiang Kai-shek e as invasões japonesas. Famosa por sua longa marcha, Libertação do Povo do Exército venceu a guerra civil em 1949. Mao impôs coletivismo e ditadura do partido comunista, e distancia-se da URSS. Durante a Revolução Cultural, ele eliminou seus rivais para estabelecer um regime totalitário até sua morte em 1976.

1895

05 de agosto – Morte de Friedrich Engels

Friedrich Engels nasceu em 1820 em uma família de industriais. Filósofo, ele se mudou para Manchester, em 1842, onde ele fala sobre a classe operária trabalhava. Intelectualmente perto de Karl Marx, os dois homens que procuram unificar os partidos comunistas da Europa e preparar as bases da ideologia revolucionária.

Engels era ativo na Primeira e Segunda Internacional e garante a transmissão das idéias de Karl Marx morreu em 1883. Ele desapareceu 5 de agosto de 1895.

1895

14 de dezembro – Nascimento de Paul Eluard

Paul Eluard, também conhecido como Eugene Emile Paul Grindel, nasceu 14 de dezembro, 1895. Adere ao lado do Dadaísmo seu amigo André Breton, antes de os dois não são as bases do surrealismo.

Matriculou-se como um cidadão, dentro do Partido Comunista Francês. A Guerra Civil Espanhola até o fim do Picasso que ele dedica uma admiração real. Após a Segunda Guerra Mundial, alistou-se para a paz e morreu em 1952.

1904

22 agosto – Nascimento de Deng Xiaoping

Deng Xiaoping nasceu 22 de agosto de 1904 na província de Sichuan, em Guang’an, em uma família de agricultores. Ele ingressou no Partido Comunista Chinês em 1923, onde se tornou o Secretário-Geral 1956-1967.

Em seguida, dirige o fato de República da China 1978-1992. O que se acredita ser a causa do desenvolvimento econômico da China morreu 19 de fevereiro de 1997, com a idade de 92 anos, enfraquecido pela doença de Parkinson e uma infecção pulmonar.

1906

19 de dezembro – Nascimento de Leonid Brezhnev

Leonid Brezhnev nasceu 19 de dezembro de 1906 em Kamenskoïe. Este político era o secretário Soviética geral do Partido Comunista da União Soviética de 1964-1982, ano em que morreu.

Se ele teve o seu apogeu nos anos 70, o seu poder desceu gradualmente e foi recuperado por membros da nomenklatura. Ele marcou o início do relaxamento com o Ocidente, simbolizada pela visita de Richard Nixon na URSS em 1972.

1915

05 de setembro – Zimmerwald Conferência

A maioria dos partidos socialistas europeus têm renegou seus compromissos e programas, votando a favor da Primeira Guerra Mundial, em nome da união sagrada de suas nações. De 5 a 08 de setembro de 1915, os socialistas decepcionados ações de seus partidos reuniram-se em Zimmerwald a refletir sobre a luta contra a guerra e chauvinismo. Esta conferência produziu um manifesto escrito por Leon Trotsky, acusando o capitalismo trouxe guerra e barbárie.

1915

28 de setembro – Nascimento de Ethel Rosenberg

Nascido em Nova York 28 de setembro de 1915, Ethel Rosenberg foi preso por espionagem com o marido Júlio durante a guerra fria. Em 1949, enquanto a URSS se recuperou bastante informação dos Estados Unidos para construir por sua vez, da bomba atômica, o senador Joseph McCarthy lança “caça às bruxas”.

No ano seguinte, os Rosenberg e casal judeu comunista, em Nova York, foram presos. Tentou em 1951, eles são executados em 1953 na prisão Cante Cante quando eles têm consistentemente mantido a sua inocência.

1915

20 de novembro – Nascimento de Hu Yaobang

Nascido 20 de novembro de 1915 em Linyang, China, Hu Yaobang juntou-se à Liga da Juventude Comunista a 14 anos antes de ingressar no Partido Comunista Chinês aos 18 anos.

Depois de servir no Exército Vermelho, ele se tornou secretário regional do Partido em 1949, após a fundação da República Popular da China. Repetidamente removido e depois voltou para a graça, ele se tornou secretário-geral do Partido Comunista Chinês em 1980, o então presidente do Partido em 1981. Ele partiu em 1987, após manifestações estudantis pela democracia. Ele morreu em 1989 de um ataque cardíaco.

1919

Sob o comando de Gustav Noske, os agentes de execução sumária de Espartaquista revolucionária à frente da insurreição em Berlim Karl Liebknecht e Rosa Luxemburgo. Este último, preso por quase toda a Primeira Guerra Mundial Primeira seu compromisso com a paz extrema esquerda, foi liberado após a revolução de novembro de 1918. Ela foi a principal teórico do comunismo alemão.

1919

31 de agosto – Criação do Partido Comunista americano do Trabalho

Em 1919 um novo movimento político rompeu com o Partido Socialista da América. Composto por membros envolvidos na Revolução Russa, ele surgiu em resposta ao fracasso da junção do Partido Socialista com o Comintern, o Partido Comunista da União Soviética. Ele se tornou o americano do Trabalho do Partido Comunista, 31 agosto de 1919 em Chicago. Primeiro forçado a se esconder por causa de temores sobre a Revolução Russa, foi legalizado apenas alguns meses após sua criação.

1921

13 mar – Fundação do Partido Revolucionário Popular da Mongólia

O Partido Popular da Mongólia foi criado 13 de março de 1921 e continuará a ser o único partido no país até 1990. Foi fundada por Damdin Sükhbaatar, também chamado de “mongol Lenin” por causa de sua participação na doutrina comunista. Ele recebe apoio da URSS para perseguir os chineses no país e estabeleceu um governo provisório. Mongólia se tornou membro da “União das Repúblicas Socialistas Soviéticas.” Em 1924, o país tornou-se República Popular da Mongólia, seu capital foi rebatizada Ulaanbaatar (herói vermelho) em honra de Sükhbaatar.

1922

06 de fevereiro – A partir do pontificado de Pio XI

Ambrogio Damiano Achille Ratti nasceu 31 de maio de 1857 na Itália. 06 de fevereiro de 1922 ele foi eleito Papa e adotou o nome de Pio XI. Seu pontificado será marcado por vários eventos, incluindo o Tratado de Latrão, assinado em 1929, que regulamenta a questão de Roma e ver o nascimento do Estado Vaticano. Além disso, Pio XI testemunhando a ascensão do comunismo na Europa Oriental, a Alemanha nazista, o fascismo em seu próprio país ea ascensão do estado anti-semitismo, contra a qual está posicionado. Ele morreu 10 de fevereiro de 1939 de parada cardíaca.

Alguns têm acusado Mussolini de estar por trás de sua morte.

1937

09 de março – Divini Redemptoris, Pio XI encíclica

Pio XI escreveu uma encíclica chamada “Divini Redemptoris”, 09 março de 1937. Esta carta aos bispos condenaram o comunismo ateu.

Alemanha nazista e todos os outros governos do Eixo queria tomar essa posição da igreja para invadir a URSS, mas Pio XI foi contra. Dias antes, ele publicou uma encíclica chamada “Mit Brennender Sorge” nazismo reprimir.

1948

25 de fevereiro – Controle comunista em Praga

Após duas semanas de pressão soviética, os comunistas Checa operar “golpe de Praga”. Acumulando uma onda de demissões e os movimentos comunistas do lançamento de Street e greves, os comunistas liderados por Klement Gottwald conseguem tomar o controle do país. Presidente Eduard Benes, enfraquecida e isolada, aposentou-se e renunciou, deixando uma democracia popular para resolver a evitar a guerra civil. Assim, no coração da Guerra Fria, o caso especial da Checoslováquia termina.

Os países com uma tradição democrática, parecia de fato na encruzilhada dos modelos comunistas e liberais, tanto politicamente e geograficamente: o governo propôs uma coligação democrática constituída por comunistas e nacional-socialistas em um país, na fronteira da Cortina de Ferro.

Depois do golpe, em Praga, Checoslováquia passou definitivamente para o leste deste último.

1948

30 de abril – Criação da OEA em Bogotá

30 de abril de 1948, vinte e um países das Américas assinaram a Carta da OEA (Organização dos Estados Americanos). O objetivo deste tratado é proteger a democracia e direitos humanos.

Ele também ajuda na luta contra o crime, contra o tráfico de drogas e contra o tráfico de influência. Finalmente, ajuda ao comércio entre países do continente. A Carta de Bogotá é dirigida contra o comunismo, que está em Cuba para ser excluido.

1949

20 de janeiro – Anúncio do Fair Deal

A Fair Deal foi uma medidas econômicas e sociais que se seguiram os programas do New Deal de Franklin D. Roosevelt. Esta reforma foi anunciada em janeiro de 1949 pelo presidente dos EUA, Harry S. Truman.

Nessa conferência, ele usa o conceito de primeiro país “subdesenvolvido” e propõe a oferecer-lhes assistência. Esta manobra foi destinado em especial, para evitar esses países pobres, deriva para o comunismo, o flagelo do tempo.

1949

20 de agosto – A República Popular da Hungria é proclamada

Montada poder, o Partido Comunista proclamou a República Popular da Hungria. Após o armistício assinado com a URSS, a reforma agrária foi introduzida em 1945 por um governo provisório, dando pequenos territórios feudais. Em novembro de 1945, as eleições foram realizadas e levou apenas o Partido Agrário no topo do país. Uma vez proclamada a República, Zoltan Tildy foi eleito presidente. Hungria, no entanto, permaneceram sob influência soviética, que apoiou os comunistas, reunidos sob Matyas Rakosi. Em 1947, o partido foi vítima de conspiração, o que levou à vitória nas eleições de agosto, uma coalizão de esquerda, na cabeça de que era o Partido Comunista. Rákosi, então, levar uma política de cooperação com a URSS, a nacionalização ea repressão vis-à-vis a oposição, será representado pela prisão do cardeal Mindszenty e do Ministro László Rajk.

1949

01 de outubro – Fundação da República Popular da China

Da varanda da Cidade Proibida, em Pequim, Mao Zedong proclamou a República Popular da China. Mao, o Partido Comunista Chinês, encerrou anos de guerra civil entre nacionalistas e comunistas. O “Grande Timoneiro” tornou-se presidente do Governo Central. Este evento se estende também a Guerra Fria na Ásia. China de Mao conduzir com mão de ferro até sua morte, 09 de setembro de 1976.

2005

02 de abril – Morte de João Paulo II

Papa João Paulo II (cujo verdadeiro nome é Karol Wojtyla) morreu em 9:37 a 84 anos, após 26 anos de pontificado. Ele foi atormentado por doença por vários anos e havia passado por várias operações. Mais de 60.000 pessoas lotaram a Praça de São Pedro, em Roma, para o anúncio de sua morte. Será lembrado por seu pontificado (o mais longo o terceiro na história) suas peregrinações muitos países visitados (104), a luta contra o comunismo eo nazismo, a reconciliação entre as religiões, e seu apego aos valores tradicionais.

A doutrina econômica de Marx

Comunismo

“O objetivo principal deste trabalho, diz Marx no seu prefácio à Capital, para colocar a lei nua econômica do movimento da sociedade moderna”, isto é, a sociedade capitalista burguesa.

O estudo das relações de produção de uma dada sociedade, historicamente determinada, em seu nascimento, seu desenvolvimento e declínio, este é o conteúdo da doutrina econômica de Marx.

O que domina na sociedade capitalista, é a produção de bens, para a análise de Marx começa faz a análise da mercadoria.

VALOR

As mercadorias são, em primeiro lugar, algo que satisfaz uma humana, e em segundo lugar, é algo que pode ser trocada por outra. A utilidade de uma coisa torna um valor de uso. Valor de troca (ou o valor de todo) é, em primeiro lugar, o relatório, a proporção, em troca de um número de valores de uso de uma espécie contra um número de valores a utilização de outras espécies.

A experiência quotidiana mostra-nos que milhões e bilhões de estas trocas são constantemente relações de equivalência entre os valores de uso e plusdiverses os mais diferentes.

O que há em comum entre estas coisas diferentes constantemente equiparado com um outro em um determinado sistema de relações sociais?

O que eles têm em comum é a de serem produtos do trabalho.

A troca de produtos, os homens estabelecem relações de equivalência entre os tipos de trabalho mais diferente.

A produção de bens é um sistema de relações sociais em que os produtores individuais criam diversos produtos (divisão social do trabalho) e são equiparados ao tempo de redenção. Portanto, o que é comum a todos os bens, e não o trabalho concreto de uma indústria em particular, não é uma obra de um determinado tipo, mas o trabalho humano abstrato, o trabalho humano em geral.

Na empresa estudada, a força de trabalho inteiro representado pela soma dos valores de todos os produtos é uma única força de trabalho humano: milhares de milhões de troca provar.

Consideradas separadamente cada mercadoria é, portanto, representado por apenas uma parcela de tempo de trabalho socialmente necessário.

A magnitude do valor é determinado pela quantidade de trabalho socialmente necessário ou o tempo de trabalho socialmente necessário para produzir um producto, um dado valor de uso. “…

Em troca considerando iguais em seus diferentes produtos, eles [os produtores] estabeleceram o fato de que suas obras diversas são iguais. Eles não sabem disso.”

O valor é uma relação entre duas pessoas, disse um economista de idade, ele deveria ter acrescentado: uma relação escondida sob a envoltura material.

Somente considerando o sistema de relações sociais de produção de uma formação histórica determinada da sociedade, os relatos que aparecem no fenômeno de massa de troca repetida bilhões de vezes, podemos entender o que valor. “Como valores, todas as mercadorias são apenas massas de trabalho congelado”. Após uma análise aprofundada do duplo caráter do trabalho incorporado nas mercadorias, Marx passa a analisar a forma de valor e dinheiro.

Ao fazer isso, a principal tarefa que ele é designado para investigar a origem da forma dinheiro do valor, estudar o processo histórico de desenvolvimento do comércio, a começar pelos atos de troca particulares e fortuitos (“valor de forma simples, ou acidental”: uma quantidade específica de uma commodity é negociado contra uma quantidade fixa de outra mercadoria) para avançar para a forma geral de valor, quando várias mercadorias diferentes são trocadas por um única mercadoria, e terminando com a forma dinheiro do valor, quando o ouro se torna esta mercadoria determinada, o equivalente universal. Maior produto do desenvolvimento do comércio e da produção mercantil, máscaras de dinheiro, esconde o caráter social do trabalho individual, o laço social entre os vários produtores ligados uns aos outros pelo mercado. Marx submetidos à análise mais detalhada das diversas funções do dinheiro, e é importante notar que também aqui (como nos primeiros capítulos de O Capital) a forma abstrata da apresentação, que às vezes parece puramente dedutiva modo realmente uma literatura muito rica sobre a história do desenvolvimento do comércio e produção de mercadorias.

“Se considerarmos o dinheiro, nós achamos que ela requer algum desenvolvimento da troca de mercadorias formas especiais de dinheiro: O mero equivalente de mercadorias, meios de circulação, meios de pagamento, ou tesouro moeda universal, indicam, de acordo com a extensão variável e relativa preponderância de um ou outro desses funções, diferentes graus de produção social “(capital, Volume I).

O VALOR ADICIONADO

Em um certo estágio de desenvolvimento da produção de mercadorias, o dinheiro se torna capital. A fórmula da circulação de mercadorias era CMC (commodity) ó (dinheiro) ó M (Commodity), isto é, vender uma mercadoria para a compra de outro. A fórmula geral do capital é contra a AMA, isto é, a compra para venda (com lucro).

É esse aumento sobre o valor original do dinheiro em circulação que Marx chamou de mais-valia. Este “aumento” de dinheiro em circulação capitalista é um fato conhecido. É precisamente este “crescimento” que transforma dinheiro em capital, como uma relação social de produção, historicamente determinado. O ganho de capital podem surgir a partir da circulação de mercadorias, porque conhece apenas a troca de equivalentes, mas só pode vir de qualquer aumento de preços, uma vez que as perdas e lucros de recíproca compradores e vendedores se equilibrar, mas não é um fenômeno social, médio, generalizado, e não um fenômeno individual. Para valor acrescentado “, seria exigir que o proprietário do dinheiro poderia encontrar … mesmo no mercado, uma mercadoria cujo valor de uso possua a propriedade peculiar de ser uma fonte de valor”, uma mercadoria cujo processo de consumo é também um processo de criação de valor.

Tal mercadoria existe: é o trabalho humano. Seu consumo é o trabalho, eo trabalho cria valor. O proprietário de dinheiro compra a força de trabalho pelo seu valor, que, como qualquer outra mercadoria, pelo tempo de trabalho socialmente necessário para sua produção (isto é, o custo de manutenção de trabalhador e sua família). Tendo comprado a força de trabalho, o possuidor de dinheiro tem o direito de usá-lo, isto é, para forçá-lo a trabalhar o dia todo, digamos 12 horas.

No entanto, em 6 horas (tempo de trabalho “necessário”), o trabalhador cria um produto que cobre o custo de sua manutenção, e, para as outras 6 horas (tempo de trabalho “extra”), cria um produto adicional ” “não pago pelo capitalista, e é o ganho de capital.

Portanto, em termos do processo de produção, devemos distinguir duas partes na capital: o capital constante, passou a meios de produção (máquinas, instrumentos de trabalho, matérias-primas, etc.), Cujo valor vai como é (de uma só vez ou em parcelas) no produto acabado, e capital variável, usado para pagar a força de trabalho. O valor deste capital não permanece estático, que aumenta no processo do trabalho, criando mais-valia. Além disso, para expressar o grau de exploração da força de trabalho pelo capital, se compararmos o ganho não a capital total, mas apenas ao capital variável. A taxa de mais-valia, nome dado por Marx neste relatório% será, em nosso exemplo, 6/6 ou 100.

O capital a surgir condições precedentes históricos:

1) a acumulação de uma certa quantia de dinheiro nas mãos dos indivíduos, numa fase de produção de mercadorias já relativamente alto,
2)
 a existência de trabalhadores livre “de duas formas: livres de coação e qualquer restrição à venda de seu trabalho, e livre, porque sem terrenos ou meios de produção em geral, trabalhadores sem professores, os trabalhadores-“proletários” que não podem subsistir com a venda de sua força de trabalho.

O aumento no ganho é possível por dois processos principais que se estendem a jornada de trabalho (“mais-valia absoluta”) ea redução do tempo de trabalho necessário (“mais-valia relativa”). Ao analisar o primeiro, Marx dá um retrato impressionante da luta da classe trabalhadora para a redução da jornada de trabalho ea intervenção do poder estatal para estendê-lo (XIV-XVII séculos) e reduzi-lo (a legislação fábrica no século XIX). Desde a publicação do Capital, o movimento operário em todos os países civilizados tem fornecido milhares e milhares de novos fatos ampliando esse quadro.

Em sua análise da produção de mais-valia relativa, Marx investiga as três principais fases históricas da produtividade do trabalho crescente pelo capitalismo:

1) simples cooperação,
2) 
a divisão do trabalho e da produção e
3 ) 
máquinas e indústria pesada.

A análise profunda de Marx e revela características fundamentais típicos do desenvolvimento capitalista, isto é confirmado, entre outros, o estudo da indústria chamado “ofício” na Rússia, que fornece uma literatura abundante ilustrando os dois primeira destas três fases. Quanto à ação revolucionária da máquina principal descrita por Marx em 1867, se manifestou durante o último meio século desde então, vários países “novos” (Rússia, Japão, etc.).

Em seguida, o que é novo e extremamente importante para Marx, é a análise de acumulação de capital, isto é, a transformação de uma parte do capital ganho de capital e sua utilização, não para as necessidades pessoais ou caprichos do capitalista, mas para a produção de novo. Marx mostrou o erro de todos os economistas políticos clássicos anteriores (de Adam Smith), dos quais o ganho de capital total é convertido em capital em capital variável. Na realidade, ele é dividido em meios de produção e capital variável. O crescimento mais rápido do capital social constante (dentro do capital total) em comparação com a do capital variável é de grande importância no processo de desenvolvimento capitalista e sua transformação em socialismo.

Ao acelerar o deslocamento de trabalhadores por máquinas e criação de riqueza num pólo e a miséria de outro, a acumulação de capital também dá origem aos chamados “exército de reserva dos trabalhadores”, os “relativos” excesso de trabalhadores ou “superpopulação capitalista”, o que é métodos muito diferentes e permite que o capital para expandir a produção rapidamente. Esta possibilidade, combinada com o crédito e a acumulação de capital em meios de produção, dá-nos, entre outras coisas, a explicação das crises de superprodução que ocorrem periodicamente nos países capitalistas, a cada dez anos primeiro, depois em intervalos menos frequentes e menos fixo.

Devemos distinguir entre a acumulação do capital na base do capitalismo e a chamada acumulação primitiva: trabalhador violência separação dos meios de produção, expulsando os camponeses de suas terras, roubo de terras comunais, o sistema colonial, dívidas públicas, tarifas protecionistas, etc. A “acumulação primitiva” cria, num pólo, o proletário “livre” para outro, o detentor do dinheiro, o capitalista.

A “tendência histórica da acumulação capitalista” é caracterizada por Marx nessa passagem famosa: “A expropriação dos produtores diretos é executado com o vandalismo mais impiedoso e sob a influência das paixões mais infames, o mais sórdido, o pior e mais odioso propriedade. privada, adquirida pelo trabalho pessoal [do camponês e do artesão], e com base, por assim dizer, na fusão do trabalhador, isolado autônoma com suas condições de trabalho, é substituído pela propriedade privada capitalista baseado na exploração do trabalho dos outros, que é apenas formalmente livre …

O que está agora a ser expropriado já não é o self-employed, mas o capitalista que explora um grande número trabalhadores. Esta expropriação é realizada pela ação das leis imanentes da produção capitalista, pela concentração do capital. Cada capitalista elimina muitos outros capitalistas. lado com essa centralização, ou essa expropriação do grande número de capitalistas por um punhado deles estão desenvolvendo a cooperativa, em uma escala cada vez maior, o processo de trabalho, a aplicação consciente da ciência à exploração técnica, metódica da terra, a transformação da instrumentos específicos de trabalho em instrumentos de trabalho só utilizáveis em comum, a economia de todos os meios de produção utilizados como insumos de um trabalho conjunto social, entrada de todos os povos no sistema de mercado mundial, de onde o caráter internacional do sistema capitalista. o número constantemente decrescente dos magnatas do capital, que usurpam e monopolizam todas as vantagens deste processo de transformação, cresce a massa de miséria, opressão, escravidão, degradação, o operação, mas também a resistência da classe trabalhadora … mais e mais disciplinada, unida e organizada pelo próprio mecanismo do processo de produção capitalista.

O monopólio do capital torna-se o entrave do modo de produção que cresceu e prosperou com ele e sob seus auspícios.

A centralização dos meios de produção ea socialização do trabalho chegam a um ponto onde eles não podem mais manter seu invólucro capitalista. Este tegumento é despedaçadas.

Hora da propriedade privada capitalista tocou.

Os expropriadores são expropriados “(O Capital, Volume I).

Então, o que é extremamente importante e novo, é a análise de Marx, no Livro II de O Capital, a reprodução da totalidade do capital. Novamente, ele está planejando não é um fenômeno individual, mas um fenômeno geral, não uma fração da economia social, mas tudo isso.

Ao corrigir o erro dos economistas clássicos mencionados acima, Marx divide toda a produção social em duas seções principais:

i) a produção de meios de produção, e
II) 
a produção de bens de consumo, após o que, operando em números, examina cuidadosamente todo o fluxo de capital, tanto na reprodução que existia no seu tamanho anterior como no caso de acumulação.

No Volume III de O Capital é resolvido, de acordo com a lei do valor, o problema da taxa média de lucro.

Obra de Marx é um avanço significativo na ciência econômica que a sua análise dos fenômenos econômicos em massa de toda a economia social e casos isolados ou não a aparência superficial da concorrência, que são muitas vezes limitadas a economia política vulgar ou a moderna “teoria da utilidade marginal.” Marx primeiro discute a origem da mais-valia, e então considerar a sua decomposição em juros, lucros e renda da terra. O lucro é a relação de valor para a totalidade do capital investido em uma empresa. Capital de “elevada composição orgânica” (isto é, onde o capital constante sobre o capital variável em um valor maior do que a média social) dá uma taxa de lucro abaixo da média. O capital “baixa composição orgânica” dá uma taxa de lucro acima da média.

A concorrência entre o capital eo livre passagem de um ramo para trazer de volta o outro, em ambos os casos, a taxa de lucro à taxa média.

A soma dos valores de todas as mercadorias numa dada sociedade coincide com a soma dos preços das commodities, mas em cada empresa e cada setor isoladamente considerados, não a competição que os bens sejam vendidos de seu valor, mas com o custo de produção, o que equivale a capital dispendido mais o lucro média.

Assim, o diferencial entre os preços e valor e equalização de lucro, e fatos indiscutíveis conhecidos de cada um, são perfeitamente explicado por Marx com a lei de valor, porque a soma dos valores de todos os produtos é igual para a soma de seus preços. No entanto, a redução do valor (social) Preços (individual) não ocorre de forma simples e direta, mas de uma forma muito complexa e é natural que numa sociedade de produtores de mercadorias dispersos, que estão interligados pelo mercado, as leis não pode ser expressa como uma forma relativamente leve, social, em geral, por meio de compensação mútua das diferenças individuais em ambos os lados desta média.

O aumento da produtividade do trabalho implica um crescimento mais rápido do capital constante em relação ao capital variável. No entanto, o ganho é uma função de um capital variável, é concebível que a taxa de lucro (a razão entre o valor excedente para capital total, e não apenas a sua parte variável) tende a diminuir. Marx analisa essa tendência com cuidado, e as circunstâncias que a máscara ou contrariar.

Nevermind os capítulos extremamente interessantes do Livro III dedicado ao capital usurário, a capital comercial e capital-dinheiro, e abordar o essencial: a teoria da renda da terra.

A superfície do solo é limitado, e, em países capitalistas, inteiramente ocupada por proprietários, o preço de produção de produtos agrícolas é determinado pelo custo de produção em terra não de qualidade média, mas a qualidade mais ruim, e depois as condições de transporte no mercado, e não médias, mas o pior. A diferença entre este preço eo preço de produção na qualidade da terra (ou melhores condições) dá a renda diferencial.

Para uma análise detalhada da anuidade, demonstrando que se trata da diferença de fertilidade da terra e da diferença entre os recursos investidos na agricultura, Marx pôs a nu (ver também Teorias da mais-valia, que crítica de Rodbertus merece uma atenção especial) o erro de afirmar que Ricardo renda diferencial só pode ser alcançado pela conversão gradual dos melhores golf em solos de qualidade inferior. Em contraste, as mudanças opostas também ocorrer, a terra de uma determinada categoria de volta a terra em outra categoria (devido ao progresso técnico do crescimento agrícola de cidades, etc.), E a lei “famoso da diminuição do solo “é um erro profundo que tende a trazer para explicar a natureza dos defeitos, limitações e contradições do capitalismo. Então, a equalização do lucro em todos os ramos da indústria e da economia nacional em geral pressupõe total liberdade de concorrência, a livre transferência de capitais de um ramo para outro.

Mas a propriedade privada da terra cria um monopólio e um obstáculo para a livre transferência. Sob este monopólio, os produtos da agricultura, que é caracterizada por uma menor composição orgânica do capital e, por conseguinte indivíduo, uma taxa de lucro mais elevada, não estão incluídos no livre jogo de equalização taxa de lucro, o proprietário pode usar seu monopólio sobre a terra para manter o preço acima da média, e este preço de monopólio engendra renda absoluta. Renda diferencial não pode ser abolido sob o capitalismo, por contras, renda absoluta pode ser, por exemplo, com a nacionalização da terra, quando se torna propriedade do Estado.

Esta passagem do estado fundamental para minar o monopólio dos proprietários privados e pavimentar o caminho para a livre concorrência mais consistente e completa na agricultura.

É por isso que, diz Marx, os burgueses radicais, mais de uma vez na história, fizeram esta reivindicação burguesa progressiva da nacionalização da terra, que ainda assusta a maioria da burguesia, porque “toca” muito perto outro monopólio, que, atualmente, é particularmente importante e “sensível”: o monopólio dos meios de produção em geral. (A teoria do lucro médio relatado pelo principal ea renda da terra absoluta foi exposta por Marx numa linguagem extraordinariamente popular, concisa e clara na sua carta a Engels datada de 02 de agosto de 1862. Ver Correspondência, Volume III, p. 77-81. Veja também sua carta de 09 de agosto de 1862, ibid. 86-87.) É importante notar também, sobre a história da renda da terra, análise de Marx mostrando a transformação da pensão trabalho (quando o camponês cria produto excedente, trabalhando a terra do senhor) em uma pensão ou renda-produto-tipo (quando o agricultor em sua própria terra cria um excedente para os proprietários sob uma “coerção extra-econômica” ), as rendas de dinheiro (o giro do tipo anuidade mesmo em ó dinheiro na Rússia antiga, “obrok” ó acompanhando o desenvolvimento da produção de mercadorias) e, finalmente, em renda capitalista, quando, lugar do camponês, está envolvida na agricultura empresário, que fez a sua terra usando trabalho assalariado.

Por ocasião da análise da “gênese da renda da terra capitalista”, apontar alguns pensamentos profundos de Marx (particularmente importantes para países atrasados como a Rússia) sobre a evolução do capitalismo na agricultura. Com a transformação da renda em espécie em renda em dinheiro, é, necessariamente, ao mesmo tempo, e mesmo antes, uma classe não-proprietária diária e trabalhar contra lucros. Enquanto esta classe é e acontece ainda nos esporádicos, camponeses ricos, obrigados a uma taxa, são naturalmente usado para operar sobre os trabalhadores por conta própria agrícolas, como, no sistema feudal, os servos que tinham boa auto-outros servos. Assim, para esses camponeses abastados, a possibilidade de aumentar gradualmente alguma fortuna e transformaram em capitalistas futuras. Entre os ex-proprietários, operadores de terra, ele cria um terreno fértil para os agricultores capitalistas, cujo desenvolvimento é condicionado pelo desenvolvimento geral da produção capitalista fora da agricultura “(O Capital, Volume III, p. 332). expropriação… (e expulsão de parte da população rural não só torná-lo disponível para o capital industrial, os trabalhadores e seus meios de vida e trabalho, mas também criar o mercado interno “(O Capital, Livro I, p. 778).

O empobrecimento e ruína da população rural desempenha um papel, por sua vez, na criação de uma trabalhadores “exército de reserva disponível para a capital. Em qualquer país capitalista, que faz parte” da população rural está sempre prestes a se transformar em urbana ou de fabricação (ou seja, não-agrícola) … Esta fonte de superpopulação relativa está cheio … por isso nunca o trabalhador salário agrícola é minimizado e sempre tem um pé na lama da pobreza “(O Capital, Volume I, p. 668). propriedade privada do camponês na terra cultivada é a base da pequena produção, a condição da sua prosperidade e sua adesão a uma forma clássica. Mas esta pequena produção só é compatível com a estrutura original estreito da produção e da sociedade.

Sob o capitalismo, “a exploração dos camponeses é indistinguível. apenas na forma de exploração do proletariado industrial O explorador é o mesmo: o capital dos capitalistas individuais exploram os camponeses individuais através de hipotecas e da usura a classe capitalista explora a classe camponesa por, no.. fiscal do Estado “(As Lutas de Classes na França).”

O enredo do camponês é agora apenas o pretexto que permite ao capitalista tirar proveito da terra, juros e renda e para que o próprio agricultor, a tarefa para ver como ele conseguiu o seu salário “(18 Brumário).

Normalmente, o agricultor se engaja na sociedade capitalista, isto é, a classe capitalista, mesmo uma parte de seus salários e, portanto, cai “grau do rendeiro irlandês, e tudo sob o pretexto de ser proprietário privado” (As Lutas de Classes na França).

O que é uma “uma das razões pelas quais o preço dos cereais nos países onde a predominância parcelas de propriedade, é menor do que em países com produção capitalista? “(O Capital, Volume III, p. 340). Este é o livro para a sociedade camponesa livre (isto é, à classe de capitalistas) uma parte do excedente. “Este preço mais baixo [de grãos e outros produtos agrícolas], portanto, resulta em pobreza e não produtores da produtividade de seu trabalho” (Ibid). Sob o capitalismo, a pequena propriedade agrária forma normal da pequena produção, degrada, cernelha e perece.

“A parcela de propriedade exclui por sua própria natureza, o desenvolvimento das forças produtivas sociais do trabalho, o estabelecimento de formas sociais de trabalho, a concentração social dos capitais, a agricultura em grande escala, a aplicação progressiva da ciência à cultura. Usura e impostos durante a inevitável ruína. O dispêndio de capital para a compra do terreno que não pode ser investido em cultura.

Os meios de produção estão espalhados ao infinito, o próprio produtor é isolado. [Co-operativas, isto é, as associações de pequenos agricultores, que desempenham um papel progressista de maior burguesa, só pode enfraquecer esta tendência, mas não eliminá-lo; não deve esquecer que estas cooperativas dão aos agricultores mais ricos, e muito pouco ou nada para a massa de camponeses pobres e, eventualmente, estas associações explorar o seu próprio trabalho assalariado.] O desperdício de energia humana é imensa. deterioração progressiva das condições de produção e preços maiores para os meios de produção são uma lei inelutável da propriedade fragmentada. “Na agricultura como na indústria, a transformação capitalista da produção parece ser que o “mártires” dos produtores. “A disseminação dos trabalhadores agrícolas em áreas maiores divide o seu poder de resistência, enquanto que o aumento da concentração de trabalhadores urbanos. Na Agricultura moderna, capitalista, como na indústria moderna, maior produtividade e desempenho superior do trabalho pode ser comprado à custa da destruição e do esgotamento da força de trabalho. Além disso, cada avanço da agricultura capitalista é progredir não só na arte de roubar o trabalhador, mas também na arte de roubar o solo …

A produção capitalista, portanto, desenvolve tecnologia e da combinação de processo de produção social que, simultaneamente, esgotar as duas fontes de onde brota toda a riqueza: a terra eo trabalhador “(O Capital, Volume I, final do capítulo 13).

Comunismo – Doutrina e Sistema

Doutrina e sistema econômico e social baseados na propriedade comum de todos os bens e na igual distribuição da riqueza.

Doutrina dos Partidos Comunistas, forma de organização desses partidos ou dos países em que os mesmos se encontram no poder. O termo passou a ser mais utilizado a partir de 1840 quando a filosofia marxista surgiu na Europa.

Sua origem se encontra nas obras de Karl Heinrich Marx (1818-1883) e Friederich Engels (1820-1895), filósofos alemã

Para os comunistas, o objetivo a longo prazo, era uma sociedade onde existisse igualdade e segurança econômica para todos. De imediato, reivindicavam a propriedade estatal – em vez da propriedade privada – das fábricas, das máquinas e dos demais meios de produção básicos.

Reivindicavam também o planejamento governamental da atividade econômica. Os comunistas referem-se ao socialismo como um estágio inicial do desenvolvimento dos países comunistas.

Consideram-no uma versão incipiente do desenvolvimento da sociedade comunista que pretendem construir.

As idéias de Marx e Lenin foram a base comum para o surgimento do ideal comunista. O regime comunista varia muito de um país para outro.

Mas o comunismo possui certas características básicas que estão mais ou menos presentes em todos esses países. O Partido Comunista é o principal instrumento dos comunistas para alcançar o poder e governar.

Num país comunista, o partido comunista é o único existente. Em muitos países, o partido comunista segue o modelo do Partido Comunista da União Soviética.

Os requisitos para filiação são rigorosos e o partido é extremamente exigente com seus membros para manter o controle da ética e responsabilidade. O partido é altamente centralizado, ou seja, os principais líderes escolhidos democraticamente tomam as decisões importantes. Eles exercem um papel fundamental em todas as principais decisões do governo e na execução dessas decisões.

O partido é um elo entre as estruturas que suportam o sistema de poder, como o governo, a polícia, as forças armadas, a agricultura e a indústria. Nos regimes comunistas, o controle da economia é de responsabilidade do governo.

comunismo proíbe o trabalho assalariado para fins privados. Em muitos países comunistas, o Estado é proprietário da maior parte das terras, dos bancos, dos recursos naturais, da indústria, do comércio em grande escala e dos transportes. O governo tem também todos os meios de comunicação de massa, como a radiodifusão, a televisão, a publicidade e a produção cinematográfica.

O Estado comunista luta para manter a economia do país alinhada sem diferenças raciais e economicas na população, havendo assim um acordo e progresso em conjunto da sociedade.

Fonte: www.toupie.org/www.linternaute.com/www.grandecomunismo.hpg.ig.com.br/www.nationalgeographic.org/storage.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Arqueologia de Gênero

Arqueologia de Gênero

PUBLICIDADE Definição A arqueologia de gênero é um método investigativo da subdisciplina de estudar sociedades antigas através …

Criptologia

PUBLICIDADE Criptologia é a ciência preocupada com a comunicação e armazenamento de dados de forma …

Stonehenge

PUBLICIDADE Stonehenge – Monumento Stonehenge é um dos monumentos mais famosos do mundo. Fica na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.