Breaking News
Home / História Geral / Intolerância Religiosa

Intolerância Religiosa

PUBLICIDADE

 

O que é

A Intolerância assume muitas formas: religiosas, raciais, sociais, morais, que podem ocorrer separadamente ou em combinação.

Às vezes, a intolerância pode ser justificada outras vezes não.

Consequentemente, os seus efeitos são extremamente perniciosos.

As causas são variados, dependendo da área em que está expresso, não só no que diz respeito à sua intensidade, e a natureza do seu objeto, mas também em relação às circunstâncias históricas daqueles que a praticam.

Quando as suas causas são trazidos à luz, em geral verifica-se que eles são irracionais. Infelizmente, isto não é suficiente para suprimir, ou, em muitos casos, mesmo apenas para moderar a influência.

De todas as formas de intolerância, a intolerância religiosa é aquela que provavelmente causou maiores danos. É também a mais difícil de explicar.

Significados

Intolerância Religiosa
Intolerância Religiosa

Os significados de “intolerância religiosa” e “tolerância religiosa” estão intimamente ligados.

Infelizmente, este último tem dois significados distintos:

1.Os conservadores religiosos e sociais freqüentemente interpretam a frase como relacionada a crenças de pessoas sobre as diferentes crenças religiosas de outras pessoas. Significa que, para ser tolerante, é preciso aceitar todas as religiões como igualmente válidas e verdadeiras.

Isso está próximo de um conceito religioso chamado “pluralismo”, que afirma que todas as religiões são verdadeiras e válidas dentro de suas próprias culturas.

Um problema é que, se crenças diversas são todas verdadeiras, então a verdade absoluta não existe. Além disso, levada a um extremo lógico, esta definição de tolerância exigiria que as pessoas aceitassem a existência de Yahweh, Deus, Deusa Wicca, Thor, Re, Júpiter, Vênus, Diana, Fergus, etc., como Deuses e Deuses reais.

2. Entre outros indivíduos e grupos, a “tolerância religiosa” está relacionada com as ações de uma pessoa em resposta às diferentes crenças e práticas religiosas de outras pessoas. Isso significa que se deve evitar oprimir ou discriminar pessoas cujas crenças religiosas são diferentes das suas.

É uma declaração de direitos humanos fundamentais. É como tolerância racial, tolerância de gênero, etc. Você provavelmente não concorda com o que outras pessoas acreditam, mas você estende-lhes a liberdade de acreditar e agir como sua religião exige.

Escalada da intolerância religiosa

Os seguidores da maioria das religiões (e de nenhuma religião organizada) sentem que suas crenças são verdadeiras e que as crenças de outros grupos são, pelo menos até certo ponto, falsas. Por si só, esta postura não é perigosa para a ordem pública. No entanto, o mal profundo pode resultar quando eles também oprimem outros grupos religiosos, discriminá-los ou disseminar o ódio contra eles.

Discriminação

A intolerância religiosa é a discriminação de uma pessoa ou um grupo de pessoas, com base na sua religião.

Em um mundo que prega a igualdade de todos os homens, infelizmente, ainda paira o fantasma de discriminação.

Discriminação, é causada pelo preconceito, ou uma atitude particular de resposta, positiva ou negativa, em relação a uma pessoa, se ele pertence a uma determinada categoria de pessoas, mas um homem não pode ser discriminado por outra pessoa, porque ambos pertencem ao gênero humano.

Os seres humanos podem ser diferentes para as raças de acordo com as características somáticas ou melhor sobre a base de uma série de características físicas que geralmente aparecem conjuntamente como a cor da pele, a cor dos olhos, a forma do crânio, os lábios, o tipo de cabelo.

A raça humana que mais tem sofrido as consequências dessas crenças, era o negro, e, infelizmente, ainda existem casos de discriminação, que muitas vezes degeneram em racismo.

Definição

A mera afirmação por parte de uma religião de que suas próprias crenças e práticas são corretas e qualquer crença contrária são incorretas não constitui em si mesma intolerância (isto é, intolerância ideológica).

A intolerância religiosa, antes, é quando um grupo (por exemplo, uma sociedade, grupo religioso, grupo não religioso) se recusa especificamente a tolerar práticas, pessoas ou crenças por motivos religiosos.

A intolerância religiosa é não respeitar o direito humano fundamental do ser humano de outras pessoas para manter as crenças religiosas que são diferentes do seu próprio país.

Por exemplo:

A intolerância foi demonstrado pela Inquisição Católica Romana, as Cruzadas como exercida por essa mesma organização, e por essas instâncias como Massacre do Dia de São Bartolomeu, na França, quando os huguenotes franceses foram massacrados aos milhares.

Formas de Intolerância Religiosa

Dividimos a intolerância religiosa em quatro formas, dependendo do autor e do alvo pretendido:

1) Intolerância inter-religiosa (por exemplo, um conflito hindu-cristão)
2) Intolerância intra-religiosa (por exemplo, muçulmanos xiitas versus sunitas)
3) Intolerância por parte de um grupo de fé contra um grupo secular (por exemplo, fundamentalistas cristãos versus agnósticos, ateus, humanistas, homossexuais, transexuais, amorosos, casais do mesmo sexo que desejam casar, etc.)
4) Intolerância por um grupo secular contra um grupo religioso. (Por exemplo, feministas versus algumas religiões organizadas)

Um dado exemplo de intolerância religiosa pode ser considerado inter-religioso por alguns grupos e intra-fé por outro. Por exemplo, alguns cristãos fundamentalistas não consideram uma parte legítima do cristianismo o Catolicismo Romano, a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (a igreja Mórmon), as denominações cristãs liberais, o cristianismo progressista, etc. Assim, um ataque de um grupo evangélico sobre o catolicismo romano pode ser considerado inter-fé pelo evangélico e intra-fé por um católico romano.

Intolerância religiosa na Bíblia

Jesus, por vezes, promoveu a tolerância religiosa dos não-judeus por suas palavras e ações. Ele também é registrado como tendo sido severamente intolerante das crenças religiosas e práticas dos fariseus e saduceus. Ele até cometeu assalto agravado no Templo contra pessoas com quem discordava. Há muitas referências específicas nas Escrituras Hebraicas (Antigo Testamento), por São Paulo, e pelo autor do Apocalipse.

A Intolerância Religiosa e suas Consequências

A religião esta presente em todos os setores da sociedade, através dela o ser humano busca um encontro com o transcendente e embora não se consiga explicar cientificamente o que torna essa relação entre homem e a religião tão forte é fácil dizer que a mesma pode tanto ser construtiva quanto destrutiva, dependendo de maneira como o homem reage frente a visões contrarias a suas ideologias.

Desta forma é importante que a religião se mantenha pura e sem interferências da política.

A liberdade religiosa possui uma grande importância do ponto de vista dos direitos humanos, pois ela é um direito humano fundamental, vários documentos internacionais corroboram com esta visão, pois em varias situações na historia quando esse direito foi vedado, foram gravesas implicações para a humanidade.

Os conflitos religiosos em sua maioria são gerados em função de uma ideologia extremista que dizimou milhões de vidas em conflitos, como é o caso do holocausto e ainda dizima outras mais em que guerras que pareceram não ter fim.

O ensino Religioso, praticado nas escolas é um instrumento de construção da cidadania e contribui no fortalecimento ao respeito a diversidade religiosa.

Quando se usa as metodologias corretas o ensino religioso pode proporcionar ao educando um conhecimento básico que poderá conceder-lhe o conhecimento das razões que motivam a existência de cada religião e de cada credo, desta forma o mesmo deve ser usado para incentivar o respeito à diversidade religiosa criando a possibilidade de um dialogo que humanize e construa uma cidadania ativa capaz de acabar com os conflitos existentes.

Ideologias

A intolerância religiosa é um conjunto de ideologias e atitudes ofensivas a diferentes crenças e religiões. Em casos extremos esse tipo de intolerância torna-se uma perseguição. Sendo definida como um crime de ódio que fere a liberdade e a dignidade humana, a perseguição religiosa é de extrema gravidade e costuma ser caracterizada pela ofensa, discriminação e até mesmo atos que atentam à vida de um determinado grupo que tem em comum certas crenças.

As liberdades de expressão e de culto são asseguradas pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pela Constituição Federal. A religião e a crença de um ser humano não devem constituir barreiras a fraternais e melhores relações humanas. Todos devem ser respeitados e tratados de maneira igual perante a lei, independente da orientação religiosa.

O Brasil é um país de Estado Laico, isso significa que não há uma religião oficial brasileira e que o Estado se mantém neutro e imparcial às diferentes religiões.

Desta forma, há uma separação entre Estado e Igreja; o que, teoricamente, assegura uma governabilidade imune à influência de dogmas religiosos. Além de separar governo de religião, a Constituição Federal também garante o tratamento igualitário a todos os seres humanos, quaisquer que sejam suas crenças. Dessa maneira, a liberdade religiosa está protegida e não deve, de forma alguma, ser desrespeitada.

É importante salientar que a crítica religiosa não é igual à intolerância religiosa. Os direitos de criticar dogmas e encaminhamentos de uma religião são assegurados pelas liberdades de opinião e expressão. Todavia, isso deve ser feito de forma que não haja desrespeito e ódio ao grupo religioso a que é direcionada a crítica.

Como há muita influência religiosa na vida político-social brasileira, as críticas às religiões são comuns. Essas críticas são essenciais ao exercício de debate democrático e devem ser respeitadas em seus devidos termos.

Dogmas Religiosos: Conjunto de fundamentos sagrados que definem como deve ser a vida e que guiam moralmente os hábitos e a forma de ser e agir dos seres humanos. São como leis determinadas por uma religião.

A falta de crença também não deve constituir motivo para discriminação ou ódio. Não se deve ofender ou discriminar ateus ou não-religiosos. Um crime causado por tal motivo representa uma séria agressão às liberdades de expressão e opinião e, assim sendo, deve ser denunciado da mesma maneira que todo crime de ódio.

A Intolerância religiosa

Intolerância religiosa é o conceito que designa a prática moral definida pelo não reconhecimento da veracidade de outras religiões além da que é apregoada pelo sujeito, essa atitude é caracterizada principalmente pelo desrespeito e a perseguição às diferentes crenças religiosas, mas está fundada em outros vícios morais como a discriminação, o preconceito, a arrogância, a pretensão e o orgulho.

A intolerância religiosa é basicamente a atitude de não aceitação de outras ideologias religiosas além da que é comungada pelo sujeitopor , isto é, o indivíduo, conta de todos esses vícios morais expressos anteriormenteda , e principalmente por conta do dogmatismo e do fanatismo (que são as transgressões dos limites razãofundamentalismo ), pensa que somente a sua ideologia religiosa é a verdadeira, e que todas as outras são falsas ou coisa de Satanás. Isso é o que se chama religiosotenham a mesma , e ele é extremamente danoso à toda humanidade, porque ao invés de fomentar a riqueza da diversidade religiosa, ele exige que todos religiãoo princípio do , produzindo a intolerância e o desrespeito ao próximo; sendo esta a fonte e a matriz de todo o mal que a religião já fez ao homem desde mundo, gerando guerras, holocaustos, genocídios, inquisições, condenações à morte em fogo, perseguição, homens-bombas e etc.

O intolerante religioso é aquele que, sem perceber, exige que toda a humanidade tenha os mesmo costumes e crenças, pois acha que os costumes e crenças apregoados de forma diferente da dele são falsos. Ora, existe atitude mais arrogante, dogmática e fanática do que a atitude do intolerante religioso? Ele simplesmente pensa que a sua visão de mundo é a única verdadeira e que todas as outras são falsas, e o pior, que todas as pessoas deveriam professar a mesma fé que ele. Essa é uma atitude ditatorial e autoritária de pessoas que querem impor o seu modo de ser às outras pessoas, e que são incapazes de compreender que as diferenças culturais, religiosas e ideológicas são próprias da condição da existência humana.

Fonte: www.religioustolerance.org/www.truthmagazine.com/www.guiadedireitos.org

Veja também

Populista

Populista

PUBLICIDADE Definição Populista, em geral, é uma ideologia ou movimento político que mobiliza a população …

Corrida Espacial

Corrida Espacial

PUBLICIDADE Definição A corrida espacial da Guerra Fria (1957 – 1975) foi uma competição na exploração do …

Caso Watergate

Caso Watergate

PUBLICIDADE Watergate Watergate pode ser a história mais famosa na história americana de jornalismo investigativo. Isso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.