Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Tipos de Cerveja  Voltar

Tipos de Cerveja

Cervejas de alta fermentação

Ale (clara, suave, amarga, Porter, Barley Wine, Stout), Altbier, Kölsh, cervejas especiais (Trappiste, Abbey, Saison), Weizenbier. Na fase de alta fermentação a levedura sobe à superfície.

Tipo de levedura: Saccharomyces cerevisiae.

Cervejas de baixa fermentação

Lager (Pilsener, Dortmunder, Malzbier), Wiener, Märzen, Münchener, Bock, Doppelbock, Rauchbier. A levedura utilizada sedimenta e deposita-se no fundo do tanque.

Tipo de levedura: Saccharomyces uvarum.

Fermentação espontânea

Lambic, Gueuze, Faro.

As leveduras selvagens existentes no ar ambiente fornecem a fermentação.

Tipos de Cerveja

Classificação básica das cervejas

Pela legislação brasileira a cerveja poderá ser denominada: Pilsen, Export, Lager Dortmunder, München, Bock, Malzbier, Ale, Stout, Porter, Weissbier, Alt e outras denominações internacionalmente reconhecidas que vierem a ser criadas, observadas as características do produto original.

As cervejas são classificadas em 5 itens:

1 - Quanto ao extrato primitivo em

a) Cerveja leve, a que apresentar extrato primitivo igual ou superior a 5% e inferior a 10,5%, em peso;
b) Cerveja comum, a que apresentar extrato primitivo igual ou superior a 10,5% e inferior a 12,5%, em peso;
c) Cerveja extra, a que apresentar extrato primitivo igual ou superior a 12,5% e inferior a 14,0%, em peso;
d) Cerveja forte, a que apresentar extrato primitivo igual ou superior a 14,0%, em peso.

2 - Quanto à cor

a) Cerveja clara, a que tiver cor correspondente a menos de 20 unidades EBC;
b) Cerveja escura, a que tiver cor correspondente a 20 ou mais unidades EBC.

3 - Quanto ao teor alcoólico em

a) Cerveja sem álcool, quando seu conteúdo em álcool for menor que 0,5% em volume, não sendo obrigatória a declaração no rótulo do conteúdo alcoólico;
b) Cerveja com álcool, quando seu conteúdo em álcool igual ou superior a 0,5% em volume, devendo obrigatoriamente constar no rótulo o percentual de álcool em volume, sendo:

Cerveja de baixo teor alcoólico: a que tiver mais de 0,5 até 2,0% de álcool
Cerveja de médio teor alcoólico: a que tiver mais de 2 até 4,5% de álcool
Cerveja de alto teor alcoólico: a que tiver mais de 4,5 a 7% de álcool

4 - Quanto à proporção de malte de cevada em

a) Cerveja puro malte – aquela que possuir 100% de malte de cevada, em peso, sobre o extrato primitivo, como fonte de açúcares;
b) Cerveja – aquela que possuir proporção de malte de cevada maior ou igual a 50%, em peso, sobre o extrato primitivo, como fonte de açúcares; 
c) Cerveja com o nome do vegetal predominante – aquela que possuir proporção de malte de cevada maior do que 20% e menor do que 50%, em peso, sobre o extrato primitivo, como fonte de açúcares.

5 - Quanto a fermentação

a) De baixa fermentação
b) De alta fermentação

Fonte: www.cervesia.com.br

Tipos de Cerveja

Tipos de Cerveja

Tipos variam conforme área de produção

Pilsen, Larger, Stout, Bock. Quem não domina um pouco da gramática dos cervejeiros pode não saber diferenciar quais os tipos de cerveja que existem e o que as distingue. A diversidade de terminações dada à bebida é escolhida conforme os locais onde ela é fabricada. O nome Pilsen ou Pilsener, por exemplo, vem de uma cidade da República Tcheca de mesmo nome.

De modo geral, a cerveja é dividida em dois grupos: as do tipo Larger e as do tipo Ale. As cervejas Pilsen, as mais consumidas no Brasil, e as Bock pertencem ao grupo das Larger.

A Bock é um produto originário da cidade de Einbeck, na Alemanha. Esta cerveja, de cor escura e aroma forte, é produzida tradicionalmente no inverno, para ser consumida na primavera.

As Porter e as Stout, são do tipo Ale. Mas seu processo de fabricação é o mesmo das Larger. "A fabricação de qualquer tipo de cerveja é igual, em qualquer lugar do mundo. O que caracteriza cada uma delas é a adição de uma determinada substância ou o tempo que ela vai levar para fermentar", diz o cervejeiro Eduardo Lima.

Na Europa, costuma-se usar a cevada como grão básico para a produção da bebida. O resultado é uma cerveja de paladar rico, maltado e com uma textura relativamente pesada. A Faro e Lambic, que são produzidas na Bélgica, possuem sabor um pouco mais ácido. Isto porque, durante o processo de fermentação, são utilizadas leveduras selvagens, provenientes da atmosfera.

Na Rússia, por sua vez, é comum fabricar as chamadas Kvass, uma cerveja feita de pão de centeio fermentado.

Fonte: www.riototal.com.br

Tipos de Cerveja

As Cervejas podem ser classificadas de acordo com os seguintes critérios :

1. Tipo de fermentação :

1.1. Cerveja de Alta Fermentação : obtida pela ação de levedura cervejeira (saccharomyces cerevisiae) que emerge à superfície do líquido na fermentação tumultuosa (Ale). 
1.2. Cerveja de Baixa Fermentação : obtida pela ação de levedura cervejeira (saccharomyces uvarun) que se deposita no fundo da cuba durante ou após a fermentaçào tumultuosa (Lager).

2. Teor de extrato primitivo :

2.1. Cerveja Fraca : quando fabricada a partir de mosto com teor de extrato primitivo igual ou maior que 7,0% e menor que 11% em peso. 
2.2. Cerveja Normal ou Comum : quando produzida a partir de mosto com teor de etrato primitivo igual ou maior que 11% e menor que 12,5% em peso. 
2.3. Cerveja Extra : quando fabricada a partir de mosto com teor de extrato primitivo igual ou maior que 12,5% e menor que 14% em peso. 
2.4. Cerveja Forte : quando produzida a partir de mosto com teor de extrato primitivo maior que 14% em peso.

3. Cor :

3.1. Cerveja Clara : quando possuir cor correspondente a menos de 15 unidades EBC (European Brewery Convention). 
3.2. Cerveja Escura : quando possuir cor correspondente a 15 ou mais unidades EBC.

4. Teor Alcoólico :

4.1. Cerveja sem álcool : quando seu conteúdo de álcool for menor ou igual a 0,5% em peso. 
4.2. Cerveja de baixo teor alcoólico : quando seu conteúdo for maior que 0,5% e menor que 2,0% em peso. 
4.3. Cerveja de médio teor alcoólico : quando seu conteúdo for igual ou maior que 2,0% e mnor que 4,5% em peso. 
4.4. Cerveja de alto teor alcoólico : quando seu conteúdo for igual ou maior que 4,5% e menor que 7,0% em peso.

Fonte: www.enq.ufsc.br

Tipos de Cerveja

Já ouvimos frases como: "Eu prefiro cerveja Lager a Pilsen!".

Ou ainda: "Não gosto de Ales mas adoro cervejas de trigo."

Esses cervejeiros sabem do que estão falando? Definitivamente, não. E pra você não dar nenhuma bola fora quando o assunto for esse, elaboramos um pequeno manual.

As cervejas se caracterizam por suas famílias e tipos. No caso do exemplo citado antes, a cerveja do tipo Pilsen faz parte da família Lager. E as cervejas de trigo (Weizenbier) fazem parte da família Ale.

Para acabar de vez com essas confusões, só aceitáveis depois de alguns copo a mais, vamos falar um pouco sobre cada família e tipo de cerveja.

São três famílias que se diferem pelo tipo de levedura que utilizam e sua atuação durante o processo:

Família LAGERS

Cervejas de baixa fermentação.

Normalmente são cervejas douradas e filtradas, mas também temos as variações escuras.

Exemplos de Lagers

Pilsen: cerveja clara, filtrada, leve amargor, original da cidade de Pilsen.
Malzbier: malte caramelizado, cerveja escura e adocicada.
Bock: cerveja avermelhada, teor alcoólico entre 6%.

Família ALES

Cervejas de alta fermentação.

Geralmente possuem maior corpo e paladar frutado.

Exemplos de Ales:

Weizenbier, Weissbier ou Weisse: cervejas de trigo, geralmente não filtradas.

Stout: malte tostado, cerveja escura, médio/alto amargor.

Trapista: cerveja feita pelos monges trapistas Belgas

Glühbier: do alemão Glüh = incandescente + Bier = cerveja – é uma cerveja que deve ser colocada em banho-maria.

Família LAMBICS

Cervejas de fermentação espontânea.

São bem distintas. Lembram a sensação de estar bebendo um vinho espumante.

Exemplos de Lambics

Faro: cerveja lambic com adição de açúcar

Geuze: blend de cervejas lambic.

Kriek: cerveja lambic com adição de cerejas durante o período de maturação em barrica.

Como você viu, dentro das três famílias temos uma variedade muito grande de tipos. A Bélgica, por exemplo, se orgulha em dizer que possui mais de 365 variedades de cerveja. Ou seja, você pode beber um tipo de cerveja a cada dia do ano. E lá, com certeza, os cervejeiros sabem do que falam. Lógico, quando não tomaram os 365 tipos em apenas um dia.

Fonte: www.mestre-cervejeiro.com

Tipos de Cerveja

O que é CERVEJA?

Antes de começar a falar sobre cerveja, seria interessante defini-la para que não haja dúvidas sobre o que ela é e porquê:

Cerveja é uma bebida alcoólica carbonatada, produzida através da fermentação de materiais com amido, principalmente cereais maltados como a cevada e o trigo. Seu preparo inclui água como parte importante do processo e algumas receitas levam ainda lúpulo e fermento, além de outros temperos, como frutas, ervas e outras plantas.

Vinho, por exemplo, é feito de uva e uva não possui amido. Whisky e vodka podem até ser feitos de cereais maltados, porém são destilados, portanto não são cerveja (isso você já sabia né?).

Dentro desta definição de cerveja encontram-se diversas variedades, de acordo com fatores como método de produção, ingredientes usados, cor, sabor, aroma, receita, história, origem e assim por diante.

Observação: os números entre parênteses - (19A) por exemplo - são as referências para os estilos determinados pelo BJCP.

LAGERS

As Lagers são as cervejas mais consumidas no mundo, responsáveis por exemplo por mais de 99% das vendas de cerveja do Brasil.

Originarias da Europa Central no século 14, são cervejas de baixa fermentação ou fermentação a frio (de 6 a 12ºC), com graduação alcoólica geralmente entre 4 e 5%. Tem entre seus tipos mais conhecidos a Pilsener, tipo de cerveja originariamente criada no século 19 na cidade de Pilsen, região da Boêmia da República Tcheca, e que por isso muitas vezes é chamada de Pilsen ou Pils ao invés de Pilsener.

Os sub-tipos de Lager estão a seguir:

PALE LAGERS

Lagers claras, o que você mais vê por ai.

São tantos sub-tipos que fica quase impossível decorar todos, portanto listaremos os mais facilmente encontrados:

PILSNER: a Pale Lager original, desenvolvida como receita da cerveja Pilsner Urquell. São caracterizadas por um lúpulo acentuado no aroma e sabor. Também chamadas de Pilsener e Pilsen (2).

Podem aparecer em 2 estilos um pouco diferentes, principalmente devido à escola: Bohemian/Czech Pilsner (2B), representada pela Pilsner Urquell e Budweiser Budvar/Czechvar, ambas Tchecas e meio difíceis de encontrar; German Pilsner(1A), facilmente encontradas nas representantes Bitburger, Warsteiner, Konig Pilsener, Spaten Pils.

AMERICAN LAGER: cerveja leve e refrescante, feita para matar a sede e para serem bebidas bem geladas. É o tipo das cervejas mais populares dos Estados Unidos (1B), com exemplos como Budweiser, Coors e a australiana Fosters. A maioria das cervejas populares no Brasil, como Brahma, Skol, Kaiser e Antarctica, são American Lagers, mesmo que elas se intitulem no rótulo e descrição no verso como Pilsen, talvez até devido a convenção nacional para a classificação de cervejas.

PREMIUM: de cervejas um pouco mais lupuladas e mais maltadas que as Standard Lagers, tem como exemplos a Stella Artois, Heineken e Miller Genuine Draft, facilmente encontradas (1C) . Aqui no Brasil, são representadas pela Cerpa, Bavaria Premium, Brahma Extra, Kaiser Gold e outras variações das marcas mais conhecidas. Mas cuidado. Em alguns casos a palavra Premium vem sendo usada para diferenciar cervejas que suas cervejarias desejam promover em especial, não sendo necessariamente uma Premium de verdade. Em alguns casos, pode simplesmente significar Lagers com graduação alcoólica acima de 5%.

LITE: variação ainda mais leve que a American Lager, oferecida muitas vezes sob o nome Light ou Lite (1A).

DORTMUNDER EXPORT: variação da Pilsner com menos lúpulo, mais suave, feita em Dortmund em 1873. (1E)

HELLES: outra variação com menos lúpulo, mais maltada, feita em Munique. Marcas conhecidas são Löwenbräu Original, Spaten Premium Lager, Weihenstephaner Original e Hofbräu München Original (1D)

DRY BEER: originária do Japão, tem a maior parte do açúcar convertido em álcool devido ao longo período de fermentação. Por isso e por seu sanor suave é chamada de seca.

SPECIAL: um tipo mais forte e encorpado, Fica entre a Helles e a Bock em termos de sabor e força.

RADLER: Qualquer Pale Lager misturada com uma limonada típica alemã, chamada de Zitronenlimonade. Geralmente a proporção cerveja/suco é de 50/50 ou 60/40.

DARK LAGERS

Lagers escuras também são bastante comuns.

Três estilos são os mais comuns e facilmente encontrados aqui no Brasil:

MUNCHNER DUNKEL: Dunkel significa escura em alemão, portanto as cervejas Dunkel são cervejas escuras-avermelhadas, produzidas originalmente em Munique, por isso o nome Munchner. Eram as únicas cervejas da região da Baviera, antes da chegada das tecnologias que tornaram possível a criação de cervejas claras. Possuem sabor maltado. Exemplos comuns são Warsteiner Dunkel e Hofbräu München Dunkel. (4B)

AMERICAN DARK LAGER: versão americana da Dunkel alemã (4A), menos maltada e mais suave. Uma representante fácil de achar no Brasil é a Warsteiner Dunkel.

SCHWARZBIER: A famosa cerveja preta (4C). Deve ser preta e não somente escura como a Dunkel. A mais antiga da qual se tem documentação é a Kostritzer, de 1534 e feita até hoje. Agora, o tipo é muito comum em todo mundo. No Brasil, pode ser encontrada como Xingu e Petra Premium. É uma cerveja suave, com aromas que remetem ao café e ao chocolate. Também é fácil notar a presença de maltes tostados. Não é esperado que apresente qualquer sabor frutado, sendo mais seca. Também não é doce, portanto nao confunda com cervejas do tipo Malzbier brasileiras.

MALZBIER: Cerveja escura e doce, de graduação alcoólica baixa, na faixa dos 3 a 4,5%. Muito famosa no Brasil, não possui muitos correspondentes fora daqui. Na Alemanha, seu país de origem, nem é tratada mais de cerveja e sim bebida energética. Inclusive é pouco classificada em outras fontes, caindo normalmente no grupo de "outras cervejas com baixo teor alcoólico", já que a Malzbier original não chegava nem a 1% de álcool, pois quase não tem fermentação. Quase toda cervejaria brasileira tem sua versão, portanto basta procurar por Brahma MalzbierAntarctica MalzbierNovaSchin Malzbier e assim por diante. Trata-se de uma american pale lager na qual, após a filtração, são adicionados caramelo e xarope de açúcar, ai a coloração escura (que não vem do malte tostado) e o sabor adocicado.

VIENNA

Originária da Áustria, de cor marrom avermelhada, tem corpo médio e um sabor suave e adocicado de malte levemente queimado. Graduação acoólica entre 4,5 e 5,7%. Um exemplo é a mexicana Negra Modelo, a Dos Equis Ambar e a Samuel Adams Vienna Style Lager. (3A)

BOCK

A palavra Bock é resultado da quebra da palavra EinBeck, cidade natal deste tipo de cerveja. Em alemão também significa cabrito. Por isso algumas cervejas colocam imagens deste animal em cervejas do tipo Bock.

Por tradição são avermelhadas, mas podem ser também de cor marrom. Possuem um complexo sabor maltado devido às misturas de maltes de Viena e Munique. A graduação alcoólica é alta, indo normalmente de 6% nas Bocks Tradicionais (5B) até 10% nasDoppelbock (5C) e 14% nas Eisbock (5D), tipos diferentes de Bock. Outra variação de Bock é a Maibock ou Helles Bock (5A), uma bock clara, de até 7,4% de álcool.

Exemplos de Bock são a Kaiser Bock, velha conhecida dos brasileiros, e a Paulaner Salvator, uma doppelbock.

MARZEN

Produzidas na Bavaria durante o mes de março (März em alemão) especialmente para a Oktoberfest, as Märzen (3B) podem ser claras ou escuras e ficam entre 4,8 a 5,6% de álcool.

Também é chamada de Oktoberfestbier.

Chamadas de "As Grandes 6", as cervejarias que produzem este tipo são: Augustinerbräu, Hacker-Pschorr, Hofbräuhaus, Löwenbräu. Paulaner e Spaten.

KELLER e ZWICKEL

Cerveja pouco comum, não são filtradas (portanto turvars) nem pasteurizadas (servidas na pressão e não engarrafadas), e ficam maturando de maneira exposta, sem cobertura. Pode ser bem amarga e tem álcool médio.

MALT LIQUOR

Termo surgido nos Estados Unidos para classificar as lagers fortes que têm alto teor de álcool devido à adição de açúcar, enzimas ou outro ingrediente em complemento ao malte . Geralmente são licorosas no paladar e não muito amargas, pois em muitos casos nem levam lúpulo. Não devem ser confundidas com as cervejas do tipo Barley Wine, que apesar de também fortes no álcool, alcançam tal graduação devido às técnicas europeias sem adição de açúcar ou enzimas.

Também são chamadas de Super Strenght Super Forte. Um exemplo é a Amsterdam Maximator, com 11,6% de álcool, e aBavaria 8.6.

ALES

O que a difere das Lager é o tipo de fermentação, que é feita em temperaturas mais altas, geralmente entre 15 e 24ºC. É um processo antigo de fabricação, o que fez com que as cervejas do tipo Ale fossem as únicas disponíveis até meados do século XIX, quando foi inventada a baixa fermentação (Lager).

Dada essa “antiguidade”, aliada principalmente à fermentação a quente, os sabores complexos, maltados e lupulados das cervejas Ale são incomparavelmente mais perceptíveis, sendo cervejas mais encorpadas e vigorosas.Assim ao longo dos séculos, surgiram inúmeros subtipos de cervejas Ale.

PALE ALES

São as Ales claras, com graduação alcoólica até 6%. Foram criadas para competirem com as cervejas Pilsen durante a Segunda Guerra Mundial, portanto compartilham a característica de serem mais suaves.

É um dos maiores grupos de cerveja e possui alguns sub-tipos ou sub-nomes:

AMERICAN PALE ALE, como a Sierra Nevada Pale Ale, designa as americanas mais claras (10A)

ENGLISH PALE ALE, também cahamda de ENGLISH BITTER, ou apenas BITTER, nome usado na Inglaterra por serem mais amargas que as demais cervejas, como as Porters por exemplo. Podem ser Standard (8A), Especial (8B) ou Extra Special Bitter/ESB (8C)

BELGIAN PALE ALE, as Ales claras belgas (16B)

BELGIAN BLOND ALE, algumas vezes chamadas de Golden Ale também, são as Pale Ales mais douradas e um pouco mais encorpadas

INDIA PALE ALE ou somente IPA, como a Colorado IPA, cerveja carregada em lúpulo, criada pelos ingleses para aumentar o tempo de conservação da cerveja que seria levada para as viagens pela Índia.

Variar na intensidade de amargor e percentual de álcool de acordo com o sub-tipo, da menor pra maior: English IPA(14A), American IPA (14B) e Imperial IPA (14C)

AMBER/BROWN E RED ALE

Diferenciando-se em coloração principalmente, mas também acompanhando em corpo e potência, estão algumas outras categorias de estilo:

AMERICAN AMBER ALE, usado na França e EUA para classificar as Ales um pouco mais escuras (10B)

AMERICAN BROWN ALE, mais excura e maltada e menos lupulada que suas "irmãs" American Pale e Ambar Ale

ENGLISH BROWN ALE, denomina as inglesas mais escuras. Podem ser Mild (11A), Southern (11B) ou Northern (11C). A News Castle Brown Ale, famosa e até fácil de encontrar por aqui, é uma Northern English Brown Ale.

RED ALE, avermelhada devido ao uso de um pouco de malte tostado. Também chamada de IRISH RED na Irlanda (9D). Um exemplo comercial que desde 2008 pode ser encontrado no Brasil é a Kilkenny Irish Beer, da Diageo, mesma empresa que faz a Guinness.

ALTBIER

Altbier, ou simplesmente Alt, proveniente da região de Düsseldorf na Alemanha, seguem o estilo antigo de produção de Ales, antes mesmo do surgimento das Lagers. É muitas vezes considerada uma ligação enter as cervejas Ales e as Lagers. Podem ser Dusseldorf Altbier (7C) ou Northern German Altbier (7A). Um exemplo desse último estilo é a holandesa Grolsch Amber Ale.

SCOTCH ALE

Ales da escola escocesa, variando, principalmente em potência, entre Light (9A), Heavy (9B), Export (9C) e Strong (9E).

SAISON

Feitas em Wallonia - Bélgica, chegam a ser comparadas a vinhos tintos devido a fermentação e sabores presentes em comum. (16C)

BIÈRE DE GARDE

Cerveja de guarda feita principalmente na França, na região de Pas-De-Calais. Feitas para durarem anos, normalmente têm uma última fermentação na garrafa e muitas vezes são vendidas em garrafas com rolhas (16D). Janlain Amber e La Choulette são bons exemplos não tão dificeis de encontrar.

STRONG ALES

Denominação genérica que inclui uma variada gama de cervejas que podem ser claras ou escuras. Possuem alto teor alcoólico, que vai de 6 e pode chegar a 12%. Podem ser saborosas e balanceadas, “inserindo” harmoniosamente o álcool no conjunto, ou podem ser simplesmente fortes e desbalanceadas, evidenciando a gradação alcoólica. (19)

Dentro deste subtipo estão as Barley Wines (19B e 19C) - quase tão fortes quanto vinho - e também as Old Ale (19A), como a Fullers 1845, agora facilmente encontrada no Brasil.

BELGIAN STRONG ALES

Produzidas principalmente na Bélgica, estas possuem algumas caracerísticas diferenciadas que as fazem cair em um agrupamento diferenciado. (18)

Os vários tipos seguem abaixo:

DUBBEL

Cerveja do tipo Ale na qual o mestre cervejeiro adiciona o dobro da quantidade de malte do que uma cerveja “comum”. Geralmente balanceadas e de teor alcoólico mediano, possuem bom corpo e carbonatação alta. (18B)

TRIPEL

Cerveja na qual se adiciona três vezes mais malte do que em uma cerveja “comum”. Possuem, em geral, coloração amarelo-dourado, creme denso e consistente e a gradação alcoólica girará entre 8 a 12%. Aroma e sabor são complexos, macios e com forte presença de frutas o que, às vezes, pode lhe conferir um paladar adocicado. Excelente equilíbrio entre o lúpulo e o fermento utilizado no fabrico. (18C)

ABT/QUADRUPEL

São cervejas mais escuras e mais ricas, utilizando o quádruplo de malte do que em uma cerveja “comum”. O volume de álcool é sempre forte, muitas vezes ultrapassando os 10%.
Entram aqui a famosíssima Westvleteren 12 e também a Rochefort 10 e La Trappe Quadrupel.

GOLDEN STRONG ALE

São as loiras mais fortes e encorpadas, até 10,5% de ácool, com colaração amarelo-dourado e sabor é frutado (18D).

Entram neste grupo: Duvel e Delirium Tremens, entre outras.

DARK STRONG ALE

São as Belgian Ales escuras, fortes e encorpadas. Com várias representantes de peso, como Chimay Bleu, Rochefort 8 e Gulden Draak, essa categoria tem cervejas que chegam a 11% de álcool. (18E)

SPECIALTY BELGIAN ALE

São as temperadas (veja mais abaixo), só que belgas. Também entram aquelas que, por um motivo ou outro, não se encaixam dentro de nenhuma outra categoria das belgas, portanto caem aqui (16E). Mesmo assim, não pense que este estilo é pouco conhecido. Aqui está a trapista Orval, odiada por muitos, amada por muitos também. Também está a La Choufe, a Unibroue Maudite e a McChouffe.

KÖLSCH

Do berço alemão de cervejas e de coloração dourada, é normalmente mais doce e com menos lúpulo que as suas irmãs. Em muitas receitas leva vários grãos, inclusive trigo. Pela regra, somente cervejas feitas em Köln (Colonia) poderiam levar esse nome, assim como ocorre com o Champagne. Entretanto, temos casos de cervejas brasileiras, como a Eisenbahn, que oferecem sua versão. (6C)

TRAPISTAS

Não são consideradas propriamente um estilo único, pois algumas são Dubbel, Tripel ou Quadrupel. Todavia, dado o fato de algumas cervejas trapistas serem consideradas as melhores do mundo por inúmeros especialistas, merecem ser “separadas” das outras.

A Ordem Trapista (oficialmente, Ordem dos Cistercienses Reformados de Estrita Observância) é uma congregação religiosa católica. Seus monges seguem o príncipio fundamental do ora et labora, vivendo em grande austeridade e silêncio.

Fazem três votos: pobreza, castidade e obediência.

Assim, as cervejas, fabricadas em pequenas quantidades no interior dos mosteiros muitas vezes são difíceis de ser encontradas no mercado, já que os monges não a comercializam com o propósito do lucro, mas apenas para manter o funcionamento da própria abadia e alguns serviços de caridade.

Atualmente, a ITA (International Trappist Association), entidade criada com o propósito de definir as regras do estilo e proteger o nome do uso abusivo por parte de outras marcas, possui como membros apenas sete abadias trapistas, seis na Bélgica (Westvleteren, Chimay, Orval, Achel, Wesmalle e Rochefort) e uma na Holanda (Koningshoeven, onde são fabricadas as cervejas La Trappe). A entidade criou, também, um selo de identificação que só pode ser utilizado em produtos trapistas autênticos.

Algumas cervejas trapistas possuem tempo de guarda de mais de 10 anos.

ABBEY (ou cervejas “de abadia”)

Também não são consideradas um estilo mas, diferentemente das trapistas, as cervejas “de abadia” não possuem origem controlada. Podem ser produzidas em grandes fábricas e comercializadas normalmente, desde que a sua receita original tenha sido originária de uma abadia, a qual pode ou não ser da ordem trapista.

WEISSBIER (Weizenbier, Wheat Beer ou Cerveja de Trigo)

Produzida principalmente pelas grande cervejarias alemãs como HB, Paulaner, Erdinger, Franziskaner e Weihenstephan, é uma cerveja feita a base de trigo e característica do sul da Alemanha, região da Baviera. São cervejas claras e opacas, onde sobressai o trigo com o qual foram produzidas, bem como sabores frutados (banana e maça), cravo e florais. Bastante refrescantes e de graduação alcoólica moderada (entre 5 e 6%), são opacas e normalmente não filtradas. Produzem, em geral, um creme denso e persistente. Aqui no Brasil a Bohemia fabrica sua versão, chamada Bohemia Weiss.

As variedades possíveis são:

Hefeweizen, de cor amarelada-marrom opaca, pois a levedura não é filtrada. Erdinger Hefeweizen é a mais conhecida aqui no Brasil (15A)

Kristallweizen, de cor clara e transparente, leve na degustação. Normalmente é filtrada, não tendo adicão de levedura diretamente na garrafa. Um exemplo é a Franziskaner Weissbier Kristallklar

Dunkelweizen ou Hefeweissbier dunkel, cerveja de trigo escrura, de gosto mais forte. A Erdinger tem sua versão, aquela com rótulo preto. (15B)

Weizenstarckbier ou Weizenbock, cerveja tipo bock com uma graduação alcoólica entre 5% e 12%. Exemplo é a Aventinus, feita pela G. Schneider & Sohn. (15C)

Berliner Weisse ou Berlin White (cerveja branca berlinense), de graduação alcoólica entre 2 e 4% e de cor amarelada e opaca. Por ser levemente azeda, é comum adicionarem xaropes doces de frutas. (17A)

Witbier (Belgian White), esbranquiçadas devido às leveduras e ao trigo suspenso (daí o nome). Possui um toque cítrico de laranja, já que a casca da fruta é usada como complemento ao lúpulo. Também leva "coriander", conhecido por nós como coentro. A marca mais representativa é a Hoegaarden, além da Unibroue Blanche de Chambly. (16A)

Bière Blanche ou Blanche: apenas o nome em francês para as cervejas de trigo

Russ, cerveja de trigo com acréscimo de suco de limão (Zitronenlimonade), assim como ocorre com a Radler

STOUT

Cervejas negras opacas, dotadas de forte sabor de chocolate, café e malte torrado, pouca carbonatação (13). Sua origem remonta à época em que parte da produção das cervejarias inglesas era destinada à Rússia e aos países bálticos. Para suportar a viagem, essas cervejas possuíam – assim como possuem hoje – alto teor alcoólico, variando de 8 a 12%.

Sua representante mais famosa é a Guinness, e aqui no Brasil, sem dúvida nenhuma, a Caracu.

Também apresenta diversos sub-tipos:

Dry Stout (13A)
Sweet Stout (13B)
Oatmeal Stout (13C)
Foreign Extra Stout (13D)
American Stout (13E)
Russian Imperial Stout (13F)

PORTER

Comumente confundida com as Stouts, tem lá sua razão de ser: o nome Stout surgiu de uma diminuição do nome "Stout Porter", usado para classificar as Porters mais fortes. Portanto, a Porter é uma cerveja mais suave que sua parente Stout, normalmente com 1 a 2% a menos de álcool. Pra se ter uma idéia de como uma coisa levou à outra, a cervejaria Guinness produzia Porters até 1974.
São cervejas escuras, típicas da Inglaterra, e não tão fáceis de se encontrar aqui no Brasil. Podem ser Brown Porter (12A) ou Robust Porter (12B).
Outra variedade, chamada Baltic Porter (12C), tem mais álcool e, apesar de ter começado como Ales, hoje são normalmente Lagers.

LAMBICS

A maioria dos especialistas classifica as cervejas do tipo Lambic como uma terceira categoria, em separado das Lager e Ale, por causa do seu tipo de fermentação, que é espontânea.

São feitas de trigo, porém não são adicionadas leveduras no mosto, ficando a fermentação a cargo dos agentes naturais, os quais são encontrados somente numa pequena área ao redor de Bruxelas. Daí a dificuldade em encontrá-las, bem como o seu preço elevado.

Trata-se de um tipo muito peculiar de cerveja, dotada de uma gama extremamente numerosa de aromas, os quais vão do frutado (como framboesa, cereja ou banana) ao extremamente cítrico (como vinho branco ou vinagre).É o tipo mais antigo de cerveja feito no mundo, fato que, por si só, exige que você as experimente.

Seus sub-tipos são:

LAMBIC-FRUIT

No processo de fabrico, após a fermentação espontânea ter começado são adicionadas frutas inteiras, como pêssegos, framboesas e cerejas. A fermentação propriamente dita é realizada pelos microorganismos presentes dentro da fábrica. Algumas lendas dão conta que as caves onde são produzidas as Lambic jamais são limpas, a fim de manter o equilíbrio original dos bolores essenciais ao caráter da cerveja que se quer produzir.

Após este processo, a cerveja permanece por cerca de três anos maturando em barris de carvalho. Trata-se de uma cerveja cujo teor alcoólico é relativamente baixo (não ultrapassa os 6%), bem como a carbonatação, o que faz com que o creme, quando há, não seja denso. As Lambic tradicionais, muito mais ácidas, levam a denominação “Oud” (velha) a fim de diferenciá-las das jovens e comerciais, mais doces e balanceadas.

Neste sub-tipo, estão as conhecidas Kriek (de cereja ácida) e as Framboise (de framboesa). (17F)

STRAIGHT/UNBLENDED

A Lambic pura, sem misturas de frutas, açúcares ou misturas de diferentes barris (17D). São pouquíssimos os exemplos comerciais. Um deles é a Cantillon Grand Cru Bruoscsella.

GUEUZE

Trata-se de um “blend” de Lambics novas (1 ano) e antigas (2 a 3 anos), retiradas de vários barris diferentes no processo de fabrico, e que são engarrafadas para uma segunda fermentação.Geralmente, são menos ácidas e mais balanceadas, algumas assemelhadas ao champagne. Inclusive, tradicionalmente são servidas em garrafas ao estilo champagne. (17E)Representantes do estilo são Cantillon Gueuze, Mort Subite Gueuze e Lindemans Gueuze Cuvée René.

FARO

É a Lambic com açúcar. Mais saborosa, leve e sem a acidez característica das outras Lambics, é o tipo mais aceito pelo mercado. Por outro lado, perde em complexidade para os outros tipos de Lambics.

OUTRAS NOMENCLATURAS

RAUCHBIER

Literalmente, cerveja defumada. Pode ser de vários estilos, como Marzen e Weizen, desde que usem maltes defumados no seu preparo. Acompanham muito bem charutos e cachimbos, por motivos óbvios. (22A e 22B)

FRUIT BEER

Qualquer estilo de cerveja misturado com frutas ou suco de frutas (20). Não confundir com as Fruit Lambics.

TEMPERADAS - SHV

São cervejas de qualquer estilo que acabam não se enquadrando no mesmo pois são temperadas com especiarias, ervas e vegetais, alterando a fórmula e fazendo-as fugir das características padrão de cada estilo. Também chamadas de SHV do inglês Spice/Herbe/Vegetable (21).

CHOPE

Também chamado Chopp, vem da palavra alemã Schoppe (mais exatamente do dialeto Alsaciano), nome de uma caneca de 300ml. É nada mais nada menos do que uma cerveja não pasteurizada. Por esse motivo, pode ter variações assim como acontece com a própria cerveja, seguindo vários dos estilos acima citados.Por não ser pasteurizado, dura, dentro do barril, cerca de 10 dias e, após aberto, não mais que 24 horas.

Referência bibliográfica

1. www.cervejasdomundo.com
2. www.wikipedia.com
3. www.gastronomias.com
4. www.bjcp.org

Fonte:  www.trinken.com.br

Tipos de Cerveja

As ale

São várias as classificações que se podem escolher para diferenciar os diferentes tipos de cervejas.

Há quem prefira classificá-las pelo tipo de fermentação, sendo que, deste modo, se formam dois grandes grupos: as Ale (cervejas de alta fermentação ou fermentação no alto) e as Lager (cervejas de baixa fermentação). É claro que dentro de cada um destes grupos há muitos subgrupos, havendo mesmo algumas cervejas que não se encaixam bem quer num, quer noutro grupo.

Outros itens que permitem classificar as cervejas podem ser: a sua cor (clara ou escura); o teor alcoólico (sem álcool, de baixo, médio ou alto teor alcoólico); ou ainda o teor do extrato primitivo, sendo que neste caso as podemos dividir em fracas, normais, extras e fortes.

Por ser a mais difundida e por nos parecer a mais correta, adoptaremos a divisão que habitualmente é feita tendo por base o processo de fermentação. Assim sendo, falaremos das Ale, das Lager e criaremos um terceiro e quarto grupos a que chamaremos de Cervejas Especiais e Cervejas Excêntricas.

Estas últimas podem-se enquadrar em qualquer uma das anteriores categorias, mas preferimos separá-las por possuírem características específicas como, por exemplo, um fermento exclusivo ou serem produzidas numa altura específica do ano, entre outras pequenas grandes diferenças. Não abrangendo todos os estilos possíveis, este diagrama dá uma boa ideia da divisão que aqui referimos.

Comecemos pois pelas cervejas do tipo Ale. Como referimos, o que difere basicamente uma cerveja Ale de uma Lager é o processo de fermentação – alta na Ale e baixa, na Lager. No caso das Ale, a fermentação dá-se num ambiente de temperatura relativamente alta, entre 15º a 24º ou mesmo mais, e isto num período de tempo curto, que rondará os três a cinco dias.

Na fase de alta fermentação a levedura sobe à superfície, sendo que o tipo de levedura utilizada é a Saccharomyces cerevisiae. Este processo é o mais antigo, daí que as cervejas do tipo Ale fossem as únicas disponíveis até meados do século XIX, altura em que foi inventada a baixa fermentação.

Este processo de alta fermentação ou fermentação a quente, realça os sabores mais complexos, frutados e lupulados da cerveja. São pois, em geral, cervejas mais encorpadas e vigorosas sendo que, apesar disso, podem variar muito de uma marca para outra, com características que vão desde o doce ao amargo e das claras às escuras.

Pelo que atrás ficou dito, não é de estranhar que dentro das Ale surjam muitas variações das quais podemos destacar:as Barley Wine; as Bitter; as Blonde Ale; as Brown Ale; as Indian Pale Ale; as Mild Ale; as Pale Ale; as Porter; as Scottish Ale e as Strong Ale. Outros tipos existirão mas estes são os mais comuns e os mais consumidos.

De um modo mais específico, podemos pois considerar os seguintes tipos:

Altbier

Tipos de Cerveja

Uma especialidade de Dusseldorf, a Altbier é uma cerveja de cor castanha, habitualmente oriunda da Alemanha. Sabendo que "alt" significa literalmente velho em alemão, esta designação aplica-se-lhe devido à capacidade que esta cerveja tem para envelhecer durante mais tempo do que seria normal para outros estilos. É uma cerveja bem balanceada e delicada, com boa presença de frutas e grande equilíbrio entre malte e lúpulo e uma presença mediana de gás. A Sticke é uma versão mais forte das Altbier, com maior presença de malte e lúpulo.

Amber Ale

Tipos de Cerveja

Sendo esta uma designação muito genérica, as Amber Ale podem variar desde produtos sem grande interesse e caramelizados, a cervejas como uma boa quantidade e balanço entre malte e lúpulo. Habitualmente, a diferença entre uma Amber Ale de qualidade e uma Ameriacan Pale reside no fato da primeira poder ter um carácter mais escuro devido ao malte utilizado, tendo em contrapartida menos lúpulo.

American Pale Ale

Tipos de Cerveja

As American Pale Ale são cervejas claras, que vão desde o amarelo dourado até à cor de cobre. O estilo desta cerveja é definido pelo lúpulo de origem americana que nela é usado, transmitindo este, em geral, um forte aroma à cerveja bem como uma relativa acidez. Esta é uma excelente cerveja para acompanhar refeições ligeiras como pizzas e hambúrgueres, bem como sushi e saladas.

American Strong Ale

Tipos de Cerveja

Este é um estilo muito abrangente, que engloba uma grande quantidade de cervejas fortes com volume alcoólico superior a 7% e oriundas dos EUA. Muitas delas são parecidas com as English Strong Ale, apesar de, habitualmente, possuirem um maior teor de lúpulo. Independentemente das suas origens e das suas características, são no seu todo cervejas fortes, com grande presença de malte, lúpulo e, obviamente, álcool.

Baltic Porter

Tipos de Cerveja

Durante o século XVIII, as Porters eram bem mais fortes do que o são hoje em dia, sendo que facilmente ultrapassavam os 7% de volume de álcool. Muitas cervejeiras inglesas faziam mesmo produtos mais fortes destinados à exportação, tendo como principal mercado os países em redor do Mar Báltico. Estas cervejas eram derivadas das Porter inglesas mas tinham também algumas influências das Russian Imperial Stouts, pelo que por vezes podem ser identificadas como Imperial Porters. É um estilo muito complexo,especialmente o sabor, com presença de chocolate e malte torrado, elaborado com lúpulo continental e malte de Viena ou de Munique. Apesar de tudo, é uma cerveja não muito pesada devido a uma boa presença de gás.

Belgian Ale

Tipos de Cerveja

Com raízes que remontam a meados do século XVIII, as Belgian Ale atingiram o seu estado de perfeição a seguir ao fim da 2ª Guerra Mundial.
Atualmente são consideradas uma cerveja para todas as ocasiões, por oposição às Belgian Strong Ales, suas "parentes".

Neste estilo nada deve ser muito pronunciado: o equilíbrio entre os diversos elementos é a chave do sucesso.

Podem ir de um amarelo dourado até à cor de cobre, boa presença de frutas, malte e especiarias tanto no aroma como no sabor. Têm espuma branca, cremosa e não muito duradoura.

Brown Ale

Tipos de Cerveja

São cervejas com bastante sabor, forte presença de lúpulo e muito habituais em pequenas explorações ou mesmo em produções caseiras. São similares às American Pale e American Amber Ales, diferindo destas por terem uma componente mais forte de caramelo e chocolate, que servem para equilibrar o lúpulo e o final algo amargo. A cor varia entre um castanho-avermelhado a castanho escuro e a espuma deverá ser creme e não muito duradoura. Possui menos álcool que uma Porter e tem, em geral, um sabor complexo e bem balanceado. Acompanha bem sobremesas, carnes e queijos.

Cream Ale

Tipos de Cerveja

As Cream Ale são uma versão ale das lagers americanas e surgem para combater no mesmo mercado que estas. São de aspecto claro e límpido, de corpo leve, forte presença de gás e com pouca ou nenhuma sensação de lúpulo quer no aroma, quer no sabor, o que faz com que tenham uma acidez média a reduzida. Por vezes pode-se saborear milho, que é misturado pelas cervejeiras em detrimento do uso de malte ou lúpulo.

English Pale Ale

Tipos de Cerveja

O termo pale foi inicialmente usado para distinguir as cervejas deste tipo das Porter de Londres que eram mais fortes e escuras.

De fato, as English Pale Ale clássicas não são muito claras, antes apresentando uma cor que varia entre o dourado e que pode ir até ao âmbar ou acobreado. A grande diferença deste estilo para as American Pale Ale será uma maior presença de malte no seu carácter, apesar das características amargas e secas do lúpulo também estarem presentes. São por isso excelentes para acompanhar qualquer tipo de prato de carne, desde bifes a pato, frango ou cabrito. Curiosamente, este estilo é, em termos de designação, praticamente inexistente para os ingleses pois para eles, uma English Pale Ale não passa de uma Bitter engarrafada.

A sua origem deve ser procurada nos EUA, local onde este estilo tem muita procura e que, de certa forma, presta homenagem às Bitter inglesas, nomeadamente à mais conhecida: a Bass.

Golden/Blonde Ale

Tipos de Cerveja

É um estilo muito genérico e com bastantes variantes.

Uma das formas habituais será a tradicional Canadian Ale, muito parecida com a American Pale Ale, quer nas qualidades, quer principalmente nos defeitos: pouco malte e lúpulo, utilização de outros cereais menos nobres como arroz ou milho e um sabor e aroma muito neutrais. A interpretação britânica possui mais lúpulo e menos álcool que as congéneres norte-ameriacanas, pelo que são mais referscantes e amargas. São cervejas suaves, com bastante gás, espuma branca e corpo claro e límpido.

Imperial/Double IPA

Tipos de Cerveja

As Imperial India Pale Ale (IPA) ou Double IPA, são uma adição recente à paleta de estilos de cerveja. Essencialmente é uma versão "musculada" duma IPA normal e acredita-se que teve a sua origem no Festival de Cerveja de Oregon, nos EUA, em 1996, altura em que foi apresentada a Rogue IPA. O estilo demorou algum tempo a impôr-se mas com a entrada do novo milénio assistiu-se a uma explosão na sua popularidade, com a apresentação de dezenas de novos exemplares, muitos deles bastante apreciados pelos conhecedores de cerveja.

É ligeiramente mais escura que uma IPA, devido ao uso de malte em maiores quantidades, isso se explicando pela necessidade de equilibrar a cerveja que possui, em geral, quantidades quase absurdas de lúpulo. Tal dá-lhe um carácter amargo e refrescante, fatores que ajudam a encobrir o volume de álcool que pode variar entre os 7,5% e os 10%. Há exemplares que se designam por Extra IPA ou Extreme IPA.

India Pale Ale

Tipos de Cerveja

Feita para sobreviver às longas viagens entre a Inglaterra e a Índia, as India Pale Ale têm uma forte componenete de lúpulo, essencial para conservar a cerveja durante o máximo de tempo que se conseguisse. Curiosamente, os exemplares americanos conseguem ter um sabor e aroma ainda mais pronunciados a lúpulo, fruto do gosto dos consumidores desse país.

A cor das cervejas deste estilo varia entre o amarelo dourado e o acobreado, sendo que o sabor é bastante intenso e refrescante, indicadas portanto para refeições condimentadas como chili e vindaloo. Infelizmente, o termo IPA é cada vez mais utilizado indiscriminadamente, sendo possível encontrar versões com menos de 4% ABV, algo que não se coaduna com a história deste estilo. Diferenciam-se das English Pale Ale e das Bitters por terem um sabor final com mais lúpulo e menos caramelo e frutos.

Irish Red Ale

Tipos de Cerveja

As ales vermelhas da Irlanda são cervejas suaves, equilibradas e leves. A um início adocicado, segue-se o sabor típico do malte e um fim com cereais torrados, o que lhe dá uma carácter seco. Estas características podem ser acentuadas e, em consequência, adulteradas se a cerveja for servida muito fria. A sua cor avermelhada é obtida através da junção de malte de cevada, sendo que por vezes se utiliza milho, arroz ou mesmo açucar para suavizar o produto final.

A presença de gás não é elevada, bem como a do álcool: entre 4% e 6% ABV. Eventualmente poderá surgir um exmplar mais forte, mas esse será mesmo a excepção à regra.

Kolsch

Tipos de Cerveja

A designação Kolsch está protegida por lei e é exclusiva de pouco mais de 20 cervejeiras localizadas à volta da cidade alemã de Colónia (Koln).

Servidas num esguio copo chamado de Stange, estas cervejas têm como curiosidade o fato de não serem boas para passarem por um processo de armazenamento muito longo. O sabor delicado e frutado tende a oxidar com facilidade, pelo que se recomenda um consumo rápido após a compra.

As regras que definem este estilo são muito precisas e muitas das marcas que se auto-designam como klschbiers não o são na realidade.
Bastante efervescentes e frescas, são feitas a partir do melhor lúpulo alemão (dos géneros Hallertau, Tettnang, Spalt ou Hersbrucker) e de água bastante leve.

Mild Ale

Tipos de Cerveja

Ligeiramente maltada e com pouco sabor e aroma a lúpulo, daí vindo a expressão Mild, estas cervejas são castanho-escuras e possuem pouco gás bem como pouca espuma. É um estilo que começa a rarear e, mesmo em Inglaterra, só a encontrará com facilidade na região das Midlands, perto da cidade de Birmingham.

Milk/Sweet Stout

Tipos de Cerveja

Este estilo de stout de origem inglesa, historicamente conhecido como Milk ou Cream, devido à utilização de lactose como adoçante, é de cor bastante escura, tendencialmente doce e possui um sabor com um toque a cereais torrados, o que faz com que se assemelhe a um expresso açucarado. Curiosamente, a designação Milk não é permitida em Inglaterra, apesar de ser corrente noutros países. É um estilo que produz uma espuma muito cremosa e duradoura, sendo que a presença de gás é baixa tal como o volume de álcool, que ronda os 4 a 6%.

Northern English Brown Ale

Tipos de Cerveja

As ales castanhas inglesas estão divididas em dois sub-estilos que se agrupam de acordo com considerações geográficas. Mais secas e com mais lúpulo do que as suas congéneres do sul, diferenciam-se também por terem um sabor mais a frutos secos e menos a caramelo. Têm cor âmbar escura a castanho-avermelhada, espuma pequena e pouco duradoura e sabor doce a malte e biscoitos.

Oatmeal Stout

Tipos de Cerveja

Como muitas outras stouts, as Oatmeal também são originárias de Inglaterra. Variantes das Sweet Stout, diferem destas por serem menos doces e por darem mais importância à utilização de aveia em detrimento da lactose. De cor muito escura, sabor a malte torrado e aveia, corpo espesso devido ao uso deste último cereal e boa presença de gás, estas cervejas são bastante suaves e podem dar-nos a impressão que estamos a beber um chocolate quente ou mesmo um café com com natas açucaradas. A sua taxa de álcool varia entre os 4,2% e os 5.9% ABV.

Old Ale

Tipos de Cerveja

Mais um tipo de ale tradicional inglesa que é assim designado por passar por um processo de envelhecimento após a primeira fermentação - um processo similar às porters clássicas. Têm também a característica de poderem ser guardadas algum tempo antes de se consumir. A presença de álcool e o carácter encorpado e complexo, faz com que sejam uma excelente companhia nas frias noites de Inverno.

Scotch Ale

Tipos de Cerveja

Apesar do nome, não irá encontrar muitos exemplares deste tipo de cerveja na Escócia. Caso procure nos Estados Unidos ou no Canadá terá, com certeza, mais sorte, apesar de aí as poder encontrar com a designação de Strong Scotch Ale ou Wee Heavy. Este estilo designa cervejas fortes, escuras, maltadas e que, usualmente, variam entre 6.5 a 8.5% ABV. Têm a particularidade de serem fermentadas a temperaturas mais baixas do que a maior parte das ales e, para além disso, possuem um carácter maltado e com pouca presença de lúpulo.

Este fato faz com que sejam cervejas que não são aconselháveis para todo o tipo de refeições, apesar de as podermos beber como se de uma sobremesa se tratassem. O álcool têm, em geral, uma presença acentuada no sabor, o que ajuda a equilibrar um possível excesso de malte e de açucar.

Southern English Brown Ale

Tipos de Cerveja

As Southern English ou "London-Style" são mais escuras e doces que as variantes do norte. Trata-se de um estilo quase em vias de extinção e que muitas vezes é confundido ou englobado noutros tipos de cerveja.

O sabor é bastante complexo, característica dada pela forte presença de malte e de frutos, isto apesar do volume alcoólico ser relativamente baixo: entre 2,8 e 4,2% ABV.

Traditional Ale

Tipos de Cerveja

É um estilo muito genérico, habitualmente utilizado para designar todos aqueles estilos antigos que cairam em desuso mas que devido a uma onda revivalista começam agora a aparecer nos bares e nas prateleiras dos supermercados. Dito isto, torna-se bastante difícil definir uma característica comum a todas as cervejas aqui englobadas. Representam, isso sim, um olhar saudoso ao passado e um renascer pelas antigas técnicas de produção de cerveja.,

Wood-Aged Beer

Tipos de Cerveja

Trata-se de um estilo tradicional, raramente utilizado pelas grandes empresas cervejeiras mas comum em pequenas explorações, onde é possível guardar a cerveja por longo tempo em barris de carvalho ou em cascos de outro tipo de madeira. Independentemente da cerveja base que seja utilizada, as características da madeira e, em caso de terem sido utilizados barris usados, da bebida que aí tenha estagiado, devem fazer-se sentir quer no aroma, quer no sabor. Este estilo é muito diversificado tendo em conta que se pode utilizar uma infinidade de cervejas base, sendo que a única faceta que as une é o envelhecimento em barris de madeira.

Fonte:  www.cervejasdomundo.com

Tipos de Cerveja

Existem duas principais famílias (ou tipos) de cervejas, que diferem basicamente na maneira como são fermentadas: Ale e Lager.

Cervejas do tipo ALE

O 1º tipo de fermento que surgiu. Este fermento sobe até o topo do tanque em forma de espuma. Esse método é chamado de top fermentation, ou seja "fermentação no alto" (erroneamente traduzido como "alta fermentação"). Todas as cervejas do tipo Ale são produzidas a partir desse tradicional processo, que resulta em cervejas encorpadas, de sabores acentuados e cores diferenciadas. Barley Wine, Stout (como a nossa Baden Baden Red Ale e Baden Baden Stout), Bitter, Pale e India Pale são alguns dos estilos da família Ale.

RED ALE

Tipos de Cerveja

Leia-se: red êiou. Estilo Barley Wine, densa, encorpada e cremosa, possui tom avermelhado e aroma marcante e persistente. Um verdadeiro show! Tipicamente inglesa, a Red Ale está bem classificada no ranking mundial de cervejas, e foi citada pela Revista Época, e pelo site sueco www.ohhh.myhead.org, como a MELHOR do Brasil!

Teor Alcoólico: 9.2%
Acompanhamento ideal: carnes vermelhas, de caça e de porco.

STOUT

Tipos de Cerveja

 

Leia-se: istáut.

Possui um sabor que vai do amargo ao doce, aroma extra-tostado, sendo deliberadamente encorpada, de cor escura e creme denso e dourado, evidenciando a propriedade dos cereais maltados torrados. É o mesmo estilo da irlandesa Guinnes. Todos têm uma surpresa ao degustar com sobremesas de chocolate meio amargo!

Teor Alcoólico: 6,5%
Acompanhamento ideal: pratos condimentados e sobremesas, especialmente as de chocolate.

GOLDEN

Tipos de Cerveja

Cerveja pilsen, com aroma, corpo e alma de mulher. É a "chardonnay" das cervejas. Tipo ale, corpo médio, cuja cor dourada remete a objetos ligados à feminilidade, às jóias, ao ouro. Sabor leve, com final adocicado que lembra especiarias como a canela. Diferencia-se da pilsen tradicional pela inclusão de malte de trigo em sua fabricação.

A Golden chega para atender as preferências específicas das mulheres no que se refere a sabor, aroma e corpo. Esta segmentação tem como objetivo atender a um nicho de mercado que não possui um produto diferenciado. Lançada em Jun/2004.
Teor Alcoólico: 3,8%
Acompanhamento ideal: Carnes brancas, peixes e massas leves.

Cervejas do tipo LAGER

Por volta de 1835 surgiu este novo tipo de fermento, o Lager, que ficava depositado no fundo do tanque durante o processo. Esse método ficou conhecido como bottom fermentation, ou "fermentação no fundo". Em 1842, os tchecos da cidade de Plzen (Pilsen, em alemão) produziram uma Lager mais clara que as tradicionais que se tornou o estilo de cerveja mais consumido no mundo.

Outros exemplos de Lager são: Bock, Chopp, Ice, Draft e Light.

BOCK

Tipos de Cerveja

Leia-se: bók.

Produzida com puro malte e lúpulo de qualidade superior, é uma cerveja de corpo médio, escura, com aroma tostado e sabor marcante, mas não muito forte.
Considerada pelo site sueco www.ohhh.myhead.org, como a MELHOR do Brasil do tipo Bock!

Teor Alcoólico: 5,5%
Acompanhamento ideal: Carnes vermelhas leves, salmão e massas com molhos picantes.

CRISTAL

Cerveja pilsen, elaborada com malte, cevada e lúpulo selecionados. Leve, dourada com aroma floral refrescante, de lúpulo com boa intensidade, e levemente frutado. Equilibrada e tem boa qualidade de amargor. A pilsen (clara), é tradicionalmente a cerveja mais consumida pelos brasileiros. A nossa Cristal é levíssima e ideal para o clima da Região Centro-Oeste

Teor Alcoólico: 3,8%
Acompanhamento ideal: Carnes brancas, peixes e massas leves.

DICAS PARA MELHOR APRECIAÇÃO

Guarde sempre a sua cerveja longe do sol, porque o sol direto ou temperaturas altas alteram a estabilidade da cerveja.

Guarde sempre a garrafa em pé, porque deitada o espaço para escape do gás carbônico é maior, o gás fica na garrafa, mas não na cerveja.

Sirva com "dois dedos" (cerca de 3 cm) de creme, com o copo gelado e bem limpo, e se possível, na temperatura indicada.

Fonte:  www.ingiro.com.br

Tipos de Cerveja

As cervejas são classificadas pelo teor de álcool e extrato, pelo malte ou de acordo com o tipo de fermentação.

PILSEN

A cerveja do tipo Pilsen ou Pilsener nasceu em Pils, na Tchecoslováquia, em 1842, e é a mais conhecida e consumida no mundo. De sabor delicado, leve, clara e de baixo teor alcoólico (entre 3% e 5%), é também a preferida dos brasileiros. No Brasil, o consumo da pilsen - a que mais se ajusta ao nosso clima - chega a 98% do total ingerido, ficando o restante para as do tipo bock, light, malzbier e stout.

BOCK

A cerveja tipo bock é outra de aceitação mundial por ter um sabor mais forte e encorpado, geralmente de cor escura. É originária da cidade de Einbeck, na Alemanha. Tem baixa fermentação e alto teor alcoólico.

STOUT

Originária da Irlanda, a stout é feita com cevada torrada e possui um sabor que associa o amargo do lúpulo ao adocicado do malte. É elaborada com maltes especiais - escuros - e extrato primitivo de 15%. A fermentação é geralmente alta. Sua cor é escura e seu teor de álcool e extrato são altos.

ICE

A cerveja ice nasceu em 1993 no Canadá. É fabricada por meio do "ice process". Depois de fermentada, sofre um resfriamento à temperaturas abaixo de zero, quando a água se transforma em finos cristais de gelo. No estágio seguinte, esses cristais são retirados e o que permanece é uma cerveja mais forte e refrescante.

SEM ÁLCOOL

Ele se diferencia da cerveja tradicional, por permanecer um período mais longo durante a etapa de decantação, que perde o álcool por volatilização.

CHOPE

Segue praticamente o mesmo processo da fabricação da cerveja, entretanto, não passa pelo processo de pasteurização. Pelo fato de não terem sido pasteurizado, as leveduras remanescentes ainda estão presentes, assim, o prazo de validade é muito reduzido, em torno de 10 a 15 dias.

Fonte:  extra.globo.com

Tipos de Cerveja

O tipo de cerveja depende principalmete do tipo de levedura usada, dos maltes e do lúpulo.

ALE - Cerveja de fermentação alta

Elaborada a partir de leveduras de fermentação alta que produzem um conjunto de compostos chamados ésteres que conferem à cerveja um aroma frutado. Estas cervejas fermentam a temperaturas elevadas, entre os 16 e 24 ºC. Ale, palavra de origem nórdica que significa cerveja .

Abbaye, Abdij ou Abbey

Cerveja de abadia produzida na Bélgica e Holanda. Originalmente desenvolvidas em mosteiros.

Alt Bier

Cerveja de origem Alemã de fermentação alta e coloração cobreada.

Barley Wine

Vinho de cevada. Cerveja muito forte com teor alcoolico normalmente superior a 9% v/v.

Bitter

Cerveja Inglesa com bastante lúpulo, o que lhe confere um amargor acentuado.

Blanche ou Wit

Cerveja de origem Belga à base de trigo. Extremamente refrescante e de sabor peculiar

Brown Ale

Cerveja Inglesa com pouco alcool, ligeiramente adocicada e de cor acastanhada

India Pale Ale (IPA)

Cerveja Inglesa que se destinava a ser expedida por barco para saciar as tropas britâncias na India. Cerveja de elevado teor alcóolico e com uma boa dose de lúpulo para se conservar durante a viagem.

Kolsch

Cerveja de fermentação alta com pouca produção de esteres. Trata-se de uma cerveja com características intermédias entre uma Lager e uma Ale.

Mild

Cerveja Inglesa com uma dose de lúpulo mais moderada que uma Bitter.

Pale Ale

Desgina uma gama relativamente vasta de cervejas de alta fermentação e de coloração pouco intensa.

Porter

Cerveja de coloração escura mas mais leve e de sabor menos torrado que uma stout.

Scotch Ale

Cerveja Escocesa forte e muito encorpada com uma forte presença do malte no aroma e sabor.

Stout

Cerveja muito escura de fermentação alta produzida com recurso a malte e cevada torrados.

Existem vários tipos de stouts: Stout Irlandesa, seca e amarga; Sweet Stout, ligeriamente adocicada e com menor proporção de malte torrado; Imperial Stout, encorpada e com elevado teor alcoolico.

Trapista

Cerveja de abadia produzida originalmente pelos monges trapistas. De elevado teor alcoólico (6-12%) e produzida com recurso a caramelo.

Weisse, Weizen ou Weiss

Cerveja Alemã de trigo, turva, normalmente servida com a levedura em suspensão (neste caso toma o nome de Hefe-Weizen).

LAGER - Cerveja de fermentação baixa

As leveduras de fermentação baixa, fermentam entre 8 e 15 ºC e produzem quantidades muito pequenas de ésteres, pelo que estas cervejas possuem um aroma de lúpulo bastante "limpo" sem aromas frutados. Estas cervejas são denominadas de "Lager", palavra que deriva do alemão lagern que significa armazenar, pois necessitam de um periodo de armazenamento longo, 2 a 4 semanas, a baixa temperatura (0 - 5 ºC) para maturarem.

Bock

Cerveja do sul da alemanha com elevado teor alcoólico encorpada e de coloração escura.

Dortmunder

Cerveja originária de Dortmund, tipo Lager, menos amarga que uma pilsner.

Oktoberfest

Cerveja especialmente formulada para a grande festa da cerveja em Munique que decorre durante o mês de Outubro.

Pilsner ou Pils

A cerveja mais difundida e bebida em todo o mundo. Originária da cidade checa de Pilsen é uma cerveja tipo lager, de cor clara, seca e com um bom amargor.

Schwarzbier

Cerveja Alemã normalmente tipo lager de coloração escura.

Viena

Como o nome indica originária da cidade austriaca de Viena. Cerveja tipo lager de coloração ambar ou avermelhada.

LAMBIC - Cerveja de fermentação espontanea

Cervejas que fermentam espontaneamente pela ação dos microorganismos existentes na atmosfera. Na fermentcação des tipo de cervejas interveem varios microorganismos tais como bacterias lácticas, Pediococcus, Brettanomyces, etc.

Apresentam aromas complexos e uma elevada acidez, pelo que muitas vezes são misturadas com frutos e adoçadas. Este tipo de cervej é tradicionalmente elaborada na Bélgica na região de Bruxelas

Fonte:  www.cervejacaseira.com

Tipos de Cerveja

As cervejas que aparecem nas esplanadas, cafés e grandes superfícies europeias, são bem diversas nas suas características organolépticas.

Porém, é possível agrupá-las em dois grandes tipos:

Cervejas de fermentação alta, Cervejas de fermentação baixa

Entre as cervejas de fermentação alta, muito comuns no Reino Unido, podem considerar-se:

As cervejas "Ale", mais ou menos fortes, de coloração variada e com amargor também muito diverso. O termo "Ale" é muitas vezes usado como designação genérica das cervejas de fermentação alta.

As cervejas de coloração muito intensa, com uma certa doçura a notar-se no paladar: são as cervejas "Stout".

Há, porém, um segmento das cervejas de fermentação alta, de coloração muito forte, de cor quase preta, pouco alcoólicas, que são bastante amargas. São conhecidas como cervejas "Porter".
São também muito comuns na Bélgica certos tipos de cerveja de fermentação alta, espontânea, conhecidas por "Lambic", "Geuze", "Kriek"...
Outro tipo de cervejas, bem distinto dos anteriores é o das "Cervejas de Trigo", fermentadas exclusivamente por leveduras, como as "Blanche" belgas, ou por leveduras e bacilos lácticos, como a "Berliner Weiss".

As cervejas de fermentação baixa são genericamente conhecidas por cervejas "Lager".

Neste tipo de cervejas incluem-se as cervejas conhecidas como "Pilsener", "Munchener", "Dortmunder" e "Bock":

As cervejas "Pilsener" tendem a ser de cor muito clara, secas e menos alcoólicas que as "Ale", e bastante lupuladas, logo com um carácter amargo muito fino, bem pronunciado.

As cervejas "Munchener" (de Munich) são típicas desta cidade da Baviera e, historicamente, eram cervejas de cor escura, pouco lupuladas, de baixo teor alcoólico e com um típico carácter a malte fabricado a elevadas temperaturas durante curto período de tempo.

As cervejas "Dortmunder" são típicas cervejas de cor clara-ouro, com características intermédias entre as "Pilsener" e as de "Munchener".

Finalmente, as cervejas do tipo "Bock", que começaram por ser produzidas na cidade de Einbeck, na Baixa Saxónia. Eram cervejas muito densas, de cor intensa, produzidas no Inverno para consumo na Primavera. Hoje, são cervejas de cor intensa, mas é cada vez mais comum fabricá-la também com cor clara.

Este tipo de cerveja, de acordo com a lei alemã, deve provir de um mosto com pelo menos 16% de extrato primitivo, o que resulta num teor alcoólico de 6 a 7,5% (vv.). São cervejas com muito corpo, com carácter a malte e bem lupuladas. Modernamente fabricam-se cervejas "Bock" bem menos fortes e de coloração não muito carregada. São, contudo, cervejas de corpo apreciável, com um amargor bem equilibrado e com um suave carácter doce.

Fonte:  www.superbock.pt

Tipos de Cerveja

Veja alguns dos muitos tipos de cerveja

As Cervejas Ales

Se comparadas às Pilsen, tem aroma e sabor mais complexos, com notas que lembram flores, frutas e especiarias. Há tipos diferentes de Ale, com cor e consistência variadas.Combinam bem com assados de carne vermelhas.

Esta, em especial, que você irá produzir é de cor clara a dourado, um pouco seca e corpo razoável, leve e refrescante, com uma espuma cremosa e sabor final um pouco frutada.

Nesta cerveja são marcantes todos os sentidos. Seu aroma, sabor e corpo, proporcionados por sua fórmula composta de puro malte, milho e uma dose equilibrada de lúpulo, compõem as características das cervejas tipo (ale) alta fermentação que são, sem dúvida, as mais famosas do mundo, como por exemplo as produzidas na Bélgica pelos monges trapistas da Abadia de Scourmont, produzida de forma artesanal desde 1862.

Inglaterra, Alemanha, Irlanda e E.U.A também possuem várias cervejas (ale) de forma artesanal, apreciadas no mundo inteiro

Bock

Originário da cidade de Einbeck, na Alemanha.
Cerveja forte em razão do extrato primitivo, que é acima de 14%, e de cor escura.
Baixa fermentação e alto teor alcoólico. 
Só é produzida durante a primavera e o outono.

Malziber

Originária da Alemanha
Cor escura e grande poder nutritivo, em virtude do seu alto teor de extrato.

Pilsen

Originária da cidade de Pilsen, na República Tcheca.
É obtida a partir de malte tipo Pilsen e água de baixa dureza.
O extrato primitivo, que varia de 11% a 13,5%, é fermentado com levedo de baixa fermentação.
A cerveja tem cor clara, médio teor alcoólico (3% a 5 %) e médio teor de extrato.
É o tipo de cerveja mais consumida no Brasil por se adequar facilmente ao clima do país.

Cerveja Origem Coloração Teor Alcoólico Fermentação
Pilsen República Checa Clara Médio Baixa
Dortmunder Alemanha Clara Médio Baixa
Stout Irlanda do Norte Escura Alto Alta
Porter Inglaterra Escura Alto Alta
Weissbier Alemanha Clara Médio Alta
München Alemanha Escura Médio Baixa
Bock Alemanha Escura Alto Baixa
Malzbier Alemanha Escura Alto Baixa
Ale Inglaterra Clara & avermelhada Médio ou Alto Alta
Ice Canadá clara Alto  

Fonte:  www.cervejando.com

Tipos de Cerveja

ALE

Graduação alcoólica de 3 a 5,5%, com exceção de algumas marcas fortes. Cerveja de alta fermentação, não pasteurizada, típica da Grã-Bretanha, mas comum também nos EUA. Tem um gosto forte de lúpulo e cor de cobre avermelhado. Bebida à temperatura ambiente, para não perder o sabor. A marca inglesa Bass é o exemplo clássico de ale.

GUEUZE

Tipo incomum de cerveja feita com trigo, num processo semelhante ao do vinho, típica da região de Bruegel , perto de Bruxelas, na Bélgica. A fermentação é feita por meio de microorganismos naturais, sem o acréscimo de fermento.

A cerveja gueuze é feita em diversas variações de sabor e teor alcoólico, obtidas por meio da mistura de várias infusões fermentadas e envelhecidas, conhecidas como lambic ou lambiek. Uma versão ainda mais incomum de gueuze é a kriek, fermentada duplamente com cerejas amargas e própria para se tomar no verão.

LAGER

Termo geral usado na Alemanha e nos países de idioma inglês para definir as cervejas de baixa fermentação, sejam elas dos tipos pilsen ou budweis, da Boêmia; münchener, da Bavária; vienna, dortmund ou einbeck (chamada bock). A maioria absoluta das cervejas feitas no mundo é de baixa fermentação, mesmo que nem sempre isso seja dito nos rótulos.

As cervejas deste tipo precisam de ser armazenadas por algumas semanas, a fim de amadurecer, antes de serem postas à venda.

Daí o termo lager, que em alemão, significa guardar. As expressões alta e baixa fermentação referem-se à posição em que a levedura (fermento) se encontra no tanque de fermentação. A técnica da baixa fermentação começou a ser usada em larga escala na metade do século XIX, depois de Pasteur ter conseguido esclarecer aos cervejeiros e vinicultores, pela primeira vez, como é que exatamente o fermento atua na fabricação de bebidas.

A partir daí, conseguiu-se uma cerveja mais consistente, estável e borbulhante que as tradiccionais, feitas pelo método de alta fermentação, até hoje usado nas cervejas do tipo ale e stout. O método antigo, no entanto, é preferido pelos connaisseurs, por produzir uma cerveja com mais sabor e personalidade.

PILSEN

Graduação alcoólica 5%. É o tipo de cerveja mais conhecido do mundo. A original foi criada em 1842, em Pilsen, na Boêmia, hoje parte da Tcheco-Eslováquia.

Com a sua coloração dourada e brilhante, a sua forte efervescência, o seu sabor puro e bem seco, e as suas qualidades digestivas semelhantes às da água mineral Perrier, a pilsen tornou-se a mais popular das cervejas de baixa fermentação , o brinde mais comum entre os povos europeus de língua alemã.

Com a sua congénere de Budweis e as suas contemporâneas de Viena e Munique, a Pilsener foi largamente imitada após a sua criação. Hoje, somente a empresa alemã criadora da pilsen original possui o direito de usar a marca Urquell Pilsner® (urquell significa “a procedência original de”). A maioria dos imitadores usa a grafia pilsen.

STEEM BEER

Graduação alcoólica de aproximadamente 5%. A única cerveja típica dos Estados Unidos. O seu nome, cuja tradução seria “cerveja de vapor”, refere-se ao fato de libertar uma grande pressão quando colocada nos barris.
A Steam Beer é feita por um processo híbrido, destinado a produzir um tipo de cerveja semelhante à lager alemã, produzida em antigas indústrias que não dispunham do necessário ambiente refrigerado.
O resultado é um cerveja semelhante à ale, mas de grande personalidade. Uma das melhores e mais conhecidas Steam Beers é a Anchor ®, produzida em São Francisco.

STOUT

Graduação alcoólica de 3 a 7,5%. Cerveja de alta fermentação feita com cevada torrada e, às vezes, não preparada.

Ainda que seja produzida em pequena escala, e em muitos países do mundo, ela é mais popular na Grã-Bretanha, onde há dois tipos: a adocicada e de baixo teor alcoólico (como a Mackeson ®) e a forte e seca (como a famosa irlandesa Guinness ®).

TRAPPIST

É originária da Bélgica e só pode ser feita em mosteiros, pelos monges.

Somente 5 mosteiros na Bélgica produzem este tipo de cerveja: Westmalle, Chimay, Rochefort, Orval e St. Sixtus.

Existem 2 tipos de cerveja Trappist.

A escura ou dobrada, como é chamada, é produzida com malte caramelizado e tem uma cor escura e um sabor suave. Esta cerveja contém 7% de álcool e deve ser tomada a uma temperatura entre 10 e 14 graus celsius.
O outro tipo é a Tripel, uma cerveja dourada de sabor pesado e espuma muito cremosa. Ela tem 8,5% de teor alcoólico.
A cerveja Abby é parecida com a Trappist. A diferença é que ela é produzida nas grandes cervejarias belgas, que utilizam receitas compradas dos mosteiros que pararam com a produção de Trappist. As cervejas Trappist e Abby têm alta fermentação e não costumam ser filtradas, por isso devem ser servidas com cuidado para evitar que a levedura presente na garrafa caia no copo.

Fonte:  elcabron.sjdr.com.br

Tipos de Cerveja

LAGER

Tipos de Cerveja

Heineken Larger

As lagers (em especial as claras) são, provavelmente, o tipo mais comum de cerveja consumida. Elas são originárias da Europa Central/Alemanha, tirando seu nome da palavra germânica "lagern" (armazenar). De baixa fermentação, são tradicionalmente armazenadas em baixa temperatura por semanas ou meses, clareando, amadurecendo e ganhando maior quantidade de dióxido de carbono. Atualmente, com o aperfeiçoamento do controle de fermentação, muitas cervejarias de lagers usam períodos consideravelmente menores para armazenamento a frio (de 1 a 3 semanas).

Se bem que existam muitos estilos de lagers, a maioria delas é clara na cor, com alto teor de gás carbônico, de sabor moderadamente amargo e conteúdo alcoólico entre 3-6% por amostra.

Os estilos de lager incluem: Bock, Doppelbock, Eisbock, Munchner Helles, Munchner Dunkel, Maibock, Dry beer, Export, Märzen (feita somente para a Oktoberfest bávara), Pilsener e Schwarzbier (cerveja preta).

PORTER

Tipos de Cerveja

Zywiec Porter

Cerveja do tipo ale produzida originalmente na Inglaterra, esta cerveja é fabricada a partir do processo de fermentação alta, isso porque a fermentação ocorre à uma temperatua elevada, entre 15°C e 20°C, fato que leva as leveduras a subirem à superfície, resultando em uma cerveja forte e encorpada.

ALE

Tipos de Cerveja

Guinness Stout

Tipos de Cerveja

Rudles Ale

Cervejas de fermentação alta, especialmente populares na Grã-Bretanha e Irlanda, incluindo as mild (meio-amargas), bitter (amargas), pale ale (ale clara), porter (cerveja escura muito apreciada por estivadores) e stout (cerveja preta forte).

As cervejas de fermentação alta tendem a ser mais saborosas, incluindo uma variedade de sabores de cereais e ésteres produzidos durante a fermentação que lhe conferem aroma frutado; são também de baixo teor de gás carbônico, fermentadas e servidas idealmente numa temperatura mais elevada do que as lagers.

Diferenças de estilo entre cervejas de fermentação alta são muito maiores do que aquelas encontradas entre as cervejas de baixa fermentação e muitos estilos são difíceis de categorizar. A cerveja comum da Califórnia, por exemplo, é produzida usando o fermento para lagers em temperaturas para ales. As cervejas à base de trigo são geralmente produzidas usando um fermento para ales e então armazenadas, às vezes com um fermento para lagers.

A cerveja Lambic é produzida com fermentos selvagens e bactérias, nativos da região do vale do rio Zenne (Pajottenland), perto de Bruxelas. Ale verdadeira é um termo para as cervejas produzidas usando métodos tradicionais e sem pasteurização.

PILSEN

Cerveja do tipo lager, amarga, de coloração dourada e bastante transparente. O nome pilsen é derivado da cidade de mesmo nome localizada na Rapública Checa onde este estilo de cerveja foi originalmente produzido. É o estilo de cerveja mais consumido no Brasil.

CERVEJA SEM ÁLCOOL

Cerveja dietética cujo álcool é suprimido pelo vácuo.

Fonte: www.protopage.com

Tipos de Cerveja

Existem no mundo basicamente duas grandes famílias de cerveja – a Ale, termo utilizado para designar as cervejas de alta fermentação, e a Lager, de baixa fermentação. Produzidas, especialmente, na Inglaterra e na Bélgica, as Ale são bebidas mais encorpadas e podem ser consumidas à temperatura ambiente ou apenas refrescadas.

O processo de fermentação se dá à temperatura ambiente. Um terceiro, o das weizenbier – as cervejas de trigo – não contém variações suficientes para ser considerado uma família. Originária da Alemanha e produzida na Bélgica e em outros países da Europa, a weizenbier é fabricada com malte de trigo e leveduras especiais .

Os principais tipos de Ale são:

Altbier – De aroma leve, com um toque de cacau proveniente do malte torrado, a receita da Altbier caracteriza-se pela grande quantidade de lúpulo. A cor tende para os tons mais escuros.

Barley Wine – A tradução literal do nome dessa cerveja é “vinho de cevada”porque pode, ao contrário da maioria das cervejas, ser guardada por muitos anos. É forte e tem sabor intenso de malte e de lúpulo.

Belgian Ale – É a designação genérica das cervejas produzidas na Bélgica, geralmente por processos artesanais. Têm cores e sabores variados e dividem-se em vários tipos, das witbier, suaves e temperadas com especiarias, às lambic, à base de trigo e fermentadas com leveduras selvagens. As lambic podem ser estocadas por até três anos.

Bitter – O nome já indica a principal característica desta cerveja: bitter, em inglês, quer dizer acre, amargo. Essa característica fica mais acentuada à medida que aumenta a quantidade de lúpulo na receita. A cor vai do âmbar ao cobre.

Brown Ale – Foi a primeira cerveja fabricada na Inglaterra. É escura, tem pouco teor de lúpulo (sendo, portanto, de baixo amargor) e sabor adocicado de nozes.

Pale Ale – Era o termo utilizado na Inglaterra para descrever as cervejas mais claras do que as Brown Ale. Tem cor de cobre. Atualmente, vários tipos de cerveja se abrigam sob a designação Pale Ale. Elas podem ser Mild Ale, mais suaves, ou mais amargas como a Indian Pale Ale e a American Pale Ale.

Porter – É feita com malte torrado, o que pode transferir para a cerveja aromas de chocolate e de café. A cor varia do castanho ao preto.

Stout – é uma cerveja bem escura, preta. Pode ser do tipo Dry Irish (cerveja de origem irlandesa, seca, encorpada e cremosa, com sabores de caramelo e café); Foreign Style Stouts (semelhante à Dry Irish, com maior teor alcoólico) e a Imperial Stouts (alto teor alcoólico e sabor frutado, doce ou semidoce.) No Brasil, a referência de Stout é a Caracu.

Scottish Ale – A cor vai do ouro ao castanho e o sabor pode ser doce, maltado ou até mesmo defumado.

Abadia – É uma cerveja de alta fermentação. Possui um sabor surpreendente, resultado do equilíbrio ideal entre o amargor, a doçura e o teor alcoólico. Outra característica marcante é seu aroma de especiarias.

De origem alemã, a cerveja Lager tem como principal característica o fato de sua fermentação se dar a baixas temperaturas – de até 2ºC – em contraste com a Ale, na qual esse processo pode se dar até mesmo à temperatura ambiente.

Os principais tipos são:

Bock – É uma cerveja escura, originária do norte da Alemanha, de sabor mais para o doce do que para o amargo, e alto teor alcoólico. Uma variedade conhecida como Doppelbock (bock dupla) tem gradação alcoólica de até 7,5o. Outra, ainda mais forte – de até 14o – é a Eisbock. Essas cervejas são congeladas e depois o gelo é retirado, o que aumenta a gradação alcoólica.

Münchener – O nome significa “de Munique.” É uma cerveja escura ou preta e pode ser bem leve. Tem um sabor forte, de malte, puxado para o café.

Pilsen – Cerveja originária da região da Boêmia, hoje parte da República Tcheca. Sua principal característica é a cor dourada e translúcida. Em sua fórmula original, tem sabor suave e um aroma acentuado de flores, com presença acentuada do lúpulo. Comparada com a cerveja do tipo Pilsen, mais popular no Brasil, é uma cerveja de sabor ligeiramente mais amargo.

Fonte: www.ambev.com.gt

Tipos de Cerveja

Dividiremos os vários tipos de cerveja aqui apresentadas em quatro categorias básicas: as Ales, as Stouts, as Lagers e as chamadas Cervejas Especiais - ou "especialidades regionais".

O que difere basicamente uma cerveja Ale de uma Lager é o processo de fermentação - alta, no caso da Ale e baixa, no caso da Lager. As cervejas do tipo Stout, pretas e fortes, são um tipo específico de Ale, originalmente uma versão irlandesa da porter londrina.

Na técnica de fermentação alta, o levedo sobe no processo de fermentação. A fermentação se dá num ambiente de temperatura relativamente alta, entre 15-20ºC ou mais e num período de tempo curto, variando de três a cinco dias. Esse processo é o mais antigo, daí as cervejas do tipo Ale serem o único tipo disponível até a invenção da baixa fermentação, em 1842 - se considerarmos cerveja somente aquilo que começou a ser produzido durante a Idade Média e não seus tipos ancestrais.

Já no outro método, a baixa fermentação, a fermentação se dá em ambientes de temperatura mais baixa, ente 6 e 8ºC e o tempo do processo é maior, levando de sete a dez dias. Atualmente, o processo de baixa fermentação é o mais utilizado - o que não significa necessariamente que as cervejas do tipo Lager sejam melhores.

As cervejas especiais podem se enquadrar em qualquer uma das categorias acima, mas possuem características únicas como, por exemplo, um fermento exclusivo, uma determinada época do ano em que são produzidas, etc.

CERVEJAS ALE

Barley Wine
Cerveja bastante escura, chegando a ser quase opaca. É considerado um dos tipos de cerveja mais fortes do mundo, podendo chegar a ter o teor alcoólico do vinho. Costumava ser também chamada de "Strong Ale".

Bitter
Essa Ale amarga é bastante lupulada, com uma cor que varia do cobre claro ao rubi. Também chamada de "British Bitter", essa cerveja de estilo clássico apresenta como característica marcante a presença, ainda que leve, do marcante sabor amargo do lúpulo. A verdadeira Bitter apresenta pouco gás carbônico. Seu teor alcoólico pode variar de 3,5 a 4,5%.

Blonde Ale
A "Ale loira" é uma cerveja de puro malte, apresentando aroma de lúpulo e sabor maltado, com um toque de frutas. As mais claras guardam semelhanças com as cervejas do tipo Lager, atraindo assim consumidores que não costumam apreciar as Ales tradicionais.

Brown Ale
Estilo tradicional de Ale britânica, apresenta, como o próprio nome diz, cor próxima do marrom. É uma cerveja suave, pouco amarga, e, dependendo da origem, pode apresentar leve gosto de nozes - como a Newcastle Brown Ale, por exemplo.

India Pale Ale
Essa Ale recebe esse nome porque tinha de resistir a longas viagens das cervejarias na Inglaterra até os confins do Império Britânico. Em virtude disso, é uma cerveja com grande quantidade de lúpulo de Fuggles e lúpulo de Golding, para conservar-se e resistir à longa jornada. É medianamente encorpada e clara. Seu teor alcoólico varia de 5,5 a 7%.

Mild Ale
Ale suave, com pouco álcool e quase nehum amargor. Possui sabor acentuado de malte, cor clara, sabor razoavelmente doce e seu teor alcoólico gira em torno de modestos 3%.

Pale Ale
Essa cerveja, outro estilo clássico de Ale britânica, possui mais sabor de lúpulo do que a Bitter mas não tanto quanto a India Pale Ale. Muitas vezes, a denominação Pale Ale é usada como sinônimo da Bitter, e sua cor pálida vai do âmbar-claro ao cobre.

Porter
Uma antiga Ale londrina, que chegou a ser considerada "extinta" - se é que se pode dizer algo assim de uma cerveja - mas que nos últimos anos tem voltado, como uma cerveja "cult". Cerveja encorpada, seca, que em virtude de seus maltes bem tostados e escuros lembra o aroma de café. A cor pode variar do marrom-avermelhado ao preto. Pode ser também encontrada em versões produzidas através da baixa fermentação.

Scottish Ale
Cerveja forte (de alto teor alcoólico) feita com cevada escocesa. Tem mais sabor de malte do que as Ales inglesas, possui nuances de caramelo e, às vezes, um leve toque defumado. Existem várias versões, como Light, Heavy, Strong e Export.

Strong Ale
Também chamada de "Old Ale", essa cerveja de alto teor alcoólico possui como características marcantes sua cor bastante escura e seu sabor doce que disfarça um teor alcoólico que pode alcançar de 6 a 8% por volume.

CERVEJAS STOUT

Cerveja preta irlandesa.

É forte, bastante encorpada, tem sabor amargo e espuma cremosa. Cerveja seca, de fermentação alta e coloração extra-escura. Possui um aroma característico, bastante marcante. É comum perceber uma aroma de café queimado, ao primeiro gole. Foi concebida originalmente como uma versão irlandesa da Porter londrina.
Apesar de existirem muitas outras stouts, fabricadas tanto na Irlanda como em outras partes do mundo, a Guinness é reconhecidamente uma referência mundial.

Para assegurar seu controle de qualidade, a cervejaria Guinness torra malte na medida específica de suas necessidades. Todos os cereais usados pela Guinness são cultivados na própria Irlanda. Teor alcoólico aproximado de 4.8%.

Dry Stout
Este é o estilo no qual se enquadra a já citada Guinness. Amargor de médio a forte ao qual se acrescenta às vezes cevada não maltada para adoçar o lúpulo.

Imperial Stout
Concebida originalmente para ser exportada para a Rússia. Cerveja preta, seca e encorpada, de alto teor alcoólico. Possui muitas vezes sabor de frutas doces queimadas ou café. Teor alcoólico variando de 7 a 9%.

Milk Stout
Cerveja preta inglesa, cuja característica marcante é o sabor adocicado, devido ao uso do açúcar do leite (lactose) e malte de chocolate. Essa cerveja não possui sabor de lúpulo e seu teor alcoólico é baixo - em torno de 3%.

Oatmeal Stout 
Variação da cerveja preta inglesa com a a adição de farinha de aveia para aumentar o corpo e o sabor. Possui aromas caramelados e sabor de nozes.

CERVEJAS LAGER

Bock
Surgida na Alemanha medieval, essa cerveja possui cor muito escura e avermelhada, sabor doce e pesado. Por ser uma cerveja encorpada, seu consumo se dá sobretudo no inverno ou em locais onde a baixa temperatura é uma constante. Tem teor alcoólico de 7%.

Doppelbock
Qualquer versão mais forte da Bock (acima de 7,5%) é chamada Doppelbock. Extremamente encorpada, sua cor vai do dourado-escuro ao marrom-escuríssimo, com amargor equilibrado.

Eisbock
Tipo de cerveja Bock obtida através do congelamento da Doppelbock e posterior eliminação do gelo - resultanto numa cerveja de alto teor alcoólico, entre 10-14%.

Pilsen ou Pilsner
Surgida na República Checa, mais especificamente na cidade de Pilzen (ou Pilsen) - na região que era conhecida na época como Bohemia. É uma Lager, de baixa fermentação, cor clara e sabor refrescante. É o tipo mais popular do mundo.

As marcas mais conhecidas são: Becks, Köning, Dab e Löwenbrau, da Alemanha; Pilsner Urquell (tradução literal - "Original de Pilzen"), da República Tcheca e Heineken, da Holanda.

Vienna Lager
Tipo clássico de Lager âmbar. Possui natureza distinta por seu processo de maltagem que produz cor e sabor tostados. Durante o século XIX, era a cerveja mais consumida em Viena. Depois, saiu de moda e deixou a Europa para adaptar-se ao clima mais quente do México. Hoje em dia, a única Vienna Lager verdadeira produzida é a mexicana Dos Equis.

Wheat Beer
Cerveja de trigo, usualmente produzida com 30% ou mais desse cereal. É feita com um fermento especial, apresentando grande efervescência. É especialmente popular na região da Bavaria, onde possui vários tipos diferentes e recebe várias denominações.

CERVEJAS ESPECIAIS

Lambic
Cerveja de trigo feita na Bélgica, com um levedo exclusivo. Possui dos períodos de fermentação, o primário e o secundário, sendo que pode ficar estocada por até três anos em barris de madeira - onde se dá a fermentação secundária.

Steam Beer
Hoje em dia, "Steam Beer" é marca registrada da cervejaria Anchor, de São Francisco, Califórnia. Mas no século XIX, "steam beer" era o apelido para cervejas locais que eram fermentadas com fermento do tipo das Lager, mas na temperatura das Ales. Dessa forma, produzia-se uma cerveja de característica peculiar.

Rauchbier
Também conhecida como "Smoked Beer", é uma cerveja escura, de baixa fermentação, produzida a partir do cereal maltado depois de espalhado sobre uma malha de rede fina para secar num forno aquecido a lenha. No processo, os grãos adquirem um sabor seco e defumado. O produto desse processo, semelhante ao da defumação de cevada maltada para a produção de Scotch Whisky, é uma cerveja escura de complexo sabor defumado.

Altbier
Cerveja originária do norte da Alemanha, de fermentação alta. Possui sabor lupulado e um pouco amargo. A Altbier usa uma alta fermentação e sua maturação final é feita a baixas temperaturas.

Kölsch
Essa especialidade de cerveja só pode ser produzida pelos cervejeiros de Colônia, na Alemanha, de onde é originária. Tem coloração dourado-claro, é produzida através do processo de alta fermentação, maturada a frio e posteriormente filtrada. Possui médio teor alcoólico, de sabor puro e bastante lupulado.

Kriek Lambic
É fabricada à base de cereja, possuindo assim sabor e aroma diferenciados, além de um tom rosado. É uma cerveja muito espumante, com sabor refrescante e um leve final seco. Na sua fabricação, é utilizado um fermento exclusivo, o fermento do ar ambiente impregnado de levedura selvagem, encontrado apenas no vale do Rio Zenne, na Bélgica. O processo de fermentação é espontâneo e demorado, resultando numa cerveja com cerca de 5.5% de álcool.

Trappist
Cerveja originária da Bélgica, só pode ser produzida em mosteiros trapistas pelos próprios monges.

Atualmente, seis mosteiros ainda fabricam essa especialidade de cerveja: Orval, Rochefort, Chimay, Westmalle e Sint Sixtus, na Bélgica e Schaapskooi, nos Países Baixos.
As cervejas produzidas são fortes, em geral doces e com aroma de frutas, obtidas através do processo de fermentação alta.
Pode ser encontrada em duas versões: A Escura ou Dobrada, que como o próprio nome diz é escura, com sabor suave e 7% de álcool e a Tripel, que é dourada, de sabor forte e espuma cremosa, com 8.5% de teor alcoólico.

Abbey
Cerveja originalmente produzida na Bélgica, por ordens religiosas que não a dos monges trapistas. Atualmente, são produzidas em larga escala por cervejarias comerciais, sob licença.

Amber
Cerveja parecida com a Pilsen, porém tem alta fermentação e utiliza malte vienna. Possui cor avermelhada, sabor suave e um aroma adocicado, característico da levedura. As marcas mais conhecidas são De Konnick e Palm.

Witbier
É conhecida como cerveja "branca", cuja cor é originária da levedura presente na garrafa. Tem sabor ao mesmo tempo doce e ácido, possuindo cerca de 5% de álcool. Costuma-se consumi-la principalmente no verão, em virtude de seu sabor refrescante.

Märzen/Oktoberfest Lager
Cerveja Lager produzida na Baviera como adaptação da Vienna Lager. Essa cerveja costumava ser produzida tradicionalmente em março, pois o clima do verão alemão impossibilitaria sua produção. Março marca o fim do inverno alemão. Em virtude disso, era produzida com um pouco mais de álcool, de maneira a conservá-la durante todo o verão. Lúpulo Hallertau é usado tanto para dar amargor quanto para definir o aroma. O levedo é introduzido e a cerveja descansa por aproximadamente 4 semanas a -1ºC. Teor alcoólico de 5% por volume.

Samichlaus Bier
Essa Strong Lager é produzida somente um dia por ano, em 6 de dezembro - dia de São Nicolau na Suíça. A Samichlaus é envelhecida por dez meses antes de ser engarrafada para consumo. Essa cerveja é feita com dois tipos de malte de cevada, duas variedades de lúpulo e um fermento especial capaz de metabolizar num ambiente de alto teor alcoólico. A Samichlaus é considerada por muitos experts como a Lager mais forte do mundo, com um teor alcoólico de 14,9% por volume.

Existem muitas outras variedades de cerveja, mas relacionamos aqui os mais populares - ou mais curiosos - tipos.

Fonte: www.beberroes.com.br

Tipos de Cerveja

Os vários tipos e sabores de cervejas são um brinde completo ao paladar

Tipos de Cerveja

“Mulher, você vai gostar
Tô levando uns amigos pra conversar
Eles vão com uma fome que nem me contem
Eles vão com uma sede de anteontem
Salta cerveja estupidamente gelada prum batalhão
E vamos botar água no feijão”
(Feijoada Completa de Chico Buarque - 1977)

O cancioneiro popular é sempre preciso ao expor a realidade do povo, e nas palavras singelamente poéticas do mestre Chico Buarque está escancarada a preferência nacional: cerveja estupidamente gelada. “Loira gelada”, como a maioria de nós a conhece.

A cerveja mais consumida e apreciada no Brasil é a do tipo Pilsen (Lager), de baixa fermentação, mais leve, fresca e menos frutada, gelada a ponto de se opor às nossas inclementes temperaturas de verão. Mas essa preferência nacional infelizmente deixa de fora um mundo mais variado do que as partes do porco na feijoada de Chico Buarque.

Gelar excessivamente a cerveja faz o mesmo com nossas papilas gustativas: gela nosso paladar e exclui variadas nuances que seriam interessantes de conhecer.

Tão complexa como a seara dos vinhos, o universo das cervejas tem cores, sabores e teores alcoólicos que a simples divisão Ale (de alta fermentação) e Lager (de baixa fermentação) não é capaz de contar. O Brasil conhece algumas delas e as produz em escala industrial, como a escura e doce Malzbier e a versão mais encorpada e amarga do inverno, a Bock. Mas ainda assim, quem no Brasil realmente é capaz de se aproximar da miríade de versões que as cervejas podem ter são as microcervejarias, dedicadas a fazer versões artesanais em pequena escala.

Verdade seja dita, algumas dessas pequenas empresas desfrutaram de tamanho sucesso no mercado que acabaram por ser anexadas a grandes corporações cervejeiras. Ainda assim, é delas o mérito de ter trazido aos balcões de bares e às mesas de restaurantes algumas das combinações entre água, cereais, malte e lúpulo mais interessantes que existem no Brasil no momento. Isso sem contar com a enorme variedade das estrangeiras, disponíveis na maior parte dos supermercados.

A estatística não é oficial, mas acredita- se que nosso País de loiras geladas já tenha ao menos 60 microcervejarias que colocam no copo dos brasileiros líquidos muito diferentes daqueles que a grande maioria das pessoas pede somente pela marca de preferência, sem dar atenção ao estilo. Isso não quer dizer que a nossa Pilsen industrializada seja ruim, mas é verdade que ela está longe de representar fielmente o colorido quadro da cervejaria mundial.

Entre as cervejas do tipo Ale – em que as leveduras ficam boiando sobre o líquido –, muito populares na Inglaterra, estão as mais encorpadas e vigorosas, com marcante frutado, embora possam variar muito em estilo (doces ou amargas, claras ou escuras) como as Blond Ale, Pale Ale, Brown Ale, Bitter, as Porter e as Stouts (cervejas pretas fortes com creme muito denso), entre outras. Todas elas já encontradas no Brasil em mais de uma marca, que permite constatar as variações de álcool, cor e sabor.

As cervejas do tipo Lager – que, em geral, têm um aroma mais floral e sabor final mais seco e fresco – formam um grupo bastante grande em que estão as nossas populares Pilsen, variando de sabor e peso mesmo entre as industrializadas; as Bock, bastante maltadas e um pouco mais alcoólicas; as Eisbock, uma bock extra-forte; e as Munchner, nome das cervejas da cidade de Munique, fortemente maltadas; entre outras.

Apesar de não terem uma classe definida com exatidão, existem algumas cervejas que estão entre as mais interessantes produzidas no mundo, com forte presença belga, como a cerveja de trigo, não filtrada, muito saborosa e por vezes leve (a versão holandesa mais conhecida leva casca de laranja e especiarias), a cerveja feita como o Champagne, em que a fermentação ocorre dentro da garrafa e tem alto teor de álcool e mais gás do que a maioria, além da classe conhecida como “cervejas trapistas”, preparadas somente em seis mosteiros belgas, um na Alemanha e um nos Países Baixos.

Essa ordem religiosa (que formou em 1997 a International Trappiste Association para regular a produção de suas cervejas) produz bebidas de alta fermentação, do tipo Ale, ricas e complexas, com a quantidade de malte indicada pelas expressões dubbel, trippel e quadruppel, que significa dupla, tripla e quádrupla, respectivamente.

Tipos de Cerveja
O creme da cerveja protege o líquido e conserva aromas

Um copo para cada estilo

Muito mais que marketing, a existência de variados tipos de copos valoriza o líquido que vamos beber. Para as Lagers (como a nossa popular Pilsen) é ideal que sejam servidas em copos altos, em formato de cone ou flauta com pé, para que o gás e o creme, ou espuma, tenham espaço para crescer e mostrar seu caráter. O creme tem muita importância para as cervejas, ele protege o líquido e conserva alguns dos aromas da bebida, evitando também o contato excessivamente rápido com o ar, que causa a oxidação.

Na Bélgica, onde cerveja é assunto “pra lá” de sério, todas as marcas têm seus copos específicos para cada estilo de bebida, tornando praticamente impossível falar de todos. Mas existem copos que são encontrados quase que no mundo inteiro e são capazes de realçar sua bebida. A caneca, pesada e larga, é perfeita para algumas das Pilsens e para as Ales não muito fortes.

Ela permite bastante oxigenação e pode ser bem utilizada para o chope. O copo para as cervejas de trigo é alongado, grande, alto e com a parte de cima mais volumosa que a de baixo, permitindo a cerveja se misturar com elegância. Os populares copos cilíndricos são ideais para os líquidos mais delicados e claros.

Atualmente, no Brasil, estão se popularizando os copos que parecem uma versão mais robusta dos copos de conhaque, com um pé baixo. Eles são perfeitos para cervejas fortes (como algumas Ales e Porters) e encorpadas e para aquelas que produzem bastante creme.

O copo americano baixo, ícone exemplar do boteco brasileiro, tem uma só vantagem: como sua capacidade é pouca, permite que se beba rápido e o líquido não esquente.

Sílvia Mascella Rosa

Fonte: revistaadega.uol.com.br

Tipos de Cerveja

Os principais tipos de cervejas são:

Cerveja Pilsen: a denominação Pilsener ou Pilsen é oriunda da cidade de Pils, localizado na atual República Checa, formada pela Boêmia e pela Moravia.

A cerveja Pilsen criada em 1842 nesta região apresenta uma coloração clara, de tonalidade dourada brilhante, produzido pelo processo de fermentação profunda, com teor alcoólico baixo, entre 3 e 5%, possui um teor de extrato primitivo, que varia de 11 a 13,5%. Atualmente, cerca de 60% de todas as cervejas e chopps Pilsen produzidos no mundo são deste tipo.

A denominação “pilsener" foi uma alternativa inteligente para evitar conflitos internacionais. No Brasil, o consumo de cerveja Pilsen, representa 98% do mercado, devido principalmente ao clima favorável, ficando o restante para as do tipo bock, light, malzbier e stout.

Cerveja Bock: É uma cerveja de sabor mais forte e encorpado, geralmente de coloração escura e de grande aceitação. Classificado como uma cerveja de fermentação profunda, de processo lento ou Larger.

Cerveja Stout: este tipo de cerveja é originário da Irlanda, produzido a partir de cevada torrada, que produz um malte especial (escuro) e possui um sabor amargo conferido pelo lúpulo associado ao adocicado do malte. Enquadrado como cerveja de fermentação superficial, por possuir alto teor de álcool (5 a 6,5%). Possui também elevado teor de extrato primitivo, cerca de 15%.

Cerveja Ice: criado recentemente no Canadá (1993), cuja fabricação envolve o processo “ice process”. Após a fermentação do mosto, este é submetido em temperatura inferior a zero grau, que transformam a água em finos cristais de gelo que são posteriormente retirados, produzindo assim uma cerveja mais forte e refrescante;

Cerveja sem álcool: diferencia-se da cerveja tradicional, por permanecer um período mais longo durante a etapa de decantação, que perde o álcool por volatilização;

Chope ou Chopp: segue praticamente o mesmo processo da fabricação da cerveja, entretanto, não passa pelo processo de pasteurização. Pelo fato de não terem sido pasteurizado, as leveduras remanescentes ainda estão presentes, assim, o prazo de validade é muito reduzido, em torno de 10 a 15 dias.

Fonte: www.setor1.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal