Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Titãs  Voltar

Titãs

 

Os Titãs, também conhecidos como os deuses mais velhos, governaram a terra antes que dos atletas olímpicos terem os destituídos.

O governante dos Titãs foi Cronus que foi entronizada por seu filho Zeus.

A maioria dos Titãs lutaram com Cronus contra Zeus e foram punidos por ser banido para o Tártaro.

Durante seu governo os Titãs foram associados com os vários planetas.

Titãs - Mitologia Grega

Em grego (Titán), é aproximado, em etimologia popular, de (títaks), rei (titéne), rainha, termos possivelmente de procedência oriental: Nesse Caso, Titã significaria "soberano, rei".

Carnoy prefere admitir que os Titãs tenham sido primitivamente deuses solares e seu nome se explicaria pelo "pelásgico", tita, brilho, luz. A primeira hipótase parece mais clara e adequada às funções dos violentos titãs no mito grego.

Os Titãs simbolizam, consoante Paul Diel, "as forças brutas da terra e, por conseguinte, os desejos terrestres em atitude de revolta contra o espírito", isto é, contra Zeus.

Juntamente com os Ciclopes, os Gigantes e os Hecatónquiros representam eles as manifestações elementares, as forças selvagens e insubmissão da natureza nascente, prefigurando a primeira etapa da gestação evolutiva. Ambiciosos, revoltados e indomáveis, adversários tenazes do espírito consciente, patenteado em Zeus, não simbolizam apenas as forças brutas da natureza, mas lutando contra o espírito exprimem a oposuição à espiritualização harmonizantes. Sua meta é a dominação, o despotismo.

História

O que se diz de mitologia greco-romana é mais a história dos deuses do que a experiência mítico-religiosa dos gregos e romanos. Em linhas gerais, vamos contar um pouco desta fabulosa história.

No princípio, conforme as crenças gregas, havia um grande vazio chamado Caos, o ilimitado e indefinido...

Desta imensidão surgiu Gaia (Gaea) ou Titéia (a Terra). Como primeiro corpo sólido, Gaia limitou o espaço indefinido e o separou. Abaixo da Terra, ficaria o Érebo, a morada das sombras. Acima dela, Urano ou Céu, o céu estrelado, nascido da própria Gaia. Sozinha, Gaia também gerou as montanhas, as ninfas e o mar.

A noite já havia surgido no espaço...

Assim também surgira Eros ou Cupido - o amor universal (a força geradora do cosmos, a união). Nenhuma força agora poderia fecundar sozinha. Deste modo, sempre que Urano descia à Gaia, ela era fecundada.

Desta união surgiu a primeira população da terra.

Ela deu à luz aos Titãs (forças incontroláveis da natureza), aos Cíclopes, monstros de um só olho e os Hecatônquiros, gigantes de cem braços e cinqüenta cabeças.

Quem eram

Os Titãs eram doze: seis homens e seis mulheres.

Mas outra versão diz que Urano e Gaia tiveram 6 filhos...

Têmis - a justiça
Mnemósine - a memória universal
Tétis ou Tethys - a alma feminina do mar
Réia ou Rhea (Cibele) - mulher de Cronos
Phoebe - (de Coeus e Phoebe nasce Leto)
Oceano ou Oceanus - alma masculina do mar - (a versão de 6 filhos diz que de Oceanus com Tethys nasce Iapetus)
Hipérion - o fogo astral
Iápeto ou Iapetus - pai de Atlas - (a versão de 6 filhos diz que Iapetus é pai de Prometeu também)
Prometeu - quem deu o fogo dos deuses aos homens
Epimeteu ou Epimetheus
Cronos ou Saturno - o senhor do tempo
Coeus - (de Coeus e Phoebe nasce Leto)

Como Urano não agüentasse a feiúra de seus próprios filhos, decide encerrá-los no centro de Gaia. Cansada de tanta fecundação e irritada por ver seus filhos trancafiados dentro de suas entranhas, Gaia planeja uma vingança contra Urano.

Chama os Titãs e lhes pede ajuda para derrubar Urano, mas todos se recusam, exceto Cronos.

Este, parte então para enfrentar seu pai, Urano, que vem novamente à Gaia, Cronos sai de seu esconderijo e trava dura batalha com ele. Com sua foice derrota o pai e lhe arranca os testículos que são arremessados ao mar, do sangue de Urano, nascem as Melíades, ninfas dos carvalhos e as Erínias, vingadoras de crimes semelhantes aos cometidos por Cronos.

Cronos, assim, torna-se o senhor do universo, acima de todos os outros Titãs. Ele se casa com sua irmã, Réia e tem seis filhos. Ao descobrir que um de seus filhos o destruiria, Cronos passa a devorá-los assim que nascem.

São eles:

Héstia ou Vesta - deusa casta dos lares, a grande mãe e protetora de todas as mulheres casadas. Mediadora da integração psicológica; centro religioso; religiosidade; virgem venerável; ritual de fogo; significa uma lareira (na Grécia antiga significava um culto a alguma coisa, um ritual, estar em volta de uma lareira), para a felicidade de um casal é necessário ter uma lareira ou um altar; continuidade; consciência partilhada e identidade comum; presença espiritualmente sentida; donas de casa; deusa do lar; interior; anonimato; monges e freiras; pureza absoluta; percepção focalizada no mundo interior; concentração; discriminação; desapego das pessoas; sem ambição; auto suficiência.
Hades ou Pluto (Plutão) -
o senhor dos infernos
Possêidon ou Netuno -
é representado com seu tridente, sempre rodeado por nereidas e outras criaturas marinhas, torna-se o senhor dos mares.
Zeus ou Júpiter -
deus da luz e do céu.
Hera ou Juno -
deusa, esposa de Zeus.
Deméter ou Ceres
- deusa da agricultura e das colheitas ensinou os homens a arte de cultivar a terra.

Réia, descontente com isso, esconde um de seus filhos, Zeus e em seu lugar entrega uma pedra que é rapidamente devorada por Cronos, que não percebe a tramóia.

Zeus então, foge e vai de encontro com os Titãs e outras criaturas para derrotar Cronos. Durante mais de dez anos, Júpiter luta contra Cronos até finalmente derrotá-lo. Após sua vitória, ele consegue recuperar vivos os seus irmãos devorados.

Zeus, agora, governa o mundo, seu reino foi instalado no Monte Olimpo (sinônimo de céu para os gregos).

Com Hera, ele teve:

Ares, também conhecido como Marte, o deus da guerra (personagem de inúmeras aventuras, foi amante de Afrodite, com quem teve dois filhos: Deimod e Fobos).
Hefestos ou Vulcano,
deus do fogo, da metalurgia e das fornalhas, artesão dos deuses, era o mais feio mas em contra partida o mais habilidoso, entre seus muitos dons estava a incrível maestria com que forjava metais - Hefestus is often said to be only Hera’s son.
Hebe,
a qual foi esposa de Héracles (Hércules).
Eileithyia

Mas Zeus era insaciável e partiu para outras conquistas amorosas... Com Deméter, teve Perséfone ou Prosérpina, esposa de Hades.

Com Latona ou Leto (deusa) têm dois filhos gêmeos: Apolo ou Febo (Sol) deus das artes, músicas e poesias e Ártemis ou Diana deusa da caça.

Afrodite ou Vênus - nasce das espumas do mar com o esperma de Zeus, deusa do amor e beleza física, é a patrona dos amantes e apaixonados; outra versão diz que Zeus teve Afrodite com a deusa Dione - Afrodite is usually said to be born of sea form.

De sua cabeça, cérebro, nasceu Atena ou Minerva, a deusa da sabedoria e do bom senso, filha idealizada e predileta de Zeus. Muitas cidades da Grécia antiga se colocaram sob sua proteção, entre elas, Atenas, onde seu culto era perpetuamente honrado.

Com Sêmele (mortal) teve Dioniso ou Baco, deus do vinho e do delírio místico; com Alcmena (mortal) teve Herácles ou Hércules; com Maia (deusa) teve Hermes ou Mercúrio. Entre estas e várias outras conquistas amorosas, Hera manteve-se sempre ciumenta e por vezes, vingativa. Mas ela sempre continuou fiel ao seu esposo...

Quem eram

Os Titãs foram 12 dos filhos dos primitivos senhores do universo, Gaia e Urano.

Seis eram do sexo masculino - Oceano, Ceo (pai de Leto), Crio, Hipérion, Jápeto (pai de Prometeu) e Cronos - e seis do feminino - Téia, Réia (mãe dos deuses do olímpo), Têmis (a justiça), Mnemósine (a memória), Febe (a Lua) e Tétis (deusa do mar). Tinham por irmãos os três hecatonquiros, monstros de cem mãos que presidiam os terremotos, e os três Ciclopes, que forjavam os relâmpagos.

Urano não gostava dos Ciclopes e dos Hecatonquiros por isto os prendeu no Tartáro. Gaia então instigou entre seus filhos a revolta. Foi Cronos, o mais jovem, que assumiu a liderança da luta contra Urano e, usando uma foice oferecida por Gaia, castrou seu pai. O sangue de Urano, ao cair na terra, gerou os gigantes; da espuma que se formou no mar, nasceu Afrodite.

Com a destituição de Urano, os titãs libertaram os outros irmãos e aclamaram rei a Cronos, que desposou sua irmã Réia e voltou a prender os hecatonquiros e os ciclopes no Tártaro.

A Titanomaquia

Cronos foi advertido de que assim como aconteceu com seu pai ele também seria destronado por um de seus filhos, então passou a devora-los quando nasciam; assim ele o fez com Deméter, Hera, Hades, Ares e Posídon. Quando Zeus násceu, Réia deu uma pedra para Cronos no lugar do seu sexto filho, que ocultou numa caverna na ilha de Creta. Ao atingir a idade adulta, Zeus decidiu destronar o pai, conforme a antiga profecia.

A primeira aliada de Zeus foi a oceânide Métis, personificação da sabedoria (ou, talvez, da astúcia...). Métis enganou Crono, fazendo-o beber uma poção que o obrigou a vomitar Héstia, Deméter, Hera, Hades e Posídon, os filhos engolidos. Zeus conseguiu ainda libertar os ciclopes, seus tios, que se juntaram a ele e aos irmãos.

Armado com o relâmpago (presente dos ciclopes) e recoberto com a égide (possivelmente a pele da cabra Amaltéia, já morta), Zeus enfrentou Crono e os outros titãs. Do lado de Zeus, além dos irmãos e dos tios (os ciclopes), estavam as oceânides Métis e Estige, os filhos de Estige (Zelo, Niké, Cratos e Bias) e Prometeu, filho de Jápeto. Do lado dos titãs, as operações foram conduzidas por Atlas.

Após dez anos de luta, a um conselho de Gaia, Zeus libertou também os poderosíssimos hecatônquiros. Com mais esses aliados, os titãs foram finalmente derrotados e expulsos do céu.

Titãs
A batalha entre os Deuses e os Titãs

O Olimpo

Com a vitória, Zeus se tornou o soberano dos Deuses e passou a governar o universo no Monte Olimpo, uma montanha mistica que se estendia além da terra. A Poseidon ele concedeu o domínio sobre as águas e a Hades o inferno de Tartáro.

O novo soberano prendeu os titãs vencidos no Tártaro, eternamente vigiados pelos hecatônquiros, e condenou o poderoso Atlas a sustentar eternamente a abóbada celeste

Os Deuses Olimpicos

Dentre os principais deuses olímpicos, doze eram mais importantes e mais poderosos que os demais: seis filhos do titã Crono, seis filhos de Zeus e uma deusa, Afrodite, nascida do semem de Urano.

O principal deus é Zeus, o pai e rei dos deuses e dos homens. Cultuado em toda a Grécia, é o guardião da ordem e dos juramentos, senhor dos raios e dos fenômenos atmosféricos. Hera, irmã e esposa de Zeus, preside os casamentos, os partos, protege a família e as mulheres. Atena, ou Palas Atena, nasce da cabeça de Zeus, já completamente armada. É a deusa da inteligência, das artes, da indústria e da guerra organizada. Apolo, filho de Zeus e da deusa Leto, é o deus da luz da juventude, da música, das artes, da adivinhação e da medicina. Dirige o "carro do Sol" e preside os oráculos. Artemis, irmã gêmea de Apolo, é a deusa-virgem, símbolo da vida livre, das florestas e da caça. Afrodite, deusa da beleza, do amor e da volúpia sexual, é casada com Hefesto ou Hefaísto, filho de Zeus e de Hera, feio e disforme, protetor dos ferreiros e dos ofícios manuais. Hares (Ares), filho de Zeus e Hera, é o deus da guerra violenta. Poseidon ou Posídeon, irmão de Zeus, é o deus do mar. Hades, irmão de Zeus, governa a vida após a morte e a região das trevas - espécie de inferno grego. Deméter é a deusa da agricultura. Dionísio, deus da videira e do vinho. Hermes, filho de Zeus e da ninfa Maia, é o mensageiro dos deuses, protetor dos pastores, dos negociantes, dos ladrões e inspirador da eloqüência.

No Olimpo, os deuses passavam o tempo em maravilhosos palácios, eternamente em festa. Comiam a ambrósia e bebiam o néctar, alimentos exclusivamente divinos, ao som da lira de Apolo, do canto das Musas e da dança das Cárites.

Titãs - Gigantes

Os poderosos Titãs eram uma raça poderosa que governou o mundo antes que os atletas olímpicos, no tempo da Idade de Ouro dos homens. E

les eram gigantes imortais de incrível força e conhecimento dos antigos rituais de religião e magia. Eles também são conhecidos como os Deuses Antigos e sua morada era Monte Ótris. Na cultura grega, eles foram interpretados como personificações da Terra (Gaia) eo céu ou céus (Urano).

A primeira geração de Titãs eram descendentes de Gaia e Urano que originalmente deu à luz Doze Titãs, seis homens e seis mulheres. Os machos foram Coeus, Cronos, Crius, Hyperion, Iapetus e Oceanus, enquanto as fêmeas foram Mnemosine, Febe, Rhea, Theia, Themis, Tethys. Alguns irmãos e irmãs consorciado com o outro, enquanto outros aderiram a filhos e filhas de seus parentes e deu à luz a segunda geração de titãs. Hyperion e Theia deu à luz Eos, Helios e Selene, enquanto Coeus e Phoebe deu à luz Leto e Asteria. Oceanus e Tétis deu à luz Oceanids e Potamoi que não são em geral referido como titãs. No entanto, Oceanid Clymene, filha de Oceano e Tétis, ajudou Iapetus para continuar a próxima geração de titãs e lhe deu Atlas, Prometeu, Epimeteu e Menoetius. Crius e sua meia-irmã euríbia, filha de Gaia e Pontus, deu à luz a Astraeus, Pallas e Perses. E, finalmente, em idades posteriores Cronos e Réia deu à luz a jovens deuses, Zeus, Hades, Poseidon, Hera, Hestia e Demeter que se rebelaram contra Cronos e seus seguidores.

Fonte: edweb.sdsu.edu/www.greek-gods.org/br.geocities.com

Titãs

História

Para alguns estudiosos, as histórias que falam sobre a existência de gigantes vivendo em nosso planeta em épocas recuadas da história são apenas simbólicas, fazendo parte da mitologia dos povos.

Outros, no entanto, entendem que essas narrativas têm ou podem ter um fundo de verdade.

O estranho dessa questão é que os relatos podem ser encontrados nos antigos textos do Oriente Médio, África, Ásia, Europa, América do Sul, Central e Oceania. Com variações, é verdade, mas basicamente as mesmas histórias, como ocorre também com as narrativas sobre o dilúvio.

A Bíblia, por exemplo, cita os gigantes no Gênesis, chamando-os de nefilim – eles viviam na Terra na época em que os filhos de Deus se uniram às filhas dos homens. Gigantes vivendo na Terra também são citados em outras passagens da Bíblia.

No entanto, muitos pesquisadores modernos refutam essa versão. É o caso do escritor ZechariaSitchin. Para ele, assim como para muitos estudiosos do hebreu, o erro ocorreu na tradução dos textos bíblicos, com a palavra nephilim sendo transformada em "gigantes", quando na verdade significa "aqueles que vieram para baixo ou desceram". Em alguns trechos da Bíblia, percebe-se que nefilim é plural, pois eles são os "filhos dos deuses".

Os gigantes também são partes importantes da mitologia grega e de outros povos. Na gigantomaquia grega – a guerra entre os deuses do Olimpo – eles são apresentados como os filhos de Urano e Gaia, e um deles, Enceladus, ainda estaria preso nas profundezas da Terra.

Também eram considerados gigantes os ciclopes e os titãs.

Um desses titãs, por exemplo, era Albion, filho de Posseidon e irmão de Atlas; era o nome pelo qual era conhecida a Grã-Bretanha antigamente e, segundo a mitologia, o titã governou lá por 40 anos, até ser morto por Hércules.

Na Escócia, existem lendas que se referem à chegada de seres gigantes à ilha, quando ainda era desabitada. Na Irlanda, fala-se sobre os gigantescos Fomoire, vindos de uma nação marítima anterior ao dilúvio, e que fizeram uma aliança com os Tuatha-De-Danann, outra raça misteriosa que teria alcançado a ilha vinda de um local misterioso.

Na mitologia nórdica, os gigantes surgem como opositores aos deuses, mas em certos aspectos também têm um relacionamento de parentesco com eles. Diz-se que a própria raça dos homens nasceu da carne do gigante Ymir.

Deste lado do Atlântico, a mitologia maia faz referências aos gigantes, vistos como deuses; dois deles foram chamados Atlan e Theitani, nomes que alguns pesquisadores ligam aos nomes de Atlas e aos Titãs da mitologia grega.

No Peru, é atribuída ao grande deus dos incas, Viracocha, a criação dos gigantes. Mais tarde, como eles o desagradaram, mergulhou-os num grande mar, uma narração que lembra a do dilúvio.

Uma série de supostas descobertas arqueológicas serviriam como base de sustentação das teorias de que seres gigantes realmente existiram na Terra: um esqueleto de um homem com 5,18 metros, achado nas Filipinas; ossadas de seres com 3 metros de altura, na China; seres com cerca de 3 metros, nos Andes.

Alguns pesquisadores chegaram a defender a ideia de que as chamadas construções ciclópicas do planeta – como as de Tiahuanaco, entre o Peru e a Bolívia – foram elaboradas por raças de gigantes. O escritor Peter Kolosimo, por exemplo, citou a descoberta, em Agadir, no Marrocos, de um arsenal de machados 20 vezes mais pesados do que os machados "convenientes" para um homem moderno manusear; seria necessário que os seres tivessem quatro metros de altura.

Esse conceito, na verdade, vem de mais longe.

O historiador SaxoGrammaticus (1150-1220) já dizia que os gigantes deveriam ter existido, pois nada mais poderia explicar a profusão de construções gigantescas existentes em toda a Europa.

Em geral, arqueólogos e historiadores refutam essa visão, entendendo que as evidências nesse sentido são praticamente nulas, restringindo-se às lendas e mitologias.

Titãs
Os gigantes dominam Freya. Ilustração de Arthur Rackham para a primeira parte de O Anel dos Nibelungos, de Richard Wagner

Titãs
David e Golias (Osmar Schindler, 1888)

Gilberto Schoereder

Fonte: www.mondo-x.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal