Breaking News
Home / Geografia / Desertificação

Desertificação

PUBLICIDADE

Definição de Desertificação

Desertificação refere-se à degradação persistente de ecossistemas secos por variações climáticas e as atividades humanas.

Os declínios na produtividade podem ser o resultado de mudanças climáticas, desmatamento, sobrepastoreio, pobreza, instabilidade política, práticas de irrigação insustentáveis ou combinações desses fatores.

O conceito não se refere à expansão física dos desertos existentes, mas sim aos vários processos que ameaçam todos os ecossistemas de sequeiro, incluindo desertos, bem como pastagens e matagais.

Não é segredo para ninguém que as interferências dos seres humanos na natureza podem trazer graves problemas a saúde do ambiente, principalmente quando não é pautado de forma planejada que objetive construir relações harmônicas, que geralmente desconhecem ou ignoram a dinâmica da natureza.

Isto acaba tendo como consequência diversos problemas, inclusive ao que se refere nas formas de ocupações humanas na paisagem.

Um caso que preocupa constantemente os pesquisadores está ligado a desertificação. Processo este que pode ser natural, mas que pode ser intensificado pelas ações antrópicas.

Desta forma e em linhas gerais, pode-se dizer que desertificação é um processo de degradação e desgaste de muitas áreas da superfície terrestre causadas pelas interferências na natureza, sobretudo, pelas oscilações ou variações climáticas e pelas relações humanas inconscientes que se desenvolvem no espaço, afetando homens e mulheres.

Tal conceito foi construído pelas Organização das Nações Unidas (ONU) em uma convenção no qual discutiam os problemas e o combate à desertificação.

DesertificaçãoDesertificação

Nesta convenção, pesquisadores indicaram que em diversas partes do planeta, cerca de 60 mil quilômetros quadrados de terras anuais sofrem com esse processo.

E este número tende a aumentar devido as interferências provocadas pelas ações dos seres humanas nos elementos da paisagem, por meio do desmatamento, da agricultura, da pecuária, da mineração e do avanço das cidades e das industrias, poluindo os solos e causando mudanças na dinâmica climática e atmosférica.

Consequências

Desertificação

Tendo como principais consequências danosos, a perda e até mesmo extinção da biodiversidade, a salinização e alcalinização dos solos, redução do potencial hídrico dos mananciais, maiores processos erosivos, redução de nutrientes do solo que permitem o desenvolvimento da agricultura e problemas na saúde humana.

Nos últimos anos, os continentes mais atingidos por esse processo são: América, principalmente em sua porção Sul, a África em sua zona Oeste, Norte e Sul, o Ásia Central e o Sul da Oceania.

Um caso marcante é o Sul do Brasil, cuja a retirada da vegetação que compõe o bioma daquela região e o não manejo dos solos para a agricultura, associadas as mudanças climáticas vem acarretando graves problemas a população e ao meio ambiente. As regiões Nordeste e Centro-Oeste do país também sofrem constantemente com esse processo, pois além de serem áreas vulneráveis para a desertificação devido a sua semiaridez, as atividades humanas ao longo da história de ocupação só modificaram e nada contribuíram para a minimização.

Prevenção

Entre as práticas que combatem esse processo, as principais entre elas dizem respeito ao manejo adequado dos solos, preservação dos recursos florestais ainda existentes e prática sustentável, que poucas nações e países seguem.

O que é Desertificação?

desertificação é um processo em que a terra arável semi-árida se transforma em deserto, incapaz de sustentar a vida vegetal ou animal. Embora a desertificação possa ser causada por processos naturais, como as mudanças climáticas, é geralmente aceito que as influências humanas estão acelerando muito a taxa de desertificação em todo o mundo.

À medida que as pressões sobre a Terra aumentam devido ao aumento populacional e ao aquecimento global, estima-se que a taxa de desertificação pode começar a aumentar rapidamente, e já está causando sérios problemas sociais e ambientais em algumas nações africanas.

Desmatamento contribui para o aumento da desertificação

Nos Estados Unidos, um dos exemplos históricos mais famosos de desertificação é o Dust Bowl da década de 1930, embora a rápida destruição de pastagens no oeste americano seja comparável.

Na África, a rápida expansão do Saara e a grave desertificação que ocorre na região do Sahel, na África Ocidental, estão sendo citados por inúmeras organizações humanitárias como questões preocupantes.

Para os humanos, a redução de terras utilizáveis por meio da desertificação tem um sério impacto, especialmente sobre os povos indígenas empobrecidos que não podem se adaptar prontamente a novos sistemas de vida.

desertificação geralmente começa em condições de seca, embora nem sempre ocorra durante a seca. A camada superior das plantas resistentes é removida da terra, o que significa que não há raízes para segurar o solo. Os ventos carregam o solo nutritivo para outro lugar, deixando areia para trás e formando grandes montes de areia e material vegetal morto que invadem a civilização humana. Os animais são incapazes de procurar alimento nessas condições, o que significa que os povos nômades perdem grande parte de seus rebanhos e, como toda a vida das plantas está morta, fontes alternativas de alimento não estão disponíveis.

O solo também corre um maior risco de inundações e a erosão começa a obstruir as fontes de água próximas com solo.

mudança climática é obviamente um fator de desertificação, mas também o são as práticas humanas prejudiciais, como a irrigação mal praticada, que concentra sais no solo e mata as plantas.

Além disso, o desmatamento e a retirada de todas as plantas disponíveis da terra também contribuem para o problema.

Especialmente nas delicadas zonas de transição entre o deserto árido e as terras totalmente aráveis, a desertificação pode acontecer muito rapidamente e ser totalmente irreversível.

À medida que a camada superficial do solo desaparece junto com as plantas, o deserto é incapaz de reter o mínimo de abastecimento de água e rapidamente se torna totalmente árido.

Esforços estão sendo feitos por muitas organizações humanitárias, incluindo as Nações Unidas, para interromper a desertificação e tentar recuperar terras utilizáveis.

Isso inclui educação sobre o uso da terra e táticas de recuperação, como embutir esteiras de palha e paredes de contenção no solo em um esforço para evitar que ele se espalhe.

Plantas com raízes robustas também estão sendo plantadas em um esforço para segurar o solo.

Numerosas campanhas para acabar com a fome também estão envolvidas, já que a desertificação apresenta sérios riscos para uma nutrição adequada: os embarques de alimentos e educação nutricional são fornecidos às áreas que estão passando pela desertificação, na esperança de que o fornecimento de alimentos dê uma chance de recuperação às delicadas áreas de transição.

Desertificação

Fonte: Gean Alef Cardoso/www.carbonbrief.org/www.activesustainability.com/www.wisegeek.org/esdac.jrc.ec.europa.eu/earthobservatory.nasa.gov/www.greenfacts.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Mapas Temáticos

PUBLICIDADE Definição de Mapas temáticos Um mapa temático mostra a distribuição espacial de um ou mais temas …

Geofísica

Geofísica

Definição de Geofísica PUBLICIDADE Geofísica é a aplicação da física para estudar a Terra, os oceanos, …

Processos geológicos

Processos geológicos

Definição – Processo geológico PUBLICIDADE Processos geológicos são eventos que ocorrem em uma escala de tempo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.