Breaking News
Home / Geografia / Era Cenozóica

Era Cenozóica

PUBLICIDADE

Era Cenozóica – Definição

O Cenozóico, a era mais recente, é caracterizado por mamíferos, que sobreviveram à extinção em massa que matou os dinossauros e passou a dominar o planeta. Os pássaros, que evoluíram de um grupo de dinossauros terópodes, evoluíram para assumir o controle do céu, enquanto peixes e baleias ocuparam os mares. Os mamíferos de todos os tamanhos evoluíram, embora no geral fossem menores do que os dinossauros. Diversas linhas de predadores e herbívoros mamíferos evoluíram, culminando com a evolução dos seres humanos, a espécie mais inteligente que o planeta já viu.

A Era Cenozóica é a mais recente das três principais subdivisões da história animal. As outras duas são as eras mesozóica e paleozóica. O Cenozóico abrange apenas cerca de 65 milhões de anos, desde o final do período Cretáceo e a extinção dos dinossauros não-aviários até o presente. O Cenozóico às vezes é chamado de Idade dos Mamíferos, porque os maiores animais terrestres foram os mamíferos naquela época. Esse é um nome impróprio por vários motivos. Primeiro, a história dos mamíferos começou muito antes do início do Cenozóico. Em segundo lugar, a diversidade da vida durante o Cenozóico é muito maior do que a dos mamíferos. O Cenozóico poderia ter sido chamado de “Idade das plantas com flores” ou “Idade dos insetos” ou “Idade dos peixes teleósteos” ou “Idade dos pássaros”

O Cenozóico (65,5 milhões de anos atrás até o presente) é dividido em três períodos: o Paleógeno (65,5 a 23,03 milhões de anos atrás), Neógeno (23,03 a 2,6 milhões de anos atrás) e o Quaternário (2,6 milhões de anos atrás até o presente). Paleogene e Neogene são termos relativamente novos que agora substituem o termo obsoleto, Terciário. O Paleógeno é subdividido em três épocas: o Paleoceno (65,5 a 55,8 milhões de anos atrás), o Eoceno (55,8 a 33,9 milhões de anos atrás) e o Oligoceno (33,9 a 23,03 milhões de anos atrás). O Neógeno é subdividido em duas épocas: o Mioceno (23,03 a 5,332 milhões de anos atrás) e o Plioceno (5,332 a 2,588 milhões de anos atrás).

Estratigrafia

Os conceitos de Terciário e Quaternário têm uma história interessante. Nas décadas de 1760 e 1770, um geólogo chamado Giovanni Arduino estava estudando as rochas e minerais da Toscana. Ele classificou as montanhas de acordo com o tipo de rochas que encontrou nelas. Xistos, granitos e basaltos não fossilíferos (todas rochas vulcânicas) que formavam os núcleos de grandes montanhas que ele chamou de primitivos. Rochas ricas em fósseis de calcário e argila que foram encontradas nos flancos das montanhas sobre as rochas primitivas foram chamadas de secundárias. Finalmente, havia outro grupo de rochas fossilíferas de calcário e arenito estendendo-se sobre as rochas secundárias e formando o sopé das montanhas que Anduino chamou de Terciária. Portanto, a princípio, Terciário se referia a um certo tipo de rocha encontrada na região da Toscana. Mas depois, geólogos usaram os fósseis encontrados nas rochas terciárias para reconhecer rochas da mesma idade em outros lugares. Rochas com as mesmas espécies de fósseis tinham a mesma idade.

Era Cenozóica ou Idade dos Mamíferos

Durante os 65 milhões de anos da Era Cenozóica ou Idade dos Mamíferos que o mundo assumiu sua forma moderna. Invertebrados, peixes, répteis eram essencialmente modernos, mas mamíferos, pássaros, protozoários e ainda plantas com flores evoluíram e se desenvolveram durante este período.

A Era Cenozóica é dividida em dois períodos muito desiguais, o Terciário (que compõe quase todo o Cenozóico), e o Quaternário que é somente os últimos dois milhões de anos. O Terciário é dividido em dois sub-períodos o Paleógeno e o Neógeno.

Geosfera

Durante o Cenozóico a fragmentação das massas de terra continental que iniciou no Mesozóico continuou até a sua configuração atual. Começando na separação que iniciou no fim do Jurássico e inicio do Cretáceo, onde se separaram a África da América do Sul e a Austrália da Antártica. Assim a Gondwana deixa de existir como um supercontinente. A América do Norte separa-se da Europa, aumentando o Oceano Atlântico. A África moveu-se em direção norte para Eurásia, fechando o Oceano de Tethys e criando os Alpes. A Índia colidiu com a Ásia, formando o Himalaia. A Índia durante o Cretáceo, se separou da Gondwanaland e se torna um Continente Ilha que vagueia em direção ao norte para a Ásia. No Neógeno os continentes já se encontravam quase nas posições presentes.

Clima

Durante o Paleógeno o clima mundial era tropical morno, semelhante ao encontrado no Mesozóico. O Neógeno viu um esfriamento drástico no clima do mundo, possivelmente causado pelo soerguimento do Himalaia. Durante o período Quaternário o clima frio continuou resultando na idade do gelo, ou uma série de idades do gelo com períodos mornos.

Biosfera

Paleógeno 

O Paleógeno viu a diversificação de muitos mamíferos e pássaros, enquanto se encontravam em condições tropicais. Durante o Paleógeno Inferior os continentes estavam isolados através de mares rasos, e linhagens diferentes de Mamíferos evoluíram em cada um, mamíferos estes que ainda incluíram muitas formas gigantes semelhante aos rinocerontes atuais, os uintatérios da Ásia e América do Norte, brontotérios e arsinotérios africanos. Haviam enormes pássaros carnívoros não voadores, os diatrymideos da Laurásia e o Sul com os Phorusrhacideos. Todos estes animais viviam em florestas tropicais.

Os crocodilianos sobreviveram aos dinossauros e a extinção do Cretáceo-terciário.

Nos mares apareceram as primeiras baleias dentadas arcaicas.

Protistas marinhos gigantescos, (foram iníferos) do tamanho de lentilhas evoluíram durante o Eoceno.

Bivalves e moluscos gastrópodes eram basicamente os mesmos de hoje. Os nautilóides experimentaram a última radiação evolutiva moderada no Paleogeno. Formas transitivas ancestrais de cefalópodes e de coleóides modernos evoluíram.

Equinodermos, corais, briozoários, insetos e esponjas eram basicamente modernos. Formigas eram até mesmo então mais numerosas do que são hoje.

Neógeno

Durante o Neógeno evoluem mamíferos modernos e plantas com flores, como também muitos mamíferos estranhos. A coisa mais surpreendente que aconteceu durante o Neógeno Inferior foi a evolução dos gramados. Isto conduziu à evolução de animais adaptados a vida nas savanas e pradarias.

Os cavalos e animais de pasto conquistaram uma história de sucesso durante o Neógeno. Ainda havia, porém muitos animais de floresta.

Os Mastodontes viveram em todos os continentes menos na Austrália. Muitos mamíferos estranhos, litopternos, notoungulatos, boriaenas, evoluíram em isolamento na América do Sul antes de uma ponte de terra que permitiu uma invasão das formas do norte. Enquanto isso durante o Neógeno Superior Hominídeos apareceram nas savanas da África, os Australo pithecineos.

Os oceanos estavam habitados por baleias modernas que tinham substituído as baleias dentadas arcaicas. Eles eram os animais mais inteligentes do tempo, mas eles nunca desenvolveram o uso de ferramentas. Também nos mares apareceram os maiores tubarões carnívoros, Charcharodon, um antecessor do Tubarão Branco moderno, mas muito maior e mais pesado.

Quaternário

O período Quaternário viu a flora e a fauna de insetos ser essencialmente moderna. Contudo muitos tipos de mamíferos extintos ainda existiam, e geralmente de grande porte, que sobreviveu ate a idade do gelo do Pleistoceno.

Fonte: www.geocities.com/wisegeek.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Energia Fotovoltaica

PUBLICIDADE Energia Fotovoltaica – O que é Os materiais e dispositivos fotovoltaicos convertem a luz …

Geleiras

PUBLICIDADE Geleiras – O que são As geleiras são formadas de neve que, ao longo …

Mapas Temáticos

PUBLICIDADE Definição de Mapas temáticos Um mapa temático mostra a distribuição espacial de um ou mais temas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.