Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Geografia / Hidrografia

Hidrografia

PUBLICIDADE

A Organização Hidrográfica Internacional define hidrografia como “o ramo da ciência aplicada que trata da medição e descrição das características físicas da parte navegável da superfície da Terra [mar] e as zonas costeiras adjacentes, com especial referência à sua utilização para fins de navegação “.

Definição

A ciência da medição, descrição e mapeamento das águas superficiais da Terra, com especial referência ao seu uso para navegação.

O que é hidrografia?

“Hidrografia é o ramo da ciência aplicada que trata da medição e descrição das profundezas, marés, correntes e as características físicas das águas navegáveis e zonas costeiras adjacentes, com especial referência à sua utilização para fins de segurança da navegação.”

Hidrografia é a ciência que lida com a medição e descrição das características físicas dos corpos de água e as áreas de terras que são afetadas por esses corpos de água.

Um levantamento hidrográfico podem ser realizados para suportar uma variedade de atividades: mapeamento náutico, porto e manutenção portuária (dragagem), engenharia costeira (erosão da praia e estudos de reposição), a gestão das zonas costeiras, e desenvolvimento de recursos marítimos.

A um tipo comum a todos os levantamentos hidrográficos de dados é a profundidade da água. Outro motivo de preocupação para a maioria das pesquisas é a natureza do material do fundo do mar (ou seja, areia, lama, rocha), devido a suas implicações para a ancoragem, dragagem, construção de estrutura, tubulação e cabo de roteamento e habitat das pescas.

O uso primário de levantamentos hidrográficos é para cartografia náutica.

Fonte: oceanservice.noaa.gov

Hidrografia

O que é hidrografia?

Hidrografia é a medição de várias características físicas dos oceanos (ou outras águas), tais como a profundidade de fundo, as correntes e as ondas.

Apesar de levantamentos hidrográficos eram tradicionalmente realizados com o objetivo de produzir cartas de navegação, hoje em dia essas pesquisas são usados em muitas aplicações da indústria de petróleo e gás, para atividades de lazer e indústria pesqueira.

Por que é importante hidrografia?

Os oceanos são um recurso extremamente importante, cobrindo mais de 70% da superfície da Terra e os nossos usos do mar estão aumentando o tempo todo.

Portanto, é necessário que saibamos o que está acontecendo nos oceanos, mas com a maioria ainda unsurveyed Isso significa que precisamos de inspetores hidrográficas!

Onde hidrografia funciona?

Existem vários tipos diferentes de organizações que empregam hidrografia, como a Agência Nacional de gráficos, autoridades portuárias, companhias de Contrato, ou você pode até mesmo ser freelance.

Fonte: www.hydrographicsociety.org

Hidrografia

O que é hidrografia?

Ramo de Ciências Aplicadas, que trata da medição e descrição dos recursos do mar e zonas costeiras para o objetivo principal de navegação e todos os outros fins e atividades, incluindo atividades offshore, pesquisas de Protecção de ambiente e serviços de previsão marinhos.

Qual é a utilidade de levantamento hidrográfico?

O principal objetivo da realização de um levantamento hidrográfico é produzir Cartas Náuticas manuais e digitais (Carta eletrônica de navegação), o que dá uma completa, precisa e de fácil compreensão e atualizada imagem da área de estudo.

Uma porção de informações complementares que são necessários para a inclusão nos “Roteiros”, lista de luzes etc também podem ser obtidos durante a realização do levantamento hidrográfico. No entanto, no uso moderno pode incluir ampla variedade de outros objetivos, como a medição de marés, as correntes, a gravidade, o magnetismo da Terra e determinações das propriedades físicas e químicas da água.

Fonte: nhsgoa-india.gov.in

Hidrografia

Hidrografia é uma ciência que pesquisa e mapeia toda a água da superfície da Terra, mostrando a profundidade das águas, a velocidade e a direção das correntes. A palavra “hidrografia” também é utilizada para descrever as redes que os rios formam em determinados espaços geográficos.

Por exemplo: a rede hidrográfica brasileira (ou a hidrografia brasileira), a hidrografia do Pantanal, a hidrografia da Amazônia etc.

Fonte: www.klickeducacao.com.br

Hidrografia

A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo portanto rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera. A grande parte da reserva hídrica mundial (mais de 97%) concentra-se em oceanos e mares, com um volume de 1.380.000.000 km³. Já as águas continentais representam pouco mais de 2% da água do planeta, ficando com um volume em torno de 38.000.000 km³.

Os mapas dos mares e das partes navegáveis dos rios servem não apenas para mostrar a profundidade das águas, mas também a amplitude das marés, velocidade e direção das correntes, a forma do litoral e até a natureza do fundo do mar, para fins de navegação. Esses dados oceanográficos obtidos com esse estudo, têm sido úteis para pesquisas submarinas, procura de petróleo e gás natural.

Hidrografia
Diagrama de barras da distribuição da água na Terra

O volume global de água da Terra é estimado em 1,42 milhões de metros cúbicos e abrange oceanos, mares, geleiras, águas do subsolo, lagos, água da atmosfera e rios. Os oceanos e mares ocupam 71% da área do globo. As águas continentais possuem um volume total de 38 milhões de km cúbicos, cerca de 2,7% da água do planeta. A água doce congelada (geleiras e calotas polares) corresponde a 77,2% das águas continentais; a água doce armazenada no subsolo (lençóis freáticos e poços), 22,4%; a água dos pântanos e lagos, 0,35%; a água da atmosfera, 0,04% e a água dos rios, 0,01%.

Oceano: Vasta extensão de água salgada que cobre a maior parte da Terra e envolve os continentes. Os oceanos são importantes fontes de recursos para a humanidade. Eles apresentam reservas de minerais, além de petróleo, gás natural, enxofre e potássio no interior das rochas.

Mares: São diferentes dos oceanos pela dimensão e posição geográfica. São consideradas partes dos oceanos, localizando-se entre limites continentais. Também são menos profundos, variam a salinidade, densidade, temperatura e transparência das águas.

Lagos: São depressões do solo cheias de água e podem ou não possuir ligação com o mar. Alguns ficam no interior de bacias fechadas. Outros, por sua grande extensão e água salgada, são chamados de mares. Os LAGOS, por influírem sobre a umidade do ar, têm ação reguladora do clima, assim como os mares. Na vizinhança dos lagos, o clima é sempre mais ameno e temperado que nas outras regiões. A maioria dos lagos não tem área maior de 300 km quadrados, quase todos se situam acima do nível do mar.

Rios: São cursos naturais de água que se deslocam de níveis mais altos (nascentes) até níveis mais baixos (foz ou desembocadura). Os rios podem ser perenes quando desembocam, escoam o ano todo, ou temporários, quando escoam nas estações de chuva e secam no período de estiagem. Em seu curso, as águas dos rios transportam quase sempre uma grande quantidade de detritos. Se as águas correm calmas, os detritos depositam-se no fundo do rio, mas quando as águas se lançam em um mar de águas impetuosas, os detritos se acumulam perto da foz e se espalham em todas as direções. Há um grande relacionamento entre os seres que vivem nos rios e os que vivem nas margens ou proximidades dos cursos de água. As folhas das plantas e os insetos que caem na água servem de alimentação para muitos animais. Tudo isso representa uma incessante entrada e saída de matéria orgânica do curso de água.

Os rios têm grande importância econômica; eles irrigam terras agrícolas, abastecem reservatórios de água urbanos, fornecem alimentos e produzem energia através das hidrelétricas. O transporte fluvial também tem grande importância e é muito utilizado em razão da economia de energia e grande capacidade de carga dos navios.

Fonte: www.ceset.unicamp.br

Hidrografia

Para se conhecer a hidrografia de uma região é preciso saber o ciclo da água que provem da atmosfera ou subsolo. Quando ocorrem as chuvas, a água pode evaporar, escorrer ou infiltrar-se no solo. Na evaporação ela vai para a atmosfera na forma de vapor. E tem a água que se infiltra no solo e a que escorre, dirigindo-se para as depressões ou a parte mais baixa de um terreno, formando os rios, lagos e mares.

A densidade de rios se relaciona com o clima da região. Os rios perenes são os que nunca secam e possuem um bom volume de água nos leitos. Os rios temporários são aqueles que secam no período em que não chove, principalmente em áreas de clima árido ou semi-árido. Quando um rio é perene e atravessa uma região desértica, como o rio Nilo, isto quer dizer que a nascente dele é em uma região chuvosa.

A variação da quantidade da água no leito do rio recebe o nome de regime.

Regime pluvial é quando as cheias dependem da água da chuva; regime níval quando depende do derretimento da neve; se as cheias dependem das geleiras é glacial. Quando o rio deságua no oceano por várias saídas, diz que a foz do rio é em delta; a foz do rio é em estuário, quando o rio deságua no oceano por uma única saída.

Em síntese:

A hidrografia é o ramo da geografia física que estuda as águas do planeta, abrangendo, portanto rios, mares, oceanos, lagos, geleiras, água do subsolo e da atmosfera. A grande parte da reserva hídrica mundial (mais de 97%) concentra-se em oceanos e mares, com um volume de 1.380.000.000 km³. Já as águas continentais representam pouco mais de 2% da água do planeta, ficando com um volume em torno de 38.000.000 km³.

Águas continentais

As águas continentais correspondem aos lençóis subterrâneos, geleiras, gêiseres, rios.

LENÇOL SUBTERRÂNEO

Também é chamado de lençol freático. É formado pela infiltração das águas da superfície nas rochas permeáveis. As águas subterrâneas podem variar de um lugar para o outro dependendo da quantidade das chuvas. Elas alimentam os poços, rios e lagos, e contribui para o desenvolvimento da vegetação.

Uma fonte ou olho d’água é o surgimento do lençol freático na superfície terrestre. A água da chuva se divide em três partes. Uma se evapora logo após a chuva.

A outra escorre para os rios e mares. E outra parte forma os lençóis freáticos. Os oásis formados nos desertos são alimentados por lençóis de água subterrânea.

Ocorre quando uma depressão atinge o nível de um lençol de água subterrânea, podendo surgir um lago e com ele uma vegetação típica.

CORRENTES MARÍTIMAS

As correntes marinhas podem ser quentes ou frias, são massas de água que circulam nos oceanos. As correntes frias têm origem nas regiões polares, enquanto que as correntes quentes tem na zona tropical. Possuem uma grande influencia no clima.

Por exemplo: a corrente quente do Golfo, impede o congelamento do mar do Norte e ameniza os rigores do clima de inverno no noroeste da Europa. Elas são grandes massas de água que se deslocam pelo oceano com condições própria de temperatura, salinidade e pressão. Possuem grandes influencia no clima além de favorecerem atividade pesqueira em áreas de encontro de correntes quentes e frias, nas quais há a ressurgência de plâncton.

MARÉS

A maré é uma conseqüência da atração do sol e da lua sobre a Terra. A lua tem mais influencia na maré que o sol, visto que sua distancia é cerca de 400 vezes menor que a distancia Terra-Sol. O tempo entre a maré baixa e a maré alta é de 6h às 12h, ou seja, em um dia podemos observar duas altas e duas marés baixas. Amplitude da maré é a diferença entre o nível da maré baixa e a da maré alta. As maiores amplitudes ocorrem nas fazes de lua nova e cheia.

GELEIRAS

As geleiras mais extensas cobrem quase totalmente a Groelândia e Antártida. Também existe gelo permanente nas altas montanhas, onde a temperatura fica abaixo de 0°C. Perto do Equador a linha das neves eternas está a mais ou menos 6000m de altitude. Mas a medida que vai se distanciando da linha do Equador, a altitude para que se forme neve eterna vai diminuindo. Quando as geleiras findam no mar, enormes blocos de gelo são levados pelas correntes marítimas, originando os “icebergs”.

RIOS

São cursos naturais de água que se deslocam de um ponto mais alto (nascente) até um nível mais baixo (foz), onde lançam sua água, ou seja, vão de montante para jusante. A foz pode ser um mar lago pântano ou rio. Os rios aumentam de volume progressivamente ao longo de seu percurso, alimentados por novos cursos d’água, outros rios, riachos e nascente. As chuvas também reforçam o fluxo do rio, pois as águas se infiltram no terreno ou escorrem em filetes até os riachos. O derretimento de neves no cume das montanhas é outro fator que participa na formação dos rios. O rio amazonas, por exemplo, além das águas das chuvas, é alimentado pela neve derretida dos picos da cordilheira dos Andes. Os rios podem ser perenes, quando apresentam o curso d’água durante o ano todo, e temporários ou intermitentes, quando desaparecem no período de seca.

LAGOS

Os lagos definidos conceitualmente como corpos de água parada, são a maioria da água doce de superfície disponível para consumo.

Podem ser formados de varias maneiras: por acúmulo de água da chuva, afloramento de uma nascente ou pela alimentação de rios.

Em sua grande maioria de água doce, eventualmente os lagos podem ser salgados, sobre tudo nas regiões de baixa pluviosidade. Também é considerado lagos os mares fechados, sem ligação com oceanos, e com o mar morto no oriente médio.

OS OCEANOS

O oceano é uma grande massa de água salgada que cobre a maior parte da superfície terrestre, circundando e separando os continentes.

Essa grande massa de água salgada contém importantes fontes de recursos para os seres humanos, que foi dividida em quatro partes, que são os quatros grandes oceanos: o pacífico, o atlântico, o índico e o glacial ártico.

Oceano pacifico,localiza-se entre a Ásia, América e Oceania, é o mais extenso é o mais profundos de todos os oceanos. Sua maior profundidade de 11.500 metros ocorre nas proximidades das ilhas da micronésia, em um lugar denominado fossa das marinas.

Oceano atlântico é dividido em atlântico norte e atlântico sul, ele se localiza ente a América, Europa e a áfrica. O atlântico é considerado o mais importantes de todos os oceanos para a economia mundial, devido ao grande fluxo de navegação e comunicações, principalmente entre América e Europa.

Oceano índico tem sua maior parte localizada no hemisfério sul entre Ásia, áfrica e Oceania. Nele se desenvolve uma intensa vida marinha, devido a temperatura mais aquecida das suas águas.

Oceano glacial ártico banha o norte da Europa, da Ásia e da América. Suas águas apresentam baixas temperaturas, permanecendo congeladas durante boa parte do ano. Nesse oceano podemos encontrar enormes blocos de gelos flutuantes, os icebergs, que dificultam a navegação.

A IMPORTÂNCIA DOS OCEANOS E MARES

Desde a antiguidade, os povos pescam e navegam nas águas dos oceanos e mares.

Atualmente existem dois tipos de pesca: a artesanal e a industrial.

A pesca artesanal é praticada em pequenas embarcações, nas proximidades dos litorais.

A pesca industrial pode ser praticada em alto-mar e utiliza modernas embarcações, dotados de uma série de equipamentos como sonar, usado nesse caso para localizar cardumes A indústria da pesca abastece os seres humanos de alimentos e ainda a indústria com matéria prima.

Outro aspecto importante diz respeito ao aumento da circulação entre os oceanos, devido o aperfeiçoamento das embarcações, das técnicas e dos equipamentos de navegação.

Não podemos esquecer ainda que nos oceanos existem grande quantidade de petróleo, que origina outra atividade econômica relacionado ao extrativismo do petróleo e gás natural, nas chamadas plataformas continentais; e hoje na camada présal dos diversos oceanos.

Fonte: www.portalimpacto.com.br

Hidrografia

Hidrografia é uma parte da geografia física que classifica e estuda as águas do planeta.

O objeto de estudo da hidrografia é a água da Terra, abrange portanto oceanos, mares, geleiras, água do subsolo, lagos, água da atmosfera e rios. A maior parte da água está concentrada em oceanos e mares – 1 380 000 000 km³ –, correspondendo a 97,3% da reserva hídrica do mundo. As águas continentais possuem um volume total de 38 000 000 km³, valor que representa 2,7% da água do planeta.

Rio é um curso de água que corre naturalmente de uma área mais alta para uma mais baixa do relevo, geralmente deságua em outro rio, lago ou no mar.

Esses cursos de água se formam a partir da chuva, que é absorvida pelo solo até atingir áreas impermeáveis no subsolo onde se acumula, constituindo o que chamamos de lençol freático.

Quando o lençol freático aflora na superfície dá origem à nascente de um rio . Apesar dessa definição, há rios que se formam de outras maneiras, como por exemplo, a partir do degelo em picos montanhosos, além de alguns originarem de águas de lagos.

Partes de um Rio

Nascente

Local onde nasce o rio.

Pode ser:

Pluvial – Formada pelo acúmulo de água da chuva .

Nival – Formada pelo derretimento do gelo ou da neve .

Mista – Formada pela água da chuva e pelo derretimento da neve e do gelo.

Leito

Canal escavado pelo próprio rio e que serve de escoadouro para sua águas.

Hidrografia

Foz

Local onde o rio despeja suas águas no mar, em um lago ou em outro rio.

Pode ser:

1. Estuário – Completamente aberta, sem nenhum obstáculo . Típica de rios jovens.

2. Delta – Constituída por ilhas sedimentares separada por canais. Típica de rios velhos.

Curso de um Rio

Trajeto do de um rio entre a sua nascente e a foz ou desembocadura.

Pode ser compartimentada em:

A. Alto Curso – Região próximo a Nascente

B. Baixo Curso – Região próximo a Foz

C. Curso Médio – Região intermediária entre a Nascente e a Foz

OBS:

Jusante parte do rio a partir de um determinado ponto em direção a Foz.

Montante parte do rio a partir de um determinado ponto em direção a Nascente.

Tipos de Drenagens

1. Exorréica – Rios cujas águas desembocam diretamente no mar.

2. Endorréica – Rios que despejam suas água em outro rio (afluentes) ou em lagos.

3. Criptorréica – Rios subterrâneos 4. Arréico – Rios temporários ou que secam durante o período de estiagem

Tipos de Rios

1 . DE ACORDO COM O TIPO DE REGIME

Rio perene – Aquele em que há sempre água correndo nunca seca.

Hidrografia

Rio temporário

Rio cujas fontes (chuvas, afluentes de outros rios, neve) secam totalmente ou parcialmente em determinada época do ano, provocando uma seca parcial.

Hidrografia

Hidrografia

2. DE ACORDO COM O TIPO DE RELEVO POR ONDE CORRE SUAS ÁGUAS

Rio de Planície – Apresenta o Escoamento de suas águas sobre Superfícies Planas e com pouca Declividade (São propícios para a navegação).

Hidrografia

Rios de Planalto – Apresenta escoamento de suas águas sobre áreas montanhosas e inclinadas (são excelentes para geração de energia).

Hidrografia

Fonte: www.rc.unesp.br

Hidrografia

Hidrografia: Oceanos, mares, rios, lagos, lagoas e lagunas

Hidrografia é a ciência que estuda as águas existentes no planeta e suas propriedades físicas e químicas, como movimento, cor, temperatura, transparência, volume etc. Conhecer a hidrografia de uma região significa estudar o ciclo da água que provém da atmosfera ou do subsolo.

Ao entrar em contato com a superfície, a água pode escolher três caminhos: escorrer, infiltrar-se no solo ou evaporar. O volume global de água no planeta é de aproximadamente 1,418 milhão de km3 e abrange oceanos, mares, rios, lagos, geleiras, água no subsolo, lagoas e água na atmosfera.

A maior parte dessas águas está concentrada nos oceanos e mares, que ocupam 71% da área do globo. A soma de suas águas resulta em um volume de 1,380 milhão de km3, correspondentes a 97,3% de toda a água da Terra.

As águas continentais representam 2,7% das águas do planeta. A água doce congelada (geleiras e calotas polares) corresponde a 77,2% das águas continentais; a água doce armazenada no subsolo – os lençóis freáticos e poços – corresponde a 22,4%; a água dos lagos e lagoas, 0,35%; a água da atmosfera, 0,04%, e a água dos rios, 0,01%.

Oceanos

Correspondem a uma vasta extensão de água salgada que cobre quase três quartos da superfície da Terra. Cada uma das divisões maiores do oceano constitui-se em áreas geográficas isoladas em regiões diferentes, sendo divididas pelos continentes e grandes arquipélagos em cinco grandes oceanos.

Oceano Pacífico: é o maior da Terra, com 180 milhões de km2.

Atlântico: é o segundo maior em superfície, com 82,4 milhões de km2.

Índico: é o terceiro maior em extensão, com 74 milhões de km2.

Glacial Ártico: com 13 milhões de km2, formado por mar e geleiras ao redor do Círculo Polar Ártico, seu descongelamento tem sido apressado pelo efeito estufa.

O Oceano Glacial Antártico constitui um prolongamento dos oceanos Pacífico, Atlântico e Índico. Por essa razão, muitos cientistas, oceanógrafos e geógrafos não reconhecem a existência do Oceano Antártico, considerando-o apenas uma junção de partes dos outros oceanos. É o único que rodeia o globo completamente, com superfície de 20,3 milhões de km2.

Cada um desses oceanos engloba diversos mares ou porções menores mais ou menos delimitadas por ilhas e por recortes do litoral.

Existem razões para se pensar que, por muito tempo, houve um único oceano principal (Pantalassa) e um único e gigantesco bloco de terras emersas (o supercontinente Pangéia), que reunia América, África, Europa, Ásia e Oceania. Sua fragmentação iniciou-se na era Mesozóica, há cerca de 180 milhões de anos, dando origem aos atuais oceanos e continentes.

Os oceanos são importante fonte de recursos para o homem. Contêm grandes reservas minerais, servem como fonte abundante de alimentos e são responsáveis pela interação entre terra, atmosfera e água, que molda o clima mundial. Principal fonte e repositório das águas pluviais, os oceanos ajudam a moderar as temperaturas do planeta. Também contribuem para a limpeza do ar – organismos como as algas absorvem dióxido de carbono e liberam oxigênio na atmosfera.

Mares

Partes de oceanos que são cercadas por ilhas ou terras são chamadas de “mar”. Oceanos, apesar de poderem ser referidos como mares, são áreas extensas de água salgada, desobstruídos por continente, enquanto mar pode ser qualquer corpo de água salgada e geralmente se refere a um corpo de água salgada rodeado por terra.

Os mares se diferem dos oceanos quanto à dimensão e localização geográfica. Enquanto os oceanos cobrem grandes extensões e envolvem todas as massas continentais, os mares são considerados como parte dos oceanos, ocupando áreas mais reduzidas e com menores profundidades.

Um mar é uma extensão de água salgada conectada com um oceano. Além de apresentarem menores profundidades que os oceanos, os mares apresentam também uma maior variação de salinidade, temperatura e transparência das águas.

Os cinco maiores mares são: Mar da China do Sul, Mar do Caribe, Mar Mediterrâneo, Mar Bering e Golfo do México.

Rios

As águas resultantes das precipitações atmosféricas, dos degelos e aquelas que brotam na forma de fontes contribuem para a formação dos rios. Um rio é um curso de água natural, mais ou menos caudaloso, que deságua em outro rio, no mar ou em um lago.

Os rios são considerados o mais efetivo agente modificador da paisagem, dada a sua capacidade de erosão, transporte e deposição. Servem de canais naturais de drenagem a uma bacia hidrográfica, ou seja, uma massa de água interior que corre, na maior parte da sua extensão, à superfície terrestre. Mas os rios também podem correr no subsolo em uma parte do seu curso.

No sentido geral, esses cursos naturais de água doce possuem canais definidos e fluxo permanente, também chamado de perene, cujas águas correm durante todo o ano. Os rios também podem ter fluxo sazonal (ou temporário), cujo regime d’água é intermitente – o leito fica seco em algumas épocas do ano.

Existem vários termos para designar rios e podemos citar: arroio, braço, canal, córrego, desaguadouro, igarapé, regato, riacho, ribeira, ribeirão, paraná, vazante etc. São importantes para a atividade humana, como vias de transporte e fontes de energia hidroelétrica e de água potável. Também fornecem recursos alimentares através da pesca e de água para irrigação.

Lagos

São massas de águas confinadas, mais ou menos tranqüilas e profundas. Os lagos têm em geral origem natural e estão situados em depressões de rochas impermeáveis, produzidas por causas diversas e sem conexão com o mar. Essas águas podem ser provenientes da chuva, de uma nascente local, de cursos de água, como rios e geleiras, que deságüem nessa depressão.

Geralmente a água dos lagos é doce, mas existem importantes lagos salgados.

Geologicamente, a maior parte dos lagos da Terra é recente e, quanto a sua origem, os lagos podem ser formados por:

Influências tectônicas: águas acumuladas nas deformações da crosta terrestre; resultam na formação de lagos grandes e profundos.

Atividades vulcânicas: águas que ocupam antigas crateras ou barragens efetuadas pelo escoamento de lavas de vulcões extintos.

Influência fluvial: ao longo de cursos de água onde os rios apresentam meandros, é comum o aparecimento de lagos.

Atividades glaciárias: tem sua origem relacionada com a ação das geleiras continentais e de montanhas.

Influência litorânea: associada ao surgimento de cordões arenosos que vão fechando reentrâncias que acabam por separar e enclausurar massas de água salgada (residuais) do mar aberto.

Atividades mistas: resultante da combinação de diversos fatores capazes de represar certa quantidade de água.

Lagoas

Depressões de formas variadas, normalmente circulares, de profundidade pequena. As lagoas podem ser definidas como massas de água superficial de pequena extensão e profundidade, cercadas por terra.

Existem, no entanto, lagoas maiores que muitos lagos. Como exemplo, podemos citar a lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, com cerca de 270 km de comprimento por 50 km de largura média.

Lagunas

Do latim lacuna, cisterna, pântano. Caracterizam-se como um ambiente de águas paradas, separadas do mar por uma barreira. Recebem ao mesmo tempo águas doces dos rios e águas salgadas quando ocorre a ingressão das marés. Todas as lagunas têm uma ou mais entradas, ou seja, uma conexão com o mar.

As águas de uma laguna podem variar entre doce, salobra (água de salinidade inferior à da água do mar) e salgada. Isso irá depender do tamanho das entradas e da quantidade de água doce trazida pelos rios. Raras espécies de animais ou vegetais, que suportam as alterações constantes das águas de uma laguna, vivem nesses locais.

Ronaldo Decicino

Fonte: educacao.uol.com.br

Hidrografia

Hidrografia refere-se ao mapeamento ou gráficos de de água topográficos recursos.

Trata-se de medir as profundezas, das marés e das correntes de um corpo de água e estabelecer a topografia e morfologia dos mares, rios e lagos camas.

Normalmente, e historicamente o objetivo de traçar um corpo de água é para a segurança do transporte de navegação. Esse mapeamento inclui o posicionamento e identificação de coisas, tais como naufrágios, recifes estruturas (plataformas, etc), luzes de navegação, marcas e bóias e litoral características.

Hidrografia não inclui a qualidade da água ou composição que fazem parte do campo mais amplo da hidrologia.

Visão geral

Hidrografia em larga escala é geralmente realizada por organizações nacionais ou internacionais que patrocinam a coleta de dados por meio de pesquisas precisas e publicar gráficos e material descritivo para fins de navegação. A ciência da oceanografia é, em parte, uma conseqüência da hidrografia clássico.

Em muitos aspectos, os dados são intercambiáveis, mas os dados hidrográficos marinhos será particularmente dirigida para navegação marítima e segurança de que a navegação. Exploração dos recursos marinhos e de exploração é uma aplicação significativa de hidrografia, com foco principalmente na busca de hidrocarbonetos.

Medições hidrográficas incluem a maré, corrente e onda informação de oceanografia física. Incluem fundo medições, com particular ênfase nas características geográficas marinhos que representam um perigo para a navegação, tais como pedras, bancos de areia , recifes e outras características que impedem navio passagem. Medições de fundo incluem recolha da natureza da parte inferior no que se refere à ancoragem eficaz. Ao contrário de oceanografia, hidrografia irá incluir funcionalidades shore, naturais e artificiais, que ajuda na navegação. Portanto, um levantamento hidrográfico podem incluir as posições precisas e representações de morros , montanhas e até mesmo luzes e torres que irão auxiliar na determinação da posição de um navio, bem como os aspectos físicos do mar e do fundo do mar.

Hidrografia, principalmente por razões de segurança, adotou uma série de convenções que têm afetado a sua interpretação dos dados em cartas náuticas. Por exemplo, cartas hidrográficas são projetados para retratar o que é seguro para a navegação, e, portanto, geralmente tendem a manter menos profundidade e, ocasionalmente, de enfatizar o submarino real topografia que seria retratado em cartas batimétricas . Os primeiros são o marinheiro ferramentas ‘s para evitar acidente. Os últimos são melhores representações do real fundo do mar, como num mapa topográfico, para fins científicos e outros. Tendências em prática hidrográfica desde c. 2003-2005 levaram a uma redução desta diferença, com muitos mais serviços hidrográficos manutenção de bancos de dados “melhor observadas” e, em seguida, fazendo navigationally produtos “seguros”, conforme necessário. Isto foi acoplado com uma preferência para levantamentos de multi-uso, de modo que os mesmos dados recolhidos para efeitos de mapeamento náutico também podem ser utilizados para interpretação batimetria.

Mesmo assim, em alguns lugares, levantamento de dados hidrográficos pode ser coletado em detalhes suficientes para retratar a topografia do fundo em algumas áreas, cartas hidrográficas apenas mostrar informações detalhadas relevantes para a navegação segura e não deve ser considerado como um produto que retrata com precisão a forma real do fundo . As sondagens selecionados a partir dos dados de profundidade fonte matérias para a colocação na carta náutica são selecionados para uma navegação segura e são tendenciosos para mostrar predominantemente nas profundidades mais rasas que se relacionam com a segurança da navegação. Por exemplo, se há uma área de fundo, que não pode ser alcançado porque é cercado pela água superficial, a zona profunda pode não ser mostrado. A cor áreas que mostram diferentes intervalos de águas rasas não são o equivalente de contornos em um mapa topográfico, uma vez que são muitas vezes atraídos em direção ao mar do real profundidade rasa retratado preenchido. A carta batimétrica não mostra topologia marinha precisão. Detalhes que cobrem as limitações acima podem ser encontrados na parte 1 do Navigator prática americana de Bowditch . Outro conceito que afeta a segurança da navegação é a dispersão de dados de profundidade detalhados de sistemas de sonar de alta resolução. Em áreas mais remotas, a informação de profundidade disponível apenas foram coletados com linhas de chumbo. Este método de coleta de gotas de uma linha ponderada para o fundo em intervalos e registra a profundidade, muitas vezes a partir de um barco a remo ou de barco a vela. Não há dados entre sondagens ou entre as linhas de som para garantir que não há um perigo, como um acidente ou uma cabeça de coral esperando para arruinar o dia de um marinheiro. Muitas vezes, a navegação do barco coletando não coincide com precisão de navegação GPS de hoje. O gráfico hidrográfica irá utilizar os melhores dados disponíveis e vontade ressalva é da natureza em uma nota de cautela ou na legenda do gráfico.

Um levantamento hidrográfico é bastante diferente de um levantamento batimétrico em alguns aspectos importantes, especialmente em um viés em direção a profundidades menores, devido aos requisitos de segurança das antigas e geomorfológica requisitos descritivos do último. Historicamente, isso poderia incluir echosoundings sendo conduzidas sob configurações inclinado para menos profundidade, mas na prática moderna levantamentos hidrográficos normalmente tentam medir melhor as profundezas observados, com os ajustes para a segurança da navegação a ser aplicada após o fato.

Hidrografia de streams vai incluir informações sobre o leito, os fluxos , a qualidade da água e da terra circundante. Bacia ou hidrografia interior presta especial atenção aos rios e água potável, embora os dados recolhidos, se não é para fins de navegação de navios, e destina-se para uso científico, ele é mais comumente chamado de hidrologia.

Hidrografia de rios e córregos também é parte integrante da managenent água. A maioria dos reservatórios nos Estados Unidos usar aferição fluxo dedicado e tabelas de classificação para determinar as entradas para o reservatório e saídas para os distritos de irrigação de água, municípios e outros usuários de água captada. Rio / córrego hidrografia usar dispositivos montados portáteis e banco, para capturar uma taxa de fluxo seccional de água que se move através de uma secção.

Fonte: en.wikipedia.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Espaço Geográfico

Espaço Geográfico

PUBLICIDADE O que é espaço geográfico? Quando se pergunta a alguém o que é Geografia …

Guerra Fiscal

Guerra Fiscal

PUBLICIDADE O que é a guerra fiscal? A influência do sistema capitalista vai além das …

Imigração Venezuelana para o Brasil

Imigração Venezuelana para o Brasil

PUBLICIDADE A imigração é um fenômeno complexo, não pode ser analisado por apenas um ponto …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+