Breaking News
Home / Geografia / Ciclone

Ciclone

PUBLICIDADE

Os ciclones são movimentos circulares de ar fortes e rápidos.

Recebem o nome de furacões ou tufões dependendo do lugar em que se formam, respectivamente nos oceanos Atlântico ou Pacífico.

Já os fenômenos denominados de tornados são movimentos de ar localizados, mas muito destruidores.

Definição

A palavra ciclone é derivada de uma palavra grega cyclos, que significa enrolamento de cobra.

É uma tempestade ou sistema de ventos que gira em torno de um centro de baixa pressão atmosférica

Ventos fortes espiralam ao redor do centro e atingem velocidades de 62 km/h ou mais. Esses ventos giram no sentido anti-horário no hemisfério norte e no sentido horário no hemisfério sul.

O que é um Ciclone Tropical?

Um ciclone tropical é um tipo de sistema climático que se move através dos oceanos quentes e geralmente traz chuva, vento e ondas altas para as comunidades costeiras.

O tamanho de um ciclone tropical pode variar de 120 milhas (193,1 km) a 1.200 milhas (1.931,2 km) de diâmetro. Este é um sistema de baixa pressão, o que significa que, ao viajar pelo clima que o acompanha, será mais do que provável que esteja nublado e chuvoso.

Ciclones tropicais giram em direções diferentes, dependendo do hemisfério em que estão; no hemisfério norte, eles giram no sentido anti-horário. À medida que se move sobre a água quente do oceano, um ciclone coleta energia e calor da água abaixo. Toda a evaporação da umidade do mar basicamente torna o ciclone mais poderoso, alimentando-o como um motor. Essa energia, combinada com o vento em espiral próximo à superfície do oceano, ajuda o ciclone a se fortalecer e a continuar seu caminho.

Um tipo de ciclone tropical é a depressão tropical, com velocidades do vento que não excedem 61 km/h. Se a velocidade do vento aumentar e os ventos fluírem de 62 km/h a 117,5 km/h, o ciclone é chamado de tempestade tropical. Oficialmente, um ciclone tropical ocorre quando um sistema tem ventos de pelo menos 119 km/h.

No oceano Pacífico norte ocidental, um ciclone tropical é chamado de tufão. Nos oceanos Leste do Pacífico Norte e Atlântico Norte, um ciclone tropical com a mesma força é chamado de furacão.

O centro de um ciclone tropical é chamado de olho. O ar no centro, ou olho, de um ciclone é mais quente que o ar circundante que faz parte do ciclone.

Uma parede ocular é a área ao redor do olho e é composta de nuvens espessas. Essa é a área onde mais atividades acontecem, e os meteorologistas prestam muita atenção a essa parte do ciclone ao monitorar seus movimentos.

Os ciclones tropicais geralmente não duram mais de uma semana. Sua força diminui à medida que viajam sobre a água fria, bem como quando precisam percorrer massas terrestres.

Ciclones tropicais estão associados a fortes chuvas e ventos fortes. O alto nível de chuva que ocorre geralmente leva a um risco de inundação. Para quem mora perto de áreas costeiras, principalmente em áreas costeiras baixas, o alto surf criado pelo vento a partir de um ciclone pode ser um grande risco. Isso é chamado de tempestade, e é uma das principais causas de vítimas e danos causados por ciclones tropicais.

Fatores para o desenvolvimento de um Ciclone Tropical

Águas oceânicas quentes (pelo menos 26,5 graus Celsius) em uma camada suficientemente profunda (da ordem de 50 m). Essas águas quentes “alimentarão” o funcionamento da ciclogênese tropical em termos térmicos.

Uma atmosfera que se resfrie rapidamente com a altura para que seja potencialmente instável à convecção úmida, sendo esta atividade convectiva responsável pela liberação do calor armazenado nas águas para o interior do ciclone.

Camadas relativamente úmidas perto da média troposfera (5 Km). Níveis médios secos não conduzem ao contínuo desenvolvimento de atividade convectiva em uma vasta área.

Uma distância mínima de 500 Km da linha do Equador, para ocorrer ciclogênese tropical, há o requisito de uma força de Coriolis não desprezível para que o centro de baixa do distúrbio seja mantido

Um distúrbio pré-existente próximo à superfície com vorticidade e convergência suficientes.

Ciclones tropicais não podem desenvolver-se espontaneamente, pois necessitam de um sistema levemente organizado com rotação considerável e influxo nos baixos níveis.

Valores baixos de Cisalhamento vertical de vento entre a superfície e a alta troposfera. Valores altos de cisalhamento desfavorecem ciclones tropicais incipientes e podem prevenir sua gênese ou, no caso de um ciclone já formado, pode enfraquece-lo ou até mesmo destruí-lo dada sua interferência com a organização convectiva em torno do centro do ciclone.

Origem e força dos ciclones

Os ciclones se originam no mar e viajam de 300 a 500 km por dia, extraindo energia térmica das águas oceânicas. Um ciclone totalmente amadurecido libera energia equivalente a poucas bombas de hidrogênio.

O diâmetro de um ciclone varia de 150 a 1000 quilômetros, mas seus efeitos dominam milhares de quilômetros quadrados da superfície do oceano.

Classificação de ciclones tropicais

Os ciclones são classificados em 5 categorias, de acordo com a força dos ventos:

Na categoria 1: Intensidade mínima, os ventos estão entre 118 km/h e 152 km/h (na prática, até 130 km/h o fenômeno é chamado de tempestade tropical, e a partir daí de furacão). 
Na categoria 2
: Intensidade moderada, os ventos variam de 153 km/h a 176 km/h. 
Na categoria 3:
 Intensidade forte, os ventos ficam entre 177 km/h e 208 km/h. 
Na categoria 4:
 Intensidade extrema, os ventos situam-se entre 209 km/h e 248 km/h. 
Na categoria 5:
 Intensidade catastrófica, os ventos passam de 249 km/h.

Tempestades tropicais

Vento mais violento ocorre durante as tempestades tropicais. Desenvolvem-se sobre o mar, mas podem ser levados para a terra pelo vento.

São mais frequentes em três regiões do mundo: No mar das Caraíbas, na parte sul do oceano Índico e no Atlântico Norte clima dos furacões.

Na zona do oceano Indico são conhecidos como os ciclones. Na parte norte do oceano Pacifico, os Japoneses chamam-lhes tufões.

Tipos

O ciclone pode ser de dois tipos: tropical ou extratropical.

Os ciclone tropical, como por exemplo os furacões, formam-se na cintura tropical, onde se deslocam geralmente, ocorrendo com maior frequência na parte ocidental das regiões tropicais dos oceanos Atlântico e Pacífico, no hemisfério Norte.

Os ciclone extratropical, embora muito menos violentos do que os ciclone tropical, são maiores, duram mais tempo, ocorrem mais frequentemente, principalmente nas latitudes médias elevadas, e afetam o estado do tempo em áreas muito mais vastas.

Os ciclones tropicais, potencialmente mais devastadores, provocam, muitas vezes, velocidades sensacionais do vento e precipitações muito intensas.

O que é o olho de um ciclone?

Um ciclone totalmente amadurecido desenvolve um centro calmo chamado Olho com um anel de ventos de furacão ao seu redor, possuindo as seguintes características:

1. Os olhos se formam no centro da região de tempestade com densa central (CDO).
2. O diâmetro do olho de uma tempestade é de cerca de 10 a 50 km.
3. Olho é a zona livre de nuvens, cercada por grossas paredes de nuvens.
4. O olho é cercado por uma parede de 10 a 15 km de nuvens convectivas, uma zona de vento máximo.
5. Olho é a região calma, praticamente sem chuvas.
6. O olho é mais quente que a região circundante.
7. A menor pressão superficial é observada no olho.
8. O olho é um indicativo de ventos muito fortes em espiral ao redor do centro.
9. Todas as tempestades ciclônicas podem não desenvolver um olho.
10. Às vezes, o olho duplo também é visto, o que é indicativo de intensidade muito alta.
11. A parede dos olhos é a parte mais perigosa da tempestade.
12. Ondas de tempestades, chuvas torrenciais e ventos de alta velocidade são as características associadas à parede do olho.

Qual é a diferença entre um tufão e um ciclone?

Estranhamente, não há diferença quantitativa em força, velocidade ou dano causado por um ciclone versus um tufão.

A única diferença entre esses dois nomes para tempestades tropicais cíclicas é a área global em que elas se formam. As pessoas ao redor do Oceano Índico e do Oceano Pacífico Sudoeste (aquela parte do Oceano Pacífico, perto da Austrália) se referem a essas tempestades como ciclones e as tempestades que geram no Oceano Pacífico Noroeste (aquela parte do Oceano Pacífico, perto da Ásia) são chamadas tufões. Aliás, as pessoas ao redor do Oceano Atlântico e do Oceano Pacífico Oriental (aquela parte do Oceano Pacífico perto das Américas) chamam tempestades tão poderosas e cilíndricas de furacões.

Um sistema de baixa pressão que se desenvolve sobre o oceano durante as condições certas pode criar tempestades e ventos fortes que o qualificam como uma depressão tropical.

Essa tempestade pode continuar ganhando energia das águas quentes do oceano e avançar para uma tempestade tropical se tiver ventos de 62 a 117 km/h.

Uma vez que a força rotativa e centrífuga excede essas velocidades do vento, os meteorologistas a classificam como uma tempestade tropical mais severa, cujo nome varia com base em sua localização.

Se uma tempestade severa ocorre em algum lugar em partes do Oceano Pacífico do Noroeste (que fica no Hemisfério Oriental ), chamamos de tufão.

No entanto, se esta mesma tempestade exata fosse hipoteticamente lançada no Oceano Índico ou no meio do Oceano Pacífico do sudoeste (que ainda está no Hemisfério Oriental), nós a referiríamos como um ciclone.

Entre os ciclones, existem nomes diferentes com base em suas localizações.

Tempestade ciclônica grave, ciclone tropical grave e ciclone tropical são variações do mesmo tipo de tempestade.

Embora alguns meteorologistas internacionais tenham universalizado um ciclone para significar qualquer sistema de vento circular, em grande parte sua especificidade geográfica permanece.

Uma maneira de entender essa distinção é começar com uma representação plana do mundo em sua forma mais comum (ou seja, com as Américas na extrema esquerda e a Austrália na extrema direita).

A metade esquerda do mapa usa o termo furacão, a metade superior do lado direito do mapa usa o termo tufão e a metade inferior do lado direito do mapa usa o termo ciclone.

Outra maneira mais precisa de olhar para isso é considerando meridianos e outras linhas longitudinais.

Tempestades no Oceano Pacífico Noroeste, a oeste da Dateline Internacional ou IDL (que corta aproximadamente entre as Américas e a Ásia, localizadas a 180° de longitude) são chamadas de tufões.

Tempestades no Oceano Índico ou no sudoeste do Oceano Pacífico, a oeste de 160 ° E de longitude (160 ° E de longitude é apenas um pouco a oeste do IDL) são chamadas de ciclones.

No hemisfério norte, as tempestades giram no sentido anti-horário, enquanto no hemisfério sul giram no sentido horário. Uma diferença entre um certo ciclone e tufão pode ser sua direção de rotação.

As tempestades mais graves são criadas perto do equador por causa da temperatura e das correntes do oceano, mas às vezes elas se afastam ainda mais. Os danos causados por essas tempestades geralmente ocorrem quando eles flutuam sobre as terras costeiras povoadas. São fenômenos separados de uma monção, tornado ou maremoto.

Ciclone tropical – Fotos

Fonte: amora.cap.ufrgs.br/br.geocities.com/www.wisegeek.org/www.minerva.uevora.pt/www.infotempo.com/www.skymetweather.com/www.businessdictionary.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Macroeconomia

PUBLICIDADE Definição de macroeconomia Macroeconomia é o ramo da economia que estuda o comportamento e …

Onda Sísmica

Onda Sísmica

PUBLICIDADE Definição de Onda Sísmica Ondas sísmicas são as ondas de energia causadas pelo rompimento repentino de …

Gratícula

PUBLICIDADE Definição Gratícula é uma a rede de linhas de latitude e longitude sobre as …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.