Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Onça-pintada  Voltar

Onça-Pintada



Onça-Pintada
Onça-Pintada

Originalmente, ocorriam desde o sul dos EUA até o Uruguai e Pampas argentinos. Sua distribuição geográfica foi reduzida em virtude da ocupação humana, sobretudo para a exploração agropecuária. Além da destruição do habitat, a caça para a obtenção de sua pele ou para proteger as criações de gado também contribuíram para a diminuição de suas populações.

A onça é o maior felino das Américas, podendo alcançar 150kg. Os espécimes que habitam as florestas fechadas são menores que aqueles que habitam os campos cerrados e os campos do Pantretal.

Isto ocorre porque a oferta de presas de porte maior é mais abundante nos campos, e um predador maior terá maiores vantagens neste ambiente; ao contrário, nas florestas fechadas, a onça se alimenta de presas menores e um predador menor necessita de menor massa alimentar. A onça preda 85 espécies animais diferentes e está no topo da cadeia alimentar.

Possui mandíbulas fortes e são os únicos felinos que matam suas presas perfurando o crânio com os caninos, podendo até rachar cascos de tartaruga.

A habilidade em nadar está relacionada com a proximidade da água. Desta forma, as onças que habitam o Pantretal e áreas de várzea são mais habilidosas que aquelas que habitam as florestas fechadas. O animal se adapta ao meio, variando seu tamanho, a habilidade em nadar e a dieta.

No Brasil, existem três subespécies, sendo a Panthera onca palustris, que é encontrada no Pantretal, a maior delas. Podem ser encontradas nos seguintes ecossistemas: Floresta Atlântica, Cerrado, Pantretal e Amazônia; este último ecossistema é o único que pode manter uma variabilidade genética saudável para a manutenção da espécie, em virtude da grande extensão da Amazônia. Todavia, os ecossistemas citados sofrem destruição contínua.

A onça-pintada é um animal territorial. Necessita ocupar um território de 10 a 40km²; variando de acordo com a disponibilidade de alimento e com cada ecossistema.

É comum ocorrerem entre as onças, alguns indivíduos melânicos, com a pelagem escura. São popularmente chamados de onça-preta ou pantera.

Ficha

Comprimento: Até 1,8m

Peso: Até 140kg (P. onca palustris)

Gestação: 101 dias (média)

Número de filhotes: De 1 a 4

Longevidade: 20 anos

Hábito Alimentar: Carnívoro; noturno e crepuscular

Alimentação: Veados, capivaras, entre outros

Fonte: www.brazilnature.com

Onça-Pintada

Onça-Pintada
Onça-Pintada

A onça pintada (Panthera onca ) é o maior felino do continente americano,. No Brasil, habita principalmente a região da bacia amazonica e do pantretal. Muito parecida com o leopardo, a onça pintada, distingui-se deste por possuir um corpo mais forte e robusto, além de uma cauda menor. É um animal solitário, caçando a maior parte de sua vida sem o auxílio de outros da sua espécie.

É um animal ágil e silencioso, caracterizando-se por surpreender a presa no momento da caçada. Geralmente, aproxima-se silenciosamente da presa escolhida, quase sempre um animal mais velho ou machucado, e num salto certeiro, captura a sua vítima.

Além de ser uma excelente caçadora(predadora) é também uma exímia nadadora e pescadora. Segundo uma tradição indígena da Amazônia, a onça pintada utiliza a sua cauda para atrair os peixes para a superfície. Desse modo ao contrário de outros felinos que possuem aversão a água, a onça pintada utiliza-se de rios e lagos para capturar animais, possuindo grande habilidade para caçar peixes e até jacarés. Mais do que isso ela também costuma aproveitar os rios, assim como os lagos, para de refrescar do forte calor que frequentemente faz em seu habitat.

A onça pintada também é uma trepadeira, utilizando muitas vezes os galhos das árvores para descansar como para caçar. Mas devido ao seu peso não consegue atingir os galhos mais altos.
Em seu habitat, a onça pintada é o predador absoluto, estando no ápice da teia alimentar, não existindo portanto outro animal capaz de ameaça-la, a não ser é claro o homem.

A onça é um felino de hábitos noturnos, caçando preferencialmente ao anoitecer ou um pouco antes de amanhecer. Sua visão, ao contrário de seu olfato, é de excelente qualidade garantindo uma boa precisão na hora de localizar e capturar suas presas.

Este felino, de patas curtas e beleza sem igual, pode chegar a pesar 113 quilos sendo considerado o maior mamífero, e portanto o maior felino do Brasil, porém este fabuloso animal encontra sérias dificuldades para sobreviver. Muitos da sua espécie já foram mortos em decorrência do alto valor de sua pele, ou por conflitos com fazendeiros, sobretudo na Bacia Pantaneira. Muitas onças estão tendo o seu território invadido, seja por plantações ou pelo gado e acabam entrando em fazendas, muitas vezes a procura de alimentos.

Se nenhuma providencia for tomada pelas autoridades, seja ela, por exemplo o IBAMA, sem dúvida corremos o risco de termos esta espécie de felinos extinta de nosso território.

Comprimento total: 1,20m à 2,40m

Comprimento do rabo: 60cm à 70cm

Altura desde o ombro: 85 cm

Peso: pode chegar aos 125 kg (o Puma mal chega aos 80 kg)

Pontos de identificação

Corpo robusto; patas dianteiras muito musculosas a onça-pintada ou jaguar, é o maior e mais perigoso mamífero do mundo sendo também, o maior dos carnívoros do continente. Corpo maciço, pernas curtas e patas longas. A pelagem apresenta uma coloração amarelo-alaranjado no lombo e mais clara perto do peito, com círculos escuros cujo interior tem um ou vários pontos pretos. Família dos felídeos, ordem dos carnívoros, é ainda conhecida por Jaguaretê.

Descrição

A onça-pintada ou jaguar, é uma espécie de mamífero carnívoro, o maior e mais feroz representante dos felídeos das Américas. Seu nome, nas línguas indígenas nas florestas subtropicais é yaguar. É impropriamente chamada de tigre, pois é mais feroz que este e maior que a pantera. Tem a pelagem curta, macia e espessa, de cor amarelo-ruiva, que se torna mais clara nos flancos e branca na parte inferior; é toda salpicada de malhas pretas, de tamanhos variados, de forma circular, alongada ou irregular; na cauda as manchas se tornam anéis, sendo que na ponta é preta. O pêlo malhado disfarça-lhe a presença confundindo-a com o ambiente.

Distribuição

Habita as áreas da América do Sul e Central, em florestas quentes e úmidas; é encontrada desde a Patagônia até o Texas, salvo no Chile e nos Andes.

Situação atual

Submetida a uma caça intensiva pelo homem, que comercializa sua pele, está extinta em muitas zonas, mas já existem reservas onde ela é protegida, como por exemplo a de Foz do Iguaçú.

Habitat

Sua pele é um valioso troféu e muito procurada. Por isso, elas foram se afastando dos locais mais frequentados por homens, de modo que, para encontrar uma delas, é necessário se embrenhar no fundo das grandes matas, próximo das aguadas, que são seu local predileto. Vive em ambientes selváticos e em zonas abertas desde o México até a Argentina.

Comportamento

É temida por todos, o terror das selvas sul americanas.

Anda solitária, exceto na época de reprodução. É ágil, arisca, paciente, silenciosa e muito feroz. Trepa em árvores com facilidade e atravessa rios a nado; de hábitos diurnos ou noturnos, é nas horas do crepúsculo e nas noites enluaradas que mais ativa se mostra.

Na época das chuvas, quando a parte baixa da floresta se transforma num enorme lamaçal, a onça escala as árvores e fica por lá, durante semanas, até que passem as tempestades. Mantém territórios que, dependendo da disponibilidade de presas, variam de 5 a 500km quadrados.

Ao contrário do puma, mais furtivo, a onça-pintada denota sua presença pelo rugido profundo e desafiador que ressoa à noite na mata. Os rios não são obstáculos para as andanças deste animal, pois, além de veloz, é excelente nadador.

Muito ágil, frequentemente se esconde entre os ramos das árvores para daí cair sobre suas presas. Satisfaz seu enorme apetite com um cardápio variado, que inclui desde a anta até peixes.

Alimentação

É carnívora e se alimenta principalmente de mamíferos grandes e médios, mas também come outras presas menores. suas caças prediletas são capivaras, veados, antas, macacos, queixadas e até cavalos e gado bovino, quando existe na região. Quando caça aves, sabe imitar o seu pio. Não perdoa os peixes, arrancando-os de dentro da água a tapas.

Pode até comer um jacaré, que sucumbe ao seu ataque. A jibóia, quando abocanhada pela onça, também não escapa. As vezes perde a parada para o touro ou queixada por andarem em bandos e a despedaçam a mordidas.

O tamanduá, por causa de suas unhas, também a inibe. Quanto ao homem, não o ataca senão para se defender. Se for o caso, vai à procura do homem, dando ainda preferência à gente de cor. Fato bastante curioso. O porco-do-mato lhe inspira certo respeito, por que vivem em bandos e atacam em massa quando são incomodados. Mas se um deles se afastar do grupo, torna-se presa fácil.

Reprodução

Após uma gestação de 120 dias, nascem de 2 a 4 filhotes por vez. Nascem com a pele manchada mas muito escura, pesando aproximadamente 970 gr e com os olhos fechados, que abrirão dentro de um período que vai de 3 à 13 dias. O treinamento básico da cria consiste em empurrões, para caírem dentro da água, perdendo assim o medo de nadar. A onça pode ser cruzada com o leopardo, por terem um parentesco bem chegado. O único problema é de um não matar o outro.

O casal cuida da família que, para protegê-la, investe até contra o homem, a quem normalmente teme. Ainda que aos 2 meses e meio de idade já comecem a comer, ficam com as mães até 1 ano e meio ou 2 anos. A fêmea só libera os seus filhotes quando eles começam a caçar sozinhos. Quando isto acontece, o filhote transforma-se em um animal dos mais respeitáveis.

Fonte: www.animalnet.com.br

Onça Pintada

Onça-Pintada
Onça-Pintada

Ordem: Carnívora

Família: Felidae

Nome popular: Onça-pintada

Nome em inglês: Jaguar

Nome científico: Panthera onca

Distribuição geográfica: sul dos Estados Unidos até a Argentina.

Habitat: cerrado, caatinga, pantretal, florestas tropicais.

Hábitos alimentares: Carnívoro

Reprodução: 93 a 105 dias com dois filhotes normalmente.

Longevidade: cerca de 25 anos.

A onça-pintada (Panthera onca) é o maior felino das Américas; seu corpo é robusto e musculoso, seu tamanho varia entre 1.120 – 1.850mm (cabeça e corpo) e altura entre 450 – 750mm, sua cauda tem cerca de 57,5cm e o peso varia entre 60 – 90kg.

A onça pintada possui uma coloração que vai do amarelo bem claro a amarelo acastanhado, seu corpo é revestido por pintas negras que podem formar rosetas grandes, médias ou pequenas. Ela é atualmente encontrada das planícies costeiras do México até o norte da Argentina. Habita áreas de vegetação densa, abundância de água e alimentação; áreas tropicais e subtropicais, cerrado, caatinga e pantretal.

São animais de hábitos solitários e terrestres, urinam com grande freqüência para demarcar território. Sua atividade pode ser tanto diurna quanto noturna; são grandes saltadoras e nadadoras atravessando rios com 1km de largura. Sua dieta é de uma grande variedade de mamíferos de médio e grande porte, aves e répteis.

A gestação de uma onça dura 90 – 110 dias podendo nascer de 01 a 04 filhotes, os filhotes nascem com os olhos fechados que se abrem por volta do 13º e alcançam a maturidade sexual entre 2 –4 anos. A onça tem perdido território por causa da modificação de seu habitat, a caça por conta dos pecuaristas, criadores em defesa dos seus animais.

Fonte: www.zoologico.sp.gov.br

Onça-Pintada

Onça-Pintada
Onça-Pintada

Melhor do que uma poção mágica.

Os índios do Brasil guardam a gordura de onça abatida e a comem com a ponta de uma flecha.

Eles acreditam que ela lhes dá uma grande coragem, como se fosse a poção de um feiticeiro.

Essa gordura também é esfregada no corpo dos meninos, para torná-los fortes e protegê-los contra o mal. Temida pelo homem, a onça-pintada ou jaguar é um perigo para qualquer animal na sua área de caça. Queixadas e capivaras são suas presas favoritas. É difícil prevenir-se contra o ataque de uma onça.


Ela move-se silenciosamente, com cabeça abaixada: as manchas de seu pêlo constituem uma perfeita camuflagem.

A onça é um bom pescador.

Agita a cauda sobre a superfície do rio para atrair o peixe que ela pega com uma patada.

Como o tigre, ao contrário da maioria dos felinos, ela nada freqüentemente, atravessando rios e riachos.

A onça tem sido muito caçada por causa da sua bela pele.

Por isso, a espécie está ameaçada, uma vez que sua reprodução é lenta. O acasalamento dá-se em qualquer época.

Ao nascer, o filhote pesa quase um kg. Com seis semanas já vai caçar. Fica com a mãe até um ou dois anos.

Este felino lindo, infelizmente por causa da ganância da maioria dos homens pelo dinheiro; será com certeza extinto.

Fonte: www.achetudoeregiao.com.br

Onça-Pintada

Onça-Pintada
Onça-Pintada

Seu nome científico é Pantera onça da ordem dos Carnívora (Carnívoros) e da família Felidae (Felinos). Para os índios brasileiros, a onça-pintada é o símbulo de coragem.

Assim, eles costumam esfregar a gordura de uma onça abatida no corpo dos meninos, para torná-los fortes e defendê-los de todos os males. Também chamada de jaguar, a onça-pintada é um dos maiores carnívoros americanos. Pode atingir 3 metros de comprimento, incluindo a cauda, e pesar mais de 140 quilos. Temida pelo homem, ela é um perigo para qualquer animal que se aventure pela sua área de caça. Move-se silenciosamente, e as manchas do pêlo funcionam como um perfeita camuflagem. Embora menos ágil que o leopardo, também sobe em árvores, e nada muito bem.

A onça-pintada alimenta-se de mamíferos, répteis e peixes. A capivara encontra-se entre suas presas favoritas.

Hábil pescadora, aguarda pacientemente que um peixe de bom tamanho se aproxime de sua superfície. Então, uma rápida patada e pronto! O peixe será sua próxima refeição.

Temida pelo homem, a onça-pintada é uma ameaça para qualquer animal que invada o seu território de caça. É difícil prevenir-se contra o seu ataque, pois o animal move-se silenciosamente, com a cabeça abaixada.

Habitat

vive em geral nas florestas tropicais, nos bosques, nas margens dos rios e lagos, e também em colinas ricas em mata de corte ou abrigos rochosos.

Medidas de proteção

devido à vasta distribuição, é difícil calcular o número de indivíduos. Certas subespécies estão praticamente extintas, outras em vias de extinção. É o caso da Pantera o. veracruesis e da Pantera o. hernandesi, do México; e da Pantera o. ariconensis, do Arizona (EUA). A redução da espécie deve-se ao comércio das peles. Desde 1.970, severas leis protegem a onça-pintada, mas para que elas fossem eficientes seria necessário proteger também o seu ambiente natural. Há onças-pintadas em vários zoológicos europeus e americanos e, felizmente, elas se reproduzem bem em cativeiro.

Fonte: www.geocities.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal