Breaking News
Home / Animais / Perna-longa

Perna-longa

Himantopus himantopus

PUBLICIDADE

Perna-longa

Características

Ave aquática inconfundível, com longas pernas, grandes asas terminadas em ponta, cauda curta e dedos unidos por curta membrana. Pescoço comprido e bico muito longo, fino e reto. A coloração em geral é negra no dorso, inclusive asas, tendo áreas com reflexos verdes. Coberteiras superiores da cauda e toda a parte inferior do corpo até as coberteiras inferiores, totalmente brancas. Pernas e pés vermelho-coral e bico negro. Sexos semelhantes. Mede 38 cm e comprimento, o tarso e a tíbia exposta medem, juntos, 16 cm. O imaturo é pardo.

Habitat

Margens lodosas de lagos, banhados, manguezais, rios, estuários e arrozais.

Ocorrência

Dos EUA à América do Sul, no Brasil, no Mato Grosso do Sul e do Espírito Santo ao Rio Grande do Sul na faixa litorânea.

Hábitos

São gregários diurnos e também aos casais. São grandes voadores e migratórios. Caminham a passos largos sobre os aguapés, salvínias e outras plantas flutuantes à procura de alimento.

Alimentação

Predominantemente animal como moluscos, crustáceos, larvas, peixes e anfíbios, além de algas.

Reprodução

Nidificam em plataforma e baixos arbustos ou em uma cavidade construída no solo. A postura é de 2 a 4 ovos de cor azeitonada com manchas pretas, confundindo-se perfeitamente com o solo, e medindo 45 x 32 mm em seus eixos. Os ovos têm formato de pião ou pêra, forma adequada para rolarem ao redor de seu próprio eixo e não lateralmente. 

A incubação é realizada pelo casal. O período de procriação vai de outubro a janeiro. Quando os adultos são espantados no ninho fingem-se de feridos a fim de desviar dali o inimigo. O macho torna-se agressivo até mesmo a um homem. Filhotes nidífugos.

Ameaças

Destruição do habitat e poluição.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Perna-longa

Himantopus himantopus

Família Recurvirostridae

Caracterização

Mede 38 cm. O tarso e a tíbia exposta medem, juntos, 16 cm. É inconfundível. A extensão do branco na cabeça e no dorso varia conforme a idade, período do ano e região geográfica; suas asas totalmente negras atraem a atenção. Imaturo pardo. Ave aquática.

Habitat

Vive nas margens lodosas de lagos, banhados, manguezais e arrozais.

Distribuição

Ocorre dos EUA até a porção setentrional da América do Sul.

Hábitos

Caminha a passos largos sobre os aguapés, salvínias e outras plantas flutuantes à procura de alimento.

Alimentação

Alimentação predominantemente animal.

Reprodução

Nidificam em uma cavidade esgravatada no solo; os ovos têm formato de pião ou pêra, forma adequada para rolarem ao redor de seu próprio eixo e não lateralmente, sendo manchados, confundindo-se perfeitamente com o solo. Quando os adultos são espantados no ninho fingem-se de feridos a fim de desviar dali o inimigo; o macho, torna-se agressivo até mesmo a um homem. Filhotes nidífugos.

Manifestações sonoras

Voz: variada, forte, parecendo um latido “káu” ou um suave “wett”.

Bibliografia

Helmt Sick, 1988. “Ornitologia Brasileira”.

Fonte: www.faunacps.cnpm.embrapa.br

Perna-longa

Himantopus himantopus

Perna-longa

O Perna-longa (Himantopus himantopus L.) é uma ave limícola que pode ser observada todo o ano no sul de Portugal, e na Primavera e no Verão, no resto do país. Pertence à: Classe: Aves; Ordem: Ciconiiformes; Família: Recurvirostridae; Género: Himantopus.

Perna-longa

Habitat

Esta ave vive na proximidade de planos de água pouco profundos, tal como lagoas costeiras, salinas, arrozais e outros terrenos com água doce ou salobra

Perna-longa

Alimentação

Esta espécie alimenta-se sobretudo de invertebrados aquáticos (incluindo insectos, larvas, bivalves, crustáceos e vermes) mas também de pequenos vertebrados (designadamente, girinos e peixes)

Perna-longa

Reprodução

Nidifica no solo, sendo o ninho uma simples cova escavada em local rodeado de água, ou nas proximidades duma zona de água. Cada postura não vai além de 4 ovos e o período de incubação anda à volta dos 25 dias. As crias são nidífugas.

Estatuto de conservação da espécie

“Pouco preocupante”, segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza.

Fonte: obiologoamador.blogspot.com

Perna-longa



Perna-longa

Himantopus himantopus

O Perna-longa pertence ao grupo das limícolas, é uma das aves pernaltas mais distintas. Possui uma plumagem branca e preta, as pernas, muito compridas, são rosa avermelhadas o bico é preto e brilhante e pontiagudo como adaptação a uma alimentação em água pouco profundas. É uma espécie essencialmente gregária, reunindo-se em pequenos bandos fora da época de nidificação.

O casal é monogâmico de duração sazonal, o seu ninho é uma cova no solo, num ilhéu ou perto de água, ocasionalmente consiste num monte de vegetação em água. É uma espécie territorial, que defende activamente a área perto do ninho, sendo as suas crias precoces e nidífugas, isto é, são capazes de sair do ninho quando eclodem, e que têm capacidade de se auto-alimentarem.

Perna-longa

Onde vive?

Tem preferência por lagos pouco profundos, lagoas costeiras, salinas, viveiros, charcos, arrozais e outros terrenos encharcados. Estão confinados a águas pouco profundas, isto é, que não vão além dos 20 cm, sendo este um factor determinante na selecção de um habitat.

Onde observar o Perna-longa?

No sul do país, a espécie é hoje parcialmente sedentária, sendo este o local mais seguro para a observação, principalmente nas IBA’s da Ria Formosa e de Castro Marim apesar de nas IBA’s do Estuário do Tejo e do Estuário do Sado se poderem também fazer boas observações.

Perna-longa

O que come?

O Perna-longa é uma ave limícola e portanto alimenta-se maioritariamente do que encontra nas lamas. É classificado do ponto de vista trófico, como sendo carnívoro, pois alimenta-se de uma grande variedade de invertebrados, sobretudo aquáticos (insectos aquáticos e suas larvas, borboletas e suas larvas, bivalves e gastrópodes, crustáceos, vermes e aranhas), escaravelhos e alguns pequenos vertebrados (girinos, peixes e seus ovos), ocasionalmente também sementes.

Quando podem ser observados?

Durante todo o ano no sul do país. Na Primavera e no Verão, podem também ser observados noutros pontos do país.

Ameaças?

O principal factor de ameaça para esta espécie está relacionado com a perda e destruição do seu habitat. Sendo o seu habitat preferencial salinas, um dos problemas que se põem é o caso da conversão destas em pisciculturas, pois isto resulta no desaparecimento do habitat reprodutivo. Outros factores de preocupação estão relacionados com a contaminação das águas, poluição, predação dos ovos por animais domésticos e selvagens e eventualmente caça.

Estatuto de conservação?

O estatuto de conservação da espécie é Não Ameaçado para Portugal e Desfavorável para a Europa.

Fonte: www.spea.pt

Perna-longa

Himantopus himantopus

Locais de observação: Brejos, Rios, corixos e baías.

Perna-longa

Uma das aves aquáticas com maior distribuição geográfica no globo terrestre, ocorre em todos os continentes e em várias ilhas oceânicas, isoladas. Suas longas pernas, vermelhas e com mais de um metro de comprimento, permitem que entre na água mais funda dos brejos, corixos e braços de rios. Caça insetos aquáticos e suas larvas, bem como moluscos, crustáceos, aranhas, minhocas e pequenos peixes. É tanto diurno, como noturno em suas caçadas, sendo ágil o bastante para pegar os peixes junto à superfície, enquanto caminha. O bico, negro, é longo e fino, levemente virado para cima.

Perna-longa

Durante o período reprodutivo, vários casais fazem seus ninhos a curta distância uns dos outros, seja nas margens, seja com vegetação flutuante. Apesar disso, cada casal é territorial e evita que as outras aves aproximem-se do ninho. Os dois sexos chocam os 4 ovos durante 22 a 26 dias, com os filhotes abandonando o ninho logo depois de nascidos e ficando com os pais no primeiro mês de vida. Suas pernas não são compridas no nascimento, crescendo rapidamente nas primeiras semanas de vida.

Perna-longa

Apesar da aparência frágil, são muito agressivos contra invasores e enfrentam aves maiores com destemor. Seu grito de alarme parece um latido curto (cachorrinho, nome do Rio Grande do sul), sendo emitido continuamente, até o perigo desaparecer. Em vôo, as longas pernas passam bastante o corpo e, com o bico, formam um conjunto harmonioso, ressaltado pelas asas e pela habilidade em fazer rasantes.

Perna-longa

Fora do período reprodutivo, reúne-se em grupos de até algumas dezenas de exemplares nas baías, corixos e braços de rio secando. Descansa nas praias do rio Cuiabá, sendo essa área, a do Riozinho e os corixos do sudoeste da RPPN os principais pontos onde é visto. Como alimenta-se usando a visão, é raro de ser observado no rio São Lourenço, em função da turbidez das águas desse último. Com as cheias, faz movimentos de amplitude desconhecida, podendo ser encontrado em brejos da parte central da reserva.

Fonte: www.avedomestica.com

Perna-longa

Himantopus himantopus

Perna-longa

Durante a época dos ninhos, os Perna-longas são os “reis” das salinas: com a sua silhueta elegante e as suas vocalizações ruidosas, dificilmente passam despercebidos.

Perna-longa

Identificação

De fácil identificação, o Perna-longa chama a atenção pelo forte contraste da plumagem: o corpo, a cabeça e o pescoço brancos contrastam com as asas pretas. As longas pernas rosadas conferem a esta limícola um aspecto de pernalta. O bico preto é fino e rectilíneo.

O nome espanhol desta espécie, “cigueñela”, é bastante sugestivo, dado que as cores e a silhueta desta ave faz lembrar uma cegonha em miniatura.

Abundância e calendário

Outrora uma espécie maioritariamente estival em Portugal, o Perna-longa pode hoje ser observado em Portugal durante todo o ano. É uma espécie das grandes zonas húmidas costeiras, onde frequenta sobretudo salinas e charcas ou pequenas lagoas. Localmente pode ser bastante comum, chegando a formar concentrações de algumas dezenas de indivíduos, sobretudo nas épocas de passagem migratória.

No interior é mais escasso, ocorrendo pontualmente em açudes ou pauis.

Onde observar

O Perna-longa pode ser facilmente observado nas principais zonas húmidas do litoral português, sendo particularmente comum nas zonas de salinas.

Litoral centro

É fácil de encontrar na Ria de Aveiro e no estuário do Mondego.

Lisboa e Vale do Tejo

Pode ser observado no estuário do Tejo (Ponta da Erva) e no vizinho paul da Barroca.

Alentejo

É frequente no estuário do Sado e na região de Elvas. Pode igualmente ser visto na lagoa dos Patos.

Algarve

Pode ser visto com facilidade no Ludo, na ria de Alvor, na Quinta do Lago, nas salinas de Santa Luzia e na reserva de Castro Marim. Também ocorre no estuário do Arade e na lagoa dos Salgados.

Fonte: www.avesdeportugal.info

Veja também

Rinoceronte

Rinoceronte, Reprodução, Características, Espécies, Mamíferos, Hábitos, Fotos, Classificação, Habitat, Tamanho, Animal, Anatomia, Comportamento, Rinoceronte

Rinoceronte Branco

Rinoceronte Branco, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Visão, Rinoceronte Branco

Rinoceronte de Java

Rinoceronte de Java, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Rinoceronte de Java

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.