Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Setter Irlandês

Setter Irlandês

ORIGEM E HISTÓRIA DA RAÇA

PUBLICIDADE

A origem do Setter Irlandês é muito antiga, datando muito anteriormente ao Setter Inglês. Não é muito esclarecida a história de suas origens. Acredita-se que o seu ancestral mais próximo seja o Pointer Espanhol, outras raças associadas é o Gordon Setter e, ainda, alguns entendidos da raça dizem ser originário de cruzamentos entre o Pointer Espanhol, Spaniel D’água Irlandês e o Terrier Irlandês.

Um cão da ilhota de Emerald, reconhecido como o único “cão passarinheiro” com pelagem vermelha e branca, popularizou-se na Irlanda como “Red Spaniel”.

Originalmente o Setter Irlandês apresentava pelagem vermelha e branca. Nos plantéis de St. George Gore, Mr. Jason Hazzard e do Conde de Enniskrillen a pelagem vermelha era dominante e estes animais eram refugados e doados. Assim o setter vermelho se popularizou, mas somente na América é que estes animais começaram a ser selecionados para pelagem vermelha intensa, perdendo-se então a cor branca da pelagem. Nos dias de hoje, fora do Brasil podemos encontrar as duas variedades de pelagem.

Foi no Século XIX que a raça teve sua primeira aparição com coloração vermelha intensa, quando o senhor Charles H. Turner fez importantes importações de alguns exemplares, marcando definitivamente o futuro da raça nas Américas.

Embora esta raça seja excelente para a caça, ela foi sendo desenvolvida, ao longo dos anos, como raça de show, devido a sua beleza incomparável e extrema inteligência para acompanhar e executar atentamente as ordens de seus donos, característica esta, essencial para animais que se apresentam em pista. Foi sendo deixado de lado a sua característica de “cão passarinheiro”, ficando presente apenas em poucos cães criados nos campos da Irlanda. Por causa disso acabou-se por se formar dois padrões, um pesado e mais corpulento utilizado em shows, e outro mais leve e ágil para caça.

Atualmente, os exemplares da raça Setter Irlandês são muito requisitados nas provas de agility e na terapia com crianças doentes.

NOME

O nome Setter vem do verbo “set” que no inglês significa apontar, e irlandês por sua origem. O cão desta raça aponta através dos seus movimentos e seu posicionamento o local exato da ave abatida.

Outros Nomes: Irish Red Setter e Irish Setter.

CARACTERÍSTICAS DA RAÇA

As descrições do Setter Irlandês podem variar conforme a localização de seu kennel, isto é, pode ser diferente de uma cidade e ou país para outros.

O Setter Irlandês é muito utilizado para caça de faisões e codornas nos campos da Europa. Esta característica deve-se ao fato do animal ser muito ativo e inteligente podendo ser treinado para auxiliar na apreensão destes pássaros. A raça é essencialmente esportiva (cão de tiro), no campo é um caçador de movimentos rápidos e no lar é um animal muito doce e leal. Apresenta personalidade calma, de fácil convívio com crianças e adultos.

O desenvolvimento do aprendizado do cão pode ser lento, contudo, uma vez ensinado ele pode assimilar as lições executando-as por toda sua vida ser necessitar de manutenção.

Sua aparência geral é de cor vermelho mogno, com orelhas grandes e caídas, a pelagem mais longa predomina no peito, nas pernas, orelhas e cauda diminuindo em direção a ponta. O brilho característico e sedosidade invariável do pêlo do Setter é sempre o seu maior chamativo de beleza, necessitando, então, de maiores cuidados.

É um cão esguio, pesando entre 30 e 35 Kg.

Setter Irlandês pode apresentar pelagem de coloração negra, que é terminantemente proibida. 
É considerado por muitos artistas plásticos como o mais belo dos cães, tanto parado como em movimento.

PADRÕES FCI

O Setter Irlandês é classificado entre os Cães de Aponte do Grupo 7 da FCI.

Cuidados

Como todas as raças que apresentam aptidão para atividades intensa e esportes, este animal deve receber uma alimentação bem balanceada, rica em boas fontes de proteínas e carboidratos, capazes de suprir suas necessidades físicas e metabólicas.

A suplementação com Ômega 3 e 6 é muito boa para garantir a manutenção da pelagem do animal, uma vez que este é seu principal atrativo.

É uma raça extremamente ativa, necessitando de atividade física diariamente, pois ele não para um minuto.

Visita ao Médico Veterinário, anualmente, para vacinações e avaliação geral são recomendadas. Para cães que são criados com a finalidade de caça; que estão sempre em contato com mata fechada, animais silvestres e outros relacionados; recomenda-se uma atenção especial quanto a presença de carrapatos, que facilmente podem ser adquiridos nas incursões do cão no mato. Estes parasitas são vetores de hemoparasitas que causam doenças severas aos cães.

DICAS E CUIDADOS COM A NUTRIÇÃO

Forneça somente alimento industrializado (rações). Jamais forneça comida caseira ou resto de comida. Por melhor preparada que seja a comida, ela nunca será tão balanceada e completa quanto a ração.

Ofereça somente rações fabricadas por Empresas idôneas e renomadas. Cuidado com produtos desconhecidos e/ou muito baratos. Geralmente não são bons para seu animal de estimação.
Informe-se à respeito.

Prefira alimentos secos e semi-secos aos úmidos (latas) e semi-úmidos (rações “macias”). Os secos são melhores e mais completos nutricionalmente e ajudam na limpeza dos dentes e prevenção do tártaro.

Jogue fora alimentos secos da vasilha não consumidos em 24 horas. Jogue fora aos alimentos semi-úmidos não consumidos em 1 hora. As latas abertas devem ser consumidas de preferência no mesmo dia (não deixar na geladeira por mais que 2 dias).

Coloque o alimento somente na hora da alimentação do animal. Crie hábito de horários.

Divida as refeições em 2 vezes para animais adultos. No caso de filhotes, deve-se dívidir em 4 vezes para animais de 2 a 4 meses e em 3 vezes para animais de 4 a 8 meses. Informe-se na embalagens sobre a

quantidade diária recomendada.

Prefira comprar embalagens fechadas do que o alimento por quilo (à granel).

Cães devem comer alimentos para cães, filhotes devem comer alimentos para filhotes e adultos para adultos. Jamais de alimento não

apropriado para seu animal.

Não dê doces, ou guloseimas humanas (pipocas, sorvetes, pizzas, cervejas, etc) para seu Setter. Neste caso forneça snacks ou petiscos próprios para animais, vendidos em Pet Shops, Agropecuárias ou Supermercados. 
Prefira os funcionais (aqueles que previnem tártaro, melhoram o hálito ou diminuem o odor das fezes) do que os simples biscoitos sem funcionalidade.

Não dê ossos de galinha para seu Setter.

Não o alimente muito tarde da noite e principalmente não brinque ou agite seu animal após as refeições para evitar problemas, principalmente torção de estômago.

Forneça água fresca e limpa. Troque a água da vasilha diversas vezes ao dia.

Limpe as vasilhas do alimento todo dia.

Estas são algumas dicas. Para maiores esclarecimentos converse com seu veterinário ou com um profissional.

ESQUEMA DE VACINAÇÃO

2 meses idade: 1ª dose V-8 ou V-10 + Giardia
3 meses idade: 2ª dose V-8 ou V-10 + Giardia
4 meses idade: 3ª dose V-8 ou V-10 + Anti – Rábica 
5 meses idade: 4ª dose V-8 ou V-10 ( indicada em casos especiais )

* Vacina intra-nasal contra gripe ( Tosse dos Canis ): uma dose em animais filhotes ( a partir dois meses idade ) e reforço anual.

* Vacina contra Leptospirose: seis meses após a última da V8 em regiões endêmicas ou propriedades onde existe um alto desafio ( presença de ratos, córregos, repreas ou terrenos baldios ou chácaras nas proximidades ).

O reforço de todas as vacinas ( V-8 ou V-10 + Anti-Rábica + Tosse dos Canis + Giardia + Leptospirose ) deve ser feito anualmente.

Alguns cuidados básicos para garantir uma boa imunização:

  • Perfeito estado de saúde
  • Vermifugação prévia
  • Obs.: O cumprimento deste protocolo de vacinação visa proteger o cão contra as doenças Cinomose, Hepatite Infecciosa, Laringo-traqueíte, parvovirose, Parainfluenza, Coronavirose, Leptospirose, Tosse dos Canis, Giardíase e Raiva.

    Filhotes

    A vacinação é o primeiro ato de responsabilidade e carinho que o proprietário terá com seu filhote, afinal, além de protegê-lo contra doenças perigosas, e até fatais, previne contra outras, que podem ser transmitidas a nós mesmos (como a raiva e a leptospirose). A aplicação de todas as doses necessárias deve ser feita na clínica, pelo veterinário de confiança do proprietário. O animal não deve ser levado a passeios antes da terceira dose da vacina V8, para cães, o que ocorre por volta dos quatro ou cinco meses de idade.. Antes desse período o animal não está totalmente protegido contra as doenças que a vacina combate, sendo necessário que sejam resguardados e se evitem passeios e aglomerados, como parques, até cerca de 15 dias após a última vacina.

    A vermifugação é indicada para que os filhotes estejam livre dos vermes, antes mesmo que eles venham a se tornar “uma doença”. Isso porque a verminose prejudica a saúde do animal (provocando falta de apetite, anemia e distúrbios gastrointestinais como vômitos e diarréias) e representa um risco para a família, uma vez que os vermes dos animais podem também infestar as pessoas.

    A alimentação é de extrema importância nesse período de desenvolvimento, portanto, após o desmame, que deve ser de aproximadamente 40 dias, o animal pode iniciar gradualmente uma dieta, com uma ração comercial de qualidade, específica para a idade. Caso o animal não tenha tido a oportunidade de receber o leite da mãe, podemos substituí-lo por um leite artificial caseiro ou comercial. A comida “caseira” é contra indicada, afinal ela não fornece as necessidades básicas e nem é tão balanceada quanto às rações comerciais, para um desenvolvimento seguro do animal. Evite dar leite ao cãozinho: os cães não digerem a lactose e o leite poderá causar desarranjos intestinais. Não se esqueça também de manter sempre água fresca à disposição do animalzinho.

    Para a higienização do filhote jovem (com menos de 40 dias), caso haja a necessidade, deve-se utilizar produtos específicos para higiene suave, como loções de limpeza que são aplicadas sem a necessidade de molhar o animal. Animais com mais de 40 dias, podem ser banhados em intervalos mensais ou quinzenais, com água morna corrente e shampoos suaves indicados para filhotes. O banho deve ser dado nos horários mais quentes do dia e sempre os mantendo com proteção das orelhas, para evitar otites. A secagem dos animais é importantíssima, já que qualquer friagem pode causar estresse ao organismo e até deixá-lo doente.

    Para animais de pêlo longo, acostume-se a escovação da pelagem, esse ato além de manter a pelagem bonita, permite que você perceba a presença de pulgas, carrapatos, lesões etc. Para a limpeza das orelhas, devemos utilizar produtos otológicos específicos, ou um algodão seco. Não permita que entre água dentro dos condutos auditivos no banho, por isso sempre tome cuidado e utilize algodão para protegê-los. As unhas longas também devem ser aparadas quando o animal não está habituado a gastá-las.

    Vermifugação

    Muitas vezes, os proprietários imaginam que seu animal está livre dos parasitas, pois não percebem a sua presença. Temos que lembrar que muitos “vermes” são pequenos e, às vezes, até microscópicos (não dá para ver a olho nu).

    Para que se possa controlar a quantidade de parasitas, deve-se utilizar vermífugos (medicamentos indicados para eliminar vermes intestinais) em seu Setter de todas as faixas etárias.
    O processo de vermifugação é importante no tratamento e controle de infestações por parasitas, pois os animais podem estar muito próximos aos proprietários, tendo chance de transmitir uma série de doenças. Além disto, a saúde do animal é preservada com esta atitude.

    As infecções podem ser adquiridas via oral (ingestão de água, alimentos contaminados), por contato (percutânea), vetores mecânicos (insetos, parasitas externos como pulgas) e através do contato materno (através do leite e contato direto com a mãe nos primeiros dias de vida).

    O esquema de vermifugação (doses e frequência de administração) deve ser estabelecido pelo médico veterinário responsável pelo animal. De maneira geral a vermifugação tem início enquanto filhote.

    Fonte: www.setterirlandes.com.br

    Setter Irlandês

    Setter Irlandês

    O companheiro meigo de todas as horas

    Setter Irlandês é um cão de caça de porte grande e pêlo longo. Tem como principal característica a agilidade, a obediência e um excelente olfato. Pode ficar o dia inteiro caçando que não se cansa.

    É um companheiro inteligente, leal e está sempre de bom humor. É extremamente ativo, por isso, adora brincadeiras. Para quem pratica esportes ou atividades ao ar livre, o Setter é um dos melhores cães para esta finalidade. É uma companhia e tanto!

    Com as crianças, costuma ser muito paciente. Com uma ótima saúde, pode viver até 16 anos. Sua altura varia de 63 a 68 cm e o peso de 27 a 31 kg.

    O que mais impressiona os criadores, de modo geral, é a capacidade do Setter de perceber situações de emergência e interagir para resolvê-las.

    O Setter Irlandês precisa inevitavelmente de exercício para gastar as suas forças. Caso contrário, pode ficar irriquieto demais e até aprontar travessuras como destruir os estofados e outras coisas do gênero. Por isso, ele deve caminhar pelo menos por uma hora ao dia.

    A sua pelagem é brilhante, lisa e bem assentada. A cor é acaju intenso, sem qualquer traço preto. Por ter o pêlo longo, necessita de escovação geral uma vez por semana e a cada dois dias nas partes mais compridas.

    Origem e História

    A origem precisa do Setter Irlandês é obscura, mas considera-se que ele seja resultado da mistura entre spaniels, pointers e outros setters – especialmente o Setter Inglês e o Setter Gordon. No século XVIII, os irlandeses precisavam de um cão que trabalhasse rápido, com um faro aguçado e grande o suficiente para ser visto à distância. Eles encontraram tais características nos setters vermelhos e brancos originados desses cruzamentos.

    Os primeiros canis dos Irish Red Setters (Setters Vermelhos Irlandeses) — como eram conhecidos até então — surgiram por volta de 1800. Em pouco tempo, esses cães ganharam fama por sua cor admirável.

    Ele foi desenvolvido pela aristocracia irlandesa para caçar aves. A origem do nome Setter vem do verbo to sit, que em inglês significa sentar. Isto porque a sua postura para indicar a caça é sentada.

    Seus ancestrais foram os espanhóis Spaniels e outros cães de caça que já a apontavam sentados.

    No princípio ele era branco com grandes manchas vermelhas. Em 1770, Maurice Nugent O’Cannor começou um trabalho de seleção para eliminar o branco. Hoje são duas raças diferentes: O Setter Irlandês Ruivo e Branco e o Setter Irlandês Ruivo, sendo que o ruivo se tornou bem mais popular que seu ancestral.

    O nome Setter vem do verbo “set” que no inglês significa apontar, e irlandês por sua origem. Ele aponta através dos seus movimentos e seu posicionamento o local exato da ave abatida.

    Fonte: www.petfriends.com.br

    Setter Irlandês

    Setter Irlandês

    É um lindo cão de pelagem longa, ótimo companheiro e de aparência nobre e elegante.

    Antigamente o Setter Irlandês era branco, com manchas vermelhas, evidenciando uma origem em comum com o Setter Inglês.

    Sua cabeça é longa e fina, nem estreita nem modelada. Seus olhos são castanhos, e não muito grandes.

    As orelhas são de tamanho moderado, textura fina, de inserção baixa e posterior. A cauda é moderadamente longa, proporcional à estatura do cão. 
    A pelagem é curta e fina na parte anterior dos membros e na ponta das orelhas, e nas outras partes do corpo é de comprimento moderado, de 5 a 6 cm. de comprimento, de textura sedosa, bem estirado, com franjas ricas, mas leves. A cor é castanho brilhante, sem vestígios de preto.

    A altura do Setter Irlandês deve ficar entre os 56 e 64 cm. na altura da cernelha, nos machos e deve ficar entre os 54 e 62 cm. nas fêmeas. O peso deve estar entre os 20 e os 30 kg., proporcionais ao tamanho do animal.

    Setter Irlandês

    Fonte: www.guiaderacas.com.br

    Setter Irlandês

    Setter Irlandês

    Origem: Irlanda 
    Classificação: Cães de Caça 
    Altura: 52 para 62 cm 
    Peso: 18 para 25 Kg

    Tipo de Pêlo

    Comprido e sedoso no corpo e curto e fino na cabeça. A pelagem é avermelhada (acaju) e lustrosa e não tem vestígios de preto.

    Temperamento

    Obediente, activo e sensível.

    Introdução

    Proveniente da Irlanda, esta raça parece ser mais antiga que o Setter Inglês, tendo como antecessor comum o Braco Espanhol. É caracterizada pela sua enorme energia e constante actividade. Mesmo com 14 ou 15 anos, o Setter Irlandês demonstra a mesma vivacidade e agilidade da juventude. Com tanta energia este cão deverá habitar locais pequenos e fechados. Para além disso, a sua enorme disponibilidade para brincar podem causar alguns estragos em casa. Esta excepcional energia faz com que seja necessário dedicar um pouco mais tempo e atenção ao seu treino. Embora seja de porte respeitável, esta raça não é indicada para guarda de casas ou propriedades uma vez que são extremamente brincalhões. Quando muito servem para dar alarmes uma vez que ladram a qualquer ruído suspeito.

    Descrição

    O Setter é um cão de porte médio, possuindo um corpo elegante e ágil. O nariz é quadrado e deve ser preto ou de cor escura. Os olhos são castanhos ou avelã. Tem o stop pouco acentuado. As orelhas são triangulares e pendentes. Tem um pescoço comprido e musculoso e um peito estreito, sendo o tórax profundo e em quilha. Os membros anteriores são verticais e fortes, e são recobertos na sua face caudal por um franjado fino e comprido. A cauda é orientada para baixo e é franjada. Pode possuir uma malha branca no peito pois não implica desqualificação em exposições.

    Fonte: animais2.clix.pt

    Setter Irlandês

     

    CHEIO DE VIDA

    Ele tem qualidades que o tornam insubstituível para quem procura companheiro diferente.

    Entre os cães de caça de porte grande e pêlo longo, ele é o mais conhecido. Suas qualidades para essa finalidade também são famosas: veloz, ágil, obediente e dono de excelente olfato, tem resistência para passar o dia inteiro caçando. Como companheiro, também reúne atrativos nota dez. Está sempre de bom-humor, é leal, inteligente, meigo e sociável. Sua saúde impressiona. Pode chegar aos 15 ou 16 anos praticamente com o mesmo vigor da juventude.

    SUMIÇO

    Apesar de tantas qualidades, o número de registros da raça minguou cerca de 90% em dez anos. Atualmente, há mais ex-criadores do que criadores. O principal motivo do sumiço do Setter é que ele não se encaixa em nenhum dos dois perfis dos cães mais procurados, formados em função da necessidade das pessoas. De um lado, o aumento da violência fez disparar a procura por raças de guarda – e todo mundo sabe que o Setter é manso para isso. De outro, cada vez mais há gente morando em prédios ou em casas pequenas. Nestas circunstâncias, a opção daqueles que querem um cachorro recai, geralmente, nas raças maiores.

    O Setter é grande e ativo demais para ser privado de espaço. Para se ter uma idéia, no livro Perfect Puppy que compara 56 raças pontuando-as de um a dez em vários comportamentos, o Setter ganha nota máxima em atividade geral, que é definido como o quanto o cão se move ou corre sem ser estimulado. Suads Achou Santos, do Canil Kalifa, São Paulo – SP, que cria a raça em apartamento há dez anos, admite que nessas condições o Setter exige dedicação praticamente integral. “Levo os meus para passear seis vezes ao dia, o que é bom para mim também, pois me exercito”, diz. “Quando diminuo a freqüência eles ficam inquietos e zanzam sem parar por todos os aposentos”. Como latem muito, os desentendimentos com vizinhos também fazem parte da rotina da criadora.

    Há ainda outro inconveniente. Por ser muito ativo, suas brincadeiras podem deixar um rastro de estragos consideráveis. “O divertimento preferido de um dos meus exemplares é ficar escondido atrás das cortinas esperando alguém para surpreender”, conta Mauro Atalla, do Canil Sumatra, Carapicuiba – SP. “Várias cortinas já vieram abaixo com o seu bote”. Mauro diz também que sempre que um deles passa com a cauda abanando perto da mesa de centro, não sobra um enfeite de pé.” Quando se mora numa casa e eles estão agitados é só colocá-los para fora, solução impossível para quem vive em apartamento.”

    PÚBLICO FIEL

    Por mais que os números apontem para um queda na popularidade, o Setter tem um público fiel, que não o trocaria por raça alguma. “Costumo dizer que os amantes do Setter são muito parecidos com ele”, diz Mauro. “Tratam-se de pessoas alegres, de bem com a vida, que não se irritam com suas folias.” João Carlos Aguiar, proprietário de quatro exemplares, conta que o que mais o encanta e a todos os seus familiares é justamente o espírito de filhotão, que o Setter não perde nem mesmo na idade adulta. ” Outro dia, um deles fez tanta festa para minha mãe que acabou derrubando-a no chão”, conta. “Se ela ficou brava? Ao contrário, achou graça.”

    Entre as pessoas que moram em casa e gostariam de ter um cão de grande porte, há aquelas que receiam adquirir exemplares de guarda por temer eventuais acidentes. Nesse caso o Setter se revela uma boa opção. “Apesar de mansos são ótimos cães de alarme, pois latem para qualquer ruído suspeito” diz a ex-criadora Maria Cristina Toledo, que exatamente por este motivo comprou seu primeiro exemplar, há sete anos.

    Damian Fernandez Alvarez, outro amante da raça, acha que não há companheiro melhor para quem pratica esportes ao ar livre, como corrida e ciclismo. “Ele tem uma energia impressionante e depois de quarenta minutos correndo não mostra sinal algum de cansaço.” Mesmo com todo esse pique, o Setter é capaz de passar horas quieto ao lado do dono. “O seu maior prazer, depois de uma bela corrida no campo, é ficar perto das pessoas que gosta, coisa impensável para um Pointer, por exemplo, que não pára dentro de casa por cinco minutos”, compara Willian Gusman, criador das duas raças pelo Canil Caçador do Pantanal, Campo Grande – MS. “O Setter é sem dúvida mais dependente e afetuoso”, completa Patrícia Rizzo Ferreira, casada com Willian. “É também muito paciente com as crianças, com quem se dá super bem.”

    O que mais impressiona os criadores, de modo geral, é a capacidade do Setter de perceber situações de emergência e interagir para resolvê-las. Eliana Assi, do Canil Iguatemi, São Paulo – SP, conta que certa noite seu marido chegou em casa sem a chave. Por brincadeira, ele fingiu desespero para um dos exemplares que estava na janela. ” Imediatamente ele veio até o meu quarto e me acordou latindo e colocando a pata na cama, sem jamais ter sido treinado para isso.” Segundo José Soares, adestrador de cães e proprietário da escola Húngaro Soares, os cães ativos como o Setter geralmente têm mais iniciativa e são mais fáceis de adestrar que os de temperamento pacato.

    Adestrado em um centro de treinamento para cães que moram com doentes, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, um Setter se destacou e virou notícia internacional, em meados de março deste ano. Trata-se da cadela Lyric, de oito anos. Ao ouvir o alarme que indicava problemas com o aparelho de oxigênio, que controlava a respiração da norte-americana Judi Bayly, tirou o telefone do gancho e pressionou a tecla programada para discar o número dos bombeiros locais. Com seus latidos, acionou uma equipe de paramédicos que chegou ao local em poucos minutos, salvando a vida de sua dona.

    EXERCÍCIO NELE

    Um cão tão cheio de energia como o Setter precisa de exercício para gastar suas forças. Caso contrário, pode ficar irriquieto demais e até aprontar travessuras como destruir os estofados e outras coisas do gênero. Por isso, faça-o caminhar por uma hora ao dia. O ideal são duas. Assim, além de gastar suas forças, ele desenvolverá a musculatura esperada, não se tornando um cão de aspecto estreito e fraco.

    Aliás, este é um dos problemas do Setter no Brasil. A maioria dos cães é excessivamente leve, como diz o jargão dos criadores. José Peduti Neto, juiz de todas as raças e professor de anatomia veterinária da USP, comenta que eles têm o corpo estreito demais e também as pernas muito finas que parecem mais longas do que deveriam. Há duas causas que levam a isto. A primeira é exatamente a falta de condicionamento físico, que traz uma musculatura pouco definida. A outra, mais grave, é um problema de ossatura fina, que vem com conseqüência da consangüinidade, ou seja, do cruzamento entre parentes. E aí, de nada adiantam os exercícios. Como a criação diminuiu, os Setters em reprodução acabam por ser sempre os mesmos, portanto há excesso de parentes acasalando e – como já é sabido – os problemas aparecem. Resultado: a ossatura insuficiente os torna esguios demais.

    A consangüinidade trouxe também Setters muito pequenos. Apesar de o padrão não estabelecer um limite, quando a raça é menor que cerca de 57 centímetros fica descaracterizada.

    Quem quer um Setter necessita de algum tempo para cuidar da sua beleza. Uma vez por semana deve-se fazer uma escovação geral na pelagem e a cada dois dias nas partes mais compridas. 
    Cães que recebem alimentação muito gordurosa ficam com a pelagem excessivamente oleosa e tendem a ter seborréia (caspa).

    Como conseqüência, a pele escama, fica vermelha e traz muita coceira. Para prevenir, ofereça uma dieta menos rica em gorduras e dê banho uma vez por semana com sabão de coco.
    Caso apareça mesmo assim, o tratamento deve ser feito com xampu anticaspa ou sabonetes específicos.

    As orelhas requerem atenção especial. Como são longas estão mais propensas à otite, pois ficam abafadas, retendo umidade e aumentando a produção de cera. Não descuide, limpe-as semanalmente.

    Quanto aos olhos, também precisam de higiene diária com algodão e água boricada. É que o Setter apresenta com freqüência corrimento ocular que acaba por acumular sujeira. Daí a conjuntivite ser comum na raça.

    O COMEÇO

    Ele foi desenvolvido pela aristocracia irlandesa para caçar aves. A origem do nome Setter vem do verbo to sit, que em inglês significa sentar. Isto porque a sua postura para indicar a caça é sentada.

    Seus ancestrais foram os espanhóis Spaniels e outros cães de caça que já a apontavam sentados.

    No princípio ele era branco com grandes manchas vermelhas. Em 1770, Maurice Nugent O’Cannor começou um trabalho de seleção para eliminar o branco. Hoje são duas raças diferentes: 
    O Setter Irlandês Ruivo e Branco e o Setter Irlandês Ruivo, sendo que o ruivo se tornou bem mais popular que seu ancestral.

    O Clube do Setter Irlandês Ruivo foi fundado por volta de 1882, em Dublin.

    PADRÃO OFICIAL

    CBKC n° 120 a 29/4/94 
    FCI n°120 GB 10/08/92

    Classificação FCI:

    Grupo 7: cães de Aponte

    Seção 2: Pointers e Setters das Ilhas Britânicas

    País de origem: Irlanda – Grã-Bretanha

    Nome do país de origem: Irish Setter

    Utilização: caça de aponte

    Nome neste Padrão: Seter Irlandês Ruivo (Seter com um “t”).

    Prova de trabalho: para o campeonato independente.

    Aparência Geral: de um cão raçudo, atlético, tendendo mais que uma figura de todo vigor e franjas, do que fôrça e muscúlos.

    Temperamento: de alta qualidade, expressão gentil, aristocrática, severa e inteligente.

    Cabeça: longa, esguia, sem ser estreita ou pontuda, sem rusticidade.

    Região do Crânio

    Crânio: oval entre as orelhas, com crista occipital bem definida

    Stop: bem definido.

    Região Facial

    Trufa: mogno escuro, castanho escuro ou preta

    Focinho: profundo e razoavelmente em esquadro. Longo do stop à ponta da trufa.

    Supercílios: protuberantes

    Maxilares: fortes, ambos, aproximadamente, de mesmo comprimento, sem apresentar lábios pendentes.

    Mordedura em tesoura.

    Olhos: castanho ou marrom escuros, de tamanho médio.

    Orelhas: de tamanho médio, couro fino, inserção baixa e bem para trás, portadas caídas junto às faces em dobra nítida.

    Pescoço: de tamanho médio, musculado, suavemente arqueado, sem barbelas.

    Tronco: proporcional a altura na cernelha.

    Linha Superior: suavemente descendente da cernela para a garupa.

    Ombros: refinado nas pontas, profundo e bem articulado.

    Lombo: musculoso e suavemente arqueado.

    Peito: profundo e estreito na frente. Costelas bem arqueadas, tórax bem amplo, sem ser “em barril”.

    Linha inferior: inclinada, mas reta.

    Cauda: de comprimento médio, proporcional a altura na cernelha, de inserção baixa, grossa na raíz, afinando bem para a ponta. Portada no nível ou abaixo da linha superior.

    É permitida uma ligeira elevação quando o cão está imobilizado, amarrando ou apontando a caça.

    Membros Anteriores: retos e tensos, com boa ossatura.

    Cotovelos: trabalhando, bem ajustados, rente ao tórax e corretamente direcionados para a frente.
    Membros Posteriores: longos e poderosos.

    Pernas: longas e musculadas desde a garupa até os jarretes, fortes e curtos.

    Joelhos e jarretes: bem angulados e corretamente direcionados para a frente.

    Patas: pequenas, firmes. Dígitos fortes, compactos e bem arqueados.

    Movimentação: desejável que seja fluente, com boa propulsão. Cabeça portada alta. Posteriores com suave e poderosa propulsão. Anteriores com bom alcance de passada como se tracionasse o solo, permanecendo, mesmo assim rente ao solo. A movimentação com membros que cruzam ou de movimento ondulante á altamente indesejável.

    Pelagem: na cabeça, face anterior dos membros e segmento distal das orelhas, é curta e fina. Nas demais partes do tronco e dos membros, de comprimento moderado, bem assentada, rente à pele e, tanto quanto possível, sem cachos ou ondulações. No segmento proximal das orelhas, é longa e sedosa; na face posterior dos membros, é longa, fina e, suficientemente densa ao longo da linha inferior, para uma formosa franja, que se estende ao antepeito e à garganta. Nas patas, boa quantidade de pêlos entre os dígitos.

    A cauda deve apresentar, na face ventral, uma bela franja, de comprimento medianamente longo, que diminui em direção à ponta.

    A pelagem é, inteiramente, lisa e bem assentada.

    Cor e marcas: (chestnut) castanho intenso, sem qualquer traço preto. Uma mancha branca no peito, garganta, queixo ou dedos, uma pequena estrela, ou uma risca estreita, acentuada, na testa ou na cabeça, não desqualificam o cão.

    Faltas: qualquer desvio, dos termos deste padrão, deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

    Nota: os machos devem apresentar dois testículos, de aparência normal, bem desenvolvidos e acomodados na bolsa escrotal.

    Fonte: www.petbrazil.com.br

    Setter Irlandês

    CURIOSIDADES SOBRE A RAÇA

    Da Irlanda, originando por volta de 1700, veio o muito admirado Setter Irlandês. Este cão foi criado para a caça, tirando o que havia de melhor no Irish Water Spaniel, Gordon Setter e Springer Spaniel.

    COMO O CÃO SE PORTARÁ?

    Não devem haver muitas raças tão facilmente reconhecíveis quanto o belo e aristocrático Setter Irlandês – freqüentemente chamado erroneamente de ‘Red Setter’. O mogno vermelho do pêlo em um cão em boas condições brilha como cetim. Tendo sido declarado Melhor da Competição em Crufts várias vezes, a raça conseguiu mais admiradores. O Setter Irlandês é um companheiro bastante amável e é agradável de ter em família. É um erro, no entanto, não considerar a quantidade de exercício necessário para esta raça, e o treinamento necessário para que seja socialmente aceitável e um companheiro feliz. A raça continua sendo ótima trabalhadora no campo e deve continuar muito popular por muito tempo ainda. A pelagem é simples de escovar/pentear e o brilho é resultado tanto dos cuidados como de boa alimentação e do ambiente em que vive. Setters Irlandeses devem ter mordedura em tesoura. Seus dentes devem ser limpos regularmente e as orelhas devem ser inspecionadas semanalmente. Problemas em qualquer uma destas áreas devem ser informados ao veterinário. As unhas devem ser mantidas em um comprimento apropriado.

    O CÃO PERFEITO PARA COMPETIÇÕES

    O Setter Irlandês é um animal ativo e cheio de qualidades. A raça precisa ter uma longa cabeça mas que não seja nem estreita nem pontuda. O crânio é oval e o cão tem uma occipital bem definida. A trufa deve ser mogno escuro, avelã escura ou preta. Os olhos devem ser marrons escuros e não muito grandes, com uma expressão amistosa. De textura fina, as orelhas tem inserção baixa, têm uma dobra nítida e pendem próximo à cabeça. O peito é o mais profundo possível, mas relativamente estreito na frente. É necessário bastante espaço para os pulmões. A linha superior deve ser reta, descendo levemente a partir da cernelha. Pequenas patas com dedos fortes. A cauda tem comprimento moderado e é inserida pouco abaixo do nível do dorso, e deve ser portada no nível ou pouco abaixo do nível do mesmo. O todo é completado por uma movimentação livre e fluida mas com grande propulsão.

    CARACTERÍSTICAS DA RAÇA

    Grupo, segundo CBKC/FCI Cães Apontadores

    Porte Grande

    Altura/peso médio 64 – 69cm / 27 – 32kg

    Cuidado com a pelagem Simples

    Temperamento Afetuoso

    Necessidade de exercícios Necessário

    Média de vida 12 – 14 anos

    Observações especiais

    Branco no peito, pescoço, queixo, ou dedos, pequena estrela na testa, lista branca estreita no focinho ou na face não é desclassificatório. 

    Fonte: www.obedienciaeagility.com.br

    Setter Irlandês

    País de origem

    Irlanda – século XVIII

    Função original

    Trazer caça abatida

    História

    Setter Irlandês é mais conhecido como Irish Red Setter (setter vermelho), devido a coloração acaju. O Irish Water Spaniels, Gordon Setters e Springers Spaniels, todos contribuíram muito para a sua evolução. Provavelmente é mais antigo que o Setter Inglês.

    Descrição

    Tem linhas mais puras que o seu parente, o red and white. A altura varia entre 64 e 69 cm e o peso entre 27 e 32 kg (as fêmeas são menores e pesam menos). Os olhos são marrons ou avelã-escuro; a orelha é triangular e delicada, fina ao tato; peito estreito; a cauda é mantida horizontalmente e é franjada; o pêlo é longo e sedoso, curto e fino na cabeça e com franjas longas e finas na parte posterior das pernas. A cor é acaju dourado e lustroso, sem o mínimo vestígio de preto. Algum branco no peito é comum e não o desqualifica. Pode viver de 18 a 20 anos.

    Comportamento

    É um cão ativo e sempre disposto brincar. É popular como animal de estimação, mas precisa de exercício. Requer também mais adestramento que os cães de raças afins. É afetuoso, sensível, e um excelente cão de companhia.

    Utilização

    Possui grande velocidade, ótimo faro e resiste a qualquer terreno inclusive sob qualquer clima.

    Fonte: www.animalnet.com.br

    Conteúdo Relacionado

     

    Veja também

    Leão

    Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

    Víboras, Calangos e Tartarugas

    Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

    Víbora

    Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

    300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+