Breaking News
Home / Animais / Macuco

Macuco

PUBLICIDADE

Tinamus solitarius

Características

É o maior dos representantes meridionais da familia Tinamidae medidno 52 cm de comprimento. O macho pesa de 1200 g a 1500 g e a fêmea de 1300 g a 1800 g. Ave inconfundível pela coloração do dorso pardo azeitonado e ventre cinza-claro.

Habitat

Floresta, mas pode ser encontrada em áreas como córregos e grotas de difícil acesso.

Ocorrência

Por todas as regiões florestadas do Brasil Oriental, indo de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, incluindo Minas Gerais, Sul de Goiás e Sudeste de Mato Grosso. Ocorre também no Paraguai e Argentina.

Hábitos

Desconfiados, imobilizam-se instantaneamente de pescoço ereto, parte posterior do corpo levantada ou deitam-se; algumas vezes. Quando assustados e perseguidos, fingem-se de mortos. Escondem-se ocasionalmente em buracos. Levantam vôo apenas como último recurso pois são muito pesados e retilíneos, o que dificulta evitar os obstáculos. Gostam de tomar banho de poeira além de banhos de sol. A sua plumagem freqüentemente adquire, por estar impregnada, a cor da terra local. Sob chuva adquirem forma ereta (sua silhueta então assemelha-se à de uma garrafa) deixando a água escorrer sobre a plumagem. Empoleira-se para dormir e andam em casais.

Alimentação

Frutos caídos, folhas, sementes duras e também de alguns pequenos artrópodes e moluscos.

Reprodução

Cor do ovo verde-turquesa ou azul. A fêmea põe os ovos no intervalo de três a quatro dias, completando a postura com seis ovos. O macho se incube da tarefa de chocar e criar filhotes, sistema de reprodução que envolve a poligamia. Não se empoleiram enquanto se dedicam a essa tarefa.

Predadores naturais

Gato-do-mato, raposa, guaxinins, furões, gambás e iraras, além dos gaviões e corujas. Também os ninhos podem ser saqueados por cobras, macacos e outros carnívoros.

Ameaças

Estão ameaçados pela destruição ambiental e pela caça indiscriminada. Um novo perigo são as caçadas noturnas facilitadas pelas modernas e possantes lâmpadas que não tem dificuldade em localizar a ave no poleiro.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Macuco

Nome popular: Macuco
Nome científico: Tinamus solitarius
Onde vive: De Pernambuco a Argentina e Paraguai
Quanto pesa: A fêmea, maior, pesa 1,8 quilos.
Habitat: Chão das matas
O que come: Frutas, sementes e insetos.
Reprodução: Seis ovos, choca 20 dias.

Macuco

O macuco é uma ave de carne tão boa que o caipira diz que a onça aprendeu a piar imitando macuco, para atraí-lo. Também conta que, quando o caçador vai atrás do macuco, pode encontrar a onça, mas o que acontece é que tanto o homem como a onça são atraídos pelo canto da ave, que pia até de noite.

Sem levar em conta a lenda, a verdade é que os homens e carnívoros caçam o macuco há milênios e a ave só sobrevive porque a fêmea bota tanto que apenas a destruição da mata está conseguindo acabar com o macuco.

O macho jovem do macuco tem uma única fêmea, mas, ao envelhecer, passa a acasalar com duas ou mais e o azar é dele, porque nessa espécie o domínio é da fêmea, que é também maior que o macho.

Quando os filhotes nascem, a fêmea os deixa com o pai, que precisa manter juntos os macuquinhos e arranjar aranhas e vermes para todos, pois a proteína animal é vital para o crescimento dos filhotes.

O ninho do macuco é no chão e a fêmea geralmente bota 6 ovos, mas em cativeiro, talvez por se sentir segura, faz posturas de até 12 ovos azul-turquesa, muito bonitos. O macuco se dá bem em cativeiro, porque seu coração é tão pequeno que não irriga os músculos do peito para os vôos longos, e por isso a ave prefere o chão.

Luiz Roberto de Souza Queiroz

Fonte: www.jperegrino.com.br

Macuco

Classificação Científica

Reino: Animal
Filo: Chordata
Classe: Aves
Família: Tinamide
Ordem: Tinamiformes
Gênero: Tinamus (há 9 Gêneros)
Espécie: Tinamus solitarius
(há 47 espécimes)
Sub-espécie: Tinamus solitarius pernambucensis Tinamus solitarius solitarius

Tamanho: 50 cm
Peso: 1.2kg a 1.5kg

NOME

Macuco, nome de orígem indígena (tupi-guarani. É uma ave que anda pelo chão das florestas.

Reprodução

O macho é quem choca os ovos, que são de cor verde-azulada. A reprodução em cativeiro é fácil. Um macho geralmente é polígamo, o harém é composto por 3 ou 4 fêmeas, a postura de uma fêmea varia entre 4 a 6 ovos.

Habitat

Florestas, florestas secundária, savana, estepes, cerrados, áreas cultivadas, rios, corregos a lagoas. Alimenta-se de sementes, frutas e pequenos animais.

Risco de extinção

Estado crítico: 2 espécimes
Vulnerável: 5 espécimes
Ameaçado: 4 espécimes

Distribuição

América do Sul até o sul do México

Evolução

A evolu#231ão desta ave começa com os ratites que incluem os avestruzes, emas, cassowaries, kiwis e os já extintos moas e pássaro elefante de Madagascar.

Característica Física

Tinamous são aves que vivem no chão, possui corpo compacto, pescoço esbelto, cabeça pequena e bico curvo para baixo. As asas são pequenas e a capacidade de voo é reduzida. Rabo pequeno, macho e fêmea possuem a mesma plumagem, mas a Fêmea tem uma plumagem um pouco mais brilhante.

Fonte: www.geocities.com

Macuco

Ave Típica da Mata Atlântica

Muito vulnerável como outros galináceos silvestres, o macuco vive normalmente no chão da mata e só voa quando assustado ou a fim de empoleirar-se para dormir, quase sempre no mesmo lugar.

Ave da família dos tinamídeos, a que também pertencem jaós, perdizes e codornas, o macuco (Tinamus solitarius) é típico da mata atlântica.

De porte igual ou maior que o da galinha, é muito arisco e alimenta-se de insetos, vermes, pequenos frutos ou sementes.

Tanto nele como em seus congêneres, os bordos das escamas plantares do tarso são arrepiados, o que facilita a preensão aos galhos. Faz o ninho com folhas secas, ao pé de uma árvore, e põe de cinco a nove ovos, lisos e reluzentes, amarelados ou verde-azulados, equivalentes em tamanho aos ovos da galinha.

O macuco emite um pio característico, que consta de apenas uma nota prolongada; o da fêmea no choco, por sua tremulação, é conhecido como “sororoca”.

Os predadores naturais do macuco são os carnívoros, sobretudo onças e gatos-do-mato, que os perseguem assiduamente.

Em algumas regiões do Brasil, as aves do gênero Tinamus, representado no Brasil por cinco espécies, são conhecidas indistintamente pelos nomes de “macuco” e “inhambu”.

Fonte: www.emdiv.com.br

Macuco

Tinamus solitarius

Ordem: Tinamiformes
Família: Tinamidae

Características

Dorso pardo-azeitonado, ventre cinza-claro. Cabeça pequena, bico fino e mole. Pescoço longo e fino. Corpo volumoso com a parte posterior mais alta pela plumagem cheia. É uma das poucas espécies que se empoleiram para passar a noite. Em muitos lugares tornou-se escasso ou até mesmo extinguiu-se, devido ao desmatamento e à caça indiscriminada. Está ameaçado de extinção.

Habitat

Prefere matas limpas, mas também é encontrado em áreas acidentadas, como córregos e grotas de difícil acesso.

Distribuição Geográfica

Região de floresta do Brasil oriental, de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, Minas Gerais, sul de Goiás e sudeste de Mato; Paraguai e Argentina.

Alimentação

Procura comer frutas caídas no chão, sementes, pequenos insetos e moluscos que se escondem no tapete de folhagem decomposta, virando folhas e galhos com o bico.

Reprodução

6 ovos verde-turquesa, incubados pelo macho durante 20 dias.

Fonte: www.ucs.br

Macuco

Macuco (Tinamus solitarius), nome de origem na língua indígena tupi-guarani: Mocoico-erê; em inglês: Solitary Tinamou, é o maior representante dos tinamídeos na Mata Atlântica.

Atinge até 52 cm e entre 1,5 a 2,0 kg de peso.

Possui coloração acinzentada com matiz verde-oliva, e desenho críptico nas penas traseiras (rectrizes).

É uma ave que habita a mata primitiva, percorrendo o solo da floresta, inclusive em áreas acidentadas e de difícil acesso.

Fonte: www.saberweb.com.br

Macuco

Macuco

Nome Vulgar: Macuco
Nome Científico: (Tinamus solitarius)
Ordem: Tinamiformes
Família: Tinamidae

Habitat

Apesar de gostar de mata limpa é encontrado em áreas acidentadas de difícil acesso.

Características

Estão entre as aves cinegéticas mais importantes do Brasil, mede 52 cm. O macho pesa de 1200 g a 1500 g e a fêmea de 1300 g a 1800 g. Dorso pardo-azeitona, verde cinza- claro.

Comportamento

A ave, quando perseguida, imobiliza-se de pescoço erecto ou deita-se, por vezes fingindo-se morta ou esconde-se nos buracos. Utiliza o voo como último recurso, sendo este rectilíneo e lento, planando para poisar. Gostam muito de se exporem ao sol e empoeirarem – se, quando chove tomam uma silhueta semelhante a uma garrafa para melhor escoarem a água. Alimentação: comem bagas de frutos, folhas sementes duras, tubérculos, raízes, artrópodes, insectos. Nunca escavam o solo, utilizam o bico para revirar os obstáculos e aproveitam a movimentação do gado para catar os seus alimentos. Bebem muita água e ingerem pedrinhas para facilitar a digestão. Reprodução: A fêmea põe 6 ovos no intervalo de três a quatro dias. O macho tem a tarefa de chocar e criaras crias, sistema de reprodução que envolve a poligamia. Não se empoleiram enquanto se dedicam a essa tarefa. Cor do ovo: Verde-turquesa ou azul. Vocalização: é um piar grave, monossilábico “fón”; tanto o macho como a fêmea podem piar mais grosso ou mais fino ou sustentar a nota por tempo variável.

Distribuição

Ocorre na Serra do Mar, na região florestada do Brasil oriental, de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, Minas Gerais , sul de Goiás e sudeste de Mato Grosso; Paraguai e Argentina.

Fonte: profs.ccems.pt

Macuco

Tinamus solitarius

Família

Tinamidae

Caracterização

Mede 52 cm. O macho pesa de 1200 g a 1500 g e a fêmea de 1300 g a 1800 g. Dorso pardo-azeitonado, verde cinza-claro.

Hábitat

Apesar de gostar de mata limpa é encontrado em áreas bem acidentadas como córregos e grotas de díficil acesso.

Distribuição

Ocorre na Serra do Mar, na região florestada do Brasil oriental, de Pernambuco ao Rio Grande do Sul, Minas Gerais , sul de Goiás e sudeste de Mato Grosso; Paraguai e Argentina.

Hábitos

Desconfiados, imobilizam-se instantaneamente de pescoço ereto , parte posterior do corpo levantada ou deitam-se; indivíduos assustados por um tiro às vezes fing em-se de mortos. Escondem-se ocasionalmente em buracos.

Alçam vôo apenas como último recurso, sendo o mesmo pesado e retilíneo; são quas e incapazes de evitar obstáculos, mas pilotam relativamente bem quando planam pa ra aterrissar.

Tomam banho de poeira além de banhos de sol. A sua plumagem freqüentemente adquire, por estar impregnada, a cor da terra local. Sob chuva adquirem forma ereta (sua silhueta então assemelha-se à de uma garrafa) deixando a água escorrer aobre a plumagem.

Alimentação

Comem não só bagas, frutas caídas (ex. merindibas, tangerinas e coquinhos de palmito) como folhas e sementes duras. Procuram pequenos artrópodes e moluscos que se escondem no tapete de folhagem apodrecida; viram folhas e paus podres com o bico à procura do alimento, jamais esgravatando o solo com os pés como fazem os galináceos.

Catam carrapatos nos pastos e se aproveitam da movimentação do gado no meio da vegetação para apanhar insetos (ex. gafanhotos) quando são espantados. Também cavam a terra à procura de raízes tenras e tubérculos, porém em pequena escala.

Bebem regularmente sempre que houver água. Engolem pedrinhas; os filhotes dependem de alimento animal.

Reprodução

Cor do ovo: Verde-turquesa ou azul.

A fêmea põe os ovos no intervalo de três a quatro dias, completando a postura com seis ovos. O macho se incube da tarefa de chocar e criar filhotes, sistema de reprodução que envolve a poligamia.

Não se empoleiram enquanto se dedicam a essa tarefa.

Manifestações sonoras

Voz: piado grave, monossilábico “fón”; tanto o macho como a fêmea podem piar mais grosso ou mais fino ou sustentar a nota por tempo variável.

Predadores naturais

Gatos-do-mato, raposas, guaxinins, furões, iraras, gambás, gaviões e corujas.

Os ninhos podem ser saqueados por cobras, macacos, gambás e até mesmo pelo tamanduá-bandeira.

Caça, utilização

Estão entre as aves cinegéticas mais importantes do Brasil, fornecendo a população rural parte das proteínas indispensáveis.

São os troféus mais cobiçados por qualquer caçador, o macuco é a peça mais nobre da paciente caçada de pio na floresta. Um novo perigo são as caçadas noturnas facilitadas pelas modernas e possantes lâmpadas que não tem dificuldade em localizar a ave no poleiro.

Preservação

Estão ameaçados pela destruição ambiental.

Lenda

Lenda sempre muito citada é aquela que conta que os felinos, especialmente a onça pintada, sabem imitar o piado do macuco para assim atraí-lo e abocanhá-lo; o que poderia acontecer, porém, é de um caçador ter piado atraindo assim um cachorro ou gato-do-mato (ou até mesmo uma onça) que aproximar-se-ia supondo realmente encontrar uma presa.

Bibliografia

Helmt Sick, 1988. “Ornitologia Brasileira”.

Fonte: www.faunacps.cnpm.embrapa.br

Veja também

Rinoceronte

Rinoceronte, Reprodução, Características, Espécies, Mamíferos, Hábitos, Fotos, Classificação, Habitat, Tamanho, Animal, Anatomia, Comportamento, Rinoceronte

Rinoceronte Branco

Rinoceronte Branco, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Visão, Rinoceronte Branco

Rinoceronte de Java

Rinoceronte de Java, Características, Tamanho, Alimentação, Habitat, Extinção, Espécie, Hábitos Alimentares, Reprodução, Peso, Rinoceronte de Java

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.