Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Animais / Vira-Lata

Vira-Lata

PUBLICIDADE

Vira-Lata

Vira-lata, sim!

Cães e gatos sem raça definida são tão inteligentes quanto os que vêm com pedigree e até mais resistentes. Considere isso na hora de escolher o bichinho que vai levar para casa

por CLARA CIRINO design SUELY DANELON

Eles estão longe de serem considerados puros, não possuem características marcantes que os diferenciem e nem se encaixam exatamente em padrões de beleza. A palavra que os classifica, associada ao hábito de revirar latas de lixo em busca de comida, aparece nos dicionários como um sinônimo de “sem classe, sem-vergonha”. Mas os cães e gatos sem raça definida (SRD) driblaram a má fama. E foi-se o tempo em que eram deixados do lado de fora das casas e relegados ao segundo escalão dos amigos de quatro patas. Segundo levantamento feito pelo Instituto Datafolha, que entrevistou 613 donos de cães na cidade de São Paulo, apenas 26% dos pets foram comprados. Estima-se, portanto, que o restante não tenha pedigree ou raça definidos. No caso dos felinos, uma pesquisa encomendada pela Comissão de Animais de Companhia, que reúne empresas do setor veterinário, aponta que quase 80% dos gatos dos lares brasileiros também estão na categoria SRD.

Menos Nobreza e Mais Esperteza ?

Cães e gatos mestiços são tidos como mais inteligentes que a maioria dos animais de raça. E um estudo feito pela Universidade de Aberdeen e Napier, na Escócia, vem colaborar com essa teoria. A pesquisa aplicou sete testes diferentes em um grupo de 80 cães. De acordo com os profissionais envolvidos, os vira-latas apresentaram melhor noção de espaço e resolveram problemas — como procurar ossos embaixo de latas — com mais facilidade do que os colegas com pedigree. Mas a avaliação não é unânime. Daniel Guimarães Gerardi, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, por exemplo, não se entusiasma: “Os vira-latas são tão inteligentes quanto qualquer outro animal. Esse desempenho independe da raça. Está mais ligado a habilidades específicas de cada bicho”.

O quesito comportamento é outra variante a ser considerada na hora de adotar um pet mestiço. Para quem acha que eles podem ser uma fonte de confusão, a opinião de Marcelo Quinzani, do Hospital Veterinário PetCare, de São Paulo, não deixa de ser uma surpresa: “Vira-latas, principalmente os que têm um histórico de vida na rua, são mais dóceis”, ele afirma. “Isso se dá devido ao instinto de sobrevivência. Sendo mais amistosos, eles conquistam mais cuidados.” E os espertinhos são tão aptos ao adestramento quanto qualquer outro animal de estimação. Ainda está em dúvida? Pensando que pode ser um perigo levar um doce filhote para casa e vê-lo crescer demais e virar um grande problema? Pois saiba que, prestando atenção em alguns detalhes, dá para ter uma pista do porte do amigo de quatro patas que se vai adotar.

Atenção e Carinho

Animais que tiveram suas características selecionadas por reproduções programadas tendem a desenvolver problemas típicos daquela raça. No caso de cães e gatos vira-latas, não há um biótipo específico. Eles têm diferentes pelagens, tamanhos e características físicas proporcionados pelos cruzamentos ao acaso. “Essa variedade genética contribui para que esses animais se tornem menos predispostos a desenvolver determinadas doenças, como insuficiência renal e dermatites”, teoriza Daniel Gerardi. A paulista Veridiana Ravizza, de 37 anos, ganhou o SRD Zeca de uma amiga. “Desde que adotei meu gato, minha alergia respiratória praticamente desapareceu”, diz a editora de cinema. Mas vale o alerta: isso não significa que a imunidade seja total. Avaliar a aparência física do cachorro, por exemplo, é uma boa maneira de investigar se existe predisposição a algum mal. “Cães de grande porte podem ter problemas articulares, enquanto os de focinho achatado tendem a apresentar dificuldades respiratórias”, ensina Marcelo Quinzani.

Ou seja, vira-lata também é bicho — trate da saúde dele como faria com qualquer animal de sangue azul. A vacinação deve estar sempre em dia, prevenir o aparecimento de pulgas, carrapatos e vermes garante o bem-estar e check-ups periódicos vão ajudar a mantê-lo sempre saudável. Quanto à alimentação, nenhum segredo: as rações devem respeitar o porte e a idade do animal. No mais, passeio e carinho são mais que bem-vindos.

Isso posto, se você encontrar um desses animais na rua e resolver adotá-lo, o melhor a fazer é levá-lo logo a um veterinário e mantê-lo isolado dos outros animais da casa por alguns dias. Esse período de observação é importante para perceber se o bichinho tem alguma doença ainda incubada em seu organismo. Depois de um mês de avaliação, o veterinário poderá dizer se seu novo companheiro está suficientemente saudável para tomar as vacinas de praxe. Vale lembrar: cachorros e gatos, uma vez por ano, devem receber uma dose para espantar o vírus da raiva. Os primeiros recebem ainda a vacina múltipla, a V10, que protege contra cinomose, adenovírus, parainfluenza, parvovírus, coranovírus e dois subtipos de leptospirose, além de ser imunizados contra a gripe canina. Já os felinos devem ser vacinados para evitar rinotraqueíte, panleucopenia, clamídea e vírus calicivírus.

Como Escolher Seu Filhote

Algumas características dos cães quando pequenos podem indicar o porte que atingirão na idade adulta

1. A primeira dica é ficar de olho na cabeça do bicho. Um ossinho no crânio, chamado de crista occipital, geralmente é mais proeminente na turma que vai ser de grande porte.

2. Preste atenção também nas patas e nas juntas. Se elas forem arredondadas e grandes, é sinal de que o cão tende a crescer bastante.
74% das pessoas que têm cães em São Paulo obtiveram seus bichinhos pela via da adoção — ou seja, nada de pedigree ou raça definidos

26% dos gatos brasileiros que vivem com famílias não possuem características de nenhuma raça — em outras palavras, são mestiços

Onde Adotar

ONGs de proteção animal são um ótimo caminho para adotar cães e gatos

SÃO PAULO

Projeto Esperança Animal
www.pea.org.br

AnimaiSOS
www.animaisos.org.br

Clube dos Vira-latas
www.clubedosviralatas.org.br

BELO HORIZONTE

Associação Cão Viver em Defesa dos Animais
www.caoviver.com.br

PORTO ALEGRE

ONG Duas Mãos Quatro Patas
www.duasmaosquatropatas.com.br

RIO DE JANEIRO

Casa do Cão e Gato
www.casadocaoegato.com.br

Fonte: saude.abril.com.br

Vira-Lata

Vira-lata é um cão que pertence a nenhuma raça reconhecida organizacionalmente e não é o resultado de cruzamentos seletivos.

Aspecto

Vira-Lata
Este pastor alemão / Golden Retriever mix tem traços mais médios mestiços do que qualquer um dos pais.

Quando a mistura de raças, a sua prole manifesta uma ampla variedade de aparências, alguns assemelhando uma raça de perto, enquanto outros apresentam claramente as características de ambos. No entanto, as raças mistas como continuar a cruzar, as gerações subseqUentes moderadas para uma aparência mais ou menos semelhante. Eles tendem a ser castanho ou preto e pesam cerca de 18 kg (40 lb) e, normalmente, estão entre 38 e 57 cm (15 e 23 polegadas) de altura na cernelha.

Determinar ascendência

Adivinhar a ascendência de uma raça mista é difícil, mesmo para observadores experientes de cão, porque raças mistas têm muito mais genética variação de raças puras. Por exemplo, dois cães negros mestiços, cada um pode ter genes recessivos que produzem um revestimento de loiro e, portanto, produzir descendentes procurando ao contrário de seus pais.

A partir de 2007, a análise genética de amostras de sangue tornaram-se disponíveis para o público. As empresas afirmam seu DNA teste de diagnóstico baseado geneticamente pode determinar a composição raça de cães sem raça definida. Estes testes ainda são limitados em escopo, porque apenas um pequeno número das centenas de raças de cães foram validados contra os testes, e porque a mesma raça em diferentes áreas geográficas podem ter diferentes perfis genéticos. Além disso, os testes não testam para a pureza da raça, mas para as sequências genéticas que são comuns a certas raças. Com um cão de raça mista, o teste não é a prova da ascendência de raça pura, mas sim uma indicação de que esses cachorros compartilham um ancestral comum com certas raças puras. O American Kennel Club não reconhece o uso de testes de DNA para determinar a raça.

Como assim, muitos mais recentes raças de cães pode ser rastreada até uma raça fundamental comum tornando-os difíceis de separar geneticamente. Por exemplo, o Labrador Retriever , Flat-Coated Retrievers , Chesapeake Bay Retrievers , e cães de Terra Nova compartilham a ascendência do St. Cão de água de John – um extinto de ocorrência natural da raça do cão da ilha de Terra Nova.

Saúde

A teoria de vigor híbrido sugere que, como grupo, os cães de ascendência variada será mais saudável do que os seus homólogos de raça pura. Em cães de raça pura, intencionalmente criação de cães de aparência muito semelhante ao longo de várias gerações produz animais que transportam muitos dos mesmos alelos, alguns dos quais são prejudiciais. Se a população fundação para a raça era pequeno, então a diversidade genética dessa raça em particular pode ser pequeno por algum tempo. Em essência, os seres humanos, quando os cães para selecionar determinadas novas raças, são artificialmente isolar esse grupo de genes e causar mais cópias desse gene a ser feitas que pode ter ocorrido de outro modo na natureza. Inicialmente, a população vai ser mais frágil devido à falta de diversidade genética.

Se a raça do cão é popular, ea linha continua, ao longo de centenas de anos, a diversidade vai aumentar devido a mutações ocasionais e out-criação; como uma ilha com algumas novas aves, eles vão diversificar. É por isso que algumas das raças muito “velhos” são mais estáveis. O problema é que quando certos traços encontrados no padrão da raça estão associados com doenças genéticas. Então, a força seletiva artificial favorece a duplicação da ordem genética, porque ele vem com um traço físico desejado. A saúde genética dos híbridos tende a ser maior. traços saudáveis foram perdidos em muitos de raça pura cães linhas porque muitos criadores de showdogs estão mais interessados ??na conformação – os atributos físicos dos cães em relação ao padrão da raça -. que na saúde e temperamento trabalhando para que o cão foi originalmente criado.

Populações são particularmente vulneráveis quando os cães criados estão intimamente relacionados. Endogamia entre raças puras expôs vários problemas de saúde genéticos nem sempre facilmente perceptíveis em populações menos uniformes. Cães mestiços são geneticamente mais diversificados devido à natureza mais casual de acasalamento dos pais. No entanto, “ao acaso” não é o mesmo que “aleatória”, para um geneticista. Os descendentes desses acasalamentos pode ser menos propensos a expressar certas doenças genéticas, pois pode haver uma chance menor que ambos os pais carregam os mesmos alelos recessivos prejudiciais, mas algumas recessivos deletérios ocorrer em muitas raças aparentemente não relacionados, e raças, portanto, apenas de mistura não é garantia da saúde genética. Além disso, quando dois espécimes pobres são criados, os filhos podiam herdar os piores traços de ambos os pais. Isto é comumente visto em cães de fábricas de filhotes.

Cães de raça e sem raça são igualmente suscetíveis à maioria das doenças não-genéticas, como a raiva , cinomose , ferimentos e infestação por parasitas.

Vários estudos têm mostrado que os cães mestiços, têm uma vantagem para a saúde. Um estudo alemão acha que “Mongrels requerem um tratamento menos veterinária”. Estudos na Suécia, descobriram que “Cães sem raça definida são menos propensas a muitas doenças que o cão médio do puro-sangue”e, referindo-se as taxas de mortalidade “, Mongrels foram consistentemente na categoria de baixo risco “. Dados da Dinamarca também sugerem que as raças mistas têm maior longevidade, em média, em comparação com puros. Um estudo britânico mostrou resultados semelhantes, mas algumas raças (nomeadamente Jack Russell Terrier, miniatura Poodles e Whippets) viveram mais tempo do que raças misturadas.

Em um estudo de referência, o efeito da raça sobre a longevidade do cão de estimação foi analisada utilizando dados de mortalidade de 23.535 cães de estimação. Os dados foram obtidos a partir de hospitais de ensino veterinários norte-americanos. A idade média de morte foi determinada para cães de raças puras e mistas de diferentes pesos corporais. Dentro de cada categoria de peso, a idade média no momento da morte foi menor para cães de raça pura em comparação com os cães sem raça definida. A idade média de morte era “8,5 anos para todos os cães sem raça definida, e 6,7 anos para todos os cães de raças puras” no estudo.

Tipos de mestiços

Cães sem raça definida pode ser dividido basicamente em tipos:

Misturas que apresentam características de dois ou mais raças. A mistura pode ter alguns antepassados de raça pura, ou poderia vir de uma longa linha de raças mistas.

Vira-Lata

Esportes

Cães mestiços, pode se destacar em esportes , tais como obediência e agilidade. Muitas vezes, altamente energético, raças misturadas ficam com abrigos e grupos de resgate , onde são procurados pelos proprietários com o carinho, paciência e unidade para treiná-los para o esporte do cão, transformando cães indesejados em saudáveis, vencedores física e mentalmente estimulados.

Até o início de 1980, cães mestiços eram geralmente excluídas da obediência competições. No entanto, a partir do Registro Americano Mixed Breed Obediência (Ambor) e os clubes Mixed Breed Dog da América (MBDCA), que criou locais de obediência em que cães mestiços poderiam competir, mais oportunidades se abriram para todos os cães em todos os esportes do cão . Mais agilidade do cão e organizações flyball sempre permitido cães mestiços para competir. Hoje,-raças misturadas provaram o seu valor em muitos esportes de desempenho.

Em shows de conformação , onde a conformação dos cães para um padrão da raça é avaliada, cães mestiços, normalmente não podem competir. Para cães de raça pura, suas características físicas são julgados contra um único padrão da raça. Cães mestiços, porém, são difíceis de classificar , exceto de acordo com a altura, há uma enorme variação nas características físicas, tais como revestimento, estrutura óssea, andar, conjunto de ouvido, formato dos olhos e cor, e assim por diante. Quando os padrões de conformação são aplicadas a cães mestiços, como em eventos executados pelo MBDCA, os padrões são geralmente traços gerais da saúde, solidez, simetria e personalidade.

The Kennel Club (Reino Unido) opera um programa chamado Scruffts (um nome derivada de sua prestigiada Crufts show) aberto apenas a Mixed-raças em que os cães são julgados em caráter, saúde e temperamento. Alguns clubes do canil , cujo objetivo é promover a cães de raça pura, ainda excluir misto raças de seus eventos de desempenho. O AKC eo FCI são duas dessas organizações proeminentes. Enquanto o AKC não permitir que os cães sem raça definida para ganhar o seu Cidadão Boa Canine prêmio, cães sem raça definida não são autorizados a entrar eventos AKC “todas as raças”, que através do seu programa “Parceiros canina”, cães sem raça definida pode ser inscrito para competir na agilidade AKC, obediência e provas de rali.

Vira-Lata
Um cão de raça mista demonstra agilidade.

Referências

Morris, Desmond (2008). “cães selvagens” . Dogs: The Dictionary final de mais de 1.000 raças do cão (Primeira Paperback ed.). Vermont: Tralfalgar Square. pp 696-697. ISBN 978-1-57076-410-3 . “O vira-lata não é uma raça de verdade, mas é certamente uma categoria comum de cão doméstico. Estima-se que, em todo o mundo, existem 150 milhões deles.” “
Witiak, Dr. Gene (2004). Confissões de um veterinário . Glenbridge Publishing Ltd. p. 11. ISBN 0-944435-54-8 . “” Caninos de linhagem desconhecida costumavam ser chamados vira-latas – como o passar do tempo, o termo degradante “”. Foi preferido “raça mista”
Budiansky “, Stephen (2000). The Truth About Dogs, um Inquérito sobre a ancestralidade, as convenções sociais, hábitos mentais e fibra moral de Canis familiaris New York, EUA: Viking Penguin p 35…. ISBN 0 – 670-89272-6 . parâmetro Unknown | unused_data = ignorado ( ajudar )
Exemplos de estudiosos usam o termo “vira-lata”, como um termo técnico clínico pode ser encontrada aqui: http://scholar.google.com/scholar?q=Mongrel+dogs&btnG=&hl=en&as_sdt=0% 2C33 & as_ylo = 2009
Os exemplos incluem: 1 “Mongrel adorável”, de 1954, publicado nos EUA por “todos os animais”, escrito por Maxwell Riddle.. 2. “Inteligente e leal, uma celebração do Mongrel”, publicado em Londres em 1981, escrito por Jilly Cooper. 3. “O Mongrel”, de Angela Patmore e publicado em Londres em 1985. 4. “Livro do Mongrel” foi publicado pela HarperCollins em 1997, escrito por Kay White.
“Cur | Definir Cur no Dictionary.com” . Dictionary.reference.com . Retirado 2012/05/06 .
“Tyke | Definir Tyke em Dictionary.com” . Dictionary.reference.com . Retirado 2012/05/06 .
“Mongrel | Definir Mongrel no Dictionary.com” . Dictionary.reference.com . Retirado 2012/05/06 .
“Mutt | Definir Mutt no Dictionary.com” . Dictionary.reference.com . Retirado 2012/05/06 .
“Os resultados revelaram em cão teste de DNA” . 2007-12-17.
“Canine DNA Cheek Swab” . 2008-02-25.
“Canine Heritage Teste FAQs” . 2007-12-17.
American Kennel Club, “DNA Frequently Asked Questions”, acessada 2011/03/31.
Dlugosch, KM e IM Parker. 2008. Eventos fundação em invasões de espécies: variação genética, evolução adaptativa, bem como o papel de múltiplas apresentações. Ecologia Molecular 17:431-49.
Slatkin, M. 1987. O fluxo gênico ea estrutura geográfica das populações naturais. Ciência 236:4803 (787-92).
PD McGreevy e WF Nicholas, algumas soluções práticas para os problemas de bem-estar na criação de cães Pedigree, Bem-Estar Animal, 1999, Vol. 8, 329-331 “Os híbridos têm uma chance muito menor de exibir as doenças que são comuns com as raças parentais. sua saúde genética será substancialmente maior. ” (P338)
Anita Hamilton (04 de dezembro de 2005). Limitar o Comércio cachorro . Time Magazine.
R. Beythien, Tierarten-und Hunderassenverteilung, Erkrankungshäufigkeit und prophylaktische Maßnahmen bei den häufigsten Hunderassen sou Beispiel Tierarztpraxis einer em Bielefeld em den Jahren 1983-1985 und 1990-1992, 1998, Diss., Tierärztl. Hochschule Hannover
A. Egenvall, BN Bonnett, P. Olson, Å. Hedhammar, sexo, idade, raça e distribuição de morbidade e mortalidade em cães segurado na Suécia durante 1995 e 1996, The Veterinary Record, 29/4/2000, p. 519-57
BN Bonnett, A. Egenvall, P. Olson, Å. Hedhammar, mortalidade em cães suecos: taxas e causas de morte em várias raças, o registro de Veterinária, 1997/12/07, S. 40-44) “Mongrels foram consistentemente na categoria de baixo risco” (p. 41)
HF Proschofsky et al, Mortalidade de cães de raça e sem raça definida na Dinamarca, Medicina Veterinária Preventiva, 2003, 58, 53-74 “Higher longevidade média de cães sem raça definida (agrupadas). Idade na morte raças misturadas (Q1 Q2 Q3 raças misturadas 8,11,13, puros 6, 10, 12) “
AR Michell, a longevidade de raças britânicas de cães e sua relação com sexo, tamanho, variáveis ??cardiovasculares e doença, veterinário. Rec., 27 novembro de 1999, S. 625-629.
GJ Patronek, DJ Walters, LT Glickman, Longevity comparativo de cães e seres humanos: implicações para Gerontology Research, J. Geront, CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, 1997, Vol. 52A, N º 3, B171, B178 citação (p. B173. ) PMID 9158552
McGreevy, PD; Nicholas, FW (1999). “Algumas soluções práticas para os problemas de bem-estar na criação de cães” . Bem-Estar Animal (Wheathampstead, UK: Universities Federation for Animal Welfare) (8): 329-341. Arquivado do original em 27 março, 2009 . Retirado 28 de junho de 2012 .
John Paul Scott, John L. Fuller. Genética e comportamento social do cão.

Fonte: en.wikipedia.org

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Leão

Leão, Animal, Características, Habitat, Família, Espécie, Reprodução, Classificação, Rei da Selva, Simba, Reino, Filo, Classe, Gênero, Dieta, Leão

Víboras, Calangos e Tartarugas

Víboras, Calangos E Tartarugas, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Víboras, Calangos E Tartarugas

Víbora

Víbora, Cobra, Alimentação, Habitat, Reprodução, Vipera Latastei, Áspide, Inimigos, Gigante, Predadores, Crânio, Dentes, Animal, Réptil, Víbora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+