Breaking News
Home / Animais / Quarto de Milha

Quarto de Milha

PUBLICIDADE

O que é um cavalo Quarto de Milha?

Um cavalo Quarto de Milha é uma raça específica de cavalo que talvez seja mais conhecida por sua velocidade em curtas distâncias e sua construção curta e encorpada.

Esse tipo de raça é originalmente americana, e a American Quarter Horse Association (AQHA) continua sendo o maior registro do mundo, apesar de hoje os cavalos serem criados em todo o mundo.

As características incluem marcas brancas limitadas na face e abaixo dos joelhos, musculatura pesada e uma natureza gentil.

Estes cavalos são geralmente a escolha mais popular para o trabalho de corrida, salto e rodeio. Muitos participam de exposições formais de cavalos, onde coisas como estética e coloração são avaliadas por painéis de juízes.

A linhagem é particularmente importante nesses tipos de configurações. Os cavaleiros casuais geralmente não estão interessados na história genética de um cavalo, mas os investidores sérios costumam ser. Associações como a AQHA geralmente mantêm registros detalhados de todos os cavalos registrados e normalmente também estabelecem regras quando se trata de coisas como sangue e histórico familiar.

História da Raça

O primeiro cavalo com características do Quarto de Milha foi criado em algum momento durante o início de 1600, e acredita-se que tenha sido um composto de raças árabes, turcas e barbatanas.

Todos esses cavalos foram trazidos para a América durante esse período, foram e foram cruzados com cavalos da Inglaterra e Irlanda que já estavam sendo usados em fazendas e como meio de transporte. Estudiosos não têm certeza se o cavalo foi intencionalmente criado por sua força e velocidade ou se essas características surgiram mais como uma questão de acontecer, mas elas são características definidoras desses cavalos hoje.

Identificando características

Embora a raça seja mais conhecida por sua capacidade de corrida de curta distância, ela também é usada para criar gado, participar de vários eventos de rodeio e para aulas de inglês de adestramento e saltos. Cavalos dentro da categoria Quarto de Milha são geralmente um pouco mais curtos e mais encorpados do que outras raças, e seu tônus muscular é freqüentemente um pouco aumentado.

A maioria tem o que é conhecido como coloração “azeda”, que é castanha avermelhada e castanha clara.

Além da azeda, existem 12 cores aceitas pela AQHA como cores “oficiais” ou “legítimas”: marrom; castanha; cinzento; dun, que é marcado por um corpo marrom claro, mas crina e cauda escuras; dun vermelho; baio; Preto; baía, que é uma castanha escura com crina e conto quase negros; grullo, que é uma coloração acinzentada que muitas vezes apresenta listras; roan vermelho; roan azul; e palamino, que é uma cor creme ou esbranquiçada.

Perguntas da herança do cavalo

A linhagem da raça foi preservada pela AQHA, que estabelece um conjunto rigoroso de diretrizes em relação ao registro. Uma de muitas dessas diretrizes é o fato de que cada potro deve ter um pai, mãe, pai e mãe da American Quarter Horse. Para manter registros precisos do patrimônio, a AQHA mantém o maior registro equino do mundo, com mais de 3,7 milhões de cavalos registrados. Eles acompanham todos os registros de propriedade, desempenho e produzem dados, bem como números de população para a raça.

Diferentes registros de cavalos em todo o mundo têm especificações ligeiramente diferentes, mas a maioria não atende aos requisitos da AQHA. Em muitos aspectos, esta organização é vista como a autoridade mundial da raça e o que significa fazer parte dela.

A sede da associação está localizada em Amarillo, Texas, e o American Quarter Horse Heritage Centre and Museum está localizado logo ao lado. O museu é aberto ao público e possui uma grande variedade de materiais de pesquisa, exposições, vídeos informativos e exposições práticas que documentam a história e a prevalência da raça ao longo da história.

Cavalos notáveis através da História

Alguns dos mais famosos cavalos que levam esta designação de raça incluem King, que estabeleceu o padrão para a raça, e Go Man Go, que dominou o cenário das corridas, estabelecendo três recordes e um recorde mundial. Dash for Cash, considerado um dos maiores touros de cavalos de corrida, também é um nome familiar para muitos no mundo das corridas de cavalos, assim como Jato Fácil (Easy Jet) que, aos 2 anos de idade, teve 22 vitórias em 26 partidas.

Raça

Primeira raça desenvolvida nas Américas, o Quarto de Milha é típico do oeste americano. Surgiu no início de 1600, resultado do cruzamento de animais da Arábia e Turquia. Destaque para sua habilidade em lidar com o gado.

Características

Bem definido, compacto e musculoso, é um animal ágil e veloz para atividades em pequenas distâncias. Nenhum outro animal o supera em ¼ de milha. Apesar de sua força e habilidade, é muito dócil e confiável.

Utilização

Muito usado no campo, se destaca em provas funcionais que exigem agilidade e/ou velocidade, tais como: tambor e baliza, vaquejada, laço, rédeas, apartação, corridas, working cow horse, team penning, entre outras.

No Brasil

O primeiro cavalo a chegar foi importado da famosa King Ranch do Texas, maior fazenda dos EUA. No Brasil são mais de 285 mil cavalos registrados e divididos entre 39 mil criadores e proprietários.

O Quarto de Milha

O Quarto de Milha é o primeiro de todos os cavalos americanos de raça, é tido como “o mais popular do mundo”.

A Origem da Raça

Wimpy, precursor da raça

No ano de 1946, a AQHA se transferiu para Amarillo, Texas, onde se encontra até hoje, tornando-se a maior associação de criadores do mundo, com cerca de 305 mil sócios e mais de 2,96 milhões de cavalos registrados

Quarto de Milha no Brasil

Tudo começou em 1955, quando a Swift-King Ranch (SKR) importou seis animais dos Estados Unidos para o Brasil. Entre eles, veio Saltilo Jr, com a finalidade de melhorar os animais das fazendas que a empresa possuía no Estado de São Paulo.

Posteriormente, a SKR importou mais seis animais, com a mesma finalidade, sempre de sua matriz norte-americana, a famosa King Ranch, no Texas, a maior fazenda dos EUA.

À medida que vários pecuaristas, banqueiros e homens de negócios tiveram a oportunidade de conhecer os animais Quarto de Milha, começaram a pressionar a SKR para que lhes vendessem alguns exemplares.

A companhia atendeu a poucos criadores, vendendo um número reduzido de potros. Entre os primeiros compradores, estavam Washington Junqueira Franco, Carlos Eduardo Quartim Barbosa, José Oswaldo Junqueira e Francisco Carlos Furquim Correia, de Araçatuba (SP), o grande divulgador inicial da raça.

A pressão dos interessados aumentou muito junto à SKR. Até que, em maio de 1968,em Presidente Prudente, a Companhia realizou seu primeiro leilão, levando a remate, sob o martelo de Trajano Silva, quatro potros puros e sete mestiços.

Os puros leiloados foram: Clarim Brasil, Barravento, Comandante Brasil e Cacareco Brasil, adquiridos respectivamente por Francisco C. Furquim Correia, José Macário Perez Pria, Roberto Reichert e Heraldo Pessoa.

O remate foi um sucesso e o marco inicial da disseminação da raça no Brasil.

Em 15 de agosto de 1969, foi fundada a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha (ABQM), no Parque da Água Branca, em São Paulo, mas a sede foi transferida para Bauru, no escritório de Heraldo Pessoa, sendo o primeiro presidente José Eugenio Resende Barbosa.

O primeiro animal registrado na ABQM foi Caracolito, nascido em 10 de março de 1957, no Texas (EUA), filho de Caracol, por Wimpy.

Importado pela Swift King Ranch, serviu 9 éguas na temporada e 139 em toda a sua vida reprodutiva, gerando produtos puros e mestiços, morrendo em 17 de setembro de 1974.

Descrição

APARÊNCIA – de força e tranquilidade. Quando não trabalhando, deve conservar-se calmo, mantendo a própria força sob controle. Na posição parado, mantém-se reunido, com os posteriores sob a massa, apoiando nos quatro pés, podendo partir rapidamente em qualquer direção.

PELAGEM – admite-se que a pelagem do Quarto de Milha possa ser alazã, alazã tostada, baia, baia amarilha ou palomina, castanha, rosilha, tordilha, lobuna, preta e zaina. Não serão admitidos, para registro, animais pampas, pintados e brancos, em todas as suas variedades.

ANDAMENTO – harmonioso, em reta, natural, baixo. O pé é levantado livremente e recolocado de uma só vez no solo, constituindo-se no trote de campo.

ALTURA – são cavalos cuja altura é, em média, de 1,50 m. São robustos e muito musculados.

PESO – 500 quilogramas, em média.

CABEÇA – pequena e leve. Em posição normal, deve-se ligar ao pescoço em ângulo de 45º. Perfil anterior reto.

FACES – cheias, grandes, muito musculosas, redondas e chatas, vistas de lado; discretamente convexas e abertas de dentro para fora, vista de frente, o que proporciona ganachas bem mais largas que a garganta. Desta forma, a flexão da cabeça é muito acentuada, permitindo grande obediência às rédeas.

FRONTE – ampla.

ORELHAS – pequenas, alertas, bem distanciadas entre si.

OLHOS – grandes e, devido ao fato de a testa ser larga, bem afastados entre si permitindo um amplo campo visual, tanto para a frente como para trás, ao mesmo tempo, com o mesmo olho.

NARINAS – grandes.

BOCA – pouco profunda, permitindo grande sensibilidade às embocaduras.

FOCINHO – pequeno.

PESCOÇO – comprimento médio. Deve inserir-se no tronco em ângulo de 45º porém, bem destacado do mesmo. Somente a JUNÇÃO entre o pescoço e a cernelha deve ser gradual.

O BORDO INFERIOR – do pescoço é comparativamente reto e deve destacar-se nitidamente do tronco assegurando flexibilidade.

O BORDO SUPERIOR – é reto, quando o cavalo está com a cabeça na posição normal.

GARGANTA – estreita, permitindo grande obediência às rédeas.

MUSCULATURA – bem pronunciada, tanto vista de lado, como de cima. As fêmeas têm pescoço proporcionalmente mais longo, garganta mais estreita e desenvolvimento muscular menor. O Quarto de Milha, quando em trabalho, mantém a cabeça baixa, podendo, assim, usá-la melhor e permitindo ao cavaleiro uma perfeita visão sobre ela.

TRONCO – da cernelha ao lombo deve ser curto e bem musculado: Não “selado” especialmente nos animais de lida. Isto permite mudanças rápidas de direção e grande resistência ao peso do cavaleiro e arreamentos. De perfil, é aceitável o declive gradual de 5º a 8º da garupa à base da cernelha. O vértice da cernelha e a junção do lombo com a garupa devem estar aproximadamente no mesmo nível.

CERNELHA – bem definida, de altura e espessura médias.

DORSO – bem musculado ao lado das vértebras e, visto de perfil, com muita discreta inclinação de trás para frente. Tendo aparência semi-chata, o arreamento comum deve cobrir toda essa área.

LOMBO – curto, com musculatura acentuadamente forte.

GARUPA – longa, discretamente inclinada, para permitir ao animal manter os posteriores normalmente embaixo da massa (engajamento natural).

PEITO – profundo e amplo. O peito visto de perfil, deve ultrapassar nitidamente a linha dos antebraços, estreitando-se porém, no ponto superior da curvatura, de forma a diferenciar-se nitidamente do pescoço. Vista de frente, a interaxila tem forma de “V” invertido, devido à desenvolvida musculatura dos braços e antebraços.

TÓRAX – amplo, com costelas largas, próximas, inclinadas, elásticas. O cilhadouro deve ser bem mais baixo que o codilho.

Membros Anteriores

ESPÁDUA – deve ter ângulo de aproximadamente 45º, denotado, equilíbrio e permitindo a absorção dos choques transmitidos pelos membros.

BRAÇOS – musculosos, interna e externamente.

ANTEBRAÇOS – o prolongamento da musculatura interna dos braços proporciona ao bordo inferior do peito, quando visto de frente, a forma de “V” invertido, dando ao cavalo a aparência atlética e saudável. Externamente, a musculatura do antebraço também é pronunciada. O comprimento do antebraço é um terço a um quarto maior que a canela.

JOELHOS – vistos de frente são cheios, grandes e redondos; vistos de perfil, retos e sem desvios.

CANELAS – não muito curtas. Vistas de lado, são chatas, seguindo o prumo do joelho ao boleto; vista de frente, igualmente sem desvios.

QUARTELAS – de comprimento médio, limpas, em ângulo de 45º, idêntico a da espádua, e continuam pelos cascos com a mesma inclinação.

CASCOS – de tamanho médio, formato aproximadamente semi-circular, com talões bem afastados, sem desvios.

Membros Posteriores

COXAS – longas, largas, planas, poderosas, bem conformadas, fortemente musculadas, mais largas que a garupa.

SOLDRA – recoberta por musculatura bem destacada, poderosa.

PERNAS – muito musculosas. Essencialmente importante é o desenvolvimento muscular homogêneo, tanto interna, quanto externamente.

JARRETES – baixos. Por trás, são largos, limpos, aprumados; de perfil, largos, poderosos, estendendo-se em retaaté os boletos.

CANELAS – mais largas, discretamente mais longas e mais grossas que as anteriores. De lado, são chatas. São convenientes canelas mais curtas, tornando o jarrete mais próximo do solo, permitindo voltas rápidas e paradas curtas.

Classificação

Nome em inglês: Quarter Horse
Origem: Séculos XVIII – XIX – Estados Unidos
Temperamento: Linfático (warnblood)
Pelagem: As básicas.
Uso: Sela, lida, corridas e hipismo rural
Influências: Produto de cruza do Mustang com o PSI, descende do Andaluz também, ou seja, possui sangue Berbere e Árabe em todas as suas origens.
Altura: entre 1,50 e 1,60 m

Quarto de Milha – Fotos

Fonte: www.abqm.com.br/www.wisegeek.org/br.pinterest.com/www.cavalosquartodemilha.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Aracnídeos

PUBLICIDADE Definição Os aracnídeos (classe Arachnida), qualquer membro do grupo de artrópodes que inclui aranhas, …

Anaconda

Anaconda

PUBLICIDADE O que é uma Anaconda? Uma anaconda é uma cobra grande e não venenosa. Vive principalmente …

Tigre de Sumatra

PUBLICIDADE O que é um Tigre de Sumatra? Um tigre de Sumatra é uma espécie …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.